O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

2 aula de farmacologia

21.671 visualizações

Publicada em

AULA DE FARMACOLOGIA

  • Seja o primeiro a comentar

2 aula de farmacologia

  1. 1. FARMACOLOG IA ETE-ARLINDO FERREIRA DOS SANTOS Professora: Mariana Grace Enfermeira Especialista em Saúde da Família
  2. 2. HISTÓRIA DA FARMACOLOGIA Substâncias a base de plantas em rituais. 1° Escola de Farmácia em Bagdá. 1809-Em Rio de Janeiro-Curso de Medicina. 1824-Ensino de Farmácia. -Faculdade de Farmácia. Alexander Fleming - Descobre a PENICILINA possibilitou a cura para Sífilis. 1960-Surgiu à indústria dos Medicamentos genéricos nos EUA. 1976-Autorização para produção de medicamentos similares.
  3. 3. HISTÓRIA DA FARMACOLOGIA 1983-Obrigatório à autorização no nome genérico da substância ativa nas embalagens, além do nome comercial. 1999-Lei 9.787 de 10/02/1999-Institui o medicamento genérico no País. Resolução 391 de 09/08/99-Regulamento dos critérios sobre produção, ensaios de bioequivalência, biodisponibilidade, registro, prescrição e dispersão dos medicamentos. 2000-Primeiros Registro de medicamentos genéricos.
  4. 4. HISTÓRIA DA FARMACOLOGIA Farmacologia-É a ciência que estuda as ações dos fármacos no organismo vivo, compreende mecanismo de ação, absorção, distribuição, eliminação, usos terapêuticos e empresas das substâncias medicamentosas. Responsabilidade de toda a equipe-Observação diligente e inteligente, integridade moral e bom senso na administração de medicamentos-esta é a condição para ser um profissional brilhante na área da farmacologia.
  5. 5. FARMACOLOGIA Farmacologia: estudo dos fármacos em todas as suas funções. Fármaco (pharmacon = remédio): estrutura química conhecida;propriedade de Noções Básicas modificar uma função fisiológica já existente. Medicamento (medicamentum = remédio) : fármaco com propriedades benéficas, comprovadas por meio cientifico. Droga (drug = remédio, medicamento, droga): substância que modifica a função fisiológica com ou sem intenção benéfica. Remédio (re = novamente; medior = curar): substância animal,vegetal, mineral ou sintética; procedimento (ginástica,massagem, acupuntura, banhos); fé ou crença; influência: utilizados em benefício da saúde.
  6. 6. FARMACOLOGIA Posologia: É o estudo das doses de administração dos medicamentos. Dose: é uma quantidade de uma droga que quando administrada no organismo produz um efeito terapêutico. 1-Dose mínima 2-Dose máxima 3-Dose tóxica 4- Dose Letal 5-Dose de Manutenção
  7. 7. FARMACOLOGIA FARMACODINÂMICA : estuda a inter-relação da concentração de uma droga e a estrutura alvo, bem como seu mecanismo de ação. A- Fármacos estruturalmente inespecífico: cuja atividade resulta da interação com pequenas moléculas ou íons encontrados no organismo. B- Fármacos estruturalmente específico: cuja atividade resulta da interação com sítios bem definidos apresentam, portanto, um alto grau de seletividade.
  8. 8. FARMACOLOGIA FARMACOCINÉTICA: estuda o mecanismo percorrido pelo medicamento no organismo, desde sua administração até sua eliminação. Biodisponibilidade: quantidade de uma substância que, introduzida no organismo, ganha a circulação, tornando-se disponível para exercer sua atuação terapêutica. Via endovenosa disponibilidade 100%, via oral biodisponibilidade não chega a 100%.
  9. 9. EXEMPLO Dinâmica: O diclofenaco atua inibindo a atividade da ciclooxigenase, diminuindo a produção de prostaglandina, as quais aumentam a permeabilidade causando reações inflamatórias, ou seja, diclofenaco diminui a produção de prostaglandina e a inflamação. Cinética: Depois de exercer sua função o diclofenaco é metabolizado pelo fígado e depois eliminado pelos rins.
  10. 10. FARMACOLOGIA DROGA ORGANISMO FARMACOCINÉTICA FARMACODINÂMICAVias de administração Local de administraçãoAbsorção Mecanismo de AçãoDistribuição EfeitosBiotransformaçãoEliminação CONCENTRAÇÃO NO LOCAL DO RECEPTOR
  11. 11. MEDICAMENTOS Naturais: extraído de órgãos, glândulas, plantas. EX: insulina Sintéticos: preparados com auxílio de matéria- prima natural. Ex: alguns antibióticos. Semi- sintéticos: resultam de alterações produzidas por substâncias naturais, com a finalidade de modificarem as características por elas exercidas, em laboratório.
  12. 12. ABSORÇÃO DAS DROGASEntra na circulação sistêmica(Intestino, Pele,e outros); Veia porta; Vai para os tecidos; Local de Ação Efeito FarmacológicoEliminação da droga metabolizada Resposta Clínica
  13. 13. AÇÃO DAS DROGAS Local medicação age no local onde é administrada, sem passar pela corrente sanguínea; Ex: pomadas e colírios. Sistêmica A medicação é primeiramente absorvida, depois entra na corrente sanguínea para atuar no local de ação desejada. Ex: Antibióticos.
  14. 14. BIOEQUIVALÊNCI A É a equivalência biológica esperada in vivo de duas preparações diferentes de um medicamento.Exemplos:1-Medicamentos Genéricos Têm a mesma equivalência do medicamento de referência.
  15. 15. FORMAS DE APRESENTAÇÃO MEDICAMENTO CONTROLADO: Substância controlada por leis federais, estaduais e municipais, porque seu uso abusivo pode levar à dependência. Ex: Rivotril, Carbamazepina ( todos com faixas pretas e vermelhas) MEDICAMENTO GENÉRICO: Medicamento similar a um produto de referência, que se pretende com esse ser intercambiável. Ele usa o nome genérico, ou seja, o princípio ativo, que não é protegido pela marca registrada. Ex: Paracetamol ( Tylenol), Dipirona Sódica ( Novalgina ). Tem uma tarja amarela com a letra G.
  16. 16. GENÉRICOS ECONTROLADOS
  17. 17. GENÉRICOS ECONTROLADOS
  18. 18. FORMAS DE APRESENTAÇÃO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA: Produto inovador lançado no mercado, registrado no órgão federal responsável pela vigilância sanitária e comercializado no país, cuja eficácia, segurança, já foram comprovados cientificamente. PREPARAÇÃO MAGISTRAL: Medicamento preparado mediante manipulação em farmácia, a partir de fórmula constante de prescrição médica. MEDICAMENTO SIMILAR:Medicamento que apresenta o mesmo fármaco, concentração, formas farmacêuticas e via de administração que o medicamento de referência, mas não tem com ele, comprovada sua Bioequivalência.
  19. 19. REFERÊNCIA
  20. 20. MAGISTRAL
  21. 21. SIMILAR
  22. 22. OBRIGADA!!!!PROFESSORA: MARIANA GRACEETE-ARLINDO FERREIRA DOS SANTOS

×