E.d de formação da imagem i

2.065 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

E.d de formação da imagem i

  1. 1. 1ESTUDO DIRIGIDO DE FORMAÇÃO DA IMAGEM: I Prof: Magno Cavalheiro magnocavalheirofaria@yahoo.com.br 1- A mAs usada em uma radiografia realizada com 100 mA e 0,4 segundo é:^ a) 4 mAs; b) 8mAs; c) 30mAs; d) 40mAs; e) 60mAs. 2- O potter-bucky (ou grade anti-difusora) é usado para: a) Aumentar a radiação primária emitida pela fonte; b) Diminuir a quantidade de radiação produzida no paciente; c) Reduzir a radiação espalhada que alcança o filme radiográfico; d) Reduzir a espessura do paciente; e) Aumentar a penetração dos raios. 3- Se quisermos aumentar a penetração de um feixe de raios-x, devemos: a) Aumentar a distância; b) Diminuir a mA e aumentar o tempo de exposição; c) Aumentar o Kv; d) Diminuir o Kv; e) Aumentar a mAs. 4- Imagem latente é: a) Produzida no objeto irradiado; b) Produzida e processada no filme radiográfico; c) Produzida no filme radiográfico antes do seu processamento químico; d) Produzida no écran; e) Produzida na grade anti-difusora. 5- Sendo espessura = “E” e constante = “K”, qual a fórmula do Kv (Mikissú): a) Kv=(2xK)+E; b) Kv=(ExK)+2; c) Kv=(Ex2)+K; d) Kv=KxE; e) Kv=(Kx2)+(Ex2).
  2. 2. 2ESTUDO DIRIGIDO DE FORMAÇÃO DA IMAGEM: I Prof: Magno Cavalheiro magnocavalheirofaria@yahoo.com.br 6- A imagem latente é produzida no filme radiográfico pela ação: a) Dos raios X; b) Do revelador; c) Do fixador; d) Da lavagem; e) Da secagem. 7- A perda do detalhe radiográfico (nitidez) causada pelo movimento do objeto durante a exposição denomina-se: a) Ampliação; b) Flou Cinético; c) Tomografia; d) Flou geométrico; e) Véu de base. 8- o uso de écrans intensificadores dentro do chassi tem como objetivo primordial: a) diminuir a dose de radiação no paciente; b) melhorar o detalhe da imagem; c) aumentar o contraste do filme; d) impedir a ação da luz vermelha; e) facilitar o manuseio dos filmes. 9- A função da grade colocada entre o filme e o paciente é: a) Evitar que os raios X incidam na tela fluorescente, emitindo luz verde; b) Evitar que os araios X incidam no filme radiográfico; c) Reduzir a radiação espalhada originada no filme radiográfico e que chega ao paciente, causando perda de contraste; d) Reduzir a radiação espalhada originada no paciente e que chega ao filme radiográfico, causando perda de contraste; e) Reduzir a radiação espalhada originada no paciente e que chega ao filme radiográfico, causando ganho de contraste. 10- Em uma radiografia, uma área escura corresponde a uma imagem: a) Radiopaca; b) Radiotransparente; c) Dinâmica; d) Flou; e) Estática.
  3. 3. 3ESTUDO DIRIGIDO DE FORMAÇÃO DA IMAGEM: I Prof: Magno Cavalheiro magnocavalheirofaria@yahoo.com.br 11- Uma imagem radiotransparente é o mesmo que uma imagem: a) Branca; b) Clara; c) Cinza; d) Cinza claro; e) Escuro. 12- Uma imagem com muita densidade óptica é o mesmo que uma imagem: a) Clara; b) Radiopaca; c) Opaca; d) Escura; e) Cinza. 13- Qual a localização da grade anti-difusora no aparelho de raios X? a) Atrás da bandeja (porta chassi); b) No colimador luminoso; c) Entre a bandeja (porta-chassi) e o paciente; d) Atrás do colimador luminoso; e) No tubo de raios X. 14- Após atravessar o objeto e antes de atingir o anteparo (chassi, o feixe de raios X atenuado cria uma imagem, denominada imagem: a) Luminosa; b) Latente; c) Radiante; d) Radioscópica; e) Especular. 15- O contraste e a densidade óptica em uma radiografia são obtidos pela combinação dos seguintes fatores: a) Kv e distância; b) Kv e mAs; c) mA e distância; d) mAs e écran; e) Tempo e distância.
  4. 4. 4ESTUDO DIRIGIDO DE FORMAÇÃO DA IMAGEM: I Prof: Magno Cavalheiro magnocavalheirofaria@yahoo.com.br 16- O fator primário de densidade óptica em um filme radiográfico é: a) Kv; b) Kvp; c) mA; d) mAs; e) Tempo. 17- O fator primário de contraste em uma imagem é: a) Constante; b) Kv; c) mAs; d) Kvp; e) mA. 18- O fator secundário de densidade óptica é: a) Constante; b) Kv; c) mAs; d) Kvp; e) mA. 19- O fator secundário de contraste é: a) Constante; b) Kv; c) mAs; d) Kvp; e) mA. 20- Se quisermos aumentar a energia do feixe de raios X devemos aumentar: a) Constante; b) Kv; c) mAs; d) Kvp; e) mA. 21- Se quisermos aumentar o poder de penetração (tensão) da radiação devemos aumentar: a) Constante; b) Kv; c) mAs; d) Kvp; e) mA.
  5. 5. 5ESTUDO DIRIGIDO DE FORMAÇÃO DA IMAGEM: I Prof: Magno Cavalheiro magnocavalheirofaria@yahoo.com.br 22- Uma radiografia com a mAs e o Kv aumentado apresenta um aspecto de imagem: a) Super-revelada; b) Sub-revelada; c) Radiopaca; d) Superexposta; e) N.R.A. 23- Uma radiografia onde utilizamos um mAs diminuído para a estrutura estudada, apresenta uma imagem com aspecto: a) Super-revelada; b) Sub-revelada; c) Radiopaca; d) Superexposta; e) Subexposta. 24- Um paciente hiperestênico (gordo) entra no serviço de raios X com pedido médico para realização de uma radiografia de punho em P.A (póstero-anterior), onde o raio incida (entre) na região posterior do punho e saia na região anterior. O punho deste paciente mede 5cm e o aparelho da sala 1 trabalha com uma constante (K) de 35k. Através da fórmula de Mikissú, ache o Kv para realização deste exame: 25- Descreva efeito anódico: É a maior absorção de radiação no próprio material do anodo, onde a região do catodo tem um aproveitamento de 120% e o lado do ano uma perda para 75%. 26- Em uma radiografia de tórax utilizando 90Kv e 20mAs. Utilizando a regra dos 15%, quanto deveríamos alterar o valor do Kv e do mAs? a) 103Kv e 15 mAs; b) 90Kv e 200 mA; c) 113Kv e 40mAs; d) 103Kv e 10mAs; e) 103Kv e 5mAs. 27- Uma radiografia apresenta o “fundo” com aspecto claro. Qual o procedimentoa ser adotado? a) Trocar a película radiográfica; b) Aumentar a mAs; c) Aumentar o Quilovoltagem;
  6. 6. 6ESTUDO DIRIGIDO DE FORMAÇÃO DA IMAGEM: I Prof: Magno Cavalheiro magnocavalheirofaria@yahoo.com.br d) Aumentar a mA; e) Realizar a regra dos 15%. 28- Geralmente para diminuirmos a dose no paciente podemos aumentar o valordo Kv em: a) 0 a 5Kv; b) 5 a 10Kv; c) 8 a 10Kv; d) 10 a 20Kv; e) 15 a 30Kv. 29- Descreva abaixo a razão da grade anti-difusora: R=h/d 30- É o espaço compreendido entre o paciente e a película radiográfica no chassi: a) Grade anti-difusora; b) Lâmina de chumbo; c) Colimação; d) Distância foco filme; e) GAP. 31- A distorção causada na imagem radiográfica é definida como: a) Fluor cinético; b) Efeito borboleta; c) Ruído; d) Penumbra; e) Mancha. 32- É o princípio utilizado para diminuir o flúor cinético: a) Aumentar a DFoFi; b) Diminuir a DOFi; c) Aumentar a mAs; d) Diminuir a mAs; e) Diminuir o tempo de exposição
  7. 7. 7ESTUDO DIRIGIDO DE FORMAÇÃO DA IMAGEM: I Prof: Magno Cavalheiro magnocavalheirofaria@yahoo.com.br GABARITO 1- D; 2- C; 3- C; 4- C; 5- C; 6- A; 7- B; 8- A; 9- D; 10- B; 11- E; 12- D; 13- C; 14- C; 15- B; 16- D; 17- B; 18- B; 19- C; 20- B; 21- B; 22- D; 23- E; 24- *; 25- *; 26- D; 27- B; 28- C; 29- *; 30- E; 31- D; 32- E;

×