Aula 03 história da publicidade e propaganda

2.481 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.481
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
193
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 03 história da publicidade e propaganda

  1. 1. História da Propaganda e da Publicidade Prof. Ms. Elizeu N. Silva
  2. 2. Século XIX “Quem quiser comprarO primeiro anúncio uma morada de casas depublicado na Gazeta do sobrado com frente paraRio de Janeiro em 1808 Santa Rita, fale com Ana Joaquina da Silva, querepresenta a entrada do mora nas mesmasBrasil num negócio que já casas, ou com o Capitãoexistia na Europa há Francisco Pereira de Mesquita, que tem ordemséculos. Na Inglaterra, os para as vender”.registros dos primeirosanúncios datam de 1650.
  3. 3. Século XIXO crescimento dapublicidade, noentanto, seria rápido.A sanção da LeiEusébio deQueiroz, em1850, proibindo o de escravos, fez que os traficantestráfico internacionalprocurassem produtos industrializados para comercializar.
  4. 4. Século XIXComerciantes deescravos eram grandesanunciantes dos jornaisem meados do séculoXIX.Publicavam-secaracterísticas físicas edepersonalidade, habilidades dos homens e mulheresà venda.
  5. 5. Século XIX
  6. 6. Século XIXEm meados do século XIX, aimportação de escravosrepresentava 1/3 do comércioexterior do Brasil.
  7. 7. Século XXNa segunda metadedo séculoXX, começa aprevalecer naimprensa brasileira(São Paulo e RJ) osanúncios de serviçose de produtos deconsumo “Luiz Keller, operador de calos, unhas encravadas e deformadas. Rua de S. bento, 59. Interior, quarto número 1, onde acaba de abrir um modesto gabinete para o exercício da sua profissão, sendo encontrado das 11 da manhã às 4 da tarde”. Publicado no Estadão de 10 de outubro de 1890.
  8. 8. Século XX “Auburn, o automóvel da moda nos Estados Unidos. Possante, resistente, veloz, econõmico. Companhia Prado Chaves. Avenida São João, 187-B” 14 de janeiro de 1927“Divinia, perfume exquisito. F. Wolff & Sohn Karlsruhe”A palavra „exquisito‟, na época, tinha significado diferente doesquisito (estranho) de atualmente. Significava precioso, fino.O anúncio foi publicado em 1 de julho de 1911.
  9. 9. Século XX “Aquecedor instantâneo privilegiado. Um litro de água fervendo em um minuto apenas queimando uma folha de jornal! Aquecido com álcool o resultado é surpreendente. Preço: 5,000 réis, com desconto para porção. À venda em todas as lojas de louças e ferragens. Companhia Industrial Importadora. rua José Bonifácio, 18. São Paulo”. 12 de maio de 1905. “Avançando sempre. Presunto Estrela Azul. Cozido sem osso, pronto para consumo. Preparado especialmente para Clayton, Osburgh & Cia”. 1 de janeiro de
  10. 10. Século XX Esta é a primeira fotografia da cidade de São Paulo publicada no Estadão. A reportagem mostrava os preparativos para uma disputa automobilística, o “Raid São Paulo – Jundiaí”. Dia 2 de maio de 1908. Salon „De Beauté (Salão de Beleza) Mappin Stores. 28 de setembro de 1929.
  11. 11. Século XXVentiladores Ciclone elétricos eturbine. Byigton & Companhia. Ruado comércio 4-A. 7 de janeiro de1909
  12. 12. Século XXA publicidade teve um papelpedagógico, pois a sociedadebrasileira começava a seinspirar na sociedadeeuropeia como padrão demodernidade –principalmente com relaçãoao comportamento e àutilidade de novos produtos “Assim, a vida é melhor. Aparelhos elétricos de real utilidade para conforto dasaté então desconhecidos no donas de casa”. 24 de agosto de 1947.país.
  13. 13. Século XX – InstitucionalizaçãoNos anos 1920, as agências de publicidade existentesno Brasil consistiam, basicamente, dos departamentosde propaganda de grandes empresas anunciantes.Os principais eram:a) Laboratórios farmacêuticos;b) Lojas Mesbla;c) General Eletric;d) General Motors – o núcleo mais profissional da época.
  14. 14. Século XX – InstitucionalizaçãoO departamento de propaganda da GM, instalado em1926 e dirigido por profissionais oriundos da matrizamericana, desempenhou o papel de escola paraimportantes nomes da incipiente publicidade brasileira.Posteriormente, em 1929, a GM decide transferir asatividades para uma agência independente – J. WalterThompson, que já atendia a empresa nos EUA e emoutros mercados.
  15. 15. Século XX – InstitucionalizaçãoO crescimento acelerado do país desde fins do séculoXIX e começo do XX movido pelas exportações decafé, que beneficiavam principalmente São Paulo e oRio de Janeiro, atraiu novas agências de publicidadepara o país.Na sequência da Thompson, chegama) N. W. Ayer;b) Lintas;c) McCann-Ericksond) Grant;
  16. 16. Século XX – InstitucionalizaçãoAgências internacionais trazem, além do know–how, ideias deinstitucionalização da Propaganda e Publicidade como áreaeconômica que demandava cursos específicos.Na década de 1930 o governo cria o Departamento de Imprensae Propaganda (DIP) numa tentativa de controlar a ComunicaçãoSocial.Em 1937 surgem a Associação Brasileira de Propaganda (ABP)no Rio de Janeiro, e a Associação Paulista de Propaganda, emSão Paulo.
  17. 17. Século XX – InstitucionalizaçãoEm 1938 ocorre no Rio de Janeiro o I Salão Brasileiro dePropaganda, visando reunir empresas e profissionais do setorpara discutir os desafios da profissão.Em 1 de agosto de 1949 é fundada a Associação Brasileira deAgências de Propaganda, para representar as agências e regularo funcionamento do setor.
  18. 18. Século XX – InstitucionalizaçãoO I Congresso Brasileiro de Propaganda, realizado no Riode Janeiro em 1957, representou importantes avanços nainstitucionalização:a) Código de Ética dos Profissionais da Propaganda;b) Normas-padrão para prestação de serviços pelas Agências;c) Instituto Verificador de Circulação (IVC)d) Conselho Nacional de Propaganda.
  19. 19. Século XX – InstitucionalizaçãoNo III Congresso Brasileiro de Propaganda, ocorrido em1978, foi aprovado, por aclamação, o Código de Auto-Regulamentação Publicitária – que deveria ser fiscalizadopela Comissão Nacional de Auto-RegulamentaçãoPublicitária (CONAR) – posteriormente transformada emConselho.

×