Apresentação terceira 2016

147 visualizações

Publicada em

Gestão técnica de explorações leiteiras, por aonde começar?

Publicada em: Alimentos
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
147
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação terceira 2016

  1. 1. Gestão técnica e económica de uma exploração Leiteira, por onde começar? Angra do heroísmo 2 de maio de 2016
  2. 2. Aumento continuado da quantidades de leite por vaca presente na exploração e/ou maior quantidade de leite por hectare •de alta qualidade físico química e sanitária, •com o menor custo possível, •mantendo os animais saudáveis •e com uma reprodução eficiente. Palavra chave: EFICIÊNCIA 1. Evolução da produção de leite Objetivos 09:34
  3. 3. • A reestruturação do sector leiteiro actualmente é uma realidade imparável. O nível de profissionalidade dos produtores Portugueses e Europeus é cada vez maior. • A gestão empresarial das explorações, em todas as áreas de trabalho está a impor-se e os técnicos devem estar à altura das circunstâncias, antecipando as necessidades dos produtores 09:34 1. Evolução da produção de leite
  4. 4. Numero de explorações • 1999 – 32994 • 2013 – 7772 menos 76,5% das explorações a uma média de 10,1% ao ano • 34 vacas por exploração Dados GPP 2015 09:34
  5. 5. • 1999 – 5119 explorações leiteiras • 2013 --2894 menos 46% de explorações - 1176 Na ilha de são Miguel 40,6% 377 milhões de litros entregue (320.000 l/exploração) - 724 Na ilha Terceira 25% 147,5Milhões de litros entregues (203.000l/exploração) No Período 2009/2013 7,6% no continente 27,8% 09:34 Numero de explorações Açores
  6. 6. Produção de leite na Europa • A europa produz 136,1 milhões de ton de leite e Portugal 2,039 milhões de ton (1,34%) 09:34
  7. 7. 09:34 1. Evolução da produção de leite European Commission 7 de Outubro 2015
  8. 8. Como consequências da evolução, nos últimos 10 anos, no sector leiteiro: • o número de explorações • o número de vacas leiteiras • o número de vacas por exploração • da produtividade por vaca 09:34 1. Evolução da produção de leite
  9. 9. 09:34 • Para produzir 1.657.610 mil litros são precisas 165.761 vacas a produzir 10.000 litros por ano. • A média vaca dia nacional em junho de 2014 foi de 28,1l (Bovinfor) • 60% da carne produzida na Europa provem da raça frísia/aptidão leiteira • As quotas terminaram a 1 de abril de 2015 Principais números do leite em Portugal
  10. 10. Principais receitas de uma exploração leiteira
  11. 11. Principais despesas de uma exploração leiteira Açores * 2.Custos de alimentação e eficiência alimentar 9,8% Fertilizantes 27,8% Alimentação 16% Rendas 5,7% conservação e reparação *Silva 2001
  12. 12. Produção de leite e custo de matérias primas 2006-2014 IFCN 09:34
  13. 13. Evolução do preço da soja
  14. 14. Preço do leite em Portugal, continente vs Açores
  15. 15. Numero de vacas por exploração no mundo
  16. 16. • Pastagens e Forragens nos sistemas de Produção 09:34
  17. 17. EFICIÊNCIA ALIMENTAR: •O segredo do negócio de produzir leite está em transformar 1kg de Matéria seca em 1,2 a 1,6Kg de leite •Eficiência Alimentar (Feed eficiency) medida em Kg de Ms para produzir 1 kg de Leite com 3,5% de M.G (FCM9) •Por cada 0,1 % de Gordura a mais ou a menos temos mais ou menos 0,45kg de leite 09:34 2.Custos de alimentação e eficiência alimentar
  18. 18. • Eficiência Alimentar (Feed eficiency) (St.Pierre, 2008) 09:34 Rolling herd average FE Milk yield per cow FEkg (kg per day) 8182 1,24 25 1,28 9,091 1,32 29,5 1,41 10000 1,4 31,1 1,52 10909 1,47 36,4 1,57 12727 1,58 38,6 1,61 13636 1,63 40,9 1,66 2.Custos de alimentação e eficiência alimentar
  19. 19. VARIAÇÃO DA INGESTÃO DE MS E A PRODUÇÃO DE LEITE: 09:34 2.Custos de alimentação e eficiência alimentar
  20. 20. Variação dos custos consoante a Produção 09:34 2.Custos de alimentação e eficiência alimentar
  21. 21. Variação em % do IOFC e a Produção de leite 09:34 2.Custos de alimentação e eficiência alimentar
  22. 22. Como varia: (Hutjens,2010) • DEL (menos 0,11 por cada 30 DEL a mais do que 150) • Sobras na manjedoura • CSS • Pastoreio / exercício • Acidose ruminal e excesso de proteína • Inclusão de aditivos alimentares • Níveis de Fibra • Stress por calor 09:34 2.Custos de alimentação e eficiência alimentar
  23. 23. Eficiência Alimentar e pastoreio: • Rotina de análises da pastagem frequentes % de Matéria seca da pastagem % de Proteina Energia UFL • Rotina de análise de solos e correta adubação 09:34 2.Custos de alimentação e eficiência alimentar
  24. 24. Eficiência Alimentar e pastoreio: • Monotorização da matéria seca existente na parcela • Suplementar com concentrado e forragens consoante as necessidades, estado da lactação e objetivos de produção • Registos de consumos e regular planificação de objetivos 09:34 2.Custos de alimentação e eficiência alimentar
  25. 25. • Associado a um programa informático existente na exploração • Recolha e compilação de dados diária (inseminações, patologias, produção, …) • Compilação mensal de dados técnicos (número de inseminações, número de vacas gestantes, …) 3.Sistemas de monotorização da variabilidade dos dados 09:34
  26. 26. • Medir o impacto das decisões “O que não se mede não se pode melhorar.” • Definir um rumo “Se não sabemos para onde vamos, qualquer caminho serve.” Medicina da Produção 09:34
  27. 27. 09:34 3.Sistemas de monotorização da variabilidade dos dados jan/15 fev/15 dez/15 EFECTIVO   Vacas Totais (nº) 557 509 592 Vacas em Produção 479 407 535 Vacas en Produção (%) 86,1% 79,9% 90% 1as lactações (Nº) 195 207 222 1as lactações (%) 35% 41% 37% Media de lactações (Nº) 2,3 2,3 2,3   Reposição (Nº) 475 473 473 Reposição / Adultas (%) 85% 93% 80% Reposição > 13 meses 255 249 231 Reposição > 13 meses / Reposição (%) 54% 53% 49% PRODUÇÃO   PRODUÇÃO MENSAL (lts.) 512 560 413 976 566 556  PRODUÇÃO DIARIA (lts) 16 534 14 785 18 276  Materia Gorda (%) 3,68 3,72 3,40 Materia Proteica (%) 3,26 3,26 3,19 C.C.S. En Tanque (x 1000) 385 280 361  Produção vaca lactante (lts/día) 34,50 36,37 34,19  Produção vaca presente (lts/día) 29,70 29,05 30,87 
  28. 28. 09:34 3.Sistemas de monotorização da variabilidade dos dados PRODUTIVIDADE >60d jan/15 fev/15 Vacas < 8.000 lts. 32 25 Vacas 8.000-10.000 lts. 60 105 Vacas >10.000 lts. 294 305 Vacas >12.000 lts. 150 153 Vacas >15.000 lts. 17 14 Picos Vacas (45-100 DEL) 51,0 51,3 D.E.L. pico Vacas (días) 54,0 48,0 Picos 1as lactações(45-100 DEL) 43,0 41,0 D.E.L. pico 1as lactações (días) 77,0 59,0 Relação Picos Novilhas / Vacas (%) 84% 80% Vacas <25lt <150 DEL 8 4 Estimação 80 % Previsão 305 días 8752 9050 Animais < 80 % Previsão (Nº) 57 57 Animais < 80 % Previsão (%) 10% 11% Previsão 305 - Rebanho (Nª) 10 940 11 312 Previsão 305 - Adultas (Nº) 11 335 11 720 Previsão 305 - 1as lactações (Nº) 10 370 10 710
  29. 29. 09:34 3.Sistemas de monotorização da variabilidade dos dados REPRODUCTIVO Jan 15 Fev 15 Mar 15 Intervalo Parto - 1ª Cobrição (días) 73,0 73,0 78,5 Deteção de cios (%) Días Abertos vacas prenhas (días) 171 148 163 Días Abertos (días) 30 DIAS 173 148 164 Vacas problema ( > 150 DEL NDG) - % 11,0% 11,6% 19,8% Vacas não prenhas efectivas > 150 DEL (%) 10,3% 10,2% 17,2% Media de Días em Leite (DEL) - días 185 165 174 Vacas Gestantes (%) 29,8% 32,6% 37,1% Vacas Gestantes Efectivas (%) 43,4% 49,3% 37,8% Inseminações por vaca prenha 2,8 2,90 2,70 Fertilidade á 1ª Cobrição 18,2% 31,3% 20,6% Reprodutivo não acumulado (mensal) Deteção de cios (%) 45% 55% 62% Nº de gestações previstas 23 34 44 Nº de cubrições 71 103 134 Nº gestações 19 36 36 % vacas Prenhas mês 3,41% 7,07% 6,78% Fertilidade Mensal - Global (%) 26,8% 35,0% 26,9% Ferlilidade Mensal - 1ª cubrição (%) 18,2% 31% 21%
  30. 30. 09:34 ELIMINAÇÕES Jan 15 Fev 15 Mar 15 Vacas Destinadas (Nº) 45 45 10 Vacas destinadas /vacas em lactação 9% 11% 2% Vacas Eliminadas (Nº) 15 50 2 Vacas adultas eliminadas (> 1 lactação) 11 38 0 Primeras crías eliminadas (1 lactación) 1 10 0 Vacas/ novilhas moreram na explor 3 2 2 Primeras elim. (% del total de eliminadas) 6,7% 20,0% 0,0% Reposición de primeras crías (%) 0,5% 4,8% 0,0% Vacas Eliminadas (%) 32% 105% 4% 3.Sistemas de monotorização da variabilidade dos dados
  31. 31. 09:34 3.Sistemas de monotorização da variabilidade dos dados
  32. 32. 09:34 3.Sistemas de monotorização da variabilidade dos dados
  33. 33. 09:34 3.Sistemas de monotorização da variabilidade dos dados
  34. 34. Fatores chave: 1- Reduzir a mortalidade das vacas adultas (nos EUA, os valores médios são de 5,5%) 2- Reduzir para valores perto dos 2-3% o refugo de animais antes dos 150 dias 3- Não deixar que os valores totais de refugo sejam superiores ao intervalo 20-30% 4.Análise de refugo 09:34
  35. 35. 1- Reduzir a mortalidade das vacas adultas •Tenha boas pautas de controlo das principais patologias •Aposte na prevenção e no tratamento precoce, através de protocolos. 2- Tentar que os animais refugados sejam vendidos no final da lactação, com boa condição corporal e por um valor elevado •Defina o valor a partir do qual os animais deixam de ser rentáveis. 09:34 4.Análise de refugo
  36. 36. 09:34 4.Análise de refugo
  37. 37. 4-Análise de refugo- vacas vendidas e vacas que morreram na exploração 09:34
  38. 38. Parto TX - 1 lactação : 1 bolus de cálcio - Mais que 1 lactação e CC maior que 4: 2 bolus de cálcio + 250 ml de TAD de cálcio + 12,5 ml de Dexametasona 7 dias Pós- Parto Tx: Vitamina A, D3, E 1ª confirmação pós- parto - Retenção de placenta: Comprimido terramicina ITU -Sem retenção de placenta mas com corrimento sanguinolento: Vareta de rifaximina+ prostanglandinas) -Se leite não aumenta:Cetoprofeno +Ceftiofur 14 dias Pós- Parto 2ª confirmação corrrimento: -Limpa -PG -PG + Fatroxim espuma 1º Inseminação 45-70 dias (30-45d) Se não há cio: 1º PG aos 60 dias 2º PG aos 74 dias 120-140 dias Reconfirmação de gestação 250 dias Confirmação de gestação Secagem 45-60 dias pré-parto - Inicio secagem : palha + água+ ordenha 1x/dia Tx Bisnaga intramamária ( (cloxacilina) < 400.000 ccs ou (cefalônio anidro) > 400.000 cc ou com + 60 dias secagem) + Ivermectina + Rotavec corona (coronavírus, rotavíruas e E.coli) > 60 dias quando < 20 L e > 400.000 ccs e cc > 4 ) 15 dias pré-parto 20 dias : CC < 4 ou secagem menos de 50 dias 10 dias: CC > 4/5 ou secagem mais de 60 dias TX (vit E + Se) + (vacina mamintes) + se > 400.000 ccs um vial Penetamato/tilosina Novilhas: tetravalente + rotavirus /coronavirus e e.coli 0-60 dias pós parto: -Metrite -Mamite -Cetose -Indigestão -Patologia Podal -DAE
  39. 39. 5. Estratégias para uma reposição eficiente 09:34 • Boas Pautas de assistência ao parto • Bom acolostramento dos vitelos regra 1-2-3 • Pautas de vacinação adequadas aos problemas da exploração • Controlo de alimentação nas diferentes fases • Pesagens para monotorizar crescimento • Inseminação com sémen sexado
  40. 40. 5. Estratégias para uma reposição eficiente 09:34
  41. 41. 0 dias de vida ①Colostro: -3L, 2hras de vida,1ª toma Qualidade do colostro: - > vacas vacinadas com hiprabovis e rotavec corona -adultas>novilhas -menor produção>maior produção ②Desinfecção do umbigo 2-3 dias de vida (leite da mãe) 3 dias -Leite de substituição -Tx coccidias: toltrazuril 15-45 dias Vacinação tetravalente Desmame 45-60 dias 12 meses Vacina Hiprabovis 4 1ª inseminação 13-16 meses 15 meses s/ IA: Tx: Prostaglandina 20-10 dias pré- parto Vacinação: Ibr+bvd+pi3+sainc icial + Rotavirus e coronavírus e ecoli PNEUMONIAS Aguda: enrofloxacina + meloxican Moderada: tulatromicina DIARREIAS Aguda: Diaproof K + Amoxicilna LA + Meloxicam+ enroflocaxina Moderada: Glutellac + Amoxicilina LA Leve: Glutellac
  42. 42. FUTURO DA PRODUÇÃO DE LEITE 09:34
  43. 43. Produção de leite na Nova Zelândia projeto 2014-2020 09:34 Lema: Fazer com que a produção de leite funcione para todos
  44. 44. Produção de leite na Irlanda projeto 2020 09:34 Lema: Uma visão clara e estratégica Objetivo: aumentar a produção em 50% até 2020, 3% no número de vacas e 2% de aumento de produtividade
  45. 45. • Formar, motivar e sensibilizar os agricultores e os técnicos que os rodeiam para o potencial de pequenas decisões • Repensar o modo como se produz • Incutir metodologias e objectivos que melhorem e aumentem a produtividade global 09:34
  46. 46. Repensar o modo como se produz Uso de novas variedades de forragens como a chicória (Cichorium intybus) ou o plantago (Plantago lanceolata)? Apoio da investigação estatal ou universitária?
  47. 47. Repensar o modo como se produz • Novas tecnologias dos últimos 10 anos -Vacina para mamites 2009 -Monesina de degradação lenta 2013 -Inibidores de Prolactina 2016 -Estimuladores de imunidade 2016? -Touros genómicos -Informática acessível
  48. 48. FUTURO? • “Ela estava no estábulo com os restantes animais, com um pico de lactação de 115kg por dia, Não tinha nenhuma atenção especial. Tinha uma vontade de comer que nenhuma das outras vacas tinha” • Vaca no Wisconsin USA 9 anos GIG produziu 34.019kg de leite em 365 dias, fevereiro de 2015. 09:34
  49. 49. OBRIGADO José Pedro Ferrão, josecbf@gmail.com , 3 de Maio de 2016 • Recorde mundial 216 891 l 11 lactações (Canadá)
  50. 50. OBRIGADO José Pedro Ferrão, josecbf@gmail.com , 3 de Maio de 2016

×