Velho do Restelo

52.897 visualizações

Publicada em

Análise do episódio do Velho do Restelo, "Os Lusíadas"

Publicada em: Educação
1 comentário
11 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
52.897
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.825
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
703
Comentários
1
Gostaram
11
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Velho do Restelo

  1. 1. Episódio do Velho do Restelo<br />Estrutura externa <br />– canto IV (94-104)<br />Estrutura interna <br /> - Reinado de D. Manuel<br /> - Após os preparativos <br /> da viagem<br /> - Despedida de Belém<br />
  2. 2. O episódio é constituído por duas partes: 1- apresentação da personagem ( est. 94) 11- discurso do Velho do Restelo (est. 95 a 104). <br />
  3. 3. 1- Caracterização do Velho do Restelo- a idade (&quot;velho&quot;), - o aspecto respeitável (&quot;aspeito venerando&quot;),-a atitude de descontentamento (&quot;meneando a cabeça, descontente&quot;), - a voz solene e audível (&quot;A voz pesada”) - a sabedoria resultante da experiência de vida (“Cumsaber de experiências feito; experto peito”)<br />
  4. 4. 11- Discurso do Velhoa) Primeira parte (est. 95-97) - condena o envolvimento do país na aventura dos descobrimentosb) Segunda parte (est. 98-101) - propõe uma alternativa à geração de Adão: o Norte de África. c)Terceira parte (est.102-104) - recorda figuras míticas do passado que representam a ambição<br />
  5. 5. a) Visão negativa dos descobrimentos Causas da aventura marítima« -&quot;vã cobiça&quot;, “glória de mandar”,&quot;vaidade&quot;, « - &quot;fraudulento gosto&quot;, “inquietação de alma”, “digna de infames vitupérios&quot; « - &quot;Fama&quot;, &quot;honra&quot;,“chamam-te ilustre, chamam-te subida&quot;, « - “chamam-te Fama e Glória soberana&quot; “Nomes com quem se o povo néscio engana&quot;.<br />
  6. 6. Consequências da aventura marítima: - mortes, perigos, tormentas, - crueldades, desamparo das famílias, - adultérios, desastres, - empobrecimento material, - destruição de fazendas e impérios.<br />
  7. 7. b) Razões para uma alternativa - religiosa (&quot;Se tu polaLei de Cristo só pelejas?&quot;), - material (&quot;Se terras e riquezas mais desejas?&quot;),- militar (&quot;Se queres por vitórias ser louvado?&quot;).Novas consequências maléficas - fortalecimento do inimigo (&quot;Deixas criar às portas o inimigo&quot;) - despovoamento e enfraquecimento do reino. <br />
  8. 8. c)- Exemplificação através de figuras míticas- o inventor da navegação à vela - &quot;o primeiro que, no mundo, / Nas ondas vela pôs em seco lenho!&quot;.- Prometeu, criador da espécie humana -&quot;Fogo que o mundo em armas acendeu”.- Os casos de Faetonte e Ícaro, “Não cometera o moço miserando e o grande arquitectorco filho”MALDITOS / SE ACABE O NOME E GLÓRIA<br />
  9. 9. Síntese do desejo desmedido de ultrapassar os limites:  “Nenhum cometimento alto e nefandoPor fogo, ferro, água, calma e frio, Deixa intentado a humana geração. Mísera sorte! Estranha condição!”  <br />
  10. 10. Simbologia do Velho do Restelo<br />
  11. 11. O que representa este Velho?- a voz do bom senso - contrária à viagem para a Índia - opção pela ligação à terra-mãe- voz do próprio Camões - o poeta humanista - o plano da sabedoria- tese (antítese) a que a epopeia se contrapõe - lealdade ao Rei e à pátria (amor da pátria) - procura de um ideal (Ilha dos Amores)<br />

×