SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 1
Baixar para ler offline
FREI LUIS DE SOUSA - ESTRUTURA

            TRAGÉDIA CLÁSSICA                                         FREI LUÍS DE SOUSA

1. Apresentação das personagens.                       Através do diálogo de Dª. Madalena com Telmo são
  Vulgarmente feita através de diálogos das            apresentadas duas outras personagens: D. Maria e D.
  personagens principais com os seus confidentes.      Manuel; faz-se ainda referência a D. João de Portugal.
2. Hybris - desafio                                    Em Dª. Madalena, ao desafiar as leis e os direitos da
  O desafio do herói aos deuses ou às regras sociais   família (adultério, 2º casamento). Em Manuel de Sousa,
  estabelecidas e por todos aceite.                    ao revoltar-se contra as autoridades de Lisboa. A hybris
                                                       de Maria consiste na revolta contra a profissão religiosa
                                                       dos pais, contra o próprio D. João de Portugal e contra
                                                       Deus. Em Telmo, ao desejar que D. João de Portugal
                                                       tivesse morrido.
3. Peripécias - acção                                  1. D. João de Portugal, 1º marido de Dª. Madalena,
  Conjunto de acções decorrentes da crise e que,       desaparece em Alcácer-Quibir;
  segundo uma certa intriga, levarão ao desenlace      2. Após sete anos de buscas, D. Madalena casa com
  trágico inevitável.                                  Manuel de Sousa Coutinho.
                                                       3. Dª. Maria de Noronha nasce desse 2º casamento.
                                                       4. A chegada dos governadores de Lisboa obriga a família
                                                       de Sousa Coutinho a ir para a casa de D. João.
                                                       5. Um romeiro chega.
4. Ágon - conflito                                     Dª. Madalena vive aterrorizada com a ideia do provável
  Luta de sentimentos e paixões no ânimo das           regresso de D. João, o que não só a faria separar-se da sua
  personagens.                                         família, como também tornaria Maria ilegítima. Telmo
                                                       Pais vive um profundo conflito psicológico devido à
                                                       indecisão entre a sua fidelidade pelo seu amo e o amor
                                                       por Maria.
5. Pathos - sofrimento                                 Dª. Madalena sofre pelo adultério, pela incerteza sobre a
  O sofrimento causado nas personagens por um          sorte do 1º marido, pelo regresso ao palácio de D. João e,
  destino trágico que sobre elas pende.                finalmente, pelo reconhecimento da existência do 1º
                                                       marido.
                                                       Manuel de Sousa sofre pela destruição da sua família e,
                                                       principalmente, pelo triste destino da filha. D. João, pelo
                                                       esquecimento a que foi votado, pelo casamento da sua
                                                       mulher e pelo facto de não poder travar o desfecho
                                                       trágico que desencadeou.
                                                       Maria sofre fisicamente (tuberculose) e psicologicamente
                                                       por não ter resposta às suas intuições e por se ver numa
                                                       situação social grave ou desonrosa. Telmo Pais sofre por
                                                       não saber do destino do seu amo e pela indecisão entre o
                                                       amor de Maria e a fidelidade ao seu amo.
6. Clímax                                              1. Progressiva aproximação de Dª. Madalena ao seu 1º
  Adensamento       do    conflito   em   crescente    marido, através de certos indícios e presságios.
  precipitação fatalista.                              2. Encontro de Dª. Madalena com o Romeiro. Esta foge
                                                       ao reconhecer que o primeiro marido está vivo.
7. Anagnórise - reconhecimento                         Após a conversa com Dª. Madalena, frei Jorge acaba por
  Dá-se após um acontecimento imprevisto.              reconhecer o romeiro como D. João de Portugal.
8. Catástrofe - desenlace                              Dª. Maria, tornada filha ilegítima, morre de vergonha,
  Catástrofe que cai sobre a(s) personagem(s),         enquanto os pais tomam o hábito. Telmo Pais,
  vítimas do Fatum.                                    provavelmente, não resistirá a tantos desgostos, bem
                                                       como D. João de Portugal terá uma morte psicológica por
                                                       estar condenado ao constante anonimato e pela separação
                                                       da mulher.
9. Catarse
  Efeito de purificação provocado nos espectadores,
  os quais pela acção dramática retiram uma
  moralidade que podem aplicar na sua conduta.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Os Maias - história de Pedro da Maia
Os Maias - história de Pedro da MaiaOs Maias - história de Pedro da Maia
Os Maias - história de Pedro da MaiaAntónio Fernandes
 
Frei luís de sousa
Frei luís de sousaFrei luís de sousa
Frei luís de sousaAnaGomes40
 
Maria de Noronha-Frei Luis de Sousa
Maria de Noronha-Frei Luis de SousaMaria de Noronha-Frei Luis de Sousa
Maria de Noronha-Frei Luis de Sousananasimao
 
Noite Fechada, de Cesário Verde
Noite Fechada, de Cesário VerdeNoite Fechada, de Cesário Verde
Noite Fechada, de Cesário VerdeDina Baptista
 
ComemD. João I in Mensagem, de Fernando Pessoa
ComemD. João I in  Mensagem, de Fernando Pessoa ComemD. João I in  Mensagem, de Fernando Pessoa
ComemD. João I in Mensagem, de Fernando Pessoa Ana Cristina Matias
 
Sermão aos peixes cap. i
Sermão aos peixes   cap. iSermão aos peixes   cap. i
Sermão aos peixes cap. iameliapadrao
 
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraAlexandra Madail
 
Os maias-resumo-e-analise
Os maias-resumo-e-analiseOs maias-resumo-e-analise
Os maias-resumo-e-analisekeve semedo
 
Mensagem - Antemanhã
Mensagem - AntemanhãMensagem - Antemanhã
Mensagem - AntemanhãSofia_Afonso
 
Valor modal das frases
Valor modal das frasesValor modal das frases
Valor modal das frasesnando_reis
 
Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da InfânciaFernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da InfânciaSamuel Neves
 
Cap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralCap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralHelena Coutinho
 
Os Maias Episódios da Vida Romântica
Os Maias   Episódios da Vida RomânticaOs Maias   Episódios da Vida Romântica
Os Maias Episódios da Vida RomânticaPatrícia Pereira
 
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixesEstrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixesbeonline5
 
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaEstrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaVanda Sousa
 

Mais procurados (20)

Os Maias - história de Pedro da Maia
Os Maias - história de Pedro da MaiaOs Maias - história de Pedro da Maia
Os Maias - história de Pedro da Maia
 
Frei luís de sousa
Frei luís de sousaFrei luís de sousa
Frei luís de sousa
 
Maria de Noronha-Frei Luis de Sousa
Maria de Noronha-Frei Luis de SousaMaria de Noronha-Frei Luis de Sousa
Maria de Noronha-Frei Luis de Sousa
 
Os Maias
Os MaiasOs Maias
Os Maias
 
Noite Fechada, de Cesário Verde
Noite Fechada, de Cesário VerdeNoite Fechada, de Cesário Verde
Noite Fechada, de Cesário Verde
 
Frei luís de sousa
Frei luís de sousaFrei luís de sousa
Frei luís de sousa
 
ComemD. João I in Mensagem, de Fernando Pessoa
ComemD. João I in  Mensagem, de Fernando Pessoa ComemD. João I in  Mensagem, de Fernando Pessoa
ComemD. João I in Mensagem, de Fernando Pessoa
 
Sermão aos peixes cap. i
Sermão aos peixes   cap. iSermão aos peixes   cap. i
Sermão aos peixes cap. i
 
Mensagem elementos simbólicos
Mensagem  elementos simbólicosMensagem  elementos simbólicos
Mensagem elementos simbólicos
 
Os Maias - análise
Os Maias - análiseOs Maias - análise
Os Maias - análise
 
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
 
Os maias-resumo-e-analise
Os maias-resumo-e-analiseOs maias-resumo-e-analise
Os maias-resumo-e-analise
 
Mensagem - Antemanhã
Mensagem - AntemanhãMensagem - Antemanhã
Mensagem - Antemanhã
 
Valor modal das frases
Valor modal das frasesValor modal das frases
Valor modal das frases
 
Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da InfânciaFernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
 
Cap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralCap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geral
 
Os Maias Episódios da Vida Romântica
Os Maias   Episódios da Vida RomânticaOs Maias   Episódios da Vida Romântica
Os Maias Episódios da Vida Romântica
 
Os Maias - personagens
Os Maias - personagensOs Maias - personagens
Os Maias - personagens
 
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixesEstrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
 
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaEstrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
 

Destaque

Frei Luís de Sousa - Quadro Síntese
Frei Luís de Sousa - Quadro SínteseFrei Luís de Sousa - Quadro Síntese
Frei Luís de Sousa - Quadro SínteseJulianaOmendes
 
Frei luis de sousa
Frei luis de sousaFrei luis de sousa
Frei luis de sousaMaria da Paz
 
A Linguagem em "Frei Luís de Sousa"
A Linguagem em "Frei Luís de Sousa"A Linguagem em "Frei Luís de Sousa"
A Linguagem em "Frei Luís de Sousa"complementoindirecto
 
Frei Luís de Sousa - Classificação.
Frei Luís de Sousa - Classificação.Frei Luís de Sousa - Classificação.
Frei Luís de Sousa - Classificação.nelsonalves70
 
Estruturas externa-e-interna de "Frei Luís de Sousa"
Estruturas externa-e-interna de "Frei Luís de Sousa"Estruturas externa-e-interna de "Frei Luís de Sousa"
Estruturas externa-e-interna de "Frei Luís de Sousa"Maria Góis
 
Romantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de SousaRomantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de SousaLurdes Augusto
 
Verbo pôr - crer - trazer - haver
Verbo   pôr - crer - trazer - haverVerbo   pôr - crer - trazer - haver
Verbo pôr - crer - trazer - havertrabalhotrab
 
Categorias Narrativa
Categorias NarrativaCategorias Narrativa
Categorias Narrativanelsonalves70
 
D. Madalena - Frei Luis de Sousa
D. Madalena - Frei Luis de SousaD. Madalena - Frei Luis de Sousa
D. Madalena - Frei Luis de Sousamauro dinis
 
D. Madalena -Frei Luis de Sousa
D. Madalena -Frei Luis de SousaD. Madalena -Frei Luis de Sousa
D. Madalena -Frei Luis de Sousananasimao
 
Telmo- Frei Luís de Sousa
Telmo- Frei Luís de SousaTelmo- Frei Luís de Sousa
Telmo- Frei Luís de Sousananasimao
 
Frei Luís de Sousa - Características trágicas
Frei Luís de Sousa - Características trágicasFrei Luís de Sousa - Características trágicas
Frei Luís de Sousa - Características trágicasMaria Rodrigues
 

Destaque (17)

Frei luís de sousa
Frei luís de sousaFrei luís de sousa
Frei luís de sousa
 
Frei Luís de Sousa - Quadro Síntese
Frei Luís de Sousa - Quadro SínteseFrei Luís de Sousa - Quadro Síntese
Frei Luís de Sousa - Quadro Síntese
 
Frei luis de sousa
Frei luis de sousaFrei luis de sousa
Frei luis de sousa
 
A Linguagem em "Frei Luís de Sousa"
A Linguagem em "Frei Luís de Sousa"A Linguagem em "Frei Luís de Sousa"
A Linguagem em "Frei Luís de Sousa"
 
Frei Luís de Sousa - Classificação.
Frei Luís de Sousa - Classificação.Frei Luís de Sousa - Classificação.
Frei Luís de Sousa - Classificação.
 
Estruturas externa-e-interna de "Frei Luís de Sousa"
Estruturas externa-e-interna de "Frei Luís de Sousa"Estruturas externa-e-interna de "Frei Luís de Sousa"
Estruturas externa-e-interna de "Frei Luís de Sousa"
 
Romantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de SousaRomantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de Sousa
 
Verbo pôr - crer - trazer - haver
Verbo   pôr - crer - trazer - haverVerbo   pôr - crer - trazer - haver
Verbo pôr - crer - trazer - haver
 
Categorias Narrativa
Categorias NarrativaCategorias Narrativa
Categorias Narrativa
 
Soluções Livro
Soluções LivroSoluções Livro
Soluções Livro
 
D. Madalena - Frei Luis de Sousa
D. Madalena - Frei Luis de SousaD. Madalena - Frei Luis de Sousa
D. Madalena - Frei Luis de Sousa
 
D. Madalena -Frei Luis de Sousa
D. Madalena -Frei Luis de SousaD. Madalena -Frei Luis de Sousa
D. Madalena -Frei Luis de Sousa
 
. Enredo
. Enredo. Enredo
. Enredo
 
Frei Luís de Sousa
Frei Luís de SousaFrei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa
 
Telmo- Frei Luís de Sousa
Telmo- Frei Luís de SousaTelmo- Frei Luís de Sousa
Telmo- Frei Luís de Sousa
 
Frei Luís de Sousa - Características trágicas
Frei Luís de Sousa - Características trágicasFrei Luís de Sousa - Características trágicas
Frei Luís de Sousa - Características trágicas
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
 

Semelhante a Tragédia clássica Frei Luís de Sousa estrutura

Frei Luís de Sousa - sistematização
Frei Luís de Sousa - sistematizaçãoFrei Luís de Sousa - sistematização
Frei Luís de Sousa - sistematizaçãoAntónio Fernandes
 
Os acontecimentos na obra frei luís de sousa que espelham cada um dos element...
Os acontecimentos na obra frei luís de sousa que espelham cada um dos element...Os acontecimentos na obra frei luís de sousa que espelham cada um dos element...
Os acontecimentos na obra frei luís de sousa que espelham cada um dos element...helder goncalves
 
TRAGEDIA_MAIAS_FREI LUIS.pptx
TRAGEDIA_MAIAS_FREI LUIS.pptxTRAGEDIA_MAIAS_FREI LUIS.pptx
TRAGEDIA_MAIAS_FREI LUIS.pptxJMTCS
 
D. Madalena - Frei Luis de Sousa - Power Point
D. Madalena - Frei Luis de Sousa - Power PointD. Madalena - Frei Luis de Sousa - Power Point
D. Madalena - Frei Luis de Sousa - Power Pointmauro dinis
 
Resumo de-frei-luis-de-sousa
Resumo de-frei-luis-de-sousaResumo de-frei-luis-de-sousa
Resumo de-frei-luis-de-sousajomadeira
 
Frei luis de sousa resumos 2
Frei luis de sousa resumos 2Frei luis de sousa resumos 2
Frei luis de sousa resumos 2Anabela Torres
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80luisprista
 
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01Zita Dias
 
Esboço de estudo paralelo de frei luís de sousa e os maias
Esboço de estudo paralelo de frei luís de sousa e os maiasEsboço de estudo paralelo de frei luís de sousa e os maias
Esboço de estudo paralelo de frei luís de sousa e os maiasMaria Rodrigues
 
Frei luís de sousa
Frei luís de sousaFrei luís de sousa
Frei luís de sousaFilipe Leal
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 71 72
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 71 72Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 71 72
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 71 72luisprista
 
Correcção do teste de avaliação de frei luís de sousa
Correcção do teste de avaliação de frei luís de sousaCorrecção do teste de avaliação de frei luís de sousa
Correcção do teste de avaliação de frei luís de sousaPaula Rebelo
 
Ficha informativa frei luís de sousa
Ficha informativa frei luís de sousaFicha informativa frei luís de sousa
Ficha informativa frei luís de sousaMargarida Valente
 
Módulo 7- Frei Luís de Sousa
Módulo 7- Frei Luís de SousaMódulo 7- Frei Luís de Sousa
Módulo 7- Frei Luís de Sousaflaviacorreia0
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 85-86
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 85-86Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 85-86
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 85-86luisprista
 

Semelhante a Tragédia clássica Frei Luís de Sousa estrutura (20)

Frei Luís de Sousa - sistematização
Frei Luís de Sousa - sistematizaçãoFrei Luís de Sousa - sistematização
Frei Luís de Sousa - sistematização
 
Os acontecimentos na obra frei luís de sousa que espelham cada um dos element...
Os acontecimentos na obra frei luís de sousa que espelham cada um dos element...Os acontecimentos na obra frei luís de sousa que espelham cada um dos element...
Os acontecimentos na obra frei luís de sousa que espelham cada um dos element...
 
TRAGEDIA_MAIAS_FREI LUIS.pptx
TRAGEDIA_MAIAS_FREI LUIS.pptxTRAGEDIA_MAIAS_FREI LUIS.pptx
TRAGEDIA_MAIAS_FREI LUIS.pptx
 
frei luis de sousa
 frei luis de sousa frei luis de sousa
frei luis de sousa
 
D. Madalena - Frei Luis de Sousa - Power Point
D. Madalena - Frei Luis de Sousa - Power PointD. Madalena - Frei Luis de Sousa - Power Point
D. Madalena - Frei Luis de Sousa - Power Point
 
Sistematizacao (1)
Sistematizacao (1)Sistematizacao (1)
Sistematizacao (1)
 
Resumo de-frei-luis-de-sousa
Resumo de-frei-luis-de-sousaResumo de-frei-luis-de-sousa
Resumo de-frei-luis-de-sousa
 
Frei luis de sousa resumos 2
Frei luis de sousa resumos 2Frei luis de sousa resumos 2
Frei luis de sousa resumos 2
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80
 
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01
 
Esboço de estudo paralelo de frei luís de sousa e os maias
Esboço de estudo paralelo de frei luís de sousa e os maiasEsboço de estudo paralelo de frei luís de sousa e os maias
Esboço de estudo paralelo de frei luís de sousa e os maias
 
Frei luís de sousa
Frei luís de sousaFrei luís de sousa
Frei luís de sousa
 
Frei Luís de Sousa - 2ª G - 2011
Frei Luís de Sousa - 2ª G - 2011Frei Luís de Sousa - 2ª G - 2011
Frei Luís de Sousa - 2ª G - 2011
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 71 72
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 71 72Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 71 72
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 71 72
 
Correcção do teste de avaliação de frei luís de sousa
Correcção do teste de avaliação de frei luís de sousaCorrecção do teste de avaliação de frei luís de sousa
Correcção do teste de avaliação de frei luís de sousa
 
Maria de noronha
Maria de noronhaMaria de noronha
Maria de noronha
 
1 enredo
1  enredo1  enredo
1 enredo
 
Ficha informativa frei luís de sousa
Ficha informativa frei luís de sousaFicha informativa frei luís de sousa
Ficha informativa frei luís de sousa
 
Módulo 7- Frei Luís de Sousa
Módulo 7- Frei Luís de SousaMódulo 7- Frei Luís de Sousa
Módulo 7- Frei Luís de Sousa
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 85-86
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 85-86Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 85-86
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 85-86
 

Mais de nelsonalves70

Frei Luís de Sousa - Tempo
Frei Luís de Sousa - TempoFrei Luís de Sousa - Tempo
Frei Luís de Sousa - Temponelsonalves70
 
O Mito do Quinto Império
O Mito do Quinto ImpérioO Mito do Quinto Império
O Mito do Quinto Impérionelsonalves70
 
A Expressividade dos Vários Narradores, Memorial
A Expressividade dos Vários Narradores, MemorialA Expressividade dos Vários Narradores, Memorial
A Expressividade dos Vários Narradores, Memorialnelsonalves70
 
Modos de Representação da Narrativa
Modos de Representação da NarrativaModos de Representação da Narrativa
Modos de Representação da Narrativanelsonalves70
 
Mecanismos de Coesão
Mecanismos de CoesãoMecanismos de Coesão
Mecanismos de Coesãonelsonalves70
 
Relação entre as palavras
Relação entre as palavrasRelação entre as palavras
Relação entre as palavrasnelsonalves70
 
Mecanismos de Coesão (Esquema)
Mecanismos de Coesão (Esquema)Mecanismos de Coesão (Esquema)
Mecanismos de Coesão (Esquema)nelsonalves70
 
Mecanismos de Coesão
Mecanismos de CoesãoMecanismos de Coesão
Mecanismos de Coesãonelsonalves70
 
Proposição d' "Os Lusíadas"
Proposição d' "Os Lusíadas"Proposição d' "Os Lusíadas"
Proposição d' "Os Lusíadas"nelsonalves70
 
Protótipos Textuais
Protótipos TextuaisProtótipos Textuais
Protótipos Textuaisnelsonalves70
 

Mais de nelsonalves70 (17)

Os Maias - Análise
Os Maias - AnáliseOs Maias - Análise
Os Maias - Análise
 
Frei Luís de Sousa - Tempo
Frei Luís de Sousa - TempoFrei Luís de Sousa - Tempo
Frei Luís de Sousa - Tempo
 
Velho do Restelo
Velho do ResteloVelho do Restelo
Velho do Restelo
 
O Mito do Quinto Império
O Mito do Quinto ImpérioO Mito do Quinto Império
O Mito do Quinto Império
 
A Expressividade dos Vários Narradores, Memorial
A Expressividade dos Vários Narradores, MemorialA Expressividade dos Vários Narradores, Memorial
A Expressividade dos Vários Narradores, Memorial
 
Modos de Representação da Narrativa
Modos de Representação da NarrativaModos de Representação da Narrativa
Modos de Representação da Narrativa
 
Mecanismos de Coesão
Mecanismos de CoesãoMecanismos de Coesão
Mecanismos de Coesão
 
Actos Ilocutórios
Actos IlocutóriosActos Ilocutórios
Actos Ilocutórios
 
Relação entre as palavras
Relação entre as palavrasRelação entre as palavras
Relação entre as palavras
 
Deixis
DeixisDeixis
Deixis
 
Mecanismos de Coesão (Esquema)
Mecanismos de Coesão (Esquema)Mecanismos de Coesão (Esquema)
Mecanismos de Coesão (Esquema)
 
Pronominalização
PronominalizaçãoPronominalização
Pronominalização
 
Mecanismos de Coesão
Mecanismos de CoesãoMecanismos de Coesão
Mecanismos de Coesão
 
Proposição d' "Os Lusíadas"
Proposição d' "Os Lusíadas"Proposição d' "Os Lusíadas"
Proposição d' "Os Lusíadas"
 
Felizmente Há Luar
Felizmente Há LuarFelizmente Há Luar
Felizmente Há Luar
 
Protótipos Textuais
Protótipos TextuaisProtótipos Textuais
Protótipos Textuais
 
Subordinação
SubordinaçãoSubordinação
Subordinação
 

Tragédia clássica Frei Luís de Sousa estrutura

  • 1. FREI LUIS DE SOUSA - ESTRUTURA TRAGÉDIA CLÁSSICA FREI LUÍS DE SOUSA 1. Apresentação das personagens. Através do diálogo de Dª. Madalena com Telmo são Vulgarmente feita através de diálogos das apresentadas duas outras personagens: D. Maria e D. personagens principais com os seus confidentes. Manuel; faz-se ainda referência a D. João de Portugal. 2. Hybris - desafio Em Dª. Madalena, ao desafiar as leis e os direitos da O desafio do herói aos deuses ou às regras sociais família (adultério, 2º casamento). Em Manuel de Sousa, estabelecidas e por todos aceite. ao revoltar-se contra as autoridades de Lisboa. A hybris de Maria consiste na revolta contra a profissão religiosa dos pais, contra o próprio D. João de Portugal e contra Deus. Em Telmo, ao desejar que D. João de Portugal tivesse morrido. 3. Peripécias - acção 1. D. João de Portugal, 1º marido de Dª. Madalena, Conjunto de acções decorrentes da crise e que, desaparece em Alcácer-Quibir; segundo uma certa intriga, levarão ao desenlace 2. Após sete anos de buscas, D. Madalena casa com trágico inevitável. Manuel de Sousa Coutinho. 3. Dª. Maria de Noronha nasce desse 2º casamento. 4. A chegada dos governadores de Lisboa obriga a família de Sousa Coutinho a ir para a casa de D. João. 5. Um romeiro chega. 4. Ágon - conflito Dª. Madalena vive aterrorizada com a ideia do provável Luta de sentimentos e paixões no ânimo das regresso de D. João, o que não só a faria separar-se da sua personagens. família, como também tornaria Maria ilegítima. Telmo Pais vive um profundo conflito psicológico devido à indecisão entre a sua fidelidade pelo seu amo e o amor por Maria. 5. Pathos - sofrimento Dª. Madalena sofre pelo adultério, pela incerteza sobre a O sofrimento causado nas personagens por um sorte do 1º marido, pelo regresso ao palácio de D. João e, destino trágico que sobre elas pende. finalmente, pelo reconhecimento da existência do 1º marido. Manuel de Sousa sofre pela destruição da sua família e, principalmente, pelo triste destino da filha. D. João, pelo esquecimento a que foi votado, pelo casamento da sua mulher e pelo facto de não poder travar o desfecho trágico que desencadeou. Maria sofre fisicamente (tuberculose) e psicologicamente por não ter resposta às suas intuições e por se ver numa situação social grave ou desonrosa. Telmo Pais sofre por não saber do destino do seu amo e pela indecisão entre o amor de Maria e a fidelidade ao seu amo. 6. Clímax 1. Progressiva aproximação de Dª. Madalena ao seu 1º Adensamento do conflito em crescente marido, através de certos indícios e presságios. precipitação fatalista. 2. Encontro de Dª. Madalena com o Romeiro. Esta foge ao reconhecer que o primeiro marido está vivo. 7. Anagnórise - reconhecimento Após a conversa com Dª. Madalena, frei Jorge acaba por Dá-se após um acontecimento imprevisto. reconhecer o romeiro como D. João de Portugal. 8. Catástrofe - desenlace Dª. Maria, tornada filha ilegítima, morre de vergonha, Catástrofe que cai sobre a(s) personagem(s), enquanto os pais tomam o hábito. Telmo Pais, vítimas do Fatum. provavelmente, não resistirá a tantos desgostos, bem como D. João de Portugal terá uma morte psicológica por estar condenado ao constante anonimato e pela separação da mulher. 9. Catarse Efeito de purificação provocado nos espectadores, os quais pela acção dramática retiram uma moralidade que podem aplicar na sua conduta.