SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
Educação Inclusiva: o papel de cada sujeito
Coordenação da Educação Especial: Núria Evangelista
Coordenação dos Anos Iniciais: Maria Alaíde
Mediadoras: Elvanir Oliveira e Idalice Ramos
PAUTA:
Acolhida – Dinâmica: A
escola dos bichos
Vídeo: Somos todos
diferentes
O papel dos Sujeitos
envolvidos da Educação
Especial
Momento da Escuta
O que houver...
Música: Nada impede que
eu seja feliz - Leci Brandão
O QUE É?
CUIDAR
VERBO TRANSITIVO
1. tratar de alguém, garantindo o seu bem-estar,
segurança, etc.; tomar conta de
2. garantir a preservação de algo
3. ocupar-se de; responsabilizar-se por
4. dedicar esforço e tempo (a algo) com
determinado objetivo
O QUE É?
MEDIAR
VERBO TRANSITIVO
1. agir como mediador de; intervir acerca de
2. situar-se entre (duas coisas ou dois extremos)
3. decorrer entre (dois pontos ou duas épocas)
4. [pouco usado] dividir ao meio; repartir
O objetivo maior do mediador escolar é promover o desenvolvimento da criança, que
precisa de um suporte adicional no ambiente natural de aprendizagem.
OBJETIVO
RELAÇÃO MEDIADOR-PROFESSOR-
ESCOLA
 O PROFESSOR da classe é o responsável por organizar as ações de todos os seus
alunos;
 O MEDIADOR atua em parceria com a escola com o objetivo de compartilhar
conhecimento. Quanto mais os profissionais os que assistem a criança estiverem
preparados, maior será o desenvolvimento dele;
 A ESCOLA, dentre outros objetivos, precisa facilitar a aprendizagem e a aquisição
do conteúdo pedagógico.
IMPORTANTE
IMPORTANTE
DIREITOS
Toda pessoa aprende
O convívio no ambiente escolar
comum beneficia todos
A educação inclusiva diz respeito a todos
O QUE É INCLUSÃO?
A inclusão vai muito além
de estar em uma sala de aula, é
preciso que o aluno faça parte da
turma, interaja com os
professores e as demais crianças,
compreenda as questões
pedagógicas e se desenvolva de
acordo com as suas
particularidades e o seu ritmo de
aprendizado.
O MEDIADOR ESCOLAR
É um profissional
capacitado para auxiliar o sujeito
na comunicação verbal e não-
verbal, competências e
habilidades, aspectos
pedagógicos, ludicidade e na
interação social com os seus
pares.
QUAL O PAPEL DO MEDIADOR ESCOLAR?
COMUNICAÇÃO PRÁTICA
Atuar no ambiente escolar, dentro da sala e demais dependências da
escola, e também nos passeios extras (fora da escola) que ocorrerem
dentro do horário da mediação;
Ser assíduo e pontual, respeitando os horários, as regras e normas
da instituição escolar onde faz a mediação;
Ser discreto e profissional evitando envolver-se em assuntos que não
dizem respeito ao trabalho de mediação;
Lembrar sempre que o que ocorre no ambiente escolar deve ser
compartilhado e discutido apenas com os profissionais envolvidos,
equipe pedagógica e terapeutas responsáveis pela orientação.
 Solicitar apoio e supervisão da equipe responsável sempre que sentir necessidade,
evitando passar problemas e dificuldades pertinentes à mediação aos
responsáveis;
 Avisar com antecedência, sempre que possível, caso precise faltar para que a
equipe ESCOLAR possa decidir junto à escola e aos responsáveis qual o
procedimento indicado (Atestado);
 Vestir-se adequadamente, utilizando sempre roupas que possibilitem uma fácil
movimentação; evitar usar saias, shorts, blusas decotadas, sandálias, sapatos com
salto, relógio, anéis, brincos grandes, colares, pulseiras e unhas grandes que
possam vir a machucar a criança;
 Estabelecer um contato diário com o responsável (família), caso necessário utilizar
uma agenda ou um caderno “leva e traz”;
 Entregar os registros mensais pontualmente,
participando das supervisões, grupos de estudo
e treinamentos com as terapeutas responsáveis
e com o professor;
 Criar uma comunicação ATIVA com o professor
para saber o objeto do conhecimento que vai ser
trabalhado em sala de aula;
 Manter sempre a atenção da criança voltada
para as ordens e informações dadas pelo
professor;
Orientar o grupo de colegas da sala a não
valorizar ou mesmo ignorar as estereotipias
e outros comportamentos inadequados.
 Atuar no momento da entrada ou saída escolar, direcionando a criança ao grupo e
ensinando-a como se comportar naquele momento, estimulando o cumprimento
da rotina e das ordens dadas pela professora;
 Durante o recreio mediar à relação da criança com os seus colegas nas brincadeiras
e situações sociais;
 Dirigir-se com a criança ao banheiro, caso haja necessidade, auxiliando-a em seus
hábitos de higiene promovendo assim maior independência e autonomia. Caso
exista na escola um profissional específico para auxiliar os alunos nesse momento,
o mediador estará apenas por perto, intervindo caso ocorra algum conflito ou
dificuldade entre eles;
 Manter-se sempre junto ao grupo e ao professor de sala, cumprindo, dentro do
possível, toda a rotina e as atividades pedagógicas;
 Atuar em parceria com o professor dentro de sala de aula.
COMO POSSO
CONTRIBUIR PARA
QUE A EDUCAÇÃO
INCLUSIVA SEJA
REALIDADE?
Para que os PROFESSORES possam
trabalhar na EDUCAÇÃO
INCLUSIVA é necessário que
ocorram mudanças estruturais e
pedagógicas, que vão desde
POLÍTICAS PÚBLICAS até mudanças
na PRÁXIS PEDAGÓGICA,
quebrando barreiras e abrindo
portas para os alunos com diversos
tipos e graus de dificuldades e
habilidades.
É NECESSÁRIO aplicar metodologias e pedagogias focadas
nos alunos em questão, preparando-o para desenvolver
habilidades e utilizar instrumentos de apoio que facilitem o
aprendizado nas aulas regulares.
HORA DA ESCUTA
LEMBRANDO...
Cada criança é única e
possuem seus
conhecimentos,
particularidades e
dificuldades.
A educação inclusiva é
um “estudo de caso”, o
que significa dizer que
cada caso é único.
Conclui-se que é primordial
o estabelecimento de uma
relação de confiança entre
os principais profissionais
que acompanham o aluno.
Educação inclusiva papel sujeitos
Educação inclusiva papel sujeitos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Slide educação especial
Slide educação especialSlide educação especial
Slide educação especialAndreia Gomes
 
Inclusão na Educação Infantil
Inclusão na Educação InfantilInclusão na Educação Infantil
Inclusão na Educação InfantilLucas Silva
 
Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.
Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.
Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.Juliana Madna
 
A EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇAS
A EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇASA EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇAS
A EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇASPedagogo Santos
 
Atendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional EspecializadoAtendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional Especializadoceciliaconserva
 
Educação especial escola inclusiva slides
Educação especial  escola inclusiva slidesEducação especial  escola inclusiva slides
Educação especial escola inclusiva slidesgindri
 
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.Instituto Consciência GO
 
ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO/ SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS
ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO/ SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAISATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO/ SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS
ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO/ SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAISClasse Especial SZ Inclusão
 
Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1
Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1
Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1Fabio Oliveira
 
Autismo: desafios da inclusão da criança autista na escola regular
Autismo: desafios da inclusão da criança autista na escola regularAutismo: desafios da inclusão da criança autista na escola regular
Autismo: desafios da inclusão da criança autista na escola regularJanderly Reis
 
Palestra sobre educação inclusiva
Palestra sobre educação inclusivaPalestra sobre educação inclusiva
Palestra sobre educação inclusivaBárbara Delpretto
 

Mais procurados (20)

Educação inclusiva
Educação inclusivaEducação inclusiva
Educação inclusiva
 
Aee. sala multifuncional
Aee. sala multifuncionalAee. sala multifuncional
Aee. sala multifuncional
 
Slide educação especial
Slide educação especialSlide educação especial
Slide educação especial
 
Inclusão na Educação Infantil
Inclusão na Educação InfantilInclusão na Educação Infantil
Inclusão na Educação Infantil
 
Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.
Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.
Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.
 
A EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇAS
A EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇASA EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇAS
A EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇAS
 
Atendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional EspecializadoAtendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional Especializado
 
Educação especial escola inclusiva slides
Educação especial  escola inclusiva slidesEducação especial  escola inclusiva slides
Educação especial escola inclusiva slides
 
Orientações sobre avaliação do aluno da Educação Especial
Orientações sobre avaliação do aluno da Educação EspecialOrientações sobre avaliação do aluno da Educação Especial
Orientações sobre avaliação do aluno da Educação Especial
 
Sala de Recursos Multifuncionais
Sala de Recursos MultifuncionaisSala de Recursos Multifuncionais
Sala de Recursos Multifuncionais
 
Professor de aee
Professor de aeeProfessor de aee
Professor de aee
 
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
 
ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO/ SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS
ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO/ SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAISATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO/ SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS
ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO/ SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS
 
Ed inclusiva unidade 1
Ed inclusiva unidade 1Ed inclusiva unidade 1
Ed inclusiva unidade 1
 
Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1
Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1
Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1
 
Autismo: desafios da inclusão da criança autista na escola regular
Autismo: desafios da inclusão da criança autista na escola regularAutismo: desafios da inclusão da criança autista na escola regular
Autismo: desafios da inclusão da criança autista na escola regular
 
PEI
PEIPEI
PEI
 
Educação Inclusiva
Educação Inclusiva Educação Inclusiva
Educação Inclusiva
 
Educação Inclusiva Desafio no Ambiente Escolar e na Pratica Pedagógica
Educação Inclusiva Desafio no Ambiente Escolar e na Pratica PedagógicaEducação Inclusiva Desafio no Ambiente Escolar e na Pratica Pedagógica
Educação Inclusiva Desafio no Ambiente Escolar e na Pratica Pedagógica
 
Palestra sobre educação inclusiva
Palestra sobre educação inclusivaPalestra sobre educação inclusiva
Palestra sobre educação inclusiva
 

Semelhante a Educação inclusiva papel sujeitos

Síndrome de Down e TDAH
Síndrome de Down e TDAHSíndrome de Down e TDAH
Síndrome de Down e TDAHceciliaconserva
 
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUAL
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUALAPRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUAL
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUALLetciaFerreira409889
 
1 Reunião de Pais 2019 sala de recursos.docx
1 Reunião de Pais 2019 sala de recursos.docx1 Reunião de Pais 2019 sala de recursos.docx
1 Reunião de Pais 2019 sala de recursos.docxDenildaPereira1
 
Por Que Planejar...
Por Que Planejar...Por Que Planejar...
Por Que Planejar...2009lourdes
 
Educação De Pessoas Com Capacidades Diferentes
Educação De Pessoas Com Capacidades DiferentesEducação De Pessoas Com Capacidades Diferentes
Educação De Pessoas Com Capacidades Diferentes2009lourdes
 
EducaçãO De Pessoas Com Capacidades Diferentes
EducaçãO De Pessoas Com Capacidades DiferentesEducaçãO De Pessoas Com Capacidades Diferentes
EducaçãO De Pessoas Com Capacidades Diferentes2009lourdes
 
Educação para a vida :os formadores e a estrutura educativa
Educação para a vida :os formadores e a estrutura educativaEducação para a vida :os formadores e a estrutura educativa
Educação para a vida :os formadores e a estrutura educativawilkerfilipel
 
Berçário simone helen drumond
Berçário simone helen  drumondBerçário simone helen  drumond
Berçário simone helen drumondSimoneHelenDrumond
 
Avaliação na Educação Infantil
Avaliação na Educação InfantilAvaliação na Educação Infantil
Avaliação na Educação InfantilAna Pierangeli
 
Didática professores trânsito fácil1
Didática professores trânsito fácil1Didática professores trânsito fácil1
Didática professores trânsito fácil1Priscilla Binotto
 
Indisciplina escolar
Indisciplina escolarIndisciplina escolar
Indisciplina escolarCarla Choffe
 
Transtorno de deficit de atencao
Transtorno de deficit de atencaoTranstorno de deficit de atencao
Transtorno de deficit de atencao68bomfim
 

Semelhante a Educação inclusiva papel sujeitos (20)

formação.pptx
formação.pptxformação.pptx
formação.pptx
 
Síndrome de Down e TDAH
Síndrome de Down e TDAHSíndrome de Down e TDAH
Síndrome de Down e TDAH
 
Volta às aulas
Volta às aulasVolta às aulas
Volta às aulas
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Aula1
Aula1Aula1
Aula1
 
Reuniao sme-fevereiro-aee
Reuniao sme-fevereiro-aeeReuniao sme-fevereiro-aee
Reuniao sme-fevereiro-aee
 
322 volta às aulas 1
322 volta às aulas 1322 volta às aulas 1
322 volta às aulas 1
 
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUAL
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUALAPRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUAL
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUAL
 
1 Reunião de Pais 2019 sala de recursos.docx
1 Reunião de Pais 2019 sala de recursos.docx1 Reunião de Pais 2019 sala de recursos.docx
1 Reunião de Pais 2019 sala de recursos.docx
 
Por Que Planejar...
Por Que Planejar...Por Que Planejar...
Por Que Planejar...
 
Educação De Pessoas Com Capacidades Diferentes
Educação De Pessoas Com Capacidades DiferentesEducação De Pessoas Com Capacidades Diferentes
Educação De Pessoas Com Capacidades Diferentes
 
EducaçãO De Pessoas Com Capacidades Diferentes
EducaçãO De Pessoas Com Capacidades DiferentesEducaçãO De Pessoas Com Capacidades Diferentes
EducaçãO De Pessoas Com Capacidades Diferentes
 
AUTISMO NA ESCOLA
AUTISMO NA ESCOLAAUTISMO NA ESCOLA
AUTISMO NA ESCOLA
 
Educação para a vida :os formadores e a estrutura educativa
Educação para a vida :os formadores e a estrutura educativaEducação para a vida :os formadores e a estrutura educativa
Educação para a vida :os formadores e a estrutura educativa
 
Berçário simone helen drumond
Berçário simone helen  drumondBerçário simone helen  drumond
Berçário simone helen drumond
 
Avaliação na Educação Infantil
Avaliação na Educação InfantilAvaliação na Educação Infantil
Avaliação na Educação Infantil
 
Aspectos psicomotores das dificuldades de aprendizagem
Aspectos psicomotores das dificuldades de aprendizagemAspectos psicomotores das dificuldades de aprendizagem
Aspectos psicomotores das dificuldades de aprendizagem
 
Didática professores trânsito fácil1
Didática professores trânsito fácil1Didática professores trânsito fácil1
Didática professores trânsito fácil1
 
Indisciplina escolar
Indisciplina escolarIndisciplina escolar
Indisciplina escolar
 
Transtorno de deficit de atencao
Transtorno de deficit de atencaoTranstorno de deficit de atencao
Transtorno de deficit de atencao
 

Último

Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de PartículasRecurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de PartículasCasa Ciências
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 

Último (20)

Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de PartículasRecurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 

Educação inclusiva papel sujeitos

  • 1. Educação Inclusiva: o papel de cada sujeito Coordenação da Educação Especial: Núria Evangelista Coordenação dos Anos Iniciais: Maria Alaíde Mediadoras: Elvanir Oliveira e Idalice Ramos
  • 2. PAUTA: Acolhida – Dinâmica: A escola dos bichos Vídeo: Somos todos diferentes O papel dos Sujeitos envolvidos da Educação Especial Momento da Escuta O que houver... Música: Nada impede que eu seja feliz - Leci Brandão
  • 3.
  • 4. O QUE É? CUIDAR VERBO TRANSITIVO 1. tratar de alguém, garantindo o seu bem-estar, segurança, etc.; tomar conta de 2. garantir a preservação de algo 3. ocupar-se de; responsabilizar-se por 4. dedicar esforço e tempo (a algo) com determinado objetivo
  • 5. O QUE É? MEDIAR VERBO TRANSITIVO 1. agir como mediador de; intervir acerca de 2. situar-se entre (duas coisas ou dois extremos) 3. decorrer entre (dois pontos ou duas épocas) 4. [pouco usado] dividir ao meio; repartir
  • 6. O objetivo maior do mediador escolar é promover o desenvolvimento da criança, que precisa de um suporte adicional no ambiente natural de aprendizagem. OBJETIVO
  • 7. RELAÇÃO MEDIADOR-PROFESSOR- ESCOLA  O PROFESSOR da classe é o responsável por organizar as ações de todos os seus alunos;  O MEDIADOR atua em parceria com a escola com o objetivo de compartilhar conhecimento. Quanto mais os profissionais os que assistem a criança estiverem preparados, maior será o desenvolvimento dele;  A ESCOLA, dentre outros objetivos, precisa facilitar a aprendizagem e a aquisição do conteúdo pedagógico.
  • 9. IMPORTANTE DIREITOS Toda pessoa aprende O convívio no ambiente escolar comum beneficia todos A educação inclusiva diz respeito a todos
  • 10.
  • 11. O QUE É INCLUSÃO? A inclusão vai muito além de estar em uma sala de aula, é preciso que o aluno faça parte da turma, interaja com os professores e as demais crianças, compreenda as questões pedagógicas e se desenvolva de acordo com as suas particularidades e o seu ritmo de aprendizado.
  • 12. O MEDIADOR ESCOLAR É um profissional capacitado para auxiliar o sujeito na comunicação verbal e não- verbal, competências e habilidades, aspectos pedagógicos, ludicidade e na interação social com os seus pares.
  • 13. QUAL O PAPEL DO MEDIADOR ESCOLAR? COMUNICAÇÃO PRÁTICA
  • 14. Atuar no ambiente escolar, dentro da sala e demais dependências da escola, e também nos passeios extras (fora da escola) que ocorrerem dentro do horário da mediação; Ser assíduo e pontual, respeitando os horários, as regras e normas da instituição escolar onde faz a mediação; Ser discreto e profissional evitando envolver-se em assuntos que não dizem respeito ao trabalho de mediação; Lembrar sempre que o que ocorre no ambiente escolar deve ser compartilhado e discutido apenas com os profissionais envolvidos, equipe pedagógica e terapeutas responsáveis pela orientação.
  • 15.  Solicitar apoio e supervisão da equipe responsável sempre que sentir necessidade, evitando passar problemas e dificuldades pertinentes à mediação aos responsáveis;  Avisar com antecedência, sempre que possível, caso precise faltar para que a equipe ESCOLAR possa decidir junto à escola e aos responsáveis qual o procedimento indicado (Atestado);  Vestir-se adequadamente, utilizando sempre roupas que possibilitem uma fácil movimentação; evitar usar saias, shorts, blusas decotadas, sandálias, sapatos com salto, relógio, anéis, brincos grandes, colares, pulseiras e unhas grandes que possam vir a machucar a criança;  Estabelecer um contato diário com o responsável (família), caso necessário utilizar uma agenda ou um caderno “leva e traz”;
  • 16.  Entregar os registros mensais pontualmente, participando das supervisões, grupos de estudo e treinamentos com as terapeutas responsáveis e com o professor;  Criar uma comunicação ATIVA com o professor para saber o objeto do conhecimento que vai ser trabalhado em sala de aula;  Manter sempre a atenção da criança voltada para as ordens e informações dadas pelo professor; Orientar o grupo de colegas da sala a não valorizar ou mesmo ignorar as estereotipias e outros comportamentos inadequados.
  • 17.  Atuar no momento da entrada ou saída escolar, direcionando a criança ao grupo e ensinando-a como se comportar naquele momento, estimulando o cumprimento da rotina e das ordens dadas pela professora;  Durante o recreio mediar à relação da criança com os seus colegas nas brincadeiras e situações sociais;  Dirigir-se com a criança ao banheiro, caso haja necessidade, auxiliando-a em seus hábitos de higiene promovendo assim maior independência e autonomia. Caso exista na escola um profissional específico para auxiliar os alunos nesse momento, o mediador estará apenas por perto, intervindo caso ocorra algum conflito ou dificuldade entre eles;  Manter-se sempre junto ao grupo e ao professor de sala, cumprindo, dentro do possível, toda a rotina e as atividades pedagógicas;  Atuar em parceria com o professor dentro de sala de aula.
  • 18.
  • 19. COMO POSSO CONTRIBUIR PARA QUE A EDUCAÇÃO INCLUSIVA SEJA REALIDADE?
  • 20. Para que os PROFESSORES possam trabalhar na EDUCAÇÃO INCLUSIVA é necessário que ocorram mudanças estruturais e pedagógicas, que vão desde POLÍTICAS PÚBLICAS até mudanças na PRÁXIS PEDAGÓGICA, quebrando barreiras e abrindo portas para os alunos com diversos tipos e graus de dificuldades e habilidades.
  • 21. É NECESSÁRIO aplicar metodologias e pedagogias focadas nos alunos em questão, preparando-o para desenvolver habilidades e utilizar instrumentos de apoio que facilitem o aprendizado nas aulas regulares.
  • 23.
  • 24. LEMBRANDO... Cada criança é única e possuem seus conhecimentos, particularidades e dificuldades. A educação inclusiva é um “estudo de caso”, o que significa dizer que cada caso é único. Conclui-se que é primordial o estabelecimento de uma relação de confiança entre os principais profissionais que acompanham o aluno.