Distúrbios da escrita

796 visualizações

Publicada em

Distúrbio da escrita

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
796
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
67
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Distúrbios da escrita

  1. 1. ESCOLA MUNICIPAL WOLFANGO FERREIRA SEMINÁRIO DISTÚRBIOS DA ESCRITA CLEIDE MARA PEREIRA NORMA THAIS TOMAZ TORRES
  2. 2. “Ninguém educa ninguém, como tampouco ninguém educa a si mesmo: os homens se educam em comunhão, mediatizados pelo mundo. (...) A leitura do mundo precede a leitura da palavra e a leitura desta implica a continuidade da leitura daquele. “ Paulo Freire
  3. 3. Através de experiências e estudos científicos constatou-se que o sucesso da criança na aprendizagem da leitura e da escrita depende de seu desenvolvimento e amadurecimento:  FISIOLÓGICO;  EMOCIONAL;  NEUROLÓGICO;  INTELECTUAL E SOCIAL;
  4. 4. CAUSAS DOS DISTÚRBIOS DA ESCRITA  Orgânicas – cardiopatias, encefalopatias, deficiências sensoriais, motoras e intelectuais, disfunção cerebral e outras enfermidades de longa duração ou permanentes (Anemia Falciforme);  Pscicológicas – desajustes emocionais;  Pedagógicas – métodos inadequados de ensino, falta de estimulação, ausência de pré-requisitos e habilidades, relacionamento professor-aluno;  Sócio- culturais – falta de estimulação, desnutrição, privação cultural do meio, marginalização;  Dislexia;
  5. 5. À ESCOLA CABE ... À ESCOLA cabe desenvolver a linguagem oral que o aluno traz, através da ATIVIDADE PEDAGÓGICA, que deve garantir a aprendizagem da Leitura e da ESCRITA.
  6. 6. AO EDUCADOR CABE ... A responsabilidade de, através se situações concretas envolvendo objetos e o próprio corpo do aluno, com atividades motoras, preparar a criança ou o adulto antes de expô-los a atividades gráficas. Sugestão de atividades: Jogos em sala de aula Jogos corporativos
  7. 7. A FALA, A LEITURA E A ESCRITA Segundo Poppovic, “ a fala, a leitura e a escrita não podem ser consideradas como funções autônomas e isoladas, mas sim como manifestações de um mesmo sistema, que é o sistema funcional da linguagem.” O ser humano apresenta basicamente 3 sistemas verbais: AUDITIVO - PALAVRA FALADA VISUAL – PALAVRA LIDA ESCRITO
  8. 8. COMO SE PROCESSA ... O sistema verbal AUDITIVO é o primeiro a ser adquirido porque é o mais fácil e o que exige menos maturidade psiconeurológica. LINGUAGEM INTERNA – Johnson e Myklebust – para que a palavra tenha significado ela precisa representar uma determinada unidade de experiência.
  9. 9. COMO SE PROCESSA...  Facetas da linguagem a serem adquiridas - RECEPÇÃO e EXPRESSÃO  A RECEPÇÃO antecede a EXPRESSÃO,ou seja, a COMPREENSÃO antecede a EXPRESSÃO no que diz respeito à palavra falada;
  10. 10. A aquisição do significado (através da OBSERVAÇÃO E EXPERIMENTAÇÃO dos objetos que nos rodeiam) para a compreensão da palavra falada. Na ausência do objeto, será capaz de evocar a sua imagem na memória.
  11. 11. Uma criança ou adulto com distúrbio de linguagem interna terá dificuldade para adquirir o significado das palavras e para transformar a experiência em símbolos verbais, como é o caso da criança ou adulto com AFASIA GLOBAL.
  12. 12. AFASIA  A afasia é um distúrbio da linguagem que afeta a produção ou a compreensão da fala e da habilidade de ler ou escrever.  Pode resultar o de uma lesão no cérebro, (resultado de um acidente vascular cerebral);  Traumatismo craniano;  Tumores cerebrais;  ou, ainda de Infecções (ex: Meningite).
  13. 13. PRÉ REQUISITOS PARA A AQUISIÇÃO DA LEITURA E DA ESCRITA  PRONTIDÃO PARA APRENDER ter um nível suficiente para iniciar o processo da função simbólica (a leitura) e sua transposição gráfica (a escrita).  PERCEPÇÃO através dos órgãos dos sentidos que a criança estabelece o contato com o mundo;  ESQUEMA CORPORAL conhecimento do próprio corpo
  14. 14.  LATERALIDADE preferência neurológica por um lado do corpo.  ORIENTAÇÃO ESPACIAL E TEMPORAL  COORDENAÇÃO VISO MOTORA integração entre os movimentos do corpo (gloaais específicos) e a visão;
  15. 15.  RITMO – noção de duração e sucessão – percepção dos sons no tempo.  ANÁLISE E SÍNTESE VISUAL E AUDITIVA – habilidade em visualizar o todo, dividi-lo em partes e juntá-las para voltar ao todo.  HABILIDADES VISUAIS;
  16. 16.  HABILIDADES AUDITIVAS  MEMÓRIA CINÉSTESICA capacidade da criança em reter os movimentos motores necessários à realização gráfica.  LINGUAGEM ORAL ;
  17. 17. ÁREAS CEREBRAIS
  18. 18. O PROCESSO DA ESCRITA  AUDIÇÃO - Palavra falada – CARRO  Significado –  VISÃO - Palavra Escrita - CARRO
  19. 19. DISTÚRBIOS DA ESCRITA Encontramos basicamente 3 tipos: Disgrafias, as Disortográficas e os Erros de formulação e sintaxe; DISGRAFIA é a dificuldade em passar para a escrita o estímulo visual da palavra impressa. Caracteriza-se pelo lento traçado das letras, que em geral são ilegíveis.
  20. 20. O DISGRÁFICO NÃO É ...  deficiente visual nem motor;  Não tem comprometimento intelectual ou neurológico.  NÃO consegue idealizar no PLANO MOTOR o que captou no PLANO VISUAL:
  21. 21.  Podem ser incapazes de segurar um lápis ou de traçar uma linha;  Podem ser capazes de fazer desenhos simples mas não de copiar figuras ou palavras mais complexas;  Podem conseguir reproduzir legivelmente uma palavra, mas distorcem a sequência dos movimentos quando escrevem;
  22. 22. DISORTOGRAFIA Caracteriza-se pela incapacidade de transcrever corretamente a linguagem oral, havendo trocas ortográficas e confusão de letras. Essa dificuldade não implica a diminuição da qualidade do traçado das letras.
  23. 23. ERROS DE FORMULAÇÃO E SINTAXE Encontra-se bem detalhado nos trabalhos desenvolvidos por Doris J. Johnson e Helmer Myklebust.
  24. 24. Trata-se de casos em que o indivíduo consegue ler com fluência e apresenta uma linguagem oral perfeita, compreendendo e copiando palavras, mas não consegue escrever cartas e nem dar respostas a perguntas escritas em provas,
  25. 25. HIPÓTESES DA ESCRITA INFANTIL SEGUNDO EMÍLIA FERREIRO  PRÉ-SILÁBICA – Nível 1 e Nível 2  HIPÓTESE SILÁBICA  HIPÓTESE SILÁBICO-ALFABÉTICA  HIPÓTESE ALFABÉTICA
  26. 26. COMO DEVO PROCEDER? 1. A memória visual deve ser estimulada constantemente; 2. Uso de fichas de apoio onde constem as letras do alfabeto, as famílias silábicas e os números, para que ela possa utilizá-los enquanto faz seu trabalho escrito. 3. Desenvolvimento de trabalhos manuais que estimulem a memória visual e a coordenação motora;
  27. 27. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA  JOSÉ, Elisabete da Assunção; COELHO, Maria Teresa; Problemas de Aprendizagem. Série Educação. 13ª edição. São Paulo. Editora Ática, 1991.
  28. 28. OBRIGADA!!!!!

×