Enfermagem em Geriatria Saúde do Idoso

4.548 visualizações

Publicada em

Slides preparados para o Curso Técnico de Enfermagem. As estudantes ficaram muito comovidas. Ideal para conscientização social também! Onde está (copiar) é a parte em que utilizei o quadro negro como segundo recurso didático.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.548
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
274
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Enfermagem em Geriatria Saúde do Idoso

  1. 1. ENFERMAGEM EMENFERMAGEM EM GERIATRIAGERIATRIA PROFESSORAPROFESSORA MARIA NASCIMENTOMARIA NASCIMENTO
  2. 2. 2 ► PeríodosAtividadesPeríodosAtividades 1ª aula08/12/2008Segunda-1ª aula08/12/2008Segunda- feirafeira  Apresentação da DisciplinaApresentação da Disciplina  Conceitos (Geriatria; Gerontologia; Enfermagem;Conceitos (Geriatria; Gerontologia; Enfermagem; Senescência)Senescência)  Modificações Físicas decorrentes do processo deModificações Físicas decorrentes do processo de envelhecimento (sistemas nervoso, sensorial,envelhecimento (sistemas nervoso, sensorial, cardiovascular, respiratório, gastrintestinal,cardiovascular, respiratório, gastrintestinal, musculoesquelético, geniturinário, tegumentar e reprodutor)musculoesquelético, geniturinário, tegumentar e reprodutor)  Sexualidade e os IdososSexualidade e os Idosos  Aspectos CognitivosAspectos Cognitivos  Modificações Psicológicas (ajustes emocionais aoModificações Psicológicas (ajustes emocionais ao envelhecimento)envelhecimento)  Dinâmica de GrupoDinâmica de Grupo
  3. 3. 3 Apresentação da DisciplinaApresentação da Disciplina ► CopiarCopiar ► Há pessoas com problemasHá pessoas com problemas crônicos de saúde ecrônicos de saúde e deficiências permanentes quedeficiências permanentes que necessitam assistêncianecessitam assistência contínua que pode ser prestadacontínua que pode ser prestada na casa da pessoa ou emna casa da pessoa ou em estabelecimento de cuidadosestabelecimento de cuidados extensivos,extensivos, ► Os profissionais deOs profissionais de Enfermagem são membrosEnfermagem são membros valiosos da equipe devaliosos da equipe de assistência.assistência. ► Existem mudanças na aplicaçãoExistem mudanças na aplicação das técnicas empregadasdas técnicas empregadas devido às diferenças existentesdevido às diferenças existentes entre os tipos de assistência.entre os tipos de assistência. ► Os residentes são admitidos nas casasOs residentes são admitidos nas casas de repouso porque têm problemas quede repouso porque têm problemas que necessitam monitorização enecessitam monitorização e assistências contínuas.assistências contínuas. ► O número de pessoas que necessitamO número de pessoas que necessitam cuidados extensivos é rapidamentecuidados extensivos é rapidamente crescente por vários motivos:crescente por vários motivos:  Há mais pessoasHá mais pessoas  Mais pessoas vivem maisMais pessoas vivem mais  A ciência moderna possibilitou aA ciência moderna possibilitou a recuperação de doenças modernasrecuperação de doenças modernas e traumas que eram fatais noe traumas que eram fatais no passadopassado  Quanto mais pessoas vivem, maiorQuanto mais pessoas vivem, maior o risco de adquirirem uma doençao risco de adquirirem uma doença crônica ou degenerativa.crônica ou degenerativa.  As pessoas são incapazes deAs pessoas são incapazes de prestar assistência devido àsprestar assistência devido às distâncias geográficas ou porquedistâncias geográficas ou porque todos na família estão trabalhando.todos na família estão trabalhando.
  4. 4. 4 PAPEL DO TÉCNICO E AUXILIARPAPEL DO TÉCNICO E AUXILIAR DE ENFERMAGEMDE ENFERMAGEM ► CopiarCopiar ► Assistir aos residentes idosos sob supervisão direta doAssistir aos residentes idosos sob supervisão direta do EnfermeiroEnfermeiro ► Todos os cuidados prestados serão executados paraTodos os cuidados prestados serão executados para auxiliar o residente a adquirir o seu grau máximo de bemauxiliar o residente a adquirir o seu grau máximo de bem estarestar ► Para ser bem sucedido o profissional da EnfermagemPara ser bem sucedido o profissional da Enfermagem deve:deve:  Compreender as características dos idososCompreender as características dos idosos  Comformar-se com o seu próprio envelhecimentoComformar-se com o seu próprio envelhecimento  Ter ânimo para prestar assistência necessáriaTer ânimo para prestar assistência necessária  Ter satisfação em participar do progresso lento e das pequenasTer satisfação em participar do progresso lento e das pequenas aquisições, se houveraquisições, se houver  Ter senso de humorTer senso de humor  Capacidade eficaz de comunicaçãoCapacidade eficaz de comunicação
  5. 5. 5 DEFINIÇÕES:DEFINIÇÕES: ► 1- Definições:1- Definições: ► GeriatriaGeriatria: Ramo da ciência que estuda os aspectos curativos e: Ramo da ciência que estuda os aspectos curativos e preventivos da atenção à saúde do idoso, tendo relação estreita compreventivos da atenção à saúde do idoso, tendo relação estreita com as disciplinas da área médica.as disciplinas da área médica. ► GerontologiaGerontologia: ramo da ciência que estuda o processo de: ramo da ciência que estuda o processo de envelhecimento e os múltiplos problemas que envolvem a pessoaenvelhecimento e os múltiplos problemas que envolvem a pessoa idosa.idosa. ► EnfermagemEnfermagem: ciência e a arte de assistir o ser humano no atendimento: ciência e a arte de assistir o ser humano no atendimento de suas necessidades básicas, tornando-o independente e autônomo,de suas necessidades básicas, tornando-o independente e autônomo, bem como manter, recuperar e promover a saúde em colaboraçãobem como manter, recuperar e promover a saúde em colaboração com outros profissionais. (HORTA, 1979).com outros profissionais. (HORTA, 1979). ► SenescênciaSenescência: alterações orgânicas, morfológicas e funcionais que: alterações orgânicas, morfológicas e funcionais que ocorrem com o processo do envelhecimento.ocorrem com o processo do envelhecimento.
  6. 6. 6 Efeitos do EnvelhecimentoEfeitos do Envelhecimento ► O residente no estabelecimento de cuidadosO residente no estabelecimento de cuidados extensivos é habitualmente de idade avançada,extensivos é habitualmente de idade avançada, com uma ou mais doenças de certa formacom uma ou mais doenças de certa forma debilitantes.debilitantes. ► Entretanto, existem algumas características doEntretanto, existem algumas características do envelhecimento que são típicas da maioria dosenvelhecimento que são típicas da maioria dos residentes idosos.residentes idosos. ► O envelhecimento é um processo natural eO envelhecimento é um processo natural e progressivo que começa no nascimento e seprogressivo que começa no nascimento e se estende até a morte.estende até a morte. ► Todo o residente é único e deve ser tratado comTodo o residente é único e deve ser tratado com dignidade e respeito.dignidade e respeito.
  7. 7. 7 Modificações Físicas doModificações Físicas do EnvelhecimentoEnvelhecimento ► Sistema NervosoSistema Nervoso  Estrutura do SN se modificam;Estrutura do SN se modificam;  Redução das células nervosas geram uma diminuiçãoRedução das células nervosas geram uma diminuição progressiva na síntese e no metabolismo dos principaisprogressiva na síntese e no metabolismo dos principais neurotransmissores;neurotransmissores;  Condução entre os neurônios de uma forma mais lentaCondução entre os neurônios de uma forma mais lenta levando uma demora nas respostas e reações;levando uma demora nas respostas e reações;  Redução do fluxo sangüíneo acarretando em isquemiaRedução do fluxo sangüíneo acarretando em isquemia cerebral, alterações no equilíbrio, mobilidade ecerebral, alterações no equilíbrio, mobilidade e segurança.segurança.  A dor e a consciencia de traumas não são sempreA dor e a consciencia de traumas não são sempre percebidas com a mesma intensidade. Por causa dissopercebidas com a mesma intensidade. Por causa disso situações graves podem ser ignoradas.situações graves podem ser ignoradas.
  8. 8. 8 Modificações Físicas doModificações Físicas do EnvelhecimentoEnvelhecimento ► Sistema SensorialSistema Sensorial  Afetam todos os órgãos sensoriais e podem levar aoAfetam todos os órgãos sensoriais e podem levar ao aborrecimento, confusão, irritabilidade, desorientação eaborrecimento, confusão, irritabilidade, desorientação e ansiedade, pois podem impedir a pessoa de enxergar,ansiedade, pois podem impedir a pessoa de enxergar, de participar de uma conversa ou de perceber o paladarde participar de uma conversa ou de perceber o paladar de um alimento.de um alimento.  A perda da audição associada à idade é atribuída asA perda da audição associada à idade é atribuída as alterações do ouvido interno fazendo com que a pessoaalterações do ouvido interno fazendo com que a pessoa idosa participe menos das conversações, responda asidosa participe menos das conversações, responda as perguntas de forma imprópria, compreendaperguntas de forma imprópria, compreenda erroneamente alguns diálogos e desta forma evite aerroneamente alguns diálogos e desta forma evite a interação social. Esse comportamento pode, muitasinteração social. Esse comportamento pode, muitas vezes, ser interpretado como confusão.vezes, ser interpretado como confusão.
  9. 9. 9 Modificações Físicas doModificações Físicas do EnvelhecimentoEnvelhecimento ► Sistema CardiovascularSistema Cardiovascular  As doenças cardiovascularesAs doenças cardiovasculares são as causas mais importantessão as causas mais importantes de morte no idoso.de morte no idoso.  Diminuição da elasticidade doDiminuição da elasticidade do músculo cardíaco ou dasmúsculo cardíaco ou das válvulas cardíacas.válvulas cardíacas.  Resposta menos eficiente aoResposta menos eficiente ao estresse.estresse.  Hipertensão Arterial apresenta-Hipertensão Arterial apresenta- se como fator de risco maisse como fator de risco mais grave nos idosos por ser maisgrave nos idosos por ser mais frequente e por levar ao AVC,frequente e por levar ao AVC, ou às disfunçõesou às disfunções cardiovasculares comocardiovasculares como arritmias, ICC, arteriosclerose earritmias, ICC, arteriosclerose e IAMIAM
  10. 10. 10 Modificações Físicas doModificações Físicas do EnvelhecimentoEnvelhecimento ► Sistema RespiratórioSistema Respiratório  Geram incapacidade eGeram incapacidade e disfunções pulmonares,disfunções pulmonares, aumento do diâmetro torácicoaumento do diâmetro torácico antero-posterior, colapso dasantero-posterior, colapso das vértebras por osteoporose,vértebras por osteoporose, calcificação das cartilagenscalcificação das cartilagens costais, mobilidade reduzidacostais, mobilidade reduzida das costelas, músculosdas costelas, músculos respiratórios insuficientes,respiratórios insuficientes, aumento da rigidez pulmonar eaumento da rigidez pulmonar e diminuição da áreas dediminuição da áreas de superfície dos alvéolos.superfície dos alvéolos.  Todos esses fatores levam aTodos esses fatores levam a ineficácia da troca gasosa,ineficácia da troca gasosa, capacidade vital diminuída ecapacidade vital diminuída e maior predisposição àsmaior predisposição às infecções respiratórias.infecções respiratórias.
  11. 11. 11 Modificações Físicas doModificações Físicas do EnvelhecimentoEnvelhecimento ► Sistema GastrointestinalSistema Gastrointestinal  Função não se altera,Função não se altera,  Queixas mais comuns: perdas dosQueixas mais comuns: perdas dos dentes e diminuição do fluxodentes e diminuição do fluxo salivar,salivar,  Peristalse e esvaziamento gástricoPeristalse e esvaziamento gástrico diminuídos o que leva a sensaçãodiminuídos o que leva a sensação de queimação e indigestão,de queimação e indigestão,  Reduçao na absorção de ferro,Reduçao na absorção de ferro, cálcio e vitamina B12 com o reflexocálcio e vitamina B12 com o reflexo da menor secreção de algumasda menor secreção de algumas enzimas do processo digestivo,enzimas do processo digestivo,  Outras queixas: constipação eOutras queixas: constipação e flatulência devido ao efeito colateralflatulência devido ao efeito colateral de alguns medicamentos,de alguns medicamentos, problemas emocionais, inatividade,problemas emocionais, inatividade, ingestão hídrica insuficiente eingestão hídrica insuficiente e alimentação pobre em fibras.alimentação pobre em fibras.
  12. 12. 12 Modificações Físicas doModificações Físicas do EnvelhecimentoEnvelhecimento ► Sistema Músculo EsqueléticoSistema Músculo Esquelético  Diminuição gradual e progressiva daDiminuição gradual e progressiva da massa óssea principalmente pelamassa óssea principalmente pela predisposição à osteoporose após apredisposição à osteoporose após a menopausa, pela inatividade, pelamenopausa, pela inatividade, pela ingestão inadequada de cálcio e àingestão inadequada de cálcio e à perda de estrogênios.perda de estrogênios.  Tais fraturas ocorrem principalmenteTais fraturas ocorrem principalmente nas vértebras dorsais, úmero, fêmur enas vértebras dorsais, úmero, fêmur e tíbia.tíbia.  As alterações osteoporóticas naAs alterações osteoporóticas na coluna, a cifose e a flexão dos quadriscoluna, a cifose e a flexão dos quadris e joelhos leval a diminuiçao dae joelhos leval a diminuiçao da estarura nas idades mais avançadasestarura nas idades mais avançadas afetando a mobilidade e o equilíbrio.afetando a mobilidade e o equilíbrio.  Os músculos diminuem de tamanho eOs músculos diminuem de tamanho e perdem a flexibilidade e resistênciaperdem a flexibilidade e resistência pela menor atividade.pela menor atividade.  Articulações menos flexíveis.Articulações menos flexíveis.  Fraqueza das paredes musculares,Fraqueza das paredes musculares, levando à formação de hérnias oulevando à formação de hérnias ou saída de órgãos de áreassaída de órgãos de áreas enfraquecidas das paredes. Umaenfraquecidas das paredes. Uma consequencia das hérnias é tornarconsequencia das hérnias é tornar mais dificil a evacuaçãomais dificil a evacuação
  13. 13. 13 Modificações Físicas doModificações Físicas do EnvelhecimentoEnvelhecimento ► Sistema GeniturinárioSistema Geniturinário  Sem alterações funcionais;Sem alterações funcionais;  Existe perda primária de algunsExiste perda primária de alguns néfronsnéfrons  Ureteres, bexiga e a uretraUreteres, bexiga e a uretra perdem o tônus muscular;perdem o tônus muscular;  Incapacidade de esvaziamentoIncapacidade de esvaziamento completo da bexiga durante acompleto da bexiga durante a micção e a retenção urináriamicção e a retenção urinária pode predispor à infecções, napode predispor à infecções, na mulher ocorre principalmentemulher ocorre principalmente pela diminuição do tonuspela diminuição do tonus muscular perineal,muscular perineal,  A hiperplasia prostática benignaA hiperplasia prostática benigna é comum entre os idosos, o queé comum entre os idosos, o que complica o problema decomplica o problema de retenção urináriaretenção urinária
  14. 14. 14 Modificações Físicas doModificações Físicas do EnvelhecimentoEnvelhecimento ► Sistema Tegumentar (copiar)Sistema Tegumentar (copiar)  Perda de gordura e água, causando enrugamento ePerda de gordura e água, causando enrugamento e flacidez;flacidez;  Palidez cutânea, pela insuficiência capilar,Palidez cutânea, pela insuficiência capilar,  Unhas espessas e quebradiças;Unhas espessas e quebradiças;  Regiões com excesso de pigmentação, formandoRegiões com excesso de pigmentação, formando placas elevadas amareladas ou marrons;placas elevadas amareladas ou marrons;  Aparecimento de lesões ásperas e descamativas,Aparecimento de lesões ásperas e descamativas, semelhantes à verrugas as quais podem levar aosemelhantes à verrugas as quais podem levar ao câncer;câncer;  Cabelos mais finos, que usualmente ficam descorados;Cabelos mais finos, que usualmente ficam descorados;  Diminuição da secreção sebácea, fazendo com que aDiminuição da secreção sebácea, fazendo com que a pele e os cabelos se tornem secos;pele e os cabelos se tornem secos;
  15. 15. 15 Modificações Físicas doModificações Físicas do EnvelhecimentoEnvelhecimento ► Sistema Reprodutor (copiar)Sistema Reprodutor (copiar)  Sofre mudanças estreitamente ligadas aos níveisSofre mudanças estreitamente ligadas aos níveis hormonais;hormonais;  A capacidade de ter intercurso sexual com sucesso eA capacidade de ter intercurso sexual com sucesso e satisfação diminui, mas ainda está presente;satisfação diminui, mas ainda está presente;  É necesária alguma acomodação (ajuste) para aÉ necesária alguma acomodação (ajuste) para a resposta de ereção mais lenta,resposta de ereção mais lenta,  Há adelgaçamento dos tecidos vaginais e menosHá adelgaçamento dos tecidos vaginais e menos lubrificação;lubrificação;  Com assistência adequada, as respostas sexuaisCom assistência adequada, as respostas sexuais podem continuar.podem continuar.
  16. 16. 16 ► Sexualidade e os idososSexualidade e os idosos:: (copiar)(copiar)  Apesar do estigma, o cabeloApesar do estigma, o cabelo estando grisalho,a peleestando grisalho,a pele enrugada e o corpo não tãoenrugada e o corpo não tão ágil, dentro de sí, a pessoaágil, dentro de sí, a pessoa tem sentimentos e anseiatem sentimentos e anseia por amor e afeição.por amor e afeição.  Sem essa NHB satisfeita aSem essa NHB satisfeita a auto-estima diminui.auto-estima diminui.  Os relacionamentosOs relacionamentos significantes que trazemsignificantes que trazem amor, afeição e amizadeamor, afeição e amizade podem ser perdidod porpodem ser perdidod por morte ou distanciamentomorte ou distanciamento geográfico.geográfico. ► (copiar)Como profissionais de(copiar)Como profissionais de Enfermagem, há várias atitudes queEnfermagem, há várias atitudes que podemos tomar para ajudar ospodemos tomar para ajudar os residentes a manter a sexualidade:residentes a manter a sexualidade: ► Ajudar na sua boa aparência, jóias,Ajudar na sua boa aparência, jóias, maquiagem, dependendo do desejomaquiagem, dependendo do desejo deles;deles; ► Use frequentemente o toqueUse frequentemente o toque segurando a mão, dando umsegurando a mão, dando um abraço, etcabraço, etc ► Converse com os residentes emConverse com os residentes em nível adultonível adulto ► Apóie as amizades entre osApóie as amizades entre os residenteresidente ► Casais têm direito à privacidadeCasais têm direito à privacidade quando desejarem, exceto quandoquando desejarem, exceto quando houver contra-indicação médicahouver contra-indicação médica
  17. 17. 17 Modificações Físicas doModificações Físicas do EnvelhecimentoEnvelhecimento ► Aspectos CognitivosAspectos Cognitivos  As pessoas idosas,As pessoas idosas, especialmente depoisespecialmente depois dos 70 anos, têmdos 70 anos, têm menor capacidade demenor capacidade de aprender e de adquiriraprender e de adquirir novas habilidades,novas habilidades, porém taisporém tais incapacidades sãoincapacidades são facilmente superadasfacilmente superadas pela motivação epela motivação e desempenho da pessoadesempenho da pessoa idosa.idosa.
  18. 18. 18 Modificações PsicológicasModificações Psicológicas ► Constituem um problema comum, principalmenteConstituem um problema comum, principalmente nas pessoas idosas que não têm convívio social,nas pessoas idosas que não têm convívio social, como as institucionalizadas;como as institucionalizadas; ► Estima-se que cerca de 75% dos idosos queEstima-se que cerca de 75% dos idosos que vivem em casas de repouso representam algumvivem em casas de repouso representam algum tipo de demência, além disso, muitos idosostipo de demência, além disso, muitos idosos podem apresentar depressão, esquizofrenia epodem apresentar depressão, esquizofrenia e ansiedade.ansiedade. ► As mudanças físicas que interferem na atividade eAs mudanças físicas que interferem na atividade e na aparência, podem dificultar a adaptação dana aparência, podem dificultar a adaptação da pessoa ao envelhecimento porque estãopessoa ao envelhecimento porque estão diretamente ligadas a auto-estima. (culturadiretamente ligadas a auto-estima. (cultura estigmatizada)estigmatizada)
  19. 19. 19 Modificações PsicológicasModificações Psicológicas ► DEPRESSÃO:DEPRESSÃO:  A depressão é um distúrbio afetivo muito comum nasA depressão é um distúrbio afetivo muito comum nas idades avançadas, qualquer tipo de depressão, poridades avançadas, qualquer tipo de depressão, por menor que seja, pode interferir negativamente namenor que seja, pode interferir negativamente na qualidade de vida da pessoa idosa.qualidade de vida da pessoa idosa.  Os sinais de depressão incluem tristeza, fadiga,Os sinais de depressão incluem tristeza, fadiga, diminuição da memória e da concentração, sentimentosdiminuição da memória e da concentração, sentimentos de culpa em relação aos acontecimentos do passado,de culpa em relação aos acontecimentos do passado, sentimentos de desvalia, distúrbios do sono, do apetite,sentimentos de desvalia, distúrbios do sono, do apetite, inquietude e desatenção.inquietude e desatenção.
  20. 20. 20 Modificações PsicológicasModificações Psicológicas ► Síndrome Mental Orgânica:Síndrome Mental Orgânica:  Grupo de sintomas associadosGrupo de sintomas associados com uma disfunção patológicacom uma disfunção patológica do cérebro, que geramdo cérebro, que geram alterações de memória, juízo,alterações de memória, juízo, cognição, intelecto ecognição, intelecto e comportamento. As síndromescomportamento. As síndromes mais comuns são delírio emais comuns são delírio e demência.demência.  O delírio apresenta quadro deO delírio apresenta quadro de confusão e progride paraconfusão e progride para desorientação e alteração nodesorientação e alteração no nível de consciência. Onível de consciência. O pensamento é desorganizado epensamento é desorganizado e a atenção só é mantida pora atenção só é mantida por curto período de tempo.curto período de tempo. Podem ocorrer alucinações,Podem ocorrer alucinações, ilusões, medo, ansiedade eilusões, medo, ansiedade e paranóia.paranóia.  A demência é usualmenteA demência é usualmente crônica e irreversívelcrônica e irreversível caracterizada por umcaracterizada por um declínio geral dodeclínio geral do funcionamento nãofuncionamento não intelectual que pode incluirintelectual que pode incluir perda da memória, doperda da memória, do pensamento abstrato, dopensamento abstrato, do juízo e da linguagem.juízo e da linguagem. Podem ocorrer alteraçõesPodem ocorrer alterações na personalidade e dasna personalidade e das habilidades na realizaçãohabilidades na realização das AVD. Normalmente osdas AVD. Normalmente os sintomas são sutis esintomas são sutis e progridem lentamente. Aprogridem lentamente. A demência mais comum é ademência mais comum é a doença de Alzheimer.doença de Alzheimer.
  21. 21. 21 Modificações PsicológicasModificações Psicológicas  Doença de Alzheimer:Doença de Alzheimer: responsável por 50% dasresponsável por 50% das demências nos idosos. Édemências nos idosos. É progressiva e irreversível,progressiva e irreversível, caracterizada por perdascaracterizada por perdas graduais da função cognitiva egraduais da função cognitiva e distúrbios de comportamento edistúrbios de comportamento e do afeto.do afeto.  Tais sinais são decorrentes deTais sinais são decorrentes de lesão neuronal do córtexlesão neuronal do córtex cerebral e diminuição docerebral e diminuição do tamanho da massa cefálicatamanho da massa cefálica  As células principalmenteAs células principalmente acometidas por essa doençaacometidas por essa doença são aquelas que utilizamsão aquelas que utilizam neurotransmissor acetilcolina,neurotransmissor acetilcolina, especialmente envolvido com aespecialmente envolvido com a memória.memória.  Nos estágios iniciais da doençaNos estágios iniciais da doença ocorrem períodos deocorrem períodos de esquecimento e uma sutil perdaesquecimento e uma sutil perda da memória que evoluem parada memória que evoluem para perdas de memória diárias. Operdas de memória diárias. O diálogo torna-se difícil pelodiálogo torna-se difícil pelo esquecimento de palavras eesquecimento de palavras e pela impossibilidade de formarpela impossibilidade de formar frases. Além disso, a pessoafrases. Além disso, a pessoa com Alzheimer pode apresentarcom Alzheimer pode apresentar comportamento impulsivo,comportamento impulsivo, depressivo, paranóide e hostil.depressivo, paranóide e hostil.
  22. 22. 22 Modificações PsicológicasModificações Psicológicas ► Ajustes Emocionais ao EnvelhecimentoAjustes Emocionais ao Envelhecimento (copiar)(copiar)  São basicamente extensões que o indivíduo fez aoSão basicamente extensões que o indivíduo fez ao longo da vida às diversas mudanças de caráter pessoal.longo da vida às diversas mudanças de caráter pessoal.  As tensões pelas circunstâncias e pelas doenças queAs tensões pelas circunstâncias e pelas doenças que acompanham a velhice tendem a acentuar-se ou atéacompanham a velhice tendem a acentuar-se ou até mesmo distorcer-se.mesmo distorcer-se.  Os idosos têm as mesmas necessidades emocionaisOs idosos têm as mesmas necessidades emocionais que os mais jovens e necessitam os mesmos suportesque os mais jovens e necessitam os mesmos suportes para a boa saúde mental:para a boa saúde mental: ► Serem amadosSerem amados ► Terem sentimentos de conquista e reconhecimentoTerem sentimentos de conquista e reconhecimento ► Ter um certo grau de segurança financeiraTer um certo grau de segurança financeira
  23. 23. 23 Modificações PsicológicasModificações Psicológicas  As oportunidades para convívio social e para expressão sexual, seAs oportunidades para convívio social e para expressão sexual, se restringem muito à medida que passam os anos.restringem muito à medida que passam os anos.  A atitude no mundo ocidental em relação ao idoso tende a renegá-A atitude no mundo ocidental em relação ao idoso tende a renegá- los para uma significância cada vez menorlos para uma significância cada vez menor  Na velhice precisam ser feitos alguns ajustes nas atitudes e nasNa velhice precisam ser feitos alguns ajustes nas atitudes e nas perspectivas psicológicas de todas as pessoas. As respostasperspectivas psicológicas de todas as pessoas. As respostas emocionais mais sadias são baseadas em:emocionais mais sadias são baseadas em: ► Filosofias que aceitam o envelhecimento como um estágio progressivoFilosofias que aceitam o envelhecimento como um estágio progressivo ► Atitudes frente à vida que reconheçam a força e as limitações doAtitudes frente à vida que reconheçam a força e as limitações do corpocorpo ► Uma forma de comportamento que demonstra interesse em viver aquiUma forma de comportamento que demonstra interesse em viver aqui e agora.e agora. Ajuste psicológico sadio significa uma avaliação realista dasAjuste psicológico sadio significa uma avaliação realista das circunstâncias atuais e uma valorização das coisas positivas frente aoscircunstâncias atuais e uma valorização das coisas positivas frente aos aspectos negativos..aspectos negativos..
  24. 24. 24 Modificações PsicológicasModificações Psicológicas ► FrustraçãoFrustração (copiar)(copiar) ► Emoção comum no idoso em virude dasEmoção comum no idoso em virude das limitações físicas e da perda de controle de sualimitações físicas e da perda de controle de sua vida. Por isso, é importante dar ao idoso avida. Por isso, é importante dar ao idoso a oportunidade de tomar tantas decisões quanto foroportunidade de tomar tantas decisões quanto for possível.possível.  Os sinais mais frequentes de frustação são:Os sinais mais frequentes de frustação são: ► Comportamento agressivoComportamento agressivo ► RaivaRaiva ► HostilidadeHostilidade ► Comportamento exigenteComportamento exigente ► QueixasQueixas ► ChoroChoro
  25. 25. 25 Modificações PsicológicasModificações Psicológicas ► Ansiedade (copiar)Ansiedade (copiar) ► A ansiedade e o medo podem se manifestar por períodosA ansiedade e o medo podem se manifestar por períodos de depressão e ausência. A depressão do idoso éde depressão e ausência. A depressão do idoso é facilmente compreensível, sendo que em muitos casosfacilmente compreensível, sendo que em muitos casos eles:eles:  São cortados de seu sistema de apois socialSão cortados de seu sistema de apois social  Tiveram que fazer grandes mudanças no seu estilo de vidaTiveram que fazer grandes mudanças no seu estilo de vida  Podem ter perdido entes amados e amigosPodem ter perdido entes amados e amigos  Podem ter grande limitação financeiraPodem ter grande limitação financeira  Podem realmente achar que não tem mais controle sobre seuPodem realmente achar que não tem mais controle sobre seu destino ou mesmo as AVDdestino ou mesmo as AVD  Podem ter atingido seu ponto de ruptura por causa de fraquezaPodem ter atingido seu ponto de ruptura por causa de fraqueza física e de doença.física e de doença.
  26. 26. 26 Modificações PsicológicasModificações Psicológicas ► Ausência (copiar)Ausência (copiar) ► Resposta muitoResposta muito comum às frustrações,comum às frustrações, se mostrando como:se mostrando como:  Falta deFalta de comunicabilidadecomunicabilidade  Confusão temporáriaConfusão temporária  Desorientação noDesorientação no tempo e no espaçotempo e no espaço ► O que fazer para ajudar?O que fazer para ajudar?  Assegurar que não serãoAssegurar que não serão abandonados;abandonados;  Tratando-os com respeito paraTratando-os com respeito para reforçar a auto-estimareforçar a auto-estima  Ajudando-o calmamente a manter oAjudando-o calmamente a manter o contato com a realidade enquantocontato com a realidade enquanto transmite seus sentimentos detransmite seus sentimentos de compaixão e preocupaçãocompaixão e preocupação  Comunicando ao seu supervisor asComunicando ao seu supervisor as mudanças de comportamento,mudanças de comportamento, oscilações de humor e respostasoscilações de humor e respostas emocionais, de modo que todos osemocionais, de modo que todos os assistentes possam formar umaassistentes possam formar uma rede de apoio.rede de apoio.  Respondendo às atitudes negativasRespondendo às atitudes negativas com disposição para ouvir ecom disposição para ouvir e interagir, enfatizando os aspectosinteragir, enfatizando os aspectos positivos.positivos.
  27. 27. 27 2ª Aula09/12/2008Terça-feira Habilidades Visoespaciais; Memória; Demência; Doença de Alzheimer; Demência por múltiplos infartos; Doença de Parkinson; Depressão; Delirium; Distúrbios do Sono; Catarata; Glaucoma; Degeneração Macular Senil; Retinopatia Diabética; Insuficiência Cardíaca; Doença Arterial Coronariana; Hipertensão Arterial; Manobra de Osler; Hipertensão Sistólica Isolada; Acidente Vascular Cerebral; Hipotensão Ortostática; Dislipidemia; Pneumonia; 2ª Aula2ª Aula
  28. 28. 28 Habilidades VisoespaciaisHabilidades Visoespaciais ►O idoso apresenta declínio de julgamentoO idoso apresenta declínio de julgamento visoperceptivo, dificuldade na organizaçãovisoperceptivo, dificuldade na organização visoperceptiva e construções mais lentas,visoperceptiva e construções mais lentas, levando à maior dificuldade na orientação,levando à maior dificuldade na orientação, mesmo em ambientes familiares,mesmo em ambientes familiares, dificuldade para estimar distâncias edificuldade para estimar distâncias e manipular objetos, além de hesitação nomanipular objetos, além de hesitação no andar, que é um fator de risco para quedas.andar, que é um fator de risco para quedas.
  29. 29. 29 MemóriaMemória ►O idoso apresenta alterações na memória,O idoso apresenta alterações na memória, principalmente de fatos recentes, o queprincipalmente de fatos recentes, o que dificulta a aprendizagem.dificulta a aprendizagem.
  30. 30. 30 DemênciaDemência ► É uma síndrome de disfunção adquirida eÉ uma síndrome de disfunção adquirida e persistente das funções intelectuais, quepersistente das funções intelectuais, que compromete pelo menos três das seguintescompromete pelo menos três das seguintes atividades mentais: linguagem, memória,atividades mentais: linguagem, memória, capacidade visoespacial, personalidade,capacidade visoespacial, personalidade, cognição, julgamento e solução de problemas.cognição, julgamento e solução de problemas. Caracterizada por deterioração do comportamentoCaracterizada por deterioração do comportamento ou personalidade. É um distúrbio crônico eou personalidade. É um distúrbio crônico e degenerativo. O diagnóstico é clínico, comprovadodegenerativo. O diagnóstico é clínico, comprovado por testes neuropsicológicos e examespor testes neuropsicológicos e exames laboratoriais e de imagem.laboratoriais e de imagem.
  31. 31. 31 Doença de Alzheimer (DA)Doença de Alzheimer (DA) ► É a mais prevalente entre as demências, decorrente daÉ a mais prevalente entre as demências, decorrente da degeneração neural de caráter progressivo.degeneração neural de caráter progressivo. ► Manifestações clínicas freqüentesManifestações clínicas freqüentes: perda gradual da: perda gradual da memória recente e da memória remota; perda do olfato;memória recente e da memória remota; perda do olfato; dificuldade de aprender novas informações; deterioraçãodificuldade de aprender novas informações; deterioração da higiene pessoal; incapacidade de concentração;da higiene pessoal; incapacidade de concentração; dificuldade crescente de abstração e de julgamento;dificuldade crescente de abstração e de julgamento; comunicação comprometida; perda da coordenaçãocomunicação comprometida; perda da coordenação motora; incapacidade de escrever ou falar; despertarmotora; incapacidade de escrever ou falar; despertar noturno; sinais de ansiedade; perda do contato visual enoturno; sinais de ansiedade; perda do contato visual e olhar temeroso; confusão aguda; agitação; comportamentoolhar temeroso; confusão aguda; agitação; comportamento obsessivo compulsivo.obsessivo compulsivo.
  32. 32. 32 Doença de Alzheimer (DA)Doença de Alzheimer (DA) ► Cuidados de Enfermagem:Cuidados de Enfermagem: ► - Proporcione um sistema de comunicação efetivo;- Proporcione um sistema de comunicação efetivo; ► - Use um tom de voz tranqüilo e um modo de falar lento e- Use um tom de voz tranqüilo e um modo de falar lento e calmo ao se dirigir ao cliente;calmo ao se dirigir ao cliente; ► - Permita tempo suficiente para o cliente responder às- Permita tempo suficiente para o cliente responder às perguntas;perguntas; ► - Proteja o cliente contra lesão;- Proteja o cliente contra lesão; ► - Proporcione períodos de repouso;- Proporcione períodos de repouso; ► - Estimule a independência do cliente;- Estimule a independência do cliente; ► - Ofereça toalete freqüente;- Ofereça toalete freqüente; ► - Auxilie o cliente na higiene e no vestir-se;- Auxilie o cliente na higiene e no vestir-se; ► - Administre os fármacos prescritos.- Administre os fármacos prescritos.
  33. 33. 33 Demência por Múltiplos InfartosDemência por Múltiplos Infartos ► Termo utilizado para descrever o declínioTermo utilizado para descrever o declínio cognitivo decorrente da doença cerebrovascular.cognitivo decorrente da doença cerebrovascular. É um distúrbio mental orgânico que se caracterizaÉ um distúrbio mental orgânico que se caracteriza por um declínio da função mental. Caracterizadapor um declínio da função mental. Caracterizada por uma lesão cerebral, ocorre quando opor uma lesão cerebral, ocorre quando o suprimento de sangue ao cérebro é prejudicado.suprimento de sangue ao cérebro é prejudicado. Os sintomas podem ser: vertigens, cefaléia,Os sintomas podem ser: vertigens, cefaléia, diminuição do vigor físico e mental, hemiparesia,diminuição do vigor físico e mental, hemiparesia, marcha em pequenos passos, disfagia, disartria emarcha em pequenos passos, disfagia, disartria e risos imotivados.risos imotivados.
  34. 34. 34 Doença de ParkinsonDoença de Parkinson ► É um distúrbio neurológico progressivo que afeta osÉ um distúrbio neurológico progressivo que afeta os centros cerebrais responsáveis pelo controle e regulaçãocentros cerebrais responsáveis pelo controle e regulação do movimento. É caracterizado por rigidez muscular,do movimento. É caracterizado por rigidez muscular, tremor, bradicinesia, disfagia, fadiga nas atividades datremor, bradicinesia, disfagia, fadiga nas atividades da vida diária, câimbras musculares nas pernas, no pescoçovida diária, câimbras musculares nas pernas, no pescoço e no tronco, pele oleosa, insônia, alterações do humor,e no tronco, pele oleosa, insônia, alterações do humor, disartria voz monótona e de tom alto, salivação. É umadisartria voz monótona e de tom alto, salivação. É uma perda causada por uma perda de neurônios pigmentados.perda causada por uma perda de neurônios pigmentados. ► CausasCausas: em geral é de causa desconhecida, ou devido à: em geral é de causa desconhecida, ou devido à exposição às toxinas como poeira de manganês eexposição às toxinas como poeira de manganês e monóxido de carbono e induzidas por fármacosmonóxido de carbono e induzidas por fármacos (haloperidol, metildopa, reserpina).(haloperidol, metildopa, reserpina). ► IncidênciaIncidência: é o 2º distúrbio que mais afeta o idoso tendo: é o 2º distúrbio que mais afeta o idoso tendo maior incidência após os 60 anos. É mais comum emmaior incidência após os 60 anos. É mais comum em homens do que em mulheres.homens do que em mulheres.
  35. 35. 35 Doença de ParkinsonDoença de Parkinson ► Cuidados de Enfermagem:Cuidados de Enfermagem: ► - Proteja o cliente contra lesão;- Proteja o cliente contra lesão; ► - Enfatiza a importância de períodos de repouso entre as- Enfatiza a importância de períodos de repouso entre as atividades;atividades; ► - Assegure nutrição adequada;- Assegure nutrição adequada; ► - Providencie banhos mornos freqüentes e massagem;- Providencie banhos mornos freqüentes e massagem; ► - Estimule o cliente a participar de um programa de- Estimule o cliente a participar de um programa de fisioterapia;fisioterapia; ► - Prestar apoio emocional e psicológico;- Prestar apoio emocional e psicológico; ► - Estimular o cliente a ser independente;- Estimular o cliente a ser independente; ► - Ajudar na deambulação e nos exercícios de amplitude de- Ajudar na deambulação e nos exercícios de amplitude de movimentos;movimentos; ► - Administras os fármacos prescritos.- Administras os fármacos prescritos.
  36. 36. 36 DepressãoDepressão ► Distúrbio da área afetiva ou doDistúrbio da área afetiva ou do humor no ser humano, comhumor no ser humano, com forte impacto funcional emforte impacto funcional em qualquer faixa etária, dequalquer faixa etária, de natureza multifatorial,natureza multifatorial, envolvendo aspectos de ordemenvolvendo aspectos de ordem biológica, psicológica e social.biológica, psicológica e social. ► Fatores relacionados com aFatores relacionados com a fragilidade da saúde, doençasfragilidade da saúde, doenças cerebrovasculares, IAM,cerebrovasculares, IAM, osteoartrose, DPOC, demência,osteoartrose, DPOC, demência, fatores psicossociais (viuvez,fatores psicossociais (viuvez, pobreza, institucionalização,pobreza, institucionalização, solidão, morte de parentes ousolidão, morte de parentes ou amigos)amigos) ► O diagnóstico pode serO diagnóstico pode ser realizado pelo examerealizado pelo exame físico e neurológico;físico e neurológico; Escala para Avaliação deEscala para Avaliação de Depressão.Depressão. ► O tratamento deve serO tratamento deve ser realizado por uma equiperealizado por uma equipe interdisciplinar com drogasinterdisciplinar com drogas antidepressivas,antidepressivas, psicoterapia, apoio social,psicoterapia, apoio social, acompanhamento deacompanhamento de patologias associadas e opatologias associadas e o uso correto de medicaçõesuso correto de medicações de doenças crônicas.de doenças crônicas.
  37. 37. 37 DepressãoDepressão ► Cuidados de Enfermagem:Cuidados de Enfermagem: ► - Estimule a participação em terapia individual e em grupo;- Estimule a participação em terapia individual e em grupo; ► - Estimule a verbalização e a expressão de sentimentos;- Estimule a verbalização e a expressão de sentimentos; ► - Ouça com atenção e respeito;- Ouça com atenção e respeito; ► - Proporcione uma rotina estruturada;- Proporcione uma rotina estruturada; ► - Estimule a interação com outras pessoas;- Estimule a interação com outras pessoas; ► - Registre observações e diálogos importantes;- Registre observações e diálogos importantes; ► - Adote um papel ativo na iniciação da comunicação;- Adote um papel ativo na iniciação da comunicação; ► - Planeja atividades para quando os níveis de energia do- Planeja atividades para quando os níveis de energia do cliente estiverem mais elevados;cliente estiverem mais elevados; ► - Não colabore com as obsessões de seu cliente, ou seja,- Não colabore com as obsessões de seu cliente, ou seja, crie distrações.crie distrações.
  38. 38. 38 DeliriumDelirium ► Estado confucional agudo,Estado confucional agudo, é uma síndromeé uma síndrome caracterizada pelocaracterizada pelo comprometimento decomprometimento de funções cognitivas,funções cognitivas, desenvolvida em horas,desenvolvida em horas, dias ou poucas semanas.dias ou poucas semanas. ► A fisiopatologia não é bemA fisiopatologia não é bem conhecida, mas acredita-conhecida, mas acredita- se que existe disfunçãose que existe disfunção dos neurotransmissoresdos neurotransmissores que têm participaçãoque têm participação importante na patogêneseimportante na patogênese do delirium.do delirium. ► Fatores relacionados:Fatores relacionados:  Doenças crônicas e graves;Doenças crônicas e graves;  Síndrome demencial deSíndrome demencial de qualquer etilogia;qualquer etilogia;  Doença cerebral difusa;Doença cerebral difusa;  Desnutrição proteicoDesnutrição proteico calóricacalórica  Déficit de vitaminas;Déficit de vitaminas;  Privação da visão,Privação da visão, alimentação, sono ealimentação, sono e audição;audição;  Pressão socia ouPressão socia ou psicológica, com perdaspsicológica, com perdas funcionais ou emocionaisfuncionais ou emocionais gravesgraves
  39. 39. 39 Distúrbios do SonoDistúrbios do Sono ► O idoso dorme em média e horas; o sono é superficial comO idoso dorme em média e horas; o sono é superficial com ausência de estágios mais profundos;ausência de estágios mais profundos; ► 90% dos idosos apresentam queixas relacionadas com o90% dos idosos apresentam queixas relacionadas com o sono, dificuldade em manter o sono noturno, diminuição dasono, dificuldade em manter o sono noturno, diminuição da capacidade de dormir, aumento dos problemas decapacidade de dormir, aumento dos problemas de respiração durante o sono e mudanças de fase do sono.respiração durante o sono e mudanças de fase do sono. ► Os principais distúrbios do sono estão relacionados comOs principais distúrbios do sono estão relacionados com perturbações neuropsiquiátricas, dor e limitação deperturbações neuropsiquiátricas, dor e limitação de mobilidade, hábitos insatisfatórios e errôneos, refluxosmobilidade, hábitos insatisfatórios e errôneos, refluxos gastroesofágicos, causas iatrogênicas e causasgastroesofágicos, causas iatrogênicas e causas ambientais diversas.ambientais diversas.
  40. 40. 40 Distúrbios do SonoDistúrbios do Sono ► Intervenções de EnfermagemIntervenções de Enfermagem::  Suporte à função cognitivaSuporte à função cognitiva  Reduzir a ansiedade e a agitaçãoReduzir a ansiedade e a agitação  Melhorar a comunicaçãoMelhorar a comunicação  Promover independência nas atividadesPromover independência nas atividades de autocuidadode autocuidado  Estabelecer rotinasEstabelecer rotinas  Evitar confrontosEvitar confrontos  Atender a socialização e necessidade deAtender a socialização e necessidade de intimidadeintimidade  Promover equilíbrio da atividade ePromover equilíbrio da atividade e repousorepouso  Dar o suporte orientando os familiaresDar o suporte orientando os familiares cuidadorescuidadores  Exercício físicoExercício físico  Melhorar a mobilidadeMelhorar a mobilidade  Orientar técnica de caminharOrientar técnica de caminhar ► Realizar banho aquecido e massagemRealizar banho aquecido e massagem ► Promover o auto-cuidadoPromover o auto-cuidado ► Melhorar a eliminação intestiinalMelhorar a eliminação intestiinal ► Melhorar a nutriçãoMelhorar a nutrição ► Anotar as informações sobre o sonoAnotar as informações sobre o sono ► Avaliar as atividades de lazerAvaliar as atividades de lazer ► Avaliar o ambiente físicoAvaliar o ambiente físico ► Respeitar as rotinas do idoso antes deRespeitar as rotinas do idoso antes de dormirdormir ► Estimulá-lo a diminuição do fumo, alcool,Estimulá-lo a diminuição do fumo, alcool, ou ingestão excessiva de alimentos àou ingestão excessiva de alimentos à noite, incluindo cafeínanoite, incluindo cafeína ► Orientar para que evite atividades físicasOrientar para que evite atividades físicas 6 horas antes de dormir6 horas antes de dormir ► Proporcionar um ambiente bom paraProporcionar um ambiente bom para dormirdormir ► Promover higiene do sonoPromover higiene do sono ► Condições do mobiliárioCondições do mobiliário ► Orientar uso de roupas adequadasOrientar uso de roupas adequadas ► Ingerir bebidas mornas antes de deitarIngerir bebidas mornas antes de deitar
  41. 41. 41 CatarataCatarata ► Doença ocular que mais afetaDoença ocular que mais afeta os idosos.os idosos. ► Caracterizada pela opacidadeCaracterizada pela opacidade do cristalino, a qual determinado cristalino, a qual determina progressivamente em ambos osprogressivamente em ambos os olhos, uma visão embaraçada eolhos, uma visão embaraçada e distorcida.distorcida. ► É responsável por grande parteÉ responsável por grande parte das cegueiras nos idosos.das cegueiras nos idosos. ► Tratamento cirúrgico e consisteTratamento cirúrgico e consiste na remoção do cristalinona remoção do cristalino opacificado e no implante deopacificado e no implante de lente intraocular.lente intraocular.
  42. 42. 42 GlaucomaGlaucoma ► Doença ocular que leva à cegueira.Doença ocular que leva à cegueira. ► Caracterizada por lesões típicas no disco óptico eCaracterizada por lesões típicas no disco óptico e pela queda na sensibilidade retiniana à luz, epela queda na sensibilidade retiniana à luz, e associada a vários fatores.associada a vários fatores. ► É uma neuropatia.É uma neuropatia. ► Inicialmente não apresenta sintomas, só quandoInicialmente não apresenta sintomas, só quando existe a perda da visão que é gradual eexiste a perda da visão que é gradual e progressiva.progressiva. ► A terapêutica deve ser iniciada precocemente eA terapêutica deve ser iniciada precocemente e consiste no controle da pressão intra-ocular, porconsiste no controle da pressão intra-ocular, por meio de medicamentos.meio de medicamentos.
  43. 43. 43 Degeneração Macular SenilDegeneração Macular Senil ►Acomete indivíduos com mais de 60 anos.Acomete indivíduos com mais de 60 anos. ►Leva à perda da visão central, reduzindo oLeva à perda da visão central, reduzindo o reconhecimento de formas e a sensibilidadereconhecimento de formas e a sensibilidade à luz.à luz. ►Pode ser classificada como não-exsudativaPode ser classificada como não-exsudativa e exsudativa.e exsudativa. ►Doença crônica, progressiva degenerativa,Doença crônica, progressiva degenerativa, usualmente bilateral.usualmente bilateral. ►Não existe tratamento.Não existe tratamento.
  44. 44. 44 Retinopatia DiabéticaRetinopatia Diabética ► Afeta indivíduos principalmente com idadeAfeta indivíduos principalmente com idade superior aos 50 anos.superior aos 50 anos. ► Caracterizada pelas mudanças degenerativasCaracterizada pelas mudanças degenerativas microvasculares e posteriormente, em mudançasmicrovasculares e posteriormente, em mudanças proliferativas de neovascularização.proliferativas de neovascularização. ► As mudanças que podem ocorrer tardiamente sãoAs mudanças que podem ocorrer tardiamente são grandes hemorragias provenientes de novosgrandes hemorragias provenientes de novos vasos sanguineos.vasos sanguineos. ► A indicação terapêutica é fotocoagulação a laser.A indicação terapêutica é fotocoagulação a laser.
  45. 45. 45 Retinopatia DiabéticaRetinopatia Diabética cuidados de enfermagem:cuidados de enfermagem:
  46. 46. 46
  47. 47. 47 Avaliação CardiovascularAvaliação Cardiovascular ►Maior prevalência de HAS e doença arterialMaior prevalência de HAS e doença arterial coronariana.coronariana. ►Em repouso, o idoso não sofre alterações.Em repouso, o idoso não sofre alterações. ►Em situações de esforço físico, ocorreEm situações de esforço físico, ocorre maior débito cardíaco.maior débito cardíaco. ►Os vasos sanguineos apresentamOs vasos sanguineos apresentam alterações morfolgicas e teciduais mesmoalterações morfolgicas e teciduais mesmo na ausência de patologiasna ausência de patologias
  48. 48. 48 Insuficiência CardíacaInsuficiência Cardíaca
  49. 49. 49
  50. 50. 50 Hipertensão ArterialHipertensão Arterial ► Está entre as doenças queEstá entre as doenças que mais acometem os idosos;mais acometem os idosos; ► Os principais sinais eOs principais sinais e sintomas são:sintomas são:  CefaléiaCefaléia  Dor na nucaDor na nuca  VertigensVertigens  Distúrbios visuaisDistúrbios visuais  Cansaço e fraquezaCansaço e fraqueza  Ansiedade e nervosismoAnsiedade e nervosismo ► O objetivo é manter aO objetivo é manter a pressão arterial sistólicapressão arterial sistólica inferior a 140mmHg e ainferior a 140mmHg e a diastólica 90mmHg.diastólica 90mmHg. ► O tratamentoO tratamento medicamentoso e omedicamentoso e o controle da pressãocontrole da pressão arterial reduzem aarterial reduzem a incidência de problemasincidência de problemas cognitivos.cognitivos.
  51. 51. 51 Manobra de OslerManobra de Osler ►Quadro de pseudo-hipertensão é umQuadro de pseudo-hipertensão é um fenômeno comum no idoso.fenômeno comum no idoso.  Insuflar o manguito no braço até oInsuflar o manguito no braço até o desaparecimento do pulso radial;desaparecimento do pulso radial;  Se a artéria for palpável após esseSe a artéria for palpável após esse procedimento, o cliente deve ser consideradoprocedimento, o cliente deve ser considerado Osler positivo.Osler positivo.
  52. 52. 52 Hipertensão Sistólica IsoladaHipertensão Sistólica Isolada ►Muito comum na população com 65 anosMuito comum na população com 65 anos ou mais, quase 40% dos indivíduos têmou mais, quase 40% dos indivíduos têm HSI, e representam praticamente 2/3 deHSI, e representam praticamente 2/3 de todos os idosos hipertensos.todos os idosos hipertensos.
  53. 53. 53 Acidente Vascular CerebralAcidente Vascular Cerebral (AVC)(AVC) ►O controle da HAS reduz sua incidência.O controle da HAS reduz sua incidência. ►Principal causa de dependência funcional,Principal causa de dependência funcional, podendo levar a complicações graves,podendo levar a complicações graves, como:como:  Incontinência urináriaIncontinência urinária  DisfagiaDisfagia  DepressãoDepressão  Dor crônicaDor crônica
  54. 54. 54 Hipotensão OrtostáticaHipotensão Ortostática ►Caracterizada pela diminuição da PA.Caracterizada pela diminuição da PA. ►Associada a queixas de tontura, visãoAssociada a queixas de tontura, visão borrada e peso nas pernas ao se levantarborrada e peso nas pernas ao se levantar de repente.de repente. ►O uso de hipotensores agrava o quadro,O uso de hipotensores agrava o quadro, podendo provocar quedas ou outrospodendo provocar quedas ou outros acidentesacidentes
  55. 55. 55 DislipidemiaDislipidemia ►Caracterizada pela elevação de um ou maisCaracterizada pela elevação de um ou mais lípides no sangue pela incapacidade dalípides no sangue pela incapacidade da pessoa idosa remover a gordura do sangue.pessoa idosa remover a gordura do sangue. ►O tratamento consiste em atividade física,O tratamento consiste em atividade física, dieta e tratamento medicamentoso.dieta e tratamento medicamentoso.
  56. 56. 56 DislipidemiaDislipidemia
  57. 57. 57
  58. 58. 58 Avaliação da RespiraçãoAvaliação da Respiração ► Os profissionais da saúdeOs profissionais da saúde devem estar atentos para osdevem estar atentos para os principais sintomas:principais sintomas:  TosseTosse  DispnéiaDispnéia  CianoseCianose  Alterações no ritmo, sons e daAlterações no ritmo, sons e da amplitude da respiraçãoamplitude da respiração  padrão respiratóriopadrão respiratório ► Verificar:Verificar:  FrequenciaFrequencia  DuraçãoDuração  HorárioHorário  Fatores que favorecem oFatores que favorecem o aparecimento de afecçõesaparecimento de afecções respiratórias entre os idosos:respiratórias entre os idosos: ► TabagismoTabagismo ► Fatores ambientaisFatores ambientais ► ImobilidadeImobilidade ► Ingesta hídrica inadequadaIngesta hídrica inadequada ► ObesidadeObesidade ► Pós-operatorioPós-operatorio ► Alterações psicológicasAlterações psicológicas ► Doenças crônicasDoenças crônicas ► disfagiadisfagia
  59. 59. 59
  60. 60. 60 3ª Aula3ª Aula ► 3ª Aula17/12/2008Quarta-feira3ª Aula17/12/2008Quarta-feira  Alterações Gastrointestinais: Avaliação dasAlterações Gastrointestinais: Avaliação das Eliminações; Eliminação Fecal; Eliminação Urinária;Eliminações; Eliminação Fecal; Eliminação Urinária; Infecção do Trato Urinário; Incontinência Urinária;Infecção do Trato Urinário; Incontinência Urinária; Prostatite; Hiperplasia Prostática Benigna;Prostatite; Hiperplasia Prostática Benigna; Adenocarcinoma de Próstata;Adenocarcinoma de Próstata;  Alterações na locomoção e na mobilidade;Alterações na locomoção e na mobilidade;  OsteoporoseOsteoporose  QuedasQuedas  Sistema Endócrino, Diabetes MelittusSistema Endócrino, Diabetes Melittus
  61. 61. 61 4ª Aula4ª Aula ►4ª Aula18/12/2008Quinta-feira4ª Aula18/12/2008Quinta-feira  VacinaçãoVacinação  Envelhecimento BucalEnvelhecimento Bucal  Contexto Social do EnvelhecimentoContexto Social do Envelhecimento  Rompendo MitosRompendo Mitos
  62. 62. 62 ► 5ª Aula19/12/2008Sexta-feira5ª Aula19/12/2008Sexta-feira  Elaboração de Estudo DirigidoElaboração de Estudo Dirigido
  63. 63. 63 20092009 ►6ª Aula05/01/2009Segunda-feira6ª Aula05/01/2009Segunda-feira  Apresentação de Seminários com os seguintesApresentação de Seminários com os seguintes temas:temas:  Direitos Humanos e o Cidadão IdosoDireitos Humanos e o Cidadão Idoso  Violência Contra o IdosoViolência Contra o Idoso  Estatuto do IdosoEstatuto do Idoso  Qualidade de VidaQualidade de Vida  Dinâmicas de Grupo que podem serDinâmicas de Grupo que podem ser trabalhadas com pessoas idosastrabalhadas com pessoas idosas
  64. 64. 64 7ª Aula06/01/2009Terça-feira Plantão de Dúvidas e Avaliação Final

×