SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
TEMA: CLASSIFICAÇÃO DE RISCO
PROFESSOR: MAGNO CAVALHEIRO FARIA

CURSO: TÉCNICO EM RADIOLOGIA
TURMA: 2VN3
ALUNOS: PARREIRA, Aline. D. S. – PERREIRA, Letícia. S.
MEDEIROS, Danielle. – EMÍLIA, Sônia. S. – MESSIAS, Jânatis.
A IMPLANTAÇÃO DA CLASSIFICAÇÃO DE RISCO
Nos últimos anos, ocorreu um crescimento da demanda na área da
saúde. E na tentativa de ordenar o atendimento as Urgências e
Emergências, o Ministério da Saúde implantou o Acolhimento com
Classificação de Risco.
Risco
A IMPLANTAÇÃO DA CLASSIFICAÇÃO DE RISCO
A proposta do acolhimento e avaliação com Classificação de Risco consiste
em ouvir o usuário que busca o serviço de emergência, ampliando de forma
efetiva o acesso à atenção básica e aos demais níveis do sistema,
eliminando as filas, organizando o atendimento com base em riscos
priorizados, e buscando a capacidade resolutiva.
OS BENEFÍCIOS
Assim que o usuário chega ao serviço de emergência, os enfermeiros
classificam de acordo com o grau de risco que ele apresenta.

Priorizando os casos graves que necessitam de atendimento mais ágil,
rápido e dinâmico e proporciona à equipe uma segurança maior por
saber que quem está ali fora pode aguardar um pouco mais pelo
tratamento.
OS BENEFÍCIOS

Antes da implantação da classificação de
risco o atendimento era por ordem de
chegada, independente da gravidade. Agora
não, agora o enfermeiro avalia e já classifica
pelas cores, que traduzem a prioridade do
atendimento
CLASSIFICAÇÃO DAS CORES

A classificação de risco é realizada através das cores, sendo elas,
vermelho (Emergência), amarelo (Urgência), verde (Pouca Urgência) e
azul (Não Urgência).
VERMELHO - EMERGÊNCIA

Atendimento imediato, o paciente está correndo risco de morte.
Exemplos: Queimaduras grandes, politraumatismo, lesão da coluna
vertebral, perfuração no peito, crise convulsiva, hemorragias não
controladas, coma ou alteração de consciência.
AMARELO - URGÊNCIA
De 30 a 40 minutos, para atendimento. É o caso em que o paciente
necessita de atendimento rápido, mas não é considerado emergência,
podendo aguardar que sejam atendidos os casos mais graves.
Exemplos de urgência: Epistaxe, febre alta, desidratação grave, dor
torácica intensa, crise asmática, etc.
VERDE- POUCA URGÊNCIA

É o caso menos grave, mas que exige atendimento médico.
Exemplos: Asma fora de crise, dor abdominal sem alteração de sinais
vitais, gastroenterite, enxaqueca, dor de ouvido moderada, etc.
AZUL – NÃO URGENTE

É o caso de menor complexibilidade e sem problemas
recentes.Este paciente pode ser acompanhado no ambulatório.
Exemplos de não urgência: queixas sem alterações agudas,
curativos, etc.
BIBLIOGRAFIA
Acolhimento e Classificação de Risco nos Serviços de Urgência - série
B. textos Básicos de saúde - Brasília – DF 2009.

WEBGRAFIA

http://www.blogenfermagem.com/2010/06/livro-acolhimento-e-classificac

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/acolhimento_classificaao_risco_se
http://www.ifi.unicamp.br/~jalfredo/TabelaI.htm
EPÍGRAFE
“O que é escrito sem esforço em geral é lido sem prazer.”
(Samuel Johnson)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Humanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergência
Humanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergênciaHumanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergência
Humanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergênciaAroldo Gavioli
 
Aula 1 - Urgência e emergência
Aula 1 - Urgência e emergênciaAula 1 - Urgência e emergência
Aula 1 - Urgência e emergênciaRicardo Augusto
 
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptxSocorro Carneiro
 
Aula atendimento ao_paciente_critico.ppt-iraja edison
Aula atendimento ao_paciente_critico.ppt-iraja edisonAula atendimento ao_paciente_critico.ppt-iraja edison
Aula atendimento ao_paciente_critico.ppt-iraja edisonEdison Santos
 
Segurança do paciente
Segurança do pacienteSegurança do paciente
Segurança do pacienteHIAGO SANTOS
 
Avaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de EnfermagemAvaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de Enfermagemresenfe2013
 
Manual de anotação de enfermagem hospital samaritano - 2005
Manual de anotação de enfermagem   hospital samaritano - 2005Manual de anotação de enfermagem   hospital samaritano - 2005
Manual de anotação de enfermagem hospital samaritano - 2005Rodrigo Abreu
 
Urgencia e emergencia - aula 1 (1).pptx
Urgencia e emergencia - aula 1 (1).pptxUrgencia e emergencia - aula 1 (1).pptx
Urgencia e emergencia - aula 1 (1).pptxEnfermeiraLuciana1
 
Aula introducao à segurança do paciente
Aula introducao à segurança do pacienteAula introducao à segurança do paciente
Aula introducao à segurança do pacienteProqualis
 
Apostila completa uti
Apostila completa   utiApostila completa   uti
Apostila completa utiElisama Cruz
 
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)JONAS ARAUJO
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)Will Nunes
 
Apresentacao anvisa
Apresentacao anvisaApresentacao anvisa
Apresentacao anvisa07082001
 
Acolhimento e Classificação de Risco
Acolhimento e Classificação de RiscoAcolhimento e Classificação de Risco
Acolhimento e Classificação de RiscoAndressa Macena
 
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)resenfe2013
 
Aula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdf
Aula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdfAula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdf
Aula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdfThiagoCunha93
 

Mais procurados (20)

Humanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergência
Humanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergênciaHumanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergência
Humanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergência
 
Urgência e emergência
Urgência e emergênciaUrgência e emergência
Urgência e emergência
 
Aula 1 - Urgência e emergência
Aula 1 - Urgência e emergênciaAula 1 - Urgência e emergência
Aula 1 - Urgência e emergência
 
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx
 
Aula atendimento ao_paciente_critico.ppt-iraja edison
Aula atendimento ao_paciente_critico.ppt-iraja edisonAula atendimento ao_paciente_critico.ppt-iraja edison
Aula atendimento ao_paciente_critico.ppt-iraja edison
 
Segurança do paciente
Segurança do pacienteSegurança do paciente
Segurança do paciente
 
Avaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de EnfermagemAvaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de Enfermagem
 
Manual de anotação de enfermagem hospital samaritano - 2005
Manual de anotação de enfermagem   hospital samaritano - 2005Manual de anotação de enfermagem   hospital samaritano - 2005
Manual de anotação de enfermagem hospital samaritano - 2005
 
Urgencia e emergencia - aula 1 (1).pptx
Urgencia e emergencia - aula 1 (1).pptxUrgencia e emergencia - aula 1 (1).pptx
Urgencia e emergencia - aula 1 (1).pptx
 
Aula introducao à segurança do paciente
Aula introducao à segurança do pacienteAula introducao à segurança do paciente
Aula introducao à segurança do paciente
 
Apostila completa uti
Apostila completa   utiApostila completa   uti
Apostila completa uti
 
Gerência em Enfermagem
Gerência em EnfermagemGerência em Enfermagem
Gerência em Enfermagem
 
Manchester triagem
Manchester triagemManchester triagem
Manchester triagem
 
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)
 
Aula 1 o ..
Aula 1 o ..Aula 1 o ..
Aula 1 o ..
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
 
Apresentacao anvisa
Apresentacao anvisaApresentacao anvisa
Apresentacao anvisa
 
Acolhimento e Classificação de Risco
Acolhimento e Classificação de RiscoAcolhimento e Classificação de Risco
Acolhimento e Classificação de Risco
 
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
 
Aula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdf
Aula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdfAula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdf
Aula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdf
 

Destaque

Protocolo Acolhimento HNSC Tapes/RS
Protocolo Acolhimento HNSC Tapes/RSProtocolo Acolhimento HNSC Tapes/RS
Protocolo Acolhimento HNSC Tapes/RSEverton Ianiak
 
HumanizaSUS classificação de risco
HumanizaSUS   classificação de  riscoHumanizaSUS   classificação de  risco
HumanizaSUS classificação de riscoIsmael Costa
 
Apresentação sobre acolhimento
Apresentação sobre acolhimentoApresentação sobre acolhimento
Apresentação sobre acolhimentoFelipe Cavalcanti
 
Politica Nacional de Urgencias
Politica Nacional de UrgenciasPolitica Nacional de Urgencias
Politica Nacional de UrgenciasValderi Ferreira
 
Aula 1_Pronto Socorro
Aula 1_Pronto SocorroAula 1_Pronto Socorro
Aula 1_Pronto Socorrozoeadas
 
Normas e rotinas de enfermagem pronto atendimento
Normas e rotinas de enfermagem pronto atendimentoNormas e rotinas de enfermagem pronto atendimento
Normas e rotinas de enfermagem pronto atendimentoJeferson Silva
 
Gerenciamento de enfermagem em unidade de Urgência e Emergência
Gerenciamento de enfermagem em unidade de Urgência e EmergênciaGerenciamento de enfermagem em unidade de Urgência e Emergência
Gerenciamento de enfermagem em unidade de Urgência e EmergênciaAroldo Gavioli
 
A humanização do ambiente hospitalar
A humanização do ambiente hospitalarA humanização do ambiente hospitalar
A humanização do ambiente hospitalarEugenio Rocha
 
Política nacional de humanização
Política nacional de humanizaçãoPolítica nacional de humanização
Política nacional de humanizaçãoPriscila Tenório
 
Parada cardiorrespiratória
Parada cardiorrespiratória Parada cardiorrespiratória
Parada cardiorrespiratória Leila Daniele
 
Carro de Emergência
Carro de EmergênciaCarro de Emergência
Carro de Emergênciaresenfe2013
 
Fundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagemFundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagemJardiel7
 

Destaque (20)

Fluxograma manchester
Fluxograma manchesterFluxograma manchester
Fluxograma manchester
 
Protocolo Acolhimento HNSC Tapes/RS
Protocolo Acolhimento HNSC Tapes/RSProtocolo Acolhimento HNSC Tapes/RS
Protocolo Acolhimento HNSC Tapes/RS
 
HumanizaSUS classificação de risco
HumanizaSUS   classificação de  riscoHumanizaSUS   classificação de  risco
HumanizaSUS classificação de risco
 
Acolhimentoehumanização
AcolhimentoehumanizaçãoAcolhimentoehumanização
Acolhimentoehumanização
 
Apresentação sobre acolhimento
Apresentação sobre acolhimentoApresentação sobre acolhimento
Apresentação sobre acolhimento
 
Cartilha Urgência e Emergência
Cartilha Urgência e EmergênciaCartilha Urgência e Emergência
Cartilha Urgência e Emergência
 
Humanização
 Humanização Humanização
Humanização
 
Politica Nacional de Urgencias
Politica Nacional de UrgenciasPolitica Nacional de Urgencias
Politica Nacional de Urgencias
 
Aula 1_Pronto Socorro
Aula 1_Pronto SocorroAula 1_Pronto Socorro
Aula 1_Pronto Socorro
 
Normas e rotinas de enfermagem pronto atendimento
Normas e rotinas de enfermagem pronto atendimentoNormas e rotinas de enfermagem pronto atendimento
Normas e rotinas de enfermagem pronto atendimento
 
Gerenciamento de enfermagem em unidade de Urgência e Emergência
Gerenciamento de enfermagem em unidade de Urgência e EmergênciaGerenciamento de enfermagem em unidade de Urgência e Emergência
Gerenciamento de enfermagem em unidade de Urgência e Emergência
 
Atendimento pré hospitalar -1
Atendimento pré hospitalar -1Atendimento pré hospitalar -1
Atendimento pré hospitalar -1
 
A humanização do ambiente hospitalar
A humanização do ambiente hospitalarA humanização do ambiente hospitalar
A humanização do ambiente hospitalar
 
Política nacional de humanização
Política nacional de humanizaçãoPolítica nacional de humanização
Política nacional de humanização
 
Parada cardiorrespiratória
Parada cardiorrespiratória Parada cardiorrespiratória
Parada cardiorrespiratória
 
Carro de Emergência
Carro de EmergênciaCarro de Emergência
Carro de Emergência
 
Cateterismo vesical
Cateterismo vesicalCateterismo vesical
Cateterismo vesical
 
Humanização na assistência de enfermagem
Humanização na assistência de enfermagemHumanização na assistência de enfermagem
Humanização na assistência de enfermagem
 
Fundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagemFundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagem
 
Classificação das Cores
Classificação das CoresClassificação das Cores
Classificação das Cores
 

Semelhante a Classificação de risco

AULA 08-10-22 - PAPEL DO TECNICO DE ENFERMEIRO NA URGÊNCIA E EMERGÊNCIA CERTO...
AULA 08-10-22 - PAPEL DO TECNICO DE ENFERMEIRO NA URGÊNCIA E EMERGÊNCIA CERTO...AULA 08-10-22 - PAPEL DO TECNICO DE ENFERMEIRO NA URGÊNCIA E EMERGÊNCIA CERTO...
AULA 08-10-22 - PAPEL DO TECNICO DE ENFERMEIRO NA URGÊNCIA E EMERGÊNCIA CERTO...VivianePereira485260
 
AULA 08-10-22 - PAPEL DO TECNICO DE ENFERMEIRO NA URGÊNCIA E EMERGÊNCIA CERTO...
AULA 08-10-22 - PAPEL DO TECNICO DE ENFERMEIRO NA URGÊNCIA E EMERGÊNCIA CERTO...AULA 08-10-22 - PAPEL DO TECNICO DE ENFERMEIRO NA URGÊNCIA E EMERGÊNCIA CERTO...
AULA 08-10-22 - PAPEL DO TECNICO DE ENFERMEIRO NA URGÊNCIA E EMERGÊNCIA CERTO...VivianePereira485260
 
triagem de mutiplas vitimas.ppt
triagem de mutiplas vitimas.ppttriagem de mutiplas vitimas.ppt
triagem de mutiplas vitimas.pptFelipeAlexandre64
 
Atendimento inicial ao politraumatizado
Atendimento inicial ao politraumatizadoAtendimento inicial ao politraumatizado
Atendimento inicial ao politraumatizadoSylvania Paiva
 
Atendimento inicial-paulo-2011-2-150409140710-conversion-gate01
Atendimento inicial-paulo-2011-2-150409140710-conversion-gate01Atendimento inicial-paulo-2011-2-150409140710-conversion-gate01
Atendimento inicial-paulo-2011-2-150409140710-conversion-gate01Dina Alves
 
Avaliação primária
Avaliação primáriaAvaliação primária
Avaliação primárialayls
 
Protocolo acolhimento classificacao_risco
Protocolo acolhimento classificacao_riscoProtocolo acolhimento classificacao_risco
Protocolo acolhimento classificacao_riscoLeila Holz
 
Protocolo acolhimento classificacao_risco
Protocolo acolhimento classificacao_riscoProtocolo acolhimento classificacao_risco
Protocolo acolhimento classificacao_riscovitorenfermagem
 
Estrategias de Prevencao e Rastreamennto
Estrategias de Prevencao e RastreamenntoEstrategias de Prevencao e Rastreamennto
Estrategias de Prevencao e RastreamenntoSimone Almeida
 
acolhimento e classificação de risco.ppt
acolhimento e classificação de risco.pptacolhimento e classificação de risco.ppt
acolhimento e classificação de risco.pptkbmumbelino
 
Primeiros socorros Profª Enfª Tarcila Amorim
Primeiros socorros Profª Enfª Tarcila Amorim Primeiros socorros Profª Enfª Tarcila Amorim
Primeiros socorros Profª Enfª Tarcila Amorim Hitalo Vieira
 
Classificação de Risco.pdf
Classificação de Risco.pdfClassificação de Risco.pdf
Classificação de Risco.pdfGlaydson Reis
 
PRONTO SOCORRO LIDERANÇA PARTE 1.pptx
PRONTO SOCORRO LIDERANÇA PARTE 1.pptxPRONTO SOCORRO LIDERANÇA PARTE 1.pptx
PRONTO SOCORRO LIDERANÇA PARTE 1.pptxtuttitutti1
 
Abordagem ao Politraumatizado CAOT IV.ppt
Abordagem ao Politraumatizado CAOT IV.pptAbordagem ao Politraumatizado CAOT IV.ppt
Abordagem ao Politraumatizado CAOT IV.pptHelderGarciaAfonsoQu
 

Semelhante a Classificação de risco (20)

AULA 08-10-22 - PAPEL DO TECNICO DE ENFERMEIRO NA URGÊNCIA E EMERGÊNCIA CERTO...
AULA 08-10-22 - PAPEL DO TECNICO DE ENFERMEIRO NA URGÊNCIA E EMERGÊNCIA CERTO...AULA 08-10-22 - PAPEL DO TECNICO DE ENFERMEIRO NA URGÊNCIA E EMERGÊNCIA CERTO...
AULA 08-10-22 - PAPEL DO TECNICO DE ENFERMEIRO NA URGÊNCIA E EMERGÊNCIA CERTO...
 
AULA 08-10-22 - PAPEL DO TECNICO DE ENFERMEIRO NA URGÊNCIA E EMERGÊNCIA CERTO...
AULA 08-10-22 - PAPEL DO TECNICO DE ENFERMEIRO NA URGÊNCIA E EMERGÊNCIA CERTO...AULA 08-10-22 - PAPEL DO TECNICO DE ENFERMEIRO NA URGÊNCIA E EMERGÊNCIA CERTO...
AULA 08-10-22 - PAPEL DO TECNICO DE ENFERMEIRO NA URGÊNCIA E EMERGÊNCIA CERTO...
 
aulapronto-socorro
 aulapronto-socorro  aulapronto-socorro
aulapronto-socorro
 
triagem de mutiplas vitimas.ppt
triagem de mutiplas vitimas.ppttriagem de mutiplas vitimas.ppt
triagem de mutiplas vitimas.ppt
 
Atendimento inicial ao politraumatizado
Atendimento inicial ao politraumatizadoAtendimento inicial ao politraumatizado
Atendimento inicial ao politraumatizado
 
Atendimento inicial-paulo-2011-2-150409140710-conversion-gate01
Atendimento inicial-paulo-2011-2-150409140710-conversion-gate01Atendimento inicial-paulo-2011-2-150409140710-conversion-gate01
Atendimento inicial-paulo-2011-2-150409140710-conversion-gate01
 
Triagem de Vítimas em Catástrofes Enf. Magda R. Matos
Triagem de Vítimas em Catástrofes    Enf. Magda R. MatosTriagem de Vítimas em Catástrofes    Enf. Magda R. Matos
Triagem de Vítimas em Catástrofes Enf. Magda R. Matos
 
Avaliação primária
Avaliação primáriaAvaliação primária
Avaliação primária
 
Start
StartStart
Start
 
Protocolo acolhimento classificacao_risco
Protocolo acolhimento classificacao_riscoProtocolo acolhimento classificacao_risco
Protocolo acolhimento classificacao_risco
 
Protocolo acolhimento classificacao_risco
Protocolo acolhimento classificacao_riscoProtocolo acolhimento classificacao_risco
Protocolo acolhimento classificacao_risco
 
Sintonia 31-03-17
Sintonia 31-03-17Sintonia 31-03-17
Sintonia 31-03-17
 
Art 3 emergencias
Art 3 emergenciasArt 3 emergencias
Art 3 emergencias
 
Estrategias de Prevencao e Rastreamennto
Estrategias de Prevencao e RastreamenntoEstrategias de Prevencao e Rastreamennto
Estrategias de Prevencao e Rastreamennto
 
Metodo Start.pdf
Metodo Start.pdfMetodo Start.pdf
Metodo Start.pdf
 
acolhimento e classificação de risco.ppt
acolhimento e classificação de risco.pptacolhimento e classificação de risco.ppt
acolhimento e classificação de risco.ppt
 
Primeiros socorros Profª Enfª Tarcila Amorim
Primeiros socorros Profª Enfª Tarcila Amorim Primeiros socorros Profª Enfª Tarcila Amorim
Primeiros socorros Profª Enfª Tarcila Amorim
 
Classificação de Risco.pdf
Classificação de Risco.pdfClassificação de Risco.pdf
Classificação de Risco.pdf
 
PRONTO SOCORRO LIDERANÇA PARTE 1.pptx
PRONTO SOCORRO LIDERANÇA PARTE 1.pptxPRONTO SOCORRO LIDERANÇA PARTE 1.pptx
PRONTO SOCORRO LIDERANÇA PARTE 1.pptx
 
Abordagem ao Politraumatizado CAOT IV.ppt
Abordagem ao Politraumatizado CAOT IV.pptAbordagem ao Politraumatizado CAOT IV.ppt
Abordagem ao Politraumatizado CAOT IV.ppt
 

Mais de Cristiane Dias

Terminologia Radiografica
Terminologia Radiografica Terminologia Radiografica
Terminologia Radiografica Cristiane Dias
 
Seminario mmii camp coventry
Seminario mmii   camp coventrySeminario mmii   camp coventry
Seminario mmii camp coventryCristiane Dias
 
Seminário Ap e Perfil de Escápula
Seminário Ap e Perfil de EscápulaSeminário Ap e Perfil de Escápula
Seminário Ap e Perfil de EscápulaCristiane Dias
 
Apostila posicionamento (completa)
Apostila posicionamento (completa)Apostila posicionamento (completa)
Apostila posicionamento (completa)Cristiane Dias
 
Direitos e deveres dos estagiários crtr rj
Direitos e deveres dos estagiários crtr rjDireitos e deveres dos estagiários crtr rj
Direitos e deveres dos estagiários crtr rjCristiane Dias
 
Apostila sistema esqueleticorevisada
Apostila sistema esqueleticorevisadaApostila sistema esqueleticorevisada
Apostila sistema esqueleticorevisadaCristiane Dias
 
Terminologia radiológica termos gerais usados no posicionamento radiológico
Terminologia radiológica termos gerais usados no posicionamento radiológicoTerminologia radiológica termos gerais usados no posicionamento radiológico
Terminologia radiológica termos gerais usados no posicionamento radiológicoCristiane Dias
 
Terminologia de planos e eixos corporais
Terminologia de planos e eixos corporaisTerminologia de planos e eixos corporais
Terminologia de planos e eixos corporaisCristiane Dias
 
Terminologia anatomica
Terminologia anatomicaTerminologia anatomica
Terminologia anatomicaCristiane Dias
 
Radiologia anatomia e terminologia
Radiologia anatomia e terminologiaRadiologia anatomia e terminologia
Radiologia anatomia e terminologiaCristiane Dias
 
1º aula de terminologia
1º aula de terminologia1º aula de terminologia
1º aula de terminologiaCristiane Dias
 
Trabalho de radiologia
Trabalho de radiologiaTrabalho de radiologia
Trabalho de radiologiaCristiane Dias
 
Seminario reanimação cardíaca
Seminario   reanimação cardíacaSeminario   reanimação cardíaca
Seminario reanimação cardíacaCristiane Dias
 
Apostila de primeiros socorros
Apostila de primeiros socorrosApostila de primeiros socorros
Apostila de primeiros socorrosCristiane Dias
 
Modelo de slide para seminário radiobiologia
Modelo de slide para seminário   radiobiologiaModelo de slide para seminário   radiobiologia
Modelo de slide para seminário radiobiologiaCristiane Dias
 

Mais de Cristiane Dias (20)

Terminologia Radiografica
Terminologia Radiografica Terminologia Radiografica
Terminologia Radiografica
 
Seminario mmii camp coventry
Seminario mmii   camp coventrySeminario mmii   camp coventry
Seminario mmii camp coventry
 
Seminário Ap e Perfil de Escápula
Seminário Ap e Perfil de EscápulaSeminário Ap e Perfil de Escápula
Seminário Ap e Perfil de Escápula
 
Apostila posicionamento (completa)
Apostila posicionamento (completa)Apostila posicionamento (completa)
Apostila posicionamento (completa)
 
Direitos e deveres dos estagiários crtr rj
Direitos e deveres dos estagiários crtr rjDireitos e deveres dos estagiários crtr rj
Direitos e deveres dos estagiários crtr rj
 
Leis do estágio cni
Leis do estágio   cniLeis do estágio   cni
Leis do estágio cni
 
Regras ABNT 2
Regras ABNT 2Regras ABNT 2
Regras ABNT 2
 
Regras ABNT
Regras ABNTRegras ABNT
Regras ABNT
 
Apostila sistema esqueleticorevisada
Apostila sistema esqueleticorevisadaApostila sistema esqueleticorevisada
Apostila sistema esqueleticorevisada
 
Terminologia radiológica termos gerais usados no posicionamento radiológico
Terminologia radiológica termos gerais usados no posicionamento radiológicoTerminologia radiológica termos gerais usados no posicionamento radiológico
Terminologia radiológica termos gerais usados no posicionamento radiológico
 
Terminologia de planos e eixos corporais
Terminologia de planos e eixos corporaisTerminologia de planos e eixos corporais
Terminologia de planos e eixos corporais
 
Terminologia anatomica
Terminologia anatomicaTerminologia anatomica
Terminologia anatomica
 
Radiologia anatomia e terminologia
Radiologia anatomia e terminologiaRadiologia anatomia e terminologia
Radiologia anatomia e terminologia
 
1º aula de terminologia
1º aula de terminologia1º aula de terminologia
1º aula de terminologia
 
Queimaduras 02
Queimaduras 02Queimaduras 02
Queimaduras 02
 
Trabalho de radiologia
Trabalho de radiologiaTrabalho de radiologia
Trabalho de radiologia
 
Seminario reanimação cardíaca
Seminario   reanimação cardíacaSeminario   reanimação cardíaca
Seminario reanimação cardíaca
 
Apostila de primeiros socorros
Apostila de primeiros socorrosApostila de primeiros socorros
Apostila de primeiros socorros
 
Apostila samu
Apostila samuApostila samu
Apostila samu
 
Modelo de slide para seminário radiobiologia
Modelo de slide para seminário   radiobiologiaModelo de slide para seminário   radiobiologia
Modelo de slide para seminário radiobiologia
 

Classificação de risco

  • 1. TEMA: CLASSIFICAÇÃO DE RISCO PROFESSOR: MAGNO CAVALHEIRO FARIA CURSO: TÉCNICO EM RADIOLOGIA TURMA: 2VN3 ALUNOS: PARREIRA, Aline. D. S. – PERREIRA, Letícia. S. MEDEIROS, Danielle. – EMÍLIA, Sônia. S. – MESSIAS, Jânatis.
  • 2. A IMPLANTAÇÃO DA CLASSIFICAÇÃO DE RISCO Nos últimos anos, ocorreu um crescimento da demanda na área da saúde. E na tentativa de ordenar o atendimento as Urgências e Emergências, o Ministério da Saúde implantou o Acolhimento com Classificação de Risco. Risco
  • 3. A IMPLANTAÇÃO DA CLASSIFICAÇÃO DE RISCO A proposta do acolhimento e avaliação com Classificação de Risco consiste em ouvir o usuário que busca o serviço de emergência, ampliando de forma efetiva o acesso à atenção básica e aos demais níveis do sistema, eliminando as filas, organizando o atendimento com base em riscos priorizados, e buscando a capacidade resolutiva.
  • 4. OS BENEFÍCIOS Assim que o usuário chega ao serviço de emergência, os enfermeiros classificam de acordo com o grau de risco que ele apresenta. Priorizando os casos graves que necessitam de atendimento mais ágil, rápido e dinâmico e proporciona à equipe uma segurança maior por saber que quem está ali fora pode aguardar um pouco mais pelo tratamento.
  • 5. OS BENEFÍCIOS Antes da implantação da classificação de risco o atendimento era por ordem de chegada, independente da gravidade. Agora não, agora o enfermeiro avalia e já classifica pelas cores, que traduzem a prioridade do atendimento
  • 6. CLASSIFICAÇÃO DAS CORES A classificação de risco é realizada através das cores, sendo elas, vermelho (Emergência), amarelo (Urgência), verde (Pouca Urgência) e azul (Não Urgência).
  • 7. VERMELHO - EMERGÊNCIA Atendimento imediato, o paciente está correndo risco de morte. Exemplos: Queimaduras grandes, politraumatismo, lesão da coluna vertebral, perfuração no peito, crise convulsiva, hemorragias não controladas, coma ou alteração de consciência.
  • 8. AMARELO - URGÊNCIA De 30 a 40 minutos, para atendimento. É o caso em que o paciente necessita de atendimento rápido, mas não é considerado emergência, podendo aguardar que sejam atendidos os casos mais graves. Exemplos de urgência: Epistaxe, febre alta, desidratação grave, dor torácica intensa, crise asmática, etc.
  • 9. VERDE- POUCA URGÊNCIA É o caso menos grave, mas que exige atendimento médico. Exemplos: Asma fora de crise, dor abdominal sem alteração de sinais vitais, gastroenterite, enxaqueca, dor de ouvido moderada, etc.
  • 10. AZUL – NÃO URGENTE É o caso de menor complexibilidade e sem problemas recentes.Este paciente pode ser acompanhado no ambulatório. Exemplos de não urgência: queixas sem alterações agudas, curativos, etc.
  • 11. BIBLIOGRAFIA Acolhimento e Classificação de Risco nos Serviços de Urgência - série B. textos Básicos de saúde - Brasília – DF 2009. WEBGRAFIA http://www.blogenfermagem.com/2010/06/livro-acolhimento-e-classificac http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/acolhimento_classificaao_risco_se http://www.ifi.unicamp.br/~jalfredo/TabelaI.htm
  • 12. EPÍGRAFE “O que é escrito sem esforço em geral é lido sem prazer.” (Samuel Johnson)

Notas do Editor

  1. {}