Psicologia

7.619 visualizações

Publicada em

1 comentário
7 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.619
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.057
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
143
Comentários
1
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Psicologia

  1. 1. Disciplina: Psicologia da Educação e Aprendizagem. Unidades: 02 Professora: Alelis Izabel
  2. 2. • Conhecer as características das principais teorias psicológicas que investigam a aprendizagem;• Caracterizar as principais teorias psicológicas sobre aprendizagem, suas contribuições e limitações para a educação;• Compreender o desenvolvimento da educação de jovens e adultos, seus objetivos e funções;• Conhecer as contribuições de Paulo Freire: o método proposto e desenvolvido na Educação de jovens e adultos;• Correlacionar os enfoques teóricos da aprendizagem: Piaget, Vygotsky, Wallon, Freire.
  3. 3.  Um olhar histórico sobre as teorias de aprendizagem;  Jean Piaget;  Lev Vygotsky;  Henri Wallon;  Paulo Freire.
  4. 4.  Para compreender as teorias de aprendizagem é importante voltar ao conceito de aprendizagem, onde a palavra APRENDER é derivada do latim APREHENDERE que significa: AGARRAR, APODERAR-SE DE ALGO.  Definido aprendizagem – processo no qual o indivíduo apropria-se de certos conhecimentos e habilidades.
  5. 5.  No entanto surgiram múltiplas visões cientificas para a pesquisa da aprendizagem, como veremos: PIAGET: contribuições contemporâneas para conceituação de aprendizagem; VYGOTSKY: teoria sociocultural; WALLON: a afetividade como elemento do aprendizado cognitivo; PAULO FREIRE: teoria sobre a educação de jovens e adultos.
  6. 6.  INATISMO: sustenta que a conduta e o conhecimento humano são os resultados de capacidades inatas; AMBIENTALISMO: o organismo é adaptado ao seu ambiente, incluindo o ambiente interno ao organismo, de forma a manter a vida; INTERACIONISMO: desenvolvimento humano se dá numa rede de relações, num jogo de interações em que diferentes papéis complementares são assumidos e atribuídos pelos e aos vários participantes. O que um sujeito é em cada momento está ligado às interações que ele estabelece com outros sujeitos, aos papéis que assume em relação aos outros e os outros em relação a ele.
  7. 7.  O comportamento resulta de um processo de APRENDIZAGEM. Todo comportamento pode ser condicionado, por meio do controle e manipulação das variáveis ambientais. O comportamento compreende apenas as reações observadas de forma direta.
  8. 8.  O comportamento operante não é automático, nem há um estímulo específico com o qual se possa relacioná-lo. No condicionamento operante, a resposta do organismo produz uma modificação comportamental que tem efeitos sobre ele. A essa modificação denomina-se REFORÇO. REFORÇO é um fator que aumenta a possibilidade de uma resposta ocorrer em determinada situação.
  9. 9. 1. Controle do estado de privação.2. Controle da contiguidade temporal entre a resposta e o reforço.3. Introdução de reforço (positivo ou negativo) e, em alguns casos, punição.4. Controle do processo de extinção do comportamento condicionado.
  10. 10.  REFORÇO POSITIVO: estímulo que aumenta a incidência da resposta, quando é apresentado simultaneamente a ela. REFORÇO NEGATIVO: estímulo que aumenta a incidência da resposta, quando é eliminado simultaneamente a ela. PUNIÇÃO: consiste na apresentação de estímulo aversivo ou na retirada de um estímulo positivo após a emissão de uma resposta inadequada. A punição elimina a resposta, mas não “ensina” como agir
  11. 11.  a aprendizagem é uma mudança de estado interior que se manifesta através da mudança de comportamento e na persistência dessa mudança a aprendizagem é uma mudança comportamental persistente e ocorre quando o indivíduo interage com seu ambiente externo maturação = resultante do desenvolvimento de estruturas internas e requer somente desenvolvimento interno
  12. 12.  Informação verbal Habilidades Intelectuais Estratégias Cognitivas Atitudes Habilidades Motoras
  13. 13.  o “saber como” em comparação com o “saber o que” da informação podem ser subdivididas em muitas subcategorias que podem ser ordenadas de acordo com sua complexidade mental.
  14. 14.  A instrução é a atividade de planejamento e execução de eventos externos à aprendizagem com a finalidade de influenciar os processos internos para atingir determinados objetivos professor = gerente da instrução
  15. 15.  Situa-se entre o behaviorismo e o cognitivismo; estímulos, respostas, estimulação do ambiente, etc. X processos internos da aprendizagem e a importância das teorias de aprendizagem.
  16. 16. JEAN PIAGET (1896- 1980)Princípios que fundamentam sua teoria: teoriaConstrutivismo – conhecimento resulta da ação do sujeito sobre objetos do conhecimento.Interacionismo – conhecimento resulta de trocas realizadas pelo sujeito com o meio ou com os objetos de conhecimento (ideias, sentimentos, valores, crenças)
  17. 17. Estruturalismo – construção vai além dos conteúdos da interação, constrói-se a capacidade de pensar, de organizar, de conhecer. Ou seja, as próprias estruturas mentais, vão, durante o processo de construção de conhecimentos, tornando-se cada vez mais complexas.Genético – associado à idéia de gênese, de evolução. Entre uma estrutura (ponto de partida) e uma estrutura mais complexa (ponto de chegada) temos um processo de construção. A construção de uma nova estrutura se dá, necessariamente, pela conservação e superação da estrutura anterior.
  18. 18.  Sensório-motor: nascimento até 18/24 meses. Presença da inteligência, mas não do pensamento. Inteligência – solução de um problema novo (coordenação de um meio para atingir um fim), Pensamento – inteligência interiorizada, apoiada sobre o simbolismo. Pré-Operatório: 2 anos até 7/8 anos. Função Simbólica – representar uma coisa por meio de outra Realiza no plano da representação o que foi construído anteriormente.
  19. 19.  Operações Concretas: 7/8 anos até 12/15 anos Lógica dirigida a objetos manipuláveis. Capacidade de conservar um objeto no decurso das transformações que são reversíveis.. Operações Formais: 12 anos Lógica do discurso. Raciocínio sobre enunciados verbais, raciocinar sob o ponto de vista do outro. Raciocínio hipotético- dedutivo. A construção do conhecimento ocorre quando acontecem ações físicas ou mentais sobre objetos que provocam o desequilíbrio.
  20. 20. Teoria psicológica, com enfoque nas interações socioculturais . - O desenvolvimento dos processos psicológicos superiores( consciência ) do sujeito e da humanidade resultam de um processo sócio- histórico .- Desenvolvimento : do intersubjetivo (de fora - exógeno) para o intrasubjetivo (para dentro - endógeno).Daí a importância da cultura. - Tipos de conceito: * cotidianos: presentes na vida diária e formulados via linguagem. * científicos: formulados a partir da aprendizagem sistematizada (escola). VYGOTSKY (1896 - 1934)
  21. 21.  Quatro planos de desenvolvimento: - Filogênese : história da espécie animal, definindo limites e possibilidades de desenvolvimento psicológico. Plasticidade do cérebro humano. - Ontogênese : desenvolvimento de um indivíduo de uma determinada espécie. Ligado à filogênese. - Sociogênese : história da cultura na qual o sujeito está inserido. As formas de funcionamento cultura constituem o desenvolvimento humano. - Microgênese : cada fenômeno psicológico tem sua própria história . A percepção das singularidades de cada sujeito cognoscente rompe com o primado determinista presente nas 3 entradas acima. Mediação simbólica: a relação do homem com o mundo é mediada por instrumentos (natureza concreta) e por signos (natureza simbólica).
  22. 22.  Pensamento e linguagem: - Os signos são construídos culturalmente . - Língua : principal instrumento de representação simbólica . - Através do intercâmbio social, via linguagem, a criança vai da inteligência prática (plano concreto, sem mediação simbólica) para a inteligência abstrata (plano simbólico). - Funções da linguagem : * comunicação (também entre os animais). * visão de mundo (pensamento generalizante) - o ato de nomear é o ato de classificar e, por conseguinte, de generalizar e abstrair. - Linguagem : organizadora do pensamento .
  23. 23. ESTUDARQUADROCOMPARATIVO DA PÁGINA 111
  24. 24.  A teoria do desenvolvimento humano de HenriWallon e sua interface com a educação Nasceu na França em 1879
  25. 25.  Seu pensamento tem raízes no materialismo histórico dialético. (indivíduo e meio se modificam reciprocamente) Tentativa de ver a criança de um modo mais integrado, levando em consideração os domínios cognitivo, afetivo e motor. Não dissociar campos que são indissociáveis (afetividade e inteligência). Estudo do desenvolvimento humano a partir do desenvolvimento psíquico da criança. Desenvolvimento da criança aparece descontínuo, marcado por contradições e conflitos, retrocessos e reviravoltas. A passagem dos estágios de desenvolvimento não se dá linearmente.
  26. 26.  Estágios ou Estádios do Desenvolvimento da Criança 1) Impulsivo-emocional ocorre no primeiro ano de vida expressões/reações generalizadas e indiferenciadas de bem estar/mal estar. predominância da afetividade orienta as primeiras reações do bebê às pessoas. as emoções são o primeiro recurso de interação do bebê com o meio social. Emoções são extremamente contagiosas entre os indivíduos.
  27. 27.  Estágios ou Estádios do Desenvolvimento da Criança 2) Sensório-motor e projetivo inicia-se por volta de um ano e se estende até os três anos de idade. caracteriza-se pela investigação e exploração da realidade exterior. o andar e a linguagem darão oportunidade à criança de ingressar em um novo mundo, o dos símbolos. Linguagem estrutura o pensamento. Importância de se afinar o olhar para o movimento.
  28. 28.  Estágios ou Estádios do Desenvolvimento da Criança 3 ) Personalismo Por volta dos três aos seis anos. Enriquecimento do eu e a construção da personalidade. Oposição ao outro  busca de afirmação de si. Sedução  a criança tem necessidade de ser admirada, para se admirar também. Imitação  personagens são criados a partir das pessoas que a criança admira. Inteligência se apóia fortemente na atividade motora. Sincretismo  não separa a qualidade da coisa em si.
  29. 29.  Estágios ou Estádios do Desenvolvimento da Criança 4) Pensamento Categorial Entre os 6 e 11 anos. Marca a diferenciação entre o eu e o mundo exterior, em que a criança aprende a perceber o que é de si e o que é do outro. Pensar a realidade a partir de categorias. Emergência de uma capacidade nova para a criança: a atenção. É fundamental a interação do indivíduo com a cultura.
  30. 30.  Estágios ou Estádios do Desenvolvimento da Criança 5) Puberdade e Adolescência A crise pubertária rompe a “tranquilidade” afetiva que caracterizou o estágio categorial e impõe a necessidade de uma nova definição dos contornos da personalidade, desestruturados devido às modificações corporais resultantes da ação hormonal. Oposição sistemática ao adulto. Busca diferenciar-se do adulto.
  31. 31.  A criança não é resultado linear do meio em que vive. Vive em vários meios: familiar/escolar. Meios não concretos: valores (família/escola/comunidade). Essa diversificação é importante para o enriquecimento das crianças. Escola oferece lugares diferentes para a criança ocupar. Escola é um lugar onde se educa, mas, principalmente, onde se deve estudar a personalidade da criança. Organização do espaço e do tempo.
  32. 32. Educar é conhecer, é ler o mundo, para poder transformá- lo (Paulo Freire)• PARA ISSO precisamos de: amorosidade; respeito aos outros, tolerância; humildade, gosto pela alegria e pela vida, disponibilidade à mudança; recusa ao fatalismo; abertura ao novo, identificação com a esperança. (Paulo Freire)
  33. 33.  Com certeza, podemos dizer que o pensamento de Paulo Freire é um produto existencial e histórico. Ele forjou seu pensamento na luta, na práxis, entendida esta como "ação + reflexão", como ele a definia. Ele nos dizia que práxis nada tinha a ver com a conotação freqüente de "prática" em sua acepção pragmatista ou utilitária. Para ela práxis é ação transformadora
  34. 34. A constituição do seu método pedagógico, Paulo Freire fundamentava-se nas ciências da educação, principalmente a psicologia e a sociologia; teve importância capital a metodologia das ciências sociais.A sua teoria da codificação e da descodificação das palavras e temas geradores (interdisciplinaridade), caminhou passo a passo com o desenvolvimento da chamada pesquisa participante.
  35. 35.  O que chamou a atenção dos educadores e políticos da época foi o fato de que o método Paulo Freire "acelerava" o processo de alfabetização de adultos. Paulo Freire não estava aplicando ao adulto alfabetizando o mesmo método de alfabetização aplicado às crianças. É verdade, outros já estavam pensando da mesma forma. Todavia, foi ele o primeiro a sistematizar e experimentar um método inteiramente criado para a educação de adultos.
  36. 36.  De maneira esquemática, podemos dizer que o "Método Paulo Freire" consiste de três momentos dialética e interdisciplinarmente entrelaçados:
  37. 37.  a) A investigação temática, pela qual aluno e professor buscam, no universo vocabular do aluno e da sociedade onde ele vive, as palavras e temas centrais de sua biografia. Esta é a etapa da descoberta do universo vocabular, em que são levantadas palavras e temas geradores relacionados com a vida cotidiana dos alfabetizandos e do grupo social a que eles pertencem. Essas palavras geradoras são selecionadas em função da riqueza silábica, do valor fonético e principalmente em função do significado social para o grupo. A descoberta desse universo vocabular pode ser efetuada através de encontros informais com os moradores do lugar em que se vai trabalhar, convivendo com eles, sentido suas preocupações e captando elementos de sua cultura
  38. 38.  b) A tematização, pela qual professor e aluno codificam e decodificam esses temas; ambos buscam o seu significado social, tomando assim consciência do mundo vivido. Descobrem-se assim novos temas geradores, relacionados com os que foram inicialmente levantados. É nesta fase que são elaboradas as fichas para a decomposição das famílias fonéticas, dando subsídios para a leitura e a escrita
  39. 39.  c) A problematização, na qual eles buscam superar uma primeira visão mágica por uma visão crítica, partindo para a transformação do contexto vivido. Nesta ida e vinda do concreto para o abstrato e do abstrato para o concreto, volta-se ao concreto problematizando-o. Descobrem-se assim limites e possibilidades existenciais concretas captadas na primeira etapa. Evidencia-se a necessidade de uma ação concreta, cultural, política, social, visando à superação de situações-limite, isto é, de obstáculos ao processo de hominização. A realidade opressiva é experimentada como um processo passível de superação. A educação para a libertação deve desembocar na práxis transformadora
  40. 40.  ESTUDAR QUADRO DA PÁG 133  PRINCIPAIS DIFERENÇAS ENTRE  ANDRAGOGIA E PEDAGOGIA A alegria não chega apenas no encontro do achado, mas faz parte do processo da busca. E ensinar e aprender não pode dar-se fora da procura, fora da boniteza e da alegria. Paulo Freire BONS ESTUDOS!!!!

×