SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 93
TREINAMENTO LIDERANÇA
Programa de Desenvolvimento
 Percepção e Persuasão (12 horas);
 Trabalho em Equipe (08 horas);
 Comunicação (08 horas);
 Administração de Conflitos (12 horas);
 Liderança (16 horas);
 Análise Transacional (08 horas).
Relações Humanas
Comportamento Humano
POR QUE AS PESSOAS SÃO TÃO SEMELHANTES
OBJETIVO
EXPECTATIVA
INTERESSE
ATIVIDADE
AS PESSOAS TÊM SEMPRE, DE UMA FORMA OU DE OUTRA, UM
OBJETIVO AALCANÇAR, E POR ISSO, SÃO TÃO SEMELHANTES
Comportamento Humano
MAS, AS PESSOAS SÃO TÃO DIFERENTES ...
- QUANTO À EXPERIÊNCIAS
- QUANTO AOS HÁBITOS
- QUANTO AO NÍVEL DE ASPIRAÇÃO
- QUANTO ÀS SUAS RELIGIÕES
- QUANTO À SAÚDE
- QUANTO ÀS ATITUDES
- QUANTO AOS INTERESSES
AS PESSOAS SÃO TÃO DIFERENTES, EMBORA TENHAM
CARACTERÍSTICAS SEMELHANTES
Relacionamento Humano
AS DIFERENÇAS INDIVIDUAIS INFLUENIAM
NO RELACIONAMENTO HUMANO
AS PESSOAS SÃO TÃO DIFERENTES, PORTANTO DEVEMOS
PROCURAR CONHECER AS PESSOAS
PERCEPÇÃO
 É a função cerebral que atribui
significado a estímulos sensoriais, a
partir de histórico de vivências
passadas;
 Consiste na aquisição, interpretação,
seleção e organização das informações
obtidas pelos sentidos.
Convite
churrasco
Tipos de Percepção
 Sentidos humanos;
 Percepção temporal e espacial;
Nosso Foco
Percepção e Realidade
 O comportamento da pessoa é baseado
na interpretação que fazem da
realidade e não da realidade em si. Por
este motivo, a percepção do mundo é
diferente para cada um de nós, cada
pessoa percebe um objeto ou uma
situação de acordo com os aspectos
que têm especial importância para si
própria.
Percepção Social
A PERCEPÇÃO SOCIAL DAS PESSOAS ESTÁ RELACIONADA
COM DIVERSOS FATORES DENTRE OS QUAIS:
1. ESTRUTURA
2. ENQUADRAMENTO OU CONTEXTO
3. EXPERIÊNCIA
4. SITUAÇÃO INTERIOR
5. INFLUÊNCIA DO GRUPO
1. Estrutura
QUANDO OBSERVAMOS AS PESSOAS ...
. Observamos como um todo;
. Não observamos as pessoas como um amontoado de partes;
. Se mudarmos uma parte deste todo, destruímos este todo.
Exemplo:
. Quando observamos uma mulher, vemos de uma maneira geral e logo tiramos
uma conclusão: se ela é feia ou bonita;
. Nunca olharemos para os detalhes como: nariz, boca, olhos, etc...
. Às vezes estes detalhes separadamente não são tão bonitos, mas, no conjunto
forma-se um todo agradável às nossas vistas.
. Um trabalho em equipe, não é uma simples soma de trabalhos individuais, mas
o produto de uma realização global
. Pessoas e coisas são observadas como um todo e, não como um amontoado de
partes, isto é, as partes organizadas dentro de um todo
2. Enquadramento ou Contexto
. Chamaremos de enquadramento a percepção física.
. Chamaremos de contexto a percepção social.
Temos um sistema de medidas para as coisas:
. Metro - área - litro - mícron - medidas
Para acontecimentos e pessoas um sistema de valor como:
. Bom - mau - positivo - negativo - escandaloso - malicioso - ingênuo
Enquadramento ou Contexto
Dependendo do contexto em que está inserido, ou do sistema de valor predominante,
podemos concluir:
1. Se estivermos no Brasil, um homem de 1,80 m é sempre visto como alto;
2. Se estivermos na África entre os pigmeus, ele é considerado gigante;
3. Se estivermos nos Estados Unidos, ele é considerado de estatura mediana;
4. Existem países em que a poligamia (casamento de uma pessoa com várias outras)
é ilegal;
5. Existem países em que a poligamia é legal.
A MESMA FORMA, OS MESMO VALORES PODEM SER PERCEBIDOS DE
MANEIRA DIFERENTE, CONFORME O ENQUADRAMENTO OU CONTEXTO
QUE ESTÁ INSERIDO
Linguagem Corporal
. Os latinos têm o costume de aproximar-se muito de seu interlocutor;
. Alguns homens árabes costumam andar dando-se as mãos;
. Os japoneses inclinam o corpo em sinal de respeito, a uma respeitá-
vel distância do interlocutor;
. Entre muitos povos é ofensivo sentar cruzando as pernas, de forma
a mostrar a sola do sapato;
. Os homens soviéticos chegam a beijar-se na boca.
Na maioria das culturas, oferecer presentes é uma forma de comunicação bem aceita:
. Em uma visita de um presidente americano à Índia, foram oferecidos quadros com
molduras em couro, derivado do animal sagrado para a religião hindu. Foi um
constrangimento total;
. Em um almoço de negócios entre executivos americanos e japoneses, estes foram
presenteados com estojos de faca. Os japoneses abandonaram o almoço. O presente
parecia um convite a efetuar um Haraquiri (suicídio);
. Não é recomendável presentear chineses com relógios. A palavra relógio no idioma
local lembra tristeza e luto;
. Não presenteie os japoneses com objetos embrulhados em papel branco. O branco
significa morte;
. Se você quiser presentear um cidadão de Hong Kong, é melhor oferecer um par de
objetos, pois 1 só não traz sorte.
Costumes
3. Experiência
 Quando percebemos um objeto ou uma
pessoa, dirigimos nossa atenção
conforme nossas experiências
anteriores. Assim duas pessoas
poderão ver a mesma coisa de modos
diferentes;
 A soma de experiências anteriores
influencia nosso modo de perceber.
4. Situação Interior
 Exemplo:
 O gerente que sai de casa irritado exagera na
sua repreensão ao subordinado;
 O homem que amanhece alegre recebe de
bom grado o convite para fazer horas extras;
Conforme nosso estado interior, podemos reagir de modo
diferente ao mesmo estímulo
Dependendo do nosso estado anterior, reagimos e percebemos
de modos diferentes os mesmos fatos ou acontecimentos.
5. Influência do Grupo
 Exemplo:
 Um homem que nunca jogou damas começa a
freqüentar um grupo que gosta e joga como
passatempo nos horários de almoço, começará
a gostar e até praticar o jogo;
 Um homem que não simpatizava com o
supervisor, passa a simpatizar influenciada pela
opinião do grupo.
O grupo Influencia e até modifica o modo de perceber de
seus membros
Percepção e Realidade
 À medida que adquirimos novas
informações, nossa percepção se
altera.
O olho do Observador
Percepção e Liderança
Percepção
Percebe os
Outros
É
Percebido
Percebe o
Ambiente
-Todos temos percepções;
-Como sou visto;
-Como a equipe me vê.
-Conheço as pessoas;
-Como percebo as pessoas;
-Empatia.
-Percebo o clima;
-Qualidade do trabalho;
-Espírito da equipe.
Percepção e Liderança
 Nossa percepção das coisas e dos fatos nem sempre
é correta para julgarmos;
 Para compreender uma ação, uma atitude ou motivo,
é necessário que não focalizemos apenas fatos
isolados ou relações isoladas, precisamos, isto sim,
considerar os fatos nas suas interligações, na
maneira em que eles se completam, se juntam ou
separam;
 Para compreender uma pessoa, precisamos observá-
la no seu ambiente, no contexto da sua situação e
nos problemas que está enfrentando e ainda, buscar
conhecê-la bem;
 O mesmo ambiente ocasiona comportamentos
diferentes entre as pessoas que os vivenciam.
Persuasão
 Ato ou efeito de persuadir, convicção.
Persuadir significa convencer, induzir.
 A persuasão deriva do poder de alguém
implantar uma idéia em mente alheia,
com o fim de induzir este terceiro a
tomar determinada atitude.
Pacífica Coercitiva Violenta
Persuasão
Dinâmica
Trabalho em Equipe
 Trabalho:
 Aplicação das forças e faculdades
humanas para alcançar um determinado
fim. Atividade coordenada de caráter físico
ou intelectual necessário a realização de
tarefas.
 Equipe:
 Grupo de pessoas que geralmente se une
para alcançar um objetivo em comum.
madagascar
Importância do Trabalho em
Equipe
 O Cego, o sem braço e o vendedor:
Confeccionar um recipiente para
armazenar água da chuva.
Importante
 União;
 Espírito de Equipe.
River´s dance
Grande Paradigma
Aprendi que um homem só tem direito a olhar outro de cima para baixo
quando vai ajudá-lo a levantar-se...
queen
O Líder na Equipe
 Percepção e Persuasão;
 Confiança x Equipe;
 Empatia;
 Delegação;
 Objetivos comuns;
 Exemplo.
Competências na equipe
Conhecimento Habilidade Atitude
Saber Saber Fazer Querer Fazer
Comportamentos Observados que geram resultados observados
Contexto: ENTREGA
COMO GERENCIAR PESSOAS COM FOCO NO AUMENTO DA PRODUTIVIDADE??
QUAL O PERFIL DO PROFISSIONAL EU PRECISO PARA OBTER VANTAGENS
COMPETITIVAS??
Papel do Líder na Equipe
Conhecimento Habilidade Atitude
Saber Saber Fazer Querer Fazer
MOTIVAÇÃO
Ferramenta
Processo da Comunicação
dinâmica
Mensagem
 Símbolo: Forma pela qual é transmitida a
mensagem. Perceptível pelos sentimentos
humanos;
 Palavras: Símbolo básico da comunicação
interpessoal;
 Código: Vocabulário ou sistema de símbolo
convencionais na comunicação.
É o Conteúdo básico da informação
Canais da Comunicação
 É o meio através do qual é transmitida
a mensagem.
Palavras Tom de voz Fisiologia
Feedback
 Buscar entender se o receptor
compreendeu o que foi transmitido.
O feedback no processo
de comunicação é a
confirmação de que o
processo foi eficaz
Cuidados com a Comunicação
 Interesse do receptor e emissor;
 Escolha do canal de comunicação;
 Clareza na mensagem;
 Utilização do feedback;
 Alinhamento – canal  mensagem 
objetivo.
Exemplo prático halley
Reflexão - Comunicação
 Problemas mais comuns de comunicação;
 Comunicação – Ferramenta fundamental para
o líder;
 Artigo – Comunicação.
dinâmica
Definição de Conflitos
 É uma série de situações que revelam um
desentendimento entre opiniões entre duas
ou mais pessoas e até mesmo em uma
mesma pessoa.
 Origem – palavra grega “conflictus”, que
significa embate, ou seja, é o embate entre
dois ou mais pensamentos e circunstâncias
diferentes.
Conflitos Interpessoais
 É inerente a qualquer relação humana;
 Está ligado a valores pessoais;
 É praticamente impossível resolver conflitos;
 Muita gente diz que é bom evitar o conflito;
 Evitar é sinal que já existe.
Realidade sobre o Conflito
 O conflito não deve ser encarado como
uma coisa ruim, ou um problema e sim
uma circunstância ao crescimento de
uma equipe.
O que se houve sobre Conflitos
. Cria uma disfunção na empresa.
Quando bem administrado pode gerar ganhos
. O conflito desaparece quando evitado.
Quando não é bem administrado fica guardado na cabeça
e basta uma gota Deságua para inflamar.
. Todos os conflitos podem ser resolvidos.
A maior parte pode ser administrado
. O conflito pode fortalecer relações.
Certo, quando bem administrado fortalece as relações.
“O conflito é um elemento
importante na vida empresarial,
é inevitável e jamais será
eliminado”.
Administração de conflitos
 A administração de conflitos consiste
exatamente na escolha e
implementação das estratégias mais
adequadas para se lidar com cada tipo
de situação, para se conseguir um
resultado positivo.
Passos Importantes
 Criar uma atmosfera afetiva;
 Esclarecer as percepções;
 Construir um poder positivo e
compartilhado;
 Olhar para o futuro;
 Estabelecer acordos de benefícios
mútuos.
TÉCNICA PARAADMINISTRAR O CONFLITO
Modelo de 6 etapas
Definir: veja o que você pensa, o que você acha e se possível o que o outro pensa
sobre o assunto.
Analisar: após definir o que você acha, procure saber quem está envolvido, o
que, onde, quando (recente ou antigo), porque, como.
Alternativas: quais são as alternativas (já aconteceu antes, como foram
solucionadas).
Implementar e avaliar: reuniões com os participantes.
Escolher e concordar: depois de escolhida a melhor alternativa, lutar por ela.
Projeção de resultados: quais os possíveis resultados das alternativas.
Conflito - Negociação
“Negociação é um meio básico de
conseguir o que se quer de outrem. É
uma comunicação bidirecional
concebida para chegar a um acordo,
quando você e o outro lado têm alguns
interesses em comum e outros
opostos.” (Fischer, Ury e Patton)
Nas organizações temos 4 possíveis
resultados na administração de conflitos:
Ganhar x perder: é o mais natural, pois ninguém entra para
perder; é o mais desagradável mas às vezes é necessário.
Perder x ganhar: você aceita opiniões, sugestões e acaba
cedendo em prol da organização.
Perder x perder: situação de afastamento; não pode acabar
por ai; depois de esfriar a cabeça, as partes retornam,
discutem e resolvem
Ganhar x ganhar: é o mais desejável, porém o mais difícil, o
principal é que ambas as partes estejam interessadas em
resolver o problema.
abrigo
O Papel do Líder
 Gestão da equipe na Administração dos
conflitos;
 Mediador de conflitos na equipe;
 Crescimento da maturidade da equipe
através dos conflitos;
 Equipe que gera resultados e agrega
valor.
O que é Liderança
 É conduzir um grupo de pessoas para que
contribuam da melhor forma à atingir os
objetivos do grupo ou da organização.
 Praticando um conjunto de comportamentos,
em determinadas situações, buscando a
realização de desejos comuns.
Liderar
 Quais comportamentos adotar??
Godri
Ferramentas de Apoio
 Plano de Habilidades e Plano de Ação
 Desenvolvimento de pessoas.
 Política de Remuneração e benefícios
 Contrapartida – Recompensa.
 Descrição de Cargos
 Gestão de desempenho.
 Assessoria Recursos Humanos
 Apoio a Gestão.
O Papel do Líder
 Alinhar;
 Coordenar;
 Unir;
 Delegar;
 Etc...
Equipes que Geram Resultados e
Agregam Valor ao Negócio!
Líder Educador
 Atividade:
Qual sua decisão como líder nas
situações apresentadas no texto.
Liderança Situacional
Uma liderança ideal é algo difícil de ser definida, tendo
em vista que um estilo adotado por um líder pode ser
extremamente eficaz em determinada situação e, num
outro momento, o mesmo estilo poderá ser totalmente
inadequado. Por exemplo, um líder de presença
marcante, de idéias definidas, o tipo conhecido como
“personalidade forte”, pode ser um agente impulsionador
para uma equipe composta de pessoas mais
dependentes e que possuem uma tarefa a ser cumprida
num curto espaço de tempo. Por outro lado, este estilo de
liderança poderia causar a desmotivação em pessoas
mais maduras, que se realizam ao efetuar suas
atividades com autonomia.
Liderança Situacional
Baseia-se numa inter-relação entre a
quantidade de orientação e direção que
o líder oferece, a quantidade de apoio
sócio-emocional dado pelo líder e o
nível de prontidão dos subordinados no
desempenho de uma tarefa, função ou
objetivo específico.
Hersey e Blanchard
Estilos de Liderança
 Líder Autocrático:
 Concentra do poder de decisão;
 Autoritário, dita as normas e atividades;
 Não estimula a iniciativa do grupo;
 Não promove lideranças;
 Manda, proíbe, ameaça, exige e castiga;
 Baixo grau de Relações Interpessoais.
Estilos de Liderança
 Líder Paternalista:
 É considerado como um pai;
 Matem o grupo dependente (assistencialisamo);
 Acha que as pessoas não tem capacidade de
liderar com ele;
 Não valoriza a iniciativa alheia;
 Toma as decisões em nome do grupo;
 Elevado grau de relações interpessoais.
Estilos de Liderança
 Líder Democrático:
 Valoriza as idéias e inicativa quando grupo;
 Promove participação e cooperação;
 Favorece o surgimento de lideranças;
 Partilha o poder de decisão;
 Liberdade, comunicação e integração;
 Trabalho em equipe;
 Elevado grau de relações interpessoais.
Estilos de Liderança
 Líder Permissivo:
 Não toma iniciativa;
 Não assume, não dirige e não coordena;
 Não existe nada definido;
 Baixo grau de relações interpessoais.
Estilos de Liderança
E3
Democrático
E4
Permissivo
E1
Autocrático
E2
Paternalista
Estrutura da tarefa alto
baixo
alto
Consideração
humana
Estilos de Liderança
E-1 – DIRIGIR – AUTOCRÁTICO
Comportamento de alto grau de estruturação e baixo grau
de apoio.
(Padroniza, rédea curta, age com firmeza, rigorosa super-
visão, redefine papéis, estabelece prazos)
E-2 – TREINAR – PATERNALISTA
Comportamento de alto grau de estruturação e alto grau –
de apoio.
(Conversa, certifica-se, participa da solução, dirige, con-
trola, providencia, assegura-se, verifica.
Estilos de Liderança
E- 3 – APOIAR – DEMOCRÁTICO OU PARTICIPATIVO
Comportamento de alto grau de apoio e baixo grau de
estruturação.
(Pouco diretivo, valoriza, encoraja, planeja junto, apóia,
não pressiona).
E-4 – DELEGAR – PERMISSIVO
Comportamento de baixo grau de apoio e baixo grau de
estruturação.
(Não intervém, delega, dá autonomia, rédea solta).
Estilo Liderança x Comportamento
 Importante conhecer as pessoas,
entender de gente, conversar, ouvir e
entender.
Fisiológicas
Segurança
Social
Auto -
Estima
Auto -
Realização
Teoria da Motivação
Segundo Maslow
Análise Transacional
 Estuda e analisa as trocas de estímulos
e respostas, ou transações entre
indivíduos;
 O que se sente e pensa é o
comportamento subjetivo (interior,
privado) e o que se diz e faz é o
comportamento objetivo (exterior,
observável, registrável)
Para a Análise Transacional
 Caráter: Tendências que trago, como
por exemplo, tendência para a
lealdade, passividade, alcoolismo,
rebeldia, etc.
 Personalidade: Constitui-se da
educação, daquilo que provém do meio
externo, ou seja, das informações de
pais, professores, religião, terapeuta,
para a pessoa.
Para a Análise Transacional
 IMPORTANTE:
Tudo é uma questão de escolha, ou seja, quais
permissões e proibições serão assimiladas, ou
seja, escolhemos aquilo que seremos. Claro
que esta escolha está sobre forte influência do
caráter, onde minhas tendências permitem um
“gancho” com tais ensinamentos provenientes
do meio em que se vive.
Ser Humano
 Todo ser humano carrega consigo o
que é chamado de “essência boa”, ou
seja mesmo que o caráter traga
tendências negativas, a essência do ser
humano é boa.
Formação do Ser
 Todo ser humano é composto de quatro grandes
necessidades segundo psicólogos:
 Fome de estímulo: de onde provém os estímulos sensoriais;
 Fome de reconhecimento: Onde os atos ou palavras são
estímulos especiais para o comportamento;
 Fome de contato: Nesta categoria encontra-se a necessidade
de carícia física não necessariamente apenas agradáveis;
 Fome de sexualidade: De onde pode-se saciar todas as
outras fomes.
Estados do Ego
P
Estado de ego
PAI
A
Estado de ego
ADULTO
C
Estado de ego
CRIANÇA
Estado do Ego PAI
 É o reservatório de normas e valores,
de conceitos e modelos de conduta.
Evidências
Preconceitos
Dogmas
Crenças
Normas de Vida
P
Estado de ego
PAI
Manifestações deste estado
 Franzir as sobrancelhas,
 Apontar dedo indicador,
 Fazer não com a cabeça,
 Pôr mãos na cintura,
 Cruzar os braços.
 Quantas vezes já disse,
 Não posso de jeito nenhum,
 Se eu fosse você,
 Lembre-se sempre que,
 Vou por fim nisto.
Ego PAI
 Paternalismo,
 Cuida,
 Protege,
 Toma conta
 Agressividade,
 Menosprezo,
 Ofensas,
 Punição
Nutritivo Crítico
Estado do Ego ADULTO
 Recebe informações de fora para dentro,
analisa e compara com seu eu. É Racional.
Evidências
Realidade Corrente
Coleta de Dados
Organização
Avaliação dos fatos
A
Estado de ego
ADULTO
Manifestações deste estado
 Do Rosto,
 Dos Olhos,
 Do Corpo.
 Porque,
 O que,
 Onde,
 Quando,
 Quem.
Estado do Ego CRIANÇA
 Apresenta as emoções básicas como alegria,
amor, etc... É a parte mais autêntica do ser
humano e também reprimida pela educação.
Evidências
Impulsos
Emoções
Criatividade
Espontaneidade
C
Estado de ego
CRIANÇA
Manifestações deste estado
 Chorar,
 Rir,
 Implicar,
 Roer unhas,
 Lábios trêmulos.
 Eu quero,
 Eu gostaria,
 Compra,
 Eu não posso,
 Eu vou.
Ego CRIANÇA
 Alegre,
 Triste,
 Amedrontada.
 Agressivo,
 Maldoso,
 Rancoroso.
Livre
Submissa
Rebelde
 Acomodado,
 Apático,
 Deprimido.
Manifestação dos Estados
 Agindo, pensando ou sentindo da maneira
como observou seus pais fazerem;
 Lidando com a realidade atual, colhendo
fatos, processando-os objetivamente;
 Sentindo e agindo como quando era criança.
Exemplo
1- De uma pessoa que olhando um
quadro moderno:
PAI: Que troço é esse aí;
ADULTO: De acordo com a etiqueta deve
custar uns R$1.200,00;
CRIANÇA: Puxa, que lindo este colorido.
Exemplo
2- Secretária que o chefe chamou a sua sala:
PAI: Meu chefe ainda tem muito que aprender
para ser um bom chefe;
ADULTO: Meu chefe precisa daquele relatório;
CRIANÇA: Meu chefe só me chama para me
criticar.
Exemplo
3- De uma pessoa que vê um ato violento na
rua:
PAI: Isso serve para a pessoa não ficar na rua
até essa hora;
ADULTO: Acho melhor chamar a polícia agora;
CRIANÇA: Caramba, que violência!
Exemplo
4- De um chefe cuja a secretária chegou
atrasada:
PAI: Coitada, pela cara, parece que passou a
noite em claro;
ADULTO: Se ela chega atrasada os outros
funcionários ficarão insatisfeitos;
CRIANÇA: Quisera eu poder acordar mais tarde
um pouquinho.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Curso formação de líderes eficazes
Curso formação de líderes eficazesCurso formação de líderes eficazes
Curso formação de líderes eficazesNathalie Maicá
 
Liderança Para Alta Performance
Liderança Para Alta PerformanceLiderança Para Alta Performance
Liderança Para Alta Performancefernandorafa
 
Slides sobre Lideranca
Slides sobre LiderancaSlides sobre Lideranca
Slides sobre Liderancaguest99f679
 
Liderança e Comunicação - Maurício Andrade
Liderança e Comunicação - Maurício AndradeLiderança e Comunicação - Maurício Andrade
Liderança e Comunicação - Maurício AndradeMaurício Andrade
 
Curso de Liderança e Comunicação
Curso de Liderança e ComunicaçãoCurso de Liderança e Comunicação
Curso de Liderança e ComunicaçãoDario Vedana
 
Treinamento sobre liderança
Treinamento sobre liderançaTreinamento sobre liderança
Treinamento sobre liderançaGaylha Wegila
 
Liderança e Relacionamento
Liderança e RelacionamentoLiderança e Relacionamento
Liderança e RelacionamentoMichel Moreira
 
Estilos de Liderança - Postura do Líder
Estilos de Liderança - Postura do LíderEstilos de Liderança - Postura do Líder
Estilos de Liderança - Postura do LíderRenato Martinelli
 
Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança lider coach, feedback, des ...
Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança   lider coach, feedback, des ...Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança   lider coach, feedback, des ...
Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança lider coach, feedback, des ...Janaina Ferreira
 
1302710679 liderança e_motivação
1302710679 liderança e_motivação1302710679 liderança e_motivação
1302710679 liderança e_motivaçãoVolas
 
O Papel Do Novo LíDer
O Papel Do Novo LíDerO Papel Do Novo LíDer
O Papel Do Novo LíDertati_spazziano
 
Liderança de Alta Performance - Siga o Rastro
Liderança de Alta Performance - Siga o RastroLiderança de Alta Performance - Siga o Rastro
Liderança de Alta Performance - Siga o RastroDiego Cordovez
 

Mais procurados (20)

Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
 
Workshop PDL -Programa de Desenvolivmento de Líderes e Gestores
Workshop PDL -Programa de Desenvolivmento de Líderes e GestoresWorkshop PDL -Programa de Desenvolivmento de Líderes e Gestores
Workshop PDL -Programa de Desenvolivmento de Líderes e Gestores
 
Curso formação de líderes eficazes
Curso formação de líderes eficazesCurso formação de líderes eficazes
Curso formação de líderes eficazes
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
 
Liderança Para Alta Performance
Liderança Para Alta PerformanceLiderança Para Alta Performance
Liderança Para Alta Performance
 
Slides sobre Lideranca
Slides sobre LiderancaSlides sobre Lideranca
Slides sobre Lideranca
 
O que é liderança
O que é liderançaO que é liderança
O que é liderança
 
Liderança e Comunicação - Maurício Andrade
Liderança e Comunicação - Maurício AndradeLiderança e Comunicação - Maurício Andrade
Liderança e Comunicação - Maurício Andrade
 
Curso de Liderança e Comunicação
Curso de Liderança e ComunicaçãoCurso de Liderança e Comunicação
Curso de Liderança e Comunicação
 
Treinamento sobre liderança
Treinamento sobre liderançaTreinamento sobre liderança
Treinamento sobre liderança
 
Liderança e Relacionamento
Liderança e RelacionamentoLiderança e Relacionamento
Liderança e Relacionamento
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
 
Treinamento Liderança - Embali
Treinamento Liderança - EmbaliTreinamento Liderança - Embali
Treinamento Liderança - Embali
 
Estilos de Liderança - Postura do Líder
Estilos de Liderança - Postura do LíderEstilos de Liderança - Postura do Líder
Estilos de Liderança - Postura do Líder
 
Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança lider coach, feedback, des ...
Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança   lider coach, feedback, des ...Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança   lider coach, feedback, des ...
Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança lider coach, feedback, des ...
 
1302710679 liderança e_motivação
1302710679 liderança e_motivação1302710679 liderança e_motivação
1302710679 liderança e_motivação
 
LIDERANÇA com Foco em Resultados
LIDERANÇA com Foco em ResultadosLIDERANÇA com Foco em Resultados
LIDERANÇA com Foco em Resultados
 
O Papel Do Novo LíDer
O Papel Do Novo LíDerO Papel Do Novo LíDer
O Papel Do Novo LíDer
 
Liderança de Alta Performance - Siga o Rastro
Liderança de Alta Performance - Siga o RastroLiderança de Alta Performance - Siga o Rastro
Liderança de Alta Performance - Siga o Rastro
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
 

Semelhante a Treinamento liderança

Desenv. lideranças aulas 7 a 9
Desenv. lideranças aulas 7 a 9Desenv. lideranças aulas 7 a 9
Desenv. lideranças aulas 7 a 9Gislene Isquierdo
 
Relacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoalRelacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoalLeandro Lopes
 
Introdução à PNL - Programação Neurolinguística
Introdução à PNL - Programação NeurolinguísticaIntrodução à PNL - Programação Neurolinguística
Introdução à PNL - Programação NeurolinguísticaAntonino Silva
 
Aspectos comportamentais e éticos na gestão de pessoas
Aspectos comportamentais e éticos na gestão de pessoasAspectos comportamentais e éticos na gestão de pessoas
Aspectos comportamentais e éticos na gestão de pessoasTurma_do_Marketing
 
Uma historia sobre_a_essencia_da__lideranca
Uma historia sobre_a_essencia_da__liderancaUma historia sobre_a_essencia_da__lideranca
Uma historia sobre_a_essencia_da__liderancaAdroaldo Dallabrida
 
relacionalmentointerpessoal-110530140603-phpapp01.pptx
relacionalmentointerpessoal-110530140603-phpapp01.pptxrelacionalmentointerpessoal-110530140603-phpapp01.pptx
relacionalmentointerpessoal-110530140603-phpapp01.pptxProfYasminBlanco
 
PPT - 200822MULHER AGUIA2.0.pptx
PPT - 200822MULHER AGUIA2.0.pptxPPT - 200822MULHER AGUIA2.0.pptx
PPT - 200822MULHER AGUIA2.0.pptxMatildePaulo1
 
1223846171 apostila auxiliar_administrativo
1223846171 apostila auxiliar_administrativo1223846171 apostila auxiliar_administrativo
1223846171 apostila auxiliar_administrativoEraldo Costa
 
Inteligência emocional na gestão de resultados
Inteligência emocional na gestão de resultadosInteligência emocional na gestão de resultados
Inteligência emocional na gestão de resultadostasso-t7
 
Projeto pescar empreendedorismo - 24-07-12
Projeto pescar   empreendedorismo - 24-07-12Projeto pescar   empreendedorismo - 24-07-12
Projeto pescar empreendedorismo - 24-07-12Eve Cuesta
 
Relações Humanas no Trabalho - Sônia.pdf
Relações Humanas no Trabalho - Sônia.pdfRelações Humanas no Trabalho - Sônia.pdf
Relações Humanas no Trabalho - Sônia.pdfKevinFontelles2
 

Semelhante a Treinamento liderança (20)

Aula 02 auxiliar de escritório
Aula 02 auxiliar de escritórioAula 02 auxiliar de escritório
Aula 02 auxiliar de escritório
 
Desenv. lideranças aulas 7 a 9
Desenv. lideranças aulas 7 a 9Desenv. lideranças aulas 7 a 9
Desenv. lideranças aulas 7 a 9
 
Documento de ma (4)
Documento de ma (4)Documento de ma (4)
Documento de ma (4)
 
Relacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoalRelacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoal
 
A eficácia da comunicação
A eficácia da comunicaçãoA eficácia da comunicação
A eficácia da comunicação
 
Introdução à PNL - Programação Neurolinguística
Introdução à PNL - Programação NeurolinguísticaIntrodução à PNL - Programação Neurolinguística
Introdução à PNL - Programação Neurolinguística
 
RELAÇÕES INTERPESSOAIS.pdf
RELAÇÕES INTERPESSOAIS.pdfRELAÇÕES INTERPESSOAIS.pdf
RELAÇÕES INTERPESSOAIS.pdf
 
Relacionamento Interpessoal 20h
Relacionamento Interpessoal 20hRelacionamento Interpessoal 20h
Relacionamento Interpessoal 20h
 
Aspectos comportamentais e éticos na gestão de pessoas
Aspectos comportamentais e éticos na gestão de pessoasAspectos comportamentais e éticos na gestão de pessoas
Aspectos comportamentais e éticos na gestão de pessoas
 
Os 7 hábitos
Os 7 hábitosOs 7 hábitos
Os 7 hábitos
 
Uma historia sobre_a_essencia_da__lideranca
Uma historia sobre_a_essencia_da__liderancaUma historia sobre_a_essencia_da__lideranca
Uma historia sobre_a_essencia_da__lideranca
 
Aula de dinâmica de grupos
Aula de dinâmica de gruposAula de dinâmica de grupos
Aula de dinâmica de grupos
 
relacionalmentointerpessoal-110530140603-phpapp01.pptx
relacionalmentointerpessoal-110530140603-phpapp01.pptxrelacionalmentointerpessoal-110530140603-phpapp01.pptx
relacionalmentointerpessoal-110530140603-phpapp01.pptx
 
PPT - 200822MULHER AGUIA2.0.pptx
PPT - 200822MULHER AGUIA2.0.pptxPPT - 200822MULHER AGUIA2.0.pptx
PPT - 200822MULHER AGUIA2.0.pptx
 
1223846171 apostila auxiliar_administrativo
1223846171 apostila auxiliar_administrativo1223846171 apostila auxiliar_administrativo
1223846171 apostila auxiliar_administrativo
 
Inteligência emocional na gestão de resultados
Inteligência emocional na gestão de resultadosInteligência emocional na gestão de resultados
Inteligência emocional na gestão de resultados
 
Apostila aux administrativo
Apostila aux administrativoApostila aux administrativo
Apostila aux administrativo
 
Projeto pescar empreendedorismo - 24-07-12
Projeto pescar   empreendedorismo - 24-07-12Projeto pescar   empreendedorismo - 24-07-12
Projeto pescar empreendedorismo - 24-07-12
 
Relações Humanas no Trabalho - Sônia.pdf
Relações Humanas no Trabalho - Sônia.pdfRelações Humanas no Trabalho - Sônia.pdf
Relações Humanas no Trabalho - Sônia.pdf
 
Ebook+Mentoria+IPE+-+Amplie+seu+potencial (1).pdf
Ebook+Mentoria+IPE+-+Amplie+seu+potencial (1).pdfEbook+Mentoria+IPE+-+Amplie+seu+potencial (1).pdf
Ebook+Mentoria+IPE+-+Amplie+seu+potencial (1).pdf
 

Treinamento liderança

  • 2. Programa de Desenvolvimento  Percepção e Persuasão (12 horas);  Trabalho em Equipe (08 horas);  Comunicação (08 horas);  Administração de Conflitos (12 horas);  Liderança (16 horas);  Análise Transacional (08 horas).
  • 3.
  • 5. Comportamento Humano POR QUE AS PESSOAS SÃO TÃO SEMELHANTES OBJETIVO EXPECTATIVA INTERESSE ATIVIDADE AS PESSOAS TÊM SEMPRE, DE UMA FORMA OU DE OUTRA, UM OBJETIVO AALCANÇAR, E POR ISSO, SÃO TÃO SEMELHANTES
  • 6. Comportamento Humano MAS, AS PESSOAS SÃO TÃO DIFERENTES ... - QUANTO À EXPERIÊNCIAS - QUANTO AOS HÁBITOS - QUANTO AO NÍVEL DE ASPIRAÇÃO - QUANTO ÀS SUAS RELIGIÕES - QUANTO À SAÚDE - QUANTO ÀS ATITUDES - QUANTO AOS INTERESSES AS PESSOAS SÃO TÃO DIFERENTES, EMBORA TENHAM CARACTERÍSTICAS SEMELHANTES
  • 7. Relacionamento Humano AS DIFERENÇAS INDIVIDUAIS INFLUENIAM NO RELACIONAMENTO HUMANO AS PESSOAS SÃO TÃO DIFERENTES, PORTANTO DEVEMOS PROCURAR CONHECER AS PESSOAS
  • 8. PERCEPÇÃO  É a função cerebral que atribui significado a estímulos sensoriais, a partir de histórico de vivências passadas;  Consiste na aquisição, interpretação, seleção e organização das informações obtidas pelos sentidos. Convite churrasco
  • 9. Tipos de Percepção  Sentidos humanos;  Percepção temporal e espacial;
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 15. Percepção e Realidade  O comportamento da pessoa é baseado na interpretação que fazem da realidade e não da realidade em si. Por este motivo, a percepção do mundo é diferente para cada um de nós, cada pessoa percebe um objeto ou uma situação de acordo com os aspectos que têm especial importância para si própria.
  • 16. Percepção Social A PERCEPÇÃO SOCIAL DAS PESSOAS ESTÁ RELACIONADA COM DIVERSOS FATORES DENTRE OS QUAIS: 1. ESTRUTURA 2. ENQUADRAMENTO OU CONTEXTO 3. EXPERIÊNCIA 4. SITUAÇÃO INTERIOR 5. INFLUÊNCIA DO GRUPO
  • 17. 1. Estrutura QUANDO OBSERVAMOS AS PESSOAS ... . Observamos como um todo; . Não observamos as pessoas como um amontoado de partes; . Se mudarmos uma parte deste todo, destruímos este todo. Exemplo: . Quando observamos uma mulher, vemos de uma maneira geral e logo tiramos uma conclusão: se ela é feia ou bonita; . Nunca olharemos para os detalhes como: nariz, boca, olhos, etc... . Às vezes estes detalhes separadamente não são tão bonitos, mas, no conjunto forma-se um todo agradável às nossas vistas. . Um trabalho em equipe, não é uma simples soma de trabalhos individuais, mas o produto de uma realização global . Pessoas e coisas são observadas como um todo e, não como um amontoado de partes, isto é, as partes organizadas dentro de um todo
  • 18. 2. Enquadramento ou Contexto . Chamaremos de enquadramento a percepção física. . Chamaremos de contexto a percepção social. Temos um sistema de medidas para as coisas: . Metro - área - litro - mícron - medidas Para acontecimentos e pessoas um sistema de valor como: . Bom - mau - positivo - negativo - escandaloso - malicioso - ingênuo
  • 19. Enquadramento ou Contexto Dependendo do contexto em que está inserido, ou do sistema de valor predominante, podemos concluir: 1. Se estivermos no Brasil, um homem de 1,80 m é sempre visto como alto; 2. Se estivermos na África entre os pigmeus, ele é considerado gigante; 3. Se estivermos nos Estados Unidos, ele é considerado de estatura mediana; 4. Existem países em que a poligamia (casamento de uma pessoa com várias outras) é ilegal; 5. Existem países em que a poligamia é legal. A MESMA FORMA, OS MESMO VALORES PODEM SER PERCEBIDOS DE MANEIRA DIFERENTE, CONFORME O ENQUADRAMENTO OU CONTEXTO QUE ESTÁ INSERIDO
  • 20. Linguagem Corporal . Os latinos têm o costume de aproximar-se muito de seu interlocutor; . Alguns homens árabes costumam andar dando-se as mãos; . Os japoneses inclinam o corpo em sinal de respeito, a uma respeitá- vel distância do interlocutor; . Entre muitos povos é ofensivo sentar cruzando as pernas, de forma a mostrar a sola do sapato; . Os homens soviéticos chegam a beijar-se na boca.
  • 21. Na maioria das culturas, oferecer presentes é uma forma de comunicação bem aceita: . Em uma visita de um presidente americano à Índia, foram oferecidos quadros com molduras em couro, derivado do animal sagrado para a religião hindu. Foi um constrangimento total; . Em um almoço de negócios entre executivos americanos e japoneses, estes foram presenteados com estojos de faca. Os japoneses abandonaram o almoço. O presente parecia um convite a efetuar um Haraquiri (suicídio); . Não é recomendável presentear chineses com relógios. A palavra relógio no idioma local lembra tristeza e luto; . Não presenteie os japoneses com objetos embrulhados em papel branco. O branco significa morte; . Se você quiser presentear um cidadão de Hong Kong, é melhor oferecer um par de objetos, pois 1 só não traz sorte. Costumes
  • 22. 3. Experiência  Quando percebemos um objeto ou uma pessoa, dirigimos nossa atenção conforme nossas experiências anteriores. Assim duas pessoas poderão ver a mesma coisa de modos diferentes;  A soma de experiências anteriores influencia nosso modo de perceber.
  • 23. 4. Situação Interior  Exemplo:  O gerente que sai de casa irritado exagera na sua repreensão ao subordinado;  O homem que amanhece alegre recebe de bom grado o convite para fazer horas extras; Conforme nosso estado interior, podemos reagir de modo diferente ao mesmo estímulo Dependendo do nosso estado anterior, reagimos e percebemos de modos diferentes os mesmos fatos ou acontecimentos.
  • 24. 5. Influência do Grupo  Exemplo:  Um homem que nunca jogou damas começa a freqüentar um grupo que gosta e joga como passatempo nos horários de almoço, começará a gostar e até praticar o jogo;  Um homem que não simpatizava com o supervisor, passa a simpatizar influenciada pela opinião do grupo. O grupo Influencia e até modifica o modo de perceber de seus membros
  • 25. Percepção e Realidade  À medida que adquirimos novas informações, nossa percepção se altera. O olho do Observador
  • 26. Percepção e Liderança Percepção Percebe os Outros É Percebido Percebe o Ambiente -Todos temos percepções; -Como sou visto; -Como a equipe me vê. -Conheço as pessoas; -Como percebo as pessoas; -Empatia. -Percebo o clima; -Qualidade do trabalho; -Espírito da equipe.
  • 27. Percepção e Liderança  Nossa percepção das coisas e dos fatos nem sempre é correta para julgarmos;  Para compreender uma ação, uma atitude ou motivo, é necessário que não focalizemos apenas fatos isolados ou relações isoladas, precisamos, isto sim, considerar os fatos nas suas interligações, na maneira em que eles se completam, se juntam ou separam;  Para compreender uma pessoa, precisamos observá- la no seu ambiente, no contexto da sua situação e nos problemas que está enfrentando e ainda, buscar conhecê-la bem;  O mesmo ambiente ocasiona comportamentos diferentes entre as pessoas que os vivenciam.
  • 28. Persuasão  Ato ou efeito de persuadir, convicção. Persuadir significa convencer, induzir.  A persuasão deriva do poder de alguém implantar uma idéia em mente alheia, com o fim de induzir este terceiro a tomar determinada atitude. Pacífica Coercitiva Violenta
  • 30.
  • 31. Trabalho em Equipe  Trabalho:  Aplicação das forças e faculdades humanas para alcançar um determinado fim. Atividade coordenada de caráter físico ou intelectual necessário a realização de tarefas.  Equipe:  Grupo de pessoas que geralmente se une para alcançar um objetivo em comum. madagascar
  • 32. Importância do Trabalho em Equipe  O Cego, o sem braço e o vendedor: Confeccionar um recipiente para armazenar água da chuva.
  • 33. Importante  União;  Espírito de Equipe. River´s dance
  • 34. Grande Paradigma Aprendi que um homem só tem direito a olhar outro de cima para baixo quando vai ajudá-lo a levantar-se... queen
  • 35. O Líder na Equipe  Percepção e Persuasão;  Confiança x Equipe;  Empatia;  Delegação;  Objetivos comuns;  Exemplo.
  • 36. Competências na equipe Conhecimento Habilidade Atitude Saber Saber Fazer Querer Fazer Comportamentos Observados que geram resultados observados Contexto: ENTREGA COMO GERENCIAR PESSOAS COM FOCO NO AUMENTO DA PRODUTIVIDADE?? QUAL O PERFIL DO PROFISSIONAL EU PRECISO PARA OBTER VANTAGENS COMPETITIVAS??
  • 37. Papel do Líder na Equipe Conhecimento Habilidade Atitude Saber Saber Fazer Querer Fazer MOTIVAÇÃO
  • 39.
  • 41. Mensagem  Símbolo: Forma pela qual é transmitida a mensagem. Perceptível pelos sentimentos humanos;  Palavras: Símbolo básico da comunicação interpessoal;  Código: Vocabulário ou sistema de símbolo convencionais na comunicação. É o Conteúdo básico da informação
  • 42. Canais da Comunicação  É o meio através do qual é transmitida a mensagem. Palavras Tom de voz Fisiologia
  • 43. Feedback  Buscar entender se o receptor compreendeu o que foi transmitido. O feedback no processo de comunicação é a confirmação de que o processo foi eficaz
  • 44. Cuidados com a Comunicação  Interesse do receptor e emissor;  Escolha do canal de comunicação;  Clareza na mensagem;  Utilização do feedback;  Alinhamento – canal  mensagem  objetivo. Exemplo prático halley
  • 45. Reflexão - Comunicação  Problemas mais comuns de comunicação;  Comunicação – Ferramenta fundamental para o líder;  Artigo – Comunicação.
  • 47. Definição de Conflitos  É uma série de situações que revelam um desentendimento entre opiniões entre duas ou mais pessoas e até mesmo em uma mesma pessoa.  Origem – palavra grega “conflictus”, que significa embate, ou seja, é o embate entre dois ou mais pensamentos e circunstâncias diferentes.
  • 48. Conflitos Interpessoais  É inerente a qualquer relação humana;  Está ligado a valores pessoais;  É praticamente impossível resolver conflitos;  Muita gente diz que é bom evitar o conflito;  Evitar é sinal que já existe.
  • 49. Realidade sobre o Conflito  O conflito não deve ser encarado como uma coisa ruim, ou um problema e sim uma circunstância ao crescimento de uma equipe.
  • 50. O que se houve sobre Conflitos . Cria uma disfunção na empresa. Quando bem administrado pode gerar ganhos . O conflito desaparece quando evitado. Quando não é bem administrado fica guardado na cabeça e basta uma gota Deságua para inflamar. . Todos os conflitos podem ser resolvidos. A maior parte pode ser administrado . O conflito pode fortalecer relações. Certo, quando bem administrado fortalece as relações.
  • 51. “O conflito é um elemento importante na vida empresarial, é inevitável e jamais será eliminado”.
  • 52. Administração de conflitos  A administração de conflitos consiste exatamente na escolha e implementação das estratégias mais adequadas para se lidar com cada tipo de situação, para se conseguir um resultado positivo.
  • 53. Passos Importantes  Criar uma atmosfera afetiva;  Esclarecer as percepções;  Construir um poder positivo e compartilhado;  Olhar para o futuro;  Estabelecer acordos de benefícios mútuos.
  • 54. TÉCNICA PARAADMINISTRAR O CONFLITO Modelo de 6 etapas Definir: veja o que você pensa, o que você acha e se possível o que o outro pensa sobre o assunto. Analisar: após definir o que você acha, procure saber quem está envolvido, o que, onde, quando (recente ou antigo), porque, como. Alternativas: quais são as alternativas (já aconteceu antes, como foram solucionadas). Implementar e avaliar: reuniões com os participantes. Escolher e concordar: depois de escolhida a melhor alternativa, lutar por ela. Projeção de resultados: quais os possíveis resultados das alternativas.
  • 55. Conflito - Negociação “Negociação é um meio básico de conseguir o que se quer de outrem. É uma comunicação bidirecional concebida para chegar a um acordo, quando você e o outro lado têm alguns interesses em comum e outros opostos.” (Fischer, Ury e Patton)
  • 56. Nas organizações temos 4 possíveis resultados na administração de conflitos: Ganhar x perder: é o mais natural, pois ninguém entra para perder; é o mais desagradável mas às vezes é necessário. Perder x ganhar: você aceita opiniões, sugestões e acaba cedendo em prol da organização. Perder x perder: situação de afastamento; não pode acabar por ai; depois de esfriar a cabeça, as partes retornam, discutem e resolvem Ganhar x ganhar: é o mais desejável, porém o mais difícil, o principal é que ambas as partes estejam interessadas em resolver o problema. abrigo
  • 57. O Papel do Líder  Gestão da equipe na Administração dos conflitos;  Mediador de conflitos na equipe;  Crescimento da maturidade da equipe através dos conflitos;  Equipe que gera resultados e agrega valor.
  • 58.
  • 59. O que é Liderança  É conduzir um grupo de pessoas para que contribuam da melhor forma à atingir os objetivos do grupo ou da organização.  Praticando um conjunto de comportamentos, em determinadas situações, buscando a realização de desejos comuns.
  • 61. Ferramentas de Apoio  Plano de Habilidades e Plano de Ação  Desenvolvimento de pessoas.  Política de Remuneração e benefícios  Contrapartida – Recompensa.  Descrição de Cargos  Gestão de desempenho.  Assessoria Recursos Humanos  Apoio a Gestão.
  • 62. O Papel do Líder  Alinhar;  Coordenar;  Unir;  Delegar;  Etc... Equipes que Geram Resultados e Agregam Valor ao Negócio!
  • 63. Líder Educador  Atividade: Qual sua decisão como líder nas situações apresentadas no texto.
  • 64. Liderança Situacional Uma liderança ideal é algo difícil de ser definida, tendo em vista que um estilo adotado por um líder pode ser extremamente eficaz em determinada situação e, num outro momento, o mesmo estilo poderá ser totalmente inadequado. Por exemplo, um líder de presença marcante, de idéias definidas, o tipo conhecido como “personalidade forte”, pode ser um agente impulsionador para uma equipe composta de pessoas mais dependentes e que possuem uma tarefa a ser cumprida num curto espaço de tempo. Por outro lado, este estilo de liderança poderia causar a desmotivação em pessoas mais maduras, que se realizam ao efetuar suas atividades com autonomia.
  • 65. Liderança Situacional Baseia-se numa inter-relação entre a quantidade de orientação e direção que o líder oferece, a quantidade de apoio sócio-emocional dado pelo líder e o nível de prontidão dos subordinados no desempenho de uma tarefa, função ou objetivo específico. Hersey e Blanchard
  • 66. Estilos de Liderança  Líder Autocrático:  Concentra do poder de decisão;  Autoritário, dita as normas e atividades;  Não estimula a iniciativa do grupo;  Não promove lideranças;  Manda, proíbe, ameaça, exige e castiga;  Baixo grau de Relações Interpessoais.
  • 67. Estilos de Liderança  Líder Paternalista:  É considerado como um pai;  Matem o grupo dependente (assistencialisamo);  Acha que as pessoas não tem capacidade de liderar com ele;  Não valoriza a iniciativa alheia;  Toma as decisões em nome do grupo;  Elevado grau de relações interpessoais.
  • 68. Estilos de Liderança  Líder Democrático:  Valoriza as idéias e inicativa quando grupo;  Promove participação e cooperação;  Favorece o surgimento de lideranças;  Partilha o poder de decisão;  Liberdade, comunicação e integração;  Trabalho em equipe;  Elevado grau de relações interpessoais.
  • 69. Estilos de Liderança  Líder Permissivo:  Não toma iniciativa;  Não assume, não dirige e não coordena;  Não existe nada definido;  Baixo grau de relações interpessoais.
  • 71. Estilos de Liderança E-1 – DIRIGIR – AUTOCRÁTICO Comportamento de alto grau de estruturação e baixo grau de apoio. (Padroniza, rédea curta, age com firmeza, rigorosa super- visão, redefine papéis, estabelece prazos) E-2 – TREINAR – PATERNALISTA Comportamento de alto grau de estruturação e alto grau – de apoio. (Conversa, certifica-se, participa da solução, dirige, con- trola, providencia, assegura-se, verifica.
  • 72. Estilos de Liderança E- 3 – APOIAR – DEMOCRÁTICO OU PARTICIPATIVO Comportamento de alto grau de apoio e baixo grau de estruturação. (Pouco diretivo, valoriza, encoraja, planeja junto, apóia, não pressiona). E-4 – DELEGAR – PERMISSIVO Comportamento de baixo grau de apoio e baixo grau de estruturação. (Não intervém, delega, dá autonomia, rédea solta).
  • 73. Estilo Liderança x Comportamento  Importante conhecer as pessoas, entender de gente, conversar, ouvir e entender. Fisiológicas Segurança Social Auto - Estima Auto - Realização Teoria da Motivação Segundo Maslow
  • 74.
  • 75. Análise Transacional  Estuda e analisa as trocas de estímulos e respostas, ou transações entre indivíduos;  O que se sente e pensa é o comportamento subjetivo (interior, privado) e o que se diz e faz é o comportamento objetivo (exterior, observável, registrável)
  • 76. Para a Análise Transacional  Caráter: Tendências que trago, como por exemplo, tendência para a lealdade, passividade, alcoolismo, rebeldia, etc.  Personalidade: Constitui-se da educação, daquilo que provém do meio externo, ou seja, das informações de pais, professores, religião, terapeuta, para a pessoa.
  • 77. Para a Análise Transacional  IMPORTANTE: Tudo é uma questão de escolha, ou seja, quais permissões e proibições serão assimiladas, ou seja, escolhemos aquilo que seremos. Claro que esta escolha está sobre forte influência do caráter, onde minhas tendências permitem um “gancho” com tais ensinamentos provenientes do meio em que se vive.
  • 78. Ser Humano  Todo ser humano carrega consigo o que é chamado de “essência boa”, ou seja mesmo que o caráter traga tendências negativas, a essência do ser humano é boa.
  • 79. Formação do Ser  Todo ser humano é composto de quatro grandes necessidades segundo psicólogos:  Fome de estímulo: de onde provém os estímulos sensoriais;  Fome de reconhecimento: Onde os atos ou palavras são estímulos especiais para o comportamento;  Fome de contato: Nesta categoria encontra-se a necessidade de carícia física não necessariamente apenas agradáveis;  Fome de sexualidade: De onde pode-se saciar todas as outras fomes.
  • 80. Estados do Ego P Estado de ego PAI A Estado de ego ADULTO C Estado de ego CRIANÇA
  • 81. Estado do Ego PAI  É o reservatório de normas e valores, de conceitos e modelos de conduta. Evidências Preconceitos Dogmas Crenças Normas de Vida P Estado de ego PAI
  • 82. Manifestações deste estado  Franzir as sobrancelhas,  Apontar dedo indicador,  Fazer não com a cabeça,  Pôr mãos na cintura,  Cruzar os braços.  Quantas vezes já disse,  Não posso de jeito nenhum,  Se eu fosse você,  Lembre-se sempre que,  Vou por fim nisto.
  • 83. Ego PAI  Paternalismo,  Cuida,  Protege,  Toma conta  Agressividade,  Menosprezo,  Ofensas,  Punição Nutritivo Crítico
  • 84. Estado do Ego ADULTO  Recebe informações de fora para dentro, analisa e compara com seu eu. É Racional. Evidências Realidade Corrente Coleta de Dados Organização Avaliação dos fatos A Estado de ego ADULTO
  • 85. Manifestações deste estado  Do Rosto,  Dos Olhos,  Do Corpo.  Porque,  O que,  Onde,  Quando,  Quem.
  • 86. Estado do Ego CRIANÇA  Apresenta as emoções básicas como alegria, amor, etc... É a parte mais autêntica do ser humano e também reprimida pela educação. Evidências Impulsos Emoções Criatividade Espontaneidade C Estado de ego CRIANÇA
  • 87. Manifestações deste estado  Chorar,  Rir,  Implicar,  Roer unhas,  Lábios trêmulos.  Eu quero,  Eu gostaria,  Compra,  Eu não posso,  Eu vou.
  • 88. Ego CRIANÇA  Alegre,  Triste,  Amedrontada.  Agressivo,  Maldoso,  Rancoroso. Livre Submissa Rebelde  Acomodado,  Apático,  Deprimido.
  • 89. Manifestação dos Estados  Agindo, pensando ou sentindo da maneira como observou seus pais fazerem;  Lidando com a realidade atual, colhendo fatos, processando-os objetivamente;  Sentindo e agindo como quando era criança.
  • 90. Exemplo 1- De uma pessoa que olhando um quadro moderno: PAI: Que troço é esse aí; ADULTO: De acordo com a etiqueta deve custar uns R$1.200,00; CRIANÇA: Puxa, que lindo este colorido.
  • 91. Exemplo 2- Secretária que o chefe chamou a sua sala: PAI: Meu chefe ainda tem muito que aprender para ser um bom chefe; ADULTO: Meu chefe precisa daquele relatório; CRIANÇA: Meu chefe só me chama para me criticar.
  • 92. Exemplo 3- De uma pessoa que vê um ato violento na rua: PAI: Isso serve para a pessoa não ficar na rua até essa hora; ADULTO: Acho melhor chamar a polícia agora; CRIANÇA: Caramba, que violência!
  • 93. Exemplo 4- De um chefe cuja a secretária chegou atrasada: PAI: Coitada, pela cara, parece que passou a noite em claro; ADULTO: Se ela chega atrasada os outros funcionários ficarão insatisfeitos; CRIANÇA: Quisera eu poder acordar mais tarde um pouquinho.