Carl Jung

26.005 visualizações

Publicada em

Teoria analítica de Carl Jung - Breve histórico e Teoria da Personalidade elaborada

2 comentários
66 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
26.005
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
468
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
2
Gostaram
66
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Carl Jung

  1. 1. Carl Gustav Jung 26 julho 1875 – 06 junho 1961
  2. 2. A Vida de Jung (1875 -1961)• Carl Gustav Jung nasceu em Kesswyl, Suíça em 26/06/1875.• Filho de um pastor da Igreja Reformada da Suíça e de uma dona de casa desequilibrada, teve uma infância difícil e infeliz.• Desde de cedo Jung se voltou para seu inconsciente, para o mundo dos sonhos, das visões e das fantasias, no qual se sentia mais seguro.• Ingressou na Universidade da Basiléia e se formou em medicina. Se especializou em psiquiatria pois via nessa área uma chance de trabalhar com seu interesse pelos sonhos, pelo sobrenatural e pelo oculto.• Depois de obter seu diploma tornou-se assistente no Burghölzli Mental Hospital e na Clínica Psiquiátrica de Zurique. Onde foi assistente e depois colaborador de Eugen Bleuler, o psiquiatra eminente que desenvolveu o termo esquizofrenia.
  3. 3. A Vida de Jung (1875 – 1961)• Em 1903 se casou com Emma Rauschenbach, a segunda herdeira mais rica de toda Suíça. Tiveram 5 filhos que foram criados de modo frio e formal.• Por vários anos se dedicou a sua clínica particular e a lecionar uma cadeira de psicologia médica na Universidade de Zurique.• Carl Jung é conhecido como um dos maiores pensadores da atualidade. Na nona década de sua vida Jung continuou trabalhando e escrevendo sua volumosa obra.• Depois de Freud, Jung pode ser considerado o psicólogo moderno mais influente.
  4. 4. Encontro com Freud• Em 1904 Jung monta um laboratório experimental, implementa o seu teste de associação de palavras para o diagnóstico psiquiátrico. Neste ínterim, Jung entra em contato com as obras de Freud Envia- lhe copias de seus trabalhos sobre a existência do inconsciente. Ambos desenvolviam trabalhos inéditos em medicina e psiquiatria. Freud e Jung passaram a se corresponder no total de 359 cartas. O primeiro encontro entre eles ocorre em 27 de fevereiro de 1907 e durou treze horas ininterruptas. Depois deste encontro estabeleceram uma amizade, durante a qual trocavam informações sobre sonhos, análises, confidências além de discutir casos clínicos.• Sigmund Freud designou Carl Jung como seu herdeiro espiritual, mas este desenvolveu uma teoria da personalidade que diferia drasticamente da psicanálise ortodoxa, criando uma nova e elaborada explicação da natureza humana diferente de qualquer outra.
  5. 5. Diferenças com Freud• Jung não aceita que as causas dos conflitos psíquicos sempre envolveriam algum trauma de natureza sexual, e Freud não admitia o interesse de Jung pelos fenômenos espirituais como fontes válidas de estudo em si.• Para Jung a libido é mais que uma energia sexual e ele fala em 3 princípios que se referem a distribuição dessa energia: oposição; equivalência e entropia.• Jung fala do passado, mas ressalta a importância do futuro. Salienta a fase da meia idade como um momento importante para o desenvolvimento da personalidade (Psique).• Ele se assemelha a Freud por falar em sistemas da personalidade (Freud falava em estruturas) e nisso difere de Adler e Horney, que não falavam em sistemas nem estruturas.
  6. 6. A Libido e os princípios de sua energia• Para Jung a libido é mais que uma energia sexual e segundo sua teoria, são 3 princípios que se referem a distribuição dessa energia:• Princípio da Oposição: o conflito entre tendências ou processos opostos é necessário para a geração de energia psíquica.• Princípio da Equivalência: é a redistribuição contínua de energia psíquica gerada, sempre de um ponto para outro da personalidade.• Princípio da Entropia: refere-se a tendência de buscarmos o equilíbrio entre as diferenças de energia. É uma espécie de busca pelo equilíbrio homeostático.
  7. 7. Três Sistemas da Personalidade •EGO •Inconsciente Pessoal •Inconsciente Coletivo
  8. 8. EGO (centro da consciência)• Aproxima-se de Freud por ser consciente, mas se distancia por não ter parcela inconsciente.• O Ego é o centro da consciência. A parte da psique preocupada com a percepção, o raciocínio, sensações e lembranças. Grande parte da nossa percepção consciente e da reação ao ambiente é determinada pelas atitudes opostas de:- Extroversão - orientação para o mundo exterior e outras pessoas.- Introversão - orientação para as ideias e sensações da própria pessoa.
  9. 9. Funções psicológicas• Jung postulou quatro funções da psique: sensação, intuição, pensamento e sentimento.• As funções de sensação e intuição foram agrupadas como não racionais pois não utilizam os processos da razão, elas apenas constatam experiências mas não as avaliam.• A segunda dupla de funções opostas, pensamento e sentimento, são funções racionais que envolvem julgar e avaliar nossas experiências.• Da mesma forma que temos só uma atitude dominante, apenas uma função predomina.• Com base nas interações das 2 atitudes e das 4 funções, Jung propôs 8 tipos psicológicos(nisso Jung se aproxima de Adler – que falou em 4 tipos; e de Horney – que falou em 3 tipos)
  10. 10. Tipos psicológicosPensamento Extrovertido Lógico,objetivo,dogmático.Sentimento Extrovertido Emotivo, sensível, sociável; mais típico das mulheres do que dos homens.Sensação Extrovertida Extrovertido,busca o prazer, adaptável.Intuição Extrovertida Criativo, capaz de motivar outros e aproveitar oportunidades.Pensamento Introvertido Mais interessado em ideias do que nas pessoas.Sentimento Introvertido Reservado, não demonstra, mas é capaz de emoções profundas.Sensação Introvertida Sem interesse pelo exterior, expressa- se em buscas estéticas.Intuição Introvertida Mais preocupado com o inconsciente do que com a realidade cotidiana.
  11. 11. Inconsciente Pessoal• É um reservatório de material que já foi consciente, mas que foi esquecido porque era insignificante ou perturbador. Semelhante ao pré-consciente de Freud, é acessível à consciência, e há muitas permutas entre o inconsciente pessoal e o ego.• Fazem parte deste inconsciente os Complexos, que podem ser conscientes ou inconscientes. Um complexo é um centro ou padrão de emoções, lembranças, percepções e desejos , que é organizado em torno de um tema comum.
  12. 12. Inconsciente Coletivo• É o nível mais profundo e menos acessível da psique, que contém o acúmulo de experiências herdadas de espécies humanas e pré-humanas.• Determinadas experiências básicas caracterizaram todas as gerações na história da humanidade. Tais como a figura materna,nascimentos, mortes, medo do escuro e idolatrar algum tipo de figura divina. A universalidade dessas experiências em inúmeras gerações deixa uma marca em cada um de nós e determina a maneira como percebemos e reagimos ao nosso mundo.• Essa noção de inconsciente coletivo é o aspecto mais singular e polêmico do sistema de Jung.
  13. 13. Os cinco principais Arquétipos• As experiências antigas contidas no inconsciente coletivo manifestam-se por temas ou padrões recorrentes que Jung chamou de arquétipos. Os cinco principais são:• Persona: é a face pública ou papel que a pessoa apresenta para os outros.• Anima: aspectos da psique feminina no homem.• Animus: aspectos da psique masculina na mulher.• Sombra: lado obscuro da personalidade que contém instintos animais primitivos. Não deve ser totalmente reprimida pois é fonte da vitalidade, emoção e criatividade. Sem ela a vida é sombria.• Self: representa a unidade, integração e harmonia da personalidade total, envolvendo equilíbrio de todas as partes da personalidade. Nesse arquétipo os processos consciente e inconsciente são assimilados.
  14. 14. Desenvolvimento da Personalidade• Jung propôs que a personalidade é determinada pelo que esperamos ser e pelo que fomos. Ele critica Freud pois enfatiza a importância do futuro. As etapas do desenvolvimento segundo sua teoria são:• Infância: o desenvolvimento do ego começa quando a criança consegue diferenciar-se dos outros.• Puberdade à Idade Adulta: os adolescentes tem de se adaptar às demandas cada vez maiores da realidade. O foco é externo, predomina a busca pela educação, carreira e família. O consciente predomina.• Meia idade: é um período de transição e de mudanças na personalidade. É quando começamos o processo de realização ou atualização do Self. O foco da personalidade muda de externo para interno, numa tentativa de equilibrar o inconsciente e o consciente.
  15. 15. O Self e a Individuação• É na meia idade que surge o processo de individuação e exploramos nossa capacidade e desenvolvemos o nosso Self.• Durante esta fase acontece o destronamento da persona, o confronto com a sombra, o equilíbrio entre anima e animus e por fim desenvolvimento do self.• Quando a realização total do self está completa há uma profunda integração de todas as facetas conscientes e inconscientes da personalidade.• Caso o nosso Ego não esteja forte, entramos em crise quanto ao que cada arquétipo representa.
  16. 16. Fim

×