Planejamento 2013 sme (sem vídeos)

8.022 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.022
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6.696
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
39
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Planejamento 2013 sme (sem vídeos)

  1. 1. Quando perguntaram ao filósofo Francês Oliver Reboul (1925 –1992) o que deve ser ensinado nas escolas, ele respondeucitando o filósofo inglês Hebert Spencer (1820 – 1903): “Tudo oque une e tudo o que liberta”. O que une são as raízes e o queliberta é o mundo. O que une são as culturas a que pertencemose o que liberta são as ciências e as outras disciplinas.
  2. 2. Igualdade de condições para oacesso e permanência naescola: independentemente declasse social, raça, credo,condições físicas epsicológicas, históricas econtexto familiar;
  3. 3. Garantir uma escola dequalidade para todos.Qualidade de ensino /aprendizagem, das relaçõesinterpessoais, garantirvalores condizentes com umasociedade mais justa eigualitária;
  4. 4. Gestão democrática comoprincípio sagrado daConstituição Federal de 1988 eda LDB de 1996, que abrangeas dimensões pedagógica,administrativa e financeira. Serdemocrático sem deixar de serlíder;Liberdade de aprender,ensinar, pesquisar e divulgar acultura, o pensamento, a arte eo saber;
  5. 5. Respeito à liberdade e apreçoà tolerância;
  6. 6. Valorização e respeito pelaexperiência extraescolar doaluno;
  7. 7. Dar oportunidade departicipação, mas exercendosempre o papel de mediador,ponderador das melhoresdecisões para o futuro daInstituição;
  8. 8. Autonomia consciente,significando a possibilidadede a escola se orientar apartir de suas própriasnecessidades desde que emconsonância com as regras eprincípios da SME.Autonomia não se adquire, seconquista;
  9. 9. Valorização do magistériooferecendo na medida dopossível boas condições detrabalho (infraestrutura física ematerial, relações humanas)oportunidade de formaçãocontinuada dentro e fora doambiente escolar (com apoio daSME);
  10. 10. Colaborar de maneiraconsciente, sistemática eintencionada na construçãode uma sociedade maisjusta, solidária e humana;
  11. 11. Por formação humanística,deve estar prevista aformação da pessoa na suaafetividade, sensibilidade,valores e princípios eemoções;
  12. 12. Romper práticas de relaçõeshierárquicas de poderautoritário e centralizador, doprofessor, do diretor, dosagentes da SME e outros;
  13. 13. Os Conselhos de Escolaestão amparados por lei edevem ser constituídos emprática na escola para dar vezao exercício da democraciaescolar, são eles: oscolegiados, os grêmiosestudantis, as assembleias,os conselhos de classe, osseminários, as reuniões,enfim, os espaços e temposcoletivos para o debate ediscussão do trabalhopedagógico na escola;
  14. 14. Nas relações de trabalho, oimportante é considerar otrabalho coletivo. Asolidariedade, o respeito, areciprocidade e aparticipação de todosdevem servir de base pararelações mais cordiais;
  15. 15. Educação é um processovoltado para a formação,antes que a informação;
  16. 16. Docentes bem preparadosnão são somente aquelesque dominam conteúdos emétodos de ensino,precisam também de umavisão compartilhada, umacultura e ambiente quesustentem a sua práticapedagógica;
  17. 17. Velar pela dignidade dacriança e do adolescente,pondo-os a salvo dequalquer tratamentodesumano, violento,aterrorizante, vexatório ouconstrangedor.
  18. 18. Compromisso éticoprofissional – todos somosresponsáveis pelaconcretização dessasintenções;
  19. 19. Muito  Precisa  Ótimo Bom   bom melhorar Itens Nº % Nº % Nº % Nº %Relações  interpessoais  Análise: 368 34,9 365 34,7 254 24,1 66 6,3internas e externas. A relação interpessoal é a forma como o indivíduo lida com o seu meio social, seja na família, na escola ou no trabalho. Como a escola é um espaço social de grande número de pessoas, é normal que aconteçam os conflitos. O que não pode ser comum é o desprezo em relação aos incômodos, pois esses devem ser trabalhados a fim de tornar os sujeitos mais tolerantes com o seu próximo. Algumas atividades podem auxiliar os alunos (ou mesmo a equipe de profissionais) a perceberem as diferenças entre as pessoas, além de mostrar que cada um deve ser respeitado e valorizado em suas características próprias. Para uma análise mais detalhada da questão torna-se necessário, segundo nosso ponto de vista:
  20. 20. Separar o item avaliativo – relações interpessoais em:relações interpessoais internas e relações interpessoais externasNas relações interpessoais internas avaliar: Relação direção / funcionário Relação professor / aluno Relação professor / professor Relação coordenador / professor Relação aluno / alunoNas relações interpessoais externas avaliar: Relação escola / comunidade Relação direção / pais Relação professor / pais Relação funcionários / pais Relação escola SMESó desta maneira teremos condições de fazer uma análise maisminuciosa e detalhada e pensar as melhores estratégias parasuperação das dificuldades detectadas.
  21. 21. Muito  Precisa  Ótimo Bom   bom melhorar Itens Nº % Nº % Nº % Nº %Qualidade do ensino 509 48,3 369 35 160 15,2 16 1,5 Análise: O que é qualidade em educação? Uma educação de qualidade pode significar tanto aquela que possibilita o domínio eficaz dos conteúdos previstos nos planos curriculares; como aquela que possibilita a aquisição de uma cultura científica ou literária; ou aquela que desenvolve a máxima capacidade técnica para servir ao sistema produtivo; ou, ainda, aquela que promove o espírito crítico e fortalece o compromisso para transformar a realidade social, por exemplo. De que qualidade estamos falando? Acreditamos que esse é o primeiro ponto a definir e ou retomar no planejamento escolar e concretizá-lo durante todo o ano letivo para que ao final do processo todos os segmentos envolvidos tenham clareza do que se trata e sejam capazes de avaliar consciente e objetivamente.
  22. 22. Sugestão: Substituir o termo qualidade de ensino, porqualidade do trabalho pedagógico;Separar o item avaliativo – qualidade de ensino na escola equalidade de ensino na rede municipal. (Se não considerarconveniente realizar essa distinção, pelo menos especificarque está se avaliando a “escola”, pois, da forma como estáproposto pode gerar diferentes interpretações).Eficiência: “capacidade administrativa de produzir o máximode resultados com o mínimo de recursos, energia e tempo”;Eficácia: “[...] é o critério institucional que revela a capacidadeadministrativa para alcançar as metas estabelecidas ou osresultados propostos” (vinculados, especificamente, aosaspectos pedagógicos da educação.);Efetividade: “reflete a capacidade administrativa parasatisfazer as demandas concretas feitas pela comunidadeexterna”;
  23. 23. Relevância: “[...] é o critério cultural que mede o desempenho administrativo em termos de importância, significação, pertinência e valor”, (está diretamente relacionado à atuação da educação para a melhoria do desenvolvimento humano e qualidade de vida dos indivíduos e grupos que participam do sistema educacional e da comunidade como um todo.Esses quatro critérios não são excludentes na gestão da educação,porquanto, se complementam. Segundo Sander (1995, p. 67),[...] embora distinguíveis, são dimensões dialeticamentearticuladas de um paradigma abrangente e superador deadministração da educação. No paradigma multidimensionalde administração da educação a eficiência é subsumida pelaeficácia; a eficácia e a eficiência são subsumidas pelaefetividade; a efetividade, a eficácia e a eficiência sãosubsumidas pela relevância.
  24. 24. Muito  Precisa  Ótimo Bom   bom melhorar Itens Nº % Nº % Nº % Nº %Organização da escola 466 44,2 335 31,8 216 20,5 37 3,5 Análise: A organização da escola corresponde a modos específicos de organizar espaços, tempos, agrupamentos de alunos e os modos de relação com o conhecimento.Separar o item avaliativo – organização quanto aofuncionamento da escola e organização pedagógica;Funcionamento:Projeto arquitetônico / espaços disponíveisDivisão das tarefas / horáriosQuantidade de funcionários
  25. 25. Pedagógica:CurricularReforço escolarNúmero de alunos por classeAtendimento dos alunos com Necessidades EducacionaisEspeciaisAtendimento dos professores e funcionáriosAtendimento dos pais
  26. 26. Muito  Precisa  Ótimo Bom   bom melhorar Itens Nº % Nº % Nº % Nº %DisciplinaAnálise: 288 27,3 349 33,1 300 28,5 117 11,1Yves de La Taille: "Nossos alunos precisam de princípios, enão só de regras". Para o psicólogo, a escola deve investir emformação ética no convívio entre alunos, professores efuncionários para vencer a indisciplina.O caminho para chegar lá passa pela formação ética - nãonecessariamente como conteúdo didático, mas principalmente noconvívio diário dentro da instituição. Antes de tudo o professor temde eleger seus próprios princípios, coerentes com aConstituição Brasileira: liberdade, respeito, igualdade, justiça,dignidade... É fundamental, ainda, deixar claro aos estudantes epais quais são esses princípios, defendendo-os com unhas edentes. "A dimensão moral da criança tem de ser trabalhadadesde a pré-escola. Ética se aprende, não é uma coisaespontânea”.
  27. 27. Separar o item avaliativo – disciplina dos alunos e disciplina dosfuncionários:Disciplina dos alunos:Na sala de aulaEm outros espaços escolaresDisciplina de funcionários e professoresPontualidadeEntrega de documentosCumprimento de deveres
  28. 28. Muito  Precisa  Ótimo Bom   bom melhorar Itens Nº % Nº % Nº % Nº %Participação dos pais Análise: 161 15,3 313 29,8 367 35 209 19,9 A educação perpassa tanto o ambiente escolar quanto o familiar. A interação entre ambos é muito importante para o sucesso do processo ensino-aprendizagem. Mas de que forma deve ocorrer a participação da família na escola? De que maneira a escola pode estimular a participação dos pais? Quais os principais resultados trazidos por essa participação? Temos clareza disso? Temos trabalhado para que de fato essa participação aconteça? Discriminar as diversas formas de participação: Nas reuniões de pais e mestres Nos eventos promovidos pela escola Nas convocações realizadas pela direção Participação espontânea Nos colegiados da escola: APM e Conselho de Escola
  29. 29. No acompanhamento da vida escolar do (a) filho (a): tarefas trabalhos, estudos para avaliações, cadernos, etc.Quais são os principais resultados trazidos pela participaçãodos pais?Tânia Zagury – Primeiro a revalorização do saber; os filhoscompreendem que estudar é importante; segundo: tendo maiscontato com o trabalho que a escola desenvolve, os paiscompreendem melhor as dificuldades e os empecilhos que existemno processo de ensinar e aprender, tornando-se mais aptos acolaborar; um terceiro resultado positivo é indireto: demonstrandoconfiar na escola, os pais ajudam a reconstruir a autoridade doprofessor, hoje um item fundamental para que a aprendizagempossa ocorrer. Quando os alunos não confiam e/ou não respeitamos docentes, não aprendem. Pais que vivem questionando,criticando e superprotegendo os filhos, não percebem que, de certaforma, incentivam a indisciplina e a desmotivação. É claro que estoume referindo às críticas feitas inadequada e constantemente, e sembase concreta. Todo mundo pode errar; professor também. A formapela qual se faz a crítica é que faz diferença.
  30. 30. Muito  Precisa  Ótimo Bom   bom melhorar Itens Nº % Nº % Nº % Nº %Estrutura  física  do  prédio  231 21,9 281 26,7 312 29,6 230 21,8escolar Análise: Discriminar os diferentes espaços físicos: Salas de aula Refeitório Área externa Quadra Depósito Setor administrativo Cozinha Laboratório de informática Biblioteca Sanitários para alunos / Sanitários para funcionários Bebedouros
  31. 31. Muito  Precisa  Ótimo Bom   bom melhorar Itens Nº % Nº % Nº % Nº %Biblioteca 332 31,5 359 34,1 253 24 110 10,4 Análise: Com a correta utilização das obras, é possível expandir o conhecimento da turma e ampliar os horizontes dos estudantes, que sentirão necessidade de acessar outras estações, como bibliotecas públicas, por exemplo. Daí a necessidade de avaliar e repensar esse espaço tão importante para o processo ensino / aprendizagem. Avaliar a quantidade de livros de literatura infantil a disposição Avaliar a qualidade dos livros de literatura infantil Mobiliário da biblioteca Espaço físico Controle do uso do material desse espaço
  32. 32. Muito  Precisa  Ótimo Bom   bom melhorar Itens Nº % Nº % Nº % Nº %Capacitação  dos  442 41,9 378 35,9 205 19,4 29 2,8professores Análise: Discriminar os diferentes tipos de capacitação: interna e externa Interna: Realizada pelo professor coordenador Realizada por profissionais convidados pela escola Realizada pela equipe de direção ou professores Temas abordados Relevância dos temas abordados Recursos utilizados
  33. 33. Externa:Realizada pela equipe da SMERealizada por profissionais convidados ou contratados pela SMETemas abordadosRelevância dos temas abordadosRecursos utilizadosEspaço (local dos encontros)DiaHorário
  34. 34. Muito  Precisa  Ótimo Bom   bom melhorar Itens Nº % Nº % Nº % Nº %Projetos  implementados  393 37,3 420 40 224 21,3 15 1,4pela escola Análise: Discriminar os projetos específicos da escola (nomeando um a um), projetos comuns à rede de ensino e aqueles que são específicos de um professor ou grupo de professores que lecionam em determinado ano (série);
  35. 35. Muito  Precisa  Ótimo Bom   bom melhorar Itens Nº % Nº % Nº % Nº %Material  didático  243 23,1 327 31 307 29,1 177 16,8disponívelAnálise:Discriminar na avaliação os materiais enviados pela SME eadquiridos com recursos próprios da escola (PDDE por exemplo)Materiais enviados pela SME:QuantidadeQualidadeVariedadeAtendimento as necessidadesMateriais adquirido com recursos próprios:QuantidadeQualidadeVariedadeAtendimento as necessidades
  36. 36. Composição da equipe deapoio da EMEF:- Assistente Técnico de Área:Camila Pereira da Silva OliveiraHeloisa Aguiar MilaréJoice Ribeiro Machado da Silva- Supervisão Escolar:Márcia Regina das NevesFerreira VinholoRosemary Corrêa Galvão deCastro Batista
  37. 37. B – CAP – Centro de ApoioPsicopedagógicoLígia TessariC – AEE – AtendimentoEducacional EspecializadoLígia Tessari
  38. 38. A questão sobre a punição daescola e ou do professor étratada claramente naConstituição, no Art. 8º:Constitui crime punível comreclusão de um a quatro anos emulta: Recusar, suspender,procrastinar, cancelar ou fazercessar, sem justa causa ainscrição de aluno emestabelecimento de ensino dequalquer curso ou grau,público ou privado, pormotivos da deficiência queporta.
  39. 39. Atualização dos RegimentosEscolaresO Regimento Escolar é odocumento que normatiza aorganização escolar de cadaestabelecimento de ensino,regulamentando os propósitos eas intenções descritos no seuProjeto Político-Pedagógico.Portanto, ele é o instrumentolegal que regula e disciplina todaa organização didática,pedagógica e administrativa deescola.
  40. 40. Socialização de Saberes:programado para o mês desetembro1ª) Professores dasEMEIs, EMEFEIs e EMEFsApresentação de umtrabalho por escola2ª) Diretores das EMEIs,EMEFs e EMEFEIs
  41. 41. Criação e divulgação detrabalhos pedagógicos atravésde “Blog” da SMEhttp://secretariamunicipalmarilia.bhttp://www.facebook.com/SecretarSAREM (Sistema de Avaliaçãodo Rendimento Escolar deMarília)5º ano – 10ª edição3º ano – 1ª edição – 2013
  42. 42. Prova Brasil – encontrosbimestrais para professoresdo 5º ano de LínguaPortuguesa e Matemática.
  43. 43. -Cursos promovidos pelaSME- Criação de um Ciclo dePalestras - FórumPermanente - sobre asdiversas áreas doconhecimento;
  44. 44. Capacitação:Proposta de formaçãocontinuada para gestoresescolares – Escola deGestores;Proposta de formaçãocontinuada para professoresalfabetizadores (1º ano e 2ºano) – Escola dealfabetizadores.
  45. 45. Cronograma de Encontrosdos ProfessoresCoordenadores:quinzenalmente a partir de05 de marçoFichas de AvaliaçãoBimestral: serão revistasVisitas as unidadesescolares: ver cronograma aseguir
  46. 46. Data Manhã Tarde Nelson Gabaldi07/02/13 Chico Xavier Geralda Vilardi Reny Cordeiro13/02/13 Nicácia Garcia Myrthes Pupo Antonio Moral14/02/13 Edméia Sola Antonio Ribeiro Nivando15/02/13 Mariano Antonio Egea Paulo Freire Américo21/02/13 Capelozza Cecília Guelpa Roberto Cimino Mário Covas28/02/13 Isaltino de Olímpio Cruz Campos07/03/13 Célio Corradi
  47. 47. Programas do GovernoFederal:“Alfabetização na idadecerta”
  48. 48. AVALIAÇÃO DAS AÇÕES PEDAGÓGICAS E ADMINISTRATIVAS / 2012CONSOLIDADO SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO – EMEF
  49. 49. Dia 13/02/2013 – 4ª feira- Análise e comentários sobre osresultados pedagógicos do ano de2012, comparação de dadosestatísticos da escola nos últimosanos, verificar a evolução.- Análise do PPP, objetivos e metasprioritárias para 2013, referência noprocesso ensino-aprendizagem de2012.- Definir as ações para os pontoscríticos da unidade escolar. Ex:disciplina, inclusão, participação dacomunidade, relacionamentointerpessoal, etc.- Definir os Projetos da Escola – açãocomum de todos da equipe escolar.
  50. 50. Dia 14/02/2013 – 5ª feira-Texto de reflexão-Reflexão e estudo dasPropostas Curriculares - Definição dos Projetos porturma - Analisar o consolidado daavaliação Institucional,comparando os dados da UEcom a SME
  51. 51. Dia 15/02/ 2013 – 6ª feira- Texto para reflexão- Análise e discussão daAvaliação Diagnóstica deLíngua Portuguesa eMatemática do 1º ao 5º ano.As produções deverão serarquivadas em pastas paraanálise na 1ª visita da equipepedagógica da SME.Na contracapa da pasta deprodução de textos será fixadaa 2ª produção.Entrega na SME dos resultadosno dia 06 de março.
  52. 52. Sugestão de textos:Para ajudar na elaboração doProjeto Político Pedagógico:Tentativa de diálogo – JoelGarcia. Pag. 22 a24Para orientar os gestores notrabalho dentro das suas UnidadesEscolares – A medida certa –Carmem Guerreiro. Pag. 68 e 69Para ajudar a refletir sobre otrabalho com a comunidade:Família e escola em parceria –Pág. 75 a 78
  53. 53. “O Projeto pedagógico podeser comparado, de formaanáloga, a uma árvore. Ouseja, plantamos uma sementeque brota, cria e fortalece suasraízes, produz sombra, flores efrutos que dão origem a outrasárvores, frutos ... Mas, paramantê-la viva, não basta regá-la, adubá-la e podá-la apenasuma vez”. Libâneo (2004, p.152)
  54. 54. Data da entrega – até24/04/2013 – quarta-feira (emduas vias)Adendos a serem incorporados:Plano de Desenvolvimento daEscola – PDE:Quadro: agrupamento dealunos, distribuídos porturma/modalidade/anoDiagnóstico Escolar: quadrode rendimento dos alunos;Organização dos HECs;
  55. 55. Quadro: pessoal docente eadministrativo ( nome, R.G,formação e tempo deexperiência);APM: identificação dos membrose plano de trabalho;Conselho de Escola:identificação dos membros;Comissão de normas eConvivência – identificação dosmembros;Grêmio estudantil – identificaçãodos membros e plano de trabalho; Horário do pessoaladministrativo;
  56. 56. Projetos da escola; disciplina,educação Inclusiva, SalasMultifuncionais/ outros;Calendário Escolar;Plano do ProfessorCoordenador;Plano do trabalho do Monitorde Informática;Projetos Gerais: Secretaria daEducação/ Parcerias; (a definir)Matriz Curricular
  57. 57. Educação de Jovens eAdultos:.- Planejamento – todos os diasna Unidade Escolar- Primeira reunião em Março –data a definir- Trazer os resultados daavaliação diagnóstica e perfil daturma: número de alunos, idade,profissão, endereço completo,série (termo 1 ou 2) digitadospara ser entregue na SME nomomento da reunião.
  58. 58. Projeto CPFL nas escolasReunião no dia 27 de fevereiro de2013 (quarta-feira) as 10 horascom as professorascoordenadoras das escolas queparticiparam em 2012, são elas:Cecília Guelpa,Myrthes Pupo,Antonio Moral,Célio Corradi,Geralda Vilardi, Mário Covas,Olímpio Cruz,Roberto Cimino.Local: SME

×