SlideShare uma empresa Scribd logo

AGOSTO LILÁS 2022 (1).pptx

D
DamsioCear

Agosto lilás

1 de 22
Baixar para ler offline
AGOSTO LILÁS 2022 (1).pptx
AGOSTO LILÁS 2022 (1).pptx
A mente que se abre a uma nova
ideia jamais votará ao seu tamanho
original.
Albert Einstein.
O Retrato da Violência contra a Mulher
no Brasil
 A População feminina no Brasil segundo dados do PNAD –
Pesquisa Nacional de Amostragem por Domicílio em 2019, é
de 51,8% dos 211 milhões de brasileiros.
 O Brasil é o 5° dos 83 Países onde se mata mais mulheres no
mundo.
 Uma menina ou mulher é estuprada no país a cada 10
minutos.
 Três mulheres são vítimas de Feminicídio a cada três dias
 26 mulheres sofrem agressão física por hora
Fonte: Instituto Patrícia Galvão
Violência contra a Mulher no Ceará
 O Ceará é o 7° Estado do País com mais denúncias de
violência contra mulheres ( segundo reportagem do Diário
do Nordeste em Março de 2021).
 O Ceará registrou de janeiro a maio deste ano 7.568 casos de
violência contra a mulher, conforme dados da Secretaria da
Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).
 Em média, o Estado teve nos cinco primeiros meses deste
ano 1.513 casos por mês, 50 casos por dia ou dois casos por
hora.
Por que a Violência contra a Mulher
acontece?

Recomendados

Violência contra mulher e Lei Maria da Penha
Violência contra mulher e Lei Maria da Penha  Violência contra mulher e Lei Maria da Penha
Violência contra mulher e Lei Maria da Penha Vyttorya Marcenio
 
Violência sexual contra crianças e adolescentes
Violência sexual contra crianças e adolescentesViolência sexual contra crianças e adolescentes
Violência sexual contra crianças e adolescentesAlinebrauna Brauna
 
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentesPalestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentesMichelle Moraes Santos
 
Abuso e exploração sexual de criança e adolescente
Abuso e exploração sexual de criança e adolescenteAbuso e exploração sexual de criança e adolescente
Abuso e exploração sexual de criança e adolescenteLuisa Sena
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@sSaúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@sProf. Marcus Renato de Carvalho
 
Depressão
DepressãoDepressão
DepressãoUNIME
 
Aula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra criançasAula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra criançasDiego Alvarez
 
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)Alinebrauna Brauna
 
Dinâmicas para palestras sobre drogas
Dinâmicas para palestras sobre drogasDinâmicas para palestras sobre drogas
Dinâmicas para palestras sobre drogasValdenice Barreto
 
Violência Na Escola
Violência Na EscolaViolência Na Escola
Violência Na Escolabethbal
 
Violencia contra criança e adolescente
Violencia contra criança e adolescenteViolencia contra criança e adolescente
Violencia contra criança e adolescentetlvp
 
Guia prevencao suicidio
Guia prevencao suicidioGuia prevencao suicidio
Guia prevencao suicidioDenise Pacheco
 

Mais procurados (20)

18 de maio
18 de maio18 de maio
18 de maio
 
Violencia contra mulher
Violencia contra mulherViolencia contra mulher
Violencia contra mulher
 
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@sSaúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
 
Lei maria da penha
Lei maria da penhaLei maria da penha
Lei maria da penha
 
18 de Maio
18 de Maio 18 de Maio
18 de Maio
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
Aula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra criançasAula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra crianças
 
Palestra Setembro Amarelo
Palestra Setembro AmareloPalestra Setembro Amarelo
Palestra Setembro Amarelo
 
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
 
Bullying
Bullying Bullying
Bullying
 
Saúde Mental
Saúde MentalSaúde Mental
Saúde Mental
 
Mitos e verdades - setembro amarelo
Mitos e verdades  -  setembro amareloMitos e verdades  -  setembro amarelo
Mitos e verdades - setembro amarelo
 
Violência – lei maria da pena – 10 anos.
Violência – lei maria da pena – 10 anos.Violência – lei maria da pena – 10 anos.
Violência – lei maria da pena – 10 anos.
 
Dinâmicas para palestras sobre drogas
Dinâmicas para palestras sobre drogasDinâmicas para palestras sobre drogas
Dinâmicas para palestras sobre drogas
 
Violência Na Escola
Violência Na EscolaViolência Na Escola
Violência Na Escola
 
Violencia contra criança e adolescente
Violencia contra criança e adolescenteViolencia contra criança e adolescente
Violencia contra criança e adolescente
 
Violência infantil
Violência infantilViolência infantil
Violência infantil
 
Bullying na Escola
Bullying na EscolaBullying na Escola
Bullying na Escola
 
Guia prevencao suicidio
Guia prevencao suicidioGuia prevencao suicidio
Guia prevencao suicidio
 
Palestra sobre bullying
Palestra sobre bullyingPalestra sobre bullying
Palestra sobre bullying
 

Semelhante a AGOSTO LILÁS 2022 (1).pptx

Violência conjugal - formação
Violência conjugal - formaçãoViolência conjugal - formação
Violência conjugal - formaçãoHelena Rocha
 
Direitos da mulher - Prevenção à violência e ao HIV
Direitos da mulher - Prevenção à violência e ao HIVDireitos da mulher - Prevenção à violência e ao HIV
Direitos da mulher - Prevenção à violência e ao HIVMovimentoMulher360
 
Cartilha mulher violência
Cartilha mulher violênciaCartilha mulher violência
Cartilha mulher violênciakarinatannure
 
Diversidade, cultura e direitos
Diversidade, cultura e direitosDiversidade, cultura e direitos
Diversidade, cultura e direitosAndréa Kochhann
 
Violência doméstica e familiar polícia militar
Violência doméstica e familiar   polícia militarViolência doméstica e familiar   polícia militar
Violência doméstica e familiar polícia militarGeazi San
 
Cartilha violencia domestica_alt_0
Cartilha violencia domestica_alt_0Cartilha violencia domestica_alt_0
Cartilha violencia domestica_alt_0Maureen Coité
 
Slides-Campanha-16-Dias-de-Ativismo-2022.pptx
Slides-Campanha-16-Dias-de-Ativismo-2022.pptxSlides-Campanha-16-Dias-de-Ativismo-2022.pptx
Slides-Campanha-16-Dias-de-Ativismo-2022.pptxQuintoDiogenes1
 
Violencia contra mulher e recursos tecnologias.pptx
Violencia contra mulher e recursos tecnologias.pptxViolencia contra mulher e recursos tecnologias.pptx
Violencia contra mulher e recursos tecnologias.pptxVniaFerreiraCostadeO
 
Violencia contra mulher e recursos tecnologias.pptx
Violencia contra mulher e recursos tecnologias.pptxViolencia contra mulher e recursos tecnologias.pptx
Violencia contra mulher e recursos tecnologias.pptxVniaFerreiraCostadeO
 
Violencia contra a mulher
Violencia contra a mulherViolencia contra a mulher
Violencia contra a mulherMaira Conde
 
Direitos da mulher
Direitos da mulherDireitos da mulher
Direitos da mulherCmdm Vicosa
 
Violencia contra mulher e recursos tecnologias (1).pptx
Violencia contra mulher e recursos tecnologias (1).pptxViolencia contra mulher e recursos tecnologias (1).pptx
Violencia contra mulher e recursos tecnologias (1).pptxtatianesouza923757
 
Violnciadomstica anagmeasandraalline-111213233321-phpapp02
Violnciadomstica anagmeasandraalline-111213233321-phpapp02Violnciadomstica anagmeasandraalline-111213233321-phpapp02
Violnciadomstica anagmeasandraalline-111213233321-phpapp02Crislaine Matozinhos
 

Semelhante a AGOSTO LILÁS 2022 (1).pptx (20)

Violência conjugal - formação
Violência conjugal - formaçãoViolência conjugal - formação
Violência conjugal - formação
 
Direitos da mulher - Prevenção à violência e ao HIV
Direitos da mulher - Prevenção à violência e ao HIVDireitos da mulher - Prevenção à violência e ao HIV
Direitos da mulher - Prevenção à violência e ao HIV
 
Cartilha mulher violência
Cartilha mulher violênciaCartilha mulher violência
Cartilha mulher violência
 
Palestra femicídio guarapuava_2014
Palestra femicídio guarapuava_2014Palestra femicídio guarapuava_2014
Palestra femicídio guarapuava_2014
 
Cultura do estupro
Cultura do estuproCultura do estupro
Cultura do estupro
 
Violência contra a mulher.d
Violência contra a mulher.dViolência contra a mulher.d
Violência contra a mulher.d
 
Diversidade, cultura e direitos
Diversidade, cultura e direitosDiversidade, cultura e direitos
Diversidade, cultura e direitos
 
Violência doméstica e familiar polícia militar
Violência doméstica e familiar   polícia militarViolência doméstica e familiar   polícia militar
Violência doméstica e familiar polícia militar
 
Violência contra a mulher.d
Violência contra a mulher.dViolência contra a mulher.d
Violência contra a mulher.d
 
Cartilha violencia domestica_alt_0
Cartilha violencia domestica_alt_0Cartilha violencia domestica_alt_0
Cartilha violencia domestica_alt_0
 
Slides-Campanha-16-Dias-de-Ativismo-2022.pptx
Slides-Campanha-16-Dias-de-Ativismo-2022.pptxSlides-Campanha-16-Dias-de-Ativismo-2022.pptx
Slides-Campanha-16-Dias-de-Ativismo-2022.pptx
 
Cultura do estupro
Cultura do estuproCultura do estupro
Cultura do estupro
 
Violencia contra mulher e recursos tecnologias.pptx
Violencia contra mulher e recursos tecnologias.pptxViolencia contra mulher e recursos tecnologias.pptx
Violencia contra mulher e recursos tecnologias.pptx
 
Violencia contra mulher e recursos tecnologias.pptx
Violencia contra mulher e recursos tecnologias.pptxViolencia contra mulher e recursos tecnologias.pptx
Violencia contra mulher e recursos tecnologias.pptx
 
Violencia contra a mulher
Violencia contra a mulherViolencia contra a mulher
Violencia contra a mulher
 
Direitos da mulher
Direitos da mulherDireitos da mulher
Direitos da mulher
 
Caderno de pauta 002
Caderno de pauta 002Caderno de pauta 002
Caderno de pauta 002
 
Violencia domestica 2012
Violencia domestica 2012 Violencia domestica 2012
Violencia domestica 2012
 
Violencia contra mulher e recursos tecnologias (1).pptx
Violencia contra mulher e recursos tecnologias (1).pptxViolencia contra mulher e recursos tecnologias (1).pptx
Violencia contra mulher e recursos tecnologias (1).pptx
 
Violnciadomstica anagmeasandraalline-111213233321-phpapp02
Violnciadomstica anagmeasandraalline-111213233321-phpapp02Violnciadomstica anagmeasandraalline-111213233321-phpapp02
Violnciadomstica anagmeasandraalline-111213233321-phpapp02
 

AGOSTO LILÁS 2022 (1).pptx

  • 3. A mente que se abre a uma nova ideia jamais votará ao seu tamanho original. Albert Einstein.
  • 4. O Retrato da Violência contra a Mulher no Brasil  A População feminina no Brasil segundo dados do PNAD – Pesquisa Nacional de Amostragem por Domicílio em 2019, é de 51,8% dos 211 milhões de brasileiros.  O Brasil é o 5° dos 83 Países onde se mata mais mulheres no mundo.  Uma menina ou mulher é estuprada no país a cada 10 minutos.  Três mulheres são vítimas de Feminicídio a cada três dias  26 mulheres sofrem agressão física por hora Fonte: Instituto Patrícia Galvão
  • 5. Violência contra a Mulher no Ceará  O Ceará é o 7° Estado do País com mais denúncias de violência contra mulheres ( segundo reportagem do Diário do Nordeste em Março de 2021).  O Ceará registrou de janeiro a maio deste ano 7.568 casos de violência contra a mulher, conforme dados da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).  Em média, o Estado teve nos cinco primeiros meses deste ano 1.513 casos por mês, 50 casos por dia ou dois casos por hora.
  • 6. Por que a Violência contra a Mulher acontece?
  • 7.  Porque não obedeceu ao pai, ao marido.  Porque não gostou da cantada – na verdade assédio – que recebeu na rua e foi confrontar.  Porque alguém se sentiu no direito de assediá-la por conta do comprimento da sua saia.  Porque quis se arrumar e passar um batom para ficar mais bonita;  Porque alguém se sentiu no direito de forçá-la a fazer sexo contra a sua vontade e consentimento.  Porque não aceita ser submissa, querer sair para estudar, trabalhar, ser independente etc. A violência contra a mulher acontece, principalmente, por que ela ainda ocupa um lugar social menor que o do homem.
  • 8. Questão de Gênero  Gênero, é um conceito que nos ajuda a entender como são moldadas as relações entre homens e mulheres em uma determinada sociedade. Essas são relações construídas socialmente, portanto podem ser desconstruídas.
  • 9. Aprendemos que... Os Homens  São Superiores;  Devem ser os provedores do lar;  Não possuem habilidades domésticas;  São ótimos motoristas;  Conduzem as relações;  São fortes, viris;  Homens vestem Azul  Homem que é homem não chora;  A rua é o seu lugar. As Mulheres  São sensíveis, neutras, delicadas, passivas, submissas;  Precisam ser boas donas de casa;  Não são boas motoristas;  Devem trabalhar para complementar renda do marido;  Mulheres vestem Rosa  Mulher é sexo frágil  Deve estar sempre pronta à servir  O ambiente doméstico é o seu lugar.
  • 10. Gênero, Machismo e Violência  A imagem social, concebida pela maioria das pessoas da superioridade do homem, como algo verdadeiro, reforça ainda mais a ideia da submissão feminina, sendo um dos motivos pelos quais as mulheres ainda são tratadas com desprezo, discriminação e preconceito.  Quando uma mulher rompe, ou tenta romper com esse paradigma, é surpreendida com atos de violência, é o momento em que a figura masculina busca através da força impor a sua aparente “superioridade”
  • 11. Conceito de Violência  Violência é qualquer comportamento ou conjunto de comportamentos que visem causar dano a outra pessoa, ser vivo ou objeto. Nega-se autonomia, integridade física ou psicológica e mesmo a vida do outro, é o uso excessivo além do necessário ou esperado.
  • 12. Reprodução da Violência contra à Mulher e do Machismo  Diariamente nós recebemos “comandos” que de certa forma “naturalizam” a violência contra a mulher, através de Músicas, novelas, propagandas comerciais televisivas etc. Loira Burra – Gabriel, O Pensador  “À procura de carro, a procura de dinheiro / O lugar dessas cadelas era mesmo num puteiro (…) Não eu não sou machista, exigente talvez / Mas eu quero mulheres inteligentes, não vocês (…) E pra você me entender, vou ser até mais direto/ Loira burra, você não passa de mulher objeto”
  • 13. Amiga da minha mulher – Seu Jorge  “Se fosse mulher feia tava tudo certo Mulher bonita mexe com meu coração” Um tapinha não dói – Bonde do Tigrão  “Dói, um tapinha não dói Um tapinha não dói Um tapinha não dói Um tapinha não dói, só um tapinha” Ai! Que saudade da Amélia – Ataulfo Alves  “Você só pensa em luxo e riqueza Tudo o que você vê, você quer Ai, meu deus, que saudade da Amélia Aquilo sim é que era mulher… … Amélia não tinha a menor vaidade Amélia é que era mulher de verdade”
  • 14. Definições de Violência  VIOLÊNCIA DOMÉSTICA: Quando ocorre em casa, no ambiente doméstico, ou em uma relação de familiaridade, afetividade ou coabitação.  VIOLÊNCIA FAMILIAR: Violência que ocorre dentro da família, ou seja, nas relações entre os membros da comunidade familiar formada por vínculo de parentesco natural ou civil, por afinidade ou afetividade.
  • 15. Tipos de Violência  Física  Psicológica  Sexual  Moral  Patrimonial STEALTHING (ROUBANDO/ FURTIVO) Crime de Violação Sexual mediante fraude Art. 215 Código Penal Consiste na retirada do preservativo durante a relação sexual, sem o consentimento da outra pessoa, embora pouco falado, o ato é mais comum do que se imagina e pode causar graves consequências às vítimas. GASLIGHTING (MANIPULAÇÃO) é uma forma de abuso psicológico na qual informações são distorcidas, seletivamente omitidas para favorecer o abusador ou simplesmente inventadas com a intenção de fazer a vítima duvidar de sua própria memória, percepção e sanidade
  • 16. 90% das mulheres que sofrem violência vivenciam este ciclo
  • 17. Os Agressores...  90% dos agressores são homens, parentes, maridos, namorados, ex companheiros  Geralmente não sabem lidar com a rejeição;  São controladores e não podem ser contrariados;  Tratam a mulher como sua propriedade;
  • 18. As Vítimas...  São aprisionadas pelo:  MEDO  DEPENDÊNCIA AFETIVA E FINANCEIRA  VERGONHA  PERMANECEM EM UMA RELAÇÃO VIOLENTA POR MOTIVOS TAMBÉM RELIGIOSOS. Estudos apontam que uma Mulher pode demorar de 10 a 15 anos para poder se encorajar à realizar denúncia de violência.
  • 19. Quadro de Armas DEAM – Zona Sul – Natal RN
  • 21. Canais de Denúncias Conselho Municipal dos Direitos da Mulher Ligue 180 WhatsApp -(61) 99656-5008. Centro de Referência Especializado de Assistência Social –CREAS Centro de Referência e Atendimento à Mulher - CRAM Delegacias de Polícia Civil Polícia Militar (190) Ministério Público
  • 22. Em briga de Marido e Mulher VOCÊ pode ser a Colher! Obrigada!!!