2º ano: Apostila 03 / Aula 14
Professor Claudio Henrique Ramos Sales
FILOSOFIA
 Aforismo: sentenças breves, carregadas de
significados, que tem como finalidade provocar o
interlocutor ou sugerir algo,...
 O mundo sensível é percebido pelos sentidos.
 Os sentidos nos enganam.
 Os objetos do mundo podem ser chamados de ente...
 Como já estudado em Platão, os objetos que se
apresentam diante de nossos sentidos nos
enganam, ocultando-nos seu verdad...
 Fenomenologia é o estudo da essência das coisas.

Origina-se do grego, composta por duas partes:
FENÔMENO: Aquilo que s...
Ciência que tem como objetivo descrever tudo aquilo que nos aparece (os
fenômenos)
 Não há separação entre a consciência ...
“Toda consciência é a consciência de alguma coisa”. Husserl
 Surgiu no século XIX com o pensador dinamarquês
Kierkegaard
 Emerge como movimento nas primeiras décadas do século
XX
...
• O mundo vivia a esperança de ser mais livre e
mais justo
• As guerras, a revolução sexual, o anseio de
liberdade dos pov...
•Passou a ser identificado
como um estilo de vida
 “Era de Ouro” do pós-
guerra – New Look
Forma de comportamento
contrá...
O homem nunca é entendido como uma entidade metafísica e abstrata
As raízes da existência humana…
EXISTÊNCIA CONSIDERADA E...
À medida que
experimenta-se novas
vivências redefine-se
o próprio pensamento
Significa que o homem primeiramente existe, ...
O homem é como ele quer que seja, como ele se concebe depois da existência,
como ele se deseja após este impulso para a ex...
"Sou eu, eu mesmo, tal
qual resultei de tudo,
Sou eu aqui em mim,
sou eu.
Quanto fui, quanto não
fui, tudo isso sou.
Quant...
Então, não há como prever qual atitude tomará o
homem nem quais valores irá seguir!
Não existe uma essência universal da...
Cristãos Ateus
Existência não tem
origem no nada, como para os ateus
Existência é predeterminada por uma
intencionalidade...
-
“O homem está condenado a ser livre”
- A universalidade do homem
é permanentemente construída.
- Qualquer escolha é uma
escolha ruim.
- Livre arbítrio - puniçã...
Jean-Paul
Sartre
Edmund Husserl Soren Kierkegaard Arthur Schopenhauer
Einstein nos esclarece como os cientistas abandonaram
esta crença:
• Heidegger demonstra a impropriedade da utilização do método
cartesiano no estudo das questões humanas, criando assim, um...
 A psicologia não pode mais explicar o homem como um ser
possuidor de um mecanismo psíquico determinado por forças
incons...
• A existência humana a partir de então não pode ser reduzida à
definição e classificação da substância orgânica que compõ...
 O Existencialismo surge como uma tomada de posição
de alguns pensadores frente ao cientificismo que se
desenvolvia na ép...
• Assim, o Existencialismo
declara a importância de se
levar em conta outros aspectos
da constituição do homem, além
daque...
A consciência sobre suas ações impõe ao indivíduo a responsabilidade sobre
suas escolhas, limitando seu livre arbítrio
“Qu...
Aula 15 - Liberdade e Responsabilidade - Fenomenologia e Existencialismo
Aula 15 - Liberdade e Responsabilidade - Fenomenologia e Existencialismo
Aula 15 - Liberdade e Responsabilidade - Fenomenologia e Existencialismo
Aula 15 - Liberdade e Responsabilidade - Fenomenologia e Existencialismo
Aula 15 - Liberdade e Responsabilidade - Fenomenologia e Existencialismo
Aula 15 - Liberdade e Responsabilidade - Fenomenologia e Existencialismo
Aula 15 - Liberdade e Responsabilidade - Fenomenologia e Existencialismo
Aula 15 - Liberdade e Responsabilidade - Fenomenologia e Existencialismo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula 15 - Liberdade e Responsabilidade - Fenomenologia e Existencialismo

1.239 visualizações

Publicada em

Aula 15 - Liberdade e Responsabilidade - Fenomenologia e Existencialismo

Não há separação entre a consciência e as coisas.

Toda consciência é consciência de alguma coisa. (consciência de...)

O mundo e todos os seus entes somente existem porque temos consciência deles.

Aquilo que não temos consciência não existe.

Eu sou consciente dela enquanto ela continua existindo fora de mim.

A consciência não cria os objetos do mundo e também não os percebe como exatamente são.

A consciência é intencional, ela permite que percebamos o significado das coisas.

A consciência opera a partir dos fenômenos que ela observa. Por isso, é importante “educar” a consciência a partir do método.

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.239
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
86
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 15 - Liberdade e Responsabilidade - Fenomenologia e Existencialismo

  1. 1. 2º ano: Apostila 03 / Aula 14 Professor Claudio Henrique Ramos Sales FILOSOFIA
  2. 2.  Aforismo: sentenças breves, carregadas de significados, que tem como finalidade provocar o interlocutor ou sugerir algo, em vez de apresentar-se uma ideia acabada. “O homem está condenado a ser livre.”  Sartre considera que o homem não é definível a priori, porque, para começar, ele não é nada. Cada ser humano só será alguma coisa mais tarde e, então, será aquilo que fizer de si mesmo.
  3. 3.  O mundo sensível é percebido pelos sentidos.  Os sentidos nos enganam.  Os objetos do mundo podem ser chamados de entes.  Os entes ocultam o ser, escondendo sua essência.  “Tudo que nos encontra, nos cerca, nos conduz, nos constrange, nos enfeitiça e nos preenche, nos exalta e nos decepciona." Heidegger
  4. 4.  Como já estudado em Platão, os objetos que se apresentam diante de nossos sentidos nos enganam, ocultando-nos seu verdadeiro sentido, sua essência. De acordo com essa concepção, os objetos que nos cercam, segundo Heidegger (1889 – 1976), podem ser caracterizados como entes.  Os entes ocultam o ser, a essência, aquilo que a coisa é. As coisas mudam, transformam-se; o ser é aquilo que permanece inalterado e estável, mesmo com o passar do tempo.
  5. 5.  Fenomenologia é o estudo da essência das coisas.  Origina-se do grego, composta por duas partes: FENÔMENO: Aquilo que se mostra, que aparece a nós. Aparece a nós primeiramente pelos sentidos. LOGIA: Capacidade de Refletir, um discurso esclarecedor.  A fenomenologia é uma atitude de reflexão do fenômeno que se mostra para nós, na relação que estabelecemos com os outros, no mundo.
  6. 6. Ciência que tem como objetivo descrever tudo aquilo que nos aparece (os fenômenos)  Não há separação entre a consciência e as coisas.  Toda consciência é consciência de alguma coisa. (consciência de...)  O mundo e todos os seus entes somente existem porque temos consciência deles.  Aquilo que não temos consciência não existe.  Eu sou consciente dela enquanto ela continua existindo fora de mim.  A consciência não cria os objetos do mundo e também não os percebe como exatamente são.  A consciência é intencional, ela permite que percebamos o significado das coisas.  A consciência opera a partir dos fenômenos que ela observa. Por isso, é importante “educar” a consciência a partir do método.
  7. 7. “Toda consciência é a consciência de alguma coisa”. Husserl
  8. 8.  Surgiu no século XIX com o pensador dinamarquês Kierkegaard  Emerge como movimento nas primeiras décadas do século XX  Guerras – eficácia, rapidez, destruição  Novo modo de vida – Revolução Russa  Crack da Bolsa – fome, pobreza, desemprego  CRISE (econômica, social, política, moral, religiosa...)
  9. 9. • O mundo vivia a esperança de ser mais livre e mais justo • As guerras, a revolução sexual, o anseio de liberdade dos povos – mobilização • A falta de crença – busca do sentido da existência • A Filosofia passa a incorporar as discussões – éticas, sociais...
  10. 10. •Passou a ser identificado como um estilo de vida  “Era de Ouro” do pós- guerra – New Look Forma de comportamento contrária aos padrões tradicionais
  11. 11. O homem nunca é entendido como uma entidade metafísica e abstrata As raízes da existência humana… EXISTÊNCIA CONSIDERADA EM SEU ASPECTO PARTICULAR, INDIVIDUAL E CONCRETO. •Nossa existência é regida por algo? ESSÊNCIA: PROPRIEDADES IMUTÁVEIS, FUNDAMENTAIS, •Por que existimos? •Existe alguma função em nossa existência? •Existe uma essência que rege a existência? •Formas de agir e pensar, que todos os seres humanos tem em comum? •Somos alguma coisa fixa ou somos uma metamorfose ambulante?
  12. 12. À medida que experimenta-se novas vivências redefine-se o próprio pensamento Significa que o homem primeiramente existe, se descobre, surge no mundo, e que só depois se define.  O homem de início não é nada, apenas posteriormente será alguma coisa, e será aquilo que fizer de si mesmo (a sede intelectual, tida como a alma para os clássicos)
  13. 13. O homem é como ele quer que seja, como ele se concebe depois da existência, como ele se deseja após este impulso para a existência. A existência é algo em aberto, sempre em mudança, e não há nenhum tipo de determinismo ou fatalismo. Funda a liberdade e a responsabilidade do homem, visto que esse existe sem que seu ser seja pré-definido.  Esta característica do ser é fruto da liberdade de eleição: LIVRE ARBÍTRIO
  14. 14. "Sou eu, eu mesmo, tal qual resultei de tudo, Sou eu aqui em mim, sou eu. Quanto fui, quanto não fui, tudo isso sou. Quanto quis, quanto não quis, tudo isso me forma.” Álvaro de Campos
  15. 15. Então, não há como prever qual atitude tomará o homem nem quais valores irá seguir! Não existe uma essência universal da humanidade, pois cada indivíduo se define através de sua existência, que é pessoal. Se o homem define sua essência a cada momento...
  16. 16. Cristãos Ateus Existência não tem origem no nada, como para os ateus Existência é predeterminada por uma intencionalidade/funcionalidade As pessoas são responsáveis pelas suas próprias ações O homem é um projecto em construção e o seu único juiz. Cada pessoa é aquilo em que se torna consoante aquilo que faz.  Algo origina essa existência, e esse algo é Deus.
  17. 17. - “O homem está condenado a ser livre”
  18. 18. - A universalidade do homem é permanentemente construída. - Qualquer escolha é uma escolha ruim. - Livre arbítrio - punição. - Regras sociais - tentativa de limitar as próprias escolhas – funcionalidade. - O soldado não deve questionar.
  19. 19. Jean-Paul Sartre
  20. 20. Edmund Husserl Soren Kierkegaard Arthur Schopenhauer
  21. 21. Einstein nos esclarece como os cientistas abandonaram esta crença:
  22. 22. • Heidegger demonstra a impropriedade da utilização do método cartesiano no estudo das questões humanas, criando assim, um novo paradigma. • Passa-se à investigação descritiva, analisando o sentido que o próprio indivíduo atribui aos fatos, buscando assim a sua compreensão.
  23. 23.  A psicologia não pode mais explicar o homem como um ser possuidor de um mecanismo psíquico determinado por forças inconscientes;  Resgata-se então não apenas sua singularidade e originalidade, mas acima de tudo sua individualidade.
  24. 24. • A existência humana a partir de então não pode ser reduzida à definição e classificação da substância orgânica que compõe o corpo do homem. •O Existencialismo não nega os fatores biológicos e sociais;
  25. 25.  O Existencialismo surge como uma tomada de posição de alguns pensadores frente ao cientificismo que se desenvolvia na época;
  26. 26. • Assim, o Existencialismo declara a importância de se levar em conta outros aspectos da constituição do homem, além daqueles considerados pela Ciência; •O homem não é um ser apenas dotado de racionalidade, de inteligência e de sensação.
  27. 27. A consciência sobre suas ações impõe ao indivíduo a responsabilidade sobre suas escolhas, limitando seu livre arbítrio “Quando você escolhe, toda a humanidade escolhe também” Aquilo que somos depende não somente de fatores físicos e biológicos, mas também é fruto do contexto sociocultural e histórico que vivemos. Além disso, nossas escolhas tem um peso grande ...

×