O que você fez hoje para tornar o mundo melhor?

5.293 visualizações

Publicada em

Palestra realizada em 2006 no Centro Social Comunidade Carisma, onde compartilhei minha experiência como voluntário, com o projeto Células de Estudo.

Publicada em: Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.293
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.640
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
28
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O que você fez hoje para tornar o mundo melhor?

  1. 1. O que você fez hoje para tornar o mundo melhor?
  2. 2. Agenda • Objetivo da apresentação • Mas, o que é o MUNDO? • Nossa proposta • Como funciona? • Um pouco de história • Desafios • Quem faz parte? • Fatores críticos para o sucesso • Ser voluntário • Pergunta final • Reflexão • Bate-Papo
  3. 3. Objetivo da apresentação 1. Apresentar o projeto Células de Estudo; 2. Compartilhar minha experiência como voluntário; 3. Compartilhar minha visão sobre o que é ser voluntário
  4. 4. Mas, o que é o MUNDO? • Minha casa; • Minha rua; • Meu bairro; • Minha cidade; • Minha empresa; • O “meu” universo.
  5. 5. Porque tornar o mundo melhor? • O outro lado da moeda...
  6. 6. Saindo pela tangente... • Não tenho tempo! • Não é problema meu! • Tenho outras preocupações e prioridades! • É responsabilidade do governo! • Minhas ações não farão diferença para o mundo.
  7. 7. Precisamos olhar ao nosso redor... • É fundamental desligarmos a “proteção de tela” que nos impede de enxergar e atuar na resolução dos problemas que nos cercam. • Todos somos agentes responsáveis pelas mudanças que o país precisa. • Não adianta só esperar pelo governo.
  8. 8. 8 Jeitos de Mudar o Mundo • Declaração do Milênio, aprovada pela ONU em setembro de 2000 e assinada pelos 191 países membros • 8 Objetivos, 18 Metas e 48 Indicadores • www.nospodemos.org.br • www.pnud.org.br/odm
  9. 9. 8 Jeitos de Mudar o Mundo
  10. 10. Nossa Proposta
  11. 11. Nossa Proposta
  12. 12. O que é? • Crianças, jovens e adultos reunidos buscando (principalmente) evolução cultural. • Nesse processo existe a atuação de facilitadores (instrutores).
  13. 13. Nossa Missão • Promover a evolução cultural de crianças, jovens e adultos através da utilização dos recursos tecnológicos e pedagógicos disponíveis.
  14. 14. O “Ciclo da Pobreza, da Inércia e Marginalidade”
  15. 15. Analogias +
  16. 16. Como Funciona?
  17. 17. Como funciona? • Turmas distribuídas por: – Faixa etária; – Nível de escolaridade. • Atividades orientadas aos objetivos dos alunos. • É necessário que o aluno seja alfabetizado.
  18. 18. Conteúdo genérico • Informática básica – Introdução ao Hardware – Sistemas Operacionais – Ferramentas Office • Projeto de Software – Lógica de Programação • Pesquisas Avançadas – Ciclo EDM
  19. 19. Ciclo EDM? Multiplica Escolhe Desenvolve
  20. 20. Durante o caminho... • Literatura; • História; • Matemática; • Empreendedorismo; • Projetos; – Jornal; – Abertura de empresa; – Currículo. • Etc. • Planejamento 2007 : Adequação aos PCNs (temas transversais)
  21. 21. Outras características • “Localização” de conteúdo; • Orientação a objetivos da turma. – Definição de pontos individuais a serem trabalhados. • Tempo médio de criação de uma Célula: 1 mês. • Melhoria Contínua através de lições aprendidas = REINVENÇÃO!
  22. 22. Um pouco de história
  23. 23. Como tudo começou? Um sonho...
  24. 24. Fase 1 • Anos 2001/2002 • Foco em inclusão digital • Projeto “recusado” em duas escolas • Muita vontade, mas pouca experiência
  25. 25. Fase 2 • Praticamente todo ano de 2004 • Primeira Célula na “E. E. Leonor Mendes de Barros” • Sábados e domingos (adeus finais de semana!) • Tentando me virar sozinho • INSISTÊNCIA!
  26. 26. Fase 3 • Início de 2005 • Thiago e Alexandre ingressam no projeto • Duas turmas aos sábados (domingo livre!) • Questões políticas encerram o projeto no Leonor • Novos aprendizados
  27. 27. Fase 4 • 1º Semestre de 2006 • Parceria com a E. E. República de Honduras • Carlos e Vagner ingressam no projeto • Turmas para crianças, jovens e adultos • + de 40 alunos • Patrícia cria logo do projeto. • REINVENÇÃO!
  28. 28. Fase 5 • 2º Semestre de 2006 • E. E. Tarsila do Amaral – Entrada da Bia e da Vanussa • E. E. Wilmar Soares da Silva – 70 alunos • Nova Célula em São Pedro do Turvo – Planejada para o início de 2007 – Marcela e Regiane ingressam no projeto • Início do desenvolvimento do Sistema de Gestão de Células – Entrada do Bruno • Logo reformulado • Inauguração do BLOG • Apoio pedagógico – Entrada da Rose
  29. 29. Fase 6 • 1º Semestre de 2007 • Reestruturação no programa Escola da Família – Célula da E. E. Wilmar Soares da Silva foi encerrada • Início do desenvolvimento do site das Células de Estudo – Entrada do Thiago Serra • Nova área de atuação: Curso de Inglês – Entrada da Juliana
  30. 30. Desafios
  31. 31. Desafios • “AFERIR” o método • Encontrar mais voluntários • Gerenciar comprometimento e envolvimento (alunos e voluntários) • Didática adequada • Materiais (apostilas, livros, etc)
  32. 32. Desafios • Infra-estrutura • Conciliar o tempo • Ampliar o projeto (outras escolas, outros bairros, outras cidades) • Realizar parcerias com empresas • MONTAR CÉLULAS DE OUTRAS ÁREAS!!!
  33. 33. Programa “Células de Estudo” Programa “Células de Estudo” Promover a evolução cultural de crianças, jovens e adultos. Curso de Curso de Inglês ... Informática
  34. 34. Quem faz parte?
  35. 35. Quem faz parte? • Co-Líderes / Instrutores –Alexandre –Carlos –Thiago –Vagner
  36. 36. Quem faz parte? • Instrutoras –Bia –Vanussa –Marcela –Regiane
  37. 37. Quem faz parte? • Apoio Pedagógico – Rose • Desenvolvimento de sistemas – Bruno
  38. 38. Quem faz parte? • Desenvolvimento do site – Thiago Serra • Identidade Visual – Patrícia • Curso de Inglês – Juliana
  39. 39. Fatores críticos para o sucesso
  40. 40. Fatores críticos para o sucesso • Infra-estrutura – Espaço para realizar as atividades • Pessoas – Voluntários
  41. 41. Ser voluntário
  42. 42. Definição 1 • “Voluntário é o jovem ou adulto que, devido a seu interesse pessoal e ao seu propósito cívico, dedica parte do seu tempo, sem remuneração alguma, a diversas formas de atividades, organizadas ou não de bem- estar social ou outros campos.” – Definição das Nações Unidas
  43. 43. Definição 2 • “Voluntário é o ator social e agente de transformação, que presta serviços não remunerados em benefício da comunidade. Doando seu tempo e conhecimentos, realiza um trabalho gerado pela energia de seu impulso solidário, e atende não só as necessidades do próximo, como também aos imperativos de uma causa. O voluntário atende também suas próprias motivações pessoais, sejam elas de caráter religioso, cultural, filosófico, político ou emocional.” – Definição da Fundação Abrinq
  44. 44. Passo 1 - Motivação • Incômodo com determinada situação • Quero e preciso fazer algo… • Dois caminhos: – Empreededorismo social; – Atuação projeto existente.
  45. 45. Passo 2 – O que vou fazer? • Antes de entrar no barco pergunte: – Eu me identifico com a missão? – Eu me apaixonei pela causa? • Alguns começam pelo passo 2
  46. 46. Passo 3 – Como vou fazer? • Estou no barco... E agora? • Comprometimento é diferente de envolvimento
  47. 47. Valores • Valores fundamentais da filosofia do voluntariado que conferem significado e transcendência à ação voluntária e representam o ideal de uma motivação consciente:
  48. 48. Valores • Igualdade entre os homens; • Respeito à dignidade humana; • Justiça social: direito de uma vida digna; • Solidariedade humana e ajuda recíproca; • Democracia como forma de convivência social, direito; • Fé em si mesmo e nas próprias potencialidades; • Responsabilidade pessoal: compromisso.
  49. 49. Atitudes • Atitudes, no sentido de vivência dos valores pessoais:
  50. 50. Atitudes • Perceber e apreciar a cultura, os valores dos outros; • Estabelecer comunicação, diálogo; • Ser persistente, responsável e disciplinado; • Ter entusiasmo, iniciativa, otimismo; • Enfrentar o pessimismo e as crises de valores; • Cooperar, trabalhar em equipe; • Receber e dar ao mesmo tempo; • Aprender e ensinar ao mesmo tempo; • Adquir a formação e o treinamento necessários; • Estar disposto ao crescimento pessoal.
  51. 51. Definição 3 • Voluntário é… – Um sonhador; – O cidadão que assumiu seu papel de agente de transformação da sociedade; – Um apaixonado.
  52. 52. A Poção Mágica
  53. 53. Pergunta final O que você fez hoje para tornar o mundo melhor?
  54. 54. Pergunta final O que você fará a partir de amanhã para tornar o mundo melhor?
  55. 55. Reflexão • Sonho que se sonha só É só um sonho que se sonha só Mas sonho que se sonha junto é realidade Raul Seixas - Prelúdio
  56. 56. MUITO OBRIGADO! Alessandro Almeida alessandro_almeida@hotmail.com
  57. 57. Bate Papo

×