REFEITURA MUNNICIPAL DE BOM JARDIM – MA 
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO 
ESCOLA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO BÁSICA NEY BRAGA 
...
1.JUSTIFICATIVA 
Entendido como sistematização, não definitiva, de um processo de 
planejamento participativo que se aperf...
O fazer da escola é trabalhar conteúdos científicos, históricos e culturais de 
forma a assegurar a formação global do edu...
1.141 alunos, sendo 517 alunos no turno matutino de 6º e 7º ano, 411 alunos no 
turno vespertino de 8º e 9º ano e 213 no t...
lhes um ambiente agradável, inovador, favorecendo a participação coletiva e a troca 
de experiências. 
4.2 Visão de Socied...
4.5 Visão de Futuro 
Buscaremos ser uma escola que priorize a qualidade de ensino, trabalhando 
com a coletividade e a cri...
Pedro Demo, no seu livro desafios modernos da educação, enfoca que “recai 
sobre o professor enorme expectativa em termos ...
A LDB 9394/96 trata, nos artigos 1º e 2º de educação dentro de um sentido 
bem abrangente centrado em três eixos fundament...
projeto político pedagógico como espaço conquistado, que deve constituir o 
elemento diferencial para o aparente consenso ...
8. PERFIL DA ESCOLA 
Nome: Escola Municipal de Educação Básica Ney Braga 
Código: 21071942 – Censo Escolar 
Processo de au...
Nome do supervisor do turno noturno: Firmino Viveiros dos Santos 
Nome da supervisora do turno vespertino: Maria das Graça...
Em 2010 funcionou de 5ª a 8ª série e EJA, com turmas de 5ª a 8ª série nos 
turnos matutino e vespertino e EJA no turno not...
Considerando que cada nível de desenvolvimento necessita de uma 
intervenção especifica, do 6º ao 9º trabalhamos o plano c...
Formar o hábito da leitura, valorizando-a como instrumento de informação e 
acesso ao conhecimento, como atividade prazer...
·História 
Conforme propõem os PCN’s de História, os alunos devem desenvolver as 
seguintes habilidades ao longo de todo o...
Observar e identificar características do corpo humano e os comportamentos nas 
diversas fases da vida do homem e da mulh...
apresentando questões apenas para verificar se os conteúdos foram fixados. Nesse 
propósito a Escola Municipal de Educação...
·Ensino Religioso 
A Formação Religiosa trabalhada nessa instituição é concernente com a 
diversidade das diferentes relig...
Na Escola Municipal de Educação Básica Ney Braga, este componente 
curricular é ministrado em 02 (duas) horas/aulas semana...
Seguindo as orientações didáticas postas pelos Referenciais de Educação 
Nacional, pretendemos tê-los como o acompanhament...
9.3.6 Gestão 
No contexto da gestão escolar, observamos um processo contínuo de 
atividades que envolvem não apenas a part...
9.5 Integração Escola, Família e Comunidade 
A integração da escola com a família e a comunidade escolar acontece 
através...
Quadro II – Demonstrativo aspecto físico/ ano/ turma/ 2005/ 2006. 
ANO 
MATUTINO / VESPERTINO / NOTURNO 
Ensino Fundamenta...
Situação do atendimento escolar 
Quadro IV – Demonstrativo do crescimento da matrícula por nível 2006. – 
Matutino/vespert...
Quadro VI – Demonstrativo da taxa de reprovação 2006 – 
Matutino/vespertino/noturno. 
SÉRIES 
2006 
MATRÍCULA 
INICIAL 
MA...
Demonstrativo de 5ª a 8ª série – Matutino/vespertino/noturno. 
DISCIPLINAS 
Série *Especificação PRT MTM GGF HST CNC ING A...
Situação do Magistério e demais servidores 
Quadro IX – Demonstração de cargos e funções de magistérios por 
formação / 20...
12. ASPECTO SÓCIO-CULTURAL 
Sabendo que o sistema educacional é, ao mesmo tempo reflexo e reprodutor 
de códigos culturais...
aprendizagem, onde o professor é mediador que busca o conhecimento escolar, no 
auxílio, na construção de uma boa aprendiz...
14. METAS E AÇÕES 
Nº Ordem Meta Ação 
01 
Dimensão 
administrativ 
a 
·Manter em ordem toda escrituração da escola; 
·Faz...
Nº Ordem Meta Ação 
02 Dimensão 
pedagógica 
·Elaborara o Currículo Escolar com base nos 
princípios norteados pela LDB 93...
a escrita e a oralidade dos alunos; 
·Realizar uma feira cultural, visando o resgate da 
cultura brasileira e da cultura d...
Nº Ordem Meta Ação 
04 Dimensão 
financeiras 
·Gerenciar os recursos financeiros que são 
repassados diretamente do govern...
CONSIDERAÇÕES FINAIS 
Educar, segundo os princípios estabelecidos pela LDB, é formar indivíduos 
que não estão situados em...
VASCONCELLOS. Celso dos S. Coordenação do Trabalho Pedagógico: do projeto 
político-pedagógico ao cotidiano da sala de aul...
ANEXOS
ESCOLA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO BÁSICA NEY BRAGA 
Estrutura Curricular do Ensino Fundamental – 1ª a 8ª Série 
Componentes Cur...
REGIMENTO INTERNO
Projeto Político Pedagógico Escola Ney Braga 2014
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Projeto Político Pedagógico Escola Ney Braga 2014

672 visualizações

Publicada em

Projeto Político Pedagógico Escola Ney Braga 2014

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
672
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto Político Pedagógico Escola Ney Braga 2014

  1. 1. REFEITURA MUNNICIPAL DE BOM JARDIM – MA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ESCOLA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO BÁSICA NEY BRAGA PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO BOM JARDIM – MA 2014
  2. 2. 1.JUSTIFICATIVA Entendido como sistematização, não definitiva, de um processo de planejamento participativo que se aperfeiçoa e se concretiza ao longo de seu desenvolvimento, o Projeto Político Pedagógico define claramente o tipo de ação educativa que se quer realizar. Por se tratar de um instrumento teórico-metodológico indispensável para a organização e integração da atividade prática da instituição de ensino, é capaz de transformar a realidade da comunidade escolar, uma vez que, envolve também, uma construção coletiva de conhecimento de forma participativa e democrática. Além disso, o Projeto Político Pedagógico está de acordo com a LDB, levando a escola a pensar sobre a sua função na sociedade moderna. É cada vez mais urgente que educadores, alunos e pais estabeleçam novos olhares para o processo educacional afim de que a escola acompanhe a sociedade na qual vivemos e prepare o educando para sua inserção nela. A relevância e necessidade de um o Projeto Político Pedagógico é claramente percebida no cotidiano escolar, pois muitas vezes, devido à própria correria dos tempos atuais e da própria complexidade das relações de trabalho e demais formas de interações entre indivíduos, entre estes os que fazem parte da comunidade escolar, a preocupação da direção acaba sendo ‘que a escola funcione’, e a dos professores acaba girando em torno do manter a disciplina e cumprir o programa, ou seja, enfocamos demais o que é urgente e não tomamos tempo para nos posicionarmos diante daquilo que é mais importante, a saber, resolver ou amenizar os conflitos e contradições sociais presentes no dia a dia da escola, problemas estes que vão muito além de dificuldades de aprendizagem e indisciplina dos alunos ou da atuação dos professores e demais agentes da escola e da sociedade como um todo. Naturalmente, a escola não é o único lugar onde a educação acontece. Ela é uma instituição social tal como a igreja, a família etc., mas que difere quanto à função, visto que a escola é responsável pela promoção do desenvolvimento do cidadão, no sentido pleno da palavra. Cabendo a ela definir-se pelo tipo de cidadão que deseja formar, de acordo com a sua visão de sociedade. Cabe-lhe também a incumbência de definir as mudanças que julga necessário fazer nessa sociedade, através das mãos do cidadão que formará. Por essa razão, precisa ter uma identidade própria e que todo o seu fazer seja sistematizado.
  3. 3. O fazer da escola é trabalhar conteúdos científicos, históricos e culturais de forma a assegurar a formação global do educando. Durante o processo desse fazer, usando sua autonomia, a escola atualiza e articula a realidade, tornando-se capaz de corresponder às expectativas e necessidades emergentes da vida em comunidade nesta era globalizada. Dessa forma, esse projeto oferece uma proposta democrática, comprometida com a comunidade escolar, que tem como base a orientação para uma gestão escolar que promova a integração de todos os membros da escola, assegurando-lhes um ambiente agradável, acolhedor e inovador, favorecendo a participação coletiva e a troca de experiências. É justamente pelo exposto acima que a elaboração do Projeto Político Pedagógico faz-se necessário na Escola Municipal de Educação Básica Ney Braga, visto ser uma metodologia de trabalho que possibilita ressignificar a ação de todos os agentes da comunidade escolar. 2. HISTÓRICO O Colégio Municipal Ney Braga, foi fundado em 1977 em uma casa situada à rua Arlindo Menezes, Centro, onde hoje funciona a Secretaria Municipal de Agricultura, na gestão do Prefeito Miguel Alves Meireles. O mesmo funcionou neste endereço até 1984. Em 1985 foi reconhecido pela Resolução n° 396/85 a 397/85 do Conselho Estadual de Educação, na gestão do Prefeito Adroaldo Alves Matos com o Ensino Fundamental e o Ensino Médio (Cursos de Magistério e Técnico em Contabilidade), extintos em 2000. Recebeu este nome em homenagem ao Ministro da Educação Ney Aminthas dos Santos Braga. No atual prédio, situado à Rua Sete de Setembro s/n Centro, as aulas iniciaram em maio de 1984 com o antigo 2º Grau e o Primário de 1ª a 4ª série na época. Atualmente, o colégio oferece o Ensino Fundamental regular de 1º ao 9º ano, sua estrutura física conta com dez salas de aula, um auditório, uma cantina, uma secretaria, uma sala de professores com banheiro, um almoxarifado, uma sala de recursos multifuncionais, uma sala de informática, quatro banheiros (dois masculinos e dois femininos) e um pátio. A instituição é composta de 85 funcionários, sendo: um diretor-geral, dois diretores adjunto, seis supervisores, duas secretárias, quatro agentes administrativos, quatro vigias, sete auxiliares de serviços gerais, cinco merendeiras e cinquenta e quatro professores. O número de matrículas atual é de
  4. 4. 1.141 alunos, sendo 517 alunos no turno matutino de 6º e 7º ano, 411 alunos no turno vespertino de 8º e 9º ano e 213 no turno noturno EJAI. 2.MISSÃO Oferecer um ensino de qualidade, propiciando o compromisso de igualdade e união de modo a contribuir para a melhoria nas condições educacionais, visando uma aprendizagem significativa num ambiente agradável e inovador, bem como o tornar parte inclusa (integrante) desta era digital. A escola é um exemplo social privilegiado na construção e sistematização do conhecimento, portanto seu compromisso é com a formação global, com o trabalho de conteúdos científicos e históricos, com o conhecimento humano. Desempenhando sua autonomia de está sempre se atualizando, articulando com a realidade atual, tornando-a capaz de responder as necessidades emergentes da vida em comunidade. 4. VISÃO 4.1 Visão de Mundo O Projeto Político Pedagógico foi elaborado pela necessidade de elevar e direcionar uma visão de mundo. Onde as escolas e os educadores serão convocados a acompanhar a evolução dos tempos, as mudanças e não a repetir velhas fórmulas de educar, que não são compatíveis com a realidade e com o estudante de hoje. O Projeto Político Pedagógico está de acordo com a LDB levando a escola a pensar sobre a sua função na sociedade moderna. É urgente que a escola, educadores, alunos e pais estabeleçam novos olhares para o processo educacional, a fim de que a escola acompanhe a sociedade na qual vivemos e prepare o educando para sua inserção social no mundo moderno. Desta forma, esse projeto oferece uma proposta democrática, comprometida com a comunidade escolar, que tem como base a orientação para uma gestão escolar que promova a integração de todos os segmentos da escola, assegurando-
  5. 5. lhes um ambiente agradável, inovador, favorecendo a participação coletiva e a troca de experiências. 4.2 Visão de Sociedade O mundo está em constante mudança. A sociedade se apresenta diante de nós de forma cada vez mais complexa, com grande diversidade racial, econômica, linguística e social. É um desafio para as escolas formarem alunos preparados para este mundo. Portanto, a Escola Ney Braga, busca inserir o educando neste contexto plural e dinâmico, levando-o, a adotar uma postura crítico reflexiva dos acontecimentos que ocorrem na sociedade atual. 4.3 Visão de Escola Crê-se na visão de que a escola deve ser um espaço que ofereça ao educando, o conhecimento necessário para que possam participar do mundo atual. A escola também deve preocupar-se com o excesso de reprodução, de permissividade, de comandos, de agitação ou de passividade. Contudo, pretendemos construir uma escola capaz de levar o aluno a desenvolver habilidades que, harmonicamente conduzidas, tornar-se-ão competências necessárias para uma vida de qualidade. 4.4 Visão de Conhecimento Entendemos que o conhecimento hoje é o principal fator de produção, e a educação está a serviço das exigências da sociedade, diante disso, pretendemos levar o educando a conceber, a elaborar e transformar o conhecimento adquirido, tornando-se sujeito do seu próprio desenvolvimento pessoal e intelectual, para que sejam capazes de saber conhecer, fazer, ser e conviver nos mais diversos grupos que compõem a sociedade.
  6. 6. 4.5 Visão de Futuro Buscaremos ser uma escola que priorize a qualidade de ensino, trabalhando com a coletividade e a criatividade em metodologias inovadoras, valorizando a transparência em nossas ações. 5. VALORES 1.Coletividade: Trabalhamos em coletividade onde cada pessoa contribua para o desenvolvimento da escola. 2.Criatividade: Inovamos a metodologia de ensino-aprendizagem respeitando a criatividade individual e coletiva. 3.Transparência: Visamos uma comunicação aberta e transparente. 4.Compromisso: Temos como meta uma educação de qualidade. 5.Solidariedade: Promoveremos um espaço de camaradagem entre todos. 6. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Atualmente, quando o assunto “educação” entra em discussão, o ponto mais explorado é a questão da modernidade. O aluno e o professor da escola pública passam por um processo de mudança e não estão conseguindo atingir os desafios da educação e da sociedade moderna. É preciso que o objetivo de ensino saia da mesmice e busque outros horizontes, outros meios de promover um conhecimento afim de que essa educação aconteça de fato. Assim, o professor precisa ser um critico formador de opinião, alguém que renova os mecanismos da educação, pois educar não é tarefa fácil, pelo contrário, é um trabalho imensamente difícil; educar para a vida, para o trabalho, para a sociedade. Nesse sentido, é preciso que professores, diretores, supervisores, enfim, todo o corpo da escola, busquem meios para a modernização da escola.
  7. 7. Pedro Demo, no seu livro desafios modernos da educação, enfoca que “recai sobre o professor enorme expectativa em termos de competência”. Não é viável provocar ambiente construtivo, se o professor não for capaz de elaboração própria. A grande maioria dos professores não foi desafiada a isto, porque se treinou na cópia e a levar em frente de cópia em cópia. Neste particular, torna-se ideia preciosa a exigência de que cada escola deve construir seu projeto pedagógico, coletivamente. Demo quer nos dizer exatamente é que o professor está estagnado, preso as velhas técnicas de aprendizagem, sem perspectivas de mudanças, de criação mesmo. E deixa claro que os integrantes a escola precisam urgentemente interagir, elaborar projetos pedagógicos que promovam de fato o interesse do alunado através da coletividade, da união, metodologia abrangentes e revolucionárias, mecanismos que dinamizem o ensino, e coloque o discente como centro das atenções, como agente do seu próprio conhecimento para que a escola se torne mais atrativa. A relação do homem com a história ocorre em dois níveis de intervenção: sobre a natureza e sobre a sociedade. O homem intervém na natureza, descobrindo suas leis para dominá-la e entendê-la da melhor forma possível e assim viver em plena harmonia com a mesma. Da mesma maneira ele intervém sobre a sociedade, nesse sentido, ele humaniza a natureza e humaniza a vida dos homens em sociedade. O ato pedagógico insere-se nesse segundo ato. É uma ação do homem sobre ele mesmo, para que construam uma sociedade com maiores chances de sucesso. Todavia, é preciso evitar a ilusão de que a educação é um processo tão simples que bastaria estabelecer claramente seus objetivos e finalidades. Essa é uma função política, é uma reflexão fundamental de que a educação só pode ser estimulante e útil se todos trabalharem juntos. Desse modo, a escola fundamenta-se em princípios básicos que norteiam as ações pedagógicas, buscando o desenvolvimento sociocultural e político do ser humano. Nessa perspectiva a escola é responsável pela promoção do desenvolvimento do cidadão, no sentido pleno da palavra. Então, cabe a ela definir o tipo de cidadão que deseja formar, de acordo com a sua visão de sociedade, cabe-lhe também a incumbência de definir as mudanças que julga necessário fazer nessa sociedade. Nesse intuito o aluno é a matéria principal desse processo.
  8. 8. A LDB 9394/96 trata, nos artigos 1º e 2º de educação dentro de um sentido bem abrangente centrado em três eixos fundamentais: o pleno desenvolvimento do educando; a qualificação para o trabalho e o preparo para o exercício da cidadania. Visto desta forma e, aproveitando o pensamento de Coll (1986 apud ALBUQUERQUE, 2006, p. 10), os objetivos da educação consistem em “desenvolver as capacidades cognitivas ou intelectuais, motoras, afetivas, de relação interpessoal e de inserção e atuação social”. Portanto, é com base nesses princípios e nas necessidades apresentadas pela comunidade escolar que o PPP deve se fundamentar. Nesse processo a escola apresenta grande responsabilidade ao afirmar que “o grande desafio dos educadores é formar gerações novas, não de ‘massacrados’ ou ‘conduzidos’, mas de seres capazes de ‘construir sua autonomia pessoal ao longo do processo de suas vidas’” (RESENDE, in: VEIGA, 1997, p. 93). Quando a escola assume a responsabilidade de atuar na transformação e na busca do desenvolvimento social, seus agentes devem empenhar-se na elaboração de uma proposta para a realização desse objetivo. Essa proposta ganha força na construção de um projeto político-pedagógico. A LDB, em seu artigo 14 define as normas de gestão democrática, quando afirma que o Projeto Político Pedagógico deve ser elaborado com a participação dos profissionais da educação e representantes da comunidade. O projeto político-pedagógico busca um rumo, uma direção. É uma ação intencional, com um sentido explícito, com um compromisso definido coletivamente. Por isso, todo projeto pedagógico da escola é também, um projeto político que estar intimamente articulado ao compromisso sociopolítico e com os interesses reais e coletivos da população majoritária. O projeto político permite a escola quebrar a rotina que às vezes se instala, reorganizando o seu saber fazer, alterando as relações pessoais e de conhecimentos teóricos e práticos construindo, dessa forma, experiências concretas, reais e palpáveis de educação. Segundo Pinheiro (1998) torna-se importante reforçar a compreensão cada vez mais ampliada do projeto educativo como instrumento de autonomia e domínio do trabalho docente pelos profissionais da educação, com vistas à alteração de uma prática conservadora vigente no sistema público de ensino. É essa concepção de
  9. 9. projeto político pedagógico como espaço conquistado, que deve constituir o elemento diferencial para o aparente consenso sobre as atuais formas de orientação da prática pedagógica. 7. OBJETIVOS 7.1 Geral Desenvolver em toda comunidade escolar, ações que viabilizem o conhecimento de princípios básicos para a formação do ser humano, levando-o a posicionar-se de maneira crítica, responsável e construtiva nas diferentes situações sociais. 7.2 Específicos Trabalhar o Regimento Interno envolvendo toda a comunidade escolar, estabelecendo um maior comprometimento ético-político e cultural, para a construção de uma escola de qualidade; Apontar instrumentos que reforce uma interação mútua entre a comunidade e a escola; Desenvolver ações didático-pedagógica através de projetos/pesquisas que possibilitem aos educandos aquisição de conhecimentos éticos – culturais e políticos que facilitem um convívio social sadio, instrumentalizando-os para enfrentarem as dificuldades do cotidiano. Possibilitar a formação continuada dos professores e demais profissionais, visando um melhor desempenho de suas funções.
  10. 10. 8. PERFIL DA ESCOLA Nome: Escola Municipal de Educação Básica Ney Braga Código: 21071942 – Censo Escolar Processo de autorização pelo CEE nº _____________ Processo de reconhecimento pelo CEE nº 003/2008 Data 29/07/2008 Níveis de ensino: Ensino fundamental 1ª a 8ª série. Turnos de funcionamento: matutino, vespertino e noturno. Número de salas de aula: 31 Número de turmas: 10 Número de Auditório: 01 Número de Banheiros: 05 Número de Almoxarifado: 01 Número de Cantina: 01 Número de Secretaria: 01 Número de Sala de Professores: 01 Número de agente administrativo: 04 Número de diretor: 01 Número de diretores adjunto: 02 Número de professores: 54 Número de supervisores: 06 Nome da diretora: Vaneza Ramos de Amorim Nome do diretor adjunto: José Marques Teixeira Nome da diretora adjunta: Antônia Laurinda Fortaleza Mota Nome do supervisor do turno matutino: Isac Barbosa da Silva Nome do supervisor do turno matutino: Elvanice de Oliveira Lira
  11. 11. Nome do supervisor do turno noturno: Firmino Viveiros dos Santos Nome da supervisora do turno vespertino: Maria das Graças Lima Silva Nome da supervisora do turno noturno: Maria Cleude Memória Silva Nome da secretária: Maria Clene da Conceição Miranda Nome da secretária: Maria do Socorro Dias da Silva Ensino fundamental turno matutino: 6º e 7º ano = 517 Ensino fundamental turno vespertino: 8º e 9º ano = 411 Ensino fundamental turno noturno: EJAI = 213 Total de alunos = 1.141 9. SITUAÇÃO DIAGNÓSTICA DA ESCOLA 9.1 Diagnóstico da realidade escolar Ensino Fundamental Em 2006 a escola funcionou de 1ª a 8ª série nos turnos: Matutino: 1ª a 5ª série com a faixa etária de 6 a 15 anos, com uma matrícula num total de: 320 alunos. Vespertino: 5ª a 8ª série com faixa etária de 12 a 17 anos, com uma matrícula num total de: 354 alunos. Noturno: 5ª a 8ª série com a faixa etária de 15 a 25 anos, com uma matrícula num total de: 250 alunos. Em 2007 a demanda foi maior, funcionou de 2ª a 8ª série, aumentando as turmas da seguinte forma: turmas de 2ª a 8ª série, nos turnos matutino e vespertino, total geral: 929 alunos. Em 2008 funcionou de 2ª a 8ª série, com turmas de 2ª a 8ª série nos turnos matutino e vespertino, total geral: 837 alunos. Em 2009 funcionou de 2ª a 8ª série, com turmas de 2ª a 8ª série nos turnos matutino e vespertino, total geral: 874 alunos.
  12. 12. Em 2010 funcionou de 5ª a 8ª série e EJA, com turmas de 5ª a 8ª série nos turnos matutino e vespertino e EJA no turno noturno, total geral: 1.046 alunos. Em 2011 funcionou de 5ª a 8ª série e EJA, com turmas de 5ª a 8ª série nos turnos matutino e vespertino e EJA no turno noturno, total geral: 1.275 alunos. Em 2012 funcionou de 5ª a 8ª série e EJA, com turmas de 5ª a 8ª série nos turnos matutino e vespertino e EJA no turno noturno, total geral: 1.122 alunos. Em 2013 funcionou de 5ª a 8ª série e EJAI, com turmas de 5ª a 8ª série nos turnos matutino e vespertino e EJAI no turno noturno, total geral: 1.119 alunos. Em 2014 funcionou de 5ª a 8ª série e EJAI com turmas de 5ª a 8ª série nos turnos matutino e vespertino e EJAI no turno noturno, total geral: 1.141alunos. 9.2 Situação da rede física, mobiliária e equipamento. A matrícula vem crescendo conforme o crescimento da comunidade onde a escola está inserida, com essa demanda é necessário à ampliação de salas de aula. Os equipamentos estão no estado de conservação bom. 9.3 Organização do Ensino 9.3.1 Planejamento escolar O planejamento escolar acontece com a participação dos professores, coordenadores e da direção. Esse planejamento é realizado em dois momentos distintos. No primeiro, elabora-se o plano de curso no início do ano letivo, como uma das atividades da Semana Pedagógica, momento em que se relacionam os conteúdos, se define os objetivos e procedimentos que possibilitarão a compreensão e aquisição do conhecimento correspondente aos componentes curriculares. No segundo, realiza-se no decorrer do ano letivo, mensalmente, a partir de temas geradores, assim como o desenvolvimento e a aplicação de projetos que preocupam refletir o comportamento social, cultural, político e econômico da sociedade, como forma de conteúdos.
  13. 13. Considerando que cada nível de desenvolvimento necessita de uma intervenção especifica, do 6º ao 9º trabalhamos o plano com a definição de áreas, procedimentos conceituais, atitudinais e a avaliação. 9.3.2 Plano Curricular O plano curricular proposto pela Escola Municipal de Educação Básica Ney Braga, está organizado com base no Sistema Educacional Brasileiro (LDB – 9394/96 e nos Parâmetros Curriculares Nacionais) que estabelece a obrigatoriedade do estudo de Língua Portuguesa, Matemática, História, Geografia, Ciências, Língua Estrangeira Moderna, Filosofia, Ensino Religioso e Artes, oferecendo alternativas que proporcionem ao educando e educadores a aquisição de conhecimentos através do desenvolvimento da capacidade de aprender, tendo como estratégias básicas o pleno domínio da leitura, da escrita e do cálculo, assim como a educação para a formação de valores. A escola tem a responsabilidade de proporcionar aos indivíduos o conhecimento sistematizado, que é indispensável ao desenvolvimento de competências e habilidades, e ao favorecimento de aprendizagens alicerçadas à formação da cidadania e a capacidade para a descoberta de novos saberes sem medo de mudar, sem medo de qualificar, sem medo do novo, principalmente o novo que vem das novas ocupações de empregabilidade, oferecendo uma educação com as experiências pedagógicas, métodos e técnicas coerentes com o processo de desenvolvimento do educando. 9.3.2.1 Áreas de Conhecimento ·Língua Portuguesa Reconhecer a importância da língua portuguesa para a comunicação oral e escrita, sabendo adequá-la a intervenções e situações comunicativas que requeiram conversa num grupo, expressar sentimentos e opiniões, defendendo pontos de vistas. Desenvolver a leitura e a produção de textos orais e escritos, em situações reais de uso;
  14. 14. Formar o hábito da leitura, valorizando-a como instrumento de informação e acesso ao conhecimento, como atividade prazerosa que a partir da prática social, remete a outras leituras; Estimular o aluno a pensar, a raciocinar por meio do desenvolvimento de certas competências, como as de observação, análise e argumentação nas várias áreas do conhecimento; Experimentar a capacidade criativa, com poder de interpretação, construção e análise crítica, mediante a compreensão e comparação de textos com a realidade social, econômica e emocional do aluno, possibilitando a formação do caráter de cidadania; Desenvolver competências comunicativas, textuais e gramaticais capazes de atender as diversas situações em que o educando se encontra. Na Escola Municipal de Educação Básica Ney Braga o ensino da Língua Portuguesa será ministrado em cinco aulas semanais para alunos do 6º ao 9º ano, perfazendo um total geral de 200 horas/aulas. ·Geografia Na Escola Municipal de Educação Básica Ney Braga este componente curricular proporcionará: Adotar uma atitude responsável, de respeito e preservação do meio ambiente como garantia à qualidade de vida; Conhecer e comparar a natureza da paisagem local com a de outros lugares; Conhecer e comparar a presença da natureza na paisagem local, com as manifestações da natureza presentes em outras paisagens; Conhecer e compreender algumas das consequências das transformações da natureza causadas pelas ações humanas, presentes na paisagem urbanas e rurais; Selecionar, organizar, relacionar, interpretar dados e informações representados de diferentes formas para enfrentar situações-problema, segundo uma visão crítica com vistas à tomada de decisões. Este componente curricular será ministrado em 02 (duas) aulas semanais no Ensino fundamental de 6º ao 9º ano, perfazendo um total geral de 80 horas/aulas.
  15. 15. ·História Conforme propõem os PCN’s de História, os alunos devem desenvolver as seguintes habilidades ao longo de todo o Ensino Fundamental. Comparar acontecimentos no tempo, tendo como referencia os conceitos de anterioridade, posterioridade e simultaneidade; Reconhecer que algumas situações sociais, econômicas e culturais se transformam, enquanto outras permanecem iguais, em seu espaço de convivência; Conhecer a história do seu município, estado e da própria escola; Distinguir as relações de poder, formais ou de fato, estabelecidas entre suas localidades e os demais centros políticos, econômicos e culturais, em difíceis tempos; Trabalhar com documentos variados, como plantas urbanas, mapas, vestimentas, objetos cerimoniais e rituais; Solicitar resumos orais ou em forma de textos, imagens, gráficos, linhas do tempo. Este componente curricular será ministrado em 02 (duas) aulas semanais no Ensino fundamental de 6º ao 9º ano, perfazendo um total geral de 80 horas/aulas. ·Ciências O ensino de ciências na Escola Municipal de Educação Básica Ney Braga adota procedimentos a fim de ampliar a possibilidade de participação social e do desenvolvimento mental, assim fazer com que o aluno tenha a capacidade de: Compreender a natureza como um conjunto dinâmico; Estabelecer relações entre as características e o comportamento dos seres vivos e as condições do ambiente em que eles vivem valorizando a diversidade da vida;
  16. 16. Observar e identificar características do corpo humano e os comportamentos nas diversas fases da vida do homem e da mulher, entendendo a noção de ciclo vital e respeitando as diferenças individuais; Adotar a postura participativa, com a conscientização dos problemas ambientais; Fazer experimentos simples com materiais e objetos do ambiente para investigar algumas formas de energia e as características dos materiais; Valorizar atitudes e comportamentos favoráveis à saúde, em relação a alimentação, a higiene, pessoal e a conservação do meio ambiente. Ciências será ministrada em 03 (três) aulas semanais no Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano, perfazendo um total de 120 horas/aulas. ·Língua Estrangeira (Inglês) O ensino da Língua Estrangeira é trabalhado com base no cotidiano do aluno, bem como na sua importância como veículo de comunicação, indispensável para ingressar no mercado de trabalho e de sobrevivência num mundo cada vez mais globalizado, esperando que ao longo dos quatro anos de ensino fundamental, o aluno seja capaz de: Demonstrar compreensão geral de textos, fazendo uso de elementos visuais (fotografias, gráficos, desenhos e outras imagens) e de palavras conhecidas; Selecionar informações do texto; Compreender que para entender o texto não é preciso conhecer todas as palavras; Demonstrar adequação na criação, respeitando normas, sintáticas, morfológicas, léxicas e fonológicas do idioma. Este componente curricular será ministrado no Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano, em 02 (duas) aulas semanais, perfazendo um total de 80 horas/aulas. ·Matemática O ensino da matemática no Ensino Fundamental deve ser significativo e produtivo, para que as aulas se transformem em momentos estimulantes que exigem estratégias para resolução das diversas situações-problema, não
  17. 17. apresentando questões apenas para verificar se os conteúdos foram fixados. Nesse propósito a Escola Municipal de Educação Básica Ney Braga, espera que ao longo dos 09 anos do Ensino Fundamental o aluno consiga: Compreender os conceitos, procedimentos e estratégias de qualificação, como a contagem, o pareamento, a estimativa e correspondência; Comparar grandezas; Identificação e relação entre unidades de tempo; Reconhecimento das cédulas e moedas de real e de possíveis trocas entre elas em função de seus valores; Compreender, aprender a estabelecer relações do conhecimento matemático com fatos do cotidiano para que possam intervir criticamente por meio de investigação e interpretação, sendo imprescindível ler, escrever situações sociais transpondo para a linguagem matemática, com outras áreas do conhecimento, numa produção histórica – cultural possível à transformação; Ampliar e construir novos significados para os números naturais, inteiros e racionais e irracionais e reais, a partir de sua utilização na vivencia e da análise de problemas históricos que motive sua construção; Expressar-se oral, escrita e graficamente em situações matemática e valorizar a precisão da linguagem e as demonstrações em matemática. Na Escola Municipal de Educação Básica Ney Braga, este componente curricular será ministrado no ensino fundamental do 6º ao 9º ano, em 5 (cinco) horas/aulas semanais fechando num total de 200 horas/aulas. ·Arte Este componente curricular proporcionará ao educando o desenvolvimento do pensamento artístico dentro do contexto histórico e evolutivo e seus períodos, alinhando este conhecimento à produção artística e a participação do aluno, tanto na sua criação como também na apreciação das diversas formas de manifestações artísticas. Neste componente curricular serão ministradas 02 (duas) aulas semanais, no Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano, num total de 80 horas/aulas.
  18. 18. ·Ensino Religioso A Formação Religiosa trabalhada nessa instituição é concernente com a diversidade das diferentes religiões, construindo valores democráticos, no combate às discriminações, aos preconceitos e, nesse sentido contribuir para uma educação inclusiva, em que todos os alunos, se sintam como parte da comunidade escolar, em que são respeitados nas suas crenças e valores religiosos. De forma a adquirir o respeito a si próprio e a solidariedade ao outro, com senso de justiça, colaboração, cooperação e de amor ao próximo, a fim de superar a crise moral da sociedade mercantilizada que se tem hoje. Este componente curricular será ministrado no ensino fundamental do 6º ao 9º ano, 01(uma) aula semanal num total geral de 40 horas/aulas. ·Filosofia O trabalho desenvolvido no ensino da Filosofia na escola deverá possibilitar ao aluno a: Compreender o conceito de Filosofia, moral, justiça, solidariedade, respeito mútuo e diálogo, assim como adquirir um senso crítico; Respeitar as diferenças entre as pessoas; Usar os conhecimentos nas diferentes situações do seu dia a dia; Reconhecer a presença dos princípios que fundamentam normas e leis no contexto social (o estatuto da criança e do adolescente e o regimento escolar); Compreender a vida escolar como participação no espaço público, utilizando os conhecimentos adquiridos na construção de uma sociedade justa e democrática. Este componente será ministrado em 01(uma) aula semanal, perfazendo um total geral de 40 horas/aulas. ·Educação Física
  19. 19. Na Escola Municipal de Educação Básica Ney Braga, este componente curricular é ministrado em 02 (duas) horas/aulas semanais, perfazendo um total geral de 80 horas/aulas. A sua ministração visa ampliar os conhecimentos relacionados à saúde, mediante a prática de esportes e a participação em campeonatos esportivos. Nesse sentido os alunos são levados à aceitação de regras de boa convivência, assim como a elevação da sua autoestima e a melhoria das relações interpessoais e consequentemente, do aprendizado. 9.3.3 Especificidades do Ensino Fundamental Os princípios e finalidades do Ensino Fundamental estão organizados em consonância com o disposto no artigo 48 do capítulo IX da Lei de Diretrizes e Bases que define como objetivos específicos: I – O domínio progressivo da leitura, da escrita e do cálculo enquanto instrumentos pela compreensão e solução dos problemas humanos e o acesso sistemático aos conhecimentos; II – A compreensão das leis que regem a natureza e as relações sociais na sociedade contemporânea; II – O desenvolvimento da capacidade de reflexão e criação, em busca de uma participação consciente no meio social. Ainda com base no exposto nos Referencias Curriculares Nacionais de Educação, determina que: ·A escola precisa ter uma postura de acolhimento; pode questionar, mas não manifestar preconceitos em relação às manifestações culturais dos alunos; ·A escola precisa estruturar-se de maneira viva, dinâmica, estimulando os alunos a se manifestarem das diferentes formas; a produzir e partilhar suas produções de conhecimentos, de expressões de produções artísticas e culturais. ·Estimular, valorizar e oferecer subsídios para o enriquecimento das diversas manifestações e produções dos alunos, contribuindo para que eles se reconheçam como produtores de cultura, como seres capazes de propor e de criar.
  20. 20. Seguindo as orientações didáticas postas pelos Referenciais de Educação Nacional, pretendemos tê-los como o acompanhamento dos trabalhos realizados de modo a integrá-los ao nosso projeto pedagógico e com o comprometimento de todos que fazem parte da comunidade escolar, a fim de que esses princípios sejam garantidos a todos que se beneficiam por este nível de ensino. 9.3.4 Atividades Didáticas As atividades didáticas são desenvolvidas a partir da realidade do educando, selecionando conteúdos e contextualizando-os para torná-los mais significativos para o educando. Desse modo, adotam-se metodologias e ações que reforçam a integração entre o conhecimento elaborado e as vivências do educando, a fim de promover a cultura do refletir, do pensar e interpretar a realidade, outro sim, possibilitar a integração com outros segmentos da escola, através de intercâmbios dentro e fora da comunidade. 9.3.5 Avaliação A prática avaliativa que adotamos acontece em dois momentos: a diagnóstica e a processual. A primeira acontece logo no início do ano, durante o período de sondagem com o intuito de analisar o desempenho do educando e delinear o caminho a prosseguir no curso. A segunda ocorre periodicamente a cada bimestre na forma de teste, frequência, participação e atividades diversas desenvolvidas dentro e fora da sala de aula. Paralelas a segunda realizamos a autoavaliação do aluno e autoavaliação do professor. Com base no exposto, o professor avalia os resultados no decorrer do processo e procura fazer interferências para retomar ou prosseguir o que está sendo trabalhado.
  21. 21. 9.3.6 Gestão No contexto da gestão escolar, observamos um processo contínuo de atividades que envolvem não apenas a parte administrativa como também a área pedagógica através de uma articulação que favorece um trabalho constante e inovador entre a escola, gestor, coordenação pedagógica, professor, funcionários, alunos e a comunidade. Na Escola Municipal de Educação Básica Ney Braga, este processo ocorre de forma espontânea na medida em que o gestor, o coordenador, o corpo docente, os discentes e os demais funcionários desenvolvem suas funções em conjunto, na tentativa de harmonizar o ambiente escolar. Para isso, são ministradas com frequência pelo gestor e os coordenadores pedagógicos, dos respectivos turnos, reuniões com objetivos de discutir questões que englobam desde o processo de ensino-aprendizagem, aos encontros com pais e mestres, alguns projetos pedagógicos até alguns problemas referentes ao contexto administrativo. Contudo, a prática de uma gestão escolar eficiente requer de todos os envolvidos nesta etapa, maior desempenho e compromisso, além de conhecimento para o desenvolvimento de suas devidas funções. 9.4 Valorização dos Profissionais 9.4.1 Professores A valorização dos profissionais da educação vem acontecendo com o incentivo à formação continuada, através de sessões de estudos, análise e reflexão da ação pedagógica, assim como a troca de experiências, fabricação de recursos para motivar a aprendizagem dos alunos do 6º ao 9ª ano. 9.4.2 Pessoal administrativo Nosso maior enfoque é está sempre atento para as realizações de palestras, com intuito de sensibilizar para as atividades individuais e coletivas, propondo envolvê-los a participar de cursos, seminários, palestras, objetivando melhor relacionamento e desempenho no grupo de trabalho.
  22. 22. 9.5 Integração Escola, Família e Comunidade A integração da escola com a família e a comunidade escolar acontece através de encontros periódicos como marca o calendário escolar, onde a primeira ocorre no inicio do ano com o intuito de expor para a comunidade nosso plano de ação, e as demais reuniões são realizadas a cada bimestre, outro sim, por meio dos eventos conforme o calendário. Para que estes segmentos possam participar, faz-se a mobilização através de avisos e convites, com o objetivo de torná-los mais próximos da escola, participando ou prestigiando numa atitude de respeito e valorização das atitudes do educando, da escola e da família. 10. QUADROS DEMONSTRATIVOS DA SITUAÇÃO ESCOLAR Situação do aspecto físico, mobiliário e equipamento. Quadro I – Demonstrativo da rede escolar conforme a existência de ambiente / 2006. AMBIENTE QUANTITATIVO Existente Necessário Diretoria 1 - Secretaria 1 - Sala de aula 11 4 Almoxarifado 1 2 Banheiros 5 - Cantina 1 Ampliação Pátio coberto 1 - Auditório 1 Climatizar Biblioteca 1 Climatizar
  23. 23. Quadro II – Demonstrativo aspecto físico/ ano/ turma/ 2005/ 2006. ANO MATUTINO / VESPERTINO / NOTURNO Ensino Fundamental Edu. Jovens e Adultos N° Salas Nº Turmas Nº Salas Nº Turmas 2005 08 28 01 01 2006 08 25 - - 2007 08 24 - - Quadro III – Demonstrativo de mobiliário e equipamento existente / 2007. ESPECIALIZAÇÃO QUANTITATIVO Existente Necessário Cadeiras com braço Cadeiras de plástico Mesas pequenas Estantes de aço 05 01 Estantes de madeira - - Armários de aço 02 01 Birô de madeira com uma gaveta 01 - Birô de madeira com três gavetas 01 - Mimeógrafo 02 - Microssistem 02 01 Caixa amplificada 02 - Bebedouro com duas torneiras - 01 Freezer 01 - Televisão 03 - Aparelho de DVD 02 - Armários de aço c/ 08 portas 03 - Armários de aço c/ 12 portas 01 - Geladeira 01 - Fogão Industrial 01 01 Computador 01 - Impressora 01 - Microfones 03 - Arquivo de aço c/ 04 gavetas 10 02
  24. 24. Situação do atendimento escolar Quadro IV – Demonstrativo do crescimento da matrícula por nível 2006. – Matutino/vespertino/noturno. NÍVEIS ANO SÉRIE Nº DE TURMAS MATRICULA INICIAL MATRICULA FINAL ENSINO FUNDAMENTAL 2006 1ª 01 2ª 03 3ª 02 4ª 01 5ª 07 6ª 04 7ª 04 8ª 03 TOTAL 25 Qualidade de Ensino Quadro V – Demonstrativo da taxa de aprovação / 2006 – Matutino/vespertino/noturno. SÉRIES MATRÍCULA INICIAL MATRÍCULA GERAL MATRÍCULA FINAL ALUNOS APROVADOS % 1ª 41 35 2ª 89 70 3ª 72 51 4ª 47 31 5ª 278 177 6ª 163 108 7ª 127 84 8ª 107 71
  25. 25. Quadro VI – Demonstrativo da taxa de reprovação 2006 – Matutino/vespertino/noturno. SÉRIES 2006 MATRÍCULA INICIAL MATRÍCULA GERAL MATRÍCULA FINAL ALUNOS REPROVADOS % 1ª 41 35 00 - 2ª 89 76 06 3ª 72 53 02 4ª 47 40 09 5ª 278 187 10 6ª 163 116 08 7ª 127 89 05 8ª 107 78 07 Quadro VII – Demonstrativos dos alunos de 1ª a 4ª série, conforme alcance dos critérios avaliativos por disciplinas/2006. – Matutino. DISCIPLINAS Série *Especificação PRT MTM GGF HST CNC ART E.R E.F. Acima do nível - - - - - - - - 1ª No nível 35 35 35 35 35 35 35 35 Abaixo do nível - - - - - - - - 2ª Acima do nível 20 15 31 27 20 35 27 - No nível 49 55 45 49 56 41 49 76 Abaixo do nível 07 06 - - - - - - 3ª Acima do nível 19 10 15 18 26 23 26 02 No nível 33 41 36 34 27 28 27 51 Abaixo do nível 01 02 02 01 - 02 - - 4ª Acima do nível 07 05 08 07 10 14 13 - No nível 24 26 26 28 23 25 26 40 Abaixo do nível 09 09 06 05 07 01 01 -
  26. 26. Demonstrativo de 5ª a 8ª série – Matutino/vespertino/noturno. DISCIPLINAS Série *Especificação PRT MTM GGF HST CNC ING ART FILOS E.F E.R 5ª Acima do nível 01 11 13 03 14 07 91 15 14 28 No nível 180 165 170 182 166 179 95 172 173 156 Abaixo do nível 06 11 04 02 07 01 01 - - 03 6ª Acima do nível 04 04 03 12 23 09 64 06 07 47 No nível 111 106 113 104 93 107, 52 110 109 69 Abaixo do nível 01 06 - - - - - - - - 7ª Acima do nível 06 09 03 33 12 06 50 18 15 44 No nível 80 75 86 56 77 82 39 71 74 45 Abaixo do nível 03 05 - - - 01 - - - - 8ª Acima do nível 02 04 04 21 16 02 32 17 - 43 No nível 73 68 72 56 60 74 44 61 78 34 Abaixo do nível 03 06 02 01 02 02 02 - - 01 *Acima do nível – o aluno que encontra-se no conceito bom ou com nota 9,0 a 10,0. *No nível – o aluno que encontra-se no conceito bom ou com 7,0 a 8,5. *Abaixo do nível – o aluno que encontra-se no conceito insuficiente ou abaixo de 7,0 Quadro VIII – Demonstrativo de evolução das taxas de evasão por nível 2006. Matutino / vespertino / noturno Ensino Fundamental SÉRIES 2006 MATRÍC. INICIAL MATRÍ. GERAL ALUNOS TRANSF. ALUNOS DESIST. ALUNOS EVADIDOS MATRÍC. FINAL 1ª 41 05 35 2ª 89 09 76 3ª 72 14 53 4ª 47 06 40 5ª 278 20 187 6ª 163 09 116 7ª 127 00 89 8ª 108 01 78
  27. 27. Situação do Magistério e demais servidores Quadro IX – Demonstração de cargos e funções de magistérios por formação / 2007. – Matutino/vespertino/noturno. QUANTIDADE Magistério Técnico em Contabilidade Superior completo Superior incompleto Especialização Total 01 01 12 09 18 41 Quadro X – Demonstrativo de cargos e funções administrativas por formação / 2007. – Matutino/vespertino/noturno. CARGO FORMAÇÃO Fund. incompleto Médio incompleto Médio completo Superior incompleto Superior completo Especial. completa Total Diretora 01 01 Vice-diretora 01 01 Vice-diretor 01 01 Supervisor 03 03 Agente 01 01 02 administrativo AOSG 02 07 09 Vigia 11. ASPECTOS PEDAGÓGICOS A prática educativa adotada procura considerar as vivências e a realidade na qual o educando e educador está inserida, tendo como parâmetros a criatividade, a afetividade, a cooperação e o respeito ao ser humano, onde o educando seja capaz de aprender a conhecer, aprendendo a aprender ao longo da vida; aprender a fazer, desenvolvendo competências de resolver problemas e aplicar soluções; aprender a conviver, fortalecendo sua identidade e respeitando a dos outros e por fim, aprender a ser, agindo com autonomia, expressando opiniões, assumindo as responsabilidades pessoais. Dessa forma, mantendo uma relação recíproca de respeito e valorização do professor, aluno e demais segmentos da escola.
  28. 28. 12. ASPECTO SÓCIO-CULTURAL Sabendo que o sistema educacional é, ao mesmo tempo reflexo e reprodutor de códigos culturais que servem de base para elevação, assim como, para a discriminação, retratando o sistema socioeconômico, político e cultural mais amplo. Considerando essa afirmação, propomos uma ação educativa que valorize a dimensão ética pedagógica, partindo de um compromisso social, no agir pedagógico comprometido para construir uma escola democrática, onde educando e educador tenha a liberdade de expressão, conhecimento mútuo e valorização fortalecendo a igualdade, a liberdade, o dialogo e a democracia, independentemente de sua raça, cor, condição social ou credo religioso. 13. DIRETRIZES As transformações tecnológicas, econômicas e culturais colocam cada vez mais a necessidade do conhecimento ético e da educação do homem em toda a sua multiplicidade. Assim, adotaremos em nossas diretrizes, a postura dialética – libertadora que leva em considerações as variações e contradições da realidade, procurando intervir e ao mesmo tempo fortalecendo políticas e ações educativas que valorize a participação, o respeito, a significação, a autocrítica e a correção fraterna, uma vez, que se reconhece que está sujeita a equívocos e erros. Com essa finalidade, a escola proporciona o Ensino Fundamental à criança de 10 a 15 anos, objetivando a formação e o desenvolvimento dos aspectos: intelectual, emocional, físico e social, assim como, competências e habilidades necessárias à vida em sociedade. Os princípios que norteiam a ação pedagógica baseiam-se na LDB 9394/96, nos Referenciais Curriculares Nacionais para a Educação Básica, no Regimento Interno das Escolas Municipais (Ver – Anexo), que apontam as regras e princípios destas instituições. Na ação pedagógica para a construção do conhecimento, primar-se-á a linha Construtivista interacionista, que considera o aluno, como aprendiz e sujeito da sua
  29. 29. aprendizagem, onde o professor é mediador que busca o conhecimento escolar, no auxílio, na construção de uma boa aprendizagem, pois é nesse conjunto de relações: professor – objeto do conhecimento, professor – aluno, aluno – objeto do conhecimento, aluno – professor, constroem-se vínculos positivos, que impulsionam a aprendizagem. Ainda no aspecto pedagógico, valorizar-se-á a prática interdisciplinar dos conteúdos e disciplinas a partir da Pedagogia de Projetos e de temas geradores. Obedecendo aos conteúdos e atividades da grade curricular. Na avaliação da aprendizagem serão considerados os aspectos quantitativos e qualitativos do aluno, observados através de critérios fornecidos pelo professor durante o processo de ensino, a fim de detectar os progressos e as dificuldades do educando, para fornecer dados para um replanejamento do professor. A administração escolar considerar-se-á como elemento determinante para o andamento da instituição e do processo educativo, a busca por parte da gestora, do equilíbrio constate entre escola e comunidade, através do diálogo, acordos, parcerias, convivência coletiva e harmoniosa.
  30. 30. 14. METAS E AÇÕES Nº Ordem Meta Ação 01 Dimensão administrativ a ·Manter em ordem toda escrituração da escola; ·Fazer registros e anotações da vida escolar dos alunos mantendo em ordem e atualizado os livros e fichários da escola; ·Cumprir o calendário escolar através da observância da jornada de trabalho de cada profissional e da carga horária anual; ·Adquirir um kit de material didático para professores e alunos utilizarem na execução dos projetos da escola; ·Adquirir uma câmara filmadora digital completa para registrar as atividades pedagógicas; ·Adquirir material de apoio pedagógico; ·Adquirir kit de material de premiação aos alunos de melhor desempenho; ·Realizar uma vez por bimestre uma reunião com toda a equipe escolar para discutir o andamento do PDE e outros projetos da escola; ·Preencher uma vez por bimestre um relatório para acompanhar as ações realizadas; ·Organizar mensalmente um mural para expor todas as ações desenvolvidas; ·Realizar 01 capacitação para todos os membros do conselho escolar e demais funcionários; ·Realizar uma capacitação de relacionamento interpessoal para os funcionários da escola; ·Elaborar um relatório gerencial para avaliar as melhorias implantadas; ·Realizar um mutirão de limpeza da escola;
  31. 31. Nº Ordem Meta Ação 02 Dimensão pedagógica ·Elaborara o Currículo Escolar com base nos princípios norteados pela LDB 9394/96 referenciais Curriculares Nacionais para a Educação Básica (Ensino Fundamental) considerando prática interdisciplinar e contextualizada dos conteúdos; ·Promover a semana pedagógica; ·Planejar atividades pedagógicas a cada 30 (trinta) dias; ·Refletir as atividades desenvolvidas no ato do planejamento ou conforme necessidades imediatas; ·Reunir pais e mestres a cada bimestre do ano letivo; ·Viabilizar a participação de todos os segmentos na construção do Projeto Político Pedagógico; ·Gerir os trabalhos educativos de forma que todos os segmentos desenvolvam suas atividades com autonomia e respeito as várias formas de pensamento; ·Elaborar um projeto de leitura para os alunos do 6º ao 9º ano, visando incentivar o interesse pela leitura; ·Elaborar um projeto de coleta seletiva do lixo produzido na escola, para alunos do 6º ao 9º ano, visando a sensibilização dos mesmos para a preservação do espaço escolar e da comunidade na qual a escola está inserida; ·Realizar uma oficina de reciclagem com alunos do 6º ao 9º ano, com o objetivo dos mesmos serem futuros multiplicadores junto aos seus familiares e na sua comunidade; ·Realizar visita aos alunos faltosos; (Graça Lima e Valdimar); ·Realizar um levantamento das dificuldades dos professores e dos alunos. (Graça Lima e Valdimar); ·Realizar Feira de Ciências do 6º ao 9º ano, buscando despertar as potencialidades dos educandos; ·Realizar bimestralmente uma oficina de leitura e dramatização de textos infantis e infanto juvenil, com o objetivo de despertar o gosto pela leitura, produção textual de forma lúdica; ·Realizar concurso de redação para desenvolver
  32. 32. a escrita e a oralidade dos alunos; ·Realizar uma feira cultural, visando o resgate da cultura brasileira e da cultura do nosso Estado e do nosso Município; ·Elaborar um projeto de tabuada do 6º ao 9º ano, com o objetivo de despertar no aluno a importância de conhecer as quatro operações, no processo ensino aprendizagem; ·Elaborar um projeto Esporte na Escola, com várias modalidades, proporcionando uma melhor qualidade de vida a nossa clientela; ·Promover a cada bimestre palestra com temas diversificados, como: Gravidez na Adolescência, Drogas, Lixo: distribuição espacial e o resultante impacto ambiental no planeta e outros temas; ·Elaborar um projeto Teatro na Escola, com o objetivo de desenvolver em nosso alunado o interesse pelo ato de representar e ao mesmo tempo tornando as aulas mais prazerosas para nossa clientela; ·Realizar no mês de junho e novembro, simulado do 6º ao 9º ano, com premiação até o 3º lugar para avaliar o desempenho de nossos alunos; ·Desenvolver atividades com jogos pedagógicos de Português e Matemática para despertar no aluno o interesse por estas disciplinas; (Gestora) ·Elaborar um projeto de leitura no qual sejam contemplados vários tipos de literatura, como: Literatura Infantil, Literatura Infanto Juvenil, Literatura de Cordel, fomentando em nosso alunado o prazer pelo ato de ler; ·Promover rodas de leitura, colocando a disposição dos alunos livros paradidáticos com temas diversificados Nº Ordem Meta Ação 03 Dimensão Cultural ·Desenvolver as atividades que estão inseridas no calendário escolar, observando as expressões culturais de um povo assim como outros que surgirá a partir de temas geradores que favorecem o desenvolvimento das habilidades básicas para a vida em sociedade;
  33. 33. Nº Ordem Meta Ação 04 Dimensão financeiras ·Gerenciar os recursos financeiros que são repassados diretamente do governo federal, através do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação pelo Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), para manutenção dos recursos didáticos, pedagógicos e utensílios em geral. 15. AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DA EXECUÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO O Projeto Político Pedagógico será avaliado, durante as reuniões mensais quando acontece o planejamento das atividades educativas e nas reuniões bimestrais com a participação dos professores, pais de alunos com demais segmentos, com a finalidade de verificar a adequação dos mesmos a nossa realidade, visando possíveis reformulações nos anos seguintes conforme as metas e ações já citadas, e a programação da Secretaria Municipal de Educação. 15.1 Da aprendizagem do aluno A aprendizagem do aluno será acompanhada através de um sistema de avaliação contínua, utilizando como critério de referência os conteúdos conceituais, procedimentos atitudinais, onde serão usados como instrumentos: a prova bimestral, seminários temáticos, pesquisas, trabalhos individuais, e coletivos, por serem elementos fundamentais e essenciais para o desenvolvimento das habilidades necessárias ao prosseguimento nos estudos e ao exercício de cidadania. Além do exposto, o professor fará a avaliação do desempenho do aluno através de uma ficha de acompanhamento diário, considerando os aspectos quantitativos e qualitativos do educando.
  34. 34. CONSIDERAÇÕES FINAIS Educar, segundo os princípios estabelecidos pela LDB, é formar indivíduos que não estão situados em compartimentos estanques, em capacidades isoladas. A escola converte-se num espaço de experiências e de vida, um local de estabelecimento de vínculo e relações que definem as próprias concepções de valores e de sociedade. Os propósitos estabelecidos nos objetivos da educação são de fundamental importância e de grande utilidade para refletir e definir o processo educacional ao longo de uma série, de uma etapa, ou de um ciclo. Desse modo, os fundamentos estabelecidos nesse documento serão indicadores do sumo para intervenção pedagógica praticada na Escola Municipal Ney Braga. Com eles busca-se responder as exigências da sociedade, que se caracteriza pelo dinamismo de suas transformações em todos os níveis: o social, o político, o tecnológico e o ético. Acreditamos que ele possa contribuir e criar melhores condições para ajudar a transformação de um cidadão consciente, crítico e feliz, esta é a grande tarefa educativa que perseguimos. Os princípios estão postos, espera-se uma ação educativa com a participação de todos que fazem parte deste ambiente educacional. REFERÊNCIAS ALBUQUERQUE. Severino Vilar de. Organização do trabalho pedagógico. São Luis: UEMA, 2006. BRASIL.Ministério da Educação. LDB – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394/96. Uema. São Luis: GECTEC, 2006. _______. Ministério da Educação. PCN’s – Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC, 2003. NAHUZ, Cecília dos Santos. Normalização de trabalhos acadêmicos. São Luis: UFMA, 2005.
  35. 35. VASCONCELLOS. Celso dos S. Coordenação do Trabalho Pedagógico: do projeto político-pedagógico ao cotidiano da sala de aula, 7ª ed. São Paulo, Libertad Editora, 2006.
  36. 36. ANEXOS
  37. 37. ESCOLA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO BÁSICA NEY BRAGA Estrutura Curricular do Ensino Fundamental – 1ª a 8ª Série Componentes Curriculares 1ª série 2ª série 3ª série 4ª série 5ª série 6ª série 7ª série 8ª série Total chs cha chs cha chs cha chs cha chs cha chs cha chs cha chs cha Nacional Comum Língua Portuguesa Matemática Ciências História Geografia Artes Ensino Religioso Filosofia Educação Física Inglês Total de Aulas Semanais e anuais Dias letivos anuais – 200 Horas de atividades diárias – 4:30 h Dias letivos semanais – 05 Duração de aula – 50 min. Semanas anuais – 40
  38. 38. REGIMENTO INTERNO

×