SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
SUBSTANTIVAS relativas integrantes interrogativas indirectas infinitivas ADJECTIVAS relativas explicativas restrictivas ADVERBIAIS conjuncionais infinitivas gerundivas participiais condicionais causais finais temporais concessivas consecutivas comparativas condicionais causais finais etc.
ORAÇÕES SUBSTANTIVAS São as orações que exercem no período funções próprias do substantivo – função de sujeito, complemento directo, complemento indirecto, aposto, predicativo ou complemento determinativo.
1. RELATIVAS: são introduzidas por um pronome relativo. Exemplos: a) Encontrei quem desejava. b) Quem empresta pode perder algo. c) Direi quanto souber. d) Ele não é quem eu supunha
2. INTEGRANTES: são introduzidas por uma conjunção integrante. Exemplos: a) É conveniente que vás dar-lhe uma satisfação. b) Espero que atendas o meu pedido. c) A sua morte obstou a que partíssemos. d) Só tinha um desejo: que o filho se formasse. e) A verdade é que falaste muito bem. f) Tinhamos a certeza de que ele perdoaria a afronta
3. INTERROGATIVAS INDIRECTAS:  se envolvem sentido interrogativo, dependendo dum verbo que exprima pergunta ou desejo de saber. Podem ser introduzidas por um pronome interrogativo ou advérbio interrogativo e exercem, em relação às subordinantes, a função de sujeito ou de complemento directo.  Exemplos: a) Estou a perguntar quantos anos tens. b) Queria saber se ele já chegou. c) A criada procurou saber quanto custavam as maçãs.
4. INFINITIVAS: se têm o verbo no infinitivo pessoal,  com sujeito próprio. Exemplos: a) Importa vivermos honestamente. b) Esse facto deve-se a teres-te distraído. c) O resultado foi termos de vir a pé. d) Tive uma ideia: irmos expor o caso ao comandante. e) O facto de falares francês não justifica a tua atitude.
ORAÇÕES ADJECTIVAS São todas as orações relativas que equivalem a adjectivos (ou seja, que têm o valor de atributos). Todas as orações adjectivas são relativas, quer sejam  introduzidas por pronomes relativos, quer por advérbios relativos.
1. EXPLICATIVAS: se exprimem uma qualidade acessória, podendo ser eliminadas sem prejudicar o sentido da oração subordinante. Devem vir sempre separadas por vírgulas. Exemplos: a) Abracei o meu pai, que já não via há anos. b) A nossa pátria, que é uma espécie de segunda mãe, tudo  merece.
2. RESTRICTIVAS: se restringem a significação do antecedente. A sua eliminação prejudicaria, por isso, o sentido da oração subordinante. Não se separam por vírgulas. Exemplos: a) Uma rapariga que seja honesta não procede assim. b) A casa onde nasci foi demolida. c) Vou a casa do homem de quem te falei.
ORAÇÕES ADVERBIAIS São orações que exprimem circunstâncias várias em relação às afirmações contidas nas suas subordinantes – circunstâncias  de tempo, de fim, de causa... Exercem, por conseguinte, uma função adverbial.
CONDICIONAIS Exemplos: a) Só não irei à praia se chover. b) Caso não apanhe o comboio, regressarei a casa. c) Irei falar ao director, salvo se ele não me atender. d) Desde que queiras, consegui-lo-ás.
CAUSAIS Exemplos: a) Fui, porque quis. b) Descobri-lhe o segredo, tanto mais que ele era meu filho. c) Uma vez que foste desobediente, castigar-te-ei. d) Como não vou ao teatro, posso ajudar-te. e) Não saias, que está a chover.
FINAIS Exemplos: a) Para que ele não me apanhasse, segui por atalhos. b) Estuda, meu filho, a fim de que venhas a ser alguém. c) Tem cautela, que não tropeces nas pedras.
TEMPORAIS Exemplos: a) Quando aqui passares, bate-me à porta. b) Apenas acordei, ouvi cantar os melros. c) Hoje, que tenho de sair, é que chove. d) Lembro-me desse episódio, todas as vezes que passo na ponte. e) Depois que partiste, senti uma saudade imensa. f) Estarei aqui até que batam as 9 horas da noite.
CONCESSIVAS Exemplos: a) Não irei ao cinema, ainda que vós vades todos. b) Por muito bons que sejamos, podemos sempre ser melhores. c) O ministro não compareceu, se bem que tenha sido convidado. d) Conquanto me tivesse preparado, não consegui vencê-lo. e) Nós não tínhamos coragem; mas, que a tivéssemos, nunca o faríamos. f) Se não estive presente, ao menos fiz-me representar.
CONSECUTIVAS Exemplos: a) Tanto pedi, que acabou por me atender. b) A velhinha chorava (tanto) que metia pena. c) Respondeu de tal maneira que lhe concederam uma distinção.
COMPARATIVAS Exemplos: a) Sou mais amigo dele do que tu és. b) Temos de proceder como mandam as normas. c) Quanto mais praticares tanto menos dificuldades acharás. d) Assim como vemos, assim faremos. e) Qual é o cão, tal é o dono.
CONDICIONAIS Exemplos: a) Estudando, o exame parecer-te-à fácil. b) A trabalhares assim a obra não ficará concluída hoje. c) Não teremos férias no caso de ficares reprovado.
CAUSAIS Exemplos: a) Por seres indolente somos todos castigados. b) Não vim mais cedo em virtude de estar a chover. c) Vendo que ele demorava fui ao seu encontro.
FINAIS Exemplos: a) Saí mais cedo para ele não me ver. b) A fim de poderes estudar quantos sacrifícios não faço.
TEMPORAIS Exemplos: a) Ao soar o tiro todos fugiram. b) Ficarei aqui até completares o exercício. c) Em chegando o comboio ide esperar o tio. d) Ditas estas palavras todos foram abraçá-lo.
CONCESSIVAS Exemplos: a) Não quiseste seguir os meus conselhos sendo eu tão experiente. b) Apesar de todos o escarnecerem ele não desistiu. c) O meu irmão sem lho ter revelado descobriu-o.
CONSECUTIVAS Exemplos: ,[object Object],[object Object],b) A mala é demasiado pequena para nela caberem todos os livros.
COMPARATIVAS N.B.: Não possuem a forma participial, gerundiva ou  infinitiva.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Orações subordinadas adjetivas
Orações subordinadas adjetivasOrações subordinadas adjetivas
Orações subordinadas adjetivas
 
Revisão6 concordância e problemas notacionais
Revisão6 concordância  e problemas notacionaisRevisão6 concordância  e problemas notacionais
Revisão6 concordância e problemas notacionais
 
Aula 11 2016 problemas notacionais
Aula 11 2016 problemas notacionaisAula 11 2016 problemas notacionais
Aula 11 2016 problemas notacionais
 
O uso da crase
O uso da craseO uso da crase
O uso da crase
 
Or278200918405
Or278200918405Or278200918405
Or278200918405
 
Orações subordinadas adjetivas 2014
Orações subordinadas adjetivas 2014Orações subordinadas adjetivas 2014
Orações subordinadas adjetivas 2014
 
Uso da crase
Uso da crase Uso da crase
Uso da crase
 
Curso de português erros mais comuns - aula 3
Curso de português   erros mais comuns - aula 3Curso de português   erros mais comuns - aula 3
Curso de português erros mais comuns - aula 3
 
Usando a crase
Usando a craseUsando a crase
Usando a crase
 
Questões comentadas de crase
Questões comentadas de craseQuestões comentadas de crase
Questões comentadas de crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Exercícios de regência
Exercícios de regênciaExercícios de regência
Exercícios de regência
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
 
USO DA CRASE
USO DA CRASEUSO DA CRASE
USO DA CRASE
 
Crase
Crase Crase
Crase
 
Regnciaverbal 090704150622-phpapp01
Regnciaverbal 090704150622-phpapp01Regnciaverbal 090704150622-phpapp01
Regnciaverbal 090704150622-phpapp01
 
Aula 4 crase
Aula 4   craseAula 4   crase
Aula 4 crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Trabalho da deza
Trabalho da dezaTrabalho da deza
Trabalho da deza
 

Destaque

OraçOes Coordenadas Ppt
OraçOes Coordenadas PptOraçOes Coordenadas Ppt
OraçOes Coordenadas Pptguest6e3949
 
Frase complexa exercícios
Frase  complexa  exercíciosFrase  complexa  exercícios
Frase complexa exercíciosamelia1969
 
Orações coordenadas e subordinadas exercícios vi (blog9 10-11)
Orações coordenadas e subordinadas   exercícios vi (blog9 10-11)Orações coordenadas e subordinadas   exercícios vi (blog9 10-11)
Orações coordenadas e subordinadas exercícios vi (blog9 10-11)airpereira
 
Slide Orações Subordinadas
Slide Orações SubordinadasSlide Orações Subordinadas
Slide Orações SubordinadasJomari
 
Exercícios de frases simples e complexas ou compostas
Exercícios de frases simples e complexas ou compostasExercícios de frases simples e complexas ou compostas
Exercícios de frases simples e complexas ou compostasProfmaria
 
Frase simple e complexa
Frase simple e complexaFrase simple e complexa
Frase simple e complexaIga Almeida
 
8ª SéRie - Novo Slide Sobre Orações Subordinadas Substantivas.
8ª SéRie - Novo Slide Sobre Orações Subordinadas Substantivas.8ª SéRie - Novo Slide Sobre Orações Subordinadas Substantivas.
8ª SéRie - Novo Slide Sobre Orações Subordinadas Substantivas.Marcos Emídio
 
ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS
ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVASORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS
ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVASAngela Santos
 

Destaque (14)

Frases complexas
Frases complexasFrases complexas
Frases complexas
 
OraçOes Coordenadas Ppt
OraçOes Coordenadas PptOraçOes Coordenadas Ppt
OraçOes Coordenadas Ppt
 
Frase complexa
Frase complexaFrase complexa
Frase complexa
 
Frase complexa exercícios
Frase  complexa  exercíciosFrase  complexa  exercícios
Frase complexa exercícios
 
Orações coordenadas e subordinadas exercícios vi (blog9 10-11)
Orações coordenadas e subordinadas   exercícios vi (blog9 10-11)Orações coordenadas e subordinadas   exercícios vi (blog9 10-11)
Orações coordenadas e subordinadas exercícios vi (blog9 10-11)
 
Slide Orações Subordinadas
Slide Orações SubordinadasSlide Orações Subordinadas
Slide Orações Subordinadas
 
Exercícios de frases simples e complexas ou compostas
Exercícios de frases simples e complexas ou compostasExercícios de frases simples e complexas ou compostas
Exercícios de frases simples e complexas ou compostas
 
Frase simple e complexa
Frase simple e complexaFrase simple e complexa
Frase simple e complexa
 
Frase Simples. Frase Complexa
Frase Simples. Frase ComplexaFrase Simples. Frase Complexa
Frase Simples. Frase Complexa
 
8ª SéRie - Novo Slide Sobre Orações Subordinadas Substantivas.
8ª SéRie - Novo Slide Sobre Orações Subordinadas Substantivas.8ª SéRie - Novo Slide Sobre Orações Subordinadas Substantivas.
8ª SéRie - Novo Slide Sobre Orações Subordinadas Substantivas.
 
Frase complexa
Frase complexaFrase complexa
Frase complexa
 
OraçõEs
OraçõEsOraçõEs
OraçõEs
 
ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS
ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVASORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS
ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS
 
Oracoes subordinadas
Oracoes subordinadasOracoes subordinadas
Oracoes subordinadas
 

Semelhante a Subordinação

Apresentação para décimo primeiro ano, aula 51
Apresentação para décimo primeiro ano, aula 51Apresentação para décimo primeiro ano, aula 51
Apresentação para décimo primeiro ano, aula 51luisprista
 
baladodosdescritores-1-230529005437-85d1c931_(1).pdf
baladodosdescritores-1-230529005437-85d1c931_(1).pdfbaladodosdescritores-1-230529005437-85d1c931_(1).pdf
baladodosdescritores-1-230529005437-85d1c931_(1).pdfjosevalpaixaovieira
 
BALADAO-DOS-DESCRITORES (1).pptx
BALADAO-DOS-DESCRITORES (1).pptxBALADAO-DOS-DESCRITORES (1).pptx
BALADAO-DOS-DESCRITORES (1).pptxBIBIANAFERREIRA6
 
baladao-dos-descritores1-221108194710-4ebe0ff9 (1).pptx
baladao-dos-descritores1-221108194710-4ebe0ff9 (1).pptxbaladao-dos-descritores1-221108194710-4ebe0ff9 (1).pptx
baladao-dos-descritores1-221108194710-4ebe0ff9 (1).pptxBEATRIZDELDOTTODIASD
 
Conteúdos gramaticais revisões_funções sintáticas e orações
Conteúdos gramaticais revisões_funções sintáticas e oraçõesConteúdos gramaticais revisões_funções sintáticas e orações
Conteúdos gramaticais revisões_funções sintáticas e oraçõesGuidaQuaresma
 
Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_07_e_08
Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_07_e_08Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_07_e_08
Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_07_e_08Josafat Junior
 
7ano 2bim_gramatica_
7ano 2bim_gramatica_7ano 2bim_gramatica_
7ano 2bim_gramatica_Nivea Neves
 
Aula 14 concordância nominal i
Aula 14   concordância nominal iAula 14   concordância nominal i
Aula 14 concordância nominal iJonatas Carlos
 
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 27
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 27Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 27
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 27luisprista
 
Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_05
Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_05Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_05
Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_05Josafat Junior
 
Inglês aula 03 - past to be and past continuous
Inglês   aula 03 - past to be and past continuousInglês   aula 03 - past to be and past continuous
Inglês aula 03 - past to be and past continuousJairo Caetano
 
Sidney lingua portuguesa_regencia
Sidney lingua portuguesa_regenciaSidney lingua portuguesa_regencia
Sidney lingua portuguesa_regenciaKualo Kala
 
Aula 16
Aula 16Aula 16
Aula 16gsbq
 
ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 51 52
ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 51 52ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 51 52
ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 51 52luisprista
 
ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 51 52
ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 51 52ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 51 52
ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 51 52luisprista
 
Concurso ao Curso de Formação de Soldados Fuzileiros Navais Turmas I e II/2017
Concurso ao Curso de Formação de Soldados Fuzileiros Navais Turmas I e II/2017Concurso ao Curso de Formação de Soldados Fuzileiros Navais Turmas I e II/2017
Concurso ao Curso de Formação de Soldados Fuzileiros Navais Turmas I e II/2017ArenadaMatemgica
 

Semelhante a Subordinação (19)

Apresentação para décimo primeiro ano, aula 51
Apresentação para décimo primeiro ano, aula 51Apresentação para décimo primeiro ano, aula 51
Apresentação para décimo primeiro ano, aula 51
 
BALADÃO DOS DESCRITORES-1.pptx
BALADÃO DOS DESCRITORES-1.pptxBALADÃO DOS DESCRITORES-1.pptx
BALADÃO DOS DESCRITORES-1.pptx
 
BALADÃO DOS DESCRITORES-1.pptx
BALADÃO DOS DESCRITORES-1.pptxBALADÃO DOS DESCRITORES-1.pptx
BALADÃO DOS DESCRITORES-1.pptx
 
baladodosdescritores-1-230529005437-85d1c931_(1).pdf
baladodosdescritores-1-230529005437-85d1c931_(1).pdfbaladodosdescritores-1-230529005437-85d1c931_(1).pdf
baladodosdescritores-1-230529005437-85d1c931_(1).pdf
 
BALADAO-DOS-DESCRITORES (1).pptx
BALADAO-DOS-DESCRITORES (1).pptxBALADAO-DOS-DESCRITORES (1).pptx
BALADAO-DOS-DESCRITORES (1).pptx
 
baladao-dos-descritores1-221108194710-4ebe0ff9 (1).pptx
baladao-dos-descritores1-221108194710-4ebe0ff9 (1).pptxbaladao-dos-descritores1-221108194710-4ebe0ff9 (1).pptx
baladao-dos-descritores1-221108194710-4ebe0ff9 (1).pptx
 
Conteúdos gramaticais revisões_funções sintáticas e orações
Conteúdos gramaticais revisões_funções sintáticas e oraçõesConteúdos gramaticais revisões_funções sintáticas e orações
Conteúdos gramaticais revisões_funções sintáticas e orações
 
Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_07_e_08
Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_07_e_08Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_07_e_08
Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_07_e_08
 
7ano 2bim_gramatica_
7ano 2bim_gramatica_7ano 2bim_gramatica_
7ano 2bim_gramatica_
 
Aula 14 concordância nominal i
Aula 14   concordância nominal iAula 14   concordância nominal i
Aula 14 concordância nominal i
 
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 27
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 27Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 27
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 27
 
Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_05
Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_05Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_05
Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_05
 
Inglês aula 03 - past to be and past continuous
Inglês   aula 03 - past to be and past continuousInglês   aula 03 - past to be and past continuous
Inglês aula 03 - past to be and past continuous
 
ortografia
 ortografia ortografia
ortografia
 
Sidney lingua portuguesa_regencia
Sidney lingua portuguesa_regenciaSidney lingua portuguesa_regencia
Sidney lingua portuguesa_regencia
 
Aula 16
Aula 16Aula 16
Aula 16
 
ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 51 52
ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 51 52ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 51 52
ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 51 52
 
ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 51 52
ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 51 52ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 51 52
ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 51 52
 
Concurso ao Curso de Formação de Soldados Fuzileiros Navais Turmas I e II/2017
Concurso ao Curso de Formação de Soldados Fuzileiros Navais Turmas I e II/2017Concurso ao Curso de Formação de Soldados Fuzileiros Navais Turmas I e II/2017
Concurso ao Curso de Formação de Soldados Fuzileiros Navais Turmas I e II/2017
 

Mais de nelsonalves70

Frei Luis de Sousa - Estrutura Clássica
Frei Luis de Sousa - Estrutura ClássicaFrei Luis de Sousa - Estrutura Clássica
Frei Luis de Sousa - Estrutura Clássicanelsonalves70
 
Frei Luís de Sousa - Classificação.
Frei Luís de Sousa - Classificação.Frei Luís de Sousa - Classificação.
Frei Luís de Sousa - Classificação.nelsonalves70
 
Frei Luís de Sousa - Tempo
Frei Luís de Sousa - TempoFrei Luís de Sousa - Tempo
Frei Luís de Sousa - Temponelsonalves70
 
O Mito do Quinto Império
O Mito do Quinto ImpérioO Mito do Quinto Império
O Mito do Quinto Impérionelsonalves70
 
Categorias Narrativa
Categorias NarrativaCategorias Narrativa
Categorias Narrativanelsonalves70
 
A Expressividade dos Vários Narradores, Memorial
A Expressividade dos Vários Narradores, MemorialA Expressividade dos Vários Narradores, Memorial
A Expressividade dos Vários Narradores, Memorialnelsonalves70
 
Modos de Representação da Narrativa
Modos de Representação da NarrativaModos de Representação da Narrativa
Modos de Representação da Narrativanelsonalves70
 
Mecanismos de Coesão
Mecanismos de CoesãoMecanismos de Coesão
Mecanismos de Coesãonelsonalves70
 
Relação entre as palavras
Relação entre as palavrasRelação entre as palavras
Relação entre as palavrasnelsonalves70
 
Mecanismos de Coesão (Esquema)
Mecanismos de Coesão (Esquema)Mecanismos de Coesão (Esquema)
Mecanismos de Coesão (Esquema)nelsonalves70
 
Mecanismos de Coesão
Mecanismos de CoesãoMecanismos de Coesão
Mecanismos de Coesãonelsonalves70
 
Proposição d' "Os Lusíadas"
Proposição d' "Os Lusíadas"Proposição d' "Os Lusíadas"
Proposição d' "Os Lusíadas"nelsonalves70
 
Protótipos Textuais
Protótipos TextuaisProtótipos Textuais
Protótipos Textuaisnelsonalves70
 

Mais de nelsonalves70 (19)

Os Maias - Análise
Os Maias - AnáliseOs Maias - Análise
Os Maias - Análise
 
Frei Luis de Sousa - Estrutura Clássica
Frei Luis de Sousa - Estrutura ClássicaFrei Luis de Sousa - Estrutura Clássica
Frei Luis de Sousa - Estrutura Clássica
 
Frei Luís de Sousa - Classificação.
Frei Luís de Sousa - Classificação.Frei Luís de Sousa - Classificação.
Frei Luís de Sousa - Classificação.
 
Frei Luís de Sousa - Tempo
Frei Luís de Sousa - TempoFrei Luís de Sousa - Tempo
Frei Luís de Sousa - Tempo
 
Velho do Restelo
Velho do ResteloVelho do Restelo
Velho do Restelo
 
O Mito do Quinto Império
O Mito do Quinto ImpérioO Mito do Quinto Império
O Mito do Quinto Império
 
Categorias Narrativa
Categorias NarrativaCategorias Narrativa
Categorias Narrativa
 
A Expressividade dos Vários Narradores, Memorial
A Expressividade dos Vários Narradores, MemorialA Expressividade dos Vários Narradores, Memorial
A Expressividade dos Vários Narradores, Memorial
 
Modos de Representação da Narrativa
Modos de Representação da NarrativaModos de Representação da Narrativa
Modos de Representação da Narrativa
 
Mecanismos de Coesão
Mecanismos de CoesãoMecanismos de Coesão
Mecanismos de Coesão
 
Actos Ilocutórios
Actos IlocutóriosActos Ilocutórios
Actos Ilocutórios
 
Relação entre as palavras
Relação entre as palavrasRelação entre as palavras
Relação entre as palavras
 
Deixis
DeixisDeixis
Deixis
 
Mecanismos de Coesão (Esquema)
Mecanismos de Coesão (Esquema)Mecanismos de Coesão (Esquema)
Mecanismos de Coesão (Esquema)
 
Pronominalização
PronominalizaçãoPronominalização
Pronominalização
 
Mecanismos de Coesão
Mecanismos de CoesãoMecanismos de Coesão
Mecanismos de Coesão
 
Proposição d' "Os Lusíadas"
Proposição d' "Os Lusíadas"Proposição d' "Os Lusíadas"
Proposição d' "Os Lusíadas"
 
Felizmente Há Luar
Felizmente Há LuarFelizmente Há Luar
Felizmente Há Luar
 
Protótipos Textuais
Protótipos TextuaisProtótipos Textuais
Protótipos Textuais
 

Subordinação

  • 1. SUBSTANTIVAS relativas integrantes interrogativas indirectas infinitivas ADJECTIVAS relativas explicativas restrictivas ADVERBIAIS conjuncionais infinitivas gerundivas participiais condicionais causais finais temporais concessivas consecutivas comparativas condicionais causais finais etc.
  • 2. ORAÇÕES SUBSTANTIVAS São as orações que exercem no período funções próprias do substantivo – função de sujeito, complemento directo, complemento indirecto, aposto, predicativo ou complemento determinativo.
  • 3. 1. RELATIVAS: são introduzidas por um pronome relativo. Exemplos: a) Encontrei quem desejava. b) Quem empresta pode perder algo. c) Direi quanto souber. d) Ele não é quem eu supunha
  • 4. 2. INTEGRANTES: são introduzidas por uma conjunção integrante. Exemplos: a) É conveniente que vás dar-lhe uma satisfação. b) Espero que atendas o meu pedido. c) A sua morte obstou a que partíssemos. d) Só tinha um desejo: que o filho se formasse. e) A verdade é que falaste muito bem. f) Tinhamos a certeza de que ele perdoaria a afronta
  • 5. 3. INTERROGATIVAS INDIRECTAS: se envolvem sentido interrogativo, dependendo dum verbo que exprima pergunta ou desejo de saber. Podem ser introduzidas por um pronome interrogativo ou advérbio interrogativo e exercem, em relação às subordinantes, a função de sujeito ou de complemento directo. Exemplos: a) Estou a perguntar quantos anos tens. b) Queria saber se ele já chegou. c) A criada procurou saber quanto custavam as maçãs.
  • 6. 4. INFINITIVAS: se têm o verbo no infinitivo pessoal, com sujeito próprio. Exemplos: a) Importa vivermos honestamente. b) Esse facto deve-se a teres-te distraído. c) O resultado foi termos de vir a pé. d) Tive uma ideia: irmos expor o caso ao comandante. e) O facto de falares francês não justifica a tua atitude.
  • 7. ORAÇÕES ADJECTIVAS São todas as orações relativas que equivalem a adjectivos (ou seja, que têm o valor de atributos). Todas as orações adjectivas são relativas, quer sejam introduzidas por pronomes relativos, quer por advérbios relativos.
  • 8. 1. EXPLICATIVAS: se exprimem uma qualidade acessória, podendo ser eliminadas sem prejudicar o sentido da oração subordinante. Devem vir sempre separadas por vírgulas. Exemplos: a) Abracei o meu pai, que já não via há anos. b) A nossa pátria, que é uma espécie de segunda mãe, tudo merece.
  • 9. 2. RESTRICTIVAS: se restringem a significação do antecedente. A sua eliminação prejudicaria, por isso, o sentido da oração subordinante. Não se separam por vírgulas. Exemplos: a) Uma rapariga que seja honesta não procede assim. b) A casa onde nasci foi demolida. c) Vou a casa do homem de quem te falei.
  • 10. ORAÇÕES ADVERBIAIS São orações que exprimem circunstâncias várias em relação às afirmações contidas nas suas subordinantes – circunstâncias de tempo, de fim, de causa... Exercem, por conseguinte, uma função adverbial.
  • 11. CONDICIONAIS Exemplos: a) Só não irei à praia se chover. b) Caso não apanhe o comboio, regressarei a casa. c) Irei falar ao director, salvo se ele não me atender. d) Desde que queiras, consegui-lo-ás.
  • 12. CAUSAIS Exemplos: a) Fui, porque quis. b) Descobri-lhe o segredo, tanto mais que ele era meu filho. c) Uma vez que foste desobediente, castigar-te-ei. d) Como não vou ao teatro, posso ajudar-te. e) Não saias, que está a chover.
  • 13. FINAIS Exemplos: a) Para que ele não me apanhasse, segui por atalhos. b) Estuda, meu filho, a fim de que venhas a ser alguém. c) Tem cautela, que não tropeces nas pedras.
  • 14. TEMPORAIS Exemplos: a) Quando aqui passares, bate-me à porta. b) Apenas acordei, ouvi cantar os melros. c) Hoje, que tenho de sair, é que chove. d) Lembro-me desse episódio, todas as vezes que passo na ponte. e) Depois que partiste, senti uma saudade imensa. f) Estarei aqui até que batam as 9 horas da noite.
  • 15. CONCESSIVAS Exemplos: a) Não irei ao cinema, ainda que vós vades todos. b) Por muito bons que sejamos, podemos sempre ser melhores. c) O ministro não compareceu, se bem que tenha sido convidado. d) Conquanto me tivesse preparado, não consegui vencê-lo. e) Nós não tínhamos coragem; mas, que a tivéssemos, nunca o faríamos. f) Se não estive presente, ao menos fiz-me representar.
  • 16. CONSECUTIVAS Exemplos: a) Tanto pedi, que acabou por me atender. b) A velhinha chorava (tanto) que metia pena. c) Respondeu de tal maneira que lhe concederam uma distinção.
  • 17. COMPARATIVAS Exemplos: a) Sou mais amigo dele do que tu és. b) Temos de proceder como mandam as normas. c) Quanto mais praticares tanto menos dificuldades acharás. d) Assim como vemos, assim faremos. e) Qual é o cão, tal é o dono.
  • 18. CONDICIONAIS Exemplos: a) Estudando, o exame parecer-te-à fácil. b) A trabalhares assim a obra não ficará concluída hoje. c) Não teremos férias no caso de ficares reprovado.
  • 19. CAUSAIS Exemplos: a) Por seres indolente somos todos castigados. b) Não vim mais cedo em virtude de estar a chover. c) Vendo que ele demorava fui ao seu encontro.
  • 20. FINAIS Exemplos: a) Saí mais cedo para ele não me ver. b) A fim de poderes estudar quantos sacrifícios não faço.
  • 21. TEMPORAIS Exemplos: a) Ao soar o tiro todos fugiram. b) Ficarei aqui até completares o exercício. c) Em chegando o comboio ide esperar o tio. d) Ditas estas palavras todos foram abraçá-lo.
  • 22. CONCESSIVAS Exemplos: a) Não quiseste seguir os meus conselhos sendo eu tão experiente. b) Apesar de todos o escarnecerem ele não desistiu. c) O meu irmão sem lho ter revelado descobriu-o.
  • 23.
  • 24. COMPARATIVAS N.B.: Não possuem a forma participial, gerundiva ou infinitiva.