SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Baixar para ler offline
1
Objetivos de História
1ºPeríodo-1ºTeste de Avaliação
1-Explicar o que levou ao fim da monarquia a 5 de Outubro de 1910.
Políticos:
Portugal era governado por D.Carlos (que tinha cedido ao ultimato inglês);
Criaramo partido republicano contra a monarquia (apoiado por jornalistas,
escritores,advogados);
Económicos:
Dependente das importações,balança comercial instável (muitasimportações epoucas
exportações);
Recurso a empréstimos ao estrangeiro;
Elevada dívida pública;
Baixa produtividade;
Sociais:
Descontentamento social pra’como rei;
Empobrecimento da população;
2-Conhecer as medidas dos republicanosnos diferentes domínios.
Laicização do estado (separação dos assuntos da igrejaedo estado) :
Criação da conservatóriado registo civil (denascimentos,casamentos e óbitos tarefa feita
anteriormente pela igreja);
Proibição do ensino religioso na escola;
Legalização no divórcio;
Nacionalização dos bens da igreja;
Expulsão das ordens religiosas;
Social:
Criado o subsídio de velhice(reforma);
Criarammaternidade;
Domingo passou a ser o dia de descanso semanal obrigatório;
Foram criadasleisquecontemplavam a igualdadede direitos dos filhos legítimos eilegítimos;
Legalização do divórcio;
O horário detrabalho semanal foi fixado em 48 horas para maioriados trabalhadores e42 para
empregados de escritório ebanqueiros.
Direito à greve;
Educativas:
Estabelecimento da escolaridadeobrigatória entreos 7 e 12 anos e gratuita;
Criação dejardins-escola eaumento do número de escolas primárias;
Criação das UniversidadesdeLisboa e Porto;
3-Explicar a constituição de1911.
Democracia parlamentar;
2
Separação dos três poderes;
Legistlativo (atribuído ao congresso/parlamento),elegiam ou destituíam o Presidente da
República;
Judicial (tribunal);
Executivo (Pesidente da República eGoverno);
O povo elegia os deputados para o parlamento (homensos com + de 21 anos,chefes de família
que sabiamler eescrever).
Depois da Implantação da República,o atual governo mudou a constituição (conjunto de
normas onde estão estabelecidos os direitos e deveres de casa cidadão). Quem tinha mais poder era o
poder legislativo,constituído pelos deputados e senado. Existiamtambém mais dois poderes que era o
executivo e judicial.O executivo era constituído pelo Presidente da República,que podia ser destituído e
eleito pelo parlamento.O poder judicial pertencia aos tribunais.O povo podia apenas eleger o
parlamento. Contudo o poder legislativo era mais forte que o executivo causando então uma grande
instabilidade política pois em 16 anos houve 45 governos e 8 presidentes da república.
4-Conhecer a posição dePortugal face à primeira guerra.
Os republicanos estavamdivididosentre si,pois enquanto uns estavam a favor da entrada outros
estavam contra.Os republicanos queestavam a favor tinham os seguintes motivos:
Garantir a possedas colónias disputadaspela Grã Bretanha e Alemanha;
Alcançar uma posição deprestígio em termos europeu;
E também porque éramos aliados da Inglaterra.
Venceu a parte de republicanos que estava a favor da guerra. Portugal entrou na guerra em 1916, com
o CEP (Corpo Expedicionário Português).
5-Explicar o que levou ao fim da 1ª República a 1926.
O que levou ao fim da 1ª República em 1926 foi :
Instabilidade Política – 16 anos : 45 governos, 8 Presidentes da Republica;
Agravamento da situação económica:
Aumento da dívida pública;
Agravamento da inflação;
Falências;
Agravamento da situação social:
Greves, desemprego, pobreza, fome, atentados à bomba …
6-Conhecer quem foi Salazar.
António de Oliveira Salazar,foi convidado por ÓscarCarmona para Ministro das Finanças.Aumentou os
impostos,reduziu as despesas públicas(dos ministérios),principalmentenos domínios da saúde,
educação e nos salários dos funcionáriospúblicos.Salazar conseguiu reorganizar as finançasdo país.
Conseguiu que o valor das receitas do estado fosse superior ao das despesas sendo considerado
“Salvador da Pátria”. Em 1932 foi eleito Presidente do Concelho de Ministros.
7-Caracterizar os loucosanos 20.
A IGM, mudou completamente a maneira de pensar e sentir na sociedade.Todas as mortes, feridos e
desgostos fizeram com que as pessoas começassema “gozar a vida”.Primeiramente nos EUA e de
seguida na Europa, a população procurava alegriaedivertimento. Esta “fúria de viver” atingiu o seu
auge na década de 1920, daí ser designada como “loucos anos 20”. Existiramgrandes mudanças,
3
nomeadamente nos hábitos sociais da burguesia:a procura dedivertimentos nas grandes cidades,a
vida noturna ganhou importância (fazendo aumentar cafés,restaurantes,locais deconvívio público).A
mulher começou a consumir álcool,fumava econvivía livremente. Os cabarés animaram-secomum
novo estilo de música (jazz) e também novos estilos de dança (charleston,foxtrote tango). Na moda o
sutiã substituiu o espartilho,a saiasubiu atéao joelho e o cabelo foi cortado à gorçonne.
8-Definir classes médias.
ClasseMédia - Ligada ao desenvolvimento do setor terciário (comércio e serviços),era constituída ela
pequena e média burguesia (pequenos patrões de indústria ede comércio, artesãos,membros das
profissões liberaisefuncionáriospúblicos).Cada vezmais numerosas,as classes médias devido ao seu
nível de instrução e consciencialização,passarama desempenhar um importante papel nas sociedades
dos países industrializados,sendo responsáveispor significativasmudançaspolíticas,sociaiseculturais
do século XX
9-Explicar a emancipação feminina.
Durante a guerra muitos homens tiveram de abandonar os seus postos de trabalho,que passarama ser
ocupados pelas mulheres (que anteriormente ocupavam-secom a vida de casa).Duranteo conflito
eram as mulheres que sustentavama casa.Ao tomarem consciência do seu papel ocupado na sociedade
era importante, lutarampelo direito à igualdadepolítica,económica esocial,intensificando o programa
de emancipação,desdehá anos exigido pelo movimento feminista.Nos anos 20 essedireito começou
finalmente a ser reconhecido. Passarama ter:
Igualdadeeconómica – Direito à profissão/emprego;
Social - Começaram a fumar, a consumir alcóol;
Substituiramo sutiã pelo espartilho;
A saia subiu atéao joelho;
Cabelo cortado à garçonne;
10-Definir cultura demassas.
Nos anos 20,devido às regalias sociaisqueo povo conseguiu alcançar,passarama ter mais tempo livre.
O facto de uma grande parte da população passara ser instruída,fezcom que a produção cultural
(livros,revistas,rádios, cinemas) sealargassea uma maior quantidadede pessoas dediversos estratos
sociais.Surgiu uma nova cultura,a cultura de massas, que opondo-se a uma cultura de elite, procurava
ir ao encontro dos gostos e das aspirações da população emgeral,proporcionando mais divertimento,
prazer e fantasia.Vários fatores estiveramna origem deste aparecimento desta cultura de massas:
O desenvolvimento dos transportes e comunicações,já iniciado no século anterior;
Expansão das classesmédias,mais instruídasegozando de mais tempo livre;
A maior participação dos cidadãosnas atividades políticassociaisesindicais;

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1ª Republica De Portugal
1ª Republica De Portugal1ª Republica De Portugal
1ª Republica De Portugalcrie_historia9
 
Fim da monarquia e implantação da república
Fim da monarquia e implantação da repúblicaFim da monarquia e implantação da república
Fim da monarquia e implantação da repúblicavanessasequeira
 
Implantação da República
Implantação da RepúblicaImplantação da República
Implantação da RepúblicaJorge Almeida
 
Da queda da Monarquia à implantação da República
Da queda da Monarquia à implantação da RepúblicaDa queda da Monarquia à implantação da República
Da queda da Monarquia à implantação da Repúblicaguesta40f44
 
Um olhar sobre a republica iii
Um olhar sobre a republica iiiUm olhar sobre a republica iii
Um olhar sobre a republica iiiAna Barreiros
 
1ªRepublica Portuguesa
1ªRepublica Portuguesa1ªRepublica Portuguesa
1ªRepublica Portuguesacrie_historia9
 
Da queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da RepúblicaDa queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da RepúblicaInês e Beatriz
 
A primeira república portuguesa
A primeira república portuguesaA primeira república portuguesa
A primeira república portuguesacattonia
 
Da queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da RepúblicaDa queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da RepúblicaInês e Beatriz
 
Portugal:da 1ªRepública à Ditadura Militar
Portugal:da 1ªRepública à Ditadura MilitarPortugal:da 1ªRepública à Ditadura Militar
Portugal:da 1ªRepública à Ditadura Militarnanasimao
 
Resumo da primeira república
Resumo da primeira repúblicaResumo da primeira república
Resumo da primeira repúblicajosepinho
 
Portugal: Da 1ª república à ditadura militar
Portugal: Da 1ª república à ditadura militarPortugal: Da 1ª república à ditadura militar
Portugal: Da 1ª república à ditadura militarAnaM187
 
Síntese da Implantação da República
Síntese da Implantação da RepúblicaSíntese da Implantação da República
Síntese da Implantação da RepúblicaSérgio Bernardo
 
A Queda da primeira república
A Queda da primeira república A Queda da primeira república
A Queda da primeira república Maria Gomes
 
A laicização do Estado
A laicização do Estado  A laicização do Estado
A laicização do Estado eb23ja
 
ApresentaçãO 5 De Outubro 2009
ApresentaçãO 5 De Outubro 2009ApresentaçãO 5 De Outubro 2009
ApresentaçãO 5 De Outubro 2009guesta7ee66
 

Mais procurados (20)

1ª Republica De Portugal
1ª Republica De Portugal1ª Republica De Portugal
1ª Republica De Portugal
 
Fim da monarquia e implantação da república
Fim da monarquia e implantação da repúblicaFim da monarquia e implantação da república
Fim da monarquia e implantação da república
 
Implantação da República
Implantação da RepúblicaImplantação da República
Implantação da República
 
Da queda da Monarquia à implantação da República
Da queda da Monarquia à implantação da RepúblicaDa queda da Monarquia à implantação da República
Da queda da Monarquia à implantação da República
 
Um olhar sobre a republica iii
Um olhar sobre a republica iiiUm olhar sobre a republica iii
Um olhar sobre a republica iii
 
1ªRepublica Portuguesa
1ªRepublica Portuguesa1ªRepublica Portuguesa
1ªRepublica Portuguesa
 
Da queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da RepúblicaDa queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da República
 
A primeira república portuguesa
A primeira república portuguesaA primeira república portuguesa
A primeira república portuguesa
 
Da queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da RepúblicaDa queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da República
 
1º república
1º república1º república
1º república
 
Portugal:da 1ªRepública à Ditadura Militar
Portugal:da 1ªRepública à Ditadura MilitarPortugal:da 1ªRepública à Ditadura Militar
Portugal:da 1ªRepública à Ditadura Militar
 
Resumo da primeira república
Resumo da primeira repúblicaResumo da primeira república
Resumo da primeira república
 
1ª RepúBlica
1ª RepúBlica1ª RepúBlica
1ª RepúBlica
 
Portugal: Da 1ª república à ditadura militar
Portugal: Da 1ª república à ditadura militarPortugal: Da 1ª república à ditadura militar
Portugal: Da 1ª república à ditadura militar
 
Síntese da Implantação da República
Síntese da Implantação da RepúblicaSíntese da Implantação da República
Síntese da Implantação da República
 
A Queda da primeira república
A Queda da primeira república A Queda da primeira república
A Queda da primeira república
 
A laicização do Estado
A laicização do Estado  A laicização do Estado
A laicização do Estado
 
1ª RepúBlica
1ª RepúBlica1ª RepúBlica
1ª RepúBlica
 
A 1ª RepúBlica Cronologia
A 1ª RepúBlica   CronologiaA 1ª RepúBlica   Cronologia
A 1ª RepúBlica Cronologia
 
ApresentaçãO 5 De Outubro 2009
ApresentaçãO 5 De Outubro 2009ApresentaçãO 5 De Outubro 2009
ApresentaçãO 5 De Outubro 2009
 

Semelhante a Objetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodo

9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdfVítor Santos
 
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De SlidesDa Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slidesoliviaguerra
 
Live do 2 ano republica oligarquica
Live do 2 ano republica oligarquicaLive do 2 ano republica oligarquica
Live do 2 ano republica oligarquicaCarlosNazar1
 
43 da queda da monarquia à implantação da república
43   da queda da monarquia à implantação da república43   da queda da monarquia à implantação da república
43 da queda da monarquia à implantação da repúblicaCarla Freitas
 
9 ano 9_3_portugal da primeira república à ditadura militar
9 ano 9_3_portugal da primeira república à ditadura militar9 ano 9_3_portugal da primeira república à ditadura militar
9 ano 9_3_portugal da primeira república à ditadura militarVítor Santos
 
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlicaDa Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlicaMinokitas 1
 
Da queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da RepúblicaDa queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da Repúblicafilipafonso
 
Realizações da 1ª república
Realizações da 1ª repúblicaRealizações da 1ª república
Realizações da 1ª repúblicaGina Rodrigues
 
A 1ª república portuguesa
A 1ª república portuguesaA 1ª república portuguesa
A 1ª república portuguesaBibliotecaAroes
 
Arevolucaorepublicanaeaquedadamonarquia
ArevolucaorepublicanaeaquedadamonarquiaArevolucaorepublicanaeaquedadamonarquia
ArevolucaorepublicanaeaquedadamonarquiaMarta Pereira
 
Texto rep velha
Texto rep velhaTexto rep velha
Texto rep velhafelipeimh
 
HistóRia Do Brasil Parte 2 RepúBlica Velha
HistóRia Do Brasil Parte 2 RepúBlica VelhaHistóRia Do Brasil Parte 2 RepúBlica Velha
HistóRia Do Brasil Parte 2 RepúBlica VelhaJorge Miklos
 
Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...
Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...
Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...josafaslima
 
Trabalho De Historia
Trabalho De HistoriaTrabalho De Historia
Trabalho De Historiaguest600ffe1
 
ImplantaçãO Da RepúBlica
ImplantaçãO Da RepúBlicaImplantaçãO Da RepúBlica
ImplantaçãO Da RepúBlicaguest49e5eea
 

Semelhante a Objetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodo (20)

9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
 
HistóRia Republica
HistóRia RepublicaHistóRia Republica
HistóRia Republica
 
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De SlidesDa Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
 
Live do 2 ano republica oligarquica
Live do 2 ano republica oligarquicaLive do 2 ano republica oligarquica
Live do 2 ano republica oligarquica
 
43 da queda da monarquia à implantação da república
43   da queda da monarquia à implantação da república43   da queda da monarquia à implantação da república
43 da queda da monarquia à implantação da república
 
9 ano 9_3_portugal da primeira república à ditadura militar
9 ano 9_3_portugal da primeira república à ditadura militar9 ano 9_3_portugal da primeira república à ditadura militar
9 ano 9_3_portugal da primeira república à ditadura militar
 
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlicaDa Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica
 
Da queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da RepúblicaDa queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da República
 
Realizações da 1ª república
Realizações da 1ª repúblicaRealizações da 1ª república
Realizações da 1ª república
 
Caderno Diário 1ª República
Caderno Diário 1ª RepúblicaCaderno Diário 1ª República
Caderno Diário 1ª República
 
A 1ª república portuguesa
A 1ª república portuguesaA 1ª república portuguesa
A 1ª república portuguesa
 
A 1ª RepúBlica
A 1ª RepúBlicaA 1ª RepúBlica
A 1ª RepúBlica
 
Arevolucaorepublicanaeaquedadamonarquia
ArevolucaorepublicanaeaquedadamonarquiaArevolucaorepublicanaeaquedadamonarquia
Arevolucaorepublicanaeaquedadamonarquia
 
Texto rep velha
Texto rep velhaTexto rep velha
Texto rep velha
 
HistóRia Do Brasil Parte 2 RepúBlica Velha
HistóRia Do Brasil Parte 2 RepúBlica VelhaHistóRia Do Brasil Parte 2 RepúBlica Velha
HistóRia Do Brasil Parte 2 RepúBlica Velha
 
Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...
Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...
Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...
 
Trabalho De Historia
Trabalho De HistoriaTrabalho De Historia
Trabalho De Historia
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
ImplantaçãO Da RepúBlica
ImplantaçãO Da RepúBlicaImplantaçãO Da RepúBlica
ImplantaçãO Da RepúBlica
 
República Velha
República VelhaRepública Velha
República Velha
 

Mais de Maria Freitas

The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...
The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...
The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...Maria Freitas
 
“Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...
 “Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg... “Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...
“Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...Maria Freitas
 
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»Maria Freitas
 
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)Maria Freitas
 
Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)Maria Freitas
 
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)Maria Freitas
 
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)Maria Freitas
 
Objetivos Psicologia - Teste Nº3
Objetivos Psicologia - Teste Nº3Objetivos Psicologia - Teste Nº3
Objetivos Psicologia - Teste Nº3Maria Freitas
 
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)Maria Freitas
 
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º Ano
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º AnoLista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º Ano
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º AnoMaria Freitas
 
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)Maria Freitas
 
Doenças do Sistema Nervoso
Doenças do Sistema NervosoDoenças do Sistema Nervoso
Doenças do Sistema NervosoMaria Freitas
 
Análise Poema - A Última Nau (Guião)
Análise Poema - A Última Nau (Guião)Análise Poema - A Última Nau (Guião)
Análise Poema - A Última Nau (Guião)Maria Freitas
 
Análise do Poema - A Última Nau
Análise do Poema - A Última NauAnálise do Poema - A Última Nau
Análise do Poema - A Última NauMaria Freitas
 
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodo
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodoObjetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodo
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodoMaria Freitas
 
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodoObjetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodoMaria Freitas
 
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodoObjetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodoMaria Freitas
 
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)Maria Freitas
 
Trabalho de Geografia sobre Moçambique
Trabalho de Geografia sobre MoçambiqueTrabalho de Geografia sobre Moçambique
Trabalho de Geografia sobre MoçambiqueMaria Freitas
 

Mais de Maria Freitas (20)

The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...
The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...
The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...
 
“Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...
 “Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg... “Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...
“Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...
 
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»
 
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)
 
Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)
 
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)
 
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)
 
Objetivos Psicologia - Teste Nº3
Objetivos Psicologia - Teste Nº3Objetivos Psicologia - Teste Nº3
Objetivos Psicologia - Teste Nº3
 
Objetivos Filosofia
Objetivos FilosofiaObjetivos Filosofia
Objetivos Filosofia
 
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)
 
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º Ano
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º AnoLista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º Ano
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º Ano
 
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)
 
Doenças do Sistema Nervoso
Doenças do Sistema NervosoDoenças do Sistema Nervoso
Doenças do Sistema Nervoso
 
Análise Poema - A Última Nau (Guião)
Análise Poema - A Última Nau (Guião)Análise Poema - A Última Nau (Guião)
Análise Poema - A Última Nau (Guião)
 
Análise do Poema - A Última Nau
Análise do Poema - A Última NauAnálise do Poema - A Última Nau
Análise do Poema - A Última Nau
 
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodo
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodoObjetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodo
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodo
 
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodoObjetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
 
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodoObjetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodo
 
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)
 
Trabalho de Geografia sobre Moçambique
Trabalho de Geografia sobre MoçambiqueTrabalho de Geografia sobre Moçambique
Trabalho de Geografia sobre Moçambique
 

Último

Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESpatriciasofiacunha18
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalSilvana Silva
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 

Último (20)

Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 

Objetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodo

  • 1. 1 Objetivos de História 1ºPeríodo-1ºTeste de Avaliação 1-Explicar o que levou ao fim da monarquia a 5 de Outubro de 1910. Políticos: Portugal era governado por D.Carlos (que tinha cedido ao ultimato inglês); Criaramo partido republicano contra a monarquia (apoiado por jornalistas, escritores,advogados); Económicos: Dependente das importações,balança comercial instável (muitasimportações epoucas exportações); Recurso a empréstimos ao estrangeiro; Elevada dívida pública; Baixa produtividade; Sociais: Descontentamento social pra’como rei; Empobrecimento da população; 2-Conhecer as medidas dos republicanosnos diferentes domínios. Laicização do estado (separação dos assuntos da igrejaedo estado) : Criação da conservatóriado registo civil (denascimentos,casamentos e óbitos tarefa feita anteriormente pela igreja); Proibição do ensino religioso na escola; Legalização no divórcio; Nacionalização dos bens da igreja; Expulsão das ordens religiosas; Social: Criado o subsídio de velhice(reforma); Criarammaternidade; Domingo passou a ser o dia de descanso semanal obrigatório; Foram criadasleisquecontemplavam a igualdadede direitos dos filhos legítimos eilegítimos; Legalização do divórcio; O horário detrabalho semanal foi fixado em 48 horas para maioriados trabalhadores e42 para empregados de escritório ebanqueiros. Direito à greve; Educativas: Estabelecimento da escolaridadeobrigatória entreos 7 e 12 anos e gratuita; Criação dejardins-escola eaumento do número de escolas primárias; Criação das UniversidadesdeLisboa e Porto; 3-Explicar a constituição de1911. Democracia parlamentar;
  • 2. 2 Separação dos três poderes; Legistlativo (atribuído ao congresso/parlamento),elegiam ou destituíam o Presidente da República; Judicial (tribunal); Executivo (Pesidente da República eGoverno); O povo elegia os deputados para o parlamento (homensos com + de 21 anos,chefes de família que sabiamler eescrever). Depois da Implantação da República,o atual governo mudou a constituição (conjunto de normas onde estão estabelecidos os direitos e deveres de casa cidadão). Quem tinha mais poder era o poder legislativo,constituído pelos deputados e senado. Existiamtambém mais dois poderes que era o executivo e judicial.O executivo era constituído pelo Presidente da República,que podia ser destituído e eleito pelo parlamento.O poder judicial pertencia aos tribunais.O povo podia apenas eleger o parlamento. Contudo o poder legislativo era mais forte que o executivo causando então uma grande instabilidade política pois em 16 anos houve 45 governos e 8 presidentes da república. 4-Conhecer a posição dePortugal face à primeira guerra. Os republicanos estavamdivididosentre si,pois enquanto uns estavam a favor da entrada outros estavam contra.Os republicanos queestavam a favor tinham os seguintes motivos: Garantir a possedas colónias disputadaspela Grã Bretanha e Alemanha; Alcançar uma posição deprestígio em termos europeu; E também porque éramos aliados da Inglaterra. Venceu a parte de republicanos que estava a favor da guerra. Portugal entrou na guerra em 1916, com o CEP (Corpo Expedicionário Português). 5-Explicar o que levou ao fim da 1ª República a 1926. O que levou ao fim da 1ª República em 1926 foi : Instabilidade Política – 16 anos : 45 governos, 8 Presidentes da Republica; Agravamento da situação económica: Aumento da dívida pública; Agravamento da inflação; Falências; Agravamento da situação social: Greves, desemprego, pobreza, fome, atentados à bomba … 6-Conhecer quem foi Salazar. António de Oliveira Salazar,foi convidado por ÓscarCarmona para Ministro das Finanças.Aumentou os impostos,reduziu as despesas públicas(dos ministérios),principalmentenos domínios da saúde, educação e nos salários dos funcionáriospúblicos.Salazar conseguiu reorganizar as finançasdo país. Conseguiu que o valor das receitas do estado fosse superior ao das despesas sendo considerado “Salvador da Pátria”. Em 1932 foi eleito Presidente do Concelho de Ministros. 7-Caracterizar os loucosanos 20. A IGM, mudou completamente a maneira de pensar e sentir na sociedade.Todas as mortes, feridos e desgostos fizeram com que as pessoas começassema “gozar a vida”.Primeiramente nos EUA e de seguida na Europa, a população procurava alegriaedivertimento. Esta “fúria de viver” atingiu o seu auge na década de 1920, daí ser designada como “loucos anos 20”. Existiramgrandes mudanças,
  • 3. 3 nomeadamente nos hábitos sociais da burguesia:a procura dedivertimentos nas grandes cidades,a vida noturna ganhou importância (fazendo aumentar cafés,restaurantes,locais deconvívio público).A mulher começou a consumir álcool,fumava econvivía livremente. Os cabarés animaram-secomum novo estilo de música (jazz) e também novos estilos de dança (charleston,foxtrote tango). Na moda o sutiã substituiu o espartilho,a saiasubiu atéao joelho e o cabelo foi cortado à gorçonne. 8-Definir classes médias. ClasseMédia - Ligada ao desenvolvimento do setor terciário (comércio e serviços),era constituída ela pequena e média burguesia (pequenos patrões de indústria ede comércio, artesãos,membros das profissões liberaisefuncionáriospúblicos).Cada vezmais numerosas,as classes médias devido ao seu nível de instrução e consciencialização,passarama desempenhar um importante papel nas sociedades dos países industrializados,sendo responsáveispor significativasmudançaspolíticas,sociaiseculturais do século XX 9-Explicar a emancipação feminina. Durante a guerra muitos homens tiveram de abandonar os seus postos de trabalho,que passarama ser ocupados pelas mulheres (que anteriormente ocupavam-secom a vida de casa).Duranteo conflito eram as mulheres que sustentavama casa.Ao tomarem consciência do seu papel ocupado na sociedade era importante, lutarampelo direito à igualdadepolítica,económica esocial,intensificando o programa de emancipação,desdehá anos exigido pelo movimento feminista.Nos anos 20 essedireito começou finalmente a ser reconhecido. Passarama ter: Igualdadeeconómica – Direito à profissão/emprego; Social - Começaram a fumar, a consumir alcóol; Substituiramo sutiã pelo espartilho; A saia subiu atéao joelho; Cabelo cortado à garçonne; 10-Definir cultura demassas. Nos anos 20,devido às regalias sociaisqueo povo conseguiu alcançar,passarama ter mais tempo livre. O facto de uma grande parte da população passara ser instruída,fezcom que a produção cultural (livros,revistas,rádios, cinemas) sealargassea uma maior quantidadede pessoas dediversos estratos sociais.Surgiu uma nova cultura,a cultura de massas, que opondo-se a uma cultura de elite, procurava ir ao encontro dos gostos e das aspirações da população emgeral,proporcionando mais divertimento, prazer e fantasia.Vários fatores estiveramna origem deste aparecimento desta cultura de massas: O desenvolvimento dos transportes e comunicações,já iniciado no século anterior; Expansão das classesmédias,mais instruídasegozando de mais tempo livre; A maior participação dos cidadãosnas atividades políticassociaisesindicais;