Germinal

2.013 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.013
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.008
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Germinal

  1. 1. Émile ZolaGERMINAL
  2. 2.  A Companhia das Minas de Montsou fora criada em 1760, reunidos os três grupos de concessionários em um só. Os anos seguintes não foram bons; houve o desenrolar da Revolução Francesa e a seguir a queda de Napoleão. Quem lucrou com a empresa foi Léon Grégoire: o pequeno investimento de seu bisavô multiplicou-se espantosamente. O capital inicial passara a render cem por cento em 1820: dez mil francos; em 1844, vinte mil; em 1850, quarenta mil, e havia dois anos os dividendos atingiam a cifra extraordinária de cinquenta mil francos. Em um século o capital inicial havia centuplicado. (Segunda parte; p.38) GERMINAL
  3. 3. Segundo a perspectiva do materialismo histórico, no parágrafo acima é apresentada a forma como se constitui uma das classes fundamentais no capitalismo. Identifique esta classe e descreva o seu processo de formação. GERMINAL
  4. 4. Négrel chamou aos brados: — Maheu, Maheu! Todos desceram; ele continuou: — Veja isto. Está firme? Diga-me! Isso nunca foi trabalho decente. Este encaixe não segura mais os caibros porque foi colocado de qualquer jeito, e assim por diante. Agora compreendo as enormes somas que gastamos em consertos... Desde que isto aguente enquanto vocês são os responsáveis o resto não tem importância, não é assim? E que tudo quebre depois, a companhia está aí mesmo, ela que mantenha um exército de operários para consertar... Veja aquilo ali, é uma vergonha. Chaval quis falar, mas ele não deixou. — Não fale nada, já sei o que vai dizer: que lhe paguem melhor, não é? Pois previno-os de que vão forçar a direção a fazer uma coisa! Sim, pagaremos o revestimento à parte e reduziremos proporcionalmente o preço do vagonete. Já veremos o que ganharão com isso. Agora quero esse revestimento feito todo de novo e imediatamente. Amanhã volto aqui. E partiu, deixando atrás de si o impacto causado por sua ameaça. Dansaert, tão humilde diante do outro, ficou para trás por alguns segundos para dizer brutalmente aos operários: — Essa vocês me pagam... Não vai ser somente de três francos a multa que vou aplicar. Tomem cuidado comigo! Depois de ele partir foi a vez de Maheu estourar. — Com todos os diabos! O que não é justo não é justo. Gosto de fazer tudo com calma porque é a única maneira com que a gente se pode entender, mas é de ficar furioso. Vocês ouviram? Vão pagar menos por carro e o revestimento à parte! Isso não passa de uma desculpa para nos pagarem menos... Raios os partam. (pp. 32 e 33) GERMINAL
  5. 5. A passagem acima descreve a forma desigual como capital e trabalho se relacionam no processo de produção capitalista. Identifique os dois conceito que representam esta exploração e de que forma ela se materializa no processo de produção capitalista. GERMINAL
  6. 6.  Foi por essa época que Etienne começou a compreender as ideias que lhe fervilhavam na cabeça. Até então não passara de um revoltado instintivo absorvendo a surda fermentação dos companheiros. Uma gama variada de perguntas confusas não o deixava em paz: por que havia tanta miséria de um lado e tanta riqueza de outro? Por que estes tinham de viver escravizados àqueles, sem a menor esperança de um dia mudarem de posição? A primeira etapa vencida foi a da compreensão de sua ignorância. Uma vergonha secreta, um desgosto oculto começaram a atormentá-lo: nada sabia, não ousava falar sobre essas coisas que eram a sua paixão, a igualdade entre os homens, a justiça que exigia que os bens da terra fossem repartidos entre todos. Por isso começou a estudar, sem método, como fazem aqueles que são ignorantes mas têm sede de saber. Entabulou uma correspondência regular com Pluchart, mais instruído e a par do movimento socialista. Encomendou livros cuja leitura mal digerida acabou por exaltá-lo, sobretudo um livro de medicina, Higiene do Mineiro, em que um médico belga fazia o resumo das doenças de que morrem os trabalhadores das hulheiras, sem contar os tratados de economia política de uma aridez técnica incompreensível, folhetos anarquistas que o perturbavam, números antigos de jornais que lia e guardava depois como argumentos irrefutáveis em possíveis discussões. Também Suvarin lhe emprestava livros, e a obra sobre sociedades cooperativas fizera-o sonhar durante um mês com uma associação universal de intercâmbio, abolindo o dinheiro e baseando toda a vida social no trabalho. A vergonha de sua ignorância foi cedendo lugar a um certo orgulho desde que sentia que pensava. GERMINAL
  7. 7. O que o texto chama de orgulho podemos chamar de uma: a) Consciência de classe que para os trabalhadores resulta da vontade coletiva de superar a situação de exploração em que se encontram sob o capitalismo. b) Ideia de que é no trabalho que a exploração do trabalhador torna-se explícita, favorecendo a formação da ideologia de classe. c) Consciência do processo de identificação do trabalhador com o produto de seu trabalho, que se chama de alienação. d) Ideia de que o trabalho apresentam-se de forma a explicitar as relações de classe e o vínculo entre o trabalhador e o patrão. e) Ideologia da produção capitalista que constitui-se de imagens e ideias que levam os indivíduos a compreender a essência das relações sociais de produção. GERMINAL
  8. 8. No pátio da Voreux reinava profundo silêncio. Era uma fábrica morta, com o vazio e o abandono das vastas oficinas onde o trabalho cessara. Sob o céu cinzento de dezembro, ao longo dos altos passadiços, três ou quatro vagonetes esquecidos tinham a muda tristeza das coisas abandonadas. Embaixo, entre as armações dos cavaletes, o estoque de carvão esgotava-se, deixando a terra nua e negra; a provisão de madeira apodrecia sob os aguaceiros. Quarta parte III. P176 Germinal Martin Claret Segundo a perspectiva do materialismo histórico, no parágrafo acima é apresentado uma forma de organização política dos operários. Identifique-a e fale sobre suas consequências sobre o capital. GERMINAL
  9. 9.  Etienne, no entanto, estava muito animado. Uma predisposição para a revolta o impelia à luta do trabalho contra o capital, numa primeira ilusão, que era produto da ignorância. Tratava-se da Associação Internacional dos Trabalhadores, da famosa Internacional que acabava de ser criada em Londres. Não havia nisso um esforço maravilhoso, uma campanha onde a justiça ia enfim triunfar? O fim das fronteiras, os trabalhadores do mundo inteiro levantando-se, unindo-se para assegurar ao operário o pão que ganha. E que organização simples e grandiosa! Embaixo a seção que representa a comuna, em seguida a federação que agrupa as seções de uma mesma província, depois a nação e por fim, no topo, a humanidade encarnada num conselho geral onde cada nação está representada por um secretário correspondente. Antes de seis meses a terra seria conquistada e ditar-se-iam as leis aos patrões se eles se fizessem de espertos.
  10. 10.  A passagem acima descreve uma transformação social proposta por Marx, com a mudança da sociedade capitalista para outro modelo de sociedade. Usando o texto explique como ela se desenvolveria na concepção de Marx e quais suas principais características. GERMINAL

×