Introdução a alguns conceitos da Teoria Gerativa

2.946 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.946
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
107
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Introdução a alguns conceitos da Teoria Gerativa

  1. 1. Teorias Lingüísticas – I (Gerativismo)  Professor Márcio Leitão
  2. 2. Alguns aspectos da teoria gerativa
  3. 3. A interdisciplinaridade nas Ciências Cognitivas (Gardner, 1987)
  4. 4. NOAM CHOMSKY
  5. 5.  Palavras de CHOMSKY: deveríamos colocar com maior clareza o que entendemos por "uma língua". Tem havido muita controvérsia apaixonada a respeito da resposta correta para esta pergunta, e, de maneira mais geral, para a pergunta sobre como deveriam ser estudadas as línguas. A controvérsia não tem razão de ser, porque a resposta correta não existe. Se tivermos interesse em compreender como se comunicam as abelhas, tentaremos apreender algo sobre a natureza interna das abelhas, suas organizações sociais, e seu meio ambiente físico. Estas abordagens não são conflitantes; são reciprocamente comprovantes. O mesmo se dá com o estudo da linguagem humana: pode ser investigado de um ponto de vista biológico, e de inúmeros outros: o sócio-lingüístico, o de língua e cultura, o histórico e assim por diante. Cada uma dessas abordagens define o objeto de sua investigação sob a luz de seus próprios interesses; e, se for racional, cada uma tentará apreender o que puder do que vem das outras abordagens. Por que razão estas são matérias que despertam muita paixão no estudo dos seres humanos seja talvez uma pergunta interessante, mas por ora vou pôla de lado. (DELTA v.13 n.especial São Paulo 1997)
  6. 6. Recapitulando a teoria gerativa Diferente de outras teorias, a gerativa postula um modelo que consiga descrever, explicar e prever os fenômenos lingüísticos. A GT não reconhece a forma pronominal você como pronome de segunda pessoa do singular de vários dialetos do PB. A forma reduzida de você (‘cê) nem é mencionada. 
  7. 7. Exemplos do Novo Manual de Sintaxe (Mioto et alii, 2004)            A) ‘Cê viu a Maria saindo. A’) Você viu a Maria saindo. B) Quem que ‘cê viu saindo? B’)Quem que você viu saindo? C) A Maria disse que ‘cê foi viajar. C’) A Maria disse que você foi viajar. A) *A Maria comprou o livro pra ‘cê. A’) A Maria comprou o livro pra você. B) * A Maria e ‘cê vão comprar o livro. B’) A Maria e você vão comprar o livro. GRAMATICALIDADE E AGRAMATICALIDADE
  8. 8. Recapitulando a teoria gerativa      Competência e Desempenho As três questões básicas para Chomsky: (i) O que constitui o conhecimento da língua? (ii) Como é adquirido o conhecimento da língua? (iii) Como é usado o conhecimento da língua?
  9. 9. Recapitulando a teoria gerativa - Questão (i)  Princípios e Parâmetros  Princípio: Toda língua tem sujeito. Parâmetro do sujeito nulo. 1) Português (+) Paulo disse que elei vai viajar. Pauloi disse que __i vai viajar. 2) Italiano (+) *Paoloi há detto che luii viaggerá. Paoloi há detto che __i viaggerá. 3) Inglês (-) Pauli has said that hei will travel. *Pauli has said that __i will travel.          
  10. 10. Continuando... Questão (i) Parâmetro da Ordem (ou núcleo)  Kato comprou doce. (Português)  Kato okashi kau. (Japonês)  ‘Kato doce comprou’  Núcleo inicial – verbo vem antes do complemento. (+)  Núcleo final – verbo vem depois do complemento. (-) 
  11. 11. Recapitulando a teoria gerativa – questão (ii)             Verificando a naturalidade do processo de aquisição!! Aquisição da Linguagem Aprendizado de leitura/escrita Filogênese (espécie) Fala:Mais ou menos 2,5 milhões de anos Escrita: 3000 anos (a.C.) com os sumérios Ontogênese (desenvolvimento) Fala: entre os 2,5 a 3 anos de idade Escrita: sempre após a fala. Breve conclusão: As crianças ouvem, andam e falam. (Aquisição) As crianças aprendem a nadar, a andar de bicicleta e a escrever. (Aprendizado)
  12. 12. Aquisição da Linguagem            Argumentos relacionados ao inatismo. Especificidade biológica: só a espécie humana tem linguagem verbal. Universalidade no processo: Todas as crianças adquirem uma língua na mesma sucessão de etapas e aproximadamente no mesmo tempo. Pobreza de estímulo (ou problema de Platão) Como saber tanto com tão poucas evidências ou com tão pobres estímulos. Os dados de input do ambiente são insuficientes para explicar a rapidez e a complexidade do processo de aquisição. (disfluências da fala) Criatividade Com recursos finitos criam-se estruturas infinitas. A criança gera frases que nunca ouviu. Supergeneralização Crianças não são papagaios, por isso, generalizam regras sintáticas e morfológicas. Ex: verbos irregulares eu sabo, eu fazi.
  13. 13. Diagrama do Modelo Gerativo Léxico Sintaxe FF Forma Fonética Interface sonora significante É onde ficam guardadas as palavras Em nossa memória. Teoria X-Barra É onde ficam codificados os princípios e parâmetros relacionados à estruturação Teoria Temática dos sintagmas que se combinam Teoria do Caso formando as sentenças. FL Forma Lógica Interface semântica significado
  14. 14. Teoria X-barra É a teoria que explica como os sintagmas se estruturam e se combinam em termos formais para que uma sentença seja gramatical.  Núcleos lexicais (s-selecionam) +N -N +V A V -V N P
  15. 15. Modelo formal da teoria x-barra SX projeção Máxima Especificador Núcleo X X’ projeção intermediária Y Complemento
  16. 16. SN - A necessidade de dinheiro. SN Esp N’ A SP N necessidade de dinheiro
  17. 17. SV - Vera comprar o carro. SV SN V’ Vera V comprar SN O carro
  18. 18. SP - de vida SP Esp P’ bem P de SN vida
  19. 19. SA – orgulhoso com o emprego SA Esp A’ muito A orgulhoso SP Com o emprego
  20. 20. Teoria X-barra        Núcleos Funcionais (c-selecionam) SD – Sintagma Determinante Atribui referencialidade ao SN. SF – Sintagma flexional Carrega as informações gramaticais de Tempo, Modo, Pessoa. SC – Sintagma Complementador Introduz uma oração informando se é declarativa ou interrogativa.
  21. 21. SD – a necessidade de dinheiro SD Esp D’ toda SN D a Esp N’ minha SP N necessidade de dinheiro
  22. 22. SF - Vera comprou o carro. SF F’ SV F -ou comprou SN V’ Vera t1 V comprar t2 SD O carro
  23. 23. SC O Pedro disse que a Vera comprou o carro.
  24. 24. SF F’ F disse -sse SV v’ SD O Pedro t1 V dit SC C’ 2 C que SF F’ F comprou -ou SV v’ SD a Vera t3 V comprt4 SD o carro

×