SlideShare uma empresa Scribd logo
Subtração Eliene, marisa e solange
SUBTRAÇÃO Operação difícil de trabalhar devido: 
 Ser um conceito complexo para a criança; 
 Ao raciocínio das crianças se concentra em aspectos positivos da ação, percepção e cognição. Os aspectos negativos, como inverso e recíproco, são construídos apenas mais tarde. 
 Ter aspecto afetivo adverso, muitas vezes relacionados com situações de perda. 
 Envolver ideias bastante diferentes entre si.
Proposta de trabalho
Agora vamos pensar nas ideias da subtração?
A subtração envolve três ideias bastante diferentes entre si: 
 Ideia de tirar: Apresenta-se um todo, e dele se tira uma parte, ou seja, “da conta que serve para tirar”. 
 Ideia de comparar: Confronto de duas quantidades independentes, como também, comparação de uma parte com o todo e depois com a outra parte. 
 Ideia de completar: Aparece em situações nas quais é necessário descobrir a parte que falta para chegar ao todo. No entanto, para que a criança consiga compreender essas três ideias da subtração, ela necessita realizar operações variadas de somar e subtrair para resolver um problema, pois ambas (adição e subtração) fazem parte do campo aditivo.
OS PRINCIPAIS EQUÍVOCOS 
O uso de palavras-chave nas situações-problema como: juntar, tirar, ganhar, perder e comparar quantias são alguns dos verbos relacionados à adição e à subtração. Mas os conceitos que envolvem essas duas operações básicas não significam o uso de palavras-chave para realizar contas "de mais" ou "de menos". 
Nas escolas, no entanto, a adição e a subtração são entendidas muitas vezes apenas como operações opostas ou conflitantes: ganhar e colocar correspondem à adição, já perder e tirar, à subtração.
A escolha sobre a operação a ser usada depende do que é pedido no enunciado. 
Essa concepção muda totalmente a maneira de ensinar subtração.
PERSPECTIVA ANTERIOR 
PERSPECTIVA DO CAMPO ADITIVO 
ENUNCIADO 
A incógnita está sempre no fim do enunciado (5 + 5 = ?; 16 - 3 = ?). 
A incógnita pode estar em qualquer parte do enunciado (? + 5 = 10; 16 - ? =13). 
PALAVRAS-CHAVE 
Palavras como "ganhar" e "perder" dão certeza ao aluno sobre a operação a ser usada. 
Não se estimula o uso. As crianças precisam analisar os dados do problema para decidir a melhor estratégia a ser utilizada (João tinha algumas bolinhas de gude, ganhou 5 num jogo e ficou com 15. Quantas bolinhas ele tinha antes?) 
COMO O ALUNO PENSA 
Para chegar ao resultado, é preciso saber qual operação usar (adição ou subtração). 
Com várias possibilidades de chegar ao valor final, o aluno tem mais autonomia e o pensamento fica menos engessado. 
RESOLUÇÃO 
Está diretamente ligada à operação proposta no enunciado. 
Está atrelada à análise das informações e à criação de procedimentos próprios. 
INTERAÇÃO COM O ALUNO 
Cabe ao professor validar ou não a resposta encontrada. 
O professor propõe discussões em grupo e o aluno tem recursos para justificar seus procedimentos. 
REGISTRO 
Conta armada. 
O percurso do raciocínio é valorizado, seja ele feito com contas parciais, armadas ou não, desenho de pauzinhos ou outra estratégia.
CONCLUSÃO 
ANÁLISE DO VÍDEO: Criança ensina criança, 2º ano subtração 
ideia comparativa
As expectativas de Matemática em relação a subtração de acordo com a Proposta Curricular do Município de Marília são:
1º ANO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM 
Resolver situações-problema que envolvam a ideia da subtração (tirar) utilizando-se de estratégias diversas: estimativas, dramatização, sucatas, desenhos, cuisenaire, material dourado, sem registro de algoritmo; 
Resolver situações-problema que envolvam a ideia da subtração (completar) utilizando-se de estratégias diversas: estimativas, dramatização, sucatas, desenhos, cuisenaire, material dourado, sem registro de algoritmo; 
Resolver situações-problema que envolvam a ideia da subtração (comparar), utilizando-se de estratégias diversas: estimativas, dramatização, sucatas, desenhos, cuisenaire, material dourado, sem registro de algoritmo.
2º ANO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM 
Resolver situações-problema que envolvam a ideia da subtração(tirar ) , utilizando-se de estratégias diversas: dramatização, sucatas, desenhos, cuisenaire, material dourado, com registro de algoritmo; 
Resolver situações-problema que envolvam a ideia da subtração (completar ) , com registro de algoritmo; 
Resolver situações-problema que envolvam a ideia da subtração (Comparar),com registro de algoritmo.
3º ANO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM 
 Resolver situações-problema que envolvam a ideia da subtração (tirar) com registro de algoritmo; 
 Resolver situações-problema que envolvam a ideia da subtração (completar),com registro de algoritmo; 
 Resolver situações-problema que envolvam a ideia da subtração (comparar), com registro de algoritmo.
4º ANO e 5º ANO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM 
 Resolver situações-problema com números naturais, envolvendo as ideias da subtração (tirar , completar e comparar).
Sugestão de capacitação dos professores
Objetivos: 
 Ampliar o leque de problemas de adição e subtração para propor aos alunos. 
 Trabalhar questões que envolvam os diferentes sentidos dessas operações, como juntar, agregar, ganhar, avançar, tirar, perder e retroceder. 
 Analisar as diversas relações que os alunos colocam em jogo ao resolver problemas. 
 Propor desafios que sejam ajustados aos conhecimentos que as crianças dispõem e aos que se espera que coloquem em ação. 
 Considerar as variáveis que interferem na complexidade das situações de adição e subtração ao planejar as aulas. 
Proposta de trabalho: 5 encontros.
1ª reunião: Sondagem inicial 
 Fazer um levantamento de como os professores ensinam essas operações na escola. 
 Em grupos (de preferência agrupamentos de acordo com o ano em que está lecionando) sugerimos o debate com eles das afirmações abaixo. O ensino do campo aditivo 1- Ao ensinar as operações, uma boa estratégia é fazer uma lista de palavras-chave que auxiliem os alunos na interpretação de enunciados dos diferentes problemas. 2- É necessário ensinar, primeiro, as técnicas para resolver contas de adição e subtração e só depois os alunos vão solucionar problemas que envolvam essas operações. 3- A adição e a subtração podem ser definidas como as ações de acrescentar e tirar, respectivamente. 
 Nossos professores concordam com elas? Oriente-os a anotar suas opiniões e justificativas, para que sejam retomadas ao final do estudo desse tema.
Como embasamento teórico para essa discussão, sugerimos a leitura do Capítulo 7 – Operações com números naturais do livro Teoria e Prática da Matemática: como dois e dois de Marília Barros de Almeida Toledo e Mauro de Almeida Toledo. Neste capítulo são abordadas: 
 As operações de adição, subtração, multiplicação e divisão e suas ideias; 
 Maneiras para melhor abordar o ensino de cada uma das operações na sala de aula; 
 Sugestões de atividades com materiais manipulativos.
2ª reunião: Estudo dos enunciados 
 Realizar a discussão do texto da 1ª reunião. 
 Entregar para cada professor a lista de problemas do 2º quadro da página 2. 
 Pedir que estudem os enunciados, agrupem os que são parecidos e discutam os critérios utilizados. 
 Socializar as respostas.
Sugestões para fundamentação teórica: 
• Trecho dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) Operações com Números Naturais - Adição e Subtração e da Proposta Curricular do Município; 
•Capítulo 2 – Estruturas aditivas: avaliando e promovendo o desenvolvimento dos conceitos de adição e subtração na sala de aula do livro Educação Matemática 1: números e operações numéricas de Terezinha Nunes e outros Tal capítulo tem como objetivos: 
Analisar a origem dos conceitos de adição e subtração. 
Descrever brevemente o desenvolvimento das estruturas aditivas no período de 5 a 9 anos. 
Oferecer instrumentos para a avaliação do aluno quanto ao seu desenvolvimento na compreensão das estruturas aditivas. 
Discutir uma nova abordagem no ensino desses conceitos, em que os dois aparecem integrados como estruturas aditivas. 
Apresentar modelos de atividades criadas com a finalidade de desenvolver a compreensão das estruturas aditivas.
3ª reunião: Diagnóstico dos conhecimentos Nesta reunião, os docentes serão orientados a realizar um diagnóstico do que seus alunos já sabem para resolver problemas de adição e subtração, conforme descrição da página 5.
A intenção nessa atividade é levar o professor a descobrir se o aluno consegue compreender a ideia envolvida nos problemas. Ela também é uma oportunidade que o professor terá de refletir sobre a coleta dos dados sobre os procedimentos utilizados por cada criança. O ideal é que o professor tente antecipar estratégias que os alunos possam usar em cada problema isso dará a ele mais segurança e subsídios para analisar as produções.
Quadro de Análise e Registro dos Resultados 
Nomes 
SITUAÇÕES-PROBLEMA (SUBTRAÇÃO) 
1. Transformação 
2.Composição com uma das partes conhecidas 
3.Transformação composta 
4. Comparação 
Ideia 
Resultado 
Ideia 
Resultado 
Ideia 
Resultado 
Ideia 
Resultado 
Ana 
A 
E 
A 
A 
A 
A 
E 
E 
Cláudia 
E 
A 
A 
A 
E 
E 
NR 
NR 
Sandro 
E 
E 
E 
E 
E 
A 
E 
E 
Soraya 
E 
A 
E 
A 
E 
A 
E 
A 
Taiane 
A 
A 
A 
A 
A 
A 
A 
A 
A – Acertou E – Errou NR – Não realizou
4ª reunião: Planejamento de atividade 
 Organize a apresentação do que foi observado na atividade diagnóstica em cada sala de aula. 
 Sugira que os professores compartilhem a tabulação dos resultados de sua turma e destaquem duas ou três estratégias que apareceram com mais frequência ou que consideraram interessantes. 
 Sugestão: Apresentar a sequência didática das páginas 9 e 10. 
Peça que cada professor considere os conhecimentos de seus alunos, o desafio proposto pelos problemas e as intervenções que devem ser feitas no momento da discussão das estratégias. 
Com base nisso, caberá a cada docente montar um planejamento de como desenvolver essa atividade com as respectivas turmas.
5ª reunião: Análise do livro didático Boa parte dos livros de Matemática distingue os problemas de acordo com a operação utilizada para a solução: de um lado, os de adição e, de outro, os de subtração. Proponha que os docentes escolham uma dessas edições (pode ser a adotada na rede de ensino) e observem os seguintes aspectos: - As operações propostas; - Os tipos de problema apresentados; - A progressão dos desafios. Os professores devem construir um índice das páginas em que aparecem os problemas, considerando a complexidade de cada proposta, e prestar atenção no fato de que a dificuldade das questões não necessariamente está relacionada à operação aritmética solicitada por sua solução convencional. Atividade adaptada do site da Revista Nova Escola. Acesso em 09/08/2014.(http://gestaoescolar.abril.com.br/formacao/4o-modulo-diversas- logicas-adicao-subtracao-637419.shtml)
O que enfocar em cada ano
Existe uma gradação no nível de dificuldade dos problemas aritméticos. Os que exploram a ideia subtrativa (“tirar”) são considerados mais fáceis do que os que envolvem a ideia de “completar”. Estes, por sua vez, são mais fáceis que os problemas que solicitam “comparar pela diferença”. Como os materiais didáticos priorizam problemas do primeiro tipo, em consequência, os alunos não conseguem resolver problemas mais complexos.
1º ANO 
•Isso significa que, inicialmente, os problemas aditivos e subtrativos serão abordados ao mesmo tempo em que se trabalha a construção do significado do número natural, sem a preocupação com registros usuais (como 3 + 5 = 8), porém dando ênfase às ideias veiculadas por esses problemas. 
•Estimar o resultado de um problema é uma habilidade importante a ser desenvolvida, mesmo antes do aluno apropriar-se de quaisquer técnicas operatórias. 
• Para que os alunos aprendam a relacionar as ideias aditivas e subtrativas identificando a operação que resolve cada situação, os problemas podem ser apresentados oralmente, por escrito, por meio de figuras, em forma de jogos etc.
•As atividades ou problemas oferecidos aos alunos devem levá-los a tomar consciência de que é possível prever mentalmente certos resultados de uma situação aditiva ou subtrativa, na procura de um total, de quantos faltam, do que resta, do quanto tem a mais etc. 
•No desenvolvimento das atividades é preciso dar oportunidade aos alunos de inventar ou experimentar estratégias pessoais, de elaborar novos processos para “calcular”, num contexto numérico que lhe seja familiar e, também, de validar os resultados encontrados.
2º ANO 
• A escrita aditiva ou subtrativa usual (como 3 + 5 = 8 ou 6 – 2 = 4) deve ser trabalhada no contexto da resolução de problemas para que a criança possa comunicar resultados. É assim que ela vai conferindo significado a esse tipo de registro. 
• A compreensão dos registros aditivos e subtrativos com os sinais usuais também pode ser favorecida quando o aluno recorre à composição e decomposição de quantidades. 
•As crianças que compõem e decompõem quantidades constroem também a habilidade de estimar resultados efetuando o cálculo mental com competência. 
•Um trabalho em malhas quadriculadas ou material cuisenaire pode ajudar o aluno a compor e a decompor quantidades, conferindo ao registro usual algum sentido, como nos exemplos da página 55.
No início da aprendizagem das operações com números naturais, o trabalho que leva as crianças a identificarem as operações adequadas para resolver um problema e a darem significado para os sinais +, – e =, não se completa num único período letivo. As ideias se aperfeiçoam à medida que: 
• Os fatos fundamentais são memorizados; • Novas situações são oferecidas às crianças; • Aumenta a ordem de grandeza (tamanho) dos números envolvidos nas situações é aumentada; • As condições de pensamento das crianças evoluem, passando do período concreto operacional para o pré- formal.
• No início, o apoio de material concreto(palitos, tampinhas, objetos escolares)é importante, assim como o apoio do ábaco de papel com material dourado. Igualmente importante é dar condições às crianças para que efetuem as ações concretas de agrupar, trocar, destrocar quantidades antes de registrá-las no caderno por meio dos algoritmos convencionais. 
• A utilização do ábaco para efetuar os cálculos antes de representá-los no caderno ajuda o aluno a compreender porque no algoritmo usual ele deve colocar unidade embaixo de unidade, dezena embaixo de dezena e assim por diante.
AM 2º ANO (10 atividades)
3º ANO Se durante a aprendizagem os alunos já dominam os processos de agrupamentos e trocas no SND e os fatos fundamentais da adição, e iniciam o aprendizado do algoritmo da adição por meio do uso do ábaco de papel e material dourado (antes do registro), é conveniente que as adições com ou sem reserva (“vai 1”) sejam trabalhadas simultaneamente. Quanto ao aprendizado das técnicas operatórias usuais da subtração, valem as mesmas observações feitas para as da adição: a melhor maneira de iniciar este trabalho é partir das estratégias espontâneas dos alunos e de seus registros pessoais.
“O termo emprestar é bastante inadequado, pois pede-se emprestado, mas não se paga o empréstimo feito. Além disso, o aluno que não compreende bem o processo de agrupamentos e trocas e só faz contas com lápis e papel, sem agir sobre materiais decontagem, não entende porque pede emprestado 1 e recebe 10.Quando se usa o termo “trocar”, no entanto, fica claro que sempre se troca uma nota de dinheiro por outras que, somadas, representam o mesmo valor da primeira.” Como dois e dois. A construção da matemática, de Marília Toledo e Mauro Toledo
AM 3º ANO (29 atividades)
4º ANO e 5º ANO Quanto às operações, os significados já trabalhados no ciclo anterior deverão ser consolidados e novas situações precisam ser propostas com vistas à ampliação do conceito dessa operação. O segundo ciclo dever ter como característica geral o trabalho com atividades que permitam ao aluno progredir na construção de conceitos e procedimentos matemáticos. No entanto, esse ciclo não constitui um marco de terminalidade da aprendizagem desse conteúdo, o que significa que o trabalho com a subtração deverá ter continuidade, para que o aluno alcance novos patamares de conhecimento.
AM 4º ANO (11 atividades)
AM 5º ANO (05 atividades)
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Brasília : MEC/SEF, 1997. MARÍLIA. Secretaria Municipal da Educação. Propostas Curriculares do 1º ao 5º ano: Matemática. São Paulo, 2013. NUNES, Terezinha et al. Educação Matemática 1: números e operações numéricas. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2009. TOLEDO, Marília Barros de Almeida; TOLEDO, Mauro de Almeida. Teoria e Prática da Matemática :como dois e dois. 1 ed. São Paulo : FTD, 2009. REVISTA NOVA ESCOLA GESTÃO ESCOLAR. As diversas lógicas da adição e da subtração. Edição 15, agosto/setembro 2011.em: http://gestaoescolar.abril.com.br/formacao/4o- modulo-diversas-logicas-adicao-subtracao-637419.shtml . Acesso em 08 ago. 2014. SÃO PAULO. Secretaria Estadual da Educação. Atividades Matemáticas da 1ª a 4ª série. São Paulo, CENP, 1998.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cruzadinha divisão
Cruzadinha divisão Cruzadinha divisão
Cruzadinha divisão
Mary Alvarenga
 
AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA: SITUAÇÕES-PROBLEMA
AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA: SITUAÇÕES-PROBLEMAAVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA: SITUAÇÕES-PROBLEMA
AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA: SITUAÇÕES-PROBLEMA
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Apostila matemática em pdf
Apostila  matemática em pdfApostila  matemática em pdf
Apostila matemática em pdf
Isa ...
 
Problematizando - Quanto é o troco?
Problematizando   - Quanto é o troco? Problematizando   - Quanto é o troco?
Problematizando - Quanto é o troco?
Mary Alvarenga
 
Materiais produzidos adaptados pela professora da sala de recursos multifunci...
Materiais produzidos adaptados pela professora da sala de recursos multifunci...Materiais produzidos adaptados pela professora da sala de recursos multifunci...
Materiais produzidos adaptados pela professora da sala de recursos multifunci...
Isa ...
 
SIMULADO: POTENCIAÇÃO E RADICIAÇÃO (8º ANO E H2)
SIMULADO: POTENCIAÇÃO E RADICIAÇÃO (8º ANO E H2)SIMULADO: POTENCIAÇÃO E RADICIAÇÃO (8º ANO E H2)
SIMULADO: POTENCIAÇÃO E RADICIAÇÃO (8º ANO E H2)
Hélio Rocha
 
Interpretação de tabelas e gráficos
Interpretação de tabelas e gráficos Interpretação de tabelas e gráficos
Interpretação de tabelas e gráficos
Mary Alvarenga
 
Apostila com Material Dourado e SND até 99
Apostila com Material Dourado e SND até 99Apostila com Material Dourado e SND até 99
Apostila com Material Dourado e SND até 99
Eleúzia Lins Silva
 
Apostila produção de texto
Apostila produção de textoApostila produção de texto
Apostila produção de texto
Adriana Suzano
 
Situações-Problema - Matemática
Situações-Problema - MatemáticaSituações-Problema - Matemática
Situações-Problema - Matemática
Paulo Alves de Araujo
 
Atividade de ciências - plantas 2º ano.pdf
Atividade de ciências - plantas 2º ano.pdfAtividade de ciências - plantas 2º ano.pdf
Atividade de ciências - plantas 2º ano.pdf
ElivaneidePereira
 
CADERNO DO FUTURO DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA O PROFESSOR: 3º ANO DO ENSINO FUN...
CADERNO DO FUTURO DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA O PROFESSOR: 3º ANO DO ENSINO FUN...CADERNO DO FUTURO DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA O PROFESSOR: 3º ANO DO ENSINO FUN...
CADERNO DO FUTURO DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA O PROFESSOR: 3º ANO DO ENSINO FUN...
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Bingo da Multiplicação
Bingo  da Multiplicação Bingo  da Multiplicação
Bingo da Multiplicação
Mary Alvarenga
 
Apostila para trabalhar textos variados
Apostila para trabalhar  textos variadosApostila para trabalhar  textos variados
Apostila para trabalhar textos variados
Isa ...
 
Medida de área e perímetro
Medida de área e perímetroMedida de área e perímetro
Medida de área e perímetro
Mary Alvarenga
 
Avaliação de matemática adaptada
Avaliação de matemática adaptadaAvaliação de matemática adaptada
Avaliação de matemática adaptada
Isa ...
 
Velha da multiplicação
Velha da multiplicaçãoVelha da multiplicação
Velha da multiplicação
Rosemary Batista
 
Desafio de Matemática
Desafio   de Matemática Desafio   de Matemática
Desafio de Matemática
Mary Alvarenga
 
Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...
Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...
Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...
Mary Alvarenga
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão com frações
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão  com fraçõesLoteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão  com frações
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão com frações
Mary Alvarenga
 

Mais procurados (20)

Cruzadinha divisão
Cruzadinha divisão Cruzadinha divisão
Cruzadinha divisão
 
AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA: SITUAÇÕES-PROBLEMA
AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA: SITUAÇÕES-PROBLEMAAVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA: SITUAÇÕES-PROBLEMA
AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA: SITUAÇÕES-PROBLEMA
 
Apostila matemática em pdf
Apostila  matemática em pdfApostila  matemática em pdf
Apostila matemática em pdf
 
Problematizando - Quanto é o troco?
Problematizando   - Quanto é o troco? Problematizando   - Quanto é o troco?
Problematizando - Quanto é o troco?
 
Materiais produzidos adaptados pela professora da sala de recursos multifunci...
Materiais produzidos adaptados pela professora da sala de recursos multifunci...Materiais produzidos adaptados pela professora da sala de recursos multifunci...
Materiais produzidos adaptados pela professora da sala de recursos multifunci...
 
SIMULADO: POTENCIAÇÃO E RADICIAÇÃO (8º ANO E H2)
SIMULADO: POTENCIAÇÃO E RADICIAÇÃO (8º ANO E H2)SIMULADO: POTENCIAÇÃO E RADICIAÇÃO (8º ANO E H2)
SIMULADO: POTENCIAÇÃO E RADICIAÇÃO (8º ANO E H2)
 
Interpretação de tabelas e gráficos
Interpretação de tabelas e gráficos Interpretação de tabelas e gráficos
Interpretação de tabelas e gráficos
 
Apostila com Material Dourado e SND até 99
Apostila com Material Dourado e SND até 99Apostila com Material Dourado e SND até 99
Apostila com Material Dourado e SND até 99
 
Apostila produção de texto
Apostila produção de textoApostila produção de texto
Apostila produção de texto
 
Situações-Problema - Matemática
Situações-Problema - MatemáticaSituações-Problema - Matemática
Situações-Problema - Matemática
 
Atividade de ciências - plantas 2º ano.pdf
Atividade de ciências - plantas 2º ano.pdfAtividade de ciências - plantas 2º ano.pdf
Atividade de ciências - plantas 2º ano.pdf
 
CADERNO DO FUTURO DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA O PROFESSOR: 3º ANO DO ENSINO FUN...
CADERNO DO FUTURO DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA O PROFESSOR: 3º ANO DO ENSINO FUN...CADERNO DO FUTURO DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA O PROFESSOR: 3º ANO DO ENSINO FUN...
CADERNO DO FUTURO DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA O PROFESSOR: 3º ANO DO ENSINO FUN...
 
Bingo da Multiplicação
Bingo  da Multiplicação Bingo  da Multiplicação
Bingo da Multiplicação
 
Apostila para trabalhar textos variados
Apostila para trabalhar  textos variadosApostila para trabalhar  textos variados
Apostila para trabalhar textos variados
 
Medida de área e perímetro
Medida de área e perímetroMedida de área e perímetro
Medida de área e perímetro
 
Avaliação de matemática adaptada
Avaliação de matemática adaptadaAvaliação de matemática adaptada
Avaliação de matemática adaptada
 
Velha da multiplicação
Velha da multiplicaçãoVelha da multiplicação
Velha da multiplicação
 
Desafio de Matemática
Desafio   de Matemática Desafio   de Matemática
Desafio de Matemática
 
Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...
Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...
Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão com frações
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão  com fraçõesLoteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão  com frações
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão com frações
 

Semelhante a Subtração sme 2014

Slides encontro 16 ago claudia e fabiana 2014
Slides encontro  16 ago claudia e fabiana 2014Slides encontro  16 ago claudia e fabiana 2014
Slides encontro 16 ago claudia e fabiana 2014
Fabiana Esteves
 
Síntese caderno4 pnaic
Síntese caderno4 pnaicSíntese caderno4 pnaic
Síntese caderno4 pnaic
Fatima Lima
 
FORMAÇÃO DE MATEMÁTICA PCA - Brejinho PE
FORMAÇÃO DE MATEMÁTICA PCA - Brejinho PEFORMAÇÃO DE MATEMÁTICA PCA - Brejinho PE
FORMAÇÃO DE MATEMÁTICA PCA - Brejinho PE
MartaKerlyxEvilinMay
 
PNAIC - MATEMÁTICA - Operações na resolução problemas
PNAIC - MATEMÁTICA - Operações na resolução problemasPNAIC - MATEMÁTICA - Operações na resolução problemas
PNAIC - MATEMÁTICA - Operações na resolução problemas
ElieneDias
 
Multiplicação no ensino fundamental apresentação
Multiplicação no ensino fundamental   apresentaçãoMultiplicação no ensino fundamental   apresentação
Multiplicação no ensino fundamental apresentação
Rosemary Batista
 
Resolução de problemas
Resolução de problemasResolução de problemas
Resolução de problemas
Glaucia_Vieira
 
Aprender e ensinar Matemática no Ensino Fundamental
Aprender e  ensinar Matemática no Ensino FundamentalAprender e  ensinar Matemática no Ensino Fundamental
Aprender e ensinar Matemática no Ensino Fundamental
valdivina
 
24 teoria-3-campo-aditivo
24 teoria-3-campo-aditivo24 teoria-3-campo-aditivo
24 teoria-3-campo-aditivo
Josi Angélica
 
Htpc adições e subtrações nos anos iniciais
Htpc  adições e subtrações nos anos iniciaisHtpc  adições e subtrações nos anos iniciais
Htpc adições e subtrações nos anos iniciais
Luana Maria Ferreira Fernandes
 
Trabalho michele
Trabalho micheleTrabalho michele
Trabalho michele
Daniella Loureiro
 
Portefólio
PortefólioPortefólio
Portefólio
Joao Ferreira
 
Matematica No Contexto Atual
Matematica No Contexto Atual   Matematica No Contexto Atual
Matematica No Contexto Atual
Editora Moderna
 
situações problema
situações problemasituações problema
situações problema
Raquel Caparroz
 
pnaic formação
pnaic formaçãopnaic formação
pnaic formação
Raquel Caparroz
 
10 09 presencial
10 09 presencial10 09 presencial
10 09 presencial
Raquel Caparroz
 
Oficina 16 desafios
Oficina 16 desafiosOficina 16 desafios
Oficina 16 desafios
Professora Cida
 
Reunião de coordenadores sem vídeos
Reunião de coordenadores   sem vídeosReunião de coordenadores   sem vídeos
Reunião de coordenadores sem vídeos
Rosemary Batista
 
Conexões matemáticas situações problema
Conexões matemáticas   situações problemaConexões matemáticas   situações problema
Conexões matemáticas situações problema
Aprender com prazer
 
Emai 1º ano-05062012
Emai 1º ano-05062012Emai 1º ano-05062012
Emai 1º ano-05062012
leilatutora
 
Teoria dos Campos conceituais
Teoria dos Campos conceituaisTeoria dos Campos conceituais
Teoria dos Campos conceituais
reinaldo oliveira
 

Semelhante a Subtração sme 2014 (20)

Slides encontro 16 ago claudia e fabiana 2014
Slides encontro  16 ago claudia e fabiana 2014Slides encontro  16 ago claudia e fabiana 2014
Slides encontro 16 ago claudia e fabiana 2014
 
Síntese caderno4 pnaic
Síntese caderno4 pnaicSíntese caderno4 pnaic
Síntese caderno4 pnaic
 
FORMAÇÃO DE MATEMÁTICA PCA - Brejinho PE
FORMAÇÃO DE MATEMÁTICA PCA - Brejinho PEFORMAÇÃO DE MATEMÁTICA PCA - Brejinho PE
FORMAÇÃO DE MATEMÁTICA PCA - Brejinho PE
 
PNAIC - MATEMÁTICA - Operações na resolução problemas
PNAIC - MATEMÁTICA - Operações na resolução problemasPNAIC - MATEMÁTICA - Operações na resolução problemas
PNAIC - MATEMÁTICA - Operações na resolução problemas
 
Multiplicação no ensino fundamental apresentação
Multiplicação no ensino fundamental   apresentaçãoMultiplicação no ensino fundamental   apresentação
Multiplicação no ensino fundamental apresentação
 
Resolução de problemas
Resolução de problemasResolução de problemas
Resolução de problemas
 
Aprender e ensinar Matemática no Ensino Fundamental
Aprender e  ensinar Matemática no Ensino FundamentalAprender e  ensinar Matemática no Ensino Fundamental
Aprender e ensinar Matemática no Ensino Fundamental
 
24 teoria-3-campo-aditivo
24 teoria-3-campo-aditivo24 teoria-3-campo-aditivo
24 teoria-3-campo-aditivo
 
Htpc adições e subtrações nos anos iniciais
Htpc  adições e subtrações nos anos iniciaisHtpc  adições e subtrações nos anos iniciais
Htpc adições e subtrações nos anos iniciais
 
Trabalho michele
Trabalho micheleTrabalho michele
Trabalho michele
 
Portefólio
PortefólioPortefólio
Portefólio
 
Matematica No Contexto Atual
Matematica No Contexto Atual   Matematica No Contexto Atual
Matematica No Contexto Atual
 
situações problema
situações problemasituações problema
situações problema
 
pnaic formação
pnaic formaçãopnaic formação
pnaic formação
 
10 09 presencial
10 09 presencial10 09 presencial
10 09 presencial
 
Oficina 16 desafios
Oficina 16 desafiosOficina 16 desafios
Oficina 16 desafios
 
Reunião de coordenadores sem vídeos
Reunião de coordenadores   sem vídeosReunião de coordenadores   sem vídeos
Reunião de coordenadores sem vídeos
 
Conexões matemáticas situações problema
Conexões matemáticas   situações problemaConexões matemáticas   situações problema
Conexões matemáticas situações problema
 
Emai 1º ano-05062012
Emai 1º ano-05062012Emai 1º ano-05062012
Emai 1º ano-05062012
 
Teoria dos Campos conceituais
Teoria dos Campos conceituaisTeoria dos Campos conceituais
Teoria dos Campos conceituais
 

Mais de Rosemary Batista

Sinceramente a cinderela é muito irritante
Sinceramente a cinderela é muito irritanteSinceramente a cinderela é muito irritante
Sinceramente a cinderela é muito irritante
Rosemary Batista
 
01379 regra na ponta da língua
01379 regra na ponta da língua01379 regra na ponta da língua
01379 regra na ponta da língua
Rosemary Batista
 
Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_webCartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
Rosemary Batista
 
Boletim informativo n 04 2016 - final
Boletim informativo n 04 2016 - finalBoletim informativo n 04 2016 - final
Boletim informativo n 04 2016 - final
Rosemary Batista
 
Devolução dos Livros Didáticos
Devolução dos Livros DidáticosDevolução dos Livros Didáticos
Devolução dos Livros Didáticos
Rosemary Batista
 
Halloween 2016
Halloween 2016Halloween 2016
Halloween 2016
Rosemary Batista
 
Textos vencedores
Textos vencedoresTextos vencedores
Textos vencedores
Rosemary Batista
 
Ppt art poder_publico_junho2016_resumido
Ppt art poder_publico_junho2016_resumidoPpt art poder_publico_junho2016_resumido
Ppt art poder_publico_junho2016_resumido
Rosemary Batista
 
Encontro de educação integral ação intermunicipal
Encontro de educação integral   ação intermunicipalEncontro de educação integral   ação intermunicipal
Encontro de educação integral ação intermunicipal
Rosemary Batista
 
Concurso de redação "Lixo eletrônico"
Concurso de redação "Lixo eletrônico"Concurso de redação "Lixo eletrônico"
Concurso de redação "Lixo eletrônico"
Rosemary Batista
 
Domm -1714_-_08_06_16___classificação_de_estagiários_convocados_(1)
Domm  -1714_-_08_06_16___classificação_de_estagiários_convocados_(1)Domm  -1714_-_08_06_16___classificação_de_estagiários_convocados_(1)
Domm -1714_-_08_06_16___classificação_de_estagiários_convocados_(1)
Rosemary Batista
 
7º encontro multidisciplinar dos transtornos da aprendizagem e transtornos d...
7º encontro multidisciplinar dos transtornos da  aprendizagem e transtornos d...7º encontro multidisciplinar dos transtornos da  aprendizagem e transtornos d...
7º encontro multidisciplinar dos transtornos da aprendizagem e transtornos d...
Rosemary Batista
 
Lista aprovados v1
Lista aprovados v1Lista aprovados v1
Lista aprovados v1
Rosemary Batista
 
Domm 1710 - 02 06 16 (1) classificados de pedagogia (1)
Domm   1710 - 02 06 16 (1) classificados de pedagogia (1)Domm   1710 - 02 06 16 (1) classificados de pedagogia (1)
Domm 1710 - 02 06 16 (1) classificados de pedagogia (1)
Rosemary Batista
 
Domm 1707 - 26 05 16 gabarito da prova de pedagogia
Domm   1707 - 26 05 16  gabarito da prova de pedagogiaDomm   1707 - 26 05 16  gabarito da prova de pedagogia
Domm 1707 - 26 05 16 gabarito da prova de pedagogia
Rosemary Batista
 
Domm -1704_-_21_05_16__convocação_da_prova_de_pedagogia
Domm  -1704_-_21_05_16__convocação_da_prova_de_pedagogiaDomm  -1704_-_21_05_16__convocação_da_prova_de_pedagogia
Domm -1704_-_21_05_16__convocação_da_prova_de_pedagogia
Rosemary Batista
 
O ensino de ciências por investigação
O ensino de ciências por investigaçãoO ensino de ciências por investigação
O ensino de ciências por investigação
Rosemary Batista
 
O ensino de ciências por investigação
O ensino de ciências por investigaçãoO ensino de ciências por investigação
O ensino de ciências por investigação
Rosemary Batista
 
Khan academy 2016
Khan academy 2016Khan academy 2016
Khan academy 2016
Rosemary Batista
 
Domm 1697 - 12 05 16 edital de pedagogia 2
Domm   1697 - 12 05 16   edital de pedagogia 2Domm   1697 - 12 05 16   edital de pedagogia 2
Domm 1697 - 12 05 16 edital de pedagogia 2
Rosemary Batista
 

Mais de Rosemary Batista (20)

Sinceramente a cinderela é muito irritante
Sinceramente a cinderela é muito irritanteSinceramente a cinderela é muito irritante
Sinceramente a cinderela é muito irritante
 
01379 regra na ponta da língua
01379 regra na ponta da língua01379 regra na ponta da língua
01379 regra na ponta da língua
 
Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_webCartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
 
Boletim informativo n 04 2016 - final
Boletim informativo n 04 2016 - finalBoletim informativo n 04 2016 - final
Boletim informativo n 04 2016 - final
 
Devolução dos Livros Didáticos
Devolução dos Livros DidáticosDevolução dos Livros Didáticos
Devolução dos Livros Didáticos
 
Halloween 2016
Halloween 2016Halloween 2016
Halloween 2016
 
Textos vencedores
Textos vencedoresTextos vencedores
Textos vencedores
 
Ppt art poder_publico_junho2016_resumido
Ppt art poder_publico_junho2016_resumidoPpt art poder_publico_junho2016_resumido
Ppt art poder_publico_junho2016_resumido
 
Encontro de educação integral ação intermunicipal
Encontro de educação integral   ação intermunicipalEncontro de educação integral   ação intermunicipal
Encontro de educação integral ação intermunicipal
 
Concurso de redação "Lixo eletrônico"
Concurso de redação "Lixo eletrônico"Concurso de redação "Lixo eletrônico"
Concurso de redação "Lixo eletrônico"
 
Domm -1714_-_08_06_16___classificação_de_estagiários_convocados_(1)
Domm  -1714_-_08_06_16___classificação_de_estagiários_convocados_(1)Domm  -1714_-_08_06_16___classificação_de_estagiários_convocados_(1)
Domm -1714_-_08_06_16___classificação_de_estagiários_convocados_(1)
 
7º encontro multidisciplinar dos transtornos da aprendizagem e transtornos d...
7º encontro multidisciplinar dos transtornos da  aprendizagem e transtornos d...7º encontro multidisciplinar dos transtornos da  aprendizagem e transtornos d...
7º encontro multidisciplinar dos transtornos da aprendizagem e transtornos d...
 
Lista aprovados v1
Lista aprovados v1Lista aprovados v1
Lista aprovados v1
 
Domm 1710 - 02 06 16 (1) classificados de pedagogia (1)
Domm   1710 - 02 06 16 (1) classificados de pedagogia (1)Domm   1710 - 02 06 16 (1) classificados de pedagogia (1)
Domm 1710 - 02 06 16 (1) classificados de pedagogia (1)
 
Domm 1707 - 26 05 16 gabarito da prova de pedagogia
Domm   1707 - 26 05 16  gabarito da prova de pedagogiaDomm   1707 - 26 05 16  gabarito da prova de pedagogia
Domm 1707 - 26 05 16 gabarito da prova de pedagogia
 
Domm -1704_-_21_05_16__convocação_da_prova_de_pedagogia
Domm  -1704_-_21_05_16__convocação_da_prova_de_pedagogiaDomm  -1704_-_21_05_16__convocação_da_prova_de_pedagogia
Domm -1704_-_21_05_16__convocação_da_prova_de_pedagogia
 
O ensino de ciências por investigação
O ensino de ciências por investigaçãoO ensino de ciências por investigação
O ensino de ciências por investigação
 
O ensino de ciências por investigação
O ensino de ciências por investigaçãoO ensino de ciências por investigação
O ensino de ciências por investigação
 
Khan academy 2016
Khan academy 2016Khan academy 2016
Khan academy 2016
 
Domm 1697 - 12 05 16 edital de pedagogia 2
Domm   1697 - 12 05 16   edital de pedagogia 2Domm   1697 - 12 05 16   edital de pedagogia 2
Domm 1697 - 12 05 16 edital de pedagogia 2
 

Último

Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
marcos oliveira
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 

Último (20)

Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 

Subtração sme 2014

  • 2. SUBTRAÇÃO Operação difícil de trabalhar devido:  Ser um conceito complexo para a criança;  Ao raciocínio das crianças se concentra em aspectos positivos da ação, percepção e cognição. Os aspectos negativos, como inverso e recíproco, são construídos apenas mais tarde.  Ter aspecto afetivo adverso, muitas vezes relacionados com situações de perda.  Envolver ideias bastante diferentes entre si.
  • 4. Agora vamos pensar nas ideias da subtração?
  • 5. A subtração envolve três ideias bastante diferentes entre si:  Ideia de tirar: Apresenta-se um todo, e dele se tira uma parte, ou seja, “da conta que serve para tirar”.  Ideia de comparar: Confronto de duas quantidades independentes, como também, comparação de uma parte com o todo e depois com a outra parte.  Ideia de completar: Aparece em situações nas quais é necessário descobrir a parte que falta para chegar ao todo. No entanto, para que a criança consiga compreender essas três ideias da subtração, ela necessita realizar operações variadas de somar e subtrair para resolver um problema, pois ambas (adição e subtração) fazem parte do campo aditivo.
  • 6. OS PRINCIPAIS EQUÍVOCOS O uso de palavras-chave nas situações-problema como: juntar, tirar, ganhar, perder e comparar quantias são alguns dos verbos relacionados à adição e à subtração. Mas os conceitos que envolvem essas duas operações básicas não significam o uso de palavras-chave para realizar contas "de mais" ou "de menos". Nas escolas, no entanto, a adição e a subtração são entendidas muitas vezes apenas como operações opostas ou conflitantes: ganhar e colocar correspondem à adição, já perder e tirar, à subtração.
  • 7. A escolha sobre a operação a ser usada depende do que é pedido no enunciado. Essa concepção muda totalmente a maneira de ensinar subtração.
  • 8. PERSPECTIVA ANTERIOR PERSPECTIVA DO CAMPO ADITIVO ENUNCIADO A incógnita está sempre no fim do enunciado (5 + 5 = ?; 16 - 3 = ?). A incógnita pode estar em qualquer parte do enunciado (? + 5 = 10; 16 - ? =13). PALAVRAS-CHAVE Palavras como "ganhar" e "perder" dão certeza ao aluno sobre a operação a ser usada. Não se estimula o uso. As crianças precisam analisar os dados do problema para decidir a melhor estratégia a ser utilizada (João tinha algumas bolinhas de gude, ganhou 5 num jogo e ficou com 15. Quantas bolinhas ele tinha antes?) COMO O ALUNO PENSA Para chegar ao resultado, é preciso saber qual operação usar (adição ou subtração). Com várias possibilidades de chegar ao valor final, o aluno tem mais autonomia e o pensamento fica menos engessado. RESOLUÇÃO Está diretamente ligada à operação proposta no enunciado. Está atrelada à análise das informações e à criação de procedimentos próprios. INTERAÇÃO COM O ALUNO Cabe ao professor validar ou não a resposta encontrada. O professor propõe discussões em grupo e o aluno tem recursos para justificar seus procedimentos. REGISTRO Conta armada. O percurso do raciocínio é valorizado, seja ele feito com contas parciais, armadas ou não, desenho de pauzinhos ou outra estratégia.
  • 9. CONCLUSÃO ANÁLISE DO VÍDEO: Criança ensina criança, 2º ano subtração ideia comparativa
  • 10. As expectativas de Matemática em relação a subtração de acordo com a Proposta Curricular do Município de Marília são:
  • 11. 1º ANO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM Resolver situações-problema que envolvam a ideia da subtração (tirar) utilizando-se de estratégias diversas: estimativas, dramatização, sucatas, desenhos, cuisenaire, material dourado, sem registro de algoritmo; Resolver situações-problema que envolvam a ideia da subtração (completar) utilizando-se de estratégias diversas: estimativas, dramatização, sucatas, desenhos, cuisenaire, material dourado, sem registro de algoritmo; Resolver situações-problema que envolvam a ideia da subtração (comparar), utilizando-se de estratégias diversas: estimativas, dramatização, sucatas, desenhos, cuisenaire, material dourado, sem registro de algoritmo.
  • 12. 2º ANO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM Resolver situações-problema que envolvam a ideia da subtração(tirar ) , utilizando-se de estratégias diversas: dramatização, sucatas, desenhos, cuisenaire, material dourado, com registro de algoritmo; Resolver situações-problema que envolvam a ideia da subtração (completar ) , com registro de algoritmo; Resolver situações-problema que envolvam a ideia da subtração (Comparar),com registro de algoritmo.
  • 13. 3º ANO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM  Resolver situações-problema que envolvam a ideia da subtração (tirar) com registro de algoritmo;  Resolver situações-problema que envolvam a ideia da subtração (completar),com registro de algoritmo;  Resolver situações-problema que envolvam a ideia da subtração (comparar), com registro de algoritmo.
  • 14. 4º ANO e 5º ANO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM  Resolver situações-problema com números naturais, envolvendo as ideias da subtração (tirar , completar e comparar).
  • 15. Sugestão de capacitação dos professores
  • 16. Objetivos:  Ampliar o leque de problemas de adição e subtração para propor aos alunos.  Trabalhar questões que envolvam os diferentes sentidos dessas operações, como juntar, agregar, ganhar, avançar, tirar, perder e retroceder.  Analisar as diversas relações que os alunos colocam em jogo ao resolver problemas.  Propor desafios que sejam ajustados aos conhecimentos que as crianças dispõem e aos que se espera que coloquem em ação.  Considerar as variáveis que interferem na complexidade das situações de adição e subtração ao planejar as aulas. Proposta de trabalho: 5 encontros.
  • 17. 1ª reunião: Sondagem inicial  Fazer um levantamento de como os professores ensinam essas operações na escola.  Em grupos (de preferência agrupamentos de acordo com o ano em que está lecionando) sugerimos o debate com eles das afirmações abaixo. O ensino do campo aditivo 1- Ao ensinar as operações, uma boa estratégia é fazer uma lista de palavras-chave que auxiliem os alunos na interpretação de enunciados dos diferentes problemas. 2- É necessário ensinar, primeiro, as técnicas para resolver contas de adição e subtração e só depois os alunos vão solucionar problemas que envolvam essas operações. 3- A adição e a subtração podem ser definidas como as ações de acrescentar e tirar, respectivamente.  Nossos professores concordam com elas? Oriente-os a anotar suas opiniões e justificativas, para que sejam retomadas ao final do estudo desse tema.
  • 18. Como embasamento teórico para essa discussão, sugerimos a leitura do Capítulo 7 – Operações com números naturais do livro Teoria e Prática da Matemática: como dois e dois de Marília Barros de Almeida Toledo e Mauro de Almeida Toledo. Neste capítulo são abordadas:  As operações de adição, subtração, multiplicação e divisão e suas ideias;  Maneiras para melhor abordar o ensino de cada uma das operações na sala de aula;  Sugestões de atividades com materiais manipulativos.
  • 19. 2ª reunião: Estudo dos enunciados  Realizar a discussão do texto da 1ª reunião.  Entregar para cada professor a lista de problemas do 2º quadro da página 2.  Pedir que estudem os enunciados, agrupem os que são parecidos e discutam os critérios utilizados.  Socializar as respostas.
  • 20. Sugestões para fundamentação teórica: • Trecho dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) Operações com Números Naturais - Adição e Subtração e da Proposta Curricular do Município; •Capítulo 2 – Estruturas aditivas: avaliando e promovendo o desenvolvimento dos conceitos de adição e subtração na sala de aula do livro Educação Matemática 1: números e operações numéricas de Terezinha Nunes e outros Tal capítulo tem como objetivos: Analisar a origem dos conceitos de adição e subtração. Descrever brevemente o desenvolvimento das estruturas aditivas no período de 5 a 9 anos. Oferecer instrumentos para a avaliação do aluno quanto ao seu desenvolvimento na compreensão das estruturas aditivas. Discutir uma nova abordagem no ensino desses conceitos, em que os dois aparecem integrados como estruturas aditivas. Apresentar modelos de atividades criadas com a finalidade de desenvolver a compreensão das estruturas aditivas.
  • 21. 3ª reunião: Diagnóstico dos conhecimentos Nesta reunião, os docentes serão orientados a realizar um diagnóstico do que seus alunos já sabem para resolver problemas de adição e subtração, conforme descrição da página 5.
  • 22. A intenção nessa atividade é levar o professor a descobrir se o aluno consegue compreender a ideia envolvida nos problemas. Ela também é uma oportunidade que o professor terá de refletir sobre a coleta dos dados sobre os procedimentos utilizados por cada criança. O ideal é que o professor tente antecipar estratégias que os alunos possam usar em cada problema isso dará a ele mais segurança e subsídios para analisar as produções.
  • 23. Quadro de Análise e Registro dos Resultados Nomes SITUAÇÕES-PROBLEMA (SUBTRAÇÃO) 1. Transformação 2.Composição com uma das partes conhecidas 3.Transformação composta 4. Comparação Ideia Resultado Ideia Resultado Ideia Resultado Ideia Resultado Ana A E A A A A E E Cláudia E A A A E E NR NR Sandro E E E E E A E E Soraya E A E A E A E A Taiane A A A A A A A A A – Acertou E – Errou NR – Não realizou
  • 24. 4ª reunião: Planejamento de atividade  Organize a apresentação do que foi observado na atividade diagnóstica em cada sala de aula.  Sugira que os professores compartilhem a tabulação dos resultados de sua turma e destaquem duas ou três estratégias que apareceram com mais frequência ou que consideraram interessantes.  Sugestão: Apresentar a sequência didática das páginas 9 e 10. Peça que cada professor considere os conhecimentos de seus alunos, o desafio proposto pelos problemas e as intervenções que devem ser feitas no momento da discussão das estratégias. Com base nisso, caberá a cada docente montar um planejamento de como desenvolver essa atividade com as respectivas turmas.
  • 25. 5ª reunião: Análise do livro didático Boa parte dos livros de Matemática distingue os problemas de acordo com a operação utilizada para a solução: de um lado, os de adição e, de outro, os de subtração. Proponha que os docentes escolham uma dessas edições (pode ser a adotada na rede de ensino) e observem os seguintes aspectos: - As operações propostas; - Os tipos de problema apresentados; - A progressão dos desafios. Os professores devem construir um índice das páginas em que aparecem os problemas, considerando a complexidade de cada proposta, e prestar atenção no fato de que a dificuldade das questões não necessariamente está relacionada à operação aritmética solicitada por sua solução convencional. Atividade adaptada do site da Revista Nova Escola. Acesso em 09/08/2014.(http://gestaoescolar.abril.com.br/formacao/4o-modulo-diversas- logicas-adicao-subtracao-637419.shtml)
  • 26. O que enfocar em cada ano
  • 27. Existe uma gradação no nível de dificuldade dos problemas aritméticos. Os que exploram a ideia subtrativa (“tirar”) são considerados mais fáceis do que os que envolvem a ideia de “completar”. Estes, por sua vez, são mais fáceis que os problemas que solicitam “comparar pela diferença”. Como os materiais didáticos priorizam problemas do primeiro tipo, em consequência, os alunos não conseguem resolver problemas mais complexos.
  • 28. 1º ANO •Isso significa que, inicialmente, os problemas aditivos e subtrativos serão abordados ao mesmo tempo em que se trabalha a construção do significado do número natural, sem a preocupação com registros usuais (como 3 + 5 = 8), porém dando ênfase às ideias veiculadas por esses problemas. •Estimar o resultado de um problema é uma habilidade importante a ser desenvolvida, mesmo antes do aluno apropriar-se de quaisquer técnicas operatórias. • Para que os alunos aprendam a relacionar as ideias aditivas e subtrativas identificando a operação que resolve cada situação, os problemas podem ser apresentados oralmente, por escrito, por meio de figuras, em forma de jogos etc.
  • 29. •As atividades ou problemas oferecidos aos alunos devem levá-los a tomar consciência de que é possível prever mentalmente certos resultados de uma situação aditiva ou subtrativa, na procura de um total, de quantos faltam, do que resta, do quanto tem a mais etc. •No desenvolvimento das atividades é preciso dar oportunidade aos alunos de inventar ou experimentar estratégias pessoais, de elaborar novos processos para “calcular”, num contexto numérico que lhe seja familiar e, também, de validar os resultados encontrados.
  • 30. 2º ANO • A escrita aditiva ou subtrativa usual (como 3 + 5 = 8 ou 6 – 2 = 4) deve ser trabalhada no contexto da resolução de problemas para que a criança possa comunicar resultados. É assim que ela vai conferindo significado a esse tipo de registro. • A compreensão dos registros aditivos e subtrativos com os sinais usuais também pode ser favorecida quando o aluno recorre à composição e decomposição de quantidades. •As crianças que compõem e decompõem quantidades constroem também a habilidade de estimar resultados efetuando o cálculo mental com competência. •Um trabalho em malhas quadriculadas ou material cuisenaire pode ajudar o aluno a compor e a decompor quantidades, conferindo ao registro usual algum sentido, como nos exemplos da página 55.
  • 31. No início da aprendizagem das operações com números naturais, o trabalho que leva as crianças a identificarem as operações adequadas para resolver um problema e a darem significado para os sinais +, – e =, não se completa num único período letivo. As ideias se aperfeiçoam à medida que: • Os fatos fundamentais são memorizados; • Novas situações são oferecidas às crianças; • Aumenta a ordem de grandeza (tamanho) dos números envolvidos nas situações é aumentada; • As condições de pensamento das crianças evoluem, passando do período concreto operacional para o pré- formal.
  • 32. • No início, o apoio de material concreto(palitos, tampinhas, objetos escolares)é importante, assim como o apoio do ábaco de papel com material dourado. Igualmente importante é dar condições às crianças para que efetuem as ações concretas de agrupar, trocar, destrocar quantidades antes de registrá-las no caderno por meio dos algoritmos convencionais. • A utilização do ábaco para efetuar os cálculos antes de representá-los no caderno ajuda o aluno a compreender porque no algoritmo usual ele deve colocar unidade embaixo de unidade, dezena embaixo de dezena e assim por diante.
  • 33. AM 2º ANO (10 atividades)
  • 34. 3º ANO Se durante a aprendizagem os alunos já dominam os processos de agrupamentos e trocas no SND e os fatos fundamentais da adição, e iniciam o aprendizado do algoritmo da adição por meio do uso do ábaco de papel e material dourado (antes do registro), é conveniente que as adições com ou sem reserva (“vai 1”) sejam trabalhadas simultaneamente. Quanto ao aprendizado das técnicas operatórias usuais da subtração, valem as mesmas observações feitas para as da adição: a melhor maneira de iniciar este trabalho é partir das estratégias espontâneas dos alunos e de seus registros pessoais.
  • 35. “O termo emprestar é bastante inadequado, pois pede-se emprestado, mas não se paga o empréstimo feito. Além disso, o aluno que não compreende bem o processo de agrupamentos e trocas e só faz contas com lápis e papel, sem agir sobre materiais decontagem, não entende porque pede emprestado 1 e recebe 10.Quando se usa o termo “trocar”, no entanto, fica claro que sempre se troca uma nota de dinheiro por outras que, somadas, representam o mesmo valor da primeira.” Como dois e dois. A construção da matemática, de Marília Toledo e Mauro Toledo
  • 36. AM 3º ANO (29 atividades)
  • 37. 4º ANO e 5º ANO Quanto às operações, os significados já trabalhados no ciclo anterior deverão ser consolidados e novas situações precisam ser propostas com vistas à ampliação do conceito dessa operação. O segundo ciclo dever ter como característica geral o trabalho com atividades que permitam ao aluno progredir na construção de conceitos e procedimentos matemáticos. No entanto, esse ciclo não constitui um marco de terminalidade da aprendizagem desse conteúdo, o que significa que o trabalho com a subtração deverá ter continuidade, para que o aluno alcance novos patamares de conhecimento.
  • 38. AM 4º ANO (11 atividades)
  • 39. AM 5º ANO (05 atividades)
  • 40. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Brasília : MEC/SEF, 1997. MARÍLIA. Secretaria Municipal da Educação. Propostas Curriculares do 1º ao 5º ano: Matemática. São Paulo, 2013. NUNES, Terezinha et al. Educação Matemática 1: números e operações numéricas. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2009. TOLEDO, Marília Barros de Almeida; TOLEDO, Mauro de Almeida. Teoria e Prática da Matemática :como dois e dois. 1 ed. São Paulo : FTD, 2009. REVISTA NOVA ESCOLA GESTÃO ESCOLAR. As diversas lógicas da adição e da subtração. Edição 15, agosto/setembro 2011.em: http://gestaoescolar.abril.com.br/formacao/4o- modulo-diversas-logicas-adicao-subtracao-637419.shtml . Acesso em 08 ago. 2014. SÃO PAULO. Secretaria Estadual da Educação. Atividades Matemáticas da 1ª a 4ª série. São Paulo, CENP, 1998.