Arte gótica

1.382 visualizações

Publicada em

Introdução 3
A Arte Gótica 4
Arquitectura Gótica 5
Características da Arte Gótica 5
Catedral Gótica 6
Elementos Construtivos 7
Algumas Catedrais Góticas 8
- Catedral de Reims, França 8
- Catedral de Amiens, França 8
- Catedral de Colônia, Alemanha 8
- Catedral de León, Espanha 8
- Catedral de Bourges, França 8
- Catedral de Burgos, Espanha 8
- Catedral de Lincoln, Inglaterra 8
- Catedral de Salisbury, Inglaterra 8
- Catedral de Notre-Dame, Paris
Escultura Gótica
Pintura Gótica
Principais Artistas Góticos
Iluminura

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.382
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Arte gótica

  1. 1. Trabalho realizado por: Kripali Veneraz Lacmane nº11 Escola Secundária António Damásio História e Cultura das Artes Modulo 4 – A Cultura da Catedral A Arte Gótica Professora: Helena Melo Ano Lectivo: 2013/2014
  2. 2. Índice Introdução .......................................................................................................................... 2 A Arte Gótica ....................................................................................................................... 3 Arquitectura Gótica ............................................................................................................. 4 Características da Arte Gótica ............................................................................................... 4 Catedral Gótica.................................................................................................................... 5 Elementos Construtivos ........................................................................................................ 6 Algumas Catedrais Góticas .................................................................................................... 7 - Catedral de Reims, França .................................................................................................. 7 - Catedral de Amiens, França ................................................................................................ 7 - Catedral de Colônia, Alemanha ........................................................................................... 7 - Catedral de León, Espanha ................................................................................................. 7 - Catedral de Bourges, França ............................................................................................... 7 - Catedral de Burgos, Espanha .............................................................................................. 7 - Catedral de Lincoln, Inglaterra ............................................................................................ 7 - Catedral de Salisbury, Inglaterra ......................................................................................... 7 - Catedral de Notre-Dame, Paris ........................................................................................... 7 Escultura Gótica ................................................................................................................... 8 Pintura Gótica...................................................................................................................... 9 Principais Artistas Góticos .................................................................................................. 10 Iluminura .......................................................................................................................... 11 Conclusão ......................................................................................................................... 13 ´
  3. 3. Introdução Este trabalho foi realizado no âmbito da disciplina de História e Cultura das Artes, com o intuito de concluir o que demos no módulo IV sobre a Arte Gótica. Foi dado a escolha sobre o que queríamos abordar, portanto decidi falar sobre a arte gótica. Com isto em mente caracterizei a arte gótica, em que altura surgiu as principais características, os elementos que contem e ainda dei exemplos de algumas catedrais góticas e dos mais importantes artistas da época que se dedicaram a esta arte. Falei ainda da influência que este tipo de arquitectura teve em Portugal, em que altura surgiu, bem como os seus exemplos. Jardim das Delícias Terrenas - Hieronymus Bosh
  4. 4. A Arte Gótica O estilo gótico desenvolveu-se, entre os finais do século xx e o século xv na Europa, principalmente em França a norte de Paris e a partir daí estendeu-se a toda a Europa. Surgiu num período de grandes transformações sociais e económicas e é identificado como a Arte das Catedrais. Este estilo arquitectónico é caracterizado pela forma ogival das abóbodas e dos arcos. A arte gótica reflecte o desenvolvimento das cidades e surge como resposta à austeridade do estilo românico. A designação de gótico terá sido atribuída durante o Renascimento por oposição à nova tendência greco-romana. Gótico significaria bárbaro/godo. Catedral de Notre Dame, França
  5. 5. Arquitectura Gótica A arquitectura foi a principal expressão da arte gótica e propagou-se por diversas regiões da Europa, principalmente com as construções de grandiosas igrejas. Apoiava-se nos princípios de um forte simbolismo teológico, as paredes eram a base espiritual da Igreja, os pilares representavam os santos, e os arcos e os nervos eram o caminho para deus. Alem disso, eram ensinados ao povo as histórias e relatos contidos nas Sagradas Escrituras através dos vitrais pintados e decorados por meio da mágica luminosidade de cores. Do ponto de vista material, a construção gótica diferenciou-se pela elevação e desmaterialização das paredes, assim como pela especial distribuição da luz no espaço. Tudo isso foi possível graças a duas das inovações arquitectónicas mais importantes desse período: o arco em ponta, responsável pela elevação vertical do edifício, e a abóbada cruzada, que veio permitir a cobertura de espaços quadrados, curvos ou irregulares. No entanto, ainda considera-se o arco de ogiva como a característica marcante deste estilo. Características da Arte Gótica - Verticalidade dos edifícios; - Leveza no interior; - Janelas predominantes com a introdução de vitrais que permitiam a iluminação natural; - Torres embelezadas com rosáceas; - Utilização do arco de volta quebrada; - Consolidação dos arcos feita por abóbodas de arcos cruzados ou de ogivas; - Nas torres (principalmente nas torres sineiras) os telhados são em forma de pirâmide;
  6. 6. Catedral Gótica A arte gótica teve na Catedral a sua maior expansão, o que imediatamente distingue uma Catedral Gótica é a sua elevação e verticalidade. O exterior duma catedral gótica é imponente e profusamente decorado. O interior é amplo, elevado e luminoso, tem formas arquitectónicas graciosas e leves, quase sem peso se as compararemos com a solidez maciça dos interiores românicos. As catedrais têm grandes janelas adornadas de magníficos vitrais que dão ao interior uma luminosidade coada que deslumbra e convida à meditação. “Deus é luz e essa vivência espiritual é deliberadamente realçada pelo estilo gótico.” Catedral de Bourges, França Elementos Estruturais
  7. 7. Elementos Construtivos Arco Quebrado – vem substituir o arco de volta perfeita, semicircular, utilizado na arte românica; o arco quebrado ou ogival pode ser “estirado” em altura, independentemente da largura da sua base, isto confere aos portais e às arcaturas interiores um aspecto de verticalidade e elevação. Abóboda de cruzamento de ogivas - deriva da abóboda de aresta e identifica-se facilmente pelos arcos diagonais de suporte (ogivas); ao contrário das abóbodas de berço do estilo românico (que descarregavam o peso de forma continua sobre as paredes), as abóbodas góticas são articuladas, isto é composta por secções independentes (tramos); os arcos de cada tramo desempenham o papel de uma armação, suportando o peso da abóboda e descarregando-o nos pilares. É esta concentração do peso em pontos específicos que permite fragilizar as paredes, introduzindo-lhes grandes aberturas preenchidas por vitrais. Arcobotantes- reforçam no exterior os pontos de pressão. Os arcobotantes compõem-se por duas partes: uma massa sólida, espécie de contraforte (estribo) e um ou mais arcos que, partindo o estribo vêm apoiar as paredes da nave central. Para reforçar o estribo, este é muitas vezes encimado por um pináculo. Arco Quebrado Abóboda de cruzamento de ogivas Arcobotantes
  8. 8. Algumas Catedrais Góticas - Catedral de Reims, França - Catedral de Amiens, França - Catedral de Colônia, Alemanha - Catedral de León, Espanha - Catedral de Bourges, França - Catedral de Burgos, Espanha - Catedral de Lincoln, Inglaterra - Catedral de Salisbury, Inglaterra - Catedral de Notre-Dame, Paris
  9. 9. Escultura Gótica A escultura gótica desenvolveu-se paralelamente à arquitectura das Igrejas e está presente nas fachadas, tímpanos e portais das catedrais, que foram o espaço ideal para sua realização. Caracterizou-se por um calculado naturalismo que, mais do que as formas da realidade, procurou expressar a beleza ideal do divino; no entanto a escultura pode ser vista como um complemento à arquitectura, na medida em que a maior parte das obras foi desenvolvida separadamente e depois colocadas no interior das Igrejas, não fazendo parte necessariamente da estrutura arquitectónica. A princípio, as estátuas eram alongadas e não possuíam qualquer movimento, com um acentuado predomínio da verticalidade, o que praticamente fazia-as desaparecer. A rejeição à frontalidade é considerado um aspecto inovador e a rotação das figuras passa a ideia de movimento, quebrando o rigorismo formal. As figuras vão adquirindo naturalidade e dinamismo, as formas tornam-se arredondadas, a expressão do rosto acentua-se e aparecem as primeiras cenas de diálogo nos portais. Gárgula da Catedral de Notre Dame, Paris Tímpano com Juízo Final Catedral de Bourges
  10. 10. Pintura Gótica A pintura gótica desenvolveu-se nos séculos XII,XIV e no início do século XV, quando começou a ganhar novas características que prenunciam o renascimento. A sua principal particularidade foi a procura do realismo na representação dos seres que compunham as obras pintadas, quase sempre tratando de temas religiosos, apresentava personagens de corpos pouco volumosos cobertos por muita roupa e com o olhar voltado para cima em direcção ao plano celeste. A pintura teve um papel importante na arte gótica pois pretendeu transmitir não apenas as cenas tradicionais que marcam a religião, mas a leveza e a pureza da religiosidade. Caracterizada pelo naturalismo e pelo simbolismo, utilizavam-se principalmente cores claras. Apesar de continuar a existir uma pintura religiosa, a transformação da sociedade propicia a introdução de temas novos, os profanos encomendados aos pintores pela nobreza e pela nova burguesia das cidades. Tem inicio o género do retracto, a pormenorização das paisagens e a descrição dos trabalhos do campo e das cidades. A Anunciação - Gentile de Fabriano, Pinacoteca do Vaticano Anunciação- Simone Martini, Florença
  11. 11. Principais Artistas Góticos - Giotto de Bondone: A característica principal do seu trabalho foi a identificação da figura dos santos como seres humanos de aparência bem comum, e esses santos com ar de homem comum eram o ser mais importante das cenas que pintava, ocupando sempre posição de destaque na pintura. Assim a pintura de Giotto vem ao encontro de uma visão humanista do mundo, que vai cada vez mais fixar até ganhar plenitude no Renascimento. - Jan Van Eyck: Procurava registar nas suas pinturas os aspectos da vida urbana e da sociedade da sua época. Nota-se nas suas pinturas um cuidado com a perspectiva, procurando mostrar os detalhes e as paisagens. - Rogier Van der Weyden: Rogier foi bastante aclamado durante a sua vida e vários pintores europeus como Zanetto Bugatto, foram enviados para a oficina de Rogier para aprender com o mestre. A sua obra influenciou vários artistas como Hans Memling, Petrus Christus, Fran Floris, entre outos. - Duccio di Buonensegna: Foi provavelmente o artista mais influente de Siena do seu tempo, a figura mais importante chamada de Escola Sienesa. Considera-se que Duccio teve grande influência na formação do estilo gótico internacional e que influenciou Simone Martini, os irmãos Ambrogio, Pietro Lorenzetti e outros. O seu rival na época foi Giotto, mestre da Escola Florentina. - Hieronymus Bosh: Muitos dos seus trabalhos retractam cenas de pecados e tentação, recorrendo à utilização de figuras simbólicas complexas, originais, imaginativas e caricaturais muitas das quais eram obscuras mesmo no seu tempo. Afrescos da igreja de são Francisco de Assis Giotto O Casal Arnolfini, Jan Van Eyck The Fall of Adam de Rogier Van der Weyden Maesta de Duccio di Buonensegna
  12. 12. Iluminura Iluminura é uma ilustração sobre o pergaminho dos livros manuscritos, o desenvolvimento deste género é ligado à difusão dos livros ilustrados, património quase exclusivo dos mosteiros: no clima de fervor cultural que caracterizava a arte gótica, os manuscritos eram encomendados por particulares, aristocratas e burgueses. É precisamente por esta razão que os grandes livros litúrgicos (a Bíblia e os Evangelhos) eram ilustrados pelos iluministas góticos em formatos manejáveis. Biblioteca da Catedral, Esztergom Durante o século XII e até o século XV, a arte ganhou uma forma de expressão nos objectos preciosos e nos ricos manuscritos ilustrados. Os copistas dedicavam-se à transcrição dos textos sobre as páginas. Ao realizar essa tarefa, deixavam espaços para que os artistas fizessem as ilustrações, os cabeçalhos, os títulos ou as letras maiúsculas com que se iniciava um texto. Da observação dos manuscritos ilustrados podemos tirar duas conclusões: a primeira é a compreensão do carácter individualista que a arte da ilustração ganhava, pois destinava-se aos poucos possuidores das obras copiadas, a segunda é que os artistas ilustradores do período gótico tornaram-se tão habilidosos na representação do espaço tridimensional e na compreensão analítica de uma cena, que os seus trabalhos acabaram por influenciar outros pintores. Pinturas dos irmãos de Limbourg
  13. 13. O Gótico em Portugal O gótico em Portugal foi um movimento artístico que se centrou no desenvolvimento da arquitectura e artes plásticas, focada sobretudo nas construções religiosas. Apareceu no final do século XII e prolongou-se através do estilo Manuelino (gótico tardio) até ao século XV. Na escultura destacam-se os túmulos de D. Pedro I e de Inês de Castro, no Mosteiro de Alcobaça (séc. XIV), os túmulos reais do Mosteiro da Batalha (séc. XV), os túmulos da Sé de Lisboa, e das Sés de Braga e Évora (séc. XIV-XV) e muitos outros. Na pintura destaca-se Nuno Gonçalves e os Painéis de São Vicente (cerca de 1470), atribuídos a ele e hoje no Museu Nacional de Arte Antiga de Lisboa. Durante o século XV e início do século XVI, os estilos góticos e manuelino foram levados pelos portugueses a seus domínios d’além mares, particularmente as ilhas atlânticas dos Açores e Madeira. Por exemplo, a Sé do Funchal (capital da Ilha da Madeira), construída entre 1493 e 1514, é uma típica igreja gótica-manuelina. No Brasil, por outro lado, não há construções góticas ou manuelinas, devido a que a colonização do território começou a partir de 1530, quando o estilo renascentista já era o estilo usado em Portugal. Mosteiro da Batalha mandado edificar por D. João I de Portugal Túmulo de D. Pedro I, Mosteiro de Alcobaça
  14. 14. Conclusão Com este trabalho conclui que a arte gótica é uma arte muito complexa e que é também muito bela. Gostei de realizar este trabalho pois aprendi as características da arte gótica que não conhecia e a sua beleza. Tive facilidade em encontrar informação sobre a arte gótica devido à sua enorme vastidão de conteúdos.

×