SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
OBJETIVOS PARA O TESTE DE FILOSOFIA (2º TESTE)
1. Caracterizar Senso Comum, Ciência e Filosofia;
O conhecimento comum caracteriza-se por ser espontâneo, vulgar, senso comum,
bom senso, condensado muitas vezes nos ditos populares, nas crenças e crendices
que povoam o imaginário do homem quotidiano. (sabedoria popular). O que
caracteriza basicamente as noções pertencentes ao senso comum não é a sua
verdade ou falsidade. É a falsidade de fundamentação sistemática. Isto é, as pessoas
não sabem o porquê dessas noções. Trata-se, portanto, de um conhecimento
adquirido sem uma base crítica, precisa, coerente e sistemática.
Senso Comum(conhecimento comum) –Espontâneo; Superficial; provem da
observação sensorial e da tradiação; assume o aparente como real e verdadeiro; sem
a análise crítica (acrítico); não metódico (imetódico); partilhado pela comunidade e
transmitido pela tradição e usos; infundamentado, confuso, contraditório.
A ciência surgiu com a intenção de entender e explicar racional e objectivamente o
mundo para nele intervir. A ciência visa o controle prático da natureza. É um
conhecimento sistemático e seguro de um conjunto de fenómenos que ocorrem de
maneira regular e uniforme.O cientista constrói leis e teorias gerais, levanta um
problema, segue algumas hipóteses.
Ciência (conhecimento científico) – Construído; Visa explicar os fenómenos; apresenta
teorias suportadas por meios experimentais (e formais) de prova; Metódico (hipótese-
experimentação); investiga realidades particulares (seu objeto); multiplica as áreas do
conhecimento(especialização – fragmentação do saber); Oferece soluções (em
princípio) definitivamente fechadas.
Filosofia (conhecimento filosófico) – A filosofia exige rigor de pensamento. A
filosofia foi a primeira ciência a existir. A filosofia não busca soluções nem tem
finalidade à apresentação de respostas. A filosofia se caracteriza por um constante
indagar questionar, perguntar, cujas respostas se tornam objecto de novas
indagações e questionamentos.
Construído; visa compreender a significação de fenómenos; apresenta teorias
suportadas pelos argumentos; metódico (argumentação); investiga a totalidade do real
(seu objeto:todo); Relaciona o saber com o real e os saberes entre si (unificadas);
oferece respostas abertas;
2. Explicar as diferenças entre Ciência e Filosofia;
3. Explicar o que aproxima a Ciência da Filosofia;
Há problemas filosóficos colocados pela Filosofia que as ciências também
investigam, mas há problemas especificamente filosóficos.
• A Filosofia e a Ciência são duas formas de saber distintas e complementares.
• A Ciência procura explicar o funcionamento da realidade, enquanto que a
Filosofia procura compreender os princípios que devem orientar a existência e
desvendar os fins para que tudo supostamente caminha.
O que aproxima:
São ambos saberes construídos;
São ambos racionais;
São ambos metódicos;
O que afasta:
Uma é explicativa (ciência) e outra é compreensiva (filosofia);
Usam métodos diferentes;
A ciência é “expecializadora”, a filosfia é unificadora;
Objeto: particular (ciência), abrangente (filosofia)
Objetivo-Explicar(ciência)
Compreender/Significar (Fil.)
Método-Experimental/Demonstração formal;
Argumentação;
Objeto-Particular/Parcelar;
Todo/Totalidade do real;
Natureza do saber que produzem-Especializado/Fragmentado
Unificador;
Teorias-Teorias por principio
Teorias absolutas;
4. Conhecer as noções de conceito, termo, juízo, proposição, raciocínio e
argumento;
Identificar o problema->Adotar uma tese(posição sobre um determinado assunto)-
>Argumentos ->Para defender uma tese e ligar as ideias entre si, sob uma forma
lógica.
Preposição-É uma frase declarativa que exprime literalmente o pensamento. Só as
frases declarativas são preposições e só destas podemos dizer se são verdadeiras ou
falsas.
Um raciocínio é um processo de inferência, isto é, um processo pelo qual se chega de
uma coisa a outra. É um conjunto de várias proposições, chamadas premissas, e uma
outra preposição final, chamada conclusão.
->As premissas fundamentam a conclusão.
-> A conclusão é justificada pelas premissas.
5. Ordenar termos por ordem crescente e decrescente de extensão e
compreensão;
1-Crescente – Expansão
Bairro alto-lisboa-europa-mundo
2-decrescente-compreensão
Pardal-passaro-ave-ser-vivo
6. Identificar e classificar proposições;
Todos os homens são mortais – Universal Afirmativa – A
Todos/Nenhum os homens não são mulheres – Universal Negativa – E
Alguns homens são médicos – Particular Afirmativa – I
Alguns homens não são engenheiros – Particular Negativa – O
7. Definir argumento identificar os termos e proposições que o constituem;
Argumento é uma sequência de proposições organizadas de tal modo que a
conclusão a que chegamos tem por base outra ou outras proposições a que
chamamos premissas. Exemplo: Todos os homens são mortais. Sócrates é um
homem. Logo, Sócrates é mortal.
Um argumento é, portanto, constituído por proposições, embora nem todas as
frases que proferimos sejam proposições.
Os argumentos são conjuntos de proposições, mas nem todos os conjuntos de
proposições são argumentos. Um argumento é mais do que uma lista de
proposições. Para se tratar de um argumento as proposições têm de estar
organizadas de um modo tal que uma delas (a conclusão) se apresente como a
consequência das outras (as premissas). Dito por outras palavras: as
premissas devem apresentar-se como uma justificação ou apoio da conclusão.
Essa relação existe no exemplo A mas não no B. Por isso, este não é um
argumento.
8. Distinguir verdade de validade.
Distinguir Verdade e Validade
Tanto a Verdade como a Falsidade são valores lógicos que devem ser
considerados apenas a nível dos juízos e das proposições. A verdade relaciona-se
com o conteúdo ou matéria de um argumento eimplica a referência à realidade,
isto é, busca saber se há ou não adequação entre o que pensamos edizemos
acerca do Mundo e a natureza deste. Esta resulta do facto de o conteúdo se
verificar ou nãona realidade, caso a proposição se realize é considerada verdade,
no caso de não se realizar éconsiderada falsa.A validade é a qualidade formal que
devem ter os nossos raciocínios/argumentos , um raciocino éconsiderado valido se
a ligação que existe entre as proposições estiver devidamente encadeada,
casocontrário é inválido. A validade refere-se a forma ou estrutura do raciocino,
isto é, ao modo dearticulação dos seus elementos constituintes.
Ex: Hoje está a choverEsta frase é valida, do ponto de vista formal pois encontra -
se bem construída, no entanto pode ser falsa se estiver sol.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O conhecimento e a lógica
O conhecimento e a lógicaO conhecimento e a lógica
O conhecimento e a lógicaArlindo Picoli
 
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Atitude Filosófica
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Atitude FilosóficaSlides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Atitude Filosófica
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Atitude FilosóficaTurma Olímpica
 
Filosofia 10 sumários desenvolvidos 2011-2012 - jca
Filosofia 10   sumários desenvolvidos 2011-2012 - jcaFilosofia 10   sumários desenvolvidos 2011-2012 - jca
Filosofia 10 sumários desenvolvidos 2011-2012 - jcaJosé Carlos S. de Almeida
 
Síntese as questões filosóficas
Síntese as questões filosóficasSíntese as questões filosóficas
Síntese as questões filosóficasmluisavalente
 
Apostila de filosofia_1ºano_eja
Apostila de filosofia_1ºano_ejaApostila de filosofia_1ºano_eja
Apostila de filosofia_1ºano_ejaClaudio Santos
 
Apostila de Filosofia
Apostila de FilosofiaApostila de Filosofia
Apostila de FilosofiaLuci Bonini
 
Texto para filosofia, trabalho da bruna
Texto para filosofia, trabalho da brunaTexto para filosofia, trabalho da bruna
Texto para filosofia, trabalho da brunafrederico194320
 
Ficha trab. 10º ano
Ficha trab. 10º anoFicha trab. 10º ano
Ficha trab. 10º anomluisavalente
 
Para que serve a filosofia
Para que serve a filosofiaPara que serve a filosofia
Para que serve a filosofiasuperego
 
T 2002 teste de avaliação
T 2002 teste de avaliaçãoT 2002 teste de avaliação
T 2002 teste de avaliaçãomluisavalente
 
Ficha de trabalho moral e ética
Ficha de trabalho moral e éticaFicha de trabalho moral e ética
Ficha de trabalho moral e éticaj_sdias
 
Filosofia e o valor do conhecimento
Filosofia e o valor do conhecimentoFilosofia e o valor do conhecimento
Filosofia e o valor do conhecimentoedsonfgodoy
 
O que é a filosofia os problemas filosóficos.
O que é a filosofia   os problemas filosóficos.O que é a filosofia   os problemas filosóficos.
O que é a filosofia os problemas filosóficos.Luis De Sousa Rodrigues
 
1 teoria do conhecimento
1 teoria do conhecimento1 teoria do conhecimento
1 teoria do conhecimentoErica Frau
 
Apostila de filosofia 6o ef - 1o bimestre
Apostila de filosofia   6o ef - 1o bimestreApostila de filosofia   6o ef - 1o bimestre
Apostila de filosofia 6o ef - 1o bimestreAndrea Parlen
 
Teoria do conhecimento aristóteles
Teoria do conhecimento aristótelesTeoria do conhecimento aristóteles
Teoria do conhecimento aristótelesCristian Oliveira
 
A Experiência Filosófica - Capítulo 1 - Filosofando
A Experiência Filosófica - Capítulo 1 - FilosofandoA Experiência Filosófica - Capítulo 1 - Filosofando
A Experiência Filosófica - Capítulo 1 - FilosofandoAbraão Carvalho
 

Mais procurados (20)

A reflexão filosófica
A reflexão filosóficaA reflexão filosófica
A reflexão filosófica
 
O conhecimento e a lógica
O conhecimento e a lógicaO conhecimento e a lógica
O conhecimento e a lógica
 
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Atitude Filosófica
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Atitude FilosóficaSlides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Atitude Filosófica
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Atitude Filosófica
 
Filosofia 10 sumários desenvolvidos 2011-2012 - jca
Filosofia 10   sumários desenvolvidos 2011-2012 - jcaFilosofia 10   sumários desenvolvidos 2011-2012 - jca
Filosofia 10 sumários desenvolvidos 2011-2012 - jca
 
Síntese as questões filosóficas
Síntese as questões filosóficasSíntese as questões filosóficas
Síntese as questões filosóficas
 
Apostila de filosofia_1ºano_eja
Apostila de filosofia_1ºano_ejaApostila de filosofia_1ºano_eja
Apostila de filosofia_1ºano_eja
 
Atitudes filosóficas
Atitudes filosóficasAtitudes filosóficas
Atitudes filosóficas
 
Apostila de Filosofia
Apostila de FilosofiaApostila de Filosofia
Apostila de Filosofia
 
Texto para filosofia, trabalho da bruna
Texto para filosofia, trabalho da brunaTexto para filosofia, trabalho da bruna
Texto para filosofia, trabalho da bruna
 
Ficha trab. 10º ano
Ficha trab. 10º anoFicha trab. 10º ano
Ficha trab. 10º ano
 
Para que serve a filosofia
Para que serve a filosofiaPara que serve a filosofia
Para que serve a filosofia
 
T 2002 teste de avaliação
T 2002 teste de avaliaçãoT 2002 teste de avaliação
T 2002 teste de avaliação
 
Ficha de trabalho moral e ética
Ficha de trabalho moral e éticaFicha de trabalho moral e ética
Ficha de trabalho moral e ética
 
Filosofia e o valor do conhecimento
Filosofia e o valor do conhecimentoFilosofia e o valor do conhecimento
Filosofia e o valor do conhecimento
 
O que é a filosofia os problemas filosóficos.
O que é a filosofia   os problemas filosóficos.O que é a filosofia   os problemas filosóficos.
O que é a filosofia os problemas filosóficos.
 
1 teoria do conhecimento
1 teoria do conhecimento1 teoria do conhecimento
1 teoria do conhecimento
 
Apostila de filosofia 6o ef - 1o bimestre
Apostila de filosofia   6o ef - 1o bimestreApostila de filosofia   6o ef - 1o bimestre
Apostila de filosofia 6o ef - 1o bimestre
 
Aula 1 - Para que Filosofia
Aula 1 - Para que FilosofiaAula 1 - Para que Filosofia
Aula 1 - Para que Filosofia
 
Teoria do conhecimento aristóteles
Teoria do conhecimento aristótelesTeoria do conhecimento aristóteles
Teoria do conhecimento aristóteles
 
A Experiência Filosófica - Capítulo 1 - Filosofando
A Experiência Filosófica - Capítulo 1 - FilosofandoA Experiência Filosófica - Capítulo 1 - Filosofando
A Experiência Filosófica - Capítulo 1 - Filosofando
 

Semelhante a Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)

Projetos Experimentais I - Aula 2
Projetos Experimentais I - Aula 2Projetos Experimentais I - Aula 2
Projetos Experimentais I - Aula 2Ricardo Americo
 
Introdução disciplina Teoria do Conhecimento
Introdução disciplina Teoria do ConhecimentoIntrodução disciplina Teoria do Conhecimento
Introdução disciplina Teoria do ConhecimentoLucianoEnes1
 
Metodologia de pesquisa i 2015
Metodologia de pesquisa i 2015Metodologia de pesquisa i 2015
Metodologia de pesquisa i 2015Alexandre Felipe
 
Apostila do projeto integrador i
Apostila do projeto integrador iApostila do projeto integrador i
Apostila do projeto integrador iElizabete Dias
 
Racionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mp
Racionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mpRacionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mp
Racionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mpalemisturini
 
Aula 1 metodologia científica
Aula 1   metodologia científicaAula 1   metodologia científica
Aula 1 metodologia científicaLudmila Moura
 
01 o conhecimento
01 o conhecimento01 o conhecimento
01 o conhecimentoJoao Balbi
 
01 o conhecimento
01 o conhecimento01 o conhecimento
01 o conhecimentoJoao Balbi
 
resumo_do_11º_ano_para_prepaprar_o_exame.pdf
resumo_do_11º_ano_para_prepaprar_o_exame.pdfresumo_do_11º_ano_para_prepaprar_o_exame.pdf
resumo_do_11º_ano_para_prepaprar_o_exame.pdfTamraSilva
 
Doença e diagnóstico nosológico em psiquiatria
Doença e diagnóstico nosológico em psiquiatriaDoença e diagnóstico nosológico em psiquiatria
Doença e diagnóstico nosológico em psiquiatriaLuiz-Salvador Miranda-Sa
 
MIC-Métodos-2021.pptx
MIC-Métodos-2021.pptxMIC-Métodos-2021.pptx
MIC-Métodos-2021.pptxVenncioCorreia
 
Filosofia 10ºano 1ºperiodo (resumos)
Filosofia 10ºano 1ºperiodo (resumos)Filosofia 10ºano 1ºperiodo (resumos)
Filosofia 10ºano 1ºperiodo (resumos)Mariana Monteiro
 

Semelhante a Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno) (20)

Razão e Lógica
Razão e LógicaRazão e Lógica
Razão e Lógica
 
Filosofia 11ºano
Filosofia 11ºanoFilosofia 11ºano
Filosofia 11ºano
 
Projetos Experimentais I - Aula 2
Projetos Experimentais I - Aula 2Projetos Experimentais I - Aula 2
Projetos Experimentais I - Aula 2
 
Filosofia 11ºano ag
Filosofia 11ºano agFilosofia 11ºano ag
Filosofia 11ºano ag
 
Filosofia da razão
Filosofia da razãoFilosofia da razão
Filosofia da razão
 
Introdução disciplina Teoria do Conhecimento
Introdução disciplina Teoria do ConhecimentoIntrodução disciplina Teoria do Conhecimento
Introdução disciplina Teoria do Conhecimento
 
Metodologia de pesquisa i 2015
Metodologia de pesquisa i 2015Metodologia de pesquisa i 2015
Metodologia de pesquisa i 2015
 
Ciência, Pseudociência e Senso Comum - Psicologia
 Ciência, Pseudociência e Senso Comum - Psicologia  Ciência, Pseudociência e Senso Comum - Psicologia
Ciência, Pseudociência e Senso Comum - Psicologia
 
Apostila do projeto integrador i
Apostila do projeto integrador iApostila do projeto integrador i
Apostila do projeto integrador i
 
Racionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mp
Racionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mpRacionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mp
Racionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mp
 
Aula 1 metodologia científica
Aula 1   metodologia científicaAula 1   metodologia científica
Aula 1 metodologia científica
 
Filosofia, filosofias
Filosofia, filosofias Filosofia, filosofias
Filosofia, filosofias
 
01 o conhecimento
01 o conhecimento01 o conhecimento
01 o conhecimento
 
01 o conhecimento
01 o conhecimento01 o conhecimento
01 o conhecimento
 
resumo_do_11º_ano_para_prepaprar_o_exame.pdf
resumo_do_11º_ano_para_prepaprar_o_exame.pdfresumo_do_11º_ano_para_prepaprar_o_exame.pdf
resumo_do_11º_ano_para_prepaprar_o_exame.pdf
 
A importância da pesquisa na universidade
A importância da pesquisa na universidadeA importância da pesquisa na universidade
A importância da pesquisa na universidade
 
Doença e diagnóstico nosológico em psiquiatria
Doença e diagnóstico nosológico em psiquiatriaDoença e diagnóstico nosológico em psiquiatria
Doença e diagnóstico nosológico em psiquiatria
 
MIC-Métodos-2021.pptx
MIC-Métodos-2021.pptxMIC-Métodos-2021.pptx
MIC-Métodos-2021.pptx
 
Resumo
ResumoResumo
Resumo
 
Filosofia 10ºano 1ºperiodo (resumos)
Filosofia 10ºano 1ºperiodo (resumos)Filosofia 10ºano 1ºperiodo (resumos)
Filosofia 10ºano 1ºperiodo (resumos)
 

Mais de Maria Freitas

The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...
The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...
The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...Maria Freitas
 
“Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...
 “Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg... “Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...
“Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...Maria Freitas
 
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»Maria Freitas
 
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)Maria Freitas
 
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)Maria Freitas
 
Objetivos Psicologia - Teste Nº3
Objetivos Psicologia - Teste Nº3Objetivos Psicologia - Teste Nº3
Objetivos Psicologia - Teste Nº3Maria Freitas
 
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)Maria Freitas
 
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º Ano
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º AnoLista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º Ano
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º AnoMaria Freitas
 
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)Maria Freitas
 
Doenças do Sistema Nervoso
Doenças do Sistema NervosoDoenças do Sistema Nervoso
Doenças do Sistema NervosoMaria Freitas
 
Análise Poema - A Última Nau (Guião)
Análise Poema - A Última Nau (Guião)Análise Poema - A Última Nau (Guião)
Análise Poema - A Última Nau (Guião)Maria Freitas
 
Análise do Poema - A Última Nau
Análise do Poema - A Última NauAnálise do Poema - A Última Nau
Análise do Poema - A Última NauMaria Freitas
 
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodo
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodoObjetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodo
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodoMaria Freitas
 
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodoObjetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodoMaria Freitas
 
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodoObjetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodoMaria Freitas
 
Objetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodo
Objetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodoObjetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodo
Objetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodoMaria Freitas
 
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)Maria Freitas
 
Trabalho de Geografia sobre Moçambique
Trabalho de Geografia sobre MoçambiqueTrabalho de Geografia sobre Moçambique
Trabalho de Geografia sobre MoçambiqueMaria Freitas
 
Objetivos Fisica e Quimica 3ºperíodo - teste nº5
Objetivos Fisica e Quimica 3ºperíodo - teste nº5Objetivos Fisica e Quimica 3ºperíodo - teste nº5
Objetivos Fisica e Quimica 3ºperíodo - teste nº5Maria Freitas
 

Mais de Maria Freitas (20)

The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...
The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...
The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...
 
“Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...
 “Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg... “Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...
“Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...
 
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»
 
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)
 
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)
 
Objetivos Psicologia - Teste Nº3
Objetivos Psicologia - Teste Nº3Objetivos Psicologia - Teste Nº3
Objetivos Psicologia - Teste Nº3
 
Objetivos Filosofia
Objetivos FilosofiaObjetivos Filosofia
Objetivos Filosofia
 
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)
 
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º Ano
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º AnoLista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º Ano
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º Ano
 
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)
 
Doenças do Sistema Nervoso
Doenças do Sistema NervosoDoenças do Sistema Nervoso
Doenças do Sistema Nervoso
 
Análise Poema - A Última Nau (Guião)
Análise Poema - A Última Nau (Guião)Análise Poema - A Última Nau (Guião)
Análise Poema - A Última Nau (Guião)
 
Análise do Poema - A Última Nau
Análise do Poema - A Última NauAnálise do Poema - A Última Nau
Análise do Poema - A Última Nau
 
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodo
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodoObjetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodo
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodo
 
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodoObjetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
 
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodoObjetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodo
 
Objetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodo
Objetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodoObjetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodo
Objetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodo
 
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)
 
Trabalho de Geografia sobre Moçambique
Trabalho de Geografia sobre MoçambiqueTrabalho de Geografia sobre Moçambique
Trabalho de Geografia sobre Moçambique
 
Objetivos Fisica e Quimica 3ºperíodo - teste nº5
Objetivos Fisica e Quimica 3ºperíodo - teste nº5Objetivos Fisica e Quimica 3ºperíodo - teste nº5
Objetivos Fisica e Quimica 3ºperíodo - teste nº5
 

Último

Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoVitor Vieira Vasconcelos
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxprofbrunogeo95
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...marioeugenio8
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 

Último (20)

Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 

Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)

  • 1. OBJETIVOS PARA O TESTE DE FILOSOFIA (2º TESTE) 1. Caracterizar Senso Comum, Ciência e Filosofia; O conhecimento comum caracteriza-se por ser espontâneo, vulgar, senso comum, bom senso, condensado muitas vezes nos ditos populares, nas crenças e crendices que povoam o imaginário do homem quotidiano. (sabedoria popular). O que caracteriza basicamente as noções pertencentes ao senso comum não é a sua verdade ou falsidade. É a falsidade de fundamentação sistemática. Isto é, as pessoas não sabem o porquê dessas noções. Trata-se, portanto, de um conhecimento adquirido sem uma base crítica, precisa, coerente e sistemática. Senso Comum(conhecimento comum) –Espontâneo; Superficial; provem da observação sensorial e da tradiação; assume o aparente como real e verdadeiro; sem a análise crítica (acrítico); não metódico (imetódico); partilhado pela comunidade e transmitido pela tradição e usos; infundamentado, confuso, contraditório. A ciência surgiu com a intenção de entender e explicar racional e objectivamente o mundo para nele intervir. A ciência visa o controle prático da natureza. É um conhecimento sistemático e seguro de um conjunto de fenómenos que ocorrem de maneira regular e uniforme.O cientista constrói leis e teorias gerais, levanta um problema, segue algumas hipóteses. Ciência (conhecimento científico) – Construído; Visa explicar os fenómenos; apresenta teorias suportadas por meios experimentais (e formais) de prova; Metódico (hipótese- experimentação); investiga realidades particulares (seu objeto); multiplica as áreas do conhecimento(especialização – fragmentação do saber); Oferece soluções (em princípio) definitivamente fechadas. Filosofia (conhecimento filosófico) – A filosofia exige rigor de pensamento. A filosofia foi a primeira ciência a existir. A filosofia não busca soluções nem tem finalidade à apresentação de respostas. A filosofia se caracteriza por um constante indagar questionar, perguntar, cujas respostas se tornam objecto de novas indagações e questionamentos. Construído; visa compreender a significação de fenómenos; apresenta teorias suportadas pelos argumentos; metódico (argumentação); investiga a totalidade do real (seu objeto:todo); Relaciona o saber com o real e os saberes entre si (unificadas); oferece respostas abertas;
  • 2. 2. Explicar as diferenças entre Ciência e Filosofia; 3. Explicar o que aproxima a Ciência da Filosofia; Há problemas filosóficos colocados pela Filosofia que as ciências também investigam, mas há problemas especificamente filosóficos. • A Filosofia e a Ciência são duas formas de saber distintas e complementares. • A Ciência procura explicar o funcionamento da realidade, enquanto que a Filosofia procura compreender os princípios que devem orientar a existência e desvendar os fins para que tudo supostamente caminha. O que aproxima: São ambos saberes construídos; São ambos racionais; São ambos metódicos; O que afasta: Uma é explicativa (ciência) e outra é compreensiva (filosofia); Usam métodos diferentes; A ciência é “expecializadora”, a filosfia é unificadora; Objeto: particular (ciência), abrangente (filosofia) Objetivo-Explicar(ciência) Compreender/Significar (Fil.) Método-Experimental/Demonstração formal; Argumentação; Objeto-Particular/Parcelar; Todo/Totalidade do real; Natureza do saber que produzem-Especializado/Fragmentado Unificador; Teorias-Teorias por principio Teorias absolutas;
  • 3. 4. Conhecer as noções de conceito, termo, juízo, proposição, raciocínio e argumento; Identificar o problema->Adotar uma tese(posição sobre um determinado assunto)- >Argumentos ->Para defender uma tese e ligar as ideias entre si, sob uma forma lógica. Preposição-É uma frase declarativa que exprime literalmente o pensamento. Só as frases declarativas são preposições e só destas podemos dizer se são verdadeiras ou falsas. Um raciocínio é um processo de inferência, isto é, um processo pelo qual se chega de uma coisa a outra. É um conjunto de várias proposições, chamadas premissas, e uma outra preposição final, chamada conclusão. ->As premissas fundamentam a conclusão. -> A conclusão é justificada pelas premissas. 5. Ordenar termos por ordem crescente e decrescente de extensão e compreensão; 1-Crescente – Expansão Bairro alto-lisboa-europa-mundo 2-decrescente-compreensão Pardal-passaro-ave-ser-vivo 6. Identificar e classificar proposições; Todos os homens são mortais – Universal Afirmativa – A Todos/Nenhum os homens não são mulheres – Universal Negativa – E Alguns homens são médicos – Particular Afirmativa – I Alguns homens não são engenheiros – Particular Negativa – O
  • 4. 7. Definir argumento identificar os termos e proposições que o constituem; Argumento é uma sequência de proposições organizadas de tal modo que a conclusão a que chegamos tem por base outra ou outras proposições a que chamamos premissas. Exemplo: Todos os homens são mortais. Sócrates é um homem. Logo, Sócrates é mortal. Um argumento é, portanto, constituído por proposições, embora nem todas as frases que proferimos sejam proposições. Os argumentos são conjuntos de proposições, mas nem todos os conjuntos de proposições são argumentos. Um argumento é mais do que uma lista de proposições. Para se tratar de um argumento as proposições têm de estar organizadas de um modo tal que uma delas (a conclusão) se apresente como a consequência das outras (as premissas). Dito por outras palavras: as premissas devem apresentar-se como uma justificação ou apoio da conclusão. Essa relação existe no exemplo A mas não no B. Por isso, este não é um argumento. 8. Distinguir verdade de validade.
  • 5. Distinguir Verdade e Validade Tanto a Verdade como a Falsidade são valores lógicos que devem ser considerados apenas a nível dos juízos e das proposições. A verdade relaciona-se com o conteúdo ou matéria de um argumento eimplica a referência à realidade, isto é, busca saber se há ou não adequação entre o que pensamos edizemos acerca do Mundo e a natureza deste. Esta resulta do facto de o conteúdo se verificar ou nãona realidade, caso a proposição se realize é considerada verdade, no caso de não se realizar éconsiderada falsa.A validade é a qualidade formal que devem ter os nossos raciocínios/argumentos , um raciocino éconsiderado valido se a ligação que existe entre as proposições estiver devidamente encadeada, casocontrário é inválido. A validade refere-se a forma ou estrutura do raciocino, isto é, ao modo dearticulação dos seus elementos constituintes. Ex: Hoje está a choverEsta frase é valida, do ponto de vista formal pois encontra - se bem construída, no entanto pode ser falsa se estiver sol.