SlideShare uma empresa Scribd logo
Discutindo a aula e o 
espaço 
da sala de aula: 
“ensino e aprendizagem”
O que é Didática? 
É a ciência cujo 
objetivo fundamental é 
ocupar-se das 
estratégias de ensino, 
das questões práticas 
relativas á 
metodologia de 
aprendizagem e das 
estratégias.
O que é Didática? 
A Didática é a ferramenta cotidiana do professor e, 
está em contínua evolução. 
Os conteúdos são fundamentais. 
È necessário aperfeiçoar e atualizar o professor pelo 
conhecimento de novas técnicas que possam vir a 
ser utilizadas em sala de aula.
O que é Educação? 
Educação é o 
"processo de 
desenvolvimento da 
capacidade FÍSICA, 
INTELECTUAL ou 
MORAL do ser 
humano, visando à 
sua melhor integração 
individual e social".
O que é Educação? 
A educação tem evoluído com a sociedade e hoje, 
ela pode ocorrer de diversas maneiras e os meios 
de comunicação, o desenvolvimento da tecnologia e 
a globalização, estão facilitando às pessoas a 
aquisição de conhecimentos cada vez mais 
elaborados.
O que buscamos como 
Educadores? 
A educação mora em todos os lugares e o 
conhecimento está disponível . O que se busca 
então, é verdadeiramente ESTIMULAR a vontade de 
aprender, o interesse, a curiosidade de nossos 
alunos.
Aluno: 
O aluno é o componente básico do processo de 
instrução, pois é ele quem aprende. Ao professor 
cabe a função de planejar o ensino, propiciando 
condições para que a aprendizagem se realize.
Relação Professor-Aluno 
A relação professor- educando é uma relação 
unilateral, para haver um processo que propicie 
a construção coletiva do conhecimento é 
necessário que esta seja baseada no diálogo.
Relação Professor-Aluno 
Nessa relação de construção de conhecimento o 
professor fala, mas também ouve, ou seja, dialoga 
com o aluno e permite que este aja e opere 
mentalmente com os objetos.
Relação Professor-Aluno 
O que os professores precisam saber para poder ensinar? 
Como os professores aprendem a ensinar? 
Como os professores constroem conhecimentos sobre o 
ensino?
O que é aprendizagem? 
É um processo de mudança de comportamento 
obtido através de EXPERIÊNCIA construída por 
fatores emocionais, neurológicos, relacionais e 
ambientais. 
É o resultado da interação entre estruturas mentais 
e o meio ambiente.
O que é Aprendizagem? 
Acredita-se que 
aprender é a 
correlação e o USO 
PRÁTICO do 
conhecimento no dia-a- 
dia da vida do ser 
humano.
Andragogia 
Ciência que estuda as 
melhores práticas para 
orientar adultos a 
aprender. É preciso 
considerar que a 
experiência é a fonte mais 
rica para a aprendizagem 
de adultos. Estes são 
motivados a aprender 
conforme vivenciam 
necessidades e interesses 
que a aprendizagem 
satisfará em sua vida. O 
modelo andragógico 
baseia-se nos seguintes 
princípios:
Andragogia 
1. Necessidade de saber: adultos precisam saber 
POR QUE precisam APRENDER algo e qual o 
GANHO que terão no processo. 
2. Autoconceito do aprendiz: adultos são 
responsáveis por suas decisões e por sua vida, 
portanto querem ser vistos e tratados pelos outros 
como capazes de se autodirigir e não de serem 
tratados como crianças. 
3. Papel das experiências: para o adulto suas 
experiências são a base de seu aprendizado. As 
técnicas que aproveitam essa amplitude de 
diferenças individuais serão mais eficazes.
Andragogia 
4. Prontidão para aprender: o adulto fica disposto a 
aprender quando a ocasião exige algum tipo de 
aprendizagem relacionado a SITUAÇÕES REAIS de 
seu dia-a-dia. 
5. Orientação para aprendizagem: o adulto 
aprende melhor quando os conceitos apresentados 
estão CONTEXTUALIZADOS para alguma aplicação 
e utilidade. 
6. Motivação: adultos são mais motivados a 
aprender por valores intrínsecos: autoestima, 
qualidade de vida, desenvolvimento.
LINGUAGEM DIDÁTICA 
Mantida em um tom de voz agradável com modulações 
diferentes nas palavras essenciais da fala; 
Adequada ao nível cultural, ajustando a capacidade de 
compreensão dos alunos; 
Adequada ao assunto, ou seja, utilizando os termos 
técnicos de cada disciplina, sempre explicando seu 
significado conforme a utilização;
Diferentes papéis do 
professor: 
ADMINISTRADOR, 
CONSELHEIRO, 
ESPECIALISTA, 
MEMBRO DA EQUIPE. 
PROFESSOR, 
DIDATA, 
APRENDIZ, 
DIAGNOSTICADOR 
DE NECESSIDADES.
Diferentes papéis do 
professor: 
Não existem fórmulas mágicas nem receitas infalíveis 
para garantir a eficácia das aulas. Mas há uma série 
de recomendações que podem contribuir:
Diferentes papéis do 
professor: 
Manifestar 
espontaneidade. 
Fazer feedback 
durante a aula. 
Utilizar recursos 
diversos. 
Encorajar a tomada 
de anotações . 
Promover revisões. 
Envolver o aluno no 
sentido de obter sua 
participação efetiva. 
Perceber o 
desinteresse do 
aluno.
Diferentes papéis do 
professor: 
Aula expositiva: 
-Comunicação verbal estruturada. 
- transmitir determinados conteúdos. 
- Apresentação ordenada, bem estruturada. 
-esclarecendo idéias e conceitos básicos .
Diferentes papéis do 
professor: 
Aula demonstrativa: 
- Demonstração estimula o interesse do aluno. 
-Porque envolve a transmissão de habilidades, 
aplicáveis na prática profissional.
Diferentes papéis do 
professor: 
Aula prática: -Aulas práticas são aquelas nas quais o 
aluno se depara com uma forma 
científica de explicar e compreender, através da 
orientação do professor, o 
que antes era, para ele, apenas senso comum.
Diferentes papéis do 
professor: 
PBL: faz com que o aluno saia de uma postura 
passiva fazendo com que tenha uma maior 
participação no processo e aprendizagem uma vez 
que a solução não será fornecida pelo professor. 
o aluno consiga chegar às soluções dos problemas 
apresentados.
LINGUAGEM DIDÁTICA 
Simples: não há necessidade de se utilizar frases 
rebuscadas; 
Direta: ir diretamente ao assunto que está sendo tratado; 
Gramaticalmente correta 
Cuidadosa com termos e expressões, evitando o uso de 
gírias e palavras vulgares;
O professor não é quem ensina, mas o eterno 
aprendiz, que aprende melhor e está à frente 
dos outros nesse desafio, ou seja, a 
aprendizagem deve ser permanente.
Os professores necessitam de atualização permanente para 
acompanharem a velocidade do mundo contemporâneo.
Sugestões para incentivar a 
participação do aluno:
ATITUDES NEGATIVAS 
AO INSTRUTOR 
Atitudes físicas e posturais do educador/ instrutor são 
muito importantes, principalmente enquanto relação com 
a figura exemplar que lhe é inerente à função. Alguns 
exemplos: 
Ministrar aulas sentado durante todo o período; 
Permanecer parado por muito tempo num mesmo lugar 
da sala de aula;
Apresente atividades desafiadoras, que envolvam 
os esquemas cognitivos de natureza operativa, 
como trabalhos em grupo. 
Proporcione atividades de expressão oral, onde o 
aluno possa ouvir e se fazer ouvir, externar opiniões 
e dúvidas.
Distribua funções, divida tarefas,ao participarem de 
dinâmicas em sala, sentem-se responsáveis por ela. 
O professor precisa e deve orientar a conduta dos 
alunos de forma compreensiva, mas com atitudes 
seguras, isto diminui a indisciplina.
Motivo é um estímulo interno, 
Incentivo é um estímulo externo.
ATITUDES NEGATIVAS 
AO INSTRUTOR 
Fixar os olhos por muito tempo num 
determinado aluno ou grupo de alunos durante 
as explicações; 
Ministrar aulas com o olhar perdido no teto, no 
chão ou qualquer outro ponto da sala de aula; 
Se atrasar para as aulas, ou ficar consultando 
o relógio o tempo todo;
ATITUDES NEGATIVAS 
AO INSTRUTOR 
Consultar constantemente, 
durante a aula, fichas, 
apontamentos, apostilas e 
outros lembretes, exceto 
quando for necessário fazer 
citações. Para que isto não 
ocorra, um bom planejamento 
é fundamental.
PREOCUPAÇÕES MAIS 
COMUNS E COMO 
EVITÁ-LAS 
Platéia entediada: 
Quando o público perde o interesse, 
começam as conversas paralelas e a 
própria forma como as pessoas se 
sentam nas cadeiras (se 
esparramando) já dão indicativos de 
que estão entediadas.
PREOCUPAÇÕES MAIS 
COMUNS E COMO 
EVITÁ-LAS 
Assegure-se de que tudo 
que tem a dizer é relevante. 
Se não for, corte. Seja 
dinâmico, variando a 
velocidade da apresentação. 
Sempre olhe nos olhos do 
público.
PREOCUPAÇÕES MAIS 
COMUNS E COMO 
EVITÁ-LAS 
Platéia hostil: 
Você se sente acuado. 
As perguntas do público 
são em tom agressivo.
PREOCUPAÇÕES MAIS 
COMUNS E COMO 
EVITÁ-LAS 
Mantenha-se calmo e gentil. 
Caso a platéia tenha 
conhecimento especializado 
da matéria, faça concessões. 
Redirecione perguntas para o 
público.
PREOCUPAÇÕES MAIS 
COMUNS E COMO 
EVITÁ-LAS 
Falha de equipamento: 
O equipamento entra 
em pane ou, por 
alguma razão, você não 
consegue operá-lo
PREOCUPAÇÕES MAIS 
COMUNS E COMO 
EVITÁ-LAS 
Procure dominar a 
tecnologia que você 
pretende usar. Verifique 
antes da apresentação se 
o equipamento está 
funcionando e tenha 
alternativas para o caso 
de falhas.
Saber+prazer+tensão: ato de 
ensinar
Tradição... 
Era uma vez uma tribo pré-histórica que se alimentava de carne 
de tigres de dentes de sabre. A educação nesta tribo baseava-se 
em ensinar a caçar tigres de dentes de sabre, porque disto 
dependia a sobrevivência de todos. Os mais velhos eram os 
responsáveis pela tarefa educativa. Passado algum tempo os 
tigres de dentes de sabre extinguiram-se. Criou-se um impasse: o 
apego à tradição dos mais velhos exigia que se continuasse a 
ensinar a caçar tigres de dentes de sabre; os mais jovens 
clamavam por uma reforma no ensino. O impasse perdurou por 
muito tempo. Mais precisamente até um dia que, por falta de 
alimento, a tribo extinguiu-se também."

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula direção defensiva
Aula  direção defensivaAula  direção defensiva
Aula direção defensiva
Jonatas Soares
 
Legislação - Primeira habilitação
Legislação - Primeira habilitaçãoLegislação - Primeira habilitação
Legislação - Primeira habilitação
Gabrielly Campos
 
Direção defensiva - Primeira habilitação
Direção defensiva - Primeira habilitaçãoDireção defensiva - Primeira habilitação
Direção defensiva - Primeira habilitação
Gabrielly Campos
 
Aula ctb
Aula ctbAula ctb
Aula ctb
919720
 

Mais procurados (20)

Direção defensiva rosa
Direção defensiva rosaDireção defensiva rosa
Direção defensiva rosa
 
SNT- Sistema Nacional de Trânsito
SNT- Sistema Nacional de TrânsitoSNT- Sistema Nacional de Trânsito
SNT- Sistema Nacional de Trânsito
 
Aula direção defensiva
Aula  direção defensivaAula  direção defensiva
Aula direção defensiva
 
Educação no Trânsito
Educação no TrânsitoEducação no Trânsito
Educação no Trânsito
 
Legislação de trânsito
Legislação de trânsitoLegislação de trânsito
Legislação de trânsito
 
Maio Amarelo 2022.pptx
Maio Amarelo 2022.pptxMaio Amarelo 2022.pptx
Maio Amarelo 2022.pptx
 
Legislação - Primeira habilitação
Legislação - Primeira habilitaçãoLegislação - Primeira habilitação
Legislação - Primeira habilitação
 
cidadania meio ambiente -trânsito
 cidadania  meio ambiente -trânsito cidadania  meio ambiente -trânsito
cidadania meio ambiente -trânsito
 
Legislação de trânsito primeira habilitação -atualizado
Legislação de trânsito   primeira habilitação -atualizadoLegislação de trânsito   primeira habilitação -atualizado
Legislação de trânsito primeira habilitação -atualizado
 
Direção defensiva - Primeira habilitação
Direção defensiva - Primeira habilitaçãoDireção defensiva - Primeira habilitação
Direção defensiva - Primeira habilitação
 
Estatísticas direção defensiva - Especial para Técnicos em Segurança do Trabalho
Estatísticas direção defensiva - Especial para Técnicos em Segurança do TrabalhoEstatísticas direção defensiva - Especial para Técnicos em Segurança do Trabalho
Estatísticas direção defensiva - Especial para Técnicos em Segurança do Trabalho
 
Inst. filipe direção defensiva
Inst. filipe direção defensivaInst. filipe direção defensiva
Inst. filipe direção defensiva
 
Aula ctb
Aula ctbAula ctb
Aula ctb
 
Legislação de trânsito
Legislação de trânsitoLegislação de trânsito
Legislação de trânsito
 
Sinalização trânsito
Sinalização trânsitoSinalização trânsito
Sinalização trânsito
 
Direção defensiva
Direção defensivaDireção defensiva
Direção defensiva
 
As sinalizações de trânsito
As sinalizações de trânsitoAs sinalizações de trânsito
As sinalizações de trânsito
 
Direção defensiva: pegue carona nessa ideia
Direção defensiva:  pegue carona nessa ideiaDireção defensiva:  pegue carona nessa ideia
Direção defensiva: pegue carona nessa ideia
 
PALESTRA TRÂNSITO MAIO AMARELO INFANTIL - 03-05-2022.ppt
PALESTRA TRÂNSITO MAIO AMARELO INFANTIL - 03-05-2022.pptPALESTRA TRÂNSITO MAIO AMARELO INFANTIL - 03-05-2022.ppt
PALESTRA TRÂNSITO MAIO AMARELO INFANTIL - 03-05-2022.ppt
 
Projeto criança no transito
Projeto criança no transitoProjeto criança no transito
Projeto criança no transito
 

Destaque

Ensino de Ciências
Ensino de CiênciasEnsino de Ciências
Ensino de Ciências
coisasblog
 
4. planejamento e avaliação na escola
4. planejamento e avaliação na escola4. planejamento e avaliação na escola
4. planejamento e avaliação na escola
Claudio Lima
 
O ensino-aprendizagem como investigação:
O ensino-aprendizagem como investigação:O ensino-aprendizagem como investigação:
O ensino-aprendizagem como investigação:
coisasblog
 
PPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
PPP 2013 Escola Classe 29 de TaguatingaPPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
PPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
Ana Silva
 
A humanização no trânsito
A humanização no trânsitoA humanização no trânsito
A humanização no trânsito
Nice Lacerda
 
Apostila Normas ABNT IEE
Apostila Normas ABNT IEEApostila Normas ABNT IEE
Apostila Normas ABNT IEE
marianamanfroi
 
PRESERVAÇÃO AMBIENTAL
PRESERVAÇÃO AMBIENTALPRESERVAÇÃO AMBIENTAL
PRESERVAÇÃO AMBIENTAL
Ana De Paula
 

Destaque (20)

Curso de Legislação de Trânsito em Auto Escola - Processo de Habilitação
Curso de Legislação de Trânsito em Auto Escola - Processo de HabilitaçãoCurso de Legislação de Trânsito em Auto Escola - Processo de Habilitação
Curso de Legislação de Trânsito em Auto Escola - Processo de Habilitação
 
Direção Defensiva
Direção DefensivaDireção Defensiva
Direção Defensiva
 
Ensino de Ciências
Ensino de CiênciasEnsino de Ciências
Ensino de Ciências
 
4. planejamento e avaliação na escola
4. planejamento e avaliação na escola4. planejamento e avaliação na escola
4. planejamento e avaliação na escola
 
O ensino-aprendizagem como investigação:
O ensino-aprendizagem como investigação:O ensino-aprendizagem como investigação:
O ensino-aprendizagem como investigação:
 
Aprendizagem, Autoria e Avaliação
Aprendizagem, Autoria e AvaliaçãoAprendizagem, Autoria e Avaliação
Aprendizagem, Autoria e Avaliação
 
Manual do Instrutor
Manual do InstrutorManual do Instrutor
Manual do Instrutor
 
Curso de vistoriador veicular
Curso de vistoriador veicularCurso de vistoriador veicular
Curso de vistoriador veicular
 
O ;Metodo Ensino por Investigação aplicado a várias Modalidades Didáticas
O ;Metodo Ensino por Investigação aplicado a várias Modalidades DidáticasO ;Metodo Ensino por Investigação aplicado a várias Modalidades Didáticas
O ;Metodo Ensino por Investigação aplicado a várias Modalidades Didáticas
 
O ensino de ciências por investigação
O ensino de ciências por investigaçãoO ensino de ciências por investigação
O ensino de ciências por investigação
 
O ensino de ciências por investigação
O ensino de ciências por investigaçãoO ensino de ciências por investigação
O ensino de ciências por investigação
 
PPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
PPP 2013 Escola Classe 29 de TaguatingaPPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
PPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
 
A humanização no trânsito
A humanização no trânsitoA humanização no trânsito
A humanização no trânsito
 
Apostila Normas ABNT IEE
Apostila Normas ABNT IEEApostila Normas ABNT IEE
Apostila Normas ABNT IEE
 
Placas de trânsito
Placas de trânsitoPlacas de trânsito
Placas de trânsito
 
Direção defensiva
Direção defensivaDireção defensiva
Direção defensiva
 
Mecânica - Auto Escola
Mecânica - Auto EscolaMecânica - Auto Escola
Mecânica - Auto Escola
 
Modal rodoviário
Modal rodoviárioModal rodoviário
Modal rodoviário
 
PRESERVAÇÃO AMBIENTAL
PRESERVAÇÃO AMBIENTALPRESERVAÇÃO AMBIENTAL
PRESERVAÇÃO AMBIENTAL
 
Atendimento em primeiros socorros basicos
Atendimento em primeiros socorros basicosAtendimento em primeiros socorros basicos
Atendimento em primeiros socorros basicos
 

Semelhante a Didática professores trânsito fácil1

Capacitacao Consultores Final
Capacitacao Consultores FinalCapacitacao Consultores Final
Capacitacao Consultores Final
CCAC
 
Motivação em sala de aula
Motivação em sala de aulaMotivação em sala de aula
Motivação em sala de aula
Roselene Rocha
 
Relação professor aluno
Relação professor alunoRelação professor aluno
Relação professor aluno
Romes Heriberto
 
Como potencializar e_dinamizar_o_ensino_para_adultos
Como potencializar e_dinamizar_o_ensino_para_adultosComo potencializar e_dinamizar_o_ensino_para_adultos
Como potencializar e_dinamizar_o_ensino_para_adultos
jeconiaseandreia
 

Semelhante a Didática professores trânsito fácil1 (20)

DIDATICA Didática i aula
DIDATICA Didática i   aulaDIDATICA Didática i   aula
DIDATICA Didática i aula
 
TCC - Estilos de Aprendizagem
TCC - Estilos de AprendizagemTCC - Estilos de Aprendizagem
TCC - Estilos de Aprendizagem
 
Palestra eja
Palestra ejaPalestra eja
Palestra eja
 
DIDÁCTICA - RUI ALBERTO 2024_091316.pptx
DIDÁCTICA - RUI ALBERTO 2024_091316.pptxDIDÁCTICA - RUI ALBERTO 2024_091316.pptx
DIDÁCTICA - RUI ALBERTO 2024_091316.pptx
 
RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNO
RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNORELAÇÃO PROFESSOR X ALUNO
RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNO
 
História da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didáticaHistória da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didática
 
História da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didáticaHistória da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didática
 
Capacitacao Consultores Final
Capacitacao Consultores FinalCapacitacao Consultores Final
Capacitacao Consultores Final
 
Ensinar e Aprender, Uma questão de foco
Ensinar e Aprender, Uma questão de focoEnsinar e Aprender, Uma questão de foco
Ensinar e Aprender, Uma questão de foco
 
Apresentação de impacto aula show
Apresentação de impacto aula showApresentação de impacto aula show
Apresentação de impacto aula show
 
Motivação em sala de aula
Motivação em sala de aulaMotivação em sala de aula
Motivação em sala de aula
 
Relação professor aluno
Relação professor alunoRelação professor aluno
Relação professor aluno
 
Aprender a Aprender
Aprender a AprenderAprender a Aprender
Aprender a Aprender
 
Como potencializar e_dinamizar_o_ensino_para_adultos
Como potencializar e_dinamizar_o_ensino_para_adultosComo potencializar e_dinamizar_o_ensino_para_adultos
Como potencializar e_dinamizar_o_ensino_para_adultos
 
Encontro pedagógico
Encontro pedagógicoEncontro pedagógico
Encontro pedagógico
 
Revolução nas Aulas do Século XXI
Revolução nas Aulas do Século XXIRevolução nas Aulas do Século XXI
Revolução nas Aulas do Século XXI
 
Aula 2 unidade 1a
Aula 2 unidade 1aAula 2 unidade 1a
Aula 2 unidade 1a
 
Métodos e Modelos de ensino
Métodos e Modelos de ensinoMétodos e Modelos de ensino
Métodos e Modelos de ensino
 
Professor x Educador
Professor x EducadorProfessor x Educador
Professor x Educador
 
Apresenta..
Apresenta..Apresenta..
Apresenta..
 

Último

CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
EduardaMedeiros18
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
LuanaAlves940822
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 

Último (20)

Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
 
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergO carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfLabor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorRecurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 

Didática professores trânsito fácil1

  • 1. Discutindo a aula e o espaço da sala de aula: “ensino e aprendizagem”
  • 2. O que é Didática? É a ciência cujo objetivo fundamental é ocupar-se das estratégias de ensino, das questões práticas relativas á metodologia de aprendizagem e das estratégias.
  • 3. O que é Didática? A Didática é a ferramenta cotidiana do professor e, está em contínua evolução. Os conteúdos são fundamentais. È necessário aperfeiçoar e atualizar o professor pelo conhecimento de novas técnicas que possam vir a ser utilizadas em sala de aula.
  • 4. O que é Educação? Educação é o "processo de desenvolvimento da capacidade FÍSICA, INTELECTUAL ou MORAL do ser humano, visando à sua melhor integração individual e social".
  • 5. O que é Educação? A educação tem evoluído com a sociedade e hoje, ela pode ocorrer de diversas maneiras e os meios de comunicação, o desenvolvimento da tecnologia e a globalização, estão facilitando às pessoas a aquisição de conhecimentos cada vez mais elaborados.
  • 6. O que buscamos como Educadores? A educação mora em todos os lugares e o conhecimento está disponível . O que se busca então, é verdadeiramente ESTIMULAR a vontade de aprender, o interesse, a curiosidade de nossos alunos.
  • 7. Aluno: O aluno é o componente básico do processo de instrução, pois é ele quem aprende. Ao professor cabe a função de planejar o ensino, propiciando condições para que a aprendizagem se realize.
  • 8. Relação Professor-Aluno A relação professor- educando é uma relação unilateral, para haver um processo que propicie a construção coletiva do conhecimento é necessário que esta seja baseada no diálogo.
  • 9. Relação Professor-Aluno Nessa relação de construção de conhecimento o professor fala, mas também ouve, ou seja, dialoga com o aluno e permite que este aja e opere mentalmente com os objetos.
  • 10. Relação Professor-Aluno O que os professores precisam saber para poder ensinar? Como os professores aprendem a ensinar? Como os professores constroem conhecimentos sobre o ensino?
  • 11. O que é aprendizagem? É um processo de mudança de comportamento obtido através de EXPERIÊNCIA construída por fatores emocionais, neurológicos, relacionais e ambientais. É o resultado da interação entre estruturas mentais e o meio ambiente.
  • 12. O que é Aprendizagem? Acredita-se que aprender é a correlação e o USO PRÁTICO do conhecimento no dia-a- dia da vida do ser humano.
  • 13. Andragogia Ciência que estuda as melhores práticas para orientar adultos a aprender. É preciso considerar que a experiência é a fonte mais rica para a aprendizagem de adultos. Estes são motivados a aprender conforme vivenciam necessidades e interesses que a aprendizagem satisfará em sua vida. O modelo andragógico baseia-se nos seguintes princípios:
  • 14. Andragogia 1. Necessidade de saber: adultos precisam saber POR QUE precisam APRENDER algo e qual o GANHO que terão no processo. 2. Autoconceito do aprendiz: adultos são responsáveis por suas decisões e por sua vida, portanto querem ser vistos e tratados pelos outros como capazes de se autodirigir e não de serem tratados como crianças. 3. Papel das experiências: para o adulto suas experiências são a base de seu aprendizado. As técnicas que aproveitam essa amplitude de diferenças individuais serão mais eficazes.
  • 15. Andragogia 4. Prontidão para aprender: o adulto fica disposto a aprender quando a ocasião exige algum tipo de aprendizagem relacionado a SITUAÇÕES REAIS de seu dia-a-dia. 5. Orientação para aprendizagem: o adulto aprende melhor quando os conceitos apresentados estão CONTEXTUALIZADOS para alguma aplicação e utilidade. 6. Motivação: adultos são mais motivados a aprender por valores intrínsecos: autoestima, qualidade de vida, desenvolvimento.
  • 16. LINGUAGEM DIDÁTICA Mantida em um tom de voz agradável com modulações diferentes nas palavras essenciais da fala; Adequada ao nível cultural, ajustando a capacidade de compreensão dos alunos; Adequada ao assunto, ou seja, utilizando os termos técnicos de cada disciplina, sempre explicando seu significado conforme a utilização;
  • 17. Diferentes papéis do professor: ADMINISTRADOR, CONSELHEIRO, ESPECIALISTA, MEMBRO DA EQUIPE. PROFESSOR, DIDATA, APRENDIZ, DIAGNOSTICADOR DE NECESSIDADES.
  • 18. Diferentes papéis do professor: Não existem fórmulas mágicas nem receitas infalíveis para garantir a eficácia das aulas. Mas há uma série de recomendações que podem contribuir:
  • 19. Diferentes papéis do professor: Manifestar espontaneidade. Fazer feedback durante a aula. Utilizar recursos diversos. Encorajar a tomada de anotações . Promover revisões. Envolver o aluno no sentido de obter sua participação efetiva. Perceber o desinteresse do aluno.
  • 20. Diferentes papéis do professor: Aula expositiva: -Comunicação verbal estruturada. - transmitir determinados conteúdos. - Apresentação ordenada, bem estruturada. -esclarecendo idéias e conceitos básicos .
  • 21. Diferentes papéis do professor: Aula demonstrativa: - Demonstração estimula o interesse do aluno. -Porque envolve a transmissão de habilidades, aplicáveis na prática profissional.
  • 22. Diferentes papéis do professor: Aula prática: -Aulas práticas são aquelas nas quais o aluno se depara com uma forma científica de explicar e compreender, através da orientação do professor, o que antes era, para ele, apenas senso comum.
  • 23. Diferentes papéis do professor: PBL: faz com que o aluno saia de uma postura passiva fazendo com que tenha uma maior participação no processo e aprendizagem uma vez que a solução não será fornecida pelo professor. o aluno consiga chegar às soluções dos problemas apresentados.
  • 24. LINGUAGEM DIDÁTICA Simples: não há necessidade de se utilizar frases rebuscadas; Direta: ir diretamente ao assunto que está sendo tratado; Gramaticalmente correta Cuidadosa com termos e expressões, evitando o uso de gírias e palavras vulgares;
  • 25. O professor não é quem ensina, mas o eterno aprendiz, que aprende melhor e está à frente dos outros nesse desafio, ou seja, a aprendizagem deve ser permanente.
  • 26. Os professores necessitam de atualização permanente para acompanharem a velocidade do mundo contemporâneo.
  • 27. Sugestões para incentivar a participação do aluno:
  • 28. ATITUDES NEGATIVAS AO INSTRUTOR Atitudes físicas e posturais do educador/ instrutor são muito importantes, principalmente enquanto relação com a figura exemplar que lhe é inerente à função. Alguns exemplos: Ministrar aulas sentado durante todo o período; Permanecer parado por muito tempo num mesmo lugar da sala de aula;
  • 29. Apresente atividades desafiadoras, que envolvam os esquemas cognitivos de natureza operativa, como trabalhos em grupo. Proporcione atividades de expressão oral, onde o aluno possa ouvir e se fazer ouvir, externar opiniões e dúvidas.
  • 30. Distribua funções, divida tarefas,ao participarem de dinâmicas em sala, sentem-se responsáveis por ela. O professor precisa e deve orientar a conduta dos alunos de forma compreensiva, mas com atitudes seguras, isto diminui a indisciplina.
  • 31. Motivo é um estímulo interno, Incentivo é um estímulo externo.
  • 32. ATITUDES NEGATIVAS AO INSTRUTOR Fixar os olhos por muito tempo num determinado aluno ou grupo de alunos durante as explicações; Ministrar aulas com o olhar perdido no teto, no chão ou qualquer outro ponto da sala de aula; Se atrasar para as aulas, ou ficar consultando o relógio o tempo todo;
  • 33. ATITUDES NEGATIVAS AO INSTRUTOR Consultar constantemente, durante a aula, fichas, apontamentos, apostilas e outros lembretes, exceto quando for necessário fazer citações. Para que isto não ocorra, um bom planejamento é fundamental.
  • 34. PREOCUPAÇÕES MAIS COMUNS E COMO EVITÁ-LAS Platéia entediada: Quando o público perde o interesse, começam as conversas paralelas e a própria forma como as pessoas se sentam nas cadeiras (se esparramando) já dão indicativos de que estão entediadas.
  • 35. PREOCUPAÇÕES MAIS COMUNS E COMO EVITÁ-LAS Assegure-se de que tudo que tem a dizer é relevante. Se não for, corte. Seja dinâmico, variando a velocidade da apresentação. Sempre olhe nos olhos do público.
  • 36. PREOCUPAÇÕES MAIS COMUNS E COMO EVITÁ-LAS Platéia hostil: Você se sente acuado. As perguntas do público são em tom agressivo.
  • 37. PREOCUPAÇÕES MAIS COMUNS E COMO EVITÁ-LAS Mantenha-se calmo e gentil. Caso a platéia tenha conhecimento especializado da matéria, faça concessões. Redirecione perguntas para o público.
  • 38. PREOCUPAÇÕES MAIS COMUNS E COMO EVITÁ-LAS Falha de equipamento: O equipamento entra em pane ou, por alguma razão, você não consegue operá-lo
  • 39. PREOCUPAÇÕES MAIS COMUNS E COMO EVITÁ-LAS Procure dominar a tecnologia que você pretende usar. Verifique antes da apresentação se o equipamento está funcionando e tenha alternativas para o caso de falhas.
  • 41. Tradição... Era uma vez uma tribo pré-histórica que se alimentava de carne de tigres de dentes de sabre. A educação nesta tribo baseava-se em ensinar a caçar tigres de dentes de sabre, porque disto dependia a sobrevivência de todos. Os mais velhos eram os responsáveis pela tarefa educativa. Passado algum tempo os tigres de dentes de sabre extinguiram-se. Criou-se um impasse: o apego à tradição dos mais velhos exigia que se continuasse a ensinar a caçar tigres de dentes de sabre; os mais jovens clamavam por uma reforma no ensino. O impasse perdurou por muito tempo. Mais precisamente até um dia que, por falta de alimento, a tribo extinguiu-se também."