TENDÊNCIAS
O Barroco Mais que um
estilo é um gosto.
CARAVAGGIO
   RUBENS
 VELÁZQUEZ
REMBRANDT
  VERMEER
CARAVAGGIO (1571-1610)
Caravaggio, aliás, Michelangelo Merisi,
nasceu em Caravaggio, Itália, no dia 28 de
Setembro de 1573...
Caravaggio


Desde cedo utilizou os
contrastes de luz e
sombra.
Outra característica
residiu no recurso a
elementos popula...
Caravaggio


O aspecto mais notável da
sua obra é o tratamento da
luz, que recebe o nome de
tenebrismo.
Consiste em projec...
Caravaggio


Mas os primeiros trabalhos
com a sua marca, usando
contrastes de luz
e sombras que provocam
efeitos
dramático...
Caravaggio

S.Mateus e o anjo mostra
um homem comum, que
trabalha no campo, com
as unhas dos pés sujas.
É, sem dúvida, um
...
Tit had to be redone.

                       Caravaggio


O quadro anterior foi
rejeitado.
Na segunda versão o anjo
surge...
,


                         Caravaggio


 A deposição no Túmulo
constituiu a única obra
devota que foi aceite sem
hesitaç...
Caravaggio


A igreja romana de Santa
Maria Scala recusou este
quadro, por ausência de
decoro.
A obra seria comprada
por R...
Caravaggio


Caravaggio representou
uma Maria ‘inchada ´’,
num ambiente de pobreza.
Terá usado como modelo
uma prostituta,...
Pieter Pauwel RUBENS, (1577-1640)

Petrus Paulus Rubens nasceu em
Siegen, na Alemanha, filho de um
advogado flamengo. Foi ...
Rubens


Influenciado pelo
Renascimento
italiano, desenvolveu um
estilo
próprio, acrescentando
maior luminosidade às
cores...
Rubens


O precoce sucesso da
carreira de Rubens foi
confirmado por um bom
casamento.
No quadro celebratório
transparece o...
Rubens


O levantamento da cruz foi
o primeiro grande
retábulo que pintou
depois do regresso a
Antuérpia.
As fuguras musco...
Rubens


Apesar de se tratar de um
rapto, na verdejante
paisagem da cena, não há
sangue, nem
violência, antes
dinamismo, v...
Rubens


A Batalha das Amazonas,
mostra plenamente a
impetuosidade do seu
talento.




                                   ...
Rubens


As três Graças – tema
recorrente na história da
arte, com origem na
mitologia grega, - de
Rubens são mulheres
vit...
Rubens

 Por volta de 1630, a
turbulência e dramatismo
da pintura de Rubens
transformou-se num
estilo mais amadurecido.
Ir...
Rubens


Esta mudança para o
campo levou-o, na fase
final da sua vida, a um
renovado interesse pelas
paisagens.




      ...
Diego Rodriguez de Silva y
           VELÁZQUEZ (1599-1660)
Os pais de Velázquez chegaram a Sevilha
no final do século XVI...
Velázquez


Também Velázques
pintou, inicialmente, à
maneira de Caravaggio




                                          P...
Velázquez


O aguadeiro de Sevilha,
pintado aos 20 anos,
mostra já o seu génio e a
sua compreensão do
caracter e dignidade...
Velázquez


Mais tarde Velásquez foi
nomeado pintor da Corte
espanhola e mudou-se
para Madrid.




                       ...
Velázquez


    Segundo interpretações
recentes, este quadro
contém um subtil
conselho a Filipe IV:
- tal como Baco alegra...
Velázquez
A rendição de Breda mostra
o momento a entrega das
chaves de uma cidade
holandesa depois de o
exército espanhol ...
Velázquez
A sua ligação à Corte fez
com que tivesse
produzido vários retratos
da família real




                        ...
Velázquez


As meninas é o mais
famoso quadro de Ve
lázquez. Já foi descrito
como uma "teologia da
pintura". A obra prima
...
Velázquez


Passa-se no estúdio do
pintor e no centro
mostra a herdeira
acompanhada pela sua
pequena corte.




          ...
Velázquez
À esquerda é possivel
observar um pintor, um
auto-retrato de Velázques.
Este olha para fora do
quadro na direcçã...
REMBRANDT, Van Rijn (1606-
1669)

Rembrandt nasceu na cidade holandesa
de Leiden, era filho de um moleiro e da
filha de um...
Rembrandt


 Neste quadro,
Rembrandt tinha já
desenvolvido um estilo
barroco pleno e
amadurecido. Representa
uma cena do A...
Rembrandt
  As paisagens de
Rembrandt não são
simples descrições
topográficas de colinas,
bosques rios ou caminhos,
mas an...
Rembrandt


Em A descida da cruz de
Rembrandt, a luz
sobrenatural rompe a
escuridão e ilumina o
grupo central.
  Cristo nã...
Rembrandt
  À época estavam em
voga os retratos de
grupos profissionais.
  Porém, nesta obra, R.
ultrapassa os limites do
...
Rembrandt

Este é o seu mais famoso
retrato-grupo. Trata-se de
uma companhia de
arcabuzeiros, representada
no instante em ...
Rembrandt


 O capitão comunica ao
tenente a ordem de
partida.




                                     A ronda da noite (...
Rembrandt


O artista representa as
acções mais diversas.
Aqui carrega-se a
espingarda…




                              ...
Rembrandt


… acolá representa-se a
bandeira.




                                         A ronda da noite (pormenor), 16...
VERMEER, Johannes (1632-1675)

  De Vermeer, que nasceu em Delft,
  Países Baixos, pouco se sabe. Terá sido
  discipulo de...
Vermeer


A intemporalidade e a
tranquilidade
transparecem deste
quadro.
As silenciosas actividades
das personagens são
se...
Vermeer
Em A vista de Delft, cidade
parcialmente representada e
iluminada pelo sol que rompe
as nuvens, ressalta a clarida...
Vermeer


O mapa é uma superfície
sobre a qual se faz a
montagem do mundo e
exprime o progresso do
conhecimento.
Em contra...
Vermeer


Neste complexo quadro ,
em que o pintor se auto-
retrata de costas, uma
esplêndida representação
de um mapa ocup...
Vermeer


O mapa por si só é uma
pintura: a Holanda está
na orla de um mar repleto
de navios, emoldurada
por vistas topogr...
Vermeer


Como o geógrafo, o
astrónomo era também
um cartógrafo
profissional.




                                        ...
Vermeer


Como o geógrafo, o
astrónomo era também
um cartógrafo
profissional.




                                        ...
Vermeer


Neste quadro repete-se a
citação de mapas. Mas
outro tema irrompe:
Mulheres que lêm cartas.
São um tema recorren...
Vermeer

Este quadro é uma obra
inicial.
O rosto, com sinais de
preocupação, reflecte-
se nas vidraças da
portada.
A janel...
Vermeer


A música e a leitura
aparecem associadas.
A indiscrição do
professor e o olhar
preocupada da rapariga,
que se de...
Vermeer


Em A carta de amor, a luz,
inevitavelmente vinda da
esquerda, resplandece
como nunca. O brilho da
cena encontra
...
Vermeer


Repete-se a presença da
criada, que, neste caso,
sai da escuridão,
interrompendo a escrita
de uma missiva com a
...
Vermeer


Este é um dos seus
retratos mais audazes.
Há na boca
entreaberta, no
olhar, no vermelho do
chapéu de
plumas, alg...
Bibliografia
 - AA, Dicionário de pintura, Lisboa, Editorial
   Estampa, 2005.
 - Barroque et Rococo, dir. Rolf Toman, Ber...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tendências da pintura barroca apresentação julho 2009

7.952 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Diversão e humor
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.952
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
32
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
169
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tendências da pintura barroca apresentação julho 2009

  1. 1. TENDÊNCIAS
  2. 2. O Barroco Mais que um estilo é um gosto.
  3. 3. CARAVAGGIO RUBENS VELÁZQUEZ REMBRANDT VERMEER
  4. 4. CARAVAGGIO (1571-1610) Caravaggio, aliás, Michelangelo Merisi, nasceu em Caravaggio, Itália, no dia 28 de Setembro de 1573, ficando a dever o nome à sua terra natal. É o primeiro grande representante do estilo barroco. Iniciou sua carreira como assistente de pintor aos 15 anos. Após a morte dos pais, vendeu as terras que herdou e, em 1593, transferiu-se para Roma, cidade que prometia trabalho. Era o chamado período da contra-reforma e o clero católico investia na produção artística , a fim de combater as ideias dos protestantes. A pintura barroca - tendências
  5. 5. Caravaggio Desde cedo utilizou os contrastes de luz e sombra. Outra característica residiu no recurso a elementos populares como modelos. Neste quadro a vidente retrata uma cigana que encontrara na rua. A adivinha, c. 1596, óleo sobre tela, 99 x 131 cm, Musée du Louvre, Paris A pintura barroca - tendências
  6. 6. Caravaggio O aspecto mais notável da sua obra é o tratamento da luz, que recebe o nome de tenebrismo. Consiste em projectar a luz sobre as formas, por vezes com violência, e em contraste intenso e brusco com as sombras. As figuras, as cenas sobressaem num fundo sem fundo. Narciso,1598-99 óleo sobre tela, 110 x 92 cm, Galleria Nazionale d'Arte Antica, Roma A pintura barroca - tendências
  7. 7. Caravaggio Mas os primeiros trabalhos com a sua marca, usando contrastes de luz e sombras que provocam efeitos dramáticos, aparecem na igreja de San Luigi dei Franchesi e na Capela de Contarelli, esta com cenas da vida de São Mateus A vocação de S. Mateus, 1599-1600, óleo sobre tela, Contarelli Chapel, San Luigi dei Francesi, Roma A pintura barroca - tendências
  8. 8. Caravaggio S.Mateus e o anjo mostra um homem comum, que trabalha no campo, com as unhas dos pés sujas. É, sem dúvida, um homem que não sabe escrever. Não há nada de sagrado na figura. O anjo guia a sua mão pelo livro; a sua função é a de um professor e não de um inspirador S.Mateuse o anjo, 1602, óleo sobre tela, 232 x 183 cm., Formerly Kaiser-Friedrich-Museum, Berlin A pintura barroca - tendências
  9. 9. Tit had to be redone. Caravaggio O quadro anterior foi rejeitado. Na segunda versão o anjo surge do céu, com um pormenor muito bonito no desenho das mãos. Parece estar apenas a enumerar a S. Mateus aquilo que não deve esquecer. S. Mateus e o anjo, 1602, óleo sobre tela, 292 x 186 cm, Contarelli Chapel, San Luigi dei Francesi, Roma A pintura barroca - tendências
  10. 10. , Caravaggio A deposição no Túmulo constituiu a única obra devota que foi aceite sem hesitação, pelos clientes, mas mesmo assim com modelos de profissões duvidosas. A deposição do túmulo, 1602-03, óleo sobre tela, 300x203 cmm Pinacoteca do Vaticano, Roma A pintura barroca - tendências
  11. 11. Caravaggio A igreja romana de Santa Maria Scala recusou este quadro, por ausência de decoro. A obra seria comprada por Rubens. A morte da Virgem, 1606, óleo sobre tela, 369 x 245 cm, Musée du Louvre, Paris A pintura barroca - tendências
  12. 12. Caravaggio Caravaggio representou uma Maria ‘inchada ´’, num ambiente de pobreza. Terá usado como modelo uma prostituta, que ,grávida, se suicidara, atirando-se às águas do rioTibre. A morte da Virgem (pormenor), 1606, óleo sobre tela, 369 x 245 cm, Musée du Louvre, Paris A pintura barroca - tendências
  13. 13. Pieter Pauwel RUBENS, (1577-1640) Petrus Paulus Rubens nasceu em Siegen, na Alemanha, filho de um advogado flamengo. Foi educado em Antuérpia, região de Flandres. Formou-se mestre de pintura em 1598 e viaja para a Itália em 1600, para exercer como pintor em Veneza. Trabalhou para o duque de Mântua, como pintor da corte e tornou-se seu representante em missões diplomáticas.
  14. 14. Rubens Influenciado pelo Renascimento italiano, desenvolveu um estilo próprio, acrescentando maior luminosidade às cores e reduzindo o contraste claro/escuro. A Virgem adorada pelos anjos, 1608 óleo sobre ardósia, 425 x 250 cm, Santa Maria Vallicella, Rome A pintura barroca - tendências
  15. 15. Rubens O precoce sucesso da carreira de Rubens foi confirmado por um bom casamento. No quadro celebratório transparece o orgulho no seu amor O artista e a sua mulher no caramanchão da madressilva, 1609-10 óleo sobre tela, 178 x 136,5 cm, Alte Pinakothek, Munique A pintura barroca - tendências
  16. 16. Rubens O levantamento da cruz foi o primeiro grande retábulo que pintou depois do regresso a Antuérpia. As fuguras muscolosas lembram a Capela Sistina; a luz sugere a de Caravaggio. A pintura barroca - tendências
  17. 17. Rubens Apesar de se tratar de um rapto, na verdejante paisagem da cena, não há sangue, nem violência, antes dinamismo, vitalidade, sen sualidade e exuberância. O Rapto das filhas de Lêucipo, c. 1617 óleo sobre tela, 224 x 211 cm, Alte Pinakothek, Munique A pintura barroca - tendências
  18. 18. Rubens A Batalha das Amazonas, mostra plenamente a impetuosidade do seu talento. A batalha das Amazons, 1618 Oil on panel, 121 x 166 cm, Alte Pinakothek, Munique A pintura barroca - tendências
  19. 19. Rubens As três Graças – tema recorrente na história da arte, com origem na mitologia grega, - de Rubens são mulheres vitais, energicas, de abundantes carnes nacaradas. As três Graças, 1630 óleo sobre madeira, 221 x 181 cm, Museo del Prado, Madrid A pintura barroca - tendências
  20. 20. Rubens Por volta de 1630, a turbulência e dramatismo da pintura de Rubens transformou-se num estilo mais amadurecido. Irromperam o lirismo e a ternura. A tal não será estranho o seu segundo casamento com uma jovem e a sua retirada para uma casa de campo. Jardim do amor, c. 1633 óleo sobre tela, 198 x 283 cm, Museo del Prado, Madrid A pintura barroca - tendências
  21. 21. Rubens Esta mudança para o campo levou-o, na fase final da sua vida, a um renovado interesse pelas paisagens. Paisagem com arco-irís, c. 1638 Óleo sobre painel, 136 x 236 cm, Wallace Collection, Londres A pintura barroca - tendências
  22. 22. Diego Rodriguez de Silva y VELÁZQUEZ (1599-1660) Os pais de Velázquez chegaram a Sevilha no final do século XVI. O seu naturalismo barroco permitiu-lhe captar, como ninguém, o que via. Atingiu um conjunto de conquistas que não encontraria semelhança até ao século XIX. •Altivo, inteligente, conhecedor da história da arte, retratista da família real, alcançou as honras de cavaleiro da Ordem de Santiago por sua fidelidade à Coroa.
  23. 23. Velázquez Também Velázques pintou, inicialmente, à maneira de Caravaggio Pequeno-almoço. c. 1618 óleo sobre tela, 109 x 102 cm, The Hermitage, St. Petersburg A pintura barroca - tendências
  24. 24. Velázquez O aguadeiro de Sevilha, pintado aos 20 anos, mostra já o seu génio e a sua compreensão do caracter e dignidade individuais. O aguadeiro de Sevilha,1623 óleo sobre tela, 106,7 x 81 cm, Wellington Museum, Londres A pintura barroca - tendências
  25. 25. Velázquez Mais tarde Velásquez foi nomeado pintor da Corte espanhola e mudou-se para Madrid. Filipe IV, 1624-27 óleo sobre tela, 210 x 102 cm, Museu do Prado, Madrid A pintura barroca - tendências
  26. 26. Velázquez Segundo interpretações recentes, este quadro contém um subtil conselho a Filipe IV: - tal como Baco alegra os homens com vinho, também o rei devia aliviar a dor e o sofrimento dos seus súbditos. “LOS borrachos” (O triunfo de Baco),1629, óleo sobre tela, 165x227 cm., Museu do Prado, Madrid A pintura barroca - tendências A pintura barroca - tendências
  27. 27. Velázquez A rendição de Breda mostra o momento a entrega das chaves de uma cidade holandesa depois de o exército espanhol a ter tomado. Contudo, o que transparece é o clima cordial em que se desenrola a cena. As lanças e riste assinalam claramente o exército vencedor. A rendição de Breda (As lanças), 1634-35 Oil on canvas, 307 x 367 cm, Museo del Prado, Madrid A pintura barroca - tendências
  28. 28. Velázquez A sua ligação à Corte fez com que tivesse produzido vários retratos da família real A Rainha Isabel de Bourbon, 1634-35 óleo sobre tela, 301 x 314 cm., Museu do Prado, Madrid A pintura barroca - tendências
  29. 29. Velázquez As meninas é o mais famoso quadro de Ve lázquez. Já foi descrito como uma "teologia da pintura". A obra prima pela ambiguidade. As Meninas, 1656-57 óleo sobre tela, 318 x 276 cm., Museu do Prado, Madrid A pintura barroca - tendências
  30. 30. Velázquez Passa-se no estúdio do pintor e no centro mostra a herdeira acompanhada pela sua pequena corte. As Meninas (pormenor), 1656-57 óleo sobre tela, 318 x 276 cm., Museu do Prado, Madrid A pintura barroca - tendências
  31. 31. Velázquez À esquerda é possivel observar um pintor, um auto-retrato de Velázques. Este olha para fora do quadro na direcção do espectador ou, melhor, para os reis de Espanha, que serão os alvos do seu trabalho ou meros visitantes que aparecem reflectidos no espelho ao fundo. As Meninas (pormenor), 1656-57 óleo sobre tela, 318 x 276 cm, Museu do Prado, Madrid A pintura barroca - tendências
  32. 32. REMBRANDT, Van Rijn (1606- 1669) Rembrandt nasceu na cidade holandesa de Leiden, era filho de um moleiro e da filha de um padeiro. Aos 25 anos mudou- se para Amesterdão e estabeleceu-se como retratista, aplicando a formação artística que havia tido na sua cidade natal. As primeiras obras realizadas abriram-lhe as portas para vastas encomendas, tendo mesmo recebido no seu ateliê muitos alunos, que lhe pagavam bem, e pode dizer-se que ganhava bastante dinheiro com os seus trabalhos. .
  33. 33. Rembrandt Neste quadro, Rembrandt tinha já desenvolvido um estilo barroco pleno e amadurecido. Representa uma cena do Antigo Testamento plena de violência, ao mesmo tempo cruel e sedutora.. A cegueira de Salomão, 1636 óleo sobre madeira, 236 x 302 cm., Instituto Staedal, Frankfurt A pintura barroca - tendências
  34. 34. Rembrandt As paisagens de Rembrandt não são simples descrições topográficas de colinas, bosques rios ou caminhos, mas antes a metamorfose de espaços operada por luzes fugazes, que traduzem as emoções pessoais. Paisagem com uma ponte de pedra, c. 1638 óleo sobre madeira, 29,5 x 42,5 cm Rijksmuseum, Amsterdão A pintura barroca - tendências
  35. 35. Rembrandt Em A descida da cruz de Rembrandt, a luz sobrenatural rompe a escuridão e ilumina o grupo central. Cristo não é um corpo heróico, com belos contornos, mas sim uma massa morta que inspira piedade, A descida da cruz, c. 1633 óleo sobre telaa, 95,7 x 72,2 cm Bayerisch Staatsgemalde-sammlungen, Munique A pintura barroca - tendências
  36. 36. Rembrandt À época estavam em voga os retratos de grupos profissionais. Porém, nesta obra, R. ultrapassa os limites do género e aproxima-se do quadro histórico. Os membros da guilda dos cirurgiões são retratados de forma extremamente precisa, mas fora das convenções vingentes. A lição de anatomia do Dr. Nicolaes Tup, 1632 óleo sobre telaa, 1,7 x 2,17 m Mauritshuis, Haia A pintura barroca - tendências
  37. 37. Rembrandt Este é o seu mais famoso retrato-grupo. Trata-se de uma companhia de arcabuzeiros, representada no instante em que a se põe em movimento e as fileiras começam a formar-se. Mas se cada um se dedica às suas ocupações do costume também parece fazer o que lhe apraz. A ronda da noite, 1642 óleo sobre tela,Rijksmuseum, Amsterdão A pintura barroca - tendências
  38. 38. Rembrandt O capitão comunica ao tenente a ordem de partida. A ronda da noite (pormenor), 1642 óleo sobre tela, Rijksmuseum, Amsterdão A pintura barroca - tendências
  39. 39. Rembrandt O artista representa as acções mais diversas. Aqui carrega-se a espingarda… A ronda da noite (pormenor), 1642 óleo sobre tela, Rijksmuseum, Amsterdão A pintura barroca - tendências
  40. 40. Rembrandt … acolá representa-se a bandeira. A ronda da noite (pormenor), 1642 óleo sobre tela, Rijksmuseum, Amsterdão A pintura barroca - tendências
  41. 41. VERMEER, Johannes (1632-1675) De Vermeer, que nasceu em Delft, Países Baixos, pouco se sabe. Terá sido discipulo de Karel Fabritius, o melhor . aluno de Rembrandt. Representou, com tranquilidade, um universo burguês, feminino, num período de paz e prosperidade. Os seus cenários são quase e luminosos. Combinou suavidade e precisão, através de um claro rigor entre os cambiantes de sombra e luz. Em quase todas as composições a fonte de luz reside numa janela, que ilumina o espaço interior.
  42. 42. Vermeer A intemporalidade e a tranquilidade transparecem deste quadro. As silenciosas actividades das personagens são separadas e independentes umas das outras. Que estarão a fazer as crianças? Uma rua de Delft. 1657-58, óleo sobre tela, 54,3 x 44 cm, Rijksmuseum, Amsterdão A pintura barroca - tendências
  43. 43. Vermeer Em A vista de Delft, cidade parcialmente representada e iluminada pelo sol que rompe as nuvens, ressalta a claridade atmosférica , a profundidade espacial e a variação de luz. Há quem sugira ilações políticas nesta vista: o edifício mais iluminado albergava o túmulo de Guilherme I de Orange, símbolo da independência nacional. Vista de Delft, 1659-60 óleo sobre tela, 98,5 x 117,5 cm., Mauritshuis, Haia A pintura barroca - tendências
  44. 44. Vermeer O mapa é uma superfície sobre a qual se faz a montagem do mundo e exprime o progresso do conhecimento. Em contraste com a cena mundana - um soldado a seduzir uma mulher dando-lhe vinho -, salienta-se o grande mapa que ocupa a parede. Oficial com mulher sorridente, c. 1657 óleo sobre tela, 49.2 x 44.4 cm., Frick Collection, Nova Iorque A pintura barroca - tendências
  45. 45. Vermeer Neste complexo quadro , em que o pintor se auto- retrata de costas, uma esplêndida representação de um mapa ocupa a parede central. A cartografia é uma criação análoga à arte de pintar. A tapeçaria conduz-nos à pintura A arte da pintura, 1665-67 óleo sobre tela, 120 x 100 cm, Kunsthistorisches Museum, Viena A pintura barroca - tendências
  46. 46. Vermeer O mapa por si só é uma pintura: a Holanda está na orla de um mar repleto de navios, emoldurada por vistas topográficas das principais cidades e cartelas brasonadas. É uma súmula da arte cartográfica da época. A arte de pintura, 1665-67 (pormenor) óleo sobre tela, 120 x 100 cm, Kunsthistorisches Museum, Viena A pintura barroca - tendências
  47. 47. Vermeer Como o geógrafo, o astrónomo era também um cartógrafo profissional. O astrónomo, c. 1668 óleo sobre tela, 50 x 45 cm, Museu do Louvre, Paris A pintura barroca - tendências
  48. 48. Vermeer Como o geógrafo, o astrónomo era também um cartógrafo profissional. O geógrafo, c. 1668, óleo sobre tela, 53 x 46,6 cm, Städelsches Kunstinstitut, Frankfurt A pintura barroca - tendências
  49. 49. Vermeer Neste quadro repete-se a citação de mapas. Mas outro tema irrompe: Mulheres que lêm cartas. São um tema recorrente na curta obra de Vermeer. Curiosamente, a Holanda valorizava o ensino de ambos os sexos como factor de progresso. Mulher de azul lendo uma carta, 1663-64 óleo sobre tela, 46,6 x 39,1 cm., Rijksmuseum, Amsterdam A pintura barroca - tendências
  50. 50. Vermeer Este quadro é uma obra inicial. O rosto, com sinais de preocupação, reflecte- se nas vidraças da portada. A janela, além de assegurar a entrada da luz, parece aqui sugerir a vontade da mulher em contactar com o mundo exterior. Rapariga lendo uma carta à janela, 1657 óleo sobre tela, 83 x 64,5 cm., Gemäldegalerie, Dresden A pintura barroca - tendências
  51. 51. Vermeer A música e a leitura aparecem associadas. A indiscrição do professor e o olhar preocupada da rapariga, que se desvia da carta em direcção ao espectador, não parecem augurar uma boa notícia. A lição de música interrompida, 1660-61 Oil on canvas, 39,4 x 44,5 cm., Frick Collection, New York A pintura barroca - tendências
  52. 52. Vermeer Em A carta de amor, a luz, inevitavelmente vinda da esquerda, resplandece como nunca. O brilho da cena encontra contraponto na intensidade da troca de olhares A carta de amor, 1667-68 óleo sobre tela, 44 x 38,5 cm., Rijksmuseum, Amsterdam A pintura barroca - tendências
  53. 53. Vermeer Repete-se a presença da criada, que, neste caso, sai da escuridão, interrompendo a escrita de uma missiva com a entrega de uma outra. Por uma única vez, a carta é representada na sua dupla função de escrita e de leitura. A senhora e a criada, 1667-68 óleo sobre tela, 89,5 x 78,1 cm., Frick Collection, Nova Iorque A pintura barroca - tendências
  54. 54. Vermeer Este é um dos seus retratos mais audazes. Há na boca entreaberta, no olhar, no vermelho do chapéu de plumas, algo ao mesmo tempo intenso e sublime. Jovem com chapéu vermelho1668 (?) óleo sobre madeira, 23 x 18,1cm, National Gallery of Art, Washington A pintura barroca - tendências
  55. 55. Bibliografia - AA, Dicionário de pintura, Lisboa, Editorial Estampa, 2005. - Barroque et Rococo, dir. Rolf Toman, Berlim, Feierabend, 2003. - FOUCAULT, Michel, «Las meninas», in As palavras e as coisas. Uma arqueologia das ciências humanas, Lisboa, Edições 70, 2005 - GOMBRICH, E. H., História da arte, Lisboa, Publico/Phaidon,, 2006. - História da arte no Ocidente, coord. Martin Kemp, Lisboa, Editorial Verbo, 2006 - JANSON, H. W., História da arte, 3ª ed., Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1977. -SCHNEIDER, Norbert, Vermeer, 1632-1675. emoções veladas, Colónia, Tashen, 2001. - SLIVE, Seymour, Pintura Holandesa 1600- 1800 , S. Paulo, Cosac & Naify Edicõess 1998 - SVETLANA Alpers, A arte de descrever: a arte holandesa no século XVII, S. Paulo Edusp, 1999 . -LAMBERT, Gilles, Caravaggio, 1571-1510, Colónia, Tashen, 2001. - BOCKEMUHLm Michel, Rembrandt, 1606- 1669. O mistério da aparição, Colónia, Tashen/Público, 20031. - O Barroco: arquitectura, escultura, pintura, edição de Rolf Toman, KonigsWinter, Konemann, 2004. A pintura barroca - tendências Trabalho efectuado no âmbito da acção sobre Recursos Educativos Digitais Escola. António Arroio José Augusto Oliveira MMIX

×