SlideShare uma empresa Scribd logo
Entendendo o
Atendimento Educacional
Especializado - AEE
De acordo com a Secretaria de Educação Especial/
MEC o Atendimento Educacional Especializado, é uma
política nacional de educação na perspectiva da
educação inclusiva.
O Atendimento Educacional Especializado - AEE, é
realizado dentro das Salas de Recursos
Multifuncionais – SRM.
As salas de recursos, são ambientes dotados de
equipamentos, mobiliários, materiais didáticos e
pedagógicos para acessibilidade.
(Secretaria de Educação Especial/ MEC)
 O Atendimento Educacional Especializado, tem
como objetivo possibilitar o desenvolvimento da
aprendizagem e da convivência sem discriminação.
 O AEE tem como função identificar, elaborar e
organizar recursos pedagógicos e de acessibilidade
que eliminem as barreiras para a plena participação
dos alunos, considerando as suas necessidades
específicas.
(Secretaria de Educação Especial/ MEC)
 Esse atendimento educacional especializado é uma
modalidade de acompanhamento que complementa ou
suplementa a formação de alunos com deficiência, sendo
ela não substitutiva à educação escolar regular.
 As atividades não são substitutivas à escolarização,
também não é reforço, são atividades para estimulação,
de todo tipo de interação que possa beneficiar seu
desenvolvimento cognitivo, motor e afetivo, diferentes
daquelas ministradas pelo professor da classe comum.
(Secretaria de Educação Especial/ MEC)
 Os alunos público alvo do AEE, são definidos da seguinte forma:
 Alunos com deficiência – aqueles que têm impedimento ao longo prazo
de natureza física, intelectual, mental ou sensorial, os quais, em
interação com diversas barreiras, podem ter obstruído sua participação
plena e efetiva na escola e na sociedade.
 Alunos com transtornos globais do desenvolvimento – aqueles que
apresentam um quadro de alterações no desenvolvimento neuro-
psicomotor, comprometimento nas relações sociais, na comunicação,
estereotipias motoras.
 Alunos com altas habilidades ou superdotação – aqueles que
apresentam um potencial elevado e grande envolvimento com as áreas
do conhecimento humano, isoladas ou combinadas.
(Secretaria de Educação Especial/ MEC)
A substituição da turma regular não pode ser admitida
em qualquer hipótese, pois toda legislação tem que
estar em conformidade com a Constituição Federal –
Art. 208 § I determina que o acesso ao ensino
fundamental é obrigatório.
 O AEE deve ser oferecido obrigatoriamente, mas o aluno
não é obrigado a frequentar, por isso é necessário o apoio
da família e autorização para a participação do aluno.
 O AEE deve constar no Projeto Político Pedagógico da
escola, para que tenha êxito.
 O professor do AEE e o professor do ensino regular, devem
trabalhar juntos, porque eles trabalham com o mesmo
aluno, por esse motivo o planejamento precisa ser de forma
articulada para que o atendimento nesse aluno seja
completo e eficiente
Tecnologia Assistiva
É um termo ainda novo, utilizado para identificar todo
arsenal de recursos e serviços que contribuem para
proporcionar ou ampliar habilidades funcionais de
pessoas com deficiência e consequentemente
promover vida independente e inclusão.
(www.assistiva.com.br/tassistiva.html, 27 de agosto de 2015)
O que são as tecnologias assistivas?
São recursos , próteses físicas que favorecem a adequação
funcional, equipamentos que facilitem a vida desses alunos
com necessidades especiais de modo geral, cadernos com
linhas maiores, engrossamento do lápis, tesoura adaptada,
teclado com colméia, recursos que aumente o tamanho da
fonte, pranchas de comunicação, máquina brille, régua
(reglete), lupa e muitos outros objetos que possam contribuir
para a ampliação da participação ativa e autônoma da pessoa
com deficiência, além das estratégias e metodologias.
Atribuições do professor de AEE:
Atuar como docente nas atividades de
complementação ou suplementação curricular;
Atuar de forma colaborativa com o professor da classe
comum para a definição de estratégias pedagógicas
que favoreçam o acesso de alunos com necessidades
educacionais especiais ao currículo e a sua interação
no grupo;
Promover as condições para a inclusão dos alunos com
necessidades educacionais especiais em todas as
atividades da escola;
Orientar as famílias para o seu desenvolvimento e a
sua participação no processo educacional;
Preparar materiais específicos para o uso dos alunos
na sala de recursos;
Orientar a elaboração de materiais didáticos que
possam ser utilizados pelos alunos nas classes comuns
do ensino regular;
Indicar e orientar o uso de equipamentos e materiais
específicos e de outros recursos existentes na família e
na comunidade.
Organização do atendimento:
Alunos com a mesma deficiência podem necessitar de
atendimentos diferenciados. Por isso o primeiro passo para se
planejar o atendimento não é saber as causas e diagnósticos do
aluno. Antes da deficiência, vem a pessoa, o aluno, sua história
de vida, sua individualidade, seus desejos e diferenças. Há
alunos que frequentarão o AEE mais vezes na semana que
outros. Não existe um roteiro, um guia, uma fórmula de
atendimento, assim sendo, cada aluno terá um tipo de recurso a
ser utilizado, uma duração de atendimento, um plano de ação
que garanta sua participação e aprendizagem nas atividades
escolares.
(A Escola Comum Inclusiva – MEC)
Desligamento do AEE:
O professor seleciona e organiza o tipo de
atendimento, separando materiais e recursos de modo
que o aluno possa aprender à utiliza-los segundo suas
habilidades e funcionalidades. O número de
atendimentos semanais/mensais varia de acordo com
cada caso. O professor vai prolongar o tempo ou
antecipar o desligamento do aluno do AEE conforme
sua evolução.
(MEC/SEESP 2009)
ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO/ SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O Atendimento Educacional Especializado- AEE nas Escolas
O Atendimento Educacional Especializado- AEE nas EscolasO Atendimento Educacional Especializado- AEE nas Escolas
O Atendimento Educacional Especializado- AEE nas Escolas
guest3d615bd
 
Conheça A.E.E - Atendimento Educacional Especializado
Conheça A.E.E - Atendimento Educacional EspecializadoConheça A.E.E - Atendimento Educacional Especializado
Conheça A.E.E - Atendimento Educacional Especializado
Tânia Sampaio
 
Sala de recursos aee
Sala de recursos   aeeSala de recursos   aee
Sala de recursos aee
elianedealmeida
 
Slide educação especial
Slide educação especialSlide educação especial
Slide educação especial
Andreia Gomes
 
Ensino Especial
Ensino EspecialEnsino Especial
Ensino Especial
Margarete Macedo
 
Sala de Recursos blog
Sala de Recursos  blogSala de Recursos  blog
Sala de Recursos blog
Marli Gomes
 
Educação inclusiva
Educação inclusivaEducação inclusiva
Educação inclusiva
Almeida Emilene Santos
 
Educação inclusiva
Educação inclusivaEducação inclusiva
Educação inclusiva
Priscila Gomes
 
Adaptação curricular
Adaptação curricularAdaptação curricular
Adaptação curricular
Karen Araki
 
Conheça a Aee
Conheça a AeeConheça a Aee
Conheça a Aee
curso100hs
 
Inclusão
InclusãoInclusão
Inclusão
Thaisduarte
 
A INCLUSÃO ESCOLAR
A  INCLUSÃO ESCOLAR A  INCLUSÃO ESCOLAR
A INCLUSÃO ESCOLAR
Zélia Cordeiro
 
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptxO PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
AnaRocha812480
 
Adequação curricular
Adequação curricularAdequação curricular
Adequação curricular
Anaí Peña
 
Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1
Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1
Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1
Fabio Oliveira
 
A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...
A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...
A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...
Instituto Consciência GO
 
Reuniao sme-fevereiro-aee
Reuniao sme-fevereiro-aeeReuniao sme-fevereiro-aee
Reuniao sme-fevereiro-aee
Rosemary Batista
 
inclusão escolar
inclusão escolarinclusão escolar
inclusão escolar
Ulisses Vakirtzis
 
Sala de recurso
Sala de recursoSala de recurso
Sala de recurso
Ananda Lima
 
8. Educação Inclusiva
8. Educação  Inclusiva  8. Educação  Inclusiva
8. Educação Inclusiva
Sandra Luccas
 

Mais procurados (20)

O Atendimento Educacional Especializado- AEE nas Escolas
O Atendimento Educacional Especializado- AEE nas EscolasO Atendimento Educacional Especializado- AEE nas Escolas
O Atendimento Educacional Especializado- AEE nas Escolas
 
Conheça A.E.E - Atendimento Educacional Especializado
Conheça A.E.E - Atendimento Educacional EspecializadoConheça A.E.E - Atendimento Educacional Especializado
Conheça A.E.E - Atendimento Educacional Especializado
 
Sala de recursos aee
Sala de recursos   aeeSala de recursos   aee
Sala de recursos aee
 
Slide educação especial
Slide educação especialSlide educação especial
Slide educação especial
 
Ensino Especial
Ensino EspecialEnsino Especial
Ensino Especial
 
Sala de Recursos blog
Sala de Recursos  blogSala de Recursos  blog
Sala de Recursos blog
 
Educação inclusiva
Educação inclusivaEducação inclusiva
Educação inclusiva
 
Educação inclusiva
Educação inclusivaEducação inclusiva
Educação inclusiva
 
Adaptação curricular
Adaptação curricularAdaptação curricular
Adaptação curricular
 
Conheça a Aee
Conheça a AeeConheça a Aee
Conheça a Aee
 
Inclusão
InclusãoInclusão
Inclusão
 
A INCLUSÃO ESCOLAR
A  INCLUSÃO ESCOLAR A  INCLUSÃO ESCOLAR
A INCLUSÃO ESCOLAR
 
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptxO PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
 
Adequação curricular
Adequação curricularAdequação curricular
Adequação curricular
 
Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1
Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1
Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1
 
A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...
A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...
A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...
 
Reuniao sme-fevereiro-aee
Reuniao sme-fevereiro-aeeReuniao sme-fevereiro-aee
Reuniao sme-fevereiro-aee
 
inclusão escolar
inclusão escolarinclusão escolar
inclusão escolar
 
Sala de recurso
Sala de recursoSala de recurso
Sala de recurso
 
8. Educação Inclusiva
8. Educação  Inclusiva  8. Educação  Inclusiva
8. Educação Inclusiva
 

Destaque

I ENCONTRO COM OS PROFESSORES DAS CLASSES ESPECIAIS
I ENCONTRO COM OS PROFESSORES DAS CLASSES ESPECIAISI ENCONTRO COM OS PROFESSORES DAS CLASSES ESPECIAIS
I ENCONTRO COM OS PROFESSORES DAS CLASSES ESPECIAIS
Classe Especial SZ Inclusão
 
Plano de Ação do AEE
Plano de Ação do AEEPlano de Ação do AEE
Plano de Ação do AEE
Patricia Bampi
 
Letramento
LetramentoLetramento
Letramento e alfabetização. A muitas facetas Magda Soares
Letramento e alfabetização. A muitas facetas Magda SoaresLetramento e alfabetização. A muitas facetas Magda Soares
Letramento e alfabetização. A muitas facetas Magda Soares
Susana Felix
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
Elizabet Tramontin Silveira Camargo
 
Concepcoes de alfabetizacao e letramento
Concepcoes de alfabetizacao e letramentoConcepcoes de alfabetizacao e letramento
Concepcoes de alfabetizacao e letramento
zetesousa
 
Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)
PamelaAschoff
 

Destaque (7)

I ENCONTRO COM OS PROFESSORES DAS CLASSES ESPECIAIS
I ENCONTRO COM OS PROFESSORES DAS CLASSES ESPECIAISI ENCONTRO COM OS PROFESSORES DAS CLASSES ESPECIAIS
I ENCONTRO COM OS PROFESSORES DAS CLASSES ESPECIAIS
 
Plano de Ação do AEE
Plano de Ação do AEEPlano de Ação do AEE
Plano de Ação do AEE
 
Letramento
LetramentoLetramento
Letramento
 
Letramento e alfabetização. A muitas facetas Magda Soares
Letramento e alfabetização. A muitas facetas Magda SoaresLetramento e alfabetização. A muitas facetas Magda Soares
Letramento e alfabetização. A muitas facetas Magda Soares
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
 
Concepcoes de alfabetizacao e letramento
Concepcoes de alfabetizacao e letramentoConcepcoes de alfabetizacao e letramento
Concepcoes de alfabetizacao e letramento
 
Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)
 

Semelhante a ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO/ SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS

Giselia aparecida dos_reis_bellinaso_artigo_aprovado_17-7-17
Giselia aparecida dos_reis_bellinaso_artigo_aprovado_17-7-17Giselia aparecida dos_reis_bellinaso_artigo_aprovado_17-7-17
Giselia aparecida dos_reis_bellinaso_artigo_aprovado_17-7-17
Giselia Bellinaso
 
Tecnologia assistiva
Tecnologia assistivaTecnologia assistiva
Tecnologia assistiva
Tania Gonçalves
 
Os desafios-da-educacao-inclusiva-foco-nas-redes-de-apoio
Os desafios-da-educacao-inclusiva-foco-nas-redes-de-apoioOs desafios-da-educacao-inclusiva-foco-nas-redes-de-apoio
Os desafios-da-educacao-inclusiva-foco-nas-redes-de-apoio
LAURA64791
 
Apresentação1 Teste
Apresentação1 TesteApresentação1 Teste
Apresentação1 Teste
Marcilanealves
 
A inclusão e a multideficiência
A inclusão e a multideficiência A inclusão e a multideficiência
A inclusão e a multideficiência
Andreia Branco
 
Salas de Recursos Multifuncionais
Salas de Recursos Multifuncionais Salas de Recursos Multifuncionais
Salas de Recursos Multifuncionais
Instituto Consciência GO
 
Manual orientacao programa_implantacao_salas_recursos_multifuncionais
Manual orientacao programa_implantacao_salas_recursos_multifuncionaisManual orientacao programa_implantacao_salas_recursos_multifuncionais
Manual orientacao programa_implantacao_salas_recursos_multifuncionais
Classe Especial SZ Inclusão
 
PROCESSO INCLUSIVO E A FORMAÇÃO INICIAL DO(A) PEDAGOGO(A) FRENTE AO ATENDIMEN...
PROCESSO INCLUSIVO E A FORMAÇÃO INICIAL DO(A) PEDAGOGO(A) FRENTE AO ATENDIMEN...PROCESSO INCLUSIVO E A FORMAÇÃO INICIAL DO(A) PEDAGOGO(A) FRENTE AO ATENDIMEN...
PROCESSO INCLUSIVO E A FORMAÇÃO INICIAL DO(A) PEDAGOGO(A) FRENTE AO ATENDIMEN...
ProfessorPrincipiante
 
Educação Especial em uma perspectiva inclusiva.
Educação Especial em uma perspectiva inclusiva.Educação Especial em uma perspectiva inclusiva.
Educação Especial em uma perspectiva inclusiva.
katiaregyna
 
Adequação curricular estudo 2
Adequação curricular estudo 2Adequação curricular estudo 2
Adequação curricular estudo 2
sedf
 
Direito_a_diversidade-Salas_de_recursos_rioverde
Direito_a_diversidade-Salas_de_recursos_rioverdeDireito_a_diversidade-Salas_de_recursos_rioverde
Direito_a_diversidade-Salas_de_recursos_rioverde
Tânia Sampaio
 
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidiaUnidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Silene Lívia
 
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidiaUnidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Silene Lívia
 
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidiaUnidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Silene Lívia
 
Educação especial
Educação especialEducação especial
Educação especial
Luciene Oliveira
 
TRABALHO_EV127_MD1_SA10_ID11528_03102019093149.pdf
TRABALHO_EV127_MD1_SA10_ID11528_03102019093149.pdfTRABALHO_EV127_MD1_SA10_ID11528_03102019093149.pdf
TRABALHO_EV127_MD1_SA10_ID11528_03102019093149.pdf
MauroAndr4
 
Educação Especial.pptx
Educação Especial.pptxEducação Especial.pptx
Educação Especial.pptx
MarceloSilva644295
 
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectualEstrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Paula Aparecida Alve Alves
 
Edsucação Inclusiva.pdf
Edsucação Inclusiva.pdfEdsucação Inclusiva.pdf
Edsucação Inclusiva.pdf
José Roberto Pinto
 
Atendimento
AtendimentoAtendimento
Atendimento
Edson_Marinho
 

Semelhante a ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO/ SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS (20)

Giselia aparecida dos_reis_bellinaso_artigo_aprovado_17-7-17
Giselia aparecida dos_reis_bellinaso_artigo_aprovado_17-7-17Giselia aparecida dos_reis_bellinaso_artigo_aprovado_17-7-17
Giselia aparecida dos_reis_bellinaso_artigo_aprovado_17-7-17
 
Tecnologia assistiva
Tecnologia assistivaTecnologia assistiva
Tecnologia assistiva
 
Os desafios-da-educacao-inclusiva-foco-nas-redes-de-apoio
Os desafios-da-educacao-inclusiva-foco-nas-redes-de-apoioOs desafios-da-educacao-inclusiva-foco-nas-redes-de-apoio
Os desafios-da-educacao-inclusiva-foco-nas-redes-de-apoio
 
Apresentação1 Teste
Apresentação1 TesteApresentação1 Teste
Apresentação1 Teste
 
A inclusão e a multideficiência
A inclusão e a multideficiência A inclusão e a multideficiência
A inclusão e a multideficiência
 
Salas de Recursos Multifuncionais
Salas de Recursos Multifuncionais Salas de Recursos Multifuncionais
Salas de Recursos Multifuncionais
 
Manual orientacao programa_implantacao_salas_recursos_multifuncionais
Manual orientacao programa_implantacao_salas_recursos_multifuncionaisManual orientacao programa_implantacao_salas_recursos_multifuncionais
Manual orientacao programa_implantacao_salas_recursos_multifuncionais
 
PROCESSO INCLUSIVO E A FORMAÇÃO INICIAL DO(A) PEDAGOGO(A) FRENTE AO ATENDIMEN...
PROCESSO INCLUSIVO E A FORMAÇÃO INICIAL DO(A) PEDAGOGO(A) FRENTE AO ATENDIMEN...PROCESSO INCLUSIVO E A FORMAÇÃO INICIAL DO(A) PEDAGOGO(A) FRENTE AO ATENDIMEN...
PROCESSO INCLUSIVO E A FORMAÇÃO INICIAL DO(A) PEDAGOGO(A) FRENTE AO ATENDIMEN...
 
Educação Especial em uma perspectiva inclusiva.
Educação Especial em uma perspectiva inclusiva.Educação Especial em uma perspectiva inclusiva.
Educação Especial em uma perspectiva inclusiva.
 
Adequação curricular estudo 2
Adequação curricular estudo 2Adequação curricular estudo 2
Adequação curricular estudo 2
 
Direito_a_diversidade-Salas_de_recursos_rioverde
Direito_a_diversidade-Salas_de_recursos_rioverdeDireito_a_diversidade-Salas_de_recursos_rioverde
Direito_a_diversidade-Salas_de_recursos_rioverde
 
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidiaUnidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
 
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidiaUnidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
 
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidiaUnidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
 
Educação especial
Educação especialEducação especial
Educação especial
 
TRABALHO_EV127_MD1_SA10_ID11528_03102019093149.pdf
TRABALHO_EV127_MD1_SA10_ID11528_03102019093149.pdfTRABALHO_EV127_MD1_SA10_ID11528_03102019093149.pdf
TRABALHO_EV127_MD1_SA10_ID11528_03102019093149.pdf
 
Educação Especial.pptx
Educação Especial.pptxEducação Especial.pptx
Educação Especial.pptx
 
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectualEstrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectual
 
Edsucação Inclusiva.pdf
Edsucação Inclusiva.pdfEdsucação Inclusiva.pdf
Edsucação Inclusiva.pdf
 
Atendimento
AtendimentoAtendimento
Atendimento
 

Mais de Classe Especial SZ Inclusão

L i b r a s contexto escolar 2016
L i b r a s contexto escolar 2016L i b r a s contexto escolar 2016
L i b r a s contexto escolar 2016
Classe Especial SZ Inclusão
 
Conteúdo mínimo 2016
Conteúdo mínimo 2016Conteúdo mínimo 2016
Conteúdo mínimo 2016
Classe Especial SZ Inclusão
 
Apostila de relatórios 2015
Apostila de relatórios 2015Apostila de relatórios 2015
Apostila de relatórios 2015
Classe Especial SZ Inclusão
 
Apresentação professores de inclusao novo
Apresentação professores de inclusao novoApresentação professores de inclusao novo
Apresentação professores de inclusao novo
Classe Especial SZ Inclusão
 
Conte+üdos m+ìnimos 2015..
Conte+üdos m+ìnimos 2015..Conte+üdos m+ìnimos 2015..
Conte+üdos m+ìnimos 2015..
Classe Especial SZ Inclusão
 
Projeto semestres 1 de 2015 timbrado
Projeto semestres 1 de 2015 timbradoProjeto semestres 1 de 2015 timbrado
Projeto semestres 1 de 2015 timbrado
Classe Especial SZ Inclusão
 
I formção dos professores de inclusão 2014
I formção dos professores de inclusão 2014I formção dos professores de inclusão 2014
I formção dos professores de inclusão 2014
Classe Especial SZ Inclusão
 
Materiais classe especial com borda corrigido
Materiais classe especial com borda corrigidoMateriais classe especial com borda corrigido
Materiais classe especial com borda corrigido
Classe Especial SZ Inclusão
 
Quadro de rotinas
Quadro de rotinasQuadro de rotinas
Quadro de rotinas
Classe Especial SZ Inclusão
 
1 ¬ forma+º+úo para docentes 2014
1 ¬ forma+º+úo para docentes  20141 ¬ forma+º+úo para docentes  2014
1 ¬ forma+º+úo para docentes 2014
Classe Especial SZ Inclusão
 
1 ¬ forma+º+úo para docentes 2014
1 ¬ forma+º+úo para docentes  20141 ¬ forma+º+úo para docentes  2014
1 ¬ forma+º+úo para docentes 2014
Classe Especial SZ Inclusão
 
Secretaria municipal de educação cultura e esporte
Secretaria municipal de educação cultura  e esporteSecretaria municipal de educação cultura  e esporte
Secretaria municipal de educação cultura e esporte
Classe Especial SZ Inclusão
 

Mais de Classe Especial SZ Inclusão (12)

L i b r a s contexto escolar 2016
L i b r a s contexto escolar 2016L i b r a s contexto escolar 2016
L i b r a s contexto escolar 2016
 
Conteúdo mínimo 2016
Conteúdo mínimo 2016Conteúdo mínimo 2016
Conteúdo mínimo 2016
 
Apostila de relatórios 2015
Apostila de relatórios 2015Apostila de relatórios 2015
Apostila de relatórios 2015
 
Apresentação professores de inclusao novo
Apresentação professores de inclusao novoApresentação professores de inclusao novo
Apresentação professores de inclusao novo
 
Conte+üdos m+ìnimos 2015..
Conte+üdos m+ìnimos 2015..Conte+üdos m+ìnimos 2015..
Conte+üdos m+ìnimos 2015..
 
Projeto semestres 1 de 2015 timbrado
Projeto semestres 1 de 2015 timbradoProjeto semestres 1 de 2015 timbrado
Projeto semestres 1 de 2015 timbrado
 
I formção dos professores de inclusão 2014
I formção dos professores de inclusão 2014I formção dos professores de inclusão 2014
I formção dos professores de inclusão 2014
 
Materiais classe especial com borda corrigido
Materiais classe especial com borda corrigidoMateriais classe especial com borda corrigido
Materiais classe especial com borda corrigido
 
Quadro de rotinas
Quadro de rotinasQuadro de rotinas
Quadro de rotinas
 
1 ¬ forma+º+úo para docentes 2014
1 ¬ forma+º+úo para docentes  20141 ¬ forma+º+úo para docentes  2014
1 ¬ forma+º+úo para docentes 2014
 
1 ¬ forma+º+úo para docentes 2014
1 ¬ forma+º+úo para docentes  20141 ¬ forma+º+úo para docentes  2014
1 ¬ forma+º+úo para docentes 2014
 
Secretaria municipal de educação cultura e esporte
Secretaria municipal de educação cultura  e esporteSecretaria municipal de educação cultura  e esporte
Secretaria municipal de educação cultura e esporte
 

Último

As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Marília Pacheco
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 

Último (20)

As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 

ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO/ SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS

  • 2. De acordo com a Secretaria de Educação Especial/ MEC o Atendimento Educacional Especializado, é uma política nacional de educação na perspectiva da educação inclusiva.
  • 3. O Atendimento Educacional Especializado - AEE, é realizado dentro das Salas de Recursos Multifuncionais – SRM. As salas de recursos, são ambientes dotados de equipamentos, mobiliários, materiais didáticos e pedagógicos para acessibilidade. (Secretaria de Educação Especial/ MEC)
  • 4.  O Atendimento Educacional Especializado, tem como objetivo possibilitar o desenvolvimento da aprendizagem e da convivência sem discriminação.  O AEE tem como função identificar, elaborar e organizar recursos pedagógicos e de acessibilidade que eliminem as barreiras para a plena participação dos alunos, considerando as suas necessidades específicas. (Secretaria de Educação Especial/ MEC)
  • 5.  Esse atendimento educacional especializado é uma modalidade de acompanhamento que complementa ou suplementa a formação de alunos com deficiência, sendo ela não substitutiva à educação escolar regular.  As atividades não são substitutivas à escolarização, também não é reforço, são atividades para estimulação, de todo tipo de interação que possa beneficiar seu desenvolvimento cognitivo, motor e afetivo, diferentes daquelas ministradas pelo professor da classe comum. (Secretaria de Educação Especial/ MEC)
  • 6.  Os alunos público alvo do AEE, são definidos da seguinte forma:  Alunos com deficiência – aqueles que têm impedimento ao longo prazo de natureza física, intelectual, mental ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, podem ter obstruído sua participação plena e efetiva na escola e na sociedade.  Alunos com transtornos globais do desenvolvimento – aqueles que apresentam um quadro de alterações no desenvolvimento neuro- psicomotor, comprometimento nas relações sociais, na comunicação, estereotipias motoras.  Alunos com altas habilidades ou superdotação – aqueles que apresentam um potencial elevado e grande envolvimento com as áreas do conhecimento humano, isoladas ou combinadas. (Secretaria de Educação Especial/ MEC)
  • 7. A substituição da turma regular não pode ser admitida em qualquer hipótese, pois toda legislação tem que estar em conformidade com a Constituição Federal – Art. 208 § I determina que o acesso ao ensino fundamental é obrigatório.
  • 8.  O AEE deve ser oferecido obrigatoriamente, mas o aluno não é obrigado a frequentar, por isso é necessário o apoio da família e autorização para a participação do aluno.  O AEE deve constar no Projeto Político Pedagógico da escola, para que tenha êxito.  O professor do AEE e o professor do ensino regular, devem trabalhar juntos, porque eles trabalham com o mesmo aluno, por esse motivo o planejamento precisa ser de forma articulada para que o atendimento nesse aluno seja completo e eficiente
  • 9. Tecnologia Assistiva É um termo ainda novo, utilizado para identificar todo arsenal de recursos e serviços que contribuem para proporcionar ou ampliar habilidades funcionais de pessoas com deficiência e consequentemente promover vida independente e inclusão. (www.assistiva.com.br/tassistiva.html, 27 de agosto de 2015)
  • 10. O que são as tecnologias assistivas? São recursos , próteses físicas que favorecem a adequação funcional, equipamentos que facilitem a vida desses alunos com necessidades especiais de modo geral, cadernos com linhas maiores, engrossamento do lápis, tesoura adaptada, teclado com colméia, recursos que aumente o tamanho da fonte, pranchas de comunicação, máquina brille, régua (reglete), lupa e muitos outros objetos que possam contribuir para a ampliação da participação ativa e autônoma da pessoa com deficiência, além das estratégias e metodologias.
  • 11. Atribuições do professor de AEE: Atuar como docente nas atividades de complementação ou suplementação curricular; Atuar de forma colaborativa com o professor da classe comum para a definição de estratégias pedagógicas que favoreçam o acesso de alunos com necessidades educacionais especiais ao currículo e a sua interação no grupo;
  • 12. Promover as condições para a inclusão dos alunos com necessidades educacionais especiais em todas as atividades da escola; Orientar as famílias para o seu desenvolvimento e a sua participação no processo educacional; Preparar materiais específicos para o uso dos alunos na sala de recursos;
  • 13. Orientar a elaboração de materiais didáticos que possam ser utilizados pelos alunos nas classes comuns do ensino regular; Indicar e orientar o uso de equipamentos e materiais específicos e de outros recursos existentes na família e na comunidade.
  • 14. Organização do atendimento: Alunos com a mesma deficiência podem necessitar de atendimentos diferenciados. Por isso o primeiro passo para se planejar o atendimento não é saber as causas e diagnósticos do aluno. Antes da deficiência, vem a pessoa, o aluno, sua história de vida, sua individualidade, seus desejos e diferenças. Há alunos que frequentarão o AEE mais vezes na semana que outros. Não existe um roteiro, um guia, uma fórmula de atendimento, assim sendo, cada aluno terá um tipo de recurso a ser utilizado, uma duração de atendimento, um plano de ação que garanta sua participação e aprendizagem nas atividades escolares. (A Escola Comum Inclusiva – MEC)
  • 15. Desligamento do AEE: O professor seleciona e organiza o tipo de atendimento, separando materiais e recursos de modo que o aluno possa aprender à utiliza-los segundo suas habilidades e funcionalidades. O número de atendimentos semanais/mensais varia de acordo com cada caso. O professor vai prolongar o tempo ou antecipar o desligamento do aluno do AEE conforme sua evolução. (MEC/SEESP 2009)