O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.
Programa Nacional pela Alfabetização na Idade Certa - PNAIC
A CRIANÇA, A EDUCAÇÃO INFANTIL E O ENSINO
FUNDAMENTAL DE NOVE ...
Historicamente ocorreu a predominância de
políticas educacionais assistencialistas, pautadas
em uma perspectiva compensató...
Direito à educação na infância – o que diz
a legislação?
A Constituição de 1988,
institui o direito à educação
às crianças...
- O Estatuto da Criança e do Adolescente ( BRASIL 1990);
-Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - Lei
9394/96;
- ...
Inclusão da criança de seis anos no Ensino
Fundamental
Desafios, vantagens , controvérsias/ críticas e
cuidados necessários
Questões desafiadoras
• A inserção da criança de seis anos no
Ensino Fundamental desencadearia uma
escolarização precoce?
...
Questões desafiadoras
• Existe incompatibilidade entre “ ser
criança” e “ser aluno”?
• É possível alfabetizar letrando em ...
Vantagens
,
• Ampliação do tempo na escola, em especial para as
crianças de baixa renda;
• Responsabilização dos poderes p...
Vantagens
,
• Estímulo à mudanças significativas nas formas de
pensar e conceber a criança, o ensino e a escola.
Controvérsias/ críticas
,
• O ingresso, por si só, não assegura às crianças
acesso a um contexto de ensino que promova
apr...
Cuidados necessários
• É preciso ampliar o tempo de permanência
das crianças na escola, mas, também, garantir
o direito de...
Cuidados necessários
• É preciso escutar a criança para a organização
do trabalho pedagógico a ser desenvolvido
em sala de...
“Por meio das constantes reclamações e “chiados”, pude perceber
o quanto estavam sendo enfadonhas e cansativas as atividad...
“os jogos, as brincadeiras e a roda de história ganharam
espaço na minha prática docente, pois percebi o
entusiasmo e envo...
• É possível alfabetizar letrando as crianças em um
contexto lúdico, respeitando as necessidades e
interesses da infância?...
• Mudança brusca em relação à liberdade de
expressar-se em diferentes linguagens e no modo
de vivenciar a infância;
• O mo...
• Dicotomias criança/ aluno,
escola/ infância, brincar/
estudar, como se
constituíssem polos
diametralmente opostos, que
s...
• Educação Infantil constitui um tempo e espaço no qual a
infância é, necessariamente, respeitada;
• A entrada no Ensino F...
Moss (2001) considera que que a Educação
Infantil tem servido muito mais a uma
antecipação do Ensino Fundamental do que
pa...
Peter Moss (2011) propõe quatro
possibilidades de relação entre a Educação
Infantil e o Ensino Fundamental:
• Preparação p...
• Preparação da escola para as crianças;
• Possível convergência (princípio da
continuidade e ampliação, alfabetizar e let...
Não há por que se opor Educação Infantil e Ensino
Fundamental, como se constituísse dois mundos à
parte, um no qual, pelo ...
Referências
BRANDÃO, Ana Carolina Perrusi. A ampliação do Ensino Fundamental contribui para a escolarização
precoce? 2009....
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Texto 03 A criança, a educaçaõ infantil e o ensino fundamental de nove anos

21.918 visualizações

Publicada em

I I Seminário de Formação - IES Unimontes

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Texto 03 A criança, a educaçaõ infantil e o ensino fundamental de nove anos

  1. 1. Programa Nacional pela Alfabetização na Idade Certa - PNAIC A CRIANÇA, A EDUCAÇÃO INFANTIL E O ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS Autores: Alexsandro da Silva e Solange Alves de Oliveira -Mendes
  2. 2. Historicamente ocorreu a predominância de políticas educacionais assistencialistas, pautadas em uma perspectiva compensatória, que atribuía o fracasso escolar à carência cultural e a deficiências cognitivas e linguísticas.
  3. 3. Direito à educação na infância – o que diz a legislação? A Constituição de 1988, institui o direito à educação às crianças de zero a seis anos e o dever do Estado de oferecer creches e pré- escolas;
  4. 4. - O Estatuto da Criança e do Adolescente ( BRASIL 1990); -Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - Lei 9394/96; - Lei nº 11.274 de 06/02/2006 que amplia o Ensino Fundamental para nove anos com a inclusão das crianças de seis anos.
  5. 5. Inclusão da criança de seis anos no Ensino Fundamental Desafios, vantagens , controvérsias/ críticas e cuidados necessários
  6. 6. Questões desafiadoras • A inserção da criança de seis anos no Ensino Fundamental desencadearia uma escolarização precoce? • Seria um processo danoso à infância?
  7. 7. Questões desafiadoras • Existe incompatibilidade entre “ ser criança” e “ser aluno”? • É possível alfabetizar letrando em um contexto lúdico, que respeite as singularidades da criança nessa etapa?
  8. 8. Vantagens , • Ampliação do tempo na escola, em especial para as crianças de baixa renda; • Responsabilização dos poderes públicos com o direito da criança a um maior tempo de escolaridade obrigatória;
  9. 9. Vantagens , • Estímulo à mudanças significativas nas formas de pensar e conceber a criança, o ensino e a escola.
  10. 10. Controvérsias/ críticas , • O ingresso, por si só, não assegura às crianças acesso a um contexto de ensino que promova aprendizagens; • Visão de escola marcada por uma “disciplina rígida, pela falta da criatividade, de espontaneidade, lugar que forma alunos por meio de práticas repetitivas” ( BRANDÃO, 2009)
  11. 11. Cuidados necessários • É preciso ampliar o tempo de permanência das crianças na escola, mas, também, garantir o direito de aprender em um ambiente no qual as suas necessidades e interesses sejam respeitados; • Respeitar as singularidades do meninos e meninas nas suas etapas de desenvolvimento e aprendizagem;
  12. 12. Cuidados necessários • É preciso escutar a criança para a organização do trabalho pedagógico a ser desenvolvido em sala de aula; • Maior integração entre o brincar, o letramento e a alfabetização, na Educação Infantil e Ensino Fundamental.
  13. 13. “Por meio das constantes reclamações e “chiados”, pude perceber o quanto estavam sendo enfadonhas e cansativas as atividades de apropriação da escrita a que eles estavam sendo expostos. Por meio dessas reações, eles me diziam: “Ei, professora, ainda somos crianças!” Ou seja, o amontoado de tarefas sobrecarregava-os e eu lançava sobre eles apenas um olhar de aluno, esquecendo, assim, de que eles eram crianças”. Depoimento da Professora Nayanne
  14. 14. “os jogos, as brincadeiras e a roda de história ganharam espaço na minha prática docente, pois percebi o entusiasmo e envolvimento das crianças quando essas atividades eram realizadas em sala de aula”. Depoimento da Professora Nayanne
  15. 15. • É possível alfabetizar letrando as crianças em um contexto lúdico, respeitando as necessidades e interesses da infância? Como? - Por meio da articulação da aprendizagem da leitura e da escrita a momentos de brincadeiras e de exploração de outras linguagens. - Possibilitar o trabalho com a linguagem escrita e sua notação desde a Educação Infantil ( BRANDÃO; ROSA, 2010)
  16. 16. • Mudança brusca em relação à liberdade de expressar-se em diferentes linguagens e no modo de vivenciar a infância; • O mobiliário e a organização das crianças na escola da Educação Infantil e no Ensino Fundamental de modo muito diferente. A Transição da Criança da Educação Infantil para o Ensino Fundamental
  17. 17. • Dicotomias criança/ aluno, escola/ infância, brincar/ estudar, como se constituíssem polos diametralmente opostos, que se excluiriam mutuamente; • Descontinuidade que frequentemente tem ocorrido na passagem da Educação Infantil para o Ensino Fundamental;
  18. 18. • Educação Infantil constitui um tempo e espaço no qual a infância é, necessariamente, respeitada; • A entrada no Ensino Fundamental, normalmente, acontece o o oposto.
  19. 19. Moss (2001) considera que que a Educação Infantil tem servido muito mais a uma antecipação do Ensino Fundamental do que para a preparação
  20. 20. Peter Moss (2011) propõe quatro possibilidades de relação entre a Educação Infantil e o Ensino Fundamental: • Preparação para o ensino fundamental; • Distanciamento das práticas de leitura e escrita ( letramento sem letras);
  21. 21. • Preparação da escola para as crianças; • Possível convergência (princípio da continuidade e ampliação, alfabetizar e letrar de forma indissociável).
  22. 22. Não há por que se opor Educação Infantil e Ensino Fundamental, como se constituísse dois mundos à parte, um no qual, pelo menos em tese, a criança seria tratada como criança, e outro no qual, também em tese, a criança seria tratada apenas como aluno.
  23. 23. Referências BRANDÃO, Ana Carolina Perrusi. A ampliação do Ensino Fundamental contribui para a escolarização precoce? 2009. Disponível em: <http://ne10.uol.com.br/canal/educacao/noticia/2009/12/09/a- ampliacao-do-ensino-fundamental-contribui-para-a-escolarizacao-precoce-208046.php>. Acesso em: agosto de 2014. BRANDÃO, Ana Carolina Perrusi; LEAL, Telma Ferraz. Alfabetizar e letrar na Educação Infantil: o que isso significa? In: BRANDÃO, Ana Carolina Perrusi; ROSA, Ester Calland de Souza. Ler e Escrever na Educação Infantil: discutindo práticas pedagógicas. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 13-31. BRANDÃO, Ana Carolina Perrusi; ROSA, Ester Calland de Sousa. Ler e escrever na Educação Infantil: discutindo práticas pedagógicas. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. MOSS, Peter. Qual o futuro da relação entre Educação Infantil e ensino obrigatório? Cadernos de Pesquisa, São Paulo, vol. 41, n.o 142, p. 142-159, jan-abr/2011.

×