Abuso Sexual ( Pedofilia)

32.516 visualizações

Publicada em

1 comentário
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Visitas x Guarda de Menor abusado Sexualmente.

    Estou com um problema sério!
    Ocorreu um caso de pedofilia em família (Neto pelo Avô Paterno) desde Agosto 2008 até Janeiro 2009. Há farta documentação testemunhal (fotos do menor, declarações da professora do menor, laudos da psicóloga do menor,
    declarações de vizinhos, do barbeiro do menor, e de serviçais, além do B.O.do menor), e os juízes ainda assim estão decidindo favoravelmente pela Guarda e ou visitas aos finais de semana (!?), do avô abusador junto ao
    menor abusado sexualmente! Como proceder ?? A quem recorrer,para obter uma liminar até que os avós paternos tenham parecer e tratamento psicológico adequado??
    Apesar dos Apelos do Menor, e da Denúncia a Delegacia de São José dos Pinhais PR, O QUÊ FAZER ? Deixaremos a criança ser abusada continuamente até que a Justiça morosa apresente seus psicólogos e respectivos laudos? JUSTO Agora que o menor começa a ir melhor na escolinha, dormir tranquilamente, e confiar em adultos e nos avós maternos como estrutura de família, após inúmeras sessões de psicoterapia.
    Agradeco antecipadamente quaisquer orientações.

    Abracos fraternos a todos, DEUS nos ilumine!
    Prof. Paulo Piekarski
    41-9137-2226
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
32.516
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
196
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
596
Comentários
1
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Abuso Sexual ( Pedofilia)

  1. 1. Abuso Sexual Pedofilia
  2. 2. Índice <ul><li>Definição (Pedofilia) </li></ul><ul><li>Como se processa? </li></ul><ul><li>Exploração Sexual </li></ul><ul><li>Perfil do Abusador </li></ul><ul><li>Quais os sinais que nos devem alertar? </li></ul><ul><li>Quais são os sinais comportamentais? </li></ul><ul><li>Quais são os sinais físicos? </li></ul>
  3. 3. Definição <ul><li>A pedofilia é uma psicopatologia, uma perversão sexual com carácter compulsivo e obsessivo, na qual adultos, geralmente do sexo masculino, apresentam uma atracção sexual, exclusiva ou não, por crianças e adolescentes impúberes. </li></ul><ul><li>Alguns autores consideram </li></ul><ul><li>a pedofilia uma síndrome </li></ul><ul><li>(conjunto de sinais e </li></ul><ul><li>sintomas) que ocorre em </li></ul><ul><li>diversas psicopatologias. </li></ul>
  4. 4. Como Se Processa? <ul><li>O pedófilo é um indivíduo aparentemente normal, inserido na sociedade. Costuma ser &quot;uma pessoa acima de qualquer suspeita&quot; aos olhos da sociedade, o que facilita a sua actuação. Conquistando a confiança da criança, seduzindo-a muitas vezes com ofertas de objectos ou dinheiro, e ameaçando-a veladamente a fim de garantir o seu silêncio. Mas há casos em que se pode tornar violento e até matar suas vítimas. Abuso, que se define como toda a situação em que um adulto se utiliza de uma criança ou adolescente para seu prazer sexual </li></ul>
  5. 5. <ul><li>O abuso sexual intra familiar é a forma mais comum de actividade do pedófilo. Quem pratica o abuso sexual é geralmente uma pessoa que a criança conhece e confia e frequentemente ama, ou seja, o pai, o padrasto, o avô ou o tio, ou ainda outras pessoas que gozam da intimidade da família. Frequentemente o pedófilo foi também uma vítima de abuso sexual na infância. Dificilmente o abuso sexual é descoberto por pessoas alheias </li></ul><ul><li>à família. É um acto protegido por </li></ul><ul><li>um verdadeiro muro de silêncio, </li></ul><ul><li>que resguarda a família, </li></ul><ul><li>mas impede a protecção </li></ul><ul><li>da criança. </li></ul>
  6. 6. Exploração Sexual <ul><li>Por outro lado, o abuso sexual intra familiar, especialmente nas classes sociais menos favorecidas, é uma porta de entrada para a prostituição de crianças e adolescentes. A exploração sexual comercial de crianças e adolescentes, é outro tipo de abuso sexual. O uso sexual comercial de crianças e adolescentes ocorre em todo o mundo. Em muitos países há uma certa aceitação cultural da prostituição infantil.   Muitos ainda vêem a prostituição infantil como uma forma de trabalho. </li></ul><ul><li>Uma forma moderna da exploração sexual de crianças e adolescentes é a pornografia divulgada através da Internet. O uso desse democrático e eficiente meio de comunicação pelos pedófilos é uma realidade. </li></ul>
  7. 7. Perfil Do Abusador <ul><li>O abusador é uma pessoa comum, que mantém preservadas as demais áreas de sua personalidade, ou seja, é alguém que pode ter uma profissão destacada, pode ter uma família e até ser repressor e moralista, pode ter bom acervo intelectual, enfim, aos olhos sociais e familiares pode ser considerado um indivíduo normal ou até exemplar. É no entanto perverso, e faz parte da sua perversão enganar a todos sobre sua parte doente. Ele necessita da fantasia de poder sobre sua vítima, usa das sensações despertadas no corpo da criança ou adolescente para subjugá-la, </li></ul><ul><li>incentivando a decorrente culpa que surge na vítima. O maior </li></ul><ul><li>dano que ele causa é à mente da criança, que é invadida por </li></ul><ul><li>concretização das fantasias sexuais próprias da infância e </li></ul><ul><li>que deveriam permanecer em seu imaginário. Essa </li></ul><ul><li>concretização precoce destas fantasias pode explicar a </li></ul><ul><li>evolução de abusado para abusador, uma vez que a </li></ul><ul><li>criança pode ficar aprisionada nesta prática infantil do </li></ul><ul><li>sexo e nas suas numerosas implicações psicológicas </li></ul><ul><li>doentias apenas mudando de lado quando se torna adulto, </li></ul><ul><li>permanecendo assim na cena sexual infantil traumática . </li></ul>
  8. 8. Quais os sinais que nos devem alertar? <ul><li>Há alguns sinais, comportamentos ou atitudes que a criança abusada tende a manifestar. Alguns dos principais são enunciados abaixo, mas importa salientar que todos eles são sinais que apenas indiciam e não devem ser tomados como uma prova conclusiva. caso de haver esse tipo de suspeita, deve haver extrema cautela nas conclusões que se possam tirar e sobretudo deve haver muita calma e ponderação, e procurar acima de tudo transmitir à criança segurança e a ideia de que ela pode abrir-se e contar o que se passou sem receios de castigos ou retaliações. É igualmente importante ter a noção de que a criança se pode sentir culpabilizada ou envergonhada do que aconteceu e por isso tender a ficar silenciosa ou a não contar tudo. </li></ul>
  9. 9. Quais são sinais comportamentais: <ul><li>A depressão ou dificuldades em dormir (pesadelos frequentes), manifestação de incómodo em ser tocada, anormal e persistente interesse em assuntos de índole sexual, alterações súbitas do comportamento como agressividade, recusa de carinhos, auto-depreciação do seu corpo (acham que está sujo, ou que tem anomalias sobretudo a nível dos órgão sexuais),   desenhos e textos sobre fantasias de abuso sexual, medo de sair sozinha ou de ir à escola, brincar com outras crianças ou com objectos simulando actos sexuais, usar vocabulário ou conceitos de índole sexual inapropriados para a idade, evitamento de uma determinada pessoa que pode até ser um familiar muito próximo. </li></ul>
  10. 10. Quais são sinais físicos: <ul><li>As lesões (feridas, irritações, ou hemorragias) nas zonas genitais ou orais, aparecimento de hematomas no corpo não explicáveis e sem história de traumatismo conhecido, bem como o aparecimento de infecções sexualmente transmissíveis. </li></ul>

×