1º a, b.pdf biologia

196 visualizações

Publicada em

Guia de aprendizagem Juliana-Biologia

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
196
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
19
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1º a, b.pdf biologia

  1. 1. Professora: Juliana Viana Zigart Página 1 ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO INTEGRAL JORNALISTA PAULO DE CASTRO FERREIRA JUNIOR GUIA DE APRENDIZAGEM - 2015 Professora: Juliana Viana Zigart Disciplina: Biologia 2º Semestre - 2015 1º ano A e B do Ensino Médio Justificativa da unidade: Este projeto de ensino integral será necessário para desenvolver novas habilidades pertinentes ao ensino de ciências, proporcionando o ensino e aprendizagem do aluno tendo como objetivo a formação plena do mesmo, tornando-o autônomo, solidário e competente. Atividades Prévias: Retomar os conteúdos a partir do diagnóstico obtido, reforçando os temas de forma diferenciada, proporcionando estratégias dialogadas e orientadas de estudo para desenvolver a construção do ensino aprendizagem, ajustando as práticas pedagógicas para superar as dificuldades apresentada do aluno, fazendo com o mesmo alcance os objetivos esperados. 3º Bimestre Conteúdos gerais  Problemas ambientais contemporâneos;  O que é saúde  A distribuição desigual da saúde pelas populações. Conteúdos Específicos  As contradições entre conservação ambiental, uso econômico da biodiversidade, expansão das fronteiras agrícolas e extrativismo.  Tecnologias ambientais para a sustentabilidade ambiental  As conferências internacionais e os compromissos e propostos para recuperação dos ambientes brasileiros  Concepções de saúde ao longo da História.  A saúde como bem estar físico, mental e social, suas determinantes e condicionantes (alimentação, moradia, saneamento, meio ambiente, renda, trabalho, educação, transporte, lazer etc).  Condições socioeconômicas e qualidade de vida das populações humanas de diferentes regiões (brasileiras ou do planeta).  Principais indicadores de desenvolvimento humano e da saúde publica: mortalidade infantil, expectativa de vida, mortalidade, doenças infecto-contagiosas, condições de saneamento, moradia, acesso aos serviços de saúde e educacionais.
  2. 2. Professora: Juliana Viana Zigart Página 2 Objetivos Gerais  Relacionar informações sobre indicadores de saúde apresentadas em gráficos e tabelas  Identificar o significado de “esperança de vida ao nascer”, relacionando esse indicador a outros, como a mortalidade infantil.  Identificar as relações entre os diversos acontecimentos que levaram ao conceito de vacina e imunidade.  Reconhecer a importância da vacinação no combate às doenças, a partir da análise de estatísticas.  Identificar tendências em séries de dados temporais sobre a evolução da esperança de vida;  Identificar as fragilidades que acompanham o processo de envelhecimento, propondo estratégias para melhorar a qualidade de vida dos idosos;  Reconhecer os fatores que influenciam a saúde no Brasil;  Construir gráficos representativos da situação de saúde de diferentes regiões.  Inferir sobre o nível de desenvolvimento humano e de saúde de diferentes regiões do país e do mundo, com base na análise de indicadores como mortalidade infantil esperança de vida ao nascer e mortalidade.  Apresentar conclusões baseadas em argumentos sobre o na impacto positivo das tecnologias na melhoria da qualidade da saúde das populações (vacinas, medicamentos, exames diagnósticos, alimentos enriquecidos etc). Objetivos Específicos.  Construção e analise de gráficos sobre crescimento populacional; análise de fatos relacionados ao desmatamento da Mata Atlântica e sua relação com o crescimento populacional; realização de experimento sobre efeito da matéria orgânica na construção de oxigênio.  Leitura, interpretação e produção de textos; análise de esquemas.  Familiarizar-se com a classificação de doenças; buscar e interpretar informações em tabelas em gráficos; relacionar informações sobre indicadores de saúde apresentadas em gráficos e tabelas; reconhecer os riscos diferenciados que uma mesma causa de morte apresenta para diferentes faixas etárias , a partir de estatísticas de saúde; identificar as causas mais frequentes de mortalidade entre jovens, discutindo estratégias para reduzir o risco de óbito; visualizar proporção e calcular porcentagens em relação ao todo; identificar tendências em séries de dados; reconhecer a principal causa de morte entre pessoas de sua idade.  Reconhecer a gravidez na adolescência como risco à saúde, à partir de estatísticas de saúde; reconhecer o impacto de uma gravidez na adolescência nos projetos pessoais e profissionais dos envolvidos; reconhecer práticas sexuais que envolvem riscos de gravidez; identificar diferentes métodos contraceptivos e avaliar sua eficácia e acessibilidade; reconhecer a gravidez na adolescência como um risco na saúde publica; reconhecer a escola como espaço aberto de discussão; elaborar, apresentar e discutir hipóteses sobre a alta prevalência de gravidez entre adolescentes;selecionar fatos de acordo com a fonte de informação.
  3. 3. Professora: Juliana Viana Zigart Página 3  Reconhecer situações de risco de contrair Aids, propondo estratégia para redução desse risco; identificar as diferentes formas de preconceito contra portadores do vírus da imunodeficiência adquirida (AIV), Propondo estratégias para minimizar-se essa situação; reconhecer ambiguidades e imprecisões em textos explicativos sobre prevenção de DSTs e Aids. 4º Bimestre Conteúdos gerais  As agressões à saúde das populações;  Saúde ambiental Conteúdos Específicos  Principais doenças que afetam a população.  Tipos de doenças: infecto-contagiosas e parasitas, degenerativas, ocupacionais, carências, sexualmente transmissíveis (DST) e provocadas por toxinas ambientais.  Gravidez na adolescência como uma forma de risco à saúde.  Medidas de promoção da saúde de prevenção das principais doenças.  O impacto das tecnologias na melhoria da qualidade da saúde das populações (Vacina, medicamentos, exames diagnósticos, alimentos enriquecidos, o uso de adoçantes etc).  Saneamento básico e impacto na mortalidade infantil, doenças infecto-contagiosas e parasitárias.  Tecnologias para minimizar os problemas de saneamento básico. Objetivos Gerais  Reconhecer os riscos; diferenciados que uma causa de morte apresenta para diferentes faixas etárias, a partir de estatística de saúde.  Identificar as causas mais frequentes de mortalidade entre jovens, discutindo estratégias para reduzir o risco de óbito.  Agrupar diferentes causas de morte segundo semelhança  Reconhecer o impacto de uma gravidez na adolescência como um risco à saúde, a partir de estatística de saúde.  Reconhecer práticas sexuais que envolvem riscos de gravidez  Identificar diferentes métodos contraceptivos e avaliar sua eficácia e acessibilidade.  Reconhecer a gravidez na adolescência como um risco á saúde individual e como um problema de saúde pública.  Elaborar, apresentar e discutir hipótese sobre a alta prevalência de gravidez entre adolescentes.  Reconhecer situações de risco de contrair AIDS, propondo estratégias para redução desse risco.  Identificar as diferentes formas de preconceito contra portadores do vírus da imunodeficiência adquirida (HIV), propondo estratégias para minimizar essa situação.  Reconhecer ambiguidades e imprecisões em textos explicativos sobre prevenção de DSTs e AIDs.
  4. 4. Professora: Juliana Viana Zigart Página 4 Objetivos Específicos  Reconhecer ambiguidades e imprecisões em textos explicativos sobre prevenção na linguagem escrita; aprender a usar um preservativo reconhecer a escola como espaço aberto de discussão.  Distinguir variáveis relacionadas a indivíduos daquelas relacionadas a populações; relacionar informações sobre indicadores de saúde apresentadas em gráficos e tabelas; identificar o significado de esperança de vida ao nascer, relacionando esse indicador a outros, como a mortalidade infantil; identificar tendência em séries de dados temporais sobre a evolução da esperança de vida.  Discernir, em texto, fatos e hipóteses; propor experimentos para testar hipóteses; prever o resultado de experimentos com base em fatos e hipóteses; identificar as relações entre os diversos acontecimentos que levaram ao conhecimento da vacina e imunidade; reconhecer a importância da vacinação no controle de doenças, a partir da análise de estatísticas.  Ler e interpretar textos sobre o envelhecimento identificar tendências em séries de dados temporais sobre a evolução da esperança de vida; organizar resultados de entrevistas para a apresentação aos colegas; interagir informações obtidas em entrevista na produção de texto sobre qualidade de vida; identificar as fragilidades que acompanham o processo de envelhecimento, propondo estratégias para melhorar a qualidade de vida dos idosos.  Inferir relações de causa e efeito com base nas relações entre variáveis; reconhecer fatores que influenciam a saúde no Brasil; construir gráficos representativos da situação de saúde de diferentes regiões. Atividades Autodidáticas  Leitura de textos;  Discussão;  Socialização das conclusões dos grupos;  Resolução de exercícios;  Pesquisas;  Participação oral;  Experimentos;  Elaboração de relatórios;  Ilustrações;  Vídeos. Atividades Didático – Cooperativas O uso do caderno do professor e do aluno, livros didáticos, livros paradidáticos, lousa, tabela, revistas, jornais, internet, filme, dicionários, data show, laboratório, imagens, pesquisa direcionada e Centro de estudo do genoma Humano. Temas Transversais  Valores moral, desenvolvimento e socialização; a vivência da ética, respeito mutuo, solidariedade e diálogo.  Reconhecimento e valorização da existência de diversas formas de atuação solidária no âmbito escolar e comunitário.
  5. 5. Professora: Juliana Viana Zigart Página 5 Atividades Complementares Consolidação  Realização de atividades experimentais.  Nivelamento – Retomado de conteúdo necessário para uma melhor compreensão dos conteúdos seqüenciais. Ampliação  Resolução de atividades paralelas sobre os conteúdos. Valores  Qualidade de vida, respeito à vida e diversidade.  Respeito ao semelhante.  Preservação dos recursos naturais. Critérios de Avaliação  Participação: caderno, atividades, realização de atividades práticas, discussões, autoavaliação e relatório.  Avaliação: objetiva, dissertativa, seminário (optativo), avaliação escrita (pesquisa). Fontes de referencia: Para o professor: PCN Ensino fundamental: orientações educacionais complementares e os parâmetros curriculares nacionais. Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Secretaria da educação, Brasília: MEC, Simitis, 2002. MATRIZES DE REFERÊNCIA PARA AVALIAÇÃO SARESP - Ensino Fundamental - ciências físicas e biológicas, São Paulo FDE 2009. PROPOSTA CURRICULAR DO ESTADO DE SÃO PAULO- Secretaria da educação. Caderno do professor. ROCHA, R, G; GIOPPO, C; Barra, V, M, M. Pratica educativa das ciências naturais. Curitiba, Iesd, 2008. FIGUEIREDO, M, T; CONDEIXA, M, C, G. Ciências Atitude e Conhecimento. 1ª edição- São Paulo- 2009. TRIVELLATTO, J; TRIVELLATO, Silvia; MOTOKANE, M; LISBOA, J, F; KANTOR, C. Ciências, Natureza e Cotidiano. 1ª edição. São Paulo-FTD, 2006. PARA O ESTUDANTE: Proposta curricular do estado de São Paulo- Secretaria da educação- caderno do aluno. SANTANA, O, FONSECA, A. Ciências Naturais, Editora saraiva. 2ª edição, São Paulo, 2006. CANTO, E, L. Ciências Naturais, Moderna. 3ª edição, São Paulo, 2009. JENNER; PEDERSOLI; MOACIR; WELLINGTON. Ciências integradas, Editora Positivo

×