SlideShare uma empresa Scribd logo
Aula 6
GERATIVISMO
Prof. Cecília Toledo- cissa.valle@hotmail.com
MARTELOTTA, Mário Eduardo. Manual de Linguística.
São Paulo: Contexto, 2012, p. 113-126
Linguística Gerativa – Gerativismo – Gramática Gerativa
• Corrente teórica de estudos da ciência da linguagem
• Estados Unidos, década de 1950
• Noam CHOMSKY: precursor ( 1° livro, 1957)
“ a preocupação dos pesquisadores dessa corrente em elaborar um
modelo teórico formal, inspirado na matemática, capaz de descrever e
explicar abstratamente o que é e como funciona a linguagem
humana.” p. 127
Behaviorismo
• Para Bloomfield a linguagem humana é uma
resposta que o organismo produz a partir de
estímulos recebidos da interação social.
“[...] sob estimulação variada, a criança repete sons vocais. [...]”
Quando determinado som chega aos ouvidos da criança, seu
hábito entra em jogo e ela produz a sílaba de balbucio, mais
próxima a palavra ouvida.
LINGUAGEM: “ fenômeno externo ao individuo, um sistema de hábitos
gerado como resposta a estímulos e fixado pela repetição.” p.128
Crítica ao Behaviorismo
• CRIATIVIDADE DA LINGUAGEM
“... A todo momento, os seres humanos estão construindo frases
novas e inéditas, ou seja, jamais ditas antes pelo próprio falante
que as produziu ou por qualquer outro indivíduo.” p. 128
DISTINGUE A LINGUAGEM HUMANA DOS SISTEMAS DE
COMUNICAÇÃO ANIMAL.
A faculdade da linguagem
Disposição inata para competência linguística
“Para Chomsky, a capacidade humana de falar e entender uma
língua , isto é, o comportamento linguístico dos indivíduos, deve
ser compreendida como o resultado de um dispositivo inato,
uma capacidade genética, e portanto, interna ao organismo
humano.” p.129
O MODELO TEÓRICO
• O que há em comum entre todas as línguas humanas e de que
maneira elas diferem entre si?
• Em que consiste o conhecimento que um indivíduo possui
quando é capaz de falar e compreender uma língua?
• Como o indivíduo adquire esse conhecimento?
• De que maneira esse conhecimento é posto em uso pelo
indivíduo?
• Quais são as sustentações físicas presentes no cérebro/ mente
que esse conhecimento recebe?
Tentativa de resposta: a partir de ANÁLISE MATEMÁTICA E ABSTRATA DA LÍNGUA
Gramática transformacional
1960- 1970
“Os objetivos dessa fase do gerativismo consistiam em
descrever como os constituintes das sentenças eram
formados e como tais constituintes transformavam-se
em outros por meio da aplicação de regras.” p.131
O estudante leu o livro
O livro foi lido pelo estudante
O que o estudante leu?
Quem leu o livro?
SISTEMA DE REGRAS
Sistema finito de regras
Transformauma
sentença em outra
˭
Sentenças
infinitas
Conhecimento linguístico mental.
Árvore sintática
Regras transformacionais
Agramaticalidade x Gramaticalidade
a) Quantos livros você já escreveu?
b) * que livros você conhece uma pessoa que escreveu?
Competência linguística
“ Conhecimento linguístico inconsciente que o falante possui
sobre a sua língua e que lhe permite ter intuições é o que
denominamos de competência linguística – o conhecimento
interno e tácito das regras que governam a formação das frases
da língua” p. 133
João disse que ELE vai se casar
ELE disse que JOÃO vai se casar
Desempenho linguístico
“ A competência linguística NÃO É a mesma coisa que o
comportamento linguístico do indivíduo, aquelas frases que de
fato uma pessoa pronuncia quando usa a língua. Esse uso
concreto da língua denomina-se desempenho linguístico e
envolve diversos tipos de habilidade que não são linguísticas,
como atenção, memória, emoção, conhecimento de mundo”
p.’134
Faculdade da linguagem - INATA
Competência linguística
Conhecimento interno das
regras que comandam a
língua
Desempenho linguístico
Manifestação da língua em
diferentes situações. Uso
concreto
INTERESSE DOS
GERATIVISTAS
Os gerativistas usam como dados para suas análises
principalmente
(1) Testes de gramaticalidade, nos quais frases são expostas a
falantes nativos de uma língua, que devem utilizar sua
intuição e distinguir as frases gramaticais das agramaticais.
(2) A intuição do próprio linguista, que, afinal também é um
falante nativo de sua própria língua
p.134
GRAMÁTICA UNIVERSAL (GU)
“ conjunto das propriedades gramaticais comuns
compartilhadas por todas as línguas naturais,
bem como as diferenças entre elas que são
previsíveis segundo o leque de opções
disponíveis na própria GU” p.135
Refinamento da noção de Faculdade da
linguagem, 1980
FACULDADE DA
LINGUAGEM
Dispositivo inato
GU
Conjunto de
instruções
AULA 6 - GERATIVISMO - Chomisky_Noam.pdf
Princípios x Parâmetros
• PRINCÍPIOS: propriedades gramaticais válidas
para todas as línguas naturais.
• PARÂMETROS: as possibilidades (limitadas e
binárias) de variação entre as línguas
Exemplo:
João disse que ELE vai casar: princípio: ANÁFORA
João disse que vai se casar: parâmetro: SUJEITO
NULO
GRAMÁTICA MODULAR
“ O projeto da linguística gerativa é observar
comparativamente as línguas humanas com os seus
milhares de fenômenos morfofonológicos, sintáticos ,
semânticos e sua suntuosa complexidade – com o
objetivo de descrever os princípios e os parâmetros da
GU que subjazem a competência linguística dos
falantes ,para, assim, poder explicar como é a
faculdade da linguagem, essa parte notável da
capacidade mental humana.” p. 138

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a AULA 6 - GERATIVISMO - Chomisky_Noam.pdf

Língua em contexto
Língua em contextoLíngua em contexto
Língua em contexto
diretoriabragpta
 
Introdução à Linguística
Introdução à LinguísticaIntrodução à Linguística
Introdução à Linguística
Maria Glalcy Fequetia Dalcim
 
Parte 1 linguística geral apresentação 2012
Parte 1   linguística geral  apresentação 2012Parte 1   linguística geral  apresentação 2012
Parte 1 linguística geral apresentação 2012
Mariana Correia
 
2ª ReplicaçãO Modo Oral 1
2ª ReplicaçãO   Modo Oral 12ª ReplicaçãO   Modo Oral 1
2ª ReplicaçãO Modo Oral 1
sandravieira1969
 
2ª ReplicaçãO Modo Oral 1
2ª ReplicaçãO   Modo Oral 12ª ReplicaçãO   Modo Oral 1
2ª ReplicaçãO Modo Oral 1
sandravieira1969
 
Aquisição da linguagem Behaviorismo e Gerativismo
Aquisição da linguagem Behaviorismo e GerativismoAquisição da linguagem Behaviorismo e Gerativismo
Aquisição da linguagem Behaviorismo e Gerativismo
ManuelleSoto
 
Linguística i gerativismo
Linguística i   gerativismoLinguística i   gerativismo
Linguística i gerativismo
Anyellen Mendanha
 
Aquisição da Linguagem
Aquisição da LinguagemAquisição da Linguagem
Aquisição da Linguagem
Edson Sousa Jr.
 
Psicologia cognitiva
Psicologia cognitivaPsicologia cognitiva
Psicologia cognitiva
angelafreire
 
Unidade 5 a diversidade textual e as áreas de conhecimento versão final
Unidade 5 a diversidade textual e as áreas de conhecimento versão finalUnidade 5 a diversidade textual e as áreas de conhecimento versão final
Unidade 5 a diversidade textual e as áreas de conhecimento versão final
Naysa Taboada
 
As hipóteses do inatismo para explicação da linguagem
As hipóteses do inatismo para explicação da linguagemAs hipóteses do inatismo para explicação da linguagem
As hipóteses do inatismo para explicação da linguagem
LLAndrade
 
Planejemantodeingls 1anodoensinomdio-120305175312-phpapp01
Planejemantodeingls 1anodoensinomdio-120305175312-phpapp01Planejemantodeingls 1anodoensinomdio-120305175312-phpapp01
Planejemantodeingls 1anodoensinomdio-120305175312-phpapp01
Flavia Peres
 
Parte 2 linguística geral saussure - apresentação 2012
Parte 2   linguística geral saussure - apresentação 2012Parte 2   linguística geral saussure - apresentação 2012
Parte 2 linguística geral saussure - apresentação 2012
Mariana Correia
 
Universidade do estado do rio de janeiro
Universidade do estado do rio de janeiroUniversidade do estado do rio de janeiro
Universidade do estado do rio de janeiro
marta santos
 
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?
Turma Olímpica
 
Gerativismo
GerativismoGerativismo
Gerativismo
GerativismoGerativismo
Parte 2 linguística geral chomsky - apresentação
Parte 2   linguística geral chomsky - apresentaçãoParte 2   linguística geral chomsky - apresentação
Parte 2 linguística geral chomsky - apresentação
Mariana Correia
 
Introdução linguísitca aplicada
Introdução linguísitca aplicadaIntrodução linguísitca aplicada
Introdução linguísitca aplicada
marumbi
 
Pcc
PccPcc

Semelhante a AULA 6 - GERATIVISMO - Chomisky_Noam.pdf (20)

Língua em contexto
Língua em contextoLíngua em contexto
Língua em contexto
 
Introdução à Linguística
Introdução à LinguísticaIntrodução à Linguística
Introdução à Linguística
 
Parte 1 linguística geral apresentação 2012
Parte 1   linguística geral  apresentação 2012Parte 1   linguística geral  apresentação 2012
Parte 1 linguística geral apresentação 2012
 
2ª ReplicaçãO Modo Oral 1
2ª ReplicaçãO   Modo Oral 12ª ReplicaçãO   Modo Oral 1
2ª ReplicaçãO Modo Oral 1
 
2ª ReplicaçãO Modo Oral 1
2ª ReplicaçãO   Modo Oral 12ª ReplicaçãO   Modo Oral 1
2ª ReplicaçãO Modo Oral 1
 
Aquisição da linguagem Behaviorismo e Gerativismo
Aquisição da linguagem Behaviorismo e GerativismoAquisição da linguagem Behaviorismo e Gerativismo
Aquisição da linguagem Behaviorismo e Gerativismo
 
Linguística i gerativismo
Linguística i   gerativismoLinguística i   gerativismo
Linguística i gerativismo
 
Aquisição da Linguagem
Aquisição da LinguagemAquisição da Linguagem
Aquisição da Linguagem
 
Psicologia cognitiva
Psicologia cognitivaPsicologia cognitiva
Psicologia cognitiva
 
Unidade 5 a diversidade textual e as áreas de conhecimento versão final
Unidade 5 a diversidade textual e as áreas de conhecimento versão finalUnidade 5 a diversidade textual e as áreas de conhecimento versão final
Unidade 5 a diversidade textual e as áreas de conhecimento versão final
 
As hipóteses do inatismo para explicação da linguagem
As hipóteses do inatismo para explicação da linguagemAs hipóteses do inatismo para explicação da linguagem
As hipóteses do inatismo para explicação da linguagem
 
Planejemantodeingls 1anodoensinomdio-120305175312-phpapp01
Planejemantodeingls 1anodoensinomdio-120305175312-phpapp01Planejemantodeingls 1anodoensinomdio-120305175312-phpapp01
Planejemantodeingls 1anodoensinomdio-120305175312-phpapp01
 
Parte 2 linguística geral saussure - apresentação 2012
Parte 2   linguística geral saussure - apresentação 2012Parte 2   linguística geral saussure - apresentação 2012
Parte 2 linguística geral saussure - apresentação 2012
 
Universidade do estado do rio de janeiro
Universidade do estado do rio de janeiroUniversidade do estado do rio de janeiro
Universidade do estado do rio de janeiro
 
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?
 
Gerativismo
GerativismoGerativismo
Gerativismo
 
Gerativismo
GerativismoGerativismo
Gerativismo
 
Parte 2 linguística geral chomsky - apresentação
Parte 2   linguística geral chomsky - apresentaçãoParte 2   linguística geral chomsky - apresentação
Parte 2 linguística geral chomsky - apresentação
 
Introdução linguísitca aplicada
Introdução linguísitca aplicadaIntrodução linguísitca aplicada
Introdução linguísitca aplicada
 
Pcc
PccPcc
Pcc
 

Mais de felixmeloeu

Apresente Fumaça 4 rev a -- COMPLETA.ppt
Apresente Fumaça 4 rev a -- COMPLETA.pptApresente Fumaça 4 rev a -- COMPLETA.ppt
Apresente Fumaça 4 rev a -- COMPLETA.ppt
felixmeloeu
 
World UFO Day - Organization Development.pptx
World UFO Day - Organization Development.pptxWorld UFO Day - Organization Development.pptx
World UFO Day - Organization Development.pptx
felixmeloeu
 
corticoides_farmacolofia_estudo_completo.ppt
corticoides_farmacolofia_estudo_completo.pptcorticoides_farmacolofia_estudo_completo.ppt
corticoides_farmacolofia_estudo_completo.ppt
felixmeloeu
 
show_do_coordenadoravaliao1-pptpower.pdf
show_do_coordenadoravaliao1-pptpower.pdfshow_do_coordenadoravaliao1-pptpower.pdf
show_do_coordenadoravaliao1-pptpower.pdf
felixmeloeu
 
Biologia dos Organismos_hfbsdfsffsdffd.pdf
Biologia dos Organismos_hfbsdfsffsdffd.pdfBiologia dos Organismos_hfbsdfsffsdffd.pdf
Biologia dos Organismos_hfbsdfsffsdffd.pdf
felixmeloeu
 
CLASSIFICAÇÃO E CATEGORIZAÇÃO DAS DOENÇAS.ppt
CLASSIFICAÇÃO E  CATEGORIZAÇÃO DAS DOENÇAS.pptCLASSIFICAÇÃO E  CATEGORIZAÇÃO DAS DOENÇAS.ppt
CLASSIFICAÇÃO E CATEGORIZAÇÃO DAS DOENÇAS.ppt
felixmeloeu
 

Mais de felixmeloeu (6)

Apresente Fumaça 4 rev a -- COMPLETA.ppt
Apresente Fumaça 4 rev a -- COMPLETA.pptApresente Fumaça 4 rev a -- COMPLETA.ppt
Apresente Fumaça 4 rev a -- COMPLETA.ppt
 
World UFO Day - Organization Development.pptx
World UFO Day - Organization Development.pptxWorld UFO Day - Organization Development.pptx
World UFO Day - Organization Development.pptx
 
corticoides_farmacolofia_estudo_completo.ppt
corticoides_farmacolofia_estudo_completo.pptcorticoides_farmacolofia_estudo_completo.ppt
corticoides_farmacolofia_estudo_completo.ppt
 
show_do_coordenadoravaliao1-pptpower.pdf
show_do_coordenadoravaliao1-pptpower.pdfshow_do_coordenadoravaliao1-pptpower.pdf
show_do_coordenadoravaliao1-pptpower.pdf
 
Biologia dos Organismos_hfbsdfsffsdffd.pdf
Biologia dos Organismos_hfbsdfsffsdffd.pdfBiologia dos Organismos_hfbsdfsffsdffd.pdf
Biologia dos Organismos_hfbsdfsffsdffd.pdf
 
CLASSIFICAÇÃO E CATEGORIZAÇÃO DAS DOENÇAS.ppt
CLASSIFICAÇÃO E  CATEGORIZAÇÃO DAS DOENÇAS.pptCLASSIFICAÇÃO E  CATEGORIZAÇÃO DAS DOENÇAS.ppt
CLASSIFICAÇÃO E CATEGORIZAÇÃO DAS DOENÇAS.ppt
 

Último

Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Falcão Brasil
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 

Último (20)

Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 

AULA 6 - GERATIVISMO - Chomisky_Noam.pdf

  • 1. Aula 6 GERATIVISMO Prof. Cecília Toledo- cissa.valle@hotmail.com MARTELOTTA, Mário Eduardo. Manual de Linguística. São Paulo: Contexto, 2012, p. 113-126
  • 2. Linguística Gerativa – Gerativismo – Gramática Gerativa • Corrente teórica de estudos da ciência da linguagem • Estados Unidos, década de 1950 • Noam CHOMSKY: precursor ( 1° livro, 1957) “ a preocupação dos pesquisadores dessa corrente em elaborar um modelo teórico formal, inspirado na matemática, capaz de descrever e explicar abstratamente o que é e como funciona a linguagem humana.” p. 127
  • 3. Behaviorismo • Para Bloomfield a linguagem humana é uma resposta que o organismo produz a partir de estímulos recebidos da interação social. “[...] sob estimulação variada, a criança repete sons vocais. [...]” Quando determinado som chega aos ouvidos da criança, seu hábito entra em jogo e ela produz a sílaba de balbucio, mais próxima a palavra ouvida. LINGUAGEM: “ fenômeno externo ao individuo, um sistema de hábitos gerado como resposta a estímulos e fixado pela repetição.” p.128
  • 4. Crítica ao Behaviorismo • CRIATIVIDADE DA LINGUAGEM “... A todo momento, os seres humanos estão construindo frases novas e inéditas, ou seja, jamais ditas antes pelo próprio falante que as produziu ou por qualquer outro indivíduo.” p. 128 DISTINGUE A LINGUAGEM HUMANA DOS SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO ANIMAL.
  • 5. A faculdade da linguagem Disposição inata para competência linguística “Para Chomsky, a capacidade humana de falar e entender uma língua , isto é, o comportamento linguístico dos indivíduos, deve ser compreendida como o resultado de um dispositivo inato, uma capacidade genética, e portanto, interna ao organismo humano.” p.129
  • 6. O MODELO TEÓRICO • O que há em comum entre todas as línguas humanas e de que maneira elas diferem entre si? • Em que consiste o conhecimento que um indivíduo possui quando é capaz de falar e compreender uma língua? • Como o indivíduo adquire esse conhecimento? • De que maneira esse conhecimento é posto em uso pelo indivíduo? • Quais são as sustentações físicas presentes no cérebro/ mente que esse conhecimento recebe? Tentativa de resposta: a partir de ANÁLISE MATEMÁTICA E ABSTRATA DA LÍNGUA
  • 7. Gramática transformacional 1960- 1970 “Os objetivos dessa fase do gerativismo consistiam em descrever como os constituintes das sentenças eram formados e como tais constituintes transformavam-se em outros por meio da aplicação de regras.” p.131 O estudante leu o livro O livro foi lido pelo estudante O que o estudante leu? Quem leu o livro?
  • 8. SISTEMA DE REGRAS Sistema finito de regras Transformauma sentença em outra ˭ Sentenças infinitas Conhecimento linguístico mental.
  • 11. Agramaticalidade x Gramaticalidade a) Quantos livros você já escreveu? b) * que livros você conhece uma pessoa que escreveu?
  • 12. Competência linguística “ Conhecimento linguístico inconsciente que o falante possui sobre a sua língua e que lhe permite ter intuições é o que denominamos de competência linguística – o conhecimento interno e tácito das regras que governam a formação das frases da língua” p. 133 João disse que ELE vai se casar ELE disse que JOÃO vai se casar
  • 13. Desempenho linguístico “ A competência linguística NÃO É a mesma coisa que o comportamento linguístico do indivíduo, aquelas frases que de fato uma pessoa pronuncia quando usa a língua. Esse uso concreto da língua denomina-se desempenho linguístico e envolve diversos tipos de habilidade que não são linguísticas, como atenção, memória, emoção, conhecimento de mundo” p.’134
  • 14. Faculdade da linguagem - INATA Competência linguística Conhecimento interno das regras que comandam a língua Desempenho linguístico Manifestação da língua em diferentes situações. Uso concreto INTERESSE DOS GERATIVISTAS
  • 15. Os gerativistas usam como dados para suas análises principalmente (1) Testes de gramaticalidade, nos quais frases são expostas a falantes nativos de uma língua, que devem utilizar sua intuição e distinguir as frases gramaticais das agramaticais. (2) A intuição do próprio linguista, que, afinal também é um falante nativo de sua própria língua p.134
  • 16. GRAMÁTICA UNIVERSAL (GU) “ conjunto das propriedades gramaticais comuns compartilhadas por todas as línguas naturais, bem como as diferenças entre elas que são previsíveis segundo o leque de opções disponíveis na própria GU” p.135 Refinamento da noção de Faculdade da linguagem, 1980
  • 19. Princípios x Parâmetros • PRINCÍPIOS: propriedades gramaticais válidas para todas as línguas naturais. • PARÂMETROS: as possibilidades (limitadas e binárias) de variação entre as línguas Exemplo: João disse que ELE vai casar: princípio: ANÁFORA João disse que vai se casar: parâmetro: SUJEITO NULO
  • 21. “ O projeto da linguística gerativa é observar comparativamente as línguas humanas com os seus milhares de fenômenos morfofonológicos, sintáticos , semânticos e sua suntuosa complexidade – com o objetivo de descrever os princípios e os parâmetros da GU que subjazem a competência linguística dos falantes ,para, assim, poder explicar como é a faculdade da linguagem, essa parte notável da capacidade mental humana.” p. 138