2ª aula origem e evolução da farmácia

4.692 visualizações

Publicada em

Origem e evolução da farmácia
História da farmácia. O símbolo da farmácia.

0 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.692
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
271
Comentários
0
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2ª aula origem e evolução da farmácia

  1. 1. Origem e Evolução da FARMÁCIA Profº Cláudio Luís Venturini
  2. 3. Introdução <ul><li>Na pré-história o homem já fazia o uso de plantas para a cura de doenças. </li></ul><ul><ul><li>Medicina Primitiva: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Baseava-se em crenças e ritos mágicos aliada ao uso de Plantas Medicinais </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Até hoje xamãs usam determinadas plantas para provocar alucinações ou para curar. </li></ul></ul></ul>
  3. 4. <ul><li>China </li></ul><ul><ul><li>3.700 anos a.C. </li></ul></ul><ul><ul><li>Tratado Médico mais antigo escrito pelo Imperador Shen Nung </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Para uma determinada enfermidade havia uma planta que seria um remédio </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Conforme a lenda, ele podia observar os efeitos de seus preparados no organismo por ter o abdômen transparente. </li></ul></ul></ul>Introdução Farmácia na China Antiga Imperador Shen Nung
  4. 5. <ul><li>Mesopotâmia </li></ul><ul><ul><li>3.000 anos a.C. </li></ul></ul><ul><ul><li>Tabua de argilas gravadas com escritas cuneiformes contendo 15 receitas medicinais descoberta em Nippur. </li></ul></ul><ul><ul><li>Biblioteca do Palácio Real de Elba (Siria) </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Descobertas em 1974-1975 </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>20.000 Tabuinhas de argila </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Informações de medicamentos </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><li>Nos escritos sumérios há referências </li></ul></ul><ul><ul><li>à erva-doce, beldroega e alcaçuz </li></ul></ul>Introdução Tabua Sumérica Ruinas de Nippur
  5. 6. <ul><li>Egito </li></ul><ul><ul><li>Papiros Médicos </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>escrita hierática </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>conhecidos 14 rolos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Império Antigo </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Império Médio </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><li>PAPIRO KAHUN </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1850 a.C. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Papiro ginecológico </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Teste de Gravidez </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Método de Contracepção </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>mistura à base de fibras vegetais e de espinhos de acácia moídos </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>espinhos são ricos em ácido lático, que é tóxico para os espermatozoides. </li></ul></ul></ul></ul></ul>Introdução
  6. 7. <ul><li>Egito </li></ul><ul><ul><ul><li>PAPIRO SMITH </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Descoberto por Edwin Smith (1822-1906) </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Descreve tratamentos cirúrgicos </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Instruções para o tratamento de feridas, fraturas e luxações </li></ul></ul></ul></ul>Introdução Papiro de SMITH
  7. 8. <ul><li>Egito </li></ul><ul><ul><ul><li>PAPIRO EBERS </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Papiro mais importante para a historia da Farmácia </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>1550 a.C. (século XVI a. C.) </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Descoberto por Georg Moritz Ebers (1837-1898) em Luxor, em 1873 </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Delineia tratamentos mágicos, mecânicos e farmacológicos </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>20 metros </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>7000 Substâncias medicinais </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>811 Fórmulas </li></ul></ul></ul></ul></ul>Introdução Papiro de EBERS
  8. 9. <ul><li>Egito </li></ul><ul><ul><li>Fraturas </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>talas e bandagens. </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Curativos (unguentos) </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>utilizavam plantas, animais e minerais </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Plantas (125 no papiro de Ebers) </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Zimbro, linhaça, romã, erva-doce, folhas do sene, rícino, alho, papoula, acácia, cebola, figo, sementes de linho, açafrão, mirra, alface, Aloe vera. </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Produtos animais </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>carne (para curar feridas), o mel (como antisséptico local), a cera, a teia de aranha (desinfetante), a gordura de vaca, o leite de burra, as vísceras de porco </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Produtos Minerais </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Sais de Chumbo </li></ul></ul></ul></ul></ul>Introdução
  9. 10. <ul><li>Índia </li></ul><ul><ul><li>Medicina Hindu </li></ul></ul><ul><ul><li>Athatva Veda </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>2500 a.C. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Plantas medicinais </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Eram usadas basicamente de duas formas: como elemento para limpar o corpo, estimulando suas secreções e como sedativo. </li></ul></ul></ul>Introdução Athatva Veda
  10. 11. <ul><li>Grécia e Roma </li></ul><ul><ul><li>Na Antiguidade a Medicina e a Farmácia eram uma só profissão </li></ul></ul><ul><ul><li>Na antiga Roma começou a separação daqueles que diagnosticavam a doença, daqueles que misturavam matérias para produzir porções de cura </li></ul></ul><ul><ul><li>Teofrasto (371 a. C. – 287 a. C.)(Grego) </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>discípulo de Aristóteles, foi o primeiro botânico conhecido e destacou-se como estudioso de plantas medicinais. </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Dioscodides (I d.C.)(Grego) </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Elaborou o guia De Materia Medica , (precursora das farmacopeias) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>apresenta a descrição do uso de centenas de plantas medicinais e outros preparados de origem animal e mineral. </li></ul></ul></ul></ul>Introdução
  11. 12. <ul><li>Grécia e Roma </li></ul><ul><ul><li>Hipócrates ( 377 a.C.- 460 a. C.) (Grego) </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Pai da Medicina </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Fundamentou a sua na teoria dos quatro humores corporais (sangue, fleuma - pituíta, bílis amarela e bílis negra). </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Relacionando a quantidade dessas substâncias presentes no corpo, encontrar-se-ia o estado de equilíbrio (eucrasia) ou a doença e dor (discrasia). </li></ul></ul></ul></ul>Introdução
  12. 13. <ul><li>Grécia e Roma </li></ul><ul><ul><ul><li>Galeno (200 – 130 a. C.) (Pai da Farmácia) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Nasceu na Turquia, mas destacou-se em Roma </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Combatia as doenças por meio de substâncias ou compostos que se opunham diretamente aos sinais e sintomas das enfermidades. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Destacou-se pela prática de testar remédios, criando muitos métodos extrativos ainda hoje associados a produtos referidos como galênicos </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Teriagas </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Vinho e ervas </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Suas obras constam de cerca de quatro centenas e meia de referências a fármacos </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>É precursor da alopatia. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Escreveu mais de duzentas obras, sendo que cerca de cem são hoje reconhecidas como de sua autoria </li></ul></ul></ul></ul>Introdução
  13. 14. <ul><li>Theophrastus Bombastus von Hohenheim, (1.493 –1.541) </li></ul><ul><ul><li>PARACELSUS </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Suiço </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Desenvolveu vários de métodos extrativos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Obra </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Das Virtudes das Plantas, Raízes e Sementes </li></ul></ul></ul></ul><ul><li>Samuel Hahnemann(1.755 – 1.843) </li></ul><ul><ul><li>Pai da Homeopatia </li></ul></ul><ul><ul><li>Alemão </li></ul></ul>Introdução
  14. 15. A Profissão Farmacêutica <ul><li>A primeira Farmácia Pública de que se tem notícia foi fundada em Bagdá, pôr ordem do Califa ALIMAZUR, no ano de 776 d.C. </li></ul><ul><li>AVICENA (980-1037d.C) </li></ul><ul><ul><li>o Galeno Persa </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>contribuiu para às ciências farmacêuticas, chegando a montar uma botica dentro de sua própria casa, onde atendia os necessitados. </li></ul></ul></ul>
  15. 16. <ul><li>O Boticário </li></ul><ul><ul><li>A arte do boticário sempre foi associada ao mistério; acreditava-se que os práticos tinham alguma conexão com o mundo dos espíritos e, dessa forma, intermediavam o visto e o não-visto. A crença de que poções medicamentosas tinham poderes mágicos significava que sua ação, para o bem ou para o mal, não dependia unicamente das suas qualidades naturais. </li></ul></ul><ul><ul><li>o boticário tribal era temido, respeitado, acreditado, confiado, algumas vezes desconfiado, admirado e reverenciado. Por meio de suas poções, acreditava-se que os contatos espirituais fossem feitos, sendo a cura ou o fracasso da terapia dependente desse contato </li></ul></ul>A Profissão Farmacêutica
  16. 17. <ul><li>O termo farmácia vem do grego pharmakon ( φάρμακον ) , que deu origem a fármaco , farmácia e tinha duplo significado: medicamento e veneno. </li></ul><ul><li>No século II, os árabes fundaram a primeira escola de farmácia de que se tem notícia, criando inclusive uma legislação para o exercício da profissão. </li></ul><ul><li>A partir do século X, foram criadas as primeiras boticas - ou apotecas - na Espanha e na França. Eram as precursoras das farmácias atuais. </li></ul><ul><li>Cabia aos boticários conhecer e curar as doenças, e para o exercício da profissão deviam cumprir uma série de requisitos e ter local e equipamentos adequados para a feitura e guarda dos remédios. </li></ul>A Profissão Farmacêutica
  17. 18. <ul><li>A farmácia foi oficialmente separada da medicina em 1240 d.C., quando um decreto do imperador Frederico II, da Alemanha, regulamentou a prática da farmácia dentro de parte de seu reino, chamado Duas Sicílias. </li></ul><ul><li>Os farmacêuticos passaram a ser obrigados a prestar juramento quanto à preparação de medicamentos confiáveis e de qualidade uniforme, de acordo com a arte. </li></ul><ul><li>No século XVI, o estudo dos medicamentos ganhou impulso notável, com a pesquisa sistemática dos princípios ativos das plantas e dos minerais capazes de curar doenças. </li></ul>A Profissão Farmacêutica
  18. 19. <ul><li>Louis Pasteur (1822 – 1895) </li></ul><ul><ul><li>Em 1861, colocou fim aos argumentos sobre “ Geração espôntanea ” com uma série de experimentos que demonstraram que: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>“ Os microorganismos estavam presentes no ar e podiam contaminar soluções estéreis, embora o próprio ar por si não criasse micróbios” </li></ul></ul></ul><ul><li>No século XIX, médicos, farmacêuticos e químicos começaram a desenvolver técnicas voltadas para o estudo das substâncias responsáveis pelas atividades farmacológicas, ou seja, os fármacos; </li></ul><ul><li>Com o tempo, foi implantada no mundo a indústria farmacêutica </li></ul>A Profissão Farmacêutica
  19. 20. <ul><li>Durante a 1a Guerra Mundial (1914 -1919), desenvolve-se a terapia antimicrobiana com avanços significativos em quimioterapia, antibioticoterapia e imunoterapia. </li></ul><ul><li>No período da 2a Guerra Mundial (1939 -1945), começaram as pesquisas sobre guerra química que resultaram no descobrimento dos primeiros antineoplásicos. </li></ul><ul><li>As últimas décadas do século passado (XX) foram decisivas no descobrimento de fármacos a partir da aplicação de conceitos de genética molecular, genômica, proteômica e informática. </li></ul><ul><li>A biotecnologia e a tecnologia farmacêutica emergiram como poderosos instrumentos para romper com os limites terapêuticos estabelecidos.  </li></ul>A Profissão Farmacêutica
  20. 21. A História da Farmácia no Brasil <ul><li>O primeiro boticário no Brasil foi Diogo de Castro, trazido de Portugal por Thomé de Souza (governador geral nomeado pela coroa portuguesa) </li></ul><ul><li>Os jesuítas que vieram para o Brasil colocavam em seus colégios de catequização uma pessoa para cuidar dos doentes e outra para preparar os remédios. </li></ul><ul><ul><li>José de Anchieta, jesuíta que pode ser considerado o primeiro boticário de Piratininga (São Paulo). </li></ul></ul><ul><li>A partir de 1640 as boticas foram autorizadas a se transformar em comércio, dirigidas por boticários aprovados em Coimbra. Esses boticários que obtinham sua carta de aprovação eram profissionais empíricos, às vezes analfabetos, possuindo apenas conhecimentos corriqueiros de medicamentos. </li></ul>
  21. 22. Criada por dom João VI em 1808, a Botica Real Militar atendia aos exércitos da Coroa (Fonte: Agência FIOCRUZ de Notícias)
  22. 23. A História da Farmácia no Brasil <ul><li>A passagem do nome de comércio de botica para farmácia surgiu com o Decreto 2055, de dezembro de 1857, onde ficaram estabelecidas as condições para que os farmacêuticos e os não habilitados tivessem licença para continuar a ter suas boticas no país . </li></ul>
  23. 24. <ul><li>A taça com a serpente nela enrolada é internacionalmente conhecida como símbolo da profissão farmacêutica. Sua origem remonta à antigüidade, sendo parte das histórias da mitologia grega. Segundo as literaturas antigas, o símbolo da Farmácia ilustra o poder (cobra) da cura (taça). </li></ul>O Símbolo da Farmácia
  24. 25. <ul><li>Na mitologia grega Hígia era a filha de Esculápio (Asclepius). </li></ul><ul><li>Era a deusa da saúde, limpeza (daí a raiz da palavra higiene) e da sanitariedade, e exercia uma importante parte no culto do pai. Enquanto seu pai era mais associado diretamente com a cura, ela era associada com a prevenção da doença e a continuação da boa saúde. </li></ul><ul><li>A cobra é denominada Serpente de Epidauro, um dos templos dedicado a Esculápio. </li></ul><ul><li>Para as sociedades ocidentais e do oriente médio, a serpente simboliza a sabedoria, a imortalidade e a cura. </li></ul><ul><li>A taça é uma variante do símbolo da serpente, significando a cura por meio daquilo que se ingere, ou seja, pelos medicamentos </li></ul>O Símbolo da Farmácia
  25. 26. Asclepius e Hygeia Asclepius Cosme e Damion Hygeia

×