SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 9
Baixar para ler offline
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos
1. Introdução.
1.1 O que são os métodos contracetivos?
 Os métodos contracetivos são meios utilizados para evitar a gravidez quando
esta não é desejada, auxiliando no planeamento familiar e permitindo a vivência
da sexualidade de forma responsável.
 Os métodos contracetivos, aliados a uma política de planeamento familiar, são
essenciais para a diminuição do crescimento da população humana.
1.2 Tipos de métodos contracetivos
 Atualmente existem dois tipos de métodos contracetivos: os métodos naturais
e os métodos não naturais/ artificiais (mecânicos ou químicos).
 À exceção da abstinência sexual, nenhum método é 100% eficaz, porém esta
eficácia poderá ser melhorada com a combinação de dois ou mais métodos
simultaneamente.
1.3 Como atuam os métodos contracetivos ?
Os métodos contracetivos são utilizados com a finalidade de impedir a ocorrência de
gravidez e podem intervir de três formas distintas:
 Impedir a libertação dos gâmetas a partir das gónadas;
 Impedir o encontro dos gâmetas (fecundação);
2. Os métodos contracetivos poderão ser …
2.1 Não Naturais/Artificiais
 Os métodos contracetivos artificiais são mais eficazes do que os
anticoncecionais naturais uma vez que não são baseados na regularidade
(falível) do ciclo menstrual feminino nem dependem da capacidade de
autocontrolo do homem.
 Impedem a fecundação através do uso de objetos químicos ou cirurgia.
2.2 Dentro dos métodos contracetivos não naturais/químicos, estes
poderão ser:
 Químicos
Os métodos químicos consistem na utilização de hormonas (Pilula, Hormonas
Injetáveis, Implante Hormonal, Adesivo Transdérmico e Método Endocetivo
Hormonal e Anel Vaginal) ou de produtos químicos que impedem a atividade dos
espermatozoides (Espermicidas) com a finalidade de impedir a ovulação e/ou a
fecundação, respetivamente.
Nenhum destes métodos impede o contágio pelas DST.
3. Como atuam os métodos contracetivos não naturais químicos ?
4. Espermicidas
 Os espermicidas são compostos por substâncias químicas que inibem a
mobilidade dos espermatozoides.
Existem diferentes tipos de espermicidas que podem ser utilizados:
 Esponja espermicida;
 Espuma espermicida;
 Creme espermicida;
 Gel espermicida;
 Comprimidos vaginais.
4.1 Como Aplicar o espermicida?
 Os espermicidas são introduzidos na vagina com os dedos ou com um
aplicador próprio para o efeito, sendo que o intervalo entre a aplicação e a
relação sexual não deve ultrapassar os 20 a 30 minutos.
Nota: No entanto, este não é um método contracetivo eficaz só por si; quando
utilizado isoladamente, o espermicida tem uma eficácia baixa o que leva a que este
método deva ser associado a outros métodos.
Vantagens:
 Aumenta a eficácia de outros métodos contracetivos.
 Não tem contraindicações – exceto no caso de haver alguma alergia;
Desvantagens:
 Não é usado por si mesmo e sim como método de apoio.
 Confere proteção por pouco tempo;
 Pode causar alergias;
 Não protege das doenças sexualmente transmissíveis (IST)
 Pode aumentar o risco de infeção pelo HIV;
5. Pilula
 A pílula contracetiva é um método que, através da ação hormonal, inibe a
ovulação. Para uma maior eficácia, a pílula a tomar deverá ser prescrita pelo
médico pessoal no sentido de obter benefícios para a saúde reduzindo os
efeitos secundários.
Esta poderá ser:
5.1 Pílula Progestativa/ Minipílula
A pílula progestativa contém apenas na sua composição progesterona sintética.
Deve ser tomada diariamente à mesma hora sem interrupção.
5.2 Pílula Combinada
A pílula combinada contém progesterona e estrogénio sintéticos que desencadeiam
um mecanismo de feedback negativo sobre o complexo hipotálamo-hipófise levando
à redução da produção de LH e FSH, impedindo a ovulação.
Deve ser tomada diariamente à mesma hora durante 21 dias.
Vantagens
 Não interfere na relação sexual;
 Pode regularizar os ciclos menstruais;
 Reduz as dores associadas à menstruação;
 Não afeta a fertilidade;
 Diminui o risco de Doença Inflamatória Pélvica;
 Reduz em 50% o risco de cancro do ovário e do endométrio;
 Diminui a incidência de quistos funcionais do ovário e da doença poliquística.
Desvantagens:
 Dificuldade em tomar a pílula diariamente, por esquecimento;
 Não protege contra as ISTs (Infeções Sexualmente Transmissíveis)
 Contraindicações (tais como: risco de AVC; mulheres com mais de 35 anos e
fumadoras; gravidez; entre outras)
 Efeitos secundários: náuseas, vómitos, alteração do fluxo menstrual,
depressão, etc.
6. Hormonas Injetáveis
 Hormonas injetáveis são injeções intramusculares profundas de substâncias
semelhantes às hormonas femininas impedindo a ovulação e provocando o
aumento da espessura do muco cervical dificultando a passagem dos
espermatozoides.
 Estas injeções podem ser apenas de progesterona sintética que tem a
durabilidade de 3 meses ou podem conter progesterona e estrogénio
sintéticos que necessitam de ser aplicadas a cada 30 dias. Estas aplicações
devem ser feitas sempre pelo ginecologista.
Vantagens :
 Pode melhorar a qualidade do aleitamento;
 Redução dos riscos de desenvolvimento da Doença Inflamatória Pélvica, de
gravidez ectópica e do carcinoma do endométrio;
 Redução das perdas de sangue.
Desvantagens :
 Pode provocar irregularidades no ciclo menstrual (raramente provoca
hemorragias contínuas);
 O retorno aos níveis de fertilidade é mais demorado;
 Não protege contra as doenças sexualmente transmissíveis;
 Contra-indicações (tais como: gravidez; hipertensão grave; entre outras);
 Efeitos secundários: dores de cabeça, perda de cabelo, aumento de peso.
7. Implante hormonal
7.1 Em que consiste?
 Um implante hormonal é um pequeno dispositivo colocado por um
profissional especializado sob a pele no antebraço e que, lentamente, liberta
hormonas (progesterona) para a circulação sanguínea. A sua eficácia é
superior a 99%.
7.2 Quando e como é aplicado o implante?
 O implante é colocado até 5 dias após o início da menstruação. A sua
aplicação é um processo simples que necessita apenas de anestesia local. O
efeito destes implantes é duradouro (de 3 a 5 anos).
 É recomendável a mulheres que pretendam fazer a esterilização mas que
ainda não tenho tomado a decisão final, não sendo por isso aconselhável a
mulheres jovens que ainda não tenham sido mães.
Vantagens:
 É um método prático e de longa duração (3 anos);
 Evita a toma da pílula diariamente e não interfere com a relação sexual;
 Melhora a dismenorreia, isto é, diminui as dores menstruais;
 Não tem os efeitos secundários dos estrogénios;
 Não interfere com o aleitamento;
Desvantagens:
 Na maioria dos casos, há sangramento irregular, podendo haver aumento do
fluxo menstrual ou ausência de menstruação. Estas alterações são mais
comuns no primeiro ano e não têm consequências negativas na saúde da
mulher;
 Podem ocorrer algumas alterações da pele, dores de cabeça, náuseas,
variações do humor;
 Pode verificar-se o aparecimento de quistos foliculares nos ovários
(geralmente não exigem tratamento);
 Necessita de um profissional treinado para a inserção e remoção;
 É relativamente dispendioso.
Não oferece protecção contra as doenças sexualmente transmissíveis.
8. Adesivo Transdérmico
8.1 Como funciona?
 Trata-se de um adesivo fino, quadrado, confortável e de fácil aplicação e
utilização. Diariamente o adesivo colocado liberta doses hormonais de
estrogénio e progesterona sintéticos através da pele para a circulação
sanguínea.
 Tal como a pílula contracetiva e as hormonas injetáveis, os adesivos atuam
de duas formas distintas: impedem a ovulação e promovem o aumento da
espessura do muco cervical para dificultar a passagem dos espermatozóides.
8.2 E quanto à sua eficácia ?
 Não existindo muitos dados relativos à eficácia deste método, estima-se que
esta ronde os 98%.
8.3 Como utilizar o adesivo?
 Aplica-se sobre a pele limpa e seca; Não deve ser colocado sobre o peito, em
zonas irritadas da pele ou com escoriações. Estes adesivos são renovados
uma vez por semana e a mulher não tem que alterar as suas atividades
diárias uma vez que são resistentes à água e não se alteram com a prática
desportiva.
Vantagens:
 Não interfere com a relação sexual;
 Não necessita de motivação diária;
 Após a suspensão do método, o retorno à fertilidade é imediato;
 O prazo de segurança é alargado para dois dias, isto é, continua eficaz se a
mudança de adesivo for esquecida por 48 horas.
Desvantagens:
 Não pode ser utilizado por mulheres com contra-indicação para fazer
métodos hormonais com estrogénios;
Não oferece protecção contra as infecções sexualmente transmissíveis!
9. Anel Vaginal
 O anel vaginal é um método hormonal feito de plástico transparente e flexível
e que possui cerca de 5 cm de diâmetro;
 Este anel está impregnado de hormonas que vão sendo libertadas, de forma
regular, para a corrente sanguínea. Este método contraceptivo é aplicado
uma vez em cada ciclo menstrual, ficando assim a mulher livre da toma diária
da pílula.
9.1 Como é coocado e como utilizar?
 Para a sua colocação não é necessário o auxílio de um profissional podendo
ser a mulher a colocá-lo facilmente. É colocado de forma ficar perto do colo
do útero onde se mantem durante três semanas, Passado esse tempo, a
mulher deve retirá-lo.
 Segue-se um intervalo de uma semana até ser colocado um novo anel.
Durante este período de tempo surge uma hemorragia de privação
(“menstruação”);
Vantagens:
 A mulher não tem de pensar todos os dias na contraceção. Para além
disso, esta pode aderir a um sistema de alerta sms, gratuito, para ser
avisada do dia de colocação e remoção do anel;
 Grande eficácia;
 É um método reversível: a mulher retoma á fertilidade inicial após retirar
o anel;
 Não interfere no acto sexual;
 Regulariza os ciclos menstruais e diminui as dores menstruais;
Desvantagens:
 Não protege contra as doenças sexualmente transmissíveis (IST);
 Tal como em outros métodos hormonais, algumas mulheres podem
apresentar efeitos secundários, tais como náuseas, vómitos ou
hemorragia vaginal;
10. Pílula do dia seguinte
 A pílula do dia seguinte é um método de contracepção de emergência,
que pode ser usado depois de uma relação sexual não protegida ou
quando houve falha do método contraceptivo.
10.1 Situações em que pode ser tomada:
 Relações sexuais em que nenhum dos parceiros utilizou um método
contraceptivo;
 Caso se tenha esquecido de tomar a sua pílula contraceptiva;
 Se o preservativo se rompeu ou deslizou;
 Em caso de violação.

10.2 Como funciona?
 A grande dose de hormonas vai alterar características do muco vaginal,
mudanças no crescimento do endométrio e irá acelerar os movimentos nas
tropas de Falópio.
10.3 E quanto à sua eficácia?
 Se a toma for correta, a pílula do dia seguinte pode atingir um grau de eficácia
muito elevado (99%).
10.4 Quando utilizar?
 A pílula deve ser tomada até 72 horas depois da relação sexual,
preferencialmente nas primeiras 12 horas.
10.5 Com que frequência pode tomar?
 A pílula do dia seguinte só deve ser utilizada como medida de emergência e não
como um método regular de contracepção.
Mensagens importantes sobre a contraceção de emergência:
 Não protege contra as Infecções Sexualmente Transmissíveis!
 Não é um método contraceptivo de uso regular
 Não é abortiva
 Não afecta a fertilidade
 Pode ser adquirida gratuitamente nos centros de saúde e hospitais
 Existem marcas de venda livre nas farmácias
Vantagens:
• Não interfere com a utilização regular de pílulas anticoncepcionais;
• Não afecta a fertilidade a longo prazo;
• É muito eficaz se for tomada imediatamente após a relação sexual;
• O único método contraceptivo que pode ser utilizado pela mulher após a
relação sexual;
• No caso de falha do método, não causa efeitos colaterais no feto.
Desvantagens:
• A sua eficácia diminui com o passar das horas;
• Em mulheres que amamentam, pode diminuir a quantidade do leite materno;
• Os comprimidos podem causar efeitos colaterais leves como: náuseas,
vómitos, tonturas, desconforto no peito e dor de cabeça;
• A menstruação pode adiantar ou atrasar alguns dias;
• O uso repetido facilita a gravidez;
• Certos medicamentos podem reduzir a eficácia deste método.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Métodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosMétodos Contraceptivos
Métodos Contraceptivosvitorjbf
 
Comunicação e o indivíduo
Comunicação e o indivíduoComunicação e o indivíduo
Comunicação e o indivíduoPedro Alves
 
Métodos contraceptivos naturais
Métodos contraceptivos naturaisMétodos contraceptivos naturais
Métodos contraceptivos naturaisap3bmachado
 
Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivospetehunttoons
 
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º AnoResumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º AnoVitor Perfeito
 
Inseminação artificial
Inseminação artificialInseminação artificial
Inseminação artificialRobson Oliveira
 
Modernismo e Fernando Pessoa
Modernismo e Fernando PessoaModernismo e Fernando Pessoa
Modernismo e Fernando PessoaCarla Luís
 
(8) biologia e geologia 10º ano - obtenção de energia
(8) biologia e geologia   10º ano - obtenção de energia(8) biologia e geologia   10º ano - obtenção de energia
(8) biologia e geologia 10º ano - obtenção de energiaHugo Martins
 
Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivosAulas Biologia
 
reprodução assistida
reprodução assistidareprodução assistida
reprodução assistidaguestee6d9a
 
Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivosmartins1977
 

Mais procurados (20)

Métodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosMétodos Contraceptivos
Métodos Contraceptivos
 
Comunicação e o indivíduo
Comunicação e o indivíduoComunicação e o indivíduo
Comunicação e o indivíduo
 
Implante
ImplanteImplante
Implante
 
Métodos contraceptivos naturais
Métodos contraceptivos naturaisMétodos contraceptivos naturais
Métodos contraceptivos naturais
 
Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivos
 
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º AnoResumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
 
Inseminação artificial
Inseminação artificialInseminação artificial
Inseminação artificial
 
Contraceptivos
ContraceptivosContraceptivos
Contraceptivos
 
DESCARTES 11ANO
DESCARTES 11ANODESCARTES 11ANO
DESCARTES 11ANO
 
Modernismo e Fernando Pessoa
Modernismo e Fernando PessoaModernismo e Fernando Pessoa
Modernismo e Fernando Pessoa
 
Ozono na estratosfera
Ozono na estratosferaOzono na estratosfera
Ozono na estratosfera
 
Doping
DopingDoping
Doping
 
(8) biologia e geologia 10º ano - obtenção de energia
(8) biologia e geologia   10º ano - obtenção de energia(8) biologia e geologia   10º ano - obtenção de energia
(8) biologia e geologia 10º ano - obtenção de energia
 
Cantigas trovadorescas
Cantigas trovadorescasCantigas trovadorescas
Cantigas trovadorescas
 
Actos Ilocutórios
Actos IlocutóriosActos Ilocutórios
Actos Ilocutórios
 
Ano da morte
Ano da morteAno da morte
Ano da morte
 
Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivos
 
reprodução assistida
reprodução assistidareprodução assistida
reprodução assistida
 
Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivos
 
A aprendizagem
A aprendizagem A aprendizagem
A aprendizagem
 

Semelhante a Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)

Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivosRazvan Balaci
 
Métodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosMétodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosPeses Ourique
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivosemrcja
 
Métodos Contraceptivos Hormonais ou Químicos
Métodos Contraceptivos Hormonais ou QuímicosMétodos Contraceptivos Hormonais ou Químicos
Métodos Contraceptivos Hormonais ou QuímicosInês Lucas
 
5 mtodos-contracep-1233068264563111-3
5 mtodos-contracep-1233068264563111-35 mtodos-contracep-1233068264563111-3
5 mtodos-contracep-1233068264563111-3Pelo Siro
 
Catarina mendes 338 m+®todos contraceptivos
Catarina mendes 338 m+®todos contraceptivosCatarina mendes 338 m+®todos contraceptivos
Catarina mendes 338 m+®todos contraceptivosAngela Boucinha
 
Métodos Cotraceptivos.PPT
Métodos Cotraceptivos.PPTMétodos Cotraceptivos.PPT
Métodos Cotraceptivos.PPTclara.abegao
 
Metodos Químicos
Metodos QuímicosMetodos Químicos
Metodos QuímicosDarkWolf
 
Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)
Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)
Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)Angela Boucinha
 
Rita martins metodos_contraceptivos_16_21_22_24
Rita martins metodos_contraceptivos_16_21_22_24Rita martins metodos_contraceptivos_16_21_22_24
Rita martins metodos_contraceptivos_16_21_22_24Cláudia Bonifácio
 
Métodos contraceptivos hormonais
Métodos contraceptivos hormonaisMétodos contraceptivos hormonais
Métodos contraceptivos hormonaisRaquel Correia
 
Planeamento familiar e métodos contracetivos
Planeamento familiar e métodos contracetivosPlaneamento familiar e métodos contracetivos
Planeamento familiar e métodos contracetivosBESL
 
mtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.ppt
mtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.pptmtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.ppt
mtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.pptNAYRARAFAELAVIDO
 
Métodos de Contraceção
Métodos de ContraceçãoMétodos de Contraceção
Métodos de Contraceçãotatianaalves13
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivosTânia Reis
 
Metodos contracetivos
Metodos contracetivosMetodos contracetivos
Metodos contracetivosdavidjpereira
 

Semelhante a Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião) (20)

Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivos
 
Métodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosMétodos Contraceptivos
Métodos Contraceptivos
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivos
 
Métodos Contraceptivos Hormonais ou Químicos
Métodos Contraceptivos Hormonais ou QuímicosMétodos Contraceptivos Hormonais ou Químicos
Métodos Contraceptivos Hormonais ou Químicos
 
5 mtodos-contracep-1233068264563111-3
5 mtodos-contracep-1233068264563111-35 mtodos-contracep-1233068264563111-3
5 mtodos-contracep-1233068264563111-3
 
Catarina mendes 338 m+®todos contraceptivos
Catarina mendes 338 m+®todos contraceptivosCatarina mendes 338 m+®todos contraceptivos
Catarina mendes 338 m+®todos contraceptivos
 
Métodos Cotraceptivos.PPT
Métodos Cotraceptivos.PPTMétodos Cotraceptivos.PPT
Métodos Cotraceptivos.PPT
 
Metodos Químicos
Metodos QuímicosMetodos Químicos
Metodos Químicos
 
Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)
Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)
Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
Rita martins metodos_contraceptivos_16_21_22_24
Rita martins metodos_contraceptivos_16_21_22_24Rita martins metodos_contraceptivos_16_21_22_24
Rita martins metodos_contraceptivos_16_21_22_24
 
Métodos contraceptivos hormonais
Métodos contraceptivos hormonaisMétodos contraceptivos hormonais
Métodos contraceptivos hormonais
 
Trab Higiene Contrac 97 2003
Trab Higiene Contrac   97 2003Trab Higiene Contrac   97 2003
Trab Higiene Contrac 97 2003
 
Planeamento familiar e métodos contracetivos
Planeamento familiar e métodos contracetivosPlaneamento familiar e métodos contracetivos
Planeamento familiar e métodos contracetivos
 
mtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.ppt
mtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.pptmtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.ppt
mtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.ppt
 
Métodos de Contraceção
Métodos de ContraceçãoMétodos de Contraceção
Métodos de Contraceção
 
Métodos Contracetivos
Métodos ContracetivosMétodos Contracetivos
Métodos Contracetivos
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivos
 
Metodos contracetivos
Metodos contracetivosMetodos contracetivos
Metodos contracetivos
 

Mais de Maria Freitas

The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...
The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...
The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...Maria Freitas
 
“Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...
 “Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg... “Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...
“Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...Maria Freitas
 
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»Maria Freitas
 
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)Maria Freitas
 
Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)Maria Freitas
 
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)Maria Freitas
 
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)Maria Freitas
 
Objetivos Psicologia - Teste Nº3
Objetivos Psicologia - Teste Nº3Objetivos Psicologia - Teste Nº3
Objetivos Psicologia - Teste Nº3Maria Freitas
 
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)Maria Freitas
 
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º Ano
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º AnoLista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º Ano
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º AnoMaria Freitas
 
Doenças do Sistema Nervoso
Doenças do Sistema NervosoDoenças do Sistema Nervoso
Doenças do Sistema NervosoMaria Freitas
 
Análise Poema - A Última Nau (Guião)
Análise Poema - A Última Nau (Guião)Análise Poema - A Última Nau (Guião)
Análise Poema - A Última Nau (Guião)Maria Freitas
 
Análise do Poema - A Última Nau
Análise do Poema - A Última NauAnálise do Poema - A Última Nau
Análise do Poema - A Última NauMaria Freitas
 
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodo
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodoObjetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodo
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodoMaria Freitas
 
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodoObjetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodoMaria Freitas
 
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodoObjetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodoMaria Freitas
 
Objetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodo
Objetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodoObjetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodo
Objetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodoMaria Freitas
 
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)Maria Freitas
 
Trabalho de Geografia sobre Moçambique
Trabalho de Geografia sobre MoçambiqueTrabalho de Geografia sobre Moçambique
Trabalho de Geografia sobre MoçambiqueMaria Freitas
 

Mais de Maria Freitas (20)

The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...
The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...
The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...
 
“Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...
 “Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg... “Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...
“Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...
 
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»
 
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)
 
Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)
 
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)
 
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)
 
Objetivos Psicologia - Teste Nº3
Objetivos Psicologia - Teste Nº3Objetivos Psicologia - Teste Nº3
Objetivos Psicologia - Teste Nº3
 
Objetivos Filosofia
Objetivos FilosofiaObjetivos Filosofia
Objetivos Filosofia
 
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)
 
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º Ano
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º AnoLista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º Ano
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º Ano
 
Doenças do Sistema Nervoso
Doenças do Sistema NervosoDoenças do Sistema Nervoso
Doenças do Sistema Nervoso
 
Análise Poema - A Última Nau (Guião)
Análise Poema - A Última Nau (Guião)Análise Poema - A Última Nau (Guião)
Análise Poema - A Última Nau (Guião)
 
Análise do Poema - A Última Nau
Análise do Poema - A Última NauAnálise do Poema - A Última Nau
Análise do Poema - A Última Nau
 
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodo
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodoObjetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodo
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodo
 
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodoObjetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
 
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodoObjetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodo
 
Objetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodo
Objetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodoObjetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodo
Objetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodo
 
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)
 
Trabalho de Geografia sobre Moçambique
Trabalho de Geografia sobre MoçambiqueTrabalho de Geografia sobre Moçambique
Trabalho de Geografia sobre Moçambique
 

Último

A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMHenrique Pontes
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e Américawilson778875
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceRonisHolanda
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 

Último (20)

A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e América
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 

Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)

  • 1. Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos 1. Introdução. 1.1 O que são os métodos contracetivos?  Os métodos contracetivos são meios utilizados para evitar a gravidez quando esta não é desejada, auxiliando no planeamento familiar e permitindo a vivência da sexualidade de forma responsável.  Os métodos contracetivos, aliados a uma política de planeamento familiar, são essenciais para a diminuição do crescimento da população humana. 1.2 Tipos de métodos contracetivos  Atualmente existem dois tipos de métodos contracetivos: os métodos naturais e os métodos não naturais/ artificiais (mecânicos ou químicos).  À exceção da abstinência sexual, nenhum método é 100% eficaz, porém esta eficácia poderá ser melhorada com a combinação de dois ou mais métodos simultaneamente. 1.3 Como atuam os métodos contracetivos ? Os métodos contracetivos são utilizados com a finalidade de impedir a ocorrência de gravidez e podem intervir de três formas distintas:  Impedir a libertação dos gâmetas a partir das gónadas;  Impedir o encontro dos gâmetas (fecundação);
  • 2. 2. Os métodos contracetivos poderão ser … 2.1 Não Naturais/Artificiais  Os métodos contracetivos artificiais são mais eficazes do que os anticoncecionais naturais uma vez que não são baseados na regularidade (falível) do ciclo menstrual feminino nem dependem da capacidade de autocontrolo do homem.  Impedem a fecundação através do uso de objetos químicos ou cirurgia. 2.2 Dentro dos métodos contracetivos não naturais/químicos, estes poderão ser:  Químicos Os métodos químicos consistem na utilização de hormonas (Pilula, Hormonas Injetáveis, Implante Hormonal, Adesivo Transdérmico e Método Endocetivo Hormonal e Anel Vaginal) ou de produtos químicos que impedem a atividade dos espermatozoides (Espermicidas) com a finalidade de impedir a ovulação e/ou a fecundação, respetivamente. Nenhum destes métodos impede o contágio pelas DST. 3. Como atuam os métodos contracetivos não naturais químicos ? 4. Espermicidas  Os espermicidas são compostos por substâncias químicas que inibem a mobilidade dos espermatozoides. Existem diferentes tipos de espermicidas que podem ser utilizados:  Esponja espermicida;  Espuma espermicida;  Creme espermicida;  Gel espermicida;  Comprimidos vaginais.
  • 3. 4.1 Como Aplicar o espermicida?  Os espermicidas são introduzidos na vagina com os dedos ou com um aplicador próprio para o efeito, sendo que o intervalo entre a aplicação e a relação sexual não deve ultrapassar os 20 a 30 minutos. Nota: No entanto, este não é um método contracetivo eficaz só por si; quando utilizado isoladamente, o espermicida tem uma eficácia baixa o que leva a que este método deva ser associado a outros métodos. Vantagens:  Aumenta a eficácia de outros métodos contracetivos.  Não tem contraindicações – exceto no caso de haver alguma alergia; Desvantagens:  Não é usado por si mesmo e sim como método de apoio.  Confere proteção por pouco tempo;  Pode causar alergias;  Não protege das doenças sexualmente transmissíveis (IST)  Pode aumentar o risco de infeção pelo HIV; 5. Pilula  A pílula contracetiva é um método que, através da ação hormonal, inibe a ovulação. Para uma maior eficácia, a pílula a tomar deverá ser prescrita pelo médico pessoal no sentido de obter benefícios para a saúde reduzindo os efeitos secundários. Esta poderá ser: 5.1 Pílula Progestativa/ Minipílula A pílula progestativa contém apenas na sua composição progesterona sintética. Deve ser tomada diariamente à mesma hora sem interrupção.
  • 4. 5.2 Pílula Combinada A pílula combinada contém progesterona e estrogénio sintéticos que desencadeiam um mecanismo de feedback negativo sobre o complexo hipotálamo-hipófise levando à redução da produção de LH e FSH, impedindo a ovulação. Deve ser tomada diariamente à mesma hora durante 21 dias. Vantagens  Não interfere na relação sexual;  Pode regularizar os ciclos menstruais;  Reduz as dores associadas à menstruação;  Não afeta a fertilidade;  Diminui o risco de Doença Inflamatória Pélvica;  Reduz em 50% o risco de cancro do ovário e do endométrio;  Diminui a incidência de quistos funcionais do ovário e da doença poliquística. Desvantagens:  Dificuldade em tomar a pílula diariamente, por esquecimento;  Não protege contra as ISTs (Infeções Sexualmente Transmissíveis)  Contraindicações (tais como: risco de AVC; mulheres com mais de 35 anos e fumadoras; gravidez; entre outras)  Efeitos secundários: náuseas, vómitos, alteração do fluxo menstrual, depressão, etc. 6. Hormonas Injetáveis  Hormonas injetáveis são injeções intramusculares profundas de substâncias semelhantes às hormonas femininas impedindo a ovulação e provocando o aumento da espessura do muco cervical dificultando a passagem dos espermatozoides.  Estas injeções podem ser apenas de progesterona sintética que tem a durabilidade de 3 meses ou podem conter progesterona e estrogénio sintéticos que necessitam de ser aplicadas a cada 30 dias. Estas aplicações devem ser feitas sempre pelo ginecologista.
  • 5. Vantagens :  Pode melhorar a qualidade do aleitamento;  Redução dos riscos de desenvolvimento da Doença Inflamatória Pélvica, de gravidez ectópica e do carcinoma do endométrio;  Redução das perdas de sangue. Desvantagens :  Pode provocar irregularidades no ciclo menstrual (raramente provoca hemorragias contínuas);  O retorno aos níveis de fertilidade é mais demorado;  Não protege contra as doenças sexualmente transmissíveis;  Contra-indicações (tais como: gravidez; hipertensão grave; entre outras);  Efeitos secundários: dores de cabeça, perda de cabelo, aumento de peso. 7. Implante hormonal 7.1 Em que consiste?  Um implante hormonal é um pequeno dispositivo colocado por um profissional especializado sob a pele no antebraço e que, lentamente, liberta hormonas (progesterona) para a circulação sanguínea. A sua eficácia é superior a 99%. 7.2 Quando e como é aplicado o implante?  O implante é colocado até 5 dias após o início da menstruação. A sua aplicação é um processo simples que necessita apenas de anestesia local. O efeito destes implantes é duradouro (de 3 a 5 anos).  É recomendável a mulheres que pretendam fazer a esterilização mas que ainda não tenho tomado a decisão final, não sendo por isso aconselhável a mulheres jovens que ainda não tenham sido mães.
  • 6. Vantagens:  É um método prático e de longa duração (3 anos);  Evita a toma da pílula diariamente e não interfere com a relação sexual;  Melhora a dismenorreia, isto é, diminui as dores menstruais;  Não tem os efeitos secundários dos estrogénios;  Não interfere com o aleitamento; Desvantagens:  Na maioria dos casos, há sangramento irregular, podendo haver aumento do fluxo menstrual ou ausência de menstruação. Estas alterações são mais comuns no primeiro ano e não têm consequências negativas na saúde da mulher;  Podem ocorrer algumas alterações da pele, dores de cabeça, náuseas, variações do humor;  Pode verificar-se o aparecimento de quistos foliculares nos ovários (geralmente não exigem tratamento);  Necessita de um profissional treinado para a inserção e remoção;  É relativamente dispendioso. Não oferece protecção contra as doenças sexualmente transmissíveis. 8. Adesivo Transdérmico 8.1 Como funciona?  Trata-se de um adesivo fino, quadrado, confortável e de fácil aplicação e utilização. Diariamente o adesivo colocado liberta doses hormonais de estrogénio e progesterona sintéticos através da pele para a circulação sanguínea.  Tal como a pílula contracetiva e as hormonas injetáveis, os adesivos atuam de duas formas distintas: impedem a ovulação e promovem o aumento da espessura do muco cervical para dificultar a passagem dos espermatozóides. 8.2 E quanto à sua eficácia ?  Não existindo muitos dados relativos à eficácia deste método, estima-se que esta ronde os 98%.
  • 7. 8.3 Como utilizar o adesivo?  Aplica-se sobre a pele limpa e seca; Não deve ser colocado sobre o peito, em zonas irritadas da pele ou com escoriações. Estes adesivos são renovados uma vez por semana e a mulher não tem que alterar as suas atividades diárias uma vez que são resistentes à água e não se alteram com a prática desportiva. Vantagens:  Não interfere com a relação sexual;  Não necessita de motivação diária;  Após a suspensão do método, o retorno à fertilidade é imediato;  O prazo de segurança é alargado para dois dias, isto é, continua eficaz se a mudança de adesivo for esquecida por 48 horas. Desvantagens:  Não pode ser utilizado por mulheres com contra-indicação para fazer métodos hormonais com estrogénios; Não oferece protecção contra as infecções sexualmente transmissíveis! 9. Anel Vaginal  O anel vaginal é um método hormonal feito de plástico transparente e flexível e que possui cerca de 5 cm de diâmetro;  Este anel está impregnado de hormonas que vão sendo libertadas, de forma regular, para a corrente sanguínea. Este método contraceptivo é aplicado uma vez em cada ciclo menstrual, ficando assim a mulher livre da toma diária da pílula. 9.1 Como é coocado e como utilizar?  Para a sua colocação não é necessário o auxílio de um profissional podendo ser a mulher a colocá-lo facilmente. É colocado de forma ficar perto do colo do útero onde se mantem durante três semanas, Passado esse tempo, a mulher deve retirá-lo.  Segue-se um intervalo de uma semana até ser colocado um novo anel. Durante este período de tempo surge uma hemorragia de privação (“menstruação”);
  • 8. Vantagens:  A mulher não tem de pensar todos os dias na contraceção. Para além disso, esta pode aderir a um sistema de alerta sms, gratuito, para ser avisada do dia de colocação e remoção do anel;  Grande eficácia;  É um método reversível: a mulher retoma á fertilidade inicial após retirar o anel;  Não interfere no acto sexual;  Regulariza os ciclos menstruais e diminui as dores menstruais; Desvantagens:  Não protege contra as doenças sexualmente transmissíveis (IST);  Tal como em outros métodos hormonais, algumas mulheres podem apresentar efeitos secundários, tais como náuseas, vómitos ou hemorragia vaginal; 10. Pílula do dia seguinte  A pílula do dia seguinte é um método de contracepção de emergência, que pode ser usado depois de uma relação sexual não protegida ou quando houve falha do método contraceptivo. 10.1 Situações em que pode ser tomada:  Relações sexuais em que nenhum dos parceiros utilizou um método contraceptivo;  Caso se tenha esquecido de tomar a sua pílula contraceptiva;  Se o preservativo se rompeu ou deslizou;  Em caso de violação.  10.2 Como funciona?  A grande dose de hormonas vai alterar características do muco vaginal, mudanças no crescimento do endométrio e irá acelerar os movimentos nas tropas de Falópio. 10.3 E quanto à sua eficácia?  Se a toma for correta, a pílula do dia seguinte pode atingir um grau de eficácia muito elevado (99%).
  • 9. 10.4 Quando utilizar?  A pílula deve ser tomada até 72 horas depois da relação sexual, preferencialmente nas primeiras 12 horas. 10.5 Com que frequência pode tomar?  A pílula do dia seguinte só deve ser utilizada como medida de emergência e não como um método regular de contracepção. Mensagens importantes sobre a contraceção de emergência:  Não protege contra as Infecções Sexualmente Transmissíveis!  Não é um método contraceptivo de uso regular  Não é abortiva  Não afecta a fertilidade  Pode ser adquirida gratuitamente nos centros de saúde e hospitais  Existem marcas de venda livre nas farmácias Vantagens: • Não interfere com a utilização regular de pílulas anticoncepcionais; • Não afecta a fertilidade a longo prazo; • É muito eficaz se for tomada imediatamente após a relação sexual; • O único método contraceptivo que pode ser utilizado pela mulher após a relação sexual; • No caso de falha do método, não causa efeitos colaterais no feto. Desvantagens: • A sua eficácia diminui com o passar das horas; • Em mulheres que amamentam, pode diminuir a quantidade do leite materno; • Os comprimidos podem causar efeitos colaterais leves como: náuseas, vómitos, tonturas, desconforto no peito e dor de cabeça; • A menstruação pode adiantar ou atrasar alguns dias; • O uso repetido facilita a gravidez; • Certos medicamentos podem reduzir a eficácia deste método.