Psicologia motivação

1.492 visualizações

Publicada em

Apresentação do 3º período do curso de administração da Unesulbahia, referente a matéria de psicologia ministrada pela professora Lauren L.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.492
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
55
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Psicologia motivação

  1. 1. CONCEITOS BÁSICOS DE MOTIVAÇÃO
  2. 2. TEORIAS DA NECESSIDADE DE MOTIVAÇÃO  A Hierarquia das Necessidades de Maslow  Teoria dos Dois Fatores de Herzberg  Tríade Realização-Poder-Afiliação, de McClelland
  3. 3. A Hierarquia das Necessidades de Maslow
  4. 4. Teoria dos Dois Fatores de Herzberg
  5. 5. Tríade Realização-Poder- Afiliação, de McClelland  Os estudos em relação a essa tríade provém da crença de que algumas motivações podem ser despertadas e descobertas através da influência cultural do indivíduo.
  6. 6. Tríade Realização-Poder- Afiliação, de McClelland  Realização: Progressão em sua carreira, desafios profissionais, feedback de desempenho;  Poder: Autoridade sobre dinheiros, imóveis, setores e pessoas, necessidade de exibir tal autoridade;  Afiliação: Reestabelecer, restaurar e conquistar relacionamentos, necessidade de se relacionar.
  7. 7. TEORIA DO ESTABELECIMENTO DE METAS  Meta é o que uma pessoa tenta realizar;  Tem-se meta como base para reforçar e manter a motivação;  Nossas metas terão traços dos nosso valores.
  8. 8. TEORIA DO ESTABELECIMENTO DE METAS 1. Metas específica, melhor desempenho. 2. Proporção da dificuldade da meta. 3. Aceitar a meta. 4. Metas com objetivo também avaliativo. 5. Metas com recompensas e feedback. 6. Importância das metas grupais. 7. Metas de desempenho vs. Metas de
  9. 9. TEORIA DO REFORÇO  O comportamento é determinado por suas consequências, sendo elas punições ou recompensas;  Repetição de bom comportamentos, faz com que se torne um hábito positivo e evita comportamentos desagradáveis;  Crença no comportamentalismo (behaviorismo).
  10. 10. TEORIA DO REFORÇO  As quatro estratégias básicas para organizar contingência: 1.Reforço do bom comportamento. 2.Motivação da evitação: recompensa pela correção. 3.Evitação para enfraquecer um comportamento. 4.Punição.
  11. 11. TEORIA DA EXPECTAÇÃO DA MOTIVAÇÃO Expectativa (Quão bem a pessoa acredita que ela pode desempenhar a tarefa) FORÇA MOTIVACIONAL Instrumentalidade (Quão bem a pessoa acredita que o desempenho levará a um certo resultado) Valência (O valor que a pessoa dá ao resultado)
  12. 12. Fatores Cruzados e a Teoria da Expectação  A valência está entrelaçada a valores culturais, sejam eles individuais ou em grupos;  Conforme a análise de Nancy J. Adler, o empregado acredita que tem controle sobre as recompensas, o seu desempenho é proporcional ao seu resultado;  Alguns confiam em seus superiores em relação a resultados.
  13. 13. TEORIA DA EQUIDADE E DA COMPARAÇÃO SOCIAL  Os empregados comparam seus recursos e seus resultados (fazem comparações sociais) com outros no local de trabalho;  A relação da equidade muitas vezes pode ser expressa assim: Comparado s com Resultado dos outros Recurso dos outros Resultado do indivíduo Recursos do indivíduo
  14. 14. TEORIA DA EQUIDADE E DA COMPARAÇÃO SOCIAL  Equidade: igualdade, simetria, retidão, imparcialidade, conformidade.  Iniquidade: é uma grave injustiça, tratamento desigual dos indivíduos.  Quando a iniquidade ocorre, as pessoas tendem a se engajar da seguinte forma: 1. Alterar resultados; 2. Alterar recursos; 3. Distorcer percepção; 4. Mudar a fonte de referência.
  15. 15. TEORIA DA APRENDIZAGEM SOCIAL  Cognições pessoais + ambiente social = comportamento remodelado.  Para se obter sucesso na observância, é necessário que algumas situações sejam claramente compreendidas: 1. Confiança ao realizar a remodelagem; 2. Satisfação pessoal recompensa em aprendizado; 3. Envolvimento de tarefas físicas e interpessoais; 4. Habilidade física e mental para reprodução de comportamento;  Reconhecimento de grupo: vocabulário e comportamento semelhantes, ou seja, um influenciado todos.
  16. 16. MOTIVAÇÃO INTRÍNSECA VS. EXTRÍNSECA  Cargo mais interessante, diminuição de recompensas externas;  As pessoas que valorizam seu trabalho tendem a ser motivadas intrinsecamente;  A pessoa é motivada por fatores internos;  Teoria do reforço ≠ Motivação intrínseca.
  17. 17. O Racional por Trás da Teoria da Motivação Intrínseca  Funcionários influenciam mais o ambiente do que o inverso;  Motivação intrínseca ocorre quando o indivíduo se realiza e se satisfaz dentro de uma atividade e tem isso como recompensa;  A motivação intrínseca diminui quando o indivíduo percebe que seu desempenho foi reativo a recompensas externas (dinheiro, reconhecimento, etc).
  18. 18. Problemas Associados às Recompensas Extrínsecas  Limitação de foco;  Não sintam prazer e sim insatisfação por aquele serviço;  Equilíbrio de recompensas intrínsecas e extrínsecas.
  19. 19.  Disciplina: Psicologia  Professor(a): Lauren Lopes  Curso: Administração  Semestre: 3º  Alunos: Carlos Luis Migalhas Xavier e Maria Luiza Souza Vaz  Livro: Fundamentos do Comportamento Organizacional, Andrew J. DuBrin.

×