Treinamento de Administracao do Tempo

14.159 visualizações

Publicada em

Para investir seu tempo, você tem que encarar o custo de renunciar às outras oportunidades para fazer o que você escolheu.

Você está usando seu tempo para realizar o que é importante para você?

Às vezes, você sente que está correndo sem sair do lugar?

“Dinheiro é importante, mas você sempre poderá ganhar mais dinheiro depois. Porém, você jamais poderá recuperar dois anos ‘perdidos’ da sua vida”

Publicada em: Educação
2 comentários
36 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
14.159
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
31
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
2
Gostaram
36
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Time Paradox, p.11-12“Não importa como você escolhe investir seu tempo, você terá que encarar o custo de renunciar às outras oportunidades para fazer o que você escolheu. Com dinheiro você tem a opção conservadora de guardá-lo em um banco, com o tempo não”, Zimbardo e Boyd
  • !!!A últimaperguntanãopodeestarnaimpressa!!!
  • Limitado … nãoquerendodeixá-los deprimidosPerecível … São Longuinhonãoajudaachar tempo perdido.
  • Fazer as coisas certas (eficácia): as atividades que ajudarão a atingir os resultados
  • [[[Citacao estilo facebook]]]
  • E aí ? Muitacorreria?
  • http://www.youtube.com/watch?v=skLr9B-xQjE
  • http://www.ted.com/talks/nigel_marsh_how_to_make_work_life_balance_work.htmlIntroduzircontando a história de que um diaelefoibuscar um dos 4 filhosnaescola, comeramuma pizza, eledeu um banho e contouhistóriasparadormir. Quandoiasaindo do quarto o filho o chamou e dissequeaqueletinhasido o diamais legal de suavida.
  • Pg ??XXX???
  • http://www.psychosomaticmedicine.org/cgi/reprint/49/2/159.pdfEducation about CHD: Educational material is presented about CHD and its known risk factors, excluding psychologic risk factors.Education about TABP: Educational material is presented about TABP or similar syndromes of coronary-prone behavior.Relaxation Training: Relaxation excercises of the "deep-muscle" or ")acobsonian" variety are taught; yoga is included here.Cognitive Therapy: Cognitive restructuring techniques are taught such as the identification and modification of TABP cognitions (e.g., "I have to get there faster" ischanged to "I'm going fast enough").Imaging: Arousing situations such as a traffic jam or confrontation with a boss are imagined and specific coping skills such as relaxation training or cognitive restructuring are applied.Behavior Modification: Type B coping skills are rehearsed through role playing or behavioral prescriptions are given to be carried out between sessions.Emotional Support: Subjects are encouraged to ventilate their painful affects and experiences in an empathic atmosphere.Psychodynamic Interpretation: Psychodynamic interpretations are made of the unconscious motives and conflicts underlying TABP
  • (A Estratégia da Tartaruga, pág. 114)Citacao: tartaruga p.73Gregorio Marañón y Posadillo (Madrid, 19 de maio de 1887 - Madrid, 27 de março de 1960) foi um médico, cientista, historiador, escritor e filósofo espanhol.Em homenagem, a estação das linhas 7 e 10 do Metro de Madrid leva o nome de Gregorio Marañón.
  • http://www.youtube.com/watch?v=skLr9B-xQjE
  • E aí ? Muitacorreria?
  • Oscompromissosficamcravadosna agendaRotina: ocorrem periodicamente:Exemplos: emissão de relatórios, reuniões de planejamento/avaliação periódicas, etc.Não Rotina (projetos):Exemplos: participação no treinamento de administração do tempo, criação da especificação do novo projeto, reunião de concepção do novo produto, etc.
  • Procrastination can manifest itself as a dysfunctional and maladaptive behavior which results in unhappiness, task failure or guilt (Ferrari 1995). It can cause great personal stress and is correlated with negative school performance, life dissatisfaction and anxiety (McCown and Johnson 1989 as cited by Ferrari 1995). Procrastination is also associated with severe psychological disturbances and/or substance abuse which require clinical intervention. Clinical techniques should only be used by a competent clinical psychologist. If you are feeling concerned or upset about your procrastination please contact your local physician, psychiatrist or counselor.
  • http://www.psychologytoday.com/articles/200308/procrastination-ten-things-knowThere are many ways to avoid success in life, but the most sure-fire just might be procrastination. Procrastinators sabotage themselves. They put obstacles in their own path. They actually choose paths that hurt their performance.Why would people do that? I talked to two of the world's leading experts on procrastination: Joseph Ferrari, Ph.D., associate professor of psychology at De Paul University in Chicago, and Timothy Pychyl, Ph.D., associate professor of psychology at Carleton University in Ottawa, Canada. Neither one is a procrastinator, and both answered my many questions immediately.Twenty percent of people identify themselves as chronic procrastinators. For them procrastination is a lifestyle, albeit a maladaptive one. And it cuts across all domains of their life. They don't pay bills on time. They miss opportunities for buying tickets to concerts. They don't cash gift certificates or checks. They file income tax returns late. They leave their Christmas shopping until Christmas eve.It's not trivial, although as a culture we don't take it seriously as a problem. It represents a profound problem of self-regulation. And there may be more of it in the U.S. than in other countries because we are so nice; we don't call people on their excuses ("my grandmother died last week") even when we don't believe them.Procrastination is not a problem of time management or of planning. Procrastinators are not different in their ability to estimate time, although they are more optimistic than others. "Telling someone who procrastinates to buy a weekly planner is like telling someone with chronic depression to just cheer up," insists Dr. Ferrari.Procrastinators are made not born. Procrastination is learned in the family milieu, but not directly. It is one response to an authoritarianparenting style. Having a harsh, controlling father keeps children from developing the ability to regulate themselves, from internalizing their own intentions and then learning to act on them. Procrastination can even be a form of rebellion, one of the few forms available under such circumstances. What's more, under those household conditions, procrastinators turn more to friends than to parents for support, and their friends may reinforce procrastination because they tend to be tolerant of their excuses.Procrastination predicts higher levels of consumption of alcoholamong those people who drink. Procrastinators drink more than they intend to—a manifestation of generalized problems in self-regulation. That is over and above the effect of avoidant coping styles that underlie procrastination and lead to disengagement viasubstance abuse.Procrastinators tell lies to themselves. Such as, "I'll feel more like doing this tomorrow." Or "I work best under pressure." But in fact they do not get the urge the next day or work best under pressure. In addition, they protect their sense of self by saying "this isn't important." Another big lie procrastinators indulge is that time pressure makes them more creative. Unfortunately they do not turn out to be more creative; they only feel that way. They squander their resources.Procrastinators actively look for distractions, particularly ones that don't take a lot of commitment on their part. Checking e-mail is almost perfect for this purpose. They distract themselves as a way of regulating their emotions such as fear of failure.There's more than one flavor of procrastination. People procrastinate for different reasons. Dr. Ferrari identifies three basic types of procrastinators:arousal types, or thrill-seekers, who wait to the last minute for the euphoric rush.avoiders, who may be avoiding fear of failure or even fear of success, but in either case are very concerned with what others think of them; they would rather have others think they lack effort than ability.decisional procrastinators, who cannot make a decision. Not making a decision absolves procrastinators of responsibility for the outcome of events.There are big costs to procrastination. Health is one. Just over the course of a single academic term, procrastinating college students had such evidence of compromised immune systems as more colds and flu, more gastrointestinal problems. And they had insomnia. In addition, procrastination has a high cost to others as well as oneself; it shifts the burden of responsibilities onto others, who become resentful. Procrastination destroys teamwork in theworkplace and private relationships.Procrastinators can change their behavior—but doing so consumes a lot of psychic energy. And it doesn't necessarily mean one feels transformed internally. It can be done with highly structuredcognitive behavioral therapy.
  • InterrupçõesIdentifique as origensDesliguenotificacao de email, facebook, twitter, etc. Aprendaondefica o botão de desligar o celularDesenvolvaumaestratégiaparaprotegerseu tempoLimite o tempo das reuniõesDeixeclaro se estiverocupadoQuando for o casoresolva em péLiguepeto do horário do almoçoou do fim do expediênteDiganãoVolte imediatamenteaotrabalhodepois de umainterrupçãoAdapte o layout da salaCombine com colegasosmomentosparanãoserinterrompidoRe-trabalhosFalta de planejamentoAusência de foco e falta de concentraçãoFaça as coisasmaisimportantesComecefazendo as coisas em ordemdecrescente de importância (nãopriorizeapenaspeloprazo)Concentre-e natarefa do momentoFinalize o quecomeçou antes de passarparapróximatarefaAcomodação e demora nas decisõesReuniões improdutivasSóparticipe se for necessárioNãofalte se for necessárioHorárioparaterminarNãopaticipe de reuniãosempautaNãosaia da pautaRegistre, especialmente as decisõesUso errado do telefone, e-mail e internetSeparemensagenspessoais das de trabalhoReserve horáriosespecíficosparatelefonemas/emailFalepoucoAoler o email tome umaacaoimediataDesorganização do espaço de trabalho
  • Seja organizado – Sucesso em 1 hora ... Get yourself orginized.
  • Randy PauschCoca-ColaIADo nascimento até a morte em 2 min
  • Exemplo de cultura de tempo e de evento; nos EUA a reuniãotermina,mesmoque o assuntoaindanãotenha se esgotado.
  • Paulistano se mostra mais disposto ao transporte públicoO gasto médio do paulistano por dia no trânsito é de 2h42; 68% consideram a situação do trânsito ruim ou péssimaAE | 16/09/2010 12:25Mudar o tamanho da letra:A+A-seloMais da metade da população de São Paulo está disposta a deixar o carro para utilizar o transporte público diariamente, num contexto de adotar novas práticas a fim de colaborar com o meio ambiente. É o que revela a quarta edição da pesquisa de percepção sobre mobilidade na capital paulista feita pelo Ibope para o Movimento Nossa São Paulo.Leia também:Pedágio urbano só tem apoio de 20% dos paulistanosPoluição do ar é a mais grave para 79% dos paulistanosO levantamento, divulgado hoje, mostra que 52% dos paulistanos estão dispostos a utilizar o transporte coletivo, ante um índice de 40% verificado na mesma pesquisa realizada no ano passado. A insatisfação com o trânsito permanece alta: 68% consideram a situação ruim ou péssima.A pesquisa revela que, de forma geral, 76% dos paulistanos deixariam de usar veículo próprio caso houvesse uma boa alternativa de transporte público. Talvez por isso 67% disseram que os governos deveriam dar mais atenção ao transporte coletivo. A pesquisa, com margem de erro de três pontos porcentuais para mais ou para menos, faz parte da programação da Semana da Mobilidade, que vai de 16 a 22 de setembro, este o Dia Mundial Sem Carro.Mas a avaliação dos paulistanos em relação ao serviço de ônibus na cidade é bastante negativa. Todas as notas ficaram abaixo da média de 5,5 - as notas vão de 1 a 10. Os itens avaliados foram lotação dos ônibus (nota 3,4), tempo de duração da viagem (4,1), acessibilidade para pessoas com deficiência (3,8), tarifa (4,0), tempo de espera nos pontos de ônibus ou terminais (4,3) e pontualidade (4,3).De acordo com o Ibope, na pesquisa, permanece a proporção dos que possuem e não possuem carro: metade tem e metade não tem. O porcentual de quem usa automóvel todos os dias ou quase diariamente variou dentro da margem de erro, de 29%, no ano passado, para 26%, este ano. No entanto, na comparação com 2008 houve queda de quatro pontos porcentuais: 30% para 26%.O tempo médio gasto de deslocamento na capital paulista para realizar a principal atividade do dia é de 1 hora e 49 minutos, ante 1 horas e 57 minutos em 2009. Já o tempo médio para efetuar todos os deslocamentos diários se manteve praticamente igual: passou de 2 horas e 43 minutos no ano passado para 2 horas e 42 minutos este ano. Diante disso, é compreensível que 68% considerem a situação do trânsito ruim ou péssima. No ano passado, o porcentual era de 71%.DesrespeitoAumentou a percepção de que há desrespeito no trânsito de São Paulo, segundo o levantamento. Subiu de 68%, no ano passado, para 79% a opinião de que motociclistas são desrespeitados. Também aumentou de 69% para 75% a percepção de desrespeito aos ciclistas. E, por fim, passou de 65% para 72% a proporção dos que acreditam que pedestres são desrespeitados.A pesquisa, realizada nos dias 25 a 30 de agosto deste ano, ouviu 805 paulistanos com 16 anos ou mais.
  • http://www.cetic.br/usuarios/ibope/tab02-01-cons.htm
  • http://www.cetic.br/usuarios/ibope/tab02-01-cons.htm
  • http://en.wikiquote.org/wiki/Randy_PauschIt is not the things we do in life that we regret on our death bed. It is the things we do not. Find your passion and follow it. And if there is anything that I have learned in life, you will not find that passion in things. And you will not find that passion in money. Because the more things and the more money you have, the more you will just look around and use that as the metric — and there will always be someone with more. Your passion must come from the things that fuel you from the inside. That passion will be grounded in people. It will be grounded in the relationships you have with people and what they think of you when your time comes.
  • Treinamento de Administracao do Tempo

    1. 1. Treinamento em Administração do Tempo<br />Duração: 8h<br />1<br />
    2. 2. Apresentação<br />2<br />
    3. 3. A PROAGE<br />Prof. George Paulus<br />Consultoria, treinamento e desenvolvimento<br />Áreas de atuação:<br />Gerenciamento de Operações<br />Gerenciamento de Projetos<br />Desenvolve e comercializa o www.GP3.com.br(software de gerenciamento de projetos)<br />Website: www.proage.com.br<br />3<br />
    4. 4. Prof. George Paulus<br />Outros Treinamentos da Proage<br />Gerenciamento de Operações:<br />Jogo de Empresas – Politron<br />Gestão de Estoques<br />Previsão de Vendas<br />BasicsofSupply Chain Management - APICS<br />Preparação para Certificação CPIM/APICS<br />Gerenciamento de Projetos<br />G. Projetos Básico (16h)<br />G. Projetos Completo (40h)<br />G. Projetos Avançado (80h)<br />G. Custos com Valor Agregado (20h)<br />Preparatório para o Exame de Certificação PMP<br />4<br />
    5. 5. Objetivos<br />Prof. George Paulus<br />Desenvolver instrumentos e habilidades para:<br />Produtividade pessoal<br />Eficácia pessoal<br />Qualidade vida<br />Capacidade de alcançar objetivos<br />Como?<br />Desconstrução do mito “não tenho tempo”<br />Entendimento da importância da alavancagem do seu tempo<br />Auto-avaliação de como você usa seu tempo<br />Conhecimento do processo de administração do tempo<br />Aprendizado com exemplos de pessoas bem sucedidas na gestão do tempo<br />Exercício de boas práticas<br />Dicas<br />5<br />
    6. 6. Exercício de Preparação para o Treinamento<br />Quais foram as principais conclusões com a experiência de preencher o formulário durante a semana passada ?<br />6<br />Prof. George Paulus<br />
    7. 7. Estrutura<br />7<br />Prof. George Paulus<br />
    8. 8. Conceitos Importantes<br />8<br />Prof. George Paulus<br />
    9. 9. Prof. George Paulus<br />Por que é Importante Administrar o Tempo?<br />Oportunidade de Tempo<br />Para investir seu tempo, você tem que encarar o custo de renunciar às outras oportunidades para fazer o que você escolheu<br />Com dinheiro você tem a opção conservadora de guardá-lo em um banco, com o tempo não<br />9<br />
    10. 10. Prof. George Paulus<br />Por que é Importante Administrar o Tempo?<br />Você está usando seu tempo para realizar o que é importante para você?<br />Às vezes, você sente que está correndo sem sair do lugar?<br />‘Onde’ vai estar daqui 1 ano, 10 anos, 25 anos?<br />10<br />
    11. 11. Questionário<br />Auto-diagnóstico de perfis de administração do tempo<br />11<br />Prof. George Paulus<br />
    12. 12. O Que é Tempo?<br />Prof. George Paulus<br />20 minutossãosempre 20 minutos, certo?<br />12<br />
    13. 13. Veja só . . .<br />13<br />Prof. George Paulus<br />
    14. 14. Características do Tempo<br />14<br />Prof. George Paulus<br />
    15. 15. Prof. George Paulus<br />Afinal, o quê significa “administrar o tempo”?<br />Administrar o tempo é auto administrar-se<br />Fazer as coisas certas (eficácia)<br />Realizar o planejado no tempo disponível<br />Controlar no quê investe o tempo <br />Controlar a qualidade de sua vida<br />Tomar decisões, às vezes duras<br />Ter disciplina para executá-las<br />15<br />
    16. 16. O Processo de Administração do TEmpo<br />16<br />Prof. George Paulus<br />
    17. 17. 17<br />Prof. George Paulus<br />Melissa Raffoni<br />A alavancagem e a administração de seu tempo exigem dedicação e persistência, mas vale a pena.<br />
    18. 18. Ciclo de Administração do Tempo<br />18<br />Prof. George Paulus<br />Execução<br />Controle<br />Semanal e Mensal<br />Diário e Semanal<br />Anual<br />
    19. 19. VisãoGeral do Processo<br />19<br />Prof. George Paulus<br />
    20. 20. Missão<br />Prof. George Paulus<br />Peter Drucker<br />A empresa não se define pelo seu nome, estatuto ou produto que faz, ela se define pela sua missão. Somente uma definição clara da missão, a razão de existir da organização, torna possíveis, claros e realistas os objetivos da empresa<br />20<br />
    21. 21. Prof. George Paulus<br />Passo 0: Definição Fundamental<br />Defina sua Missão Pessoal <br />O que é importante para você?<br />Quais são seus objetivos na vida?<br />Qual é a sua Missão?<br />21<br />
    22. 22. Vídeo: Equilíbrio Pessoal<br />22<br />Prof. George Paulus<br />
    23. 23. Equilíbrio Pessoal<br />Prof. George Paulus<br />Nigel Marsh<br />As coisas pequenas são importantes. Ser mais equilibrado não significa mudanças dramáticas na suas vidas. Com um mínimo de investimento nos lugares certos, vocês podem transformar radicalmente a qualidade de suas relações e a sua qualidade de vida.<br />Nigel Marsh<br />Isso pode transformar a sociedade, porque se um número de pessoas fizerem isso, nós podemos mudar a definição de sucesso da sociedade, da noção simplista e retardada de que a pessoa com mais dinheiro quando morrer é a vencedora, para uma definição mais atenciosa e equilibrada do que é uma vida bem vivida.<br />Fonte: TED.COM<br />23<br />
    24. 24. Equilíbrio Pessoal<br />Prof. George Paulus<br />Físico<br />Mental<br />Emocional<br />Espiritual<br />Fonte: “A Tríade do Tempo”, Christian Barbosa, 2008<br />24<br />
    25. 25. Prof. George Paulus<br />A Doença de “O Homem Orquestra”<br />Dr. Meyer Friedman e Dr. Ray H. Rosenman<br />Type A Behavior and Your Heart (1974) <br />Tipos de personalidades X Fatores de risco coronário<br />25<br />
    26. 26. Características do Tipo A<br />Prof. George Paulus<br />Urgência e impaciência<br />Propensão a acelerar a execução de qualquer tarefa<br />Avessos a estabelecer prioridades – aceitam todas solicitações<br />Hiperatividade: fazem simultaneamente tarefas de naturezas diversas (“homens orquestra”)<br />Evitam o ócio ou a inatividade<br />Comem depressa<br />Tendem a dormir pouco<br />Falam agitadamente e têm dificuldade de focar a atenção<br />Vão ao ponto, sem rodeios<br />Não “escutam seu corpo”<br />26<br />
    27. 27. Características do Tipo A<br />Prof. George Paulus<br />Ambição e necessidade de conquistas<br />Desejo de conquistas contínuas: conseguir mais, em menos tempo<br />Tendência ao perfeccionismo<br />Competitividade extrema para tudo<br />Não planejam a longo prazo<br />Ansiedade e Fantasia<br />Antecipam-se mentalmente no curto prazo<br />“ansiedade antecipatória”<br />27<br />
    28. 28. Características do Tipo A<br />Prof. George Paulus<br />Tendência a controlar os outros<br />Trabalhar em grupo é difícil<br />Hostilidade e agressividade quando quebram o ritmo<br />Minuciosos (“controladores”)<br />Incapazes de delegar funções e tarefas<br />28<br />
    29. 29. Prof. George Paulus<br />Padrão de Comportamento Tipo B<br />Pessoas mais tranqüilas e serenas<br />Assumem poucas atividades ao mesmo tempo<br />Agem com pouca ou nenhuma agressividade<br />Baixos níveis de ambição – sem perder eficácia nas relações humanas e profissionais<br />Têm probabilidade 3 a 4x menor do que pessoas Tipo A de sofrer ataque cardíaco<br />Menor risco de padecer com doenças<br />Psicossomáticas (Artrite; Câncer e Alergias variadas, Asma, Rinite, Gastrite, Úlcera, Transtornos de pele, Impotência, Hipertensão arterial)<br />Cardiovasculares (acidentes vasculares cerebrais , enfarte de miocárdio , arritmia)<br />Neurose de ansiedade<br />29<br />
    30. 30. Prof. George Paulus<br />SouTipo A – Porondecomeçar?<br />Educação sobre Doenças Coronarianas<br />Educação sobre os Tipo A e B<br />Relaxamento (como por exemplo Yoga)<br />Terapia Cognitiva<br />Imaging<br />Modificação de comportamento<br />Role playing<br />Apoio Emocional<br />30<br />
    31. 31. 31<br />Prof. George Paulus<br />Randy Pausch<br />Fotos do Mural<br />O objetivo de executar o trabalho de forma eficaz e eficiente é poder sair no horário certo e passar mais tempo com as pessoas que você ama.<br />
    32. 32. Questionário<br />Avaliação de Stress<br />32<br />Prof. George Paulus<br />Gregorio Marañón<br />Trabalho sem pressa é o maior descanso para o organismo<br />
    33. 33. Objetivos<br />Direcionam a estratégia de atuação<br />Estabelecempadrões de desempenho<br />Alinhamesforços de equipes<br />Devem ser claros<br />Devemdescrever “o quê” e não “como”<br />33<br />Prof. George Paulus<br />Escreva seus objetivos ! ! !<br />
    34. 34. Passo 1: Identifique Papéis<br />Prof. George Paulus<br />Exercício:<br />Papéis x Importância<br />Identifique os papéis que deve desempenhar na sua vida<br />34<br />
    35. 35. Prof. George Paulus<br />Passo 1: Importância dos Papéis<br />Exercício:<br />Papéis x Importância<br />Atribua a importância relativa de cada um dos papéis de forma que a soma total seja igual a 70<br />Distribua esses papéis no gráfico de pizza da folha 1<br />Papéis x Uso do Tempo<br />Determine o tempo investido em cada papel durante uma semana<br />Distribua o uso do tempo no gráfico de pizza da folha 2<br />Compare os gráficos da folhas 1 e 2<br />Registre na coluna %[2] o valor desejado [adequado] para o cumprimento da sua missão<br />35<br />
    36. 36. Vídeo: Planejamento<br />Prof. George Paulus<br />Vídeo de reflexão sobre a importância do planejamento<br />36<br />
    37. 37. O que é Planejamento ?<br />37<br />Prof. George Paulus<br />
    38. 38. 38<br />Prof. George Paulus<br />Leonard Bernstein<br />Fotos do Mural<br />Para obter grandes realizações, duas coisas são necessárias: - um plano, <br />- e não todo o temponecessário<br />
    39. 39. Passo 2 – Defina Metas SMART<br />39<br />Prof. George Paulus<br />
    40. 40. Passo 2 – Defina Metas SMART<br />40<br />Prof. George Paulus<br />
    41. 41. Passo 2 – Defina Metas SMART<br />Prof. George Paulus<br />EstabeleçaMetas SMART de curto, médio e longoprazo<br />41<br />
    42. 42. Prof. George Paulus<br />Passo 3: Liste e Analise os Afazeres<br />Compromissos têm data e hora marcados<br />Exemplo: reuniões, apresentações, seminários, etc<br />Têm menor flexibilidade para gerenciamento<br />É preciso defender o tempo livre ao marcar compromissos<br />Preparação, trânsito, imprevistos, etc.<br />Ações podem ser<br />Rotina: ocorrem periodicamente<br />Não Rotina (projetos)<br />42<br />
    43. 43. Exercício<br />Prof. George Paulus<br />Preencha o formulário:<br />Identifique todos os seus de afazeres<br />Identifiquequaissãocompromissos<br />Rotule como: Rotina ou Não-rotina<br />Relacione com cada um dos papéis identificados anteriormente<br />43<br />
    44. 44. Passo 4: Priorize<br />Prof. George Paulus<br />O cerne do problema de priorizaçãoestánaescolha do quenãoseráfeito<br />44<br />
    45. 45. O Conceito de Tríade do Tempo<br />Prof. George Paulus<br />Onde você investe seu tempo?<br />Coisas importantes<br />Atividades que trazem os resultados mais efetivos<br />Levam ao cumprimento de sua Missão<br />Coisas urgentes<br />Devem ser executadas já<br />Caso contrário irão gerar algum problema<br />Coisas circunstanciais<br />Atividades não urgentes e não importantes: realizadas em função de uma situação, condição, ambiente ou outra pessoa – sem sua vontade total<br />Exigem grande atenção, pois são grandes desperdiçadores de tempo<br />Fonte: “A Tríade do Tempo”, Christian Barbosa, 2008<br />45<br />
    46. 46. Passo 4: Priorize<br />Prof. George Paulus<br />Pratique a relação 80/20: <br />“80% do que você produz de importante num dia vem de 20% de suas atividades”<br />Otimize resultados com foco nas atividades prioritárias<br />46<br />
    47. 47. Passo 4: Priorize<br />Prof. George Paulus<br />Devemos priorizar o que é importante, ou o que é urgente?<br />Importante (valor): tem impactos nas suas metas<br />Contribui para nossa missão<br />Objetivos<br />Metas<br />Urgente (prazo): tem tempo limitado<br />Exigem nossa atenção imediata<br />Assuntos urgentes se impõem<br />É agora!<br />
    48. 48. Prioridade: Urgência x Importância<br />48<br />Prof. George Paulus<br />
    49. 49. Passo 4: Priorize<br />Prof. George Paulus<br />Exercício:<br />Para os afazeres listados anteriormente<br />Priorize:<br />Defina a importância<br />Defina urgências<br />Calcule a prioridade: “importância x urgência”<br />Destaque atividades prioritárias<br />49<br />
    50. 50. Passo 5: Elimine Hábitos Desperdiçadores de Tempo<br />Prof. George Paulus<br />As Três Barreiras:<br />50<br />
    51. 51. Questionário<br />Prof. George Paulus<br />Você é um procrastinador?<br />Fonte: www.mindtools.com<br />51<br />
    52. 52. Vídeo: Procrastinação<br />52<br />Prof. George Paulus<br />
    53. 53. Procrastinação<br />Prof. George Paulus<br />Procrastinação é o diferimento ou adiamento de uma ação<br />Resulta em<br />Stress<br />Sensação de culpa<br />Perda de produtividade<br />Vergonha em relação aos outros<br />A procrastinação crônica pode ser um sinal de alguma desordem psicológica ou fisiológica<br />53<br />
    54. 54. Procrastinação<br />Prof. George Paulus<br />A procrastinação pode se manifestar como uma disfunção e/ou desajuste comportamental que resulta em infelicidade, ou fracasso na realização de tarefas, ou sentimento de culpa (Ferrari, 1995).<br />Pode causar grande estresse pessoal e está correlacionada com o baixo desempenho escolar, a insatisfação com a vida e com a ansiedade (McCown e Johnson, 1989). <br />Procrastinação é também associada a graves distúrbios psicológicos e/ou abuso de substâncias que requerem intervenção clínica. Técnicas clínicas devem ser usadas apenas por um terapeuta.<br />54<br />
    55. 55. Procrastinação<br />Prof. George Paulus<br />Algumas razões para o adiamento do trabalho<br />55<br />
    56. 56. Lei de Parkinson<br />56<br />Prof. George Paulus<br />Cyril Parkinson<br />O trabalho se expande para preencher todo o tempo disponível para sua conclusão<br />
    57. 57. FatosSobreProcastinação<br />Prof. George Paulus<br />20% das pessoas se consideramprocrastinadorescrônicos<br />Não é um problema de gestão do tempo ouplanejamento<br />Procrastinadoresacreditamnassuasmentiras:<br />“Vaisermelhorfazerissoamanhã”<br />“Voutermais tempo praissonasemanaquevem”<br />“Eutrabalhomelhorsobrepressão”<br />Procrastinadoresprocuramativamentepordistração<br />Saboresda procrastinação<br />Adrenalina: aquelesqueesperam o últimominutoparasentir a euforia do sprint final<br />Medo: do fracasso. Preocupados com a opinião dos outros preferemservistoscomopreguiçosos do quecomoincompetentes<br />Fuga: evitamtomardecisõespara se isentarem das consequências<br />Fonte: Psychologytoday<br />57<br />
    58. 58. Procrastinação<br />Prof. George Paulus<br />Dicas para eliminar o hábito da procrastinação:<br />58<br />
    59. 59. Outros Exemplos de Desperdiçadores de Tempo<br />59<br />Prof. George Paulus<br />
    60. 60. 60<br />Prof. George Paulus<br />Mike Levy<br />Idolatre o seu cesto de lixo: jogue dentro dele quantas oferendas sacrificiais puder<br />
    61. 61. Vídeo: Desperdiçadores de Tempo<br />61<br />Prof. George Paulus<br />
    62. 62. Passo 5: Elimine Hábitos Desperdiçadores de Tempo<br />Prof. George Paulus<br />Reflita sobre os seus hábitos de trabalho<br />Incorpore lições aprendidas de períodos anteriores<br />Identifique e elimine imediatamente os que não geram valor<br />Negocie com seu gestor a transferência de atividades não relacionadas aos seus objetivos<br />F1<br />Crie hábitos positivos e produtivos e os COMPARTILHE<br />Copieoshábitospositivos dos colegasde trabalho<br />62<br />
    63. 63. Desperdiçadores de Tempo<br />63<br />Prof. George Paulus<br />
    64. 64. Prof. George Paulus<br />Passo 6: Negocie a Programação<br />Prepare-se para a negociação<br />Registre o trabalho executado e o tempo utilizado<br />Inclua um pouco de tempo extra além de suas horas contratuais<br />Certifique-se que as estimativas de tempo sejam razoáveis, aprenda!<br />Decomponha tarefas que levarem mais tempo<br />Prepare uma proposta<br />Liste suas funções e responsabilidades<br />Incorpore lições aprendidas de negociações anteriores<br />Faça uma sugestão de priorização<br />Planeje quando e como elas podem ser realizadas<br />Indique atividades que não são da sua responsabilidade<br />Faça uma sugestão do que pode ser delegado, transferido ou eliminado<br />64<br />
    65. 65. Exercício<br />Prof. George Paulus<br />Crie sua programação:<br />Para o próximo dia útil<br />Lição de casa<br />Para a semana<br />Para o mês<br />65<br />
    66. 66. Prof. George Paulus<br />Passo 7: Execute a Programação<br />Crie uma agenda organizada<br />Determine um sistema de acompanhamento<br />Distribua as tarefas prioritárias na agenda:<br />Marque os compromissos na agenda<br />Reserve tempo para a realização da rotina<br />Reserve tempo para imprevistos<br />Atue de forma organizada, direcionada e produtiva<br />Risque cada tarefa realizada da agenda<br />Registre LIÇÕES APRENDIDAS: dificuldades, soluções novas, restrições, oportunidades etc.<br />66<br />
    67. 67. Desenvolvendo Hábitos Adequados à Administração do Tempo<br />67<br />Prof. George Paulus<br />
    68. 68. Hábitos Fundamentais<br />Melhoria do uso do tempo passa por mudanças de hábitos:<br />São determinados por repetição e reforço<br />São incentivados pelo ambiente<br />Praticar<br />Observação<br />Reflexão<br />Planejamento<br />Atenção ao presente<br />O presente é o único tempo em que podemos realizar nossos objetivos<br />68<br />Prof. George Paulus<br />
    69. 69. Área de Trabalho<br />69<br />Prof. George Paulus<br />
    70. 70. Duas Horas Perdidas por Dia<br />Mesa bagunçada<br />Não encontra coisas<br />Despreparo para reuniões<br />Falta de concentração<br />70<br />Prof. George Paulus<br />Wall Stre et Journal<br />As pessoas passam em média 6 semanas por ano procurando coisas no escritório<br />
    71. 71. Reuniões<br />71<br />Prof. George Paulus<br />
    72. 72. Reuniões<br />72<br />Prof. George Paulus<br />
    73. 73. Trânsito<br />Prof. George Paulus<br />Estatísticas:<br />Tempo médio por dia (Set/2010): 2h 42min<br />Velocidade média no horário de pico (2002): 19,9 Km/h (prefeitura.sp.gov.br)<br />Velocidade média no horário de pico (2010): 15 Km/h (Folha de São Paulo)<br />Dicas:<br />Tente evitar os horários de pico<br />Se não puder evitar o horário de pico, utilize o tempo parado<br />Use um gravador para registrar idéias<br />Ouçalivros<br />Usa transporte público? Responda a e-mails, organize a agenda no smartphone<br />Relaxe: ouça música que te deixe feliz, programas de rádio, CDS de humor etc.<br />Pratique direção defensiva<br />Evitedeslocamentos<br />Se possível, more perto do trabalho<br />Utilize teleconferência<br />73<br />
    74. 74. Arquivos<br />74<br />Prof. George Paulus<br />
    75. 75. Arquivos<br />75<br />Prof. George Paulus<br />
    76. 76. Telefone<br />76<br />Prof. George Paulus<br />
    77. 77. Internet<br />77<br />Prof. George Paulus<br />
    78. 78. Internet<br />Prof. George Paulus<br />Internautas ativos em residências e no trabalho e horas navegadas<br />Fonte:Painel IBOPE/NetRatings<br />78<br />
    79. 79. Internet<br />Fonte:Painel IBOPE/NetRatings<br />79<br />Prof. George Paulus<br />Internautas ativos em residências e horas navegadas<br />
    80. 80. Papéis<br />80<br />Prof. George Paulus<br />
    81. 81. Diga “Não”<br />Antes de dizer “não” pergunte:<br />Eu tenho tempo para fazê-lo? <br />Onde esta requisição se encaixa na matriz Importância x Prioridade?<br />Eu sou a pessoa certa para executá-la?<br />Há alguém mais indicado?<br />Essa requisição está adequada às minhas metas e objetivos?<br />Se a resposta para alguma dessas questões for “não”, pode ser melhor dizer “não”<br />Caso contrário, pode ser anti-profissional dizer não apenas porque você não quer, não sabe como, vai levar muito tempo, ou porque é complexo<br />81<br />Prof. George Paulus<br />
    82. 82. Diga “Sim”<br />Antes de dizer “sim”, faça três perguntas:<br />O que a pessoa realmente precisa?<br />Encontre áreas de flexibilidade<br />Determine prioridades<br />De qual outra forma a necessidade dessa pessoa pode ser atendida?<br />Encontre uma forma de abordagem para o problema<br />Busque por tempo e alternativas de recursos<br />Como você pode ajudar à pessoa a atender à necessidade?<br />Defina uma meta mais ampla<br />Busque por necessidades e interesses em comum<br />Importante: para que esse processo tenha sucesso, são necessárias altos níveis de confiança e comunicação<br />82<br />Prof. George Paulus<br />
    83. 83. Delegue<br />Prof. George Paulus<br />Pontos Chave<br />Partilhar informações<br />Estabelecer limites para a autonomia<br />Desenvolvimento de competências<br />Delegar  “Delargar”<br />Você não é responsável pela realização<br />Você é responsável por fornecer os recursos necessários à realização<br />Você continua sendo responsável pelo resultado<br />Você é responsávelpelaseleção da pessoacapaz de executar a tarefa<br />
    84. 84. Prof. George Paulus<br />10 Dicas para Delegar Eficazmente<br />
    85. 85. Todo Mundo tem Bons e MausPeríodos<br />Saiba como usar sua energia trabalhando a seu favor ("relógio biológico”):<br />Encontre seu períodoprodutivo: defenda-o impiedosamente<br />Encontre seu períodoimprodutivo: agende reuniões, telefonemas e outras tarefas simples<br />Encontre o sistema que funcione para você!<br />85<br />Prof. George Paulus<br />
    86. 86. Encerramento<br />86<br />Prof. George Paulus<br />
    87. 87. Arrependimento<br />87<br />Prof. George Paulus<br />Randy PauschEm nosso leito de morte, não nos arrependemos do que fazemos na vida. Nos lamentamos do que não fizemos. Encontre sua paixão e a persiga.<br />
    88. 88. Mensagem Final 1 de 3: Coragem de Mudar<br />88<br />Prof. George Paulus<br />George Paulus<br />Fotos do Mural<br />Jogue fora sua televisão. O processo de desintoxicação é indolor e rápido. <br />Você vai ganhar muito tempo pra você e para conhecer melhor as pessoas que moram na sua casa.<br />
    89. 89. Mensagem Final 2 de 3: Equilíbrio<br />89<br />Prof. George Paulus<br />
    90. 90. Mensagem Final 3 de 3: Compromisso de Continuidade<br />90<br />Prof. George Paulus<br />Randy Pausch<br />Fotos do Mural<br />O problema é sistêmico, portanto, exige uma solução sistêmica: é preciso pensar no longo prazo e mudar processos/hábitos fundamentais<br />
    91. 91. Bibliografia<br />Prof. George Paulus<br />“A Tríade do Tempo”, Christian Barbosa, Editora Campus, 2008<br />“A Sabedoria da Tartaruga – Sem Pressa, Mas Sem Pausa”, José Luis Trechera, Editora Academia de Inteligência, 2009<br />“Gerenciamento de Tempo”, Melissa Raffoni, Editora Campus, 3ª Edição, 2006<br />“The Time Paradox – TheNewPsychologyof Time that Will ChangeYourLife”, Philip Zimbardo e John Boyd, Editora FreePress, New York, 2009<br />“Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes”, Stephen R. Covey, Editora Best Seller, 7ª Edição, 2001<br />“Você Sabe Administrar Seu Tempo?”, James Manktelow, Editora SENAC, 2009<br />“Time Management”, palestra de Randy Pausch, , http://www.randypausch.com<br />“Como fazer o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional funcionar”, palestra de Nigel Marsh no TED.com<br />“O 8º Hábito – Da Eficiência à Grandeza”, Stephen R. Covey, Editora Campus / Elsevier, 2005<br />Site “MindTools - Essential Skills for an Excellent Career” (www.MindTools.com)<br />Psychologic Treatment for the Type A Behavior Pattern and for Coronary Heart Disease: A Meta-Analysis of the Literature, Edward V. Nunes, Kenneth A. Frank e Donald S. Kornfeld<br />91<br />
    92. 92. Obrigado<br />Contatos PROAGE:<br />Tel: 11 3262.5111<br />E-mail: paulus@proage.com.br<br />Web: www.proage.com.br<br />http://br.linkedin.com/in/georgepaulus<br />92<br />Prof. George Paulus<br />

    ×