SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 44
Baixar para ler offline
RADIOATIVIDADE




      Professora: Naiane Machado Mariano
CONCEITO DE RADIOATIVIDADE:

   É a propriedade que possuem certos elementos
    de se desintegrarem emitindo partículas e
    radiações devido a uma instabilidade no núcleo
    do átomo.
   A radioatividade ocorre porque as forças de
    ligações do núcleo são insuficientes para manter
    suas partículas perfeitamente ligadas.

Exemplo: urânio–235, o césio–137, o cobalto–60, o
  tório–232
Como foi descoberta?
   1895- Rontgen descobriu os raios X.

   1896 – Bequerel foi encarregado de verificar a
    descoberta por Rontgen e acabou descobrindo a
    radioatividade pela observação da fluorescência
    de alguns minerais.

   1898- Marie Curie descobriu o polônio e o rádio
    devida sua intensa atividade.

   1889, Rutherford identificou a natureza de dois
    tipos distintos de radiação: alfa e beta. E
    Villard , a radiação gama.
RADIOATIVIDADE
  O homem sempre
 conviveu com a radioatividade.


    Na superfície terrestre pode ser detectada
     energia proveniente de raios cósmicos e da
     radiação solar ultravioleta.

    Nas rochas, encontramos elementos radioativos,
     como o urânio-238, urânio-235, tório-232,
     rádio-226 e rádio-228.
Vai uma banana ai?
Até mesmo em vegetais pode ser detectada a
radioatividade:




•As bananas, por exemplo, contêm potássio-40.
• As plantas, o carbono-14.
•No nosso sangue e ossos encontram-se
potássio-40, carbono-14 e rádio-226.
OUTROS CONCEITOS

  A reação nuclear é denominada decomposição
radioativa ou decaimento.




     As entidades emitidas pelo núcleo são
         denominadas de radiações.
Radioisótopo( isótopo radioativo)

   Caracteriza-se por apresentar um núcleo atômico
    instável que emite energia quando se transforma num
    isótopo mais estável.

   Os isótopos radioativos tem aplicações em medicina e,
    em outras áreas, como na         datação radiométrica.

Por exemplo, o isótopo radioativo tálio pode identificar
vasos sanguíneos bloqueados em pacientes sem provocar
algum tipo de dano.

   O carbono-14 pode ser utilizado na datação de fósseis.
Os elementos radioativos naturais emitem três tipos de
                      radiações:
                       α, βe γ .
Tipos de Radiações:
   1-Emissões alfa (2α4) : partículas com carga
    elétrica positiva, constituídas de 2 prótons e 2
    nêutrons.
   Velocidade média : 20000 km/s .
   Poder de penetração : pequeno, são detidas por
    pele, folha de papel ou 7 cm de ar.
   Poder ionizante ao ar : elevado, por onde
    passam capturam elétrons, transformando-se
    em átomos de Hélio.
Partícula alfa
É constituída por 2 prótons e 2 nêutrons (núcleo de
hélio).
Quando um núcleo emite uma partícula alfa, seu
número atômico fica reduzido de duas unidades, e
seu número de massa, de quatro unidades.
O urânio-238 é um emissor alfa. Com a emissão de
uma partícula alfa, o urânio-238 transforma-se no
elemento tório-234.
Normalmente provocam ionização no meio com o
qual interagem e apresentam baixo poder de
penetração – uma folha de papel pode blindar.
1ª Lei da Radioatividade (lei de Soddy) : "Quando um
núcleo emite uma partícula alfa (α) , seu número atômico
diminui de suas unidades e seu número de massa diminui
de quatro unidades."



    Z X A = 2 α4 + Z - 2 Y A -4


    Ex: 92 U 235 = 2 α4 + 90 Th 231
2-Emissões beta ( -1 β 0 ) : partículas com carga
    elétrica negativa e massa desprezível (elétrons
           atirados para fora do núcleo) .

   nêutron = próton + elétron + neutrino
   Os prótons permanecem no núcleo e os
    elétrons e neutrinos são atirados fora
    dele.
   Ou: 0 n 1 = 1 p 1 + -1 b 0 + neutrino

            Hipótese de Fermi
Velocidade média: 95% da velocidade da luz.
    Poder de penetração : 50 a 100 vezes mais
penetrantes que as partículas alfa. São detidas por
 1 cm de alumínio (Al) ou 2 mm de chumbo (Pb).
     Danos os organismos : maiores do que as
emissões alfa, podem penetrar até 2 cm do corpo
          humano e causar danos sérios
   2ª Lei da Radioatividade (lei de Soddy-Fajans-Russel) :
    "Quando um núcleo emite uma partícula beta (b) , seu número
    atômico aumenta de uma unidade e seu número de massa não se
    altera."
                 Z   X A = -1β 0 + Z + 1 Y          A




               Ex:   83   Bi210 =   -1   β0+   84   Po   210
3-Emissões gama(0γ0) : são ondas eletromagnéticas,
 da mesma natureza da luz, semelhantes ao raio X. Sem
             carga elétrica nem massa.

   Velocidade: igual à da luz= 300 000 km/s.

 Poder de penetração: alto, são mais penetrantes
que raios X. são detidas por 5 cm de chumbo (Pb)
                         .
Danos à saúde: máximo, pois podem atravessar o
   corpo humano, causando danos irreparáveis.
RADIAÇÃO GAMA: a radiação gama é formada por ondas
 eletromagnéticas emitidas por núcleos instáveis logo em
 seguida à emissão de uma partícula alfa ou beta.




Ex:


                          4        0
      92   U   238
                      2α + β +
                      3       2
                              -1         88   Ra226
Emissões radioativas
                                                Grau de       Poder ionizante
  Tipo     Característica      Velocidade
                                               penetração        relativo
                                             Não penetrante
  2   α
      4   Semelhante ao
           núcleo do He
                               10% de c        mas causa          10.000
                                                 danos


  -1 β0       Elétron
                             Menor que 90%
                                  de c
                                             Moderadamente
                                               penetrante
                                                                   100

                                                 Muito
                                              penetrante,
  0γ0     Onda eletromag-
           nética (fóton)
                             300.000 km/s     geralmente            1
                                              acompanha
                                             outra radiação


 +1 β0     Pósitron (anti-
              elétron)
                             Menor que 90%
                                  de c
                                             Moderadamente
                                               penetrante
                                                                   100

                                              Moderado a
  1 p1         Próton          10% de c
                                                baixo
                                                                   100


  0 n1        Nêutron
                             Menor que 10%
                                  de c
                                                 Muito
                                               penetrante
                                                                    1
EMISSÃO DE PÓSITRON: O pósitron (+1β0) possui a
mesma massa do elétrons, mas carga positiva. Esta
emissão pode ser considerada como sendo a carga
positiva liberada quando um próton é convertido em
um nêutron (inverso da emissão beta). O número
atômico decresce uma unidade e o número de massa
permanece constante. A mudança nuclear é a mesma
da captura eletrônica.

22 Ti44    21 Sc44 +   +1 β0
EMISSÃO DE PRÓTRON E DE NÊUTRON: Esses dois
processos são menos comuns e tendem a ocorrer
somente em casos especiais. A perda de um próton
decresce uma unidade em ambos, massa e número
atômico. A perda de um nêutron decresce somente o
número de massa de uma unidade.

30 Zn57    29 Cu56 + 1p1

34 Se91    34Se90 + 0n1
Poder de Penetração
Efeitos da Radiação Nuclear
TEMPO DE MEIA-VIDA (t½) ou PERÍODO DE
    SEMIDESINTEGRAÇÃO (P)


É o tempo necessário para que metade da quantidade de um
radionuclídeo presente em uma amostra radioativa sofra
decaimento radioativo.
TEMPO DE MEIA-VIDA (t½) ou PERÍODO DE
SEMIDESINTEGRAÇÃO (P)




                 minicial
              m=     n
                  2
Radioisótopo   Tempo de meia-vida
220
      86  Rn   55,6 segundos
218
      84  Po   3,08 minutos
95
  43  Tc       20,0 horas
234
      90  Th   24,1 dias
90
  38  Sr       29,1 anos
14
  6   C        5.715 anos
10
  4   Be       1,52 milhão de anos
238
      92  U    4,46 bilhões de anos
CINÉTICA DAS EMISSÕES RADIOATIVAS

Vida média (1/k):
A velocidade de desintegração ou atividade radioativa
não depende de fatores externos como pressão e
temperatura, nem da substância sob a qual se
apresenta o elemento radioativo. Só depende do
número de átomos N do elemento radioativo
presentes na amostra.


             t 1 2 ≅ 0,7Vida Média
TRANSMUTAÇÃO NUCLEAR
   FISSÃO NUCLEAR:é a divisão de um núcleo atômico
    pesado e instável através do seu bombardeamento com
    nêutrons - obtendo dois núcleos menores, nêutrons e a
    liberação de uma quantidade enorme de energia.

    U235 + 0n1
    92                Ba142 + 36Kr91 + 3 0n1 + 4,6 . 109kcal
                     56



   Os nêutrons liberados na reação, irão provocar a fissão de
    novos núcleos, liberando outros nêutrons, ocorrendo então
    uma reação em cadeia:
    Essa reação é responsável pelo funcionamento de reatores
    nucleares e pela desintegração da bomba atômica.
CURVA DE DECAIMENTO
    RADIOATIVO
FISSÃO NUCLEAR
FISSÃO NUCLEAR




 n + 235U → 141Ba + 92Kr + 3(4) n + ~200 MeV
ENERGIA LIBERADA



A fissão completa de 1kg de 235U libera
aproximadamente 8 x 1013 joules,
suficiente para ferver 270 milhões de
litros de água.
Fusão Nuclear:
   É a junção de dois ou mais núcleos atômicos produzindo
    um único núcleo maior, com liberação de grande
    quantidade de energia. Nas estrelas como o Sol, ocorre
    a contínua irradiação de energia (luz, calor, ultravioleta,
    etc.)proveniente da reação de fusão nuclear:

       4 1H1 = 2He4 + outras partículas + energia

       (Condições de temperatura e pressão: 106 ºC , 104 atm)
O Sol é um grande reator de fusão nuclear
FUSÃO NUCLEAR
FUSÃO NUCLEAR
ENERGIA LIBERADA

A fusão completa de 1 kg de deutério na reação

H + 2H → 3H + n
2



libera aproximadamente 1014 joules.
SÉRIES RADIOATIVAS
   Série do tório (4n): Inicia no tório (90Th232) e termina
    no chumbo (82Pb208). O resto da divisão por 4 da
    massa dos elementos dessa série é sempre zero.

   Série do urânio (4n+2): Inicia no urânio (92U238) e
    termina no chumbo (82Pb206).
    O resto da divisão por 4 da massa dos elementos
    dessa série é sempre 2.

   Série do actínio (4n+3): Inicia no urânio (92Th235) e
    termina no chumbo (82Pb207).
    O resto da divisão por 4 da massa dos elementos
    dessa série é sempre 3.
HIROSHIMA – 06/AGO/1945
NAGASAKI – 10/AGO/1945
Aplicações da Radioatividade
   Hoje ela é usada em diversos campos da
    atividade humana(medicina,
    Arqueologia,agricultura, indústria).
   O rádio que é um elemento resultante do
    decaimento do urânio; é utilizado na radioterapia.
   Rádio: elemento utilizado para tratamentos de
    câncer, mas a longa exposição a tal elemento
    radioativo pode ser fatal.
   Através da análise da meia vida de tais elementos
    radioativos, pode-se prever a idade da Terra.
-Efeitos biológicos : as radiações podem ser utilizadas
     com fins benéficos, no tratamento de algumas espécies de
      câncer, em dosagens apropriadas. Mas em quantidades
      elevadas, são nocivas aos tecidos vivos, causam grande
      perda das defesas naturais, queimaduras e hemorragias.
     Também afetam o DNA, provocando mutações genéticas

   RADIOTERAPIA :
Usos das reações nucleares:
   -Produção de energia elétrica: os reatores nucleares
    produzem energia elétrica. Baterias nucleares são
    também utilizadas para propulsão de navios e
    submarinos
Bibliografia e referências
               bibliográficas
   ATINKS, Peter; LORETTA, Jones. Princípios de
    Química: Questionando a vida moderna e o meio
    ambiente. Porto Alegre, Bookman, 2001.
   OKUNO, Emico. Radiação: efeitos, riscos e benefícios.
    São Paulo, Harbra,1988.
   http://www.if.ufrgs.br/cref/radio
   TIPLER, P. Física Moderna. Editora Ltc , terceira edição.
   Apresentação pesquisada na Internet elaborada por
    Ana Budião e adaptada.
   http://www.profpc.com.br/radioatividade.htm(recomenda
    do)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)
Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)
Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)
 
FÍSICA DAS RADIAÇÕES
FÍSICA DAS RADIAÇÕESFÍSICA DAS RADIAÇÕES
FÍSICA DAS RADIAÇÕES
 
9º aula
9º aula9º aula
9º aula
 
Aula 1 introdução à química orgânica.
Aula 1    introdução à química orgânica.Aula 1    introdução à química orgânica.
Aula 1 introdução à química orgânica.
 
QUIMICA GERAL Aula 01
QUIMICA GERAL Aula 01QUIMICA GERAL Aula 01
QUIMICA GERAL Aula 01
 
Ecologia 3º ano
Ecologia 3º anoEcologia 3º ano
Ecologia 3º ano
 
Reações Químicas
Reações QuímicasReações Químicas
Reações Químicas
 
Cadeias carbônicas
Cadeias carbônicasCadeias carbônicas
Cadeias carbônicas
 
Níveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivosNíveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivos
 
Funções Inorgânicas
Funções InorgânicasFunções Inorgânicas
Funções Inorgânicas
 
Aula elementos químicos
Aula elementos químicosAula elementos químicos
Aula elementos químicos
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Eletroquimica
EletroquimicaEletroquimica
Eletroquimica
 
Aula sobre matéria
Aula sobre matériaAula sobre matéria
Aula sobre matéria
 
1. introdução a química
1. introdução a química1. introdução a química
1. introdução a química
 
Slides de radiação
Slides de radiaçãoSlides de radiação
Slides de radiação
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
8. tabela periódica
8. tabela periódica8. tabela periódica
8. tabela periódica
 
Tabela Periódica - 9º ano
Tabela Periódica - 9º anoTabela Periódica - 9º ano
Tabela Periódica - 9º ano
 

Destaque

Decaimento Radioativo
Decaimento RadioativoDecaimento Radioativo
Decaimento Radioativoansansil
 
Radiações- tipos de radiação e suas aplicações
Radiações- tipos de radiação e suas aplicaçõesRadiações- tipos de radiação e suas aplicações
Radiações- tipos de radiação e suas aplicaçõesMarco Casquinha
 
Quimica radioatividade
Quimica radioatividadeQuimica radioatividade
Quimica radioatividademnmaill
 
Radiação: conceito, histórico, aplicações e prevenção.
Radiação: conceito, histórico, aplicações e prevenção.Radiação: conceito, histórico, aplicações e prevenção.
Radiação: conceito, histórico, aplicações e prevenção.Lucas Senna
 

Destaque (8)

Decaimento Radioativo
Decaimento RadioativoDecaimento Radioativo
Decaimento Radioativo
 
Radiações- tipos de radiação e suas aplicações
Radiações- tipos de radiação e suas aplicaçõesRadiações- tipos de radiação e suas aplicações
Radiações- tipos de radiação e suas aplicações
 
Radioatividade - profª Nília
Radioatividade - profª NíliaRadioatividade - profª Nília
Radioatividade - profª Nília
 
Quimica radioatividade
Quimica radioatividadeQuimica radioatividade
Quimica radioatividade
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Trabalho radiacao
Trabalho radiacaoTrabalho radiacao
Trabalho radiacao
 
Radiação: conceito, histórico, aplicações e prevenção.
Radiação: conceito, histórico, aplicações e prevenção.Radiação: conceito, histórico, aplicações e prevenção.
Radiação: conceito, histórico, aplicações e prevenção.
 
RadiaçõEs
RadiaçõEsRadiaçõEs
RadiaçõEs
 

Semelhante a Aula radioatividade

energia nuclear.pptx
energia nuclear.pptxenergia nuclear.pptx
energia nuclear.pptxLeoBean
 
Apresentação2.pptx FISICA DAS RADIAÇÕES 222
Apresentação2.pptx FISICA DAS RADIAÇÕES 222Apresentação2.pptx FISICA DAS RADIAÇÕES 222
Apresentação2.pptx FISICA DAS RADIAÇÕES 222marioaraujorosas1
 
Quimica 002 radioatividade
Quimica  002 radioatividadeQuimica  002 radioatividade
Quimica 002 radioatividadecon_seguir
 
Radiação ionizante e não ionizante
Radiação ionizante e não ionizanteRadiação ionizante e não ionizante
Radiação ionizante e não ionizanteRobson Peixoto
 
Aula biofísica da Radioatividade
Aula biofísica da RadioatividadeAula biofísica da Radioatividade
Aula biofísica da RadioatividadeLar D
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividadeandrei83
 
Seminário Radionucídeos
Seminário RadionucídeosSeminário Radionucídeos
Seminário RadionucídeosIvan Ribeiro
 
200906041006030-Interacao da radiacao com a materia.ppt
200906041006030-Interacao da radiacao com a materia.ppt200906041006030-Interacao da radiacao com a materia.ppt
200906041006030-Interacao da radiacao com a materia.pptghenibravo101
 
AULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕES
AULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕESAULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕES
AULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕESMagno Cavalheiro
 
atenuação.pdf ,LW,LWÇ,,WLÇQDLDE,DQLED,LEDELD
atenuação.pdf ,LW,LWÇ,,WLÇQDLDE,DQLED,LEDELDatenuação.pdf ,LW,LWÇ,,WLÇQDLDE,DQLED,LEDELD
atenuação.pdf ,LW,LWÇ,,WLÇQDLDE,DQLED,LEDELDBrendoDutraDutra
 
Energia Nuclear
Energia NuclearEnergia Nuclear
Energia Nuclearpalhoto
 

Semelhante a Aula radioatividade (20)

Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
energia nuclear.pptx
energia nuclear.pptxenergia nuclear.pptx
energia nuclear.pptx
 
Radioatividade Teoria
Radioatividade   TeoriaRadioatividade   Teoria
Radioatividade Teoria
 
RADIOATIVIDADE - TEORIA
RADIOATIVIDADE - TEORIARADIOATIVIDADE - TEORIA
RADIOATIVIDADE - TEORIA
 
Apresentação2.pptx FISICA DAS RADIAÇÕES 222
Apresentação2.pptx FISICA DAS RADIAÇÕES 222Apresentação2.pptx FISICA DAS RADIAÇÕES 222
Apresentação2.pptx FISICA DAS RADIAÇÕES 222
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Quimica 002 radioatividade
Quimica  002 radioatividadeQuimica  002 radioatividade
Quimica 002 radioatividade
 
FÍSICA DAS RADIAÇÕES
FÍSICA DAS RADIAÇÕESFÍSICA DAS RADIAÇÕES
FÍSICA DAS RADIAÇÕES
 
Radiação ionizante e não ionizante
Radiação ionizante e não ionizanteRadiação ionizante e não ionizante
Radiação ionizante e não ionizante
 
Aula biofísica da Radioatividade
Aula biofísica da RadioatividadeAula biofísica da Radioatividade
Aula biofísica da Radioatividade
 
Lista de exercicios.docx
Lista de exercicios.docxLista de exercicios.docx
Lista de exercicios.docx
 
Aula interacao 1
Aula interacao 1Aula interacao 1
Aula interacao 1
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Seminário Radionucídeos
Seminário RadionucídeosSeminário Radionucídeos
Seminário Radionucídeos
 
200906041006030-Interacao da radiacao com a materia.ppt
200906041006030-Interacao da radiacao com a materia.ppt200906041006030-Interacao da radiacao com a materia.ppt
200906041006030-Interacao da radiacao com a materia.ppt
 
AULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕES
AULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕESAULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕES
AULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕES
 
atenuação.pdf ,LW,LWÇ,,WLÇQDLDE,DQLED,LEDELD
atenuação.pdf ,LW,LWÇ,,WLÇQDLDE,DQLED,LEDELDatenuação.pdf ,LW,LWÇ,,WLÇQDLDE,DQLED,LEDELD
atenuação.pdf ,LW,LWÇ,,WLÇQDLDE,DQLED,LEDELD
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Energia Nuclear
Energia NuclearEnergia Nuclear
Energia Nuclear
 
História e física
História e físicaHistória e física
História e física
 

Mais de Nai Mariano

Aula - Grandezas Químicas
Aula - Grandezas Químicas Aula - Grandezas Químicas
Aula - Grandezas Químicas Nai Mariano
 
Aula calculos quimicos positivo
Aula calculos quimicos positivoAula calculos quimicos positivo
Aula calculos quimicos positivoNai Mariano
 
Lista grandezas químicas e estequiometria
Lista grandezas químicas e estequiometriaLista grandezas químicas e estequiometria
Lista grandezas químicas e estequiometriaNai Mariano
 
Aula Funções Inorgânicas
Aula Funções InorgânicasAula Funções Inorgânicas
Aula Funções InorgânicasNai Mariano
 
Lista de exercícios estrutura atômica
Lista de exercícios estrutura atômicaLista de exercícios estrutura atômica
Lista de exercícios estrutura atômicaNai Mariano
 
Lista de materiais de química
Lista de materiais de químicaLista de materiais de química
Lista de materiais de químicaNai Mariano
 
Introdução - Química
Introdução - QuímicaIntrodução - Química
Introdução - QuímicaNai Mariano
 
Introducao quimica
Introducao quimicaIntroducao quimica
Introducao quimicaNai Mariano
 
Introducao quimica
Introducao quimicaIntroducao quimica
Introducao quimicaNai Mariano
 
Isomeria Cis-Trans e Óptica
Isomeria Cis-Trans e ÓpticaIsomeria Cis-Trans e Óptica
Isomeria Cis-Trans e ÓpticaNai Mariano
 
Aula de Esquiometria Prof Kamil
Aula de Esquiometria Prof KamilAula de Esquiometria Prof Kamil
Aula de Esquiometria Prof KamilNai Mariano
 
Aula sobre Grandezas Químicas!
Aula sobre Grandezas Químicas!Aula sobre Grandezas Químicas!
Aula sobre Grandezas Químicas!Nai Mariano
 
Reações inorgânicas
Reações inorgânicas Reações inorgânicas
Reações inorgânicas Nai Mariano
 
Aula funções inorgânicas e exercícios Positivo
Aula funções inorgânicas e exercícios PositivoAula funções inorgânicas e exercícios Positivo
Aula funções inorgânicas e exercícios PositivoNai Mariano
 
Aula funções inorgnicas e exercicios ibb
Aula funções inorgnicas e exercicios ibbAula funções inorgnicas e exercicios ibb
Aula funções inorgnicas e exercicios ibbNai Mariano
 
Forças intermoleculares
Forças intermolecularesForças intermoleculares
Forças intermolecularesNai Mariano
 
Ligações químicas
Ligações químicasLigações químicas
Ligações químicasNai Mariano
 

Mais de Nai Mariano (20)

Aula murialdo 2
Aula murialdo 2Aula murialdo 2
Aula murialdo 2
 
Aula - Grandezas Químicas
Aula - Grandezas Químicas Aula - Grandezas Químicas
Aula - Grandezas Químicas
 
Aula calculos quimicos positivo
Aula calculos quimicos positivoAula calculos quimicos positivo
Aula calculos quimicos positivo
 
Lista grandezas químicas e estequiometria
Lista grandezas químicas e estequiometriaLista grandezas químicas e estequiometria
Lista grandezas químicas e estequiometria
 
Aula Funções Inorgânicas
Aula Funções InorgânicasAula Funções Inorgânicas
Aula Funções Inorgânicas
 
Aula tabela[1]
Aula tabela[1]Aula tabela[1]
Aula tabela[1]
 
Lista de exercícios estrutura atômica
Lista de exercícios estrutura atômicaLista de exercícios estrutura atômica
Lista de exercícios estrutura atômica
 
Lista de materiais de química
Lista de materiais de químicaLista de materiais de química
Lista de materiais de química
 
Introdução - Química
Introdução - QuímicaIntrodução - Química
Introdução - Química
 
Introducao quimica
Introducao quimicaIntroducao quimica
Introducao quimica
 
Introducao quimica
Introducao quimicaIntroducao quimica
Introducao quimica
 
Isomeria Cis-Trans e Óptica
Isomeria Cis-Trans e ÓpticaIsomeria Cis-Trans e Óptica
Isomeria Cis-Trans e Óptica
 
Cinética
CinéticaCinética
Cinética
 
Aula de Esquiometria Prof Kamil
Aula de Esquiometria Prof KamilAula de Esquiometria Prof Kamil
Aula de Esquiometria Prof Kamil
 
Aula sobre Grandezas Químicas!
Aula sobre Grandezas Químicas!Aula sobre Grandezas Químicas!
Aula sobre Grandezas Químicas!
 
Reações inorgânicas
Reações inorgânicas Reações inorgânicas
Reações inorgânicas
 
Aula funções inorgânicas e exercícios Positivo
Aula funções inorgânicas e exercícios PositivoAula funções inorgânicas e exercícios Positivo
Aula funções inorgânicas e exercícios Positivo
 
Aula funções inorgnicas e exercicios ibb
Aula funções inorgnicas e exercicios ibbAula funções inorgnicas e exercicios ibb
Aula funções inorgnicas e exercicios ibb
 
Forças intermoleculares
Forças intermolecularesForças intermoleculares
Forças intermoleculares
 
Ligações químicas
Ligações químicasLigações químicas
Ligações químicas
 

Último

Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e Américawilson778875
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceRonisHolanda
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfceajajacu
 

Último (20)

Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e América
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
 

Aula radioatividade

  • 1. RADIOATIVIDADE Professora: Naiane Machado Mariano
  • 2. CONCEITO DE RADIOATIVIDADE:  É a propriedade que possuem certos elementos de se desintegrarem emitindo partículas e radiações devido a uma instabilidade no núcleo do átomo.  A radioatividade ocorre porque as forças de ligações do núcleo são insuficientes para manter suas partículas perfeitamente ligadas. Exemplo: urânio–235, o césio–137, o cobalto–60, o tório–232
  • 3. Como foi descoberta?  1895- Rontgen descobriu os raios X.  1896 – Bequerel foi encarregado de verificar a descoberta por Rontgen e acabou descobrindo a radioatividade pela observação da fluorescência de alguns minerais.  1898- Marie Curie descobriu o polônio e o rádio devida sua intensa atividade.  1889, Rutherford identificou a natureza de dois tipos distintos de radiação: alfa e beta. E Villard , a radiação gama.
  • 4. RADIOATIVIDADE  O homem sempre conviveu com a radioatividade.  Na superfície terrestre pode ser detectada energia proveniente de raios cósmicos e da radiação solar ultravioleta.  Nas rochas, encontramos elementos radioativos, como o urânio-238, urânio-235, tório-232, rádio-226 e rádio-228.
  • 5. Vai uma banana ai? Até mesmo em vegetais pode ser detectada a radioatividade: •As bananas, por exemplo, contêm potássio-40. • As plantas, o carbono-14. •No nosso sangue e ossos encontram-se potássio-40, carbono-14 e rádio-226.
  • 6. OUTROS CONCEITOS A reação nuclear é denominada decomposição radioativa ou decaimento. As entidades emitidas pelo núcleo são denominadas de radiações.
  • 7. Radioisótopo( isótopo radioativo)  Caracteriza-se por apresentar um núcleo atômico instável que emite energia quando se transforma num isótopo mais estável.  Os isótopos radioativos tem aplicações em medicina e, em outras áreas, como na datação radiométrica. Por exemplo, o isótopo radioativo tálio pode identificar vasos sanguíneos bloqueados em pacientes sem provocar algum tipo de dano.  O carbono-14 pode ser utilizado na datação de fósseis.
  • 8. Os elementos radioativos naturais emitem três tipos de radiações: α, βe γ .
  • 9.
  • 10. Tipos de Radiações:  1-Emissões alfa (2α4) : partículas com carga elétrica positiva, constituídas de 2 prótons e 2 nêutrons.  Velocidade média : 20000 km/s .  Poder de penetração : pequeno, são detidas por pele, folha de papel ou 7 cm de ar.  Poder ionizante ao ar : elevado, por onde passam capturam elétrons, transformando-se em átomos de Hélio.
  • 11. Partícula alfa É constituída por 2 prótons e 2 nêutrons (núcleo de hélio). Quando um núcleo emite uma partícula alfa, seu número atômico fica reduzido de duas unidades, e seu número de massa, de quatro unidades. O urânio-238 é um emissor alfa. Com a emissão de uma partícula alfa, o urânio-238 transforma-se no elemento tório-234. Normalmente provocam ionização no meio com o qual interagem e apresentam baixo poder de penetração – uma folha de papel pode blindar.
  • 12. 1ª Lei da Radioatividade (lei de Soddy) : "Quando um núcleo emite uma partícula alfa (α) , seu número atômico diminui de suas unidades e seu número de massa diminui de quatro unidades."  Z X A = 2 α4 + Z - 2 Y A -4  Ex: 92 U 235 = 2 α4 + 90 Th 231
  • 13. 2-Emissões beta ( -1 β 0 ) : partículas com carga elétrica negativa e massa desprezível (elétrons atirados para fora do núcleo) .  nêutron = próton + elétron + neutrino  Os prótons permanecem no núcleo e os elétrons e neutrinos são atirados fora dele.  Ou: 0 n 1 = 1 p 1 + -1 b 0 + neutrino Hipótese de Fermi
  • 14. Velocidade média: 95% da velocidade da luz. Poder de penetração : 50 a 100 vezes mais penetrantes que as partículas alfa. São detidas por 1 cm de alumínio (Al) ou 2 mm de chumbo (Pb). Danos os organismos : maiores do que as emissões alfa, podem penetrar até 2 cm do corpo humano e causar danos sérios  2ª Lei da Radioatividade (lei de Soddy-Fajans-Russel) : "Quando um núcleo emite uma partícula beta (b) , seu número atômico aumenta de uma unidade e seu número de massa não se altera." Z X A = -1β 0 + Z + 1 Y A Ex: 83 Bi210 = -1 β0+ 84 Po 210
  • 15. 3-Emissões gama(0γ0) : são ondas eletromagnéticas, da mesma natureza da luz, semelhantes ao raio X. Sem carga elétrica nem massa. Velocidade: igual à da luz= 300 000 km/s. Poder de penetração: alto, são mais penetrantes que raios X. são detidas por 5 cm de chumbo (Pb) . Danos à saúde: máximo, pois podem atravessar o corpo humano, causando danos irreparáveis.
  • 16. RADIAÇÃO GAMA: a radiação gama é formada por ondas eletromagnéticas emitidas por núcleos instáveis logo em seguida à emissão de uma partícula alfa ou beta. Ex: 4 0 92 U 238  2α + β + 3 2 -1 88 Ra226
  • 17. Emissões radioativas Grau de Poder ionizante Tipo Característica Velocidade penetração relativo Não penetrante 2 α 4 Semelhante ao núcleo do He 10% de c mas causa 10.000 danos -1 β0 Elétron Menor que 90% de c Moderadamente penetrante 100 Muito penetrante, 0γ0 Onda eletromag- nética (fóton) 300.000 km/s geralmente 1 acompanha outra radiação +1 β0 Pósitron (anti- elétron) Menor que 90% de c Moderadamente penetrante 100 Moderado a 1 p1 Próton 10% de c baixo 100 0 n1 Nêutron Menor que 10% de c Muito penetrante 1
  • 18. EMISSÃO DE PÓSITRON: O pósitron (+1β0) possui a mesma massa do elétrons, mas carga positiva. Esta emissão pode ser considerada como sendo a carga positiva liberada quando um próton é convertido em um nêutron (inverso da emissão beta). O número atômico decresce uma unidade e o número de massa permanece constante. A mudança nuclear é a mesma da captura eletrônica. 22 Ti44  21 Sc44 + +1 β0
  • 19. EMISSÃO DE PRÓTRON E DE NÊUTRON: Esses dois processos são menos comuns e tendem a ocorrer somente em casos especiais. A perda de um próton decresce uma unidade em ambos, massa e número atômico. A perda de um nêutron decresce somente o número de massa de uma unidade. 30 Zn57  29 Cu56 + 1p1 34 Se91  34Se90 + 0n1
  • 22. TEMPO DE MEIA-VIDA (t½) ou PERÍODO DE SEMIDESINTEGRAÇÃO (P) É o tempo necessário para que metade da quantidade de um radionuclídeo presente em uma amostra radioativa sofra decaimento radioativo.
  • 23. TEMPO DE MEIA-VIDA (t½) ou PERÍODO DE SEMIDESINTEGRAÇÃO (P) minicial m= n 2
  • 24. Radioisótopo Tempo de meia-vida 220 86 Rn 55,6 segundos 218 84 Po 3,08 minutos 95 43 Tc 20,0 horas 234 90 Th 24,1 dias 90 38 Sr 29,1 anos 14 6 C 5.715 anos 10 4 Be 1,52 milhão de anos 238 92 U 4,46 bilhões de anos
  • 25. CINÉTICA DAS EMISSÕES RADIOATIVAS Vida média (1/k): A velocidade de desintegração ou atividade radioativa não depende de fatores externos como pressão e temperatura, nem da substância sob a qual se apresenta o elemento radioativo. Só depende do número de átomos N do elemento radioativo presentes na amostra. t 1 2 ≅ 0,7Vida Média
  • 26. TRANSMUTAÇÃO NUCLEAR  FISSÃO NUCLEAR:é a divisão de um núcleo atômico pesado e instável através do seu bombardeamento com nêutrons - obtendo dois núcleos menores, nêutrons e a liberação de uma quantidade enorme de energia.  U235 + 0n1 92 Ba142 + 36Kr91 + 3 0n1 + 4,6 . 109kcal 56  Os nêutrons liberados na reação, irão provocar a fissão de novos núcleos, liberando outros nêutrons, ocorrendo então uma reação em cadeia:  Essa reação é responsável pelo funcionamento de reatores nucleares e pela desintegração da bomba atômica.
  • 27. CURVA DE DECAIMENTO RADIOATIVO
  • 29. FISSÃO NUCLEAR n + 235U → 141Ba + 92Kr + 3(4) n + ~200 MeV
  • 30. ENERGIA LIBERADA A fissão completa de 1kg de 235U libera aproximadamente 8 x 1013 joules, suficiente para ferver 270 milhões de litros de água.
  • 31. Fusão Nuclear:  É a junção de dois ou mais núcleos atômicos produzindo um único núcleo maior, com liberação de grande quantidade de energia. Nas estrelas como o Sol, ocorre a contínua irradiação de energia (luz, calor, ultravioleta, etc.)proveniente da reação de fusão nuclear:  4 1H1 = 2He4 + outras partículas + energia (Condições de temperatura e pressão: 106 ºC , 104 atm)
  • 32. O Sol é um grande reator de fusão nuclear
  • 35. ENERGIA LIBERADA A fusão completa de 1 kg de deutério na reação H + 2H → 3H + n 2 libera aproximadamente 1014 joules.
  • 37. Série do tório (4n): Inicia no tório (90Th232) e termina no chumbo (82Pb208). O resto da divisão por 4 da massa dos elementos dessa série é sempre zero.  Série do urânio (4n+2): Inicia no urânio (92U238) e termina no chumbo (82Pb206). O resto da divisão por 4 da massa dos elementos dessa série é sempre 2.  Série do actínio (4n+3): Inicia no urânio (92Th235) e termina no chumbo (82Pb207). O resto da divisão por 4 da massa dos elementos dessa série é sempre 3.
  • 40. Aplicações da Radioatividade  Hoje ela é usada em diversos campos da atividade humana(medicina, Arqueologia,agricultura, indústria).  O rádio que é um elemento resultante do decaimento do urânio; é utilizado na radioterapia.  Rádio: elemento utilizado para tratamentos de câncer, mas a longa exposição a tal elemento radioativo pode ser fatal.  Através da análise da meia vida de tais elementos radioativos, pode-se prever a idade da Terra.
  • 41. -Efeitos biológicos : as radiações podem ser utilizadas com fins benéficos, no tratamento de algumas espécies de câncer, em dosagens apropriadas. Mas em quantidades elevadas, são nocivas aos tecidos vivos, causam grande perda das defesas naturais, queimaduras e hemorragias. Também afetam o DNA, provocando mutações genéticas  RADIOTERAPIA :
  • 42. Usos das reações nucleares:  -Produção de energia elétrica: os reatores nucleares produzem energia elétrica. Baterias nucleares são também utilizadas para propulsão de navios e submarinos
  • 43.
  • 44. Bibliografia e referências bibliográficas  ATINKS, Peter; LORETTA, Jones. Princípios de Química: Questionando a vida moderna e o meio ambiente. Porto Alegre, Bookman, 2001.  OKUNO, Emico. Radiação: efeitos, riscos e benefícios. São Paulo, Harbra,1988.  http://www.if.ufrgs.br/cref/radio  TIPLER, P. Física Moderna. Editora Ltc , terceira edição.  Apresentação pesquisada na Internet elaborada por Ana Budião e adaptada.  http://www.profpc.com.br/radioatividade.htm(recomenda do)