SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Baixar para ler offline
GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA
 SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO – SEDUC
REPRESENTAÇÃO DE ENSINO DE ROLIM DE MOURA
   E.E.E.F.M. CEL. ALUÍZIO PINHEIRO FERREIRA




             PLANO DE AÇÃO DA DIREÇÃO




             Rolim de Moura, novembro de 2011
NILDA TIGRE SOARES LOUZADA LOPES

                                             Diretora

                             AUSELI SCHERRER

                                        Vice-Diretora




PLANO DE AÇÃO DA DIREÇÃO




                 Este Plano de Ação faz parte do
                 Planejamento Escolar e visa à
                 orientação e direcionamento dos
                 trabalhos da Diretora e Vice-diretora
                 para o ano de 2012.




    Rolim de Moura
1. INTRODUÇÃO


       A origem etimológica de participação encontra-se em “participatio” do latim,
que significa “ter parte de ação”, o que torna necessário ter acesso ao agir, bem como às
decisões de orientam o agir (BENINCÁ, 1995). O significado de participação se
distância, portanto, de formas de organização do trabalho que separa, no tempo e no
espaço, quem toma as decisões de quem às executa. Diante dessas considerações, o
planejamento participativo é aquele que conduz à ação de forma refletida, pensada.
       Para que a gestão democrática seja vivenciada no cotidiano escolar, as relações
de poder precisam ser explicitadas e enfrentadas com o fim de superar a rigidez da
hierarquização e torná-las mais bem distribuídas entre a comunidade escolar,
valorizando a participação de cada indivíduo para dar autenticidade ao processo
democrático.




      2. JUSTIFICATIVA


       Planejamento Escolar é o planejamento global da escola, envolvendo o processo
de reflexão, de decisões sobre a organização, o funcionamento e a proposta pedagógica
da instituição. “É um processo de racionalização, organização e coordenação da ação
docente, articulando a atividade escolar e a problemática do contexto social”
(LIBÂNEO, 1993, p.221).
       Plano Escolar é onde são registrados os resultados do planejamento da educação
escolar. “É o documento mais global; expressa orientações gerais que sintetizam, de um
lado, as ligações do projeto pedagógico da escola com os planos de ensino propriamente
ditos”(LIBÂNEO, 1993, P. 225).
       Assim, o Plano de Ação Anual é um guia e tem a função de orientar a prática do
gestor (a) no cotidiano escolar.
3. OBJETIVOS


GERAIS


   Criar e implantar instrumentos de avaliação participativa envolvendo
     representantes de pais, alunos, professores e comunidade a fim de orientar
     propostas de melhoria da prática pedagógica;
   Aprimorar as ações da gestão participativa, envolvendo os órgãos colegiados no
     desenvolvimento do Projeto Político Pedagógico;
   Manter o planejamento pedagógico organizado, criando projetos inovadores que
     se constituirão com a participação da comunidade escolar;
   Realizar sistematicamente o acompanhamento das atividades pedagógicas;


ESPECÍFICOS


   Adotar instrumentos para registro do processo de avaliação participativa,
     propiciando a reflexão sobre os aspectos que precisam ser melhorados;
   Sistematizar os registros com vistas a reforçar ou aprimorar os processos de
     ensino e aprendizagem e monitorar a efetivação das decisões tomadas;
   Desenvolver colaborativamente projeto de preservação e manutenção do
     patrimônio escolar, definindo funções, cronograma e o monitoramento das ações
     realizadas pelos membros do Conselho Escolar;
   Realizar avaliação da prática do planejamento pedagógico, como requisito
     fundamental para a inovação pedagógica e sucesso dos processos de ensino e
     aprendizagem;
   Incorporar o processo de auto-avaliação às práticas cotidianas de todos os
     profissionais e setores da escola;
   Gerenciar com transparência os recursos recebidos dos governos estaduais e
     federais;
   Desenvolver estudos coletivos relacionados ao Conselho Escolar, Programas
     estadual e federal. (PROFIPES, PROAFI, PDDE,...)
   Desenvolver a implementação do Projeto Político Pedagógico;
   Divulgar o índice da escola-IDEB à comunidade escolar;
   Proporcionar condições que possibilitem o melhor rendimento escolar;
 Reduzir o índice de reprovação escolar e evasão do noturno;
    Apresentar o regimento escolar para os alunos e comunidade;
    Disponibilizar de maneira adequada os recursos didáticos que existem na escola.


   EIXOS ORGANIZADORES DO TRABALHO PEDAGÓGICO ESCOLAR



1.0 – PROPOSTA PEDAGÓGICA

       Sendo o professor mediador entre o conhecimento e os sujeitos, este deve
provocar a reflexão e a possibilidade de superação da ação pedagógica, pois os saberes
são constantemente articulados em relação a um contexto, de onde os indivíduos
envolvidos nesse processo podem caminhar para a transformação.
       Na perspectiva da formação da cidadania e da competência profissional, as
disciplinas têm como função a mediação dos conteúdos com a realidade social, sendo
fundamental a unidade entre todas as disciplinas do curso.
       A escola que almeja alcançar qualidade no trabalho, precisa desenvolver a
motivação com seus funcionários e alunos e ter um líder que acredite nas pessoas com
quem trabalha, pois somente com a ação efetiva delas é possível promover a
transformação desejada.
       Por uma educação de qualidade, onde todos os setores possuam uma relação de
interdependência, com um único propósito, trabalharmos para termos cidadãos críticos,
conscientes e politizados; conhecedores dos seus direitos de deveres. Interagindo alunos
+ funcionários + família = Escola Ideal.
       Os nossos alunos e clientes devem se sentir acolhido, respeitado. Sendo estes
conhecedores dos seus direitos e deveres, logo, respeitarão os que o servem.


       “Sonho que se sonha só. É só um sonho que se sonha só. Mas sonho que se
sonha junto é realidade”.
                                             Raul Seixas
2.0-A EDUCAÇÃO INCLUSIVA


       Implica a inserção de todos, sem distinção de condições lingüísticas, sensoriais
cognitivas, físicas emocionais, étnicas, socio-educacionais ou outras. Necessitam de
sistemas educacionais planejados e organizados que dêem conta da diversidade dos
alunos e ofereçam respostas adequadas às suas características e necessidades.
       A inclusão escolar constitui, portanto, uma proposta politicamente correta que
represente valores simbólicos importantes, condizentes com a igualdade de direitos e de
oportunidades educacionais para todos, em um ambiente educacional favorável,
independente do nível e forma de ensino que se encontre ou necessite. Impõe-se como
uma perspectiva o ser experimentado na realidade brasileiro. É um desafio a ser
enfrentado como condição essencial para atender à expectativa de democratização da
educação em nosso país e às aspirações de quantos que almejam desenvolvimento,
progresso e justiça social.
       A educação eficaz supõe um projeto pedagógico que enseje o acesso e a
permanência - com êxito - do aluno no ambiente escolar, que assume a diversidade dos
educandos de modo a contemplar as suas necessidades, potencialidades e talentos.
3.0                   - ÓRGÃOS DE GESTÃO:

3.1- CONSELHO ESCOLAR

       O Conselho Escolar é um órgão colegiado representativo da Comunidade
Escolar que mobiliza, opina, decide e acompanha a vida pedagógica, administrativa e
financeira da Escola.


3.2 - CONSELHOS DE CLASSE

        Ressignificar o conselho para que ele funcione na análise das condições de
ensino. Sua função social e escolar deverá estar condicionada a emissão de pareceres
sobre assuntos referentes ao processo ensino-aprendizagem, respondendo a consultas
feitas pelo Diretor e pela Equipe Pedagógica. Para isso propõe-se:

    Analisar as informações sobre os conteúdos curriculares, encaminhamento
       metodológico e processo de avaliação que afetem o rendimento escolar;
    Propor medidas que viabilizem um melhor aproveitamento escolar, tendo em
       vista o respeito à cultura do educando, integração e relacionamento com os
       alunos na classe;
    Acompanhar e aperfeiçoar o processo de aprendizagem dos alunos;
    Analisar os resultados da aprendizagem na relação com o desempenho da turma,
       com a organização dos conteúdos e o encaminhamento metodológico;
    Utilizar procedimentos que assegurem a comparação com parâmetros indicados
       pelos conteúdos necessários de ensino, enfocando a superação pessoal ao longo
       do processo educacional, evitando-se a comparação dos alunos entre si;
    Estabelecer planos viáveis de recuperação de estudos, em consonância com o
       plano ou programa de ensino desenvolvido;



3.3 - EQUIPE PEDAGÓGICA

       A Orientação, Supervisão são funções de todo o sistema educacional, atuando
independentes de níveis e setores.
       Os profissionais que ocupam estas funções devem estar conscientes,
responsabilizados e compromissados com a qualidade dos trabalhos da supervisão, ou
seja, concepção clara de seu campo de atuação, normas, objetivos, determinações de
papéis, estado de ânimo, relacionamento humano, comunicação, etc.
O funcionamento dos serviços de supervisão e coordenação educacionais e o uso
de estratégias de ação devem servir como fontes de comportamentos e condutas que
assegurem a concretização da função social da escola.



     - ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL

        Com o crescimento da escola, o Serviço de Orientação Educacional passou a
atender os alunos nos aspectos psico-social e pedagógico integrando-se efetivamente
enquanto equipe pedagógica.
       O objetivo maior, entretanto, é assegurar aos educandos um clima educacional
compatível à vida atual, tendo o serviço sofrido adaptações a fim de adequar seu
trabalho à atualidade.

     - SERVIÇO DE SUPERVISÃO

       Neste processo, o trabalho do profissional atuante na supervisão tem como
objeto a Proposta Pedagógica, e como ação fundamental a articulação, a socialização e a
construção dos diferentes saberes docentes, a rearticulação teórica e prática e, por
conseguinte, dos estruturantes e determinantes do currículo da escola e da consecução
do Projeto Político Pedagógico.



3.4– ALMOXARIFADO, XEROX

        São objetivos específicos desses setores:

a- Guardar e controlar o uso dos recursos materiais de ensino e o orientar o uso dos
mesmos;
b- Divulgar para os docentes o material existente, para uso dos mesmos.


3.5 – PROJETO ALVORADA

BIBLIOTECA

    A Biblioteca é de livre acesso a alunos, professores e funcionários;
    Catalogar o acervo existente em programa específico para uso em biblioteca;
    O funcionário estar apto a sugerir livros de acordo com a faixa etária dos alunos.
 Elaborar projeto e adequar o espaço para receber computadores novos através do
       PROINFO


LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA
    Manter o assessoramento nas aulas e a instalação de equipamentos de acordo com
       o agendamento;
    Implementar ainda mais oficinas de acordo com as necessidades dos professores;
    Adquirir peças de reposição para conservação dos equipamentos existentes;
    Garantir o atendimento por coordenadores treinados para tal função.


SALA DE MULTIMEIOS

    Garantir o atendimento e assessoramento nas aulas através da lotação de
       funcionário que agregue os conhecimentos necessários para isso.
    Catalogar e organizar o acervo existente;
    Manter os aparelhos instalados de acordo com o agendamento;
    Solicitar junto ao NTE ou o LIE treinamento para o funcionário lotado na
       função, a fim de garantir o pleno atendimento dos professores


LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS
    Garantir o atendimento e assessoramento nas aulas através da lotação de
       funcionário que agregue os conhecimentos necessários para isso.
    Catalogar e organizar os equipamentos e vidrarias existentes;
    Manter os aparelhos instalados de acordo com o agendamento;
    Solicitar junto à Representação de Ensino ou através de convênios com
       faculdades (por meio de estagiários) treinamento para o funcionário lotado na
       função, bem como aos professores a fim de garantir o pleno atendimento e
       utilização do ambiente e seus equipamentos.




3.6 – SALA DE ENSINO ESPECIAL
- Direcionar o atendimento.
- Possibilitar aos professores informações sobre as limitações de cada aluno especial.
- Propor atividades que possam auxiliar o professor no seu cotidiano.
3.7 – COZINHA
- Manter a limpeza, higiene, organização dos alimentos;
- Recepcionar os alunos com muita atenção;
- As áreas circundantes não devem oferecer condições de proliferação de insetos e
roedores, para tanto o lixo deve estar disposto adequadamente em recipientes com
tampas constituídos de material de fácil higiene de modo que não represente riscos de
contaminação.


3.6 – SECRETARIA
       A manutenção de um trabalho eficiente, dinâmico e racional, pela secretaria
escolar, capaz de fornecer no mínimo espaço de tempo qualquer informação ou
documentação solicitada, tanto pela comunidade interna quanto pela externa, possibilita
a concretização dos processos administrativos.

3.7 - GRÊMIO ESTUDANTIL (Formar)

       O Grêmio Estudantil, além da atuação em defesa de uma política estudantil e
social, deve participar ativamente dos processos decisórios do Estabelecimento.
4. CRONOGRAMA




             Atividades            Jan.   Fev. Mar. Abr. Mai. Jun. Jul. Ago. Set. Out. Nov. Dez.
Quadro de lotação dos funcionários
                                    X
Calendário Escolar                  X
Plano de Ação da Direção            X
Acompanhar o Planejamento
administrativo e Pedagógico.               X    X    X    X    X    X    X    X   X     X    X
Promover o processo de avaliação
participativa da Escola.                   X
Divulgação dos objetivos e
procedimentos da avaliação
participativa para a comunidade
escolar                                              X              X             X          X
Implementar o PPP                                              X    X
Monitorar o processo de ensino e
aprendizagem                               X    X    X    X    X    X    X    X   X     X    X
Desenvolver projetos de
preservação e manutenção do
patrimônio escolar.                        X    X    X    X    X
Reunião do Conselho Escolar                X                   X                  X
Apresentação do Regimento
escolar                                   X
Fazer Contrato Didático                   X
Avaliação diagnóstica                     X
Palestra de incentivo aos estudos-
noturno




         Obs: Os eventos serão desenvolvidos de acordo com a data do acontecimento.
5. AVALIAÇÃO

       “Para desenvolver uma cultura da avaliação os educadores e a escola necessitam
de praticar a avaliação e essa prática realimentará novos estudos e aprofundamentos de
tal modo que um novo entendimento e um novo modo de ser vai emergindo dentro de
um espaço escolar. O que vai dar suporte à mudança é a prática refletida, investigada.”
LUKESI, 2004.
       Enfrentar o desafio de construir uma gestão nos moldes democráticos, frente a
uma série de limites impostos pela forma como a sociedade está organizada, exigem dos
diferentes segmentos da escola (professores, diretores, supervisores, funcionários,
alunos e pais de alunos) a compreensão e a interpretação do sentido e do significado da
democracia.
       A gestão escolar e, consequentemente, a atuação e formação de seu gestor
enfrentam grandes desafios e mudanças. Uma nova educação está sendo construída no
interior das escolas, Estão sendo produzidos novos conhecimentos sobre o aprender e
sobre a sala de aula, assim como, também, há avanços teóricos e práticos da área da
administração educacional, compreendendo a política, o planejamento, a gestão e a
avaliação da educação.
       Queremos com este Plano de Ação atingir todas as propostas elencadas e dar
continuidade ao processo de uma educação de qualidade, formada por uma prática
democrática.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

BENINCÁ, E. As origens do planejamento participativo no Brasil. Revista Educação -
AEC, n. 26, jul./set. 1995.


LIBÂNEO, J. C. Organização e gestão escolar: teoria e prática. 4. ed. Goiânia:
Alternativa, 2001.


LUCKESI, Cipriano. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. São
Paulo: Cortez, 1997.


_________________ Prática docente e avaliação. Rio de Janeiro: ABT, 1990.


Revista Eletrônica Lato Sensu – Ano 3, nº1, março de 2008. ISSN 1980-6116
http://www.unicentro.br - Ciências Humanas


http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/diretor/trio-gestor-quem-faz-
531894.shtml


http://www.psicopedagogia.com.br/artigos/artigo.asp?entrID=878


http://revistaeducacao.uol.com.br/formacao-docente/167/profissao-articulador-escolar-
233504-1.asp
ANEXOS
PLANO DE AÇÃO DA EQUIPE PEDAGÓGICA / 2012


                    AÇÕES EM RELAÇÃO AOS ALUNOS


 Acompanhamento das turmas / alunos; Como? Fazer Contrato Didático no inicio
   do ano com todas as turmas com acompanhamento da supervisão e orientação.
 Avaliação diagnóstica; início do ano (o professor fará uma avaliação diagnóstica
   para identificar o que os alunos sabem e o que não sabem)
 Mutirão de leitura (alunos de turmas diferentes contando as histórias, Convidar
   contadores de histórias, encenar etc.)
 Acompanhamento do conselho de classe; (ficha).
 Palestra de incentivo aos estudos; (motivação).
 Atendimento a alunos com dificuldades de aprendizagem, com a sua inclusão no
   processo educativo; (reforço, diversificando as atividades, jogos, sala de
   multimeios, tentar parceria com a UNIR).
 Parceria com Promotoria Pública e Conselho Tutelar; (que venham instruir e
   elogiar).
 Acompanhamento e encaminhamento de casos especiais: indisciplinas, desvios
   comportamentais, problemas de aprendizagem; (psicólogos; palestras para os
   pais desses alunos para uma melhor orientação; se a família tiver condições
   sugerir colocar para a prática de algum esporte; buscar parceria com escolas
   esportivas).
 Acompanhamento do rendimento dos alunos, nos casos de baixo rendimento,
   procurar os pais ou responsáveis; (para que os mesmos possam nos ajudar em
   relação ao ensino aprendizagem).
 Solicitar a participação da família sempre que necessário;
 Ficha de acompanhamento do rendimento do aluno; (boletim)
 Atendimento a pequenos grupos; (quando necessário para que o processo ensino
   aprendizagem, tanto com pais ou com os alunos envolvidos).
 Registro de todos os acontecimentos na vida escolar do aluno;
 Participação nas mensagens / Reflexões; (momento cívico).
 Incentivo na participação de Projetos, gincanas, concurso, avaliação externas e
   internas; (no decorrer do ano letivo promover como incentivo, motivação,
   integração, participação e atividades diferenciadas).
 Prevenção e acompanhamento da evasão escolar; ( envolvendo os alunos nos
   eventos da escola) Rádio na escola- envolvendo os alunos do noturno.
 Acompanhamento das progressões parciais; (incentivos volta do bis da
   orientação, certificado para os alunos com bom rendimento).
 Leitura do informativo dos alunos, enfatizando os direitos e deveres, a
   consciência da liberdade, responsabilidade e respeito; (apresentação do
   regimento escolar para todos os alunos ; regras, normas = Contrato didático)
 Pensar em aulas de dissertação para os 3º anos do Ensino Médio; (parceria com
   as faculdades, sendo ministradas no sábado)


          AÇÕES/ ACOMPANHAMENTO DOS PROFESSORES


 Participar do processo de elaboração do planejamento escolar anual, bimestral e
   semanal;
 Acompanhamento e monitoramento da execução do planejamento do professor
   de acordo com as ações previstas no PDE;
 Subsidiar o planejamento o professor, trocas de experiências profissionais,
   reuniões bimestrais e grupos de estudo;
 Apoio       e   acompanhamento       dos   projetos,     concursos   a   atividades
   interdisciplinares;
 Identificar as dificuldades dos alunos e buscar soluções conjuntas para os
   mesmos;
 Utilizar os resultados das avaliações externas e internas para propor intervenções
   pedagógicas; (por exemplo: externa: uma saída com os alunos).
 Auxiliar o professor no uso dos materiais de apoio pedagógico;
 Leitura, análise e entendimento do Regimento Interno da escola através do
   informativo do professor;
 Auxiliar os professores na escolha e utilização dos procedimentos e recursos
   didáticos que melhor atendam os objetivos propostos.
 Apoio aos trabalhos da biblioteca.
 Buscar parcerias com as faculdades locais.
 Monitoramento das ações do PDE.
 Monitoramento das Atividades Práticas de Laboratório.
 Apoio e sugestões na equipagem do Laboratório.
 Disponibilizar de maneira adequada os recursos didáticos da escola. EX.
   Catalogar os vídeos, livros na biblioteca de acordo com a faixa etária, organizar
   os mapas (ciências e geografia), etc.
 Ficha de controle de provas e trabalhos dos alunos faltosos. (líder de sala entrega
   na orientação ou supervisão para as devidas providências)
 Propor o replanejamento das ações sempre que necessário.




        AÇÕES QUANTO A INTEGRAÇÃO FAMÍLIA / ESCOLA


 Apresentar á comunidade escolar o projeto Político Pedagógico, bem como os
   projetos a serem realizados no decorrer do ano letivo.
 Contribuir com o processo de integração escola, família e comunidade atuando
   como elemento facilitador da comunicação entre eles, com o objetivo de tornar
   efetiva a tarefa educativa.
 Organizar e realizar debates e palestras de temas de interesse e necessidade da
   comunidade escolar. (Psicólogo, médico, polícia, etc)
 Realizar plantão pedagógico sempre que necessário.
 Realizar bimestralmente reuniões junto aos pais, para análise e discussões dos
   resultados, na busca de novas propostas para a melhoria da aprendizagem.
 Proceder ao levantamento das manifestações culturais, sócio-econômicas e
   lingüísticas junto aos alunos e sua família.
 Promover momentos de integração entre a escola e família através das
   manifestações culturais. Ex: Mostra cultural, festival de música, festa junina,
   Gincanas, etc.
 Orientar os pais quanto a necessidade e importância no acompanhamento na vida
   escolar de seu filho. Ex: Realização de tarefas, trabalhos e também quanto ao
   hábito de estudo.
 Buscar sempre parcerias entre a escola e comunidade nos projetos e ações
   desenvolvidos pela escola. Ex: Gincanas, Eventos, etc.
 Promover através de reuniões do conselho escolar uma participação efetiva dos
   pais nas decisões.




              SUGESTÕES PARA O DECORRER DO ANO LETIVO


   Recreio; Jogos: xadrez, tênis de mesa, dama ...
   Gincanas;
   Inter-Classe : vários esportes.
   Apresentações das academias: Capoeira; Jiu-Jitsu; Karatê, Judô...( sugestões de
     parcerias).
   Dança;
   Teatro;
   Cada turma adotar um espaço da escola para cuidar;
   Colocar a nossa fonte em funcionamento;
   Criar um mural com indicações de livros;
   Palco?? A escola necessita de construir um palco para as apresentações.
   Conseguir um computador para a sala de vídeo;
   Linux?? Comprar a Licença do Windows para utilizar no lugar do Linux




                                       EVENTOS


   Dia do livro - abril
   Semana da Cidadania -
   Semana do Meio Ambiente - junho
   Festa junina – junho
   Aniversário da Escola - julho
   Dia do estudante – 11/08
   Semana da Pátria
   Desfile de 7 de Setembro
   Primavera - setembro
 Semana da criança - outubro
 Sarau – a decidir com os professores
 Consciência Negra - novembro
 Cantata Natalina - dezembro

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10
Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10
Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10QUEDMA SILVA
 
Plano de Trabalho Gestão 2014 / 2016
Plano de Trabalho Gestão 2014 / 2016Plano de Trabalho Gestão 2014 / 2016
Plano de Trabalho Gestão 2014 / 2016QUEDMA SILVA
 
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docxPLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docxssuser6c03a6
 
Coordenador Pedagógico
Coordenador PedagógicoCoordenador Pedagógico
Coordenador PedagógicoNailson Rocha
 
Pauta planejamento 2012 1º
Pauta planejamento 2012     1ºPauta planejamento 2012     1º
Pauta planejamento 2012 1ºNethy Marques
 
Síntese conselho de classe
Síntese conselho de classeSíntese conselho de classe
Síntese conselho de classevivianelima
 
Plano coordenção 2011
Plano coordenção 2011Plano coordenção 2011
Plano coordenção 2011dencia999
 
Plano de Ação - Gestão 2019-2021
Plano de Ação - Gestão 2019-2021 Plano de Ação - Gestão 2019-2021
Plano de Ação - Gestão 2019-2021 muni2014
 
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar LOCIMAR MASSALAI
 
Plano de Ação Pedagogo
Plano de Ação PedagogoPlano de Ação Pedagogo
Plano de Ação PedagogoCÉSAR TAVARES
 
PPP EC10 2018 publicado
PPP EC10 2018  publicadoPPP EC10 2018  publicado
PPP EC10 2018 publicadoQUEDMA SILVA
 
Adaptação curricular
Adaptação curricularAdaptação curricular
Adaptação curricularKaren Araki
 
PLANO DE GESTÃO ESCOLAR - Prof. Noe Assunção
PLANO DE GESTÃO ESCOLAR - Prof. Noe AssunçãoPLANO DE GESTÃO ESCOLAR - Prof. Noe Assunção
PLANO DE GESTÃO ESCOLAR - Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL I
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL IESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL I
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL IFábio Ribeiro Silva
 
Relatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolarRelatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolarMaryanne Monteiro
 
Reunião com equipe_gestora_emei
Reunião com equipe_gestora_emeiReunião com equipe_gestora_emei
Reunião com equipe_gestora_emeiRosemary Batista
 
Planejamento escolar
Planejamento escolarPlanejamento escolar
Planejamento escolarJoao Balbi
 

Mais procurados (20)

Plano de ação pedagógica 2009 anandreia
Plano de ação pedagógica 2009   anandreiaPlano de ação pedagógica 2009   anandreia
Plano de ação pedagógica 2009 anandreia
 
Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10
Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10
Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10
 
Plano de ação 2014 escola
Plano de ação 2014 escolaPlano de ação 2014 escola
Plano de ação 2014 escola
 
Plano de Trabalho Gestão 2014 / 2016
Plano de Trabalho Gestão 2014 / 2016Plano de Trabalho Gestão 2014 / 2016
Plano de Trabalho Gestão 2014 / 2016
 
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docxPLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
 
Coordenador Pedagógico
Coordenador PedagógicoCoordenador Pedagógico
Coordenador Pedagógico
 
Pauta planejamento 2012 1º
Pauta planejamento 2012     1ºPauta planejamento 2012     1º
Pauta planejamento 2012 1º
 
Síntese conselho de classe
Síntese conselho de classeSíntese conselho de classe
Síntese conselho de classe
 
Plano coordenção 2011
Plano coordenção 2011Plano coordenção 2011
Plano coordenção 2011
 
Plano de Ação - Gestão 2019-2021
Plano de Ação - Gestão 2019-2021 Plano de Ação - Gestão 2019-2021
Plano de Ação - Gestão 2019-2021
 
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
 
Plano de Ação Pedagogo
Plano de Ação PedagogoPlano de Ação Pedagogo
Plano de Ação Pedagogo
 
PPP EC10 2018 publicado
PPP EC10 2018  publicadoPPP EC10 2018  publicado
PPP EC10 2018 publicado
 
Adaptação curricular
Adaptação curricularAdaptação curricular
Adaptação curricular
 
PLANO DE GESTÃO ESCOLAR - Prof. Noe Assunção
PLANO DE GESTÃO ESCOLAR - Prof. Noe AssunçãoPLANO DE GESTÃO ESCOLAR - Prof. Noe Assunção
PLANO DE GESTÃO ESCOLAR - Prof. Noe Assunção
 
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL I
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL IESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL I
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL I
 
Relatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolarRelatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolar
 
Reunião com equipe_gestora_emei
Reunião com equipe_gestora_emeiReunião com equipe_gestora_emei
Reunião com equipe_gestora_emei
 
Plano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógicaPlano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógica
 
Planejamento escolar
Planejamento escolarPlanejamento escolar
Planejamento escolar
 

Destaque

Plano de ação - Modelo
Plano de ação - ModeloPlano de ação - Modelo
Plano de ação - ModeloDaniel Santos
 
Redes Sociais na Escola
Redes Sociais na Escola Redes Sociais na Escola
Redes Sociais na Escola SONIA BERTOCCHI
 
56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogica
56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogica56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogica
56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogicaEduardo Lopes
 
Sugestões metodológicas de Orientação Educacional
Sugestões metodológicas de Orientação EducacionalSugestões metodológicas de Orientação Educacional
Sugestões metodológicas de Orientação Educacionalsuelianeisaac
 
Plano de trabalho para Gestão Escolar
Plano de trabalho para Gestão EscolarPlano de trabalho para Gestão Escolar
Plano de trabalho para Gestão EscolarBelister Paulino
 
Ideias para a melhoria do IDEB
Ideias para a melhoria do IDEBIdeias para a melhoria do IDEB
Ideias para a melhoria do IDEBJorge Elarrat
 
Avaliação pedagógica 2011 de jundiaí
Avaliação pedagógica 2011 de jundiaíAvaliação pedagógica 2011 de jundiaí
Avaliação pedagógica 2011 de jundiaíMarisa Tomazzeto
 
Olhares sobre o Ideb
Olhares sobre o Ideb Olhares sobre o Ideb
Olhares sobre o Ideb Rubens Junior
 
Saberes e Praticas da Inclusão - Avaliação
Saberes e Praticas da Inclusão - AvaliaçãoSaberes e Praticas da Inclusão - Avaliação
Saberes e Praticas da Inclusão - Avaliaçãoasustecnologia
 

Destaque (20)

Metodologia de ensino
Metodologia de ensinoMetodologia de ensino
Metodologia de ensino
 
Escola: Aventura do Conhecimento!
Escola: Aventura do Conhecimento!Escola: Aventura do Conhecimento!
Escola: Aventura do Conhecimento!
 
O que você dá ao seu filho
O que você dá ao seu filhoO que você dá ao seu filho
O que você dá ao seu filho
 
Plano de trabalho em ed especial 2011 (relatório da demanda)
Plano de trabalho em ed especial   2011 (relatório da demanda)Plano de trabalho em ed especial   2011 (relatório da demanda)
Plano de trabalho em ed especial 2011 (relatório da demanda)
 
Custa Estudar?
Custa Estudar?Custa Estudar?
Custa Estudar?
 
Plano de ação - Modelo
Plano de ação - ModeloPlano de ação - Modelo
Plano de ação - Modelo
 
Redes Sociais na Escola
Redes Sociais na Escola Redes Sociais na Escola
Redes Sociais na Escola
 
Projeto Animais
Projeto AnimaisProjeto Animais
Projeto Animais
 
Plano de ação 2011
Plano de ação 2011Plano de ação 2011
Plano de ação 2011
 
Plano de ação
Plano de açãoPlano de ação
Plano de ação
 
56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogica
56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogica56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogica
56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogica
 
Sugestões metodológicas de Orientação Educacional
Sugestões metodológicas de Orientação EducacionalSugestões metodológicas de Orientação Educacional
Sugestões metodológicas de Orientação Educacional
 
Plano de trabalho para Gestão Escolar
Plano de trabalho para Gestão EscolarPlano de trabalho para Gestão Escolar
Plano de trabalho para Gestão Escolar
 
Ideias para a melhoria do IDEB
Ideias para a melhoria do IDEBIdeias para a melhoria do IDEB
Ideias para a melhoria do IDEB
 
Pauta 1
Pauta 1Pauta 1
Pauta 1
 
Pauta 3
Pauta 3Pauta 3
Pauta 3
 
Pauta 2
Pauta 2Pauta 2
Pauta 2
 
Avaliação pedagógica 2011 de jundiaí
Avaliação pedagógica 2011 de jundiaíAvaliação pedagógica 2011 de jundiaí
Avaliação pedagógica 2011 de jundiaí
 
Olhares sobre o Ideb
Olhares sobre o Ideb Olhares sobre o Ideb
Olhares sobre o Ideb
 
Saberes e Praticas da Inclusão - Avaliação
Saberes e Praticas da Inclusão - AvaliaçãoSaberes e Praticas da Inclusão - Avaliação
Saberes e Praticas da Inclusão - Avaliação
 

Semelhante a Plano de Ação da Direção Escolar

PROJETO INTERDISCIPLINAR SOBRE GESTÃO DEMOCRÁTICA
PROJETO INTERDISCIPLINAR SOBRE GESTÃO DEMOCRÁTICAPROJETO INTERDISCIPLINAR SOBRE GESTÃO DEMOCRÁTICA
PROJETO INTERDISCIPLINAR SOBRE GESTÃO DEMOCRÁTICALidia Carvalho
 
Plano Anual de Ação da Direção Escolar
Plano Anual de Ação da Direção Escolar Plano Anual de Ação da Direção Escolar
Plano Anual de Ação da Direção Escolar LOCIMAR MASSALAI
 
Modelo de proposta para trabalho pedagógico
Modelo de proposta para trabalho pedagógicoModelo de proposta para trabalho pedagógico
Modelo de proposta para trabalho pedagógicoElicio Lima
 
A Supervisão Escolar na Rede Municipal
A Supervisão Escolar na Rede MunicipalA Supervisão Escolar na Rede Municipal
A Supervisão Escolar na Rede MunicipalUlisses Vakirtzis
 
Organização e gestão da escola
Organização e gestão da escolaOrganização e gestão da escola
Organização e gestão da escolaUlisses Vakirtzis
 
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...aninhaw2
 
Atualizado formação continuada dos gestores na educação infantil
Atualizado  formação continuada dos gestores na educação infantilAtualizado  formação continuada dos gestores na educação infantil
Atualizado formação continuada dos gestores na educação infantilUAB -Polo de Primavera do Leste
 
Janete projeto do coordenador
Janete projeto do coordenadorJanete projeto do coordenador
Janete projeto do coordenadorNethy Marques
 
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01heder oliveira silva
 
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01heder oliveira silva
 
Atividade modulo ii respostas
Atividade modulo ii   respostasAtividade modulo ii   respostas
Atividade modulo ii respostasAndré Alencar
 
Atividade modulo ii respostas
Atividade modulo ii   respostasAtividade modulo ii   respostas
Atividade modulo ii respostasAndré Alencar
 

Semelhante a Plano de Ação da Direção Escolar (20)

PROJETO INTERDISCIPLINAR SOBRE GESTÃO DEMOCRÁTICA
PROJETO INTERDISCIPLINAR SOBRE GESTÃO DEMOCRÁTICAPROJETO INTERDISCIPLINAR SOBRE GESTÃO DEMOCRÁTICA
PROJETO INTERDISCIPLINAR SOBRE GESTÃO DEMOCRÁTICA
 
Plano Anual de Ação da Direção Escolar
Plano Anual de Ação da Direção Escolar Plano Anual de Ação da Direção Escolar
Plano Anual de Ação da Direção Escolar
 
Modelo de proposta para trabalho pedagógico
Modelo de proposta para trabalho pedagógicoModelo de proposta para trabalho pedagógico
Modelo de proposta para trabalho pedagógico
 
Plano pedagogo 2014
Plano pedagogo 2014Plano pedagogo 2014
Plano pedagogo 2014
 
Plano pedagogo 2014
Plano pedagogo 2014Plano pedagogo 2014
Plano pedagogo 2014
 
Grade curricular ensinomedia 1o 5o ano
Grade curricular ensinomedia 1o   5o anoGrade curricular ensinomedia 1o   5o ano
Grade curricular ensinomedia 1o 5o ano
 
ação supervisora
 ação supervisora ação supervisora
ação supervisora
 
Nilvânia Estagio 03.doc
Nilvânia Estagio 03.docNilvânia Estagio 03.doc
Nilvânia Estagio 03.doc
 
A Supervisão Escolar na Rede Municipal
A Supervisão Escolar na Rede MunicipalA Supervisão Escolar na Rede Municipal
A Supervisão Escolar na Rede Municipal
 
Organização e gestão da escola
Organização e gestão da escolaOrganização e gestão da escola
Organização e gestão da escola
 
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
 
Atualizado formação continuada dos gestores na educação infantil
Atualizado  formação continuada dos gestores na educação infantilAtualizado  formação continuada dos gestores na educação infantil
Atualizado formação continuada dos gestores na educação infantil
 
Sala ppp
Sala pppSala ppp
Sala ppp
 
Articulador Pedagógico
Articulador PedagógicoArticulador Pedagógico
Articulador Pedagógico
 
Janete projeto do coordenador
Janete projeto do coordenadorJanete projeto do coordenador
Janete projeto do coordenador
 
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01
 
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01
 
Atividade modulo ii respostas
Atividade modulo ii   respostasAtividade modulo ii   respostas
Atividade modulo ii respostas
 
Atividade modulo ii respostas
Atividade modulo ii   respostasAtividade modulo ii   respostas
Atividade modulo ii respostas
 
Proposta Pedagogica 2013
Proposta Pedagogica 2013Proposta Pedagogica 2013
Proposta Pedagogica 2013
 

Mais de Daniela F Almenara (20)

Trabalho mandalas
Trabalho mandalasTrabalho mandalas
Trabalho mandalas
 
Aec 9º-ano-1º-bim
Aec 9º-ano-1º-bimAec 9º-ano-1º-bim
Aec 9º-ano-1º-bim
 
Atividade em classe 1º bim 6º ano
Atividade em classe 1º bim 6º anoAtividade em classe 1º bim 6º ano
Atividade em classe 1º bim 6º ano
 
Atividade extraclasse 1º ano
Atividade extraclasse 1º anoAtividade extraclasse 1º ano
Atividade extraclasse 1º ano
 
Mandalas
MandalasMandalas
Mandalas
 
Mandalas
MandalasMandalas
Mandalas
 
Pg
PgPg
Pg
 
Função horária das posições
Função horária das posiçõesFunção horária das posições
Função horária das posições
 
Atividade de reforço algarismos romanos
Atividade de reforço algarismos romanosAtividade de reforço algarismos romanos
Atividade de reforço algarismos romanos
 
Dilatação térmica
Dilatação térmicaDilatação térmica
Dilatação térmica
 
6º ano-avaliação-diagnótica-2016
6º ano-avaliação-diagnótica-20166º ano-avaliação-diagnótica-2016
6º ano-avaliação-diagnótica-2016
 
Avaliação de diagnóstica 8º ano
Avaliação de diagnóstica 8º ano Avaliação de diagnóstica 8º ano
Avaliação de diagnóstica 8º ano
 
As formas geométricas espaciais
As formas geométricas espaciaisAs formas geométricas espaciais
As formas geométricas espaciais
 
2º atv em classe 2º bim 2014
2º atv em classe  2º bim 20142º atv em classe  2º bim 2014
2º atv em classe 2º bim 2014
 
Álbum 7º C
Álbum 7º CÁlbum 7º C
Álbum 7º C
 
Álbum 7º B
Álbum  7º BÁlbum  7º B
Álbum 7º B
 
Álbum 7º A
Álbum 7º  AÁlbum 7º  A
Álbum 7º A
 
Dilatação térmica dos líquidos
Dilatação térmica dos líquidosDilatação térmica dos líquidos
Dilatação térmica dos líquidos
 
Atividade extraclasse 2º ano
Atividade extraclasse 2º anoAtividade extraclasse 2º ano
Atividade extraclasse 2º ano
 
Aula 1 temperatura
Aula 1   temperaturaAula 1   temperatura
Aula 1 temperatura
 

Plano de Ação da Direção Escolar

  • 1. GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO – SEDUC REPRESENTAÇÃO DE ENSINO DE ROLIM DE MOURA E.E.E.F.M. CEL. ALUÍZIO PINHEIRO FERREIRA PLANO DE AÇÃO DA DIREÇÃO Rolim de Moura, novembro de 2011
  • 2. NILDA TIGRE SOARES LOUZADA LOPES Diretora AUSELI SCHERRER Vice-Diretora PLANO DE AÇÃO DA DIREÇÃO Este Plano de Ação faz parte do Planejamento Escolar e visa à orientação e direcionamento dos trabalhos da Diretora e Vice-diretora para o ano de 2012. Rolim de Moura
  • 3. 1. INTRODUÇÃO A origem etimológica de participação encontra-se em “participatio” do latim, que significa “ter parte de ação”, o que torna necessário ter acesso ao agir, bem como às decisões de orientam o agir (BENINCÁ, 1995). O significado de participação se distância, portanto, de formas de organização do trabalho que separa, no tempo e no espaço, quem toma as decisões de quem às executa. Diante dessas considerações, o planejamento participativo é aquele que conduz à ação de forma refletida, pensada. Para que a gestão democrática seja vivenciada no cotidiano escolar, as relações de poder precisam ser explicitadas e enfrentadas com o fim de superar a rigidez da hierarquização e torná-las mais bem distribuídas entre a comunidade escolar, valorizando a participação de cada indivíduo para dar autenticidade ao processo democrático. 2. JUSTIFICATIVA Planejamento Escolar é o planejamento global da escola, envolvendo o processo de reflexão, de decisões sobre a organização, o funcionamento e a proposta pedagógica da instituição. “É um processo de racionalização, organização e coordenação da ação docente, articulando a atividade escolar e a problemática do contexto social” (LIBÂNEO, 1993, p.221). Plano Escolar é onde são registrados os resultados do planejamento da educação escolar. “É o documento mais global; expressa orientações gerais que sintetizam, de um lado, as ligações do projeto pedagógico da escola com os planos de ensino propriamente ditos”(LIBÂNEO, 1993, P. 225). Assim, o Plano de Ação Anual é um guia e tem a função de orientar a prática do gestor (a) no cotidiano escolar.
  • 4. 3. OBJETIVOS GERAIS  Criar e implantar instrumentos de avaliação participativa envolvendo representantes de pais, alunos, professores e comunidade a fim de orientar propostas de melhoria da prática pedagógica;  Aprimorar as ações da gestão participativa, envolvendo os órgãos colegiados no desenvolvimento do Projeto Político Pedagógico;  Manter o planejamento pedagógico organizado, criando projetos inovadores que se constituirão com a participação da comunidade escolar;  Realizar sistematicamente o acompanhamento das atividades pedagógicas; ESPECÍFICOS  Adotar instrumentos para registro do processo de avaliação participativa, propiciando a reflexão sobre os aspectos que precisam ser melhorados;  Sistematizar os registros com vistas a reforçar ou aprimorar os processos de ensino e aprendizagem e monitorar a efetivação das decisões tomadas;  Desenvolver colaborativamente projeto de preservação e manutenção do patrimônio escolar, definindo funções, cronograma e o monitoramento das ações realizadas pelos membros do Conselho Escolar;  Realizar avaliação da prática do planejamento pedagógico, como requisito fundamental para a inovação pedagógica e sucesso dos processos de ensino e aprendizagem;  Incorporar o processo de auto-avaliação às práticas cotidianas de todos os profissionais e setores da escola;  Gerenciar com transparência os recursos recebidos dos governos estaduais e federais;  Desenvolver estudos coletivos relacionados ao Conselho Escolar, Programas estadual e federal. (PROFIPES, PROAFI, PDDE,...)  Desenvolver a implementação do Projeto Político Pedagógico;  Divulgar o índice da escola-IDEB à comunidade escolar;  Proporcionar condições que possibilitem o melhor rendimento escolar;
  • 5.  Reduzir o índice de reprovação escolar e evasão do noturno;  Apresentar o regimento escolar para os alunos e comunidade;  Disponibilizar de maneira adequada os recursos didáticos que existem na escola. EIXOS ORGANIZADORES DO TRABALHO PEDAGÓGICO ESCOLAR 1.0 – PROPOSTA PEDAGÓGICA Sendo o professor mediador entre o conhecimento e os sujeitos, este deve provocar a reflexão e a possibilidade de superação da ação pedagógica, pois os saberes são constantemente articulados em relação a um contexto, de onde os indivíduos envolvidos nesse processo podem caminhar para a transformação. Na perspectiva da formação da cidadania e da competência profissional, as disciplinas têm como função a mediação dos conteúdos com a realidade social, sendo fundamental a unidade entre todas as disciplinas do curso. A escola que almeja alcançar qualidade no trabalho, precisa desenvolver a motivação com seus funcionários e alunos e ter um líder que acredite nas pessoas com quem trabalha, pois somente com a ação efetiva delas é possível promover a transformação desejada. Por uma educação de qualidade, onde todos os setores possuam uma relação de interdependência, com um único propósito, trabalharmos para termos cidadãos críticos, conscientes e politizados; conhecedores dos seus direitos de deveres. Interagindo alunos + funcionários + família = Escola Ideal. Os nossos alunos e clientes devem se sentir acolhido, respeitado. Sendo estes conhecedores dos seus direitos e deveres, logo, respeitarão os que o servem. “Sonho que se sonha só. É só um sonho que se sonha só. Mas sonho que se sonha junto é realidade”. Raul Seixas
  • 6. 2.0-A EDUCAÇÃO INCLUSIVA Implica a inserção de todos, sem distinção de condições lingüísticas, sensoriais cognitivas, físicas emocionais, étnicas, socio-educacionais ou outras. Necessitam de sistemas educacionais planejados e organizados que dêem conta da diversidade dos alunos e ofereçam respostas adequadas às suas características e necessidades. A inclusão escolar constitui, portanto, uma proposta politicamente correta que represente valores simbólicos importantes, condizentes com a igualdade de direitos e de oportunidades educacionais para todos, em um ambiente educacional favorável, independente do nível e forma de ensino que se encontre ou necessite. Impõe-se como uma perspectiva o ser experimentado na realidade brasileiro. É um desafio a ser enfrentado como condição essencial para atender à expectativa de democratização da educação em nosso país e às aspirações de quantos que almejam desenvolvimento, progresso e justiça social. A educação eficaz supõe um projeto pedagógico que enseje o acesso e a permanência - com êxito - do aluno no ambiente escolar, que assume a diversidade dos educandos de modo a contemplar as suas necessidades, potencialidades e talentos.
  • 7. 3.0 - ÓRGÃOS DE GESTÃO: 3.1- CONSELHO ESCOLAR O Conselho Escolar é um órgão colegiado representativo da Comunidade Escolar que mobiliza, opina, decide e acompanha a vida pedagógica, administrativa e financeira da Escola. 3.2 - CONSELHOS DE CLASSE Ressignificar o conselho para que ele funcione na análise das condições de ensino. Sua função social e escolar deverá estar condicionada a emissão de pareceres sobre assuntos referentes ao processo ensino-aprendizagem, respondendo a consultas feitas pelo Diretor e pela Equipe Pedagógica. Para isso propõe-se:  Analisar as informações sobre os conteúdos curriculares, encaminhamento metodológico e processo de avaliação que afetem o rendimento escolar;  Propor medidas que viabilizem um melhor aproveitamento escolar, tendo em vista o respeito à cultura do educando, integração e relacionamento com os alunos na classe;  Acompanhar e aperfeiçoar o processo de aprendizagem dos alunos;  Analisar os resultados da aprendizagem na relação com o desempenho da turma, com a organização dos conteúdos e o encaminhamento metodológico;  Utilizar procedimentos que assegurem a comparação com parâmetros indicados pelos conteúdos necessários de ensino, enfocando a superação pessoal ao longo do processo educacional, evitando-se a comparação dos alunos entre si;  Estabelecer planos viáveis de recuperação de estudos, em consonância com o plano ou programa de ensino desenvolvido; 3.3 - EQUIPE PEDAGÓGICA A Orientação, Supervisão são funções de todo o sistema educacional, atuando independentes de níveis e setores. Os profissionais que ocupam estas funções devem estar conscientes, responsabilizados e compromissados com a qualidade dos trabalhos da supervisão, ou seja, concepção clara de seu campo de atuação, normas, objetivos, determinações de papéis, estado de ânimo, relacionamento humano, comunicação, etc.
  • 8. O funcionamento dos serviços de supervisão e coordenação educacionais e o uso de estratégias de ação devem servir como fontes de comportamentos e condutas que assegurem a concretização da função social da escola. - ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL Com o crescimento da escola, o Serviço de Orientação Educacional passou a atender os alunos nos aspectos psico-social e pedagógico integrando-se efetivamente enquanto equipe pedagógica. O objetivo maior, entretanto, é assegurar aos educandos um clima educacional compatível à vida atual, tendo o serviço sofrido adaptações a fim de adequar seu trabalho à atualidade. - SERVIÇO DE SUPERVISÃO Neste processo, o trabalho do profissional atuante na supervisão tem como objeto a Proposta Pedagógica, e como ação fundamental a articulação, a socialização e a construção dos diferentes saberes docentes, a rearticulação teórica e prática e, por conseguinte, dos estruturantes e determinantes do currículo da escola e da consecução do Projeto Político Pedagógico. 3.4– ALMOXARIFADO, XEROX São objetivos específicos desses setores: a- Guardar e controlar o uso dos recursos materiais de ensino e o orientar o uso dos mesmos; b- Divulgar para os docentes o material existente, para uso dos mesmos. 3.5 – PROJETO ALVORADA BIBLIOTECA  A Biblioteca é de livre acesso a alunos, professores e funcionários;  Catalogar o acervo existente em programa específico para uso em biblioteca;  O funcionário estar apto a sugerir livros de acordo com a faixa etária dos alunos.
  • 9.  Elaborar projeto e adequar o espaço para receber computadores novos através do PROINFO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA  Manter o assessoramento nas aulas e a instalação de equipamentos de acordo com o agendamento;  Implementar ainda mais oficinas de acordo com as necessidades dos professores;  Adquirir peças de reposição para conservação dos equipamentos existentes;  Garantir o atendimento por coordenadores treinados para tal função. SALA DE MULTIMEIOS  Garantir o atendimento e assessoramento nas aulas através da lotação de funcionário que agregue os conhecimentos necessários para isso.  Catalogar e organizar o acervo existente;  Manter os aparelhos instalados de acordo com o agendamento;  Solicitar junto ao NTE ou o LIE treinamento para o funcionário lotado na função, a fim de garantir o pleno atendimento dos professores LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS  Garantir o atendimento e assessoramento nas aulas através da lotação de funcionário que agregue os conhecimentos necessários para isso.  Catalogar e organizar os equipamentos e vidrarias existentes;  Manter os aparelhos instalados de acordo com o agendamento;  Solicitar junto à Representação de Ensino ou através de convênios com faculdades (por meio de estagiários) treinamento para o funcionário lotado na função, bem como aos professores a fim de garantir o pleno atendimento e utilização do ambiente e seus equipamentos. 3.6 – SALA DE ENSINO ESPECIAL - Direcionar o atendimento. - Possibilitar aos professores informações sobre as limitações de cada aluno especial. - Propor atividades que possam auxiliar o professor no seu cotidiano.
  • 10. 3.7 – COZINHA - Manter a limpeza, higiene, organização dos alimentos; - Recepcionar os alunos com muita atenção; - As áreas circundantes não devem oferecer condições de proliferação de insetos e roedores, para tanto o lixo deve estar disposto adequadamente em recipientes com tampas constituídos de material de fácil higiene de modo que não represente riscos de contaminação. 3.6 – SECRETARIA A manutenção de um trabalho eficiente, dinâmico e racional, pela secretaria escolar, capaz de fornecer no mínimo espaço de tempo qualquer informação ou documentação solicitada, tanto pela comunidade interna quanto pela externa, possibilita a concretização dos processos administrativos. 3.7 - GRÊMIO ESTUDANTIL (Formar) O Grêmio Estudantil, além da atuação em defesa de uma política estudantil e social, deve participar ativamente dos processos decisórios do Estabelecimento.
  • 11. 4. CRONOGRAMA Atividades Jan. Fev. Mar. Abr. Mai. Jun. Jul. Ago. Set. Out. Nov. Dez. Quadro de lotação dos funcionários X Calendário Escolar X Plano de Ação da Direção X Acompanhar o Planejamento administrativo e Pedagógico. X X X X X X X X X X X Promover o processo de avaliação participativa da Escola. X Divulgação dos objetivos e procedimentos da avaliação participativa para a comunidade escolar X X X X Implementar o PPP X X Monitorar o processo de ensino e aprendizagem X X X X X X X X X X X Desenvolver projetos de preservação e manutenção do patrimônio escolar. X X X X X Reunião do Conselho Escolar X X X Apresentação do Regimento escolar X Fazer Contrato Didático X Avaliação diagnóstica X Palestra de incentivo aos estudos- noturno Obs: Os eventos serão desenvolvidos de acordo com a data do acontecimento.
  • 12. 5. AVALIAÇÃO “Para desenvolver uma cultura da avaliação os educadores e a escola necessitam de praticar a avaliação e essa prática realimentará novos estudos e aprofundamentos de tal modo que um novo entendimento e um novo modo de ser vai emergindo dentro de um espaço escolar. O que vai dar suporte à mudança é a prática refletida, investigada.” LUKESI, 2004. Enfrentar o desafio de construir uma gestão nos moldes democráticos, frente a uma série de limites impostos pela forma como a sociedade está organizada, exigem dos diferentes segmentos da escola (professores, diretores, supervisores, funcionários, alunos e pais de alunos) a compreensão e a interpretação do sentido e do significado da democracia. A gestão escolar e, consequentemente, a atuação e formação de seu gestor enfrentam grandes desafios e mudanças. Uma nova educação está sendo construída no interior das escolas, Estão sendo produzidos novos conhecimentos sobre o aprender e sobre a sala de aula, assim como, também, há avanços teóricos e práticos da área da administração educacional, compreendendo a política, o planejamento, a gestão e a avaliação da educação. Queremos com este Plano de Ação atingir todas as propostas elencadas e dar continuidade ao processo de uma educação de qualidade, formada por uma prática democrática.
  • 13. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: BENINCÁ, E. As origens do planejamento participativo no Brasil. Revista Educação - AEC, n. 26, jul./set. 1995. LIBÂNEO, J. C. Organização e gestão escolar: teoria e prática. 4. ed. Goiânia: Alternativa, 2001. LUCKESI, Cipriano. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. São Paulo: Cortez, 1997. _________________ Prática docente e avaliação. Rio de Janeiro: ABT, 1990. Revista Eletrônica Lato Sensu – Ano 3, nº1, março de 2008. ISSN 1980-6116 http://www.unicentro.br - Ciências Humanas http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/diretor/trio-gestor-quem-faz- 531894.shtml http://www.psicopedagogia.com.br/artigos/artigo.asp?entrID=878 http://revistaeducacao.uol.com.br/formacao-docente/167/profissao-articulador-escolar- 233504-1.asp
  • 15. PLANO DE AÇÃO DA EQUIPE PEDAGÓGICA / 2012 AÇÕES EM RELAÇÃO AOS ALUNOS  Acompanhamento das turmas / alunos; Como? Fazer Contrato Didático no inicio do ano com todas as turmas com acompanhamento da supervisão e orientação.  Avaliação diagnóstica; início do ano (o professor fará uma avaliação diagnóstica para identificar o que os alunos sabem e o que não sabem)  Mutirão de leitura (alunos de turmas diferentes contando as histórias, Convidar contadores de histórias, encenar etc.)  Acompanhamento do conselho de classe; (ficha).  Palestra de incentivo aos estudos; (motivação).  Atendimento a alunos com dificuldades de aprendizagem, com a sua inclusão no processo educativo; (reforço, diversificando as atividades, jogos, sala de multimeios, tentar parceria com a UNIR).  Parceria com Promotoria Pública e Conselho Tutelar; (que venham instruir e elogiar).  Acompanhamento e encaminhamento de casos especiais: indisciplinas, desvios comportamentais, problemas de aprendizagem; (psicólogos; palestras para os pais desses alunos para uma melhor orientação; se a família tiver condições sugerir colocar para a prática de algum esporte; buscar parceria com escolas esportivas).  Acompanhamento do rendimento dos alunos, nos casos de baixo rendimento, procurar os pais ou responsáveis; (para que os mesmos possam nos ajudar em relação ao ensino aprendizagem).  Solicitar a participação da família sempre que necessário;  Ficha de acompanhamento do rendimento do aluno; (boletim)  Atendimento a pequenos grupos; (quando necessário para que o processo ensino aprendizagem, tanto com pais ou com os alunos envolvidos).  Registro de todos os acontecimentos na vida escolar do aluno;  Participação nas mensagens / Reflexões; (momento cívico).
  • 16.  Incentivo na participação de Projetos, gincanas, concurso, avaliação externas e internas; (no decorrer do ano letivo promover como incentivo, motivação, integração, participação e atividades diferenciadas).  Prevenção e acompanhamento da evasão escolar; ( envolvendo os alunos nos eventos da escola) Rádio na escola- envolvendo os alunos do noturno.  Acompanhamento das progressões parciais; (incentivos volta do bis da orientação, certificado para os alunos com bom rendimento).  Leitura do informativo dos alunos, enfatizando os direitos e deveres, a consciência da liberdade, responsabilidade e respeito; (apresentação do regimento escolar para todos os alunos ; regras, normas = Contrato didático)  Pensar em aulas de dissertação para os 3º anos do Ensino Médio; (parceria com as faculdades, sendo ministradas no sábado) AÇÕES/ ACOMPANHAMENTO DOS PROFESSORES  Participar do processo de elaboração do planejamento escolar anual, bimestral e semanal;  Acompanhamento e monitoramento da execução do planejamento do professor de acordo com as ações previstas no PDE;  Subsidiar o planejamento o professor, trocas de experiências profissionais, reuniões bimestrais e grupos de estudo;  Apoio e acompanhamento dos projetos, concursos a atividades interdisciplinares;  Identificar as dificuldades dos alunos e buscar soluções conjuntas para os mesmos;  Utilizar os resultados das avaliações externas e internas para propor intervenções pedagógicas; (por exemplo: externa: uma saída com os alunos).  Auxiliar o professor no uso dos materiais de apoio pedagógico;  Leitura, análise e entendimento do Regimento Interno da escola através do informativo do professor;  Auxiliar os professores na escolha e utilização dos procedimentos e recursos didáticos que melhor atendam os objetivos propostos.  Apoio aos trabalhos da biblioteca.  Buscar parcerias com as faculdades locais.
  • 17.  Monitoramento das ações do PDE.  Monitoramento das Atividades Práticas de Laboratório.  Apoio e sugestões na equipagem do Laboratório.  Disponibilizar de maneira adequada os recursos didáticos da escola. EX. Catalogar os vídeos, livros na biblioteca de acordo com a faixa etária, organizar os mapas (ciências e geografia), etc.  Ficha de controle de provas e trabalhos dos alunos faltosos. (líder de sala entrega na orientação ou supervisão para as devidas providências)  Propor o replanejamento das ações sempre que necessário. AÇÕES QUANTO A INTEGRAÇÃO FAMÍLIA / ESCOLA  Apresentar á comunidade escolar o projeto Político Pedagógico, bem como os projetos a serem realizados no decorrer do ano letivo.  Contribuir com o processo de integração escola, família e comunidade atuando como elemento facilitador da comunicação entre eles, com o objetivo de tornar efetiva a tarefa educativa.  Organizar e realizar debates e palestras de temas de interesse e necessidade da comunidade escolar. (Psicólogo, médico, polícia, etc)  Realizar plantão pedagógico sempre que necessário.  Realizar bimestralmente reuniões junto aos pais, para análise e discussões dos resultados, na busca de novas propostas para a melhoria da aprendizagem.  Proceder ao levantamento das manifestações culturais, sócio-econômicas e lingüísticas junto aos alunos e sua família.  Promover momentos de integração entre a escola e família através das manifestações culturais. Ex: Mostra cultural, festival de música, festa junina, Gincanas, etc.  Orientar os pais quanto a necessidade e importância no acompanhamento na vida escolar de seu filho. Ex: Realização de tarefas, trabalhos e também quanto ao hábito de estudo.  Buscar sempre parcerias entre a escola e comunidade nos projetos e ações desenvolvidos pela escola. Ex: Gincanas, Eventos, etc.
  • 18.  Promover através de reuniões do conselho escolar uma participação efetiva dos pais nas decisões. SUGESTÕES PARA O DECORRER DO ANO LETIVO  Recreio; Jogos: xadrez, tênis de mesa, dama ...  Gincanas;  Inter-Classe : vários esportes.  Apresentações das academias: Capoeira; Jiu-Jitsu; Karatê, Judô...( sugestões de parcerias).  Dança;  Teatro;  Cada turma adotar um espaço da escola para cuidar;  Colocar a nossa fonte em funcionamento;  Criar um mural com indicações de livros;  Palco?? A escola necessita de construir um palco para as apresentações.  Conseguir um computador para a sala de vídeo;  Linux?? Comprar a Licença do Windows para utilizar no lugar do Linux EVENTOS  Dia do livro - abril  Semana da Cidadania -  Semana do Meio Ambiente - junho  Festa junina – junho  Aniversário da Escola - julho  Dia do estudante – 11/08  Semana da Pátria  Desfile de 7 de Setembro  Primavera - setembro
  • 19.  Semana da criança - outubro  Sarau – a decidir com os professores  Consciência Negra - novembro  Cantata Natalina - dezembro