SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
O que é Violência Sexual?
É um fenômeno social que
envolve qualquer situação de
jogo, ato ou relação sexual,
envolvendo uma pessoa mais
velha e uma criança ou
adolescente. Se expressa por
meio da exploração e/ou abuso
sexual.
O que é abuso sexual?
 É a utilização da criança ou adolescente
 em uma relação de poder desigual,
 geralmente por pessoas muito próximas,
 podendo ser ou não da família, e que se
 aproveitam dessa relação de poder e de
 confiança para satisfazer seus desejos
 sexuais. Pode ocorrer com ou sem
 violência física, mas a violência
 psicológica está sempre presente.
O que é exploração sexual?
 É a utilização sexual de crianças e
  adolescentes com fins comerciais e de
  lucro.
 Acontece quando meninos e meninas são
  induzidos a manter relações sexuais com
  adultos ou adolescentes mais velhos,
  quando são usados para a produção de
  materiais pornográficos ou levados para
  outras cidades, estados ou países com
  propósitos sexuais.
Onde a violência pode
             ocorrer?
 Dentro da família – Violência doméstica ou
  intrafamiliar
 Fora da família – Violência extra-familiar
 A violência intrafamiliar mais comum é
  aquela que ocorre em famílias onde o afeto é
  erotizado, estimulando atitudes danosas que
  podem levar ao incesto. Nestas famílias a
  autoridade do pai é incontestável e crianças e
  adolescentes são tratadas como objeto sexual
  do poder masculino.
Como perceber os sinais de alerta?
Indicadores Físicos:
 Roupas rasgadas com manchas de sangue;
 Hemorragia vaginal ou retal;
 Secreção vaginal ou peniana;
 Infecção urinária;
 Dificuldade para caminhar;
 Gravidez precoce;
 Queixas constantes de gastrite e dor pélvica;
 Hematomas, edemas e escoriações na região
  genital e mamária;
 Infecções/ doenças sexualmente transmissíveis.
Como perceber os sinais de
            alerta?
Indicadores Comportamentais:
 Mudança brusca de comportamento e humor;
 Sono perturbado, pesadelos
  freqüentes, suores, agitação noturna;
 Masturbação visível e continuada;
 Timidez em excesso;
 Tristeza ou choro sem razão aparente;
 Medo de ficar sozinho, com alguém ou em algum
  lugar;
 Baixa auto estima, estado de alerta
  constante, dificuldades de concentração, fuga da
  realidade
Como perceber os sinais de
             alerta?
 Interesse precoce por brincadeiras sexuais e/ou
    erotizadas;
   Conduta sedutora;
   Relatos de agressões sexuais;
   Dificuldade em adaptar-se a escola;
   Aversão ao contato físico;
   Comportamento incompatível com a idade
    (regressões);
   Envolvimento com drogas;
   Auto-flagelação, culpabilização;
   Fuga de casa;
   Depressão crônica e tentativa de suicídio.
Por que nem sempre as pessoas
               denunciam?
 O complô do silêncio é muito freqüente. As
 vítimas ficam sem denunciar, muitas vezes por
 achar que não serão acreditadas ou por medo,
 pois a prática da ameaça é comum por parte do
 abusador. O baixo índice de denúncia por parte
 dos profissionais e comunidade em geral está
 quase sempre relacionado ao medo de se
 envolverem com o caso. Deve-se evitar essa
 atitude, pois ela promove a perpetuação do
 ciclo da violência, além de constituir uma grave
 omissão.
Quem é e como se comporta o
                  agressor? mulher. No
 O agressor pode ser homem ou
 entanto, as pesquisas e as estatísticas ressaltam a
 existência de um numero maior de homens que
 violentam crianças e adolescentes. Quem abusa e
 explora, geralmente não se reconhece como sendo
 uma pessoa violenta. Na exploração sexual o
 violador geralmente é desconhecido, do sexo
 masculino, tem um poder econômico superior ao
 da vítima e tente a não repetir o ato com a mesma
 vitima. Já nos casos de abuso o abusador é uma
 pessoa conhecida o que amplia as chances de
 repetição da situação, estabelecendo o ciclo da
 violência.
Indicadores comportamentais dos pais ou
        responsáveis quando são os abusadores
 Excesso de proteção ou zelo pela criança/adolescente;
 Relação conjugal instável ou conturbada;
 Estimulo à criança/adolescente para práticas sexuais;
 Indução/favorecimento da criança/adolescente a
    exploração sexual comercial;
   Comportamento sedutor, insinuante;
   Ausência do lar;
   Dependência de drogas/álcool;
   Antecedência de violência física, sexual ou psicológica
    na infância;
   Demora em prestar socorro e postura contraditória na
    prestação das informações
Como podemos ajudar?
 Acreditar e validar a história da vítima;
 Respeitar a confidencialidade;
 Não culpar a vítima;
 Respeitar o momento da vitima;
 Ajudar a estabelecer um plano a curto e
  médio prazo;
 Promover o acesso a rede de serviços
 Garantir que crianças e adolescentes tenham
  prioridade de atendimento em qualquer
  situação.
Omitir a denuncia é crime
É   um dever de todo cidadão
 denunciar ao tomar conhecimento
 de qualquer tipo de violação e
 direitos de crianças e adolescentes.
 A denúncia pode ser anônima e os
 encaminhamentos devem ser feitos
 ao     conselho    tutelar,  disque
 denuncia, policias militar civil e
 rodoviária.
Código Penal, modificado pela lei
        nº 12.015/2009
 Se um adolescente menor de 14
  anos praticar algum ato sexual,
  presume-se legalmente a violência
  sexual, ainda que o mesmo tenha
  realizado o ato sexual por livre e
  espontânea vontade.
 Nesses casos a pena de reclusão é
  de 8 a 15 anos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Combate ao abuso sexual contra crianças e adolescentes
Combate ao abuso sexual contra crianças e adolescentesCombate ao abuso sexual contra crianças e adolescentes
Combate ao abuso sexual contra crianças e adolescentes
Brena Pinheiro
 
A escola e a violência à criança e ao adolescente
A escola e a violência à criança e ao adolescenteA escola e a violência à criança e ao adolescente
A escola e a violência à criança e ao adolescente
Daiane Andrade
 
Violencia Doméstica
Violencia DomésticaViolencia Doméstica
Violencia Doméstica
AP6Dmundao
 

Mais procurados (20)

Combate ao abuso sexual contra crianças e adolescentes
Combate ao abuso sexual contra crianças e adolescentesCombate ao abuso sexual contra crianças e adolescentes
Combate ao abuso sexual contra crianças e adolescentes
 
18 de maio
18 de maio18 de maio
18 de maio
 
Abuso sexual.01
Abuso sexual.01Abuso sexual.01
Abuso sexual.01
 
Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil
Combate ao Abuso e à Exploração Sexual InfantilCombate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil
Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil
 
Violência Doméstica Contra Crianças e Adolescentes: o que é e como combatê-la
Violência Doméstica Contra Crianças e Adolescentes: o que é e como combatê-laViolência Doméstica Contra Crianças e Adolescentes: o que é e como combatê-la
Violência Doméstica Contra Crianças e Adolescentes: o que é e como combatê-la
 
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentesPalestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
 
A escola e a violência à criança e ao adolescente
A escola e a violência à criança e ao adolescenteA escola e a violência à criança e ao adolescente
A escola e a violência à criança e ao adolescente
 
Cartilha informativa sobre abuso sexual contra a criança e o adolescente.
Cartilha informativa sobre abuso  sexual contra a criança e o adolescente. Cartilha informativa sobre abuso  sexual contra a criança e o adolescente.
Cartilha informativa sobre abuso sexual contra a criança e o adolescente.
 
Violência doméstica seminário lei maria da penha
Violência doméstica seminário lei maria da penhaViolência doméstica seminário lei maria da penha
Violência doméstica seminário lei maria da penha
 
Violencia contra criança e adolescente
Violencia contra criança e adolescenteViolencia contra criança e adolescente
Violencia contra criança e adolescente
 
Prevenção de maus tratos na infância
Prevenção de maus tratos na infânciaPrevenção de maus tratos na infância
Prevenção de maus tratos na infância
 
Abuso sexual
Abuso sexualAbuso sexual
Abuso sexual
 
faça bonito 18 de maio - Copia.pptx
faça bonito 18 de maio - Copia.pptxfaça bonito 18 de maio - Copia.pptx
faça bonito 18 de maio - Copia.pptx
 
Violência sexual infantil
Violência sexual infantilViolência sexual infantil
Violência sexual infantil
 
maio laranja.pptx
maio laranja.pptxmaio laranja.pptx
maio laranja.pptx
 
Abuso
AbusoAbuso
Abuso
 
Violência contra mulher -
Violência contra mulher - Violência contra mulher -
Violência contra mulher -
 
Violência na escola
Violência na escolaViolência na escola
Violência na escola
 
Cartazes sobre a violencia infantil
Cartazes sobre a violencia infantilCartazes sobre a violencia infantil
Cartazes sobre a violencia infantil
 
Violencia Doméstica
Violencia DomésticaViolencia Doméstica
Violencia Doméstica
 

Destaque

Violência Sexual
Violência SexualViolência Sexual
Violência Sexual
guest849a1d
 
Exploração e Abuso Sexual
Exploração e Abuso SexualExploração e Abuso Sexual
Exploração e Abuso Sexual
Michele Pó
 
Aula violencia sexual.ppt
Aula violencia sexual.pptAula violencia sexual.ppt
Aula violencia sexual.ppt
Marluce Cabral
 
Aula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra criançasAula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra crianças
Diego Alvarez
 
ViolêNcias Contra Mulheres(Slides)
ViolêNcias Contra Mulheres(Slides)ViolêNcias Contra Mulheres(Slides)
ViolêNcias Contra Mulheres(Slides)
guest5c2f32
 
Violência sexual contra crianças e adolescentes
Violência sexual contra crianças e adolescentesViolência sexual contra crianças e adolescentes
Violência sexual contra crianças e adolescentes
fabiano
 
Diversos tipos de violência
Diversos tipos de violênciaDiversos tipos de violência
Diversos tipos de violência
lucia_nunes
 
Abuso sexual contra crianças e adolescentes
Abuso sexual contra crianças e adolescentesAbuso sexual contra crianças e adolescentes
Abuso sexual contra crianças e adolescentes
paulocesarlopes05
 
Versão 1.2
Versão 1.2Versão 1.2
Versão 1.2
tvf
 

Destaque (20)

Violência Sexual
Violência SexualViolência Sexual
Violência Sexual
 
Violência sexual infantil
Violência sexual infantilViolência sexual infantil
Violência sexual infantil
 
Exploração e Abuso Sexual
Exploração e Abuso SexualExploração e Abuso Sexual
Exploração e Abuso Sexual
 
Aula violencia sexual.ppt
Aula violencia sexual.pptAula violencia sexual.ppt
Aula violencia sexual.ppt
 
Atendimento a mulher vitima de violência sexual
Atendimento a mulher vitima de violência sexualAtendimento a mulher vitima de violência sexual
Atendimento a mulher vitima de violência sexual
 
Assistencia a mulher vitima de violencia sexual
Assistencia a mulher vitima de violencia sexualAssistencia a mulher vitima de violencia sexual
Assistencia a mulher vitima de violencia sexual
 
Violência Intra familiar.
Violência Intra familiar.Violência Intra familiar.
Violência Intra familiar.
 
Aula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra criançasAula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra crianças
 
ViolêNcias Contra Mulheres(Slides)
ViolêNcias Contra Mulheres(Slides)ViolêNcias Contra Mulheres(Slides)
ViolêNcias Contra Mulheres(Slides)
 
Violência sexual contra crianças e adolescentes
Violência sexual contra crianças e adolescentesViolência sexual contra crianças e adolescentes
Violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Diversos tipos de violência
Diversos tipos de violênciaDiversos tipos de violência
Diversos tipos de violência
 
Violência contra a Mulher
Violência contra a MulherViolência contra a Mulher
Violência contra a Mulher
 
Violência doméstica
Violência doméstica   Violência doméstica
Violência doméstica
 
Violência sexual
Violência sexualViolência sexual
Violência sexual
 
Historia social de abandono das crianças
Historia social de abandono das criançasHistoria social de abandono das crianças
Historia social de abandono das crianças
 
Catálogo de materiais didáticos e paradidáticos sobre diversidade sexual e de...
Catálogo de materiais didáticos e paradidáticos sobre diversidade sexual e de...Catálogo de materiais didáticos e paradidáticos sobre diversidade sexual e de...
Catálogo de materiais didáticos e paradidáticos sobre diversidade sexual e de...
 
Violência
ViolênciaViolência
Violência
 
Gênero violência e conjugalidade superando desafios - Dra. adélia moreira
Gênero violência e conjugalidade superando desafios - Dra. adélia moreiraGênero violência e conjugalidade superando desafios - Dra. adélia moreira
Gênero violência e conjugalidade superando desafios - Dra. adélia moreira
 
Abuso sexual contra crianças e adolescentes
Abuso sexual contra crianças e adolescentesAbuso sexual contra crianças e adolescentes
Abuso sexual contra crianças e adolescentes
 
Versão 1.2
Versão 1.2Versão 1.2
Versão 1.2
 

Semelhante a O que é violência sexual

Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Maria Antonia
 
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Maria Antonia
 
Cartilha 2
Cartilha 2Cartilha 2
Cartilha 2
LLidiana
 
Abuso Sexual ( Pedofilia)
Abuso Sexual ( Pedofilia)Abuso Sexual ( Pedofilia)
Abuso Sexual ( Pedofilia)
martasara
 
Infancia violentada (aprovado)
Infancia violentada (aprovado)Infancia violentada (aprovado)
Infancia violentada (aprovado)
PrLinaldo Junior
 

Semelhante a O que é violência sexual (20)

Violnciasexualcontracrianaseadolescentes 130718011435-phpapp01
Violnciasexualcontracrianaseadolescentes 130718011435-phpapp01Violnciasexualcontracrianaseadolescentes 130718011435-phpapp01
Violnciasexualcontracrianaseadolescentes 130718011435-phpapp01
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
 
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
 
Cartilha 2
Cartilha 2Cartilha 2
Cartilha 2
 
Cartilha-abuso.pdf
Cartilha-abuso.pdfCartilha-abuso.pdf
Cartilha-abuso.pdf
 
Violência Doméstica contra Crianças
Violência Doméstica contra CriançasViolência Doméstica contra Crianças
Violência Doméstica contra Crianças
 
Abuso sexual-1212061080118991-8
Abuso sexual-1212061080118991-8Abuso sexual-1212061080118991-8
Abuso sexual-1212061080118991-8
 
Abuso Sexual ( Pedofilia)
Abuso Sexual ( Pedofilia)Abuso Sexual ( Pedofilia)
Abuso Sexual ( Pedofilia)
 
Prostituição ou Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes
Prostituição ou Exploração Sexual de Crianças e AdolescentesProstituição ou Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes
Prostituição ou Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes
 
-Apresentação_Abuso-Infantil.pptx
-Apresentação_Abuso-Infantil.pptx-Apresentação_Abuso-Infantil.pptx
-Apresentação_Abuso-Infantil.pptx
 
Abuso sexual-1212061080118991-8
Abuso sexual-1212061080118991-8Abuso sexual-1212061080118991-8
Abuso sexual-1212061080118991-8
 
Infancia violentada (aprovado)
Infancia violentada (aprovado)Infancia violentada (aprovado)
Infancia violentada (aprovado)
 
Abuso sexual - PROFESSORA ALISANDRA SANTOS
Abuso sexual - PROFESSORA ALISANDRA SANTOSAbuso sexual - PROFESSORA ALISANDRA SANTOS
Abuso sexual - PROFESSORA ALISANDRA SANTOS
 
Modulo-VIII-–-Conselho-Tutelar-e-o-combate-SLIDES (1).pdf
Modulo-VIII-–-Conselho-Tutelar-e-o-combate-SLIDES (1).pdfModulo-VIII-–-Conselho-Tutelar-e-o-combate-SLIDES (1).pdf
Modulo-VIII-–-Conselho-Tutelar-e-o-combate-SLIDES (1).pdf
 
Palestra sobre abuso sexual na Infância
Palestra sobre abuso sexual na InfânciaPalestra sobre abuso sexual na Infância
Palestra sobre abuso sexual na Infância
 
Infancia violentada
Infancia violentadaInfancia violentada
Infancia violentada
 
Abuso sexual - Enfrentamento ao abuso sexual de crianças e adolescentes: É PR...
Abuso sexual - Enfrentamento ao abuso sexual de crianças e adolescentes: É PR...Abuso sexual - Enfrentamento ao abuso sexual de crianças e adolescentes: É PR...
Abuso sexual - Enfrentamento ao abuso sexual de crianças e adolescentes: É PR...
 
Pedofilia - Temas Contemporâneos
Pedofilia - Temas ContemporâneosPedofilia - Temas Contemporâneos
Pedofilia - Temas Contemporâneos
 

Mais de Alinebrauna Brauna (20)

Pnab
PnabPnab
Pnab
 
Orientacoes coleta analise_dados_antropometricos
Orientacoes coleta analise_dados_antropometricosOrientacoes coleta analise_dados_antropometricos
Orientacoes coleta analise_dados_antropometricos
 
Livro completo senad5
Livro completo senad5Livro completo senad5
Livro completo senad5
 
Radis 131 web
Radis 131 webRadis 131 web
Radis 131 web
 
Copia de radis_129_23maio2013
Copia de radis_129_23maio2013Copia de radis_129_23maio2013
Copia de radis_129_23maio2013
 
O que são conferências 21.05.2012
O que são conferências 21.05.2012O que são conferências 21.05.2012
O que são conferências 21.05.2012
 
Pmaq
PmaqPmaq
Pmaq
 
Pmaq
PmaqPmaq
Pmaq
 
Todo sentimento
Todo sentimentoTodo sentimento
Todo sentimento
 
Suas os desafios da assistencia social
Suas   os desafios da assistencia socialSuas   os desafios da assistencia social
Suas os desafios da assistencia social
 
Slides infanto completo
Slides infanto completoSlides infanto completo
Slides infanto completo
 
Saúde mental
Saúde mentalSaúde mental
Saúde mental
 
O papel do cuidador e seus aspectos psicossociais
O papel do cuidador e seus aspectos psicossociaisO papel do cuidador e seus aspectos psicossociais
O papel do cuidador e seus aspectos psicossociais
 
Mpcda
MpcdaMpcda
Mpcda
 
Histórico sobre o eca
Histórico sobre o ecaHistórico sobre o eca
Histórico sobre o eca
 
Politica de ad
Politica de adPolitica de ad
Politica de ad
 
Perguntas e-respostas-crack
Perguntas e-respostas-crackPerguntas e-respostas-crack
Perguntas e-respostas-crack
 
Palestra álcool
Palestra álcoolPalestra álcool
Palestra álcool
 
Manual prevencao suicidio_saude_mental
Manual prevencao suicidio_saude_mentalManual prevencao suicidio_saude_mental
Manual prevencao suicidio_saude_mental
 
Lei maria da penha
Lei maria da penhaLei maria da penha
Lei maria da penha
 

O que é violência sexual

  • 1.
  • 2. O que é Violência Sexual? É um fenômeno social que envolve qualquer situação de jogo, ato ou relação sexual, envolvendo uma pessoa mais velha e uma criança ou adolescente. Se expressa por meio da exploração e/ou abuso sexual.
  • 3. O que é abuso sexual?  É a utilização da criança ou adolescente em uma relação de poder desigual, geralmente por pessoas muito próximas, podendo ser ou não da família, e que se aproveitam dessa relação de poder e de confiança para satisfazer seus desejos sexuais. Pode ocorrer com ou sem violência física, mas a violência psicológica está sempre presente.
  • 4. O que é exploração sexual?  É a utilização sexual de crianças e adolescentes com fins comerciais e de lucro.  Acontece quando meninos e meninas são induzidos a manter relações sexuais com adultos ou adolescentes mais velhos, quando são usados para a produção de materiais pornográficos ou levados para outras cidades, estados ou países com propósitos sexuais.
  • 5. Onde a violência pode ocorrer?  Dentro da família – Violência doméstica ou intrafamiliar  Fora da família – Violência extra-familiar  A violência intrafamiliar mais comum é aquela que ocorre em famílias onde o afeto é erotizado, estimulando atitudes danosas que podem levar ao incesto. Nestas famílias a autoridade do pai é incontestável e crianças e adolescentes são tratadas como objeto sexual do poder masculino.
  • 6. Como perceber os sinais de alerta? Indicadores Físicos:  Roupas rasgadas com manchas de sangue;  Hemorragia vaginal ou retal;  Secreção vaginal ou peniana;  Infecção urinária;  Dificuldade para caminhar;  Gravidez precoce;  Queixas constantes de gastrite e dor pélvica;  Hematomas, edemas e escoriações na região genital e mamária;  Infecções/ doenças sexualmente transmissíveis.
  • 7. Como perceber os sinais de alerta? Indicadores Comportamentais:  Mudança brusca de comportamento e humor;  Sono perturbado, pesadelos freqüentes, suores, agitação noturna;  Masturbação visível e continuada;  Timidez em excesso;  Tristeza ou choro sem razão aparente;  Medo de ficar sozinho, com alguém ou em algum lugar;  Baixa auto estima, estado de alerta constante, dificuldades de concentração, fuga da realidade
  • 8. Como perceber os sinais de alerta?  Interesse precoce por brincadeiras sexuais e/ou erotizadas;  Conduta sedutora;  Relatos de agressões sexuais;  Dificuldade em adaptar-se a escola;  Aversão ao contato físico;  Comportamento incompatível com a idade (regressões);  Envolvimento com drogas;  Auto-flagelação, culpabilização;  Fuga de casa;  Depressão crônica e tentativa de suicídio.
  • 9. Por que nem sempre as pessoas denunciam?  O complô do silêncio é muito freqüente. As vítimas ficam sem denunciar, muitas vezes por achar que não serão acreditadas ou por medo, pois a prática da ameaça é comum por parte do abusador. O baixo índice de denúncia por parte dos profissionais e comunidade em geral está quase sempre relacionado ao medo de se envolverem com o caso. Deve-se evitar essa atitude, pois ela promove a perpetuação do ciclo da violência, além de constituir uma grave omissão.
  • 10. Quem é e como se comporta o agressor? mulher. No  O agressor pode ser homem ou entanto, as pesquisas e as estatísticas ressaltam a existência de um numero maior de homens que violentam crianças e adolescentes. Quem abusa e explora, geralmente não se reconhece como sendo uma pessoa violenta. Na exploração sexual o violador geralmente é desconhecido, do sexo masculino, tem um poder econômico superior ao da vítima e tente a não repetir o ato com a mesma vitima. Já nos casos de abuso o abusador é uma pessoa conhecida o que amplia as chances de repetição da situação, estabelecendo o ciclo da violência.
  • 11. Indicadores comportamentais dos pais ou responsáveis quando são os abusadores  Excesso de proteção ou zelo pela criança/adolescente;  Relação conjugal instável ou conturbada;  Estimulo à criança/adolescente para práticas sexuais;  Indução/favorecimento da criança/adolescente a exploração sexual comercial;  Comportamento sedutor, insinuante;  Ausência do lar;  Dependência de drogas/álcool;  Antecedência de violência física, sexual ou psicológica na infância;  Demora em prestar socorro e postura contraditória na prestação das informações
  • 12. Como podemos ajudar?  Acreditar e validar a história da vítima;  Respeitar a confidencialidade;  Não culpar a vítima;  Respeitar o momento da vitima;  Ajudar a estabelecer um plano a curto e médio prazo;  Promover o acesso a rede de serviços  Garantir que crianças e adolescentes tenham prioridade de atendimento em qualquer situação.
  • 13. Omitir a denuncia é crime É um dever de todo cidadão denunciar ao tomar conhecimento de qualquer tipo de violação e direitos de crianças e adolescentes. A denúncia pode ser anônima e os encaminhamentos devem ser feitos ao conselho tutelar, disque denuncia, policias militar civil e rodoviária.
  • 14.
  • 15.
  • 16. Código Penal, modificado pela lei nº 12.015/2009  Se um adolescente menor de 14 anos praticar algum ato sexual, presume-se legalmente a violência sexual, ainda que o mesmo tenha realizado o ato sexual por livre e espontânea vontade.  Nesses casos a pena de reclusão é de 8 a 15 anos.