Uerj 2013

2.039 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.039
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.353
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Uerj 2013

  1. 1. RMJ1º EQ – UERJCH
  2. 2. Questões correlatas. Ex : História e SociologiaGeografia e História, Sociologia e História.É possível encontrar 2 ou até mesmo 3 temas dentro de umamesma questão.Ex: Desigualdade social e espaço urbano (Especulaçãoimobiliária, Papel do Estado do ponto de vista dosinvestimentos (desequilíbrio) , periferização da população debaixa renda).INTERDISCIPLINARIDADE
  3. 3. Muitas delas têm enunciado pequeno, uma figura e questõescom respostas bastante objetivas.Uma coisa importante a ser observada é a figura, que semprerepresenta uma ideia e está totalmente ligada com o contextodo enunciado e em algumas vezes elas podem ajudar naresolução da questão. Pode ser que algumas sejam merasilustrações, mas o aluno atento leva a sério tudo, inclusive asilustrações.QUESTÕES
  4. 4. Nos EQ da UERJ na parte de “ciências humanas”, que é muitocomum essas provas darem dois apontamentos em cada opçãode respostas. Exemplo:a) Imperialismo – Capitalismob) Comunismo –Imperialismoc) Imperialismo – SocialismoEtc....Lembre-se que em todas as opções, para dificultar, a banca dovestibular pode por uma das duas certas em todas asalternativas, porém apenas uma das alternativas será com opar certo.ATENÇÃO (“RESPOSTA QUASE CERTA”“RESPOSTA TOTALMENTE CERTA”.)
  5. 5. Estado e propaganda política.Efeitos dos meios de comunicação nacultura.INDÚSTRIA CULTURAL
  6. 6. Revolução Industrial e seus impactos nasociedade modernaMODERNIDADE
  7. 7. Pirâmide da estratificação de classe noBrasilESTRATIFICAÇÃO
  8. 8. Modelos de Produção, em especial Pós-Fordista/Flexível Crises Econômicas. (Crise FinanceiraInternacional (2008) e da Zona do Euro).GLOBALIZAÇÃO
  9. 9. Conflitos no Campo e MovimentosSociais Rurais.Segregação Sócio-Espacial, FavelizaçãoMovimentos Sociais Urbanos.MOVIMENTOS SOCIAIS
  10. 10. A importância dos negros.(Quilombolas/cotas)A importância dos índios.FORMAÇÃO HISTÓRICO-SOCIAL DASOCIEDADE BRASILEIRA
  11. 11.  A ria em quadrinhos apresenta uma sticafundamental do modo de o capitalista na atualidadee uma tica estatal em curso em muitos sesdesenvolvidos. Essa stica e essa tica o indicadas em:(A) liberdade de rcio – es afirmativas para grupossociais menos favorecidos(B) sociedade de classe – sistemas de garantias trabalhistaspara a o de obra sindicalizada(C) economia de mercado – programas de apoio aos setoreseconômicos pouco competitivos(D) trabalho assalariado – campanhas de muloresponsabilidade social do empresariado1º EQ 2011: QUESTÃO 44
  12. 12. a da do homem do estado de tutela, pelo qual ele priovel a incapacidade de utilizar o prioentendimento sem a o vel por esseestado de tutela quando a causa se refere o a uma insuficiênciainsuficiência da o -losem ser conduzido por outrem. Sapere aude!* Tenha a coragem de usar seuprio a divisa do Iluminismo.IMMANUEL KANT (1784) In: BOMENY, Helena e FREIRE-MEDEIROS, Bianca. Temposmodernos, tempos de sociologia. o Paulo: Ed. do Brasil, 2010.No contexto da o capitalista no culoo da:(A) superioridade cnica(B) soberania econômica(C) liberdade tica(D) o fica* o latina que significa “tenha a coragem de saber, de aprender”.1º EQ 2012 Q. 53
  13. 13. Democracia: governo no qual o povo toma as esimportantes a respeito das ticas blicas, o de formaocasional ou circunstancial, mas segundo piospermanentes de legalidade.rio Houaiss da ngua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2007.conceito de democracia apresentado acima se relacionadiretamente com a tica de:(A) unidade sindical(B) o da riqueza(C) estabilidade constitucional(D) o das minorias2 EQ 2012 Q. 56
  14. 14. O capitalismo do culo XIX tropeçou de desastre em desastre nasbolsas de valores e nos investimentos empresariais irracionais.s a Segunda Guerra Mundial, essa desordem foi de algummodo posta sob controle na maioria das economias avançadas:sindicatos fortes, garantias trabalhistas e empresas de grandeescala combinaram-se e produziram uma era, de mais ou menostrinta anos, de relativa estabilidade.Adaptado de SENNETT, Richard. A o do ter: as consequênciaspessoais do trabalho no novo capitalismo. Rio de Janeiro: Record, 2010.A estabilidade mencionada no texto foi proporcionada pelao socioeconômica e pelo modelo de o do Estadoidentificados em:(A) o dos sistemas de dito – moderno(B) o dos rios coloniais – corporativista(C) o das redes produtivas globais – tico(D) o das sociedades de consumo de massa – de bem-estar social2 EQ 2012 Q. 60
  15. 15. O capitalismo já conta com mais de dois culos de ria e,de acordo com alguns estudiosos, vive-se hoje um modelo s-fordista ou toyotista desse sistema econômico.Observe o ncio rio:1 EQ 2012 Q.47
  16. 16.  Uma gia pria do capitalismo s-fordista presenteneste ncio : (A) o de capital, viabilizando a o fabril(B) o da o, massificando o consumo debens(C) o da stria, permitindo a o pordemanda (D) o de estoque, aumentando a lucratividade dasempresas1 EQ 2012 Q.47
  17. 17. O o Franz Boaz foi o primeiro a ressaltar a importância doestudo das diversas culturas em seu prio contexto, a partir dassuas peculiaridades. Boaz ressaltava o haver cultura superior ouinferior. Para ele, deveriam ser considerados os fatores ricos,naturais e sticos que influenciavam o desenvolvimento decada cultura em particular.Adaptado de LUCCI, Elian A. e outros. rio e sociedade no mundo globalizado:geografia geral e do brasil. o Paulo: Saraiva, 2010.A abordagem apresentada no texto foi desenvolvida a partir docio do culo XX e originou uma novaperspectiva das ciências sociais em odenominada:(A) relativismo(B) materialismo(C) evolucionismo(D) etnocentrismo1º EQ. 2013 Q. 46
  18. 18. A despeito da diversidade e das distâncias regionais, um fenômenosempre mencionado quando se trata do Brasil: uma nica ngua oficial, oportuguês reconhecida em todo s. Mas o a nica falada. Estima-seque, antes da o pelos europeus, falavam-se cerca de 1.200nguas genas no s. Hoje, restam 181 nguas faladas por povosgenas.ARYON dALL’IGNA ROdRIGUES Adaptado de BOMENY, Helena e outros. Tempos modernos,tempos de sociologia. o Paulo: Ed. do Brasil, 2010.A realidade stica no Brasil atual resultou de um conjunto variadode experiências ricas.No contexto das heranças da o portuguesa, a o atual dasnguas genas, apresentada no texto, decorre diretamente do seguintefator:(A) o territorial(B) o racial(C) o cultural(D) o populacional1 EQ 2013 Q. 56

×