Construtivismo
Surrealismo
Abstracionismo Informal
Abstracionismo Geométrico:
Suprematismo e Neoplasticismo – De Stijl
Pro...
Construtivismo
• Movimento que surgiu na Rússia
entre os anos de 1913 e 1920;
• Rejeição às pinturas
convencionais de cava...
Construtivismo
• O Construtivismo dá muito mais ênfase ao
espaço do que à matéria;
• Os artistas produziam assemblages:
co...
Surrealismo
• Corrente artística moderna da representação
do irracional e do subconsciente;
• Teve origens no Dadaísmo;
• ...
Surrealismo
1.Período dos
sonhos (1924),
representado
pelas obras de
natureza
simbólica,
obtidas através
de diferentes
pro...
Surrealismo
• Segundo Breton, há dois métodos propriamente surrealistas: o Automatismo
Rítmico (pelo qual se pintava segui...
Surrealismo
• E o Automatismo Simbólico (a fixação das imagens
oníricas ou subconscientes de maneira natural).
Principais ...
Abstracionismo
• Uma das contribuições das vanguardas foi a
autonomia da arte em relação ao mundo visível, a
realidade.
• ...
Abstracionismo
• O Abstracionismo Informal, que
tem em Kandinsky seu principal
representante, além de Paul
Klee, expressa ...
Cidade da igreja - Paul Klee
Abstracionismo
• E o Abstracionismo Geométrico
as formas e as cores são
organizadas mais racionalmente e
a base da composi...
Abstracionismo
– Pintura com base nas formas geométricas planas, sem
qualquer preocupação de representação. Os elementos
p...
• Principal representante do
Suprematismo: Kazimir
Malevitch
• Pintor russo. Fundador da
corrente suprematista, que
levou ...
Abstracionismo
• É o termo criado pelo artista holandês Piet
Mondrian para uma arte abstrata e
geométrica.
• Segundo o art...
• Mondrian fundou, com
Theo Van Doesburg
a revista De Stijl,
publicada de 1917 a
1928, onde publicou
os textos sobre o
Neo...
Arte Contemporânea:
Expressionismo Abstrato (Action Painting)
Op Art e Pop Art
Anos 50, 60 e 70 no Brasil:
Concretismo, Ne...
Expressionismo Abstrato
• O Expressionismo Abstrato foi um
movimento que floresceu em Nova York
a partir de 1940 e acabou ...
• Anunciava o surgimento de
uma arte "verdadeiramente
norte-americana", com forte
domínio do subconsciente;
• O automatism...
• Revolta contra a pintura tradicional, a
liberdade e a espontaneidade;
• As Action Paintings de Pollock, são
pinturas fei...
Jackson Pollock
• Um dos aspectos mais curiosos
ligados à sua personalidade era a
maneira como realizava suas obras:
estendia a tela no ch...
Op Art
• A Op-art (abreviação de optical art)
foi um movimento artístico que surgiu
ao mesmo tempo no início da
década de ...
Op Art
• A primeira obra que se
enquadra neste movimento
foi “Zebra”, feita por Victor
Vasarely nos anos 30. Tal
obra era ...
Op Art
• São utilizadas cores que
provocam grandes contrastes,
além de diferentes níveis de
iluminação, explorando a
criaç...
Pop Art
• Após a Segunda Guerra Mundial havia
claramente, naquela época, uma divisão
entre a “arte elevada” e a “arte vulg...
Pop Art
• Como uma crítica ao consumismo e à
sociedade do consumo, os artistas da Pop Art
passaram a usar signos estéticos...
Pop Art
• Os principais artistas da Pop Art foram:
– Robert Rauschenberg (1925), famoso pelas
pinturas com garrafas de Coc...
Anos 50 no Brasil:
Concretismo
• Concretismo: expressão dada pelo
holandês Van Doesburg para designar
os artistas que “con...
• Um grupo de sete artistas, a maioria de origem estrangeira residentes
em São Paulo: Anatol Wladyslaw, Leopoldo Haa, Loth...
Grupo Frente/RJ (1954)
• É mais livre de regras. Formados por Ivan Serpa, Ferreira Gullar, Lygia
Clark, Lygia Pape, Aluísi...
Grupo Frente x Grupo Ruptura
• A 1ª Exposição Nacional de Arte Concreta, organizada pelos
concretos de São Paulo com a col...
Hélio Oiticica
Anos 50 no Brasil:
Neoconcretismo
• A ruptura neoconcreta na arte
brasileira data de março de 1959,
com a publicação do Ma...
• O Neoconcretismo parte de uma
aproximação entre trabalho artístico e
industrial.
• Da arte é afastada qualquer conotação...
• Os neoconcretos defendem a liberdade de
experimentação, o retorno às intenções
expressivas e o resgate da subjetividade;...
Parangolé – Hélio Oiticica
Anos 60 e 70 no Brasil:
Nova Figuração
• No Rio de Janeiro, Hélio Oiticica serve de ponte entre o Neoconcretismo
e os novo...
Rubens Gerchman Corpobra
Antonio Manuel
Arte Conceitual
• Criada nos anos 60 por Joseph Kosuth a partir das idéias de Marcel
Duchamp, a Arte Conceitual parte do p...
• A década de 70 se caracteriza pela expansão da Arte Conceitual,
isto é, da arte como ideia, através de novos meios artís...
IMPORTANTE!
Na Arte Conceitual há a preponderância da ideia sobre o
objeto e também tem-se a necessidade de compreender o
...
Zero Dollar
Cildo Meirelles
Performance/Body Art
Gina Pane
Performance
Marina Abramovic Intervenção em espaço público
Chri...
Fontes de consulta
• GARCEZ, Lucília. Explicando a Arte. Rio de Janeiro: Ediouro, 2004.
• GOMBRICH, Ernest Hans. A Históri...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

História da Arte - do Construtivismo à Arte Contemporanea

2.454 visualizações

Publicada em

Apresentação: História da Arte (do Construtivismo à Arte Contemporânea)

Publicada em: Educação
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.454
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
147
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

História da Arte - do Construtivismo à Arte Contemporanea

  1. 1. Construtivismo Surrealismo Abstracionismo Informal Abstracionismo Geométrico: Suprematismo e Neoplasticismo – De Stijl Profº Raphael Lanzillotte
  2. 2. Construtivismo • Movimento que surgiu na Rússia entre os anos de 1913 e 1920; • Rejeição às pinturas convencionais de cavalete e à idéia de arte pela arte a favor de desenhos utilitários destinados à produção em massa; • Pintura abstrato-geométrica que busca movimento perspectivo vibratório através das cores e linhas.
  3. 3. Construtivismo • O Construtivismo dá muito mais ênfase ao espaço do que à matéria; • Os artistas produziam assemblages: contra-relevos abstratos de metal industrializado, arame, madeira, plástico e vidro; • Para alguns deles, essas obras ficavam numa zona intermediária entre a pintura e a escultura, pois fugiam da estabilidade dos pedestais ou das paredes, ficando muitas vezes suspensos por arames estendidos de diversas maneiras no encontro de duas paredes. Alguns artistas construtivistas foram: Naum Gabo, Pevsner, Vladimir Tatlin, Alexander Rodchenko, Kasimir Malevitch, entre outros. Contra-relevo de esquina Vladimir Tatlin
  4. 4. Surrealismo • Corrente artística moderna da representação do irracional e do subconsciente; • Teve origens no Dadaísmo; • Na pintura surrealista tudo pode acontecer, porque tudo parece ser irreal, isto é, bem longe do que estamos habituados a ver no mundo real à nossa volta; • As imagens surreais são tão inesperadas e incomuns como os próprios sonhos. Muitas vezes, os objetos são representados de forma realista, mas não estão integrados nos seus ambientes naturais.
  5. 5. Surrealismo 1.Período dos sonhos (1924), representado pelas obras de natureza simbólica, obtidas através de diferentes procedimentos de automatismo, de um certo figurativismo; Dentro do Surrealismo devem-se destacar três períodos importantes e bem diferenciados entre si: 2.Período do compromisso político (1928), expresso na filiação de seus líderes ao comunismo; 3.Fase de difusão (1930), que se empenhou na formação de grupos surrealistas em toda a Europa, tendo conseguido a adesão de grupos americanos.
  6. 6. Surrealismo • Segundo Breton, há dois métodos propriamente surrealistas: o Automatismo Rítmico (pelo qual se pintava seguindo o impulso gráfico). Também conhecido como Surrealismo Orgânico ou Automatista. Principais pintores: pintores: Miró, Hans Arp e André Masson Miró
  7. 7. Surrealismo • E o Automatismo Simbólico (a fixação das imagens oníricas ou subconscientes de maneira natural). Principais pintores: Salvador Dalí, Magritte, Chagall e Marx Ernst, entre outros. Persistência da Memória, 1931 - MOMA Salvador Dalí A condição humana,1935 Magritte Aniversário 1915 - MOMA Chagall,
  8. 8. Abstracionismo • Uma das contribuições das vanguardas foi a autonomia da arte em relação ao mundo visível, a realidade. • Desde a Antigüidade, durante séculos, a arte representou ou teve como referência a natureza, com maior ou menor fidelidade.
  9. 9. Abstracionismo • O Abstracionismo Informal, que tem em Kandinsky seu principal representante, além de Paul Klee, expressa os sentimentos e idéias do artista que, com total liberdade de expressão, utiliza cores, linhas e formas de maneira espontânea. O abstracionismo dominou a pintura moderna e se diversificou em duas tendências principais: Composição VIII, Kandisky, 1923
  10. 10. Cidade da igreja - Paul Klee
  11. 11. Abstracionismo • E o Abstracionismo Geométrico as formas e as cores são organizadas mais racionalmente e a base da composição é composta por linhas e figuras geométricas. Os pintores Kazimir Malevitch e Piet Mondrian foram os pioneiros do Abstracionismo Geométrico que teve duas vertentes: Suprematismo e Neoplasticismo. Composição suprematista Malevitch
  12. 12. Abstracionismo – Pintura com base nas formas geométricas planas, sem qualquer preocupação de representação. Os elementos principais são: retângulo, círculo, triângulo e a cruz. – Reduz as formas, à pureza geométrica do quadrado. – Suas características são rígidas e se baseiam nas relações formais e perceptivas entre a forma e a cor. Pesquisa os efeitos perceptivos do quadrado negro sobre o campo branco, nas variações ambíguas de fundo e forma. O Abstracionismo Geométrico segue duas linhas estéticas: 1.Suprematismo:
  13. 13. • Principal representante do Suprematismo: Kazimir Malevitch • Pintor russo. Fundador da corrente suprematista, que levou o abstracionismo geométrico à simplicidade extrema. Foi o primeiro artista a usar elementos geométricos abstratos. • O "Quadro negro sobre fundo branco" constituiu uma ruptura radical com a arte da época. Quadro negro sobre fundo branco Kazimir Malevitch
  14. 14. Abstracionismo • É o termo criado pelo artista holandês Piet Mondrian para uma arte abstrata e geométrica. • Segundo o artista, a arte deve ser desnaturalizada e liberta de toda referência figurativa ou de detalhes individuais de objetos naturais. • Mondrian restringiu os elementos de composição pictórica à linha reta, ao retângulo e às cores primárias, azul, amarelo e vermelho, aos tons de cinza, preto e branco. 2.Neoplasticismo – De Stijl: Piet Mondrian
  15. 15. • Mondrian fundou, com Theo Van Doesburg a revista De Stijl, publicada de 1917 a 1928, onde publicou os textos sobre o Neo-plasticismo Composição 1 Mondrian
  16. 16. Arte Contemporânea: Expressionismo Abstrato (Action Painting) Op Art e Pop Art Anos 50, 60 e 70 no Brasil: Concretismo, Neoconcretismo e Nova Figuração Arte Conceitual
  17. 17. Expressionismo Abstrato • O Expressionismo Abstrato foi um movimento que floresceu em Nova York a partir de 1940 e acabou exercendo forte influência sobre a Europa nas décadas de 50 e 60 desse século; • Foi o primeiro movimento que seguiu o caminho inverso do tradicional: em vez de seguir da Europa para a América, foi da América para a Europa; • Entretanto, esse termo já era utilizado para alguns trabalhos de Kandinsky, em especial os do começo de sua carreira. Jackson Pollock
  18. 18. • Anunciava o surgimento de uma arte "verdadeiramente norte-americana", com forte domínio do subconsciente; • O automatismo, conceito forte em movimentos como o Surrealismo, aqui também encontra-se presente, principalmente na forma das Action Paintings e tinha, entre seu principal expoente, Jackson Pollock. Expressionismo Abstrato Jackson Pollock
  19. 19. • Revolta contra a pintura tradicional, a liberdade e a espontaneidade; • As Action Paintings de Pollock, são pinturas feitas a partir de um método de que privilegiava a rapidez da execução, a espontaneidade e condenava a premeditação; • A marca deixada pelo pincel, baseada na caligrafia oriental (em especial a chinesa), também teve grande influência sobre o Expressionismo Abstrato. Willem de Kooning
  20. 20. Jackson Pollock
  21. 21. • Um dos aspectos mais curiosos ligados à sua personalidade era a maneira como realizava suas obras: estendia a tela no chão, utilizando-se de varas, facas, colheres de pedreiros, gotejamento de líquidos e até areia, com a finalidade de tornar- se parte integrante de sua obra e fazer com que "a vida" da pintura "viesse à tona" (daí o conceito de Action Painting); • Outros nomes do Expressionismo Abstrato são: Willem de Kooning e Mark Rothko Jackson Pollock
  22. 22. Op Art • A Op-art (abreviação de optical art) foi um movimento artístico que surgiu ao mesmo tempo no início da década de 60 nos Estados Unidos e Europa; • Na Op-art, as cores têm a finalidade de passar ilusões ópticas ao observador. Visando atingir o dinamismo, os artistas usam tons vibrantes e círculos concêntricos, dando a idéia de movimento e interação entre os objetos e o fundo.
  23. 23. Op Art • A primeira obra que se enquadra neste movimento foi “Zebra”, feita por Victor Vasarely nos anos 30. Tal obra era composta por listras diagonais pretas, brancas e curvadas, passando ao observador, a impressão de uma visão tridimensional.
  24. 24. Op Art • São utilizadas cores que provocam grandes contrastes, além de diferentes níveis de iluminação, explorando a criação de formas virtuais e efeitos ópticos; • Alguns artistas da Op-Art são: Victor Vasarely, Alexander Calder, Richard Anusziewicz, Bridget Riley, Ad Reinhardt, Kenneth Noland e Larry Poons.
  25. 25. Pop Art • Após a Segunda Guerra Mundial havia claramente, naquela época, uma divisão entre a “arte elevada” e a “arte vulgar”. A Pop Art surgiu como resultado da insatisfação de certos artistas com essa situação de separação entre a arte e as massas; • De fato, a pop art surgiu em meados dos anos 50 na Inglaterra, onde um grupo de artistas, intitulado Independent Group, começou a dar os primeiros passos e a apresentar as bases da nova forma de expressão artística. Retroactive I - 1964 Robert Rauschenberg
  26. 26. Pop Art • Como uma crítica ao consumismo e à sociedade do consumo, os artistas da Pop Art passaram a usar signos estéticos massificados da publicidade e do consumo como forma de arte. • Para isso, utilizavam as principais satisfações visuais das pessoas, como comerciais de TV, campanhas publicitárias, histórias em quadrinhos, etc., para aproximar justamente a arte e a vida comum. • Entre os materiais artísticos usados, podemos citar a tinta acrílica, o poliéster, o látex, etc. Andy Warhol
  27. 27. Pop Art • Os principais artistas da Pop Art foram: – Robert Rauschenberg (1925), famoso pelas pinturas com garrafas de Coca-Cola, embalagens de produtos industrializados e pássaros empalhados; – Roy Lichtenstein (1923-1997), com suas obras baseadas nas histórias em quadrinhos e anúncios publicitários; e – Andy Warhol (1927-1987), com suas séries de retratos de ídolos da música popular e do cinema, como Elvis Presley e Marilyn Monroe. – E outros: Jasper Jones, Claes Oldenburg Andy Warhol Roy Lichtenstein
  28. 28. Anos 50 no Brasil: Concretismo • Concretismo: expressão dada pelo holandês Van Doesburg para designar os artistas que “construíam” uma nova estrutura de cor e espaço; • As obras do Concretismo fogem da realidade e negam os conceitos acadêmicos da arte; • Os poucos artistas brasileiros que se dedicam ao Concretismo, baseavam seus estudos em artistas do exterior (Kandinsky,Mondrian, Klee, Malevitch, Tatlin) . Luiz Sacilotto
  29. 29. • Um grupo de sete artistas, a maioria de origem estrangeira residentes em São Paulo: Anatol Wladyslaw, Leopoldo Haa, Lothar Charoux, Féjer, Geraldo de Barros, Luiz Sacilotto, e o porta-voz oficial do grupo, Waldemar Cordeiro. Em seu manifesto, pretende-se romper com o "velho“, ou seja, "todas as variedades do naturalismo; o não- figurativismo, produto do gosto gratuito, que busca a mera excitação do prazer ou do desprazer"; Para eles, toda obra de arte possui uma base racional, em geral matemática. Na pintura, esses princípios correspondem à crítica do ilusionismo pictórico, à recusa do tonalismo cromático e à utilização dos recursos ópticos para a criação do movimento virtual. Lançam mão também do uso de materiais como esmalte, tinta industrial, acrílico e aglomerado de madeira, destacando a atenção do grupo ao desenvolvimento de materiais industriais. Grupo Ruptura/SP (1952)
  30. 30. Grupo Frente/RJ (1954) • É mais livre de regras. Formados por Ivan Serpa, Ferreira Gullar, Lygia Clark, Lygia Pape, Aluísio Carvão, Carlos Val, João José da Silva Costa, Vicent Ibberson, Emil Baruch, Franz Weissmann, César Oiticica, Hélio Oiticica, Rubem Ludolf, Elisa Martins da Silveira, Décio Vieira e Abraham Palatinik. Os concretistas de São Paulo sempre acusavam os cariocas de não seguirem ou destorcerem as regras. O uso livre da cor pelos cariocas fez que com os paulistas dissessem que estavam ainda longe do verdadeiro concretismo. As propostas e embates entre os grupos Ruptura e Frente, foram importantes para o desenvolvimento da modernização da Arte brasileira, por permitir novas linguagens o grupo do Rio de janeiro progrediu mais em suas teorias.
  31. 31. Grupo Frente x Grupo Ruptura • A 1ª Exposição Nacional de Arte Concreta, organizada pelos concretos de São Paulo com a colaboração do grupo carioca torna evidente a distância entre os dois núcleos concretistas; • A exposição também ajuda a revelar a amplitude que a Arte abstrato-geométrica de matriz construtiva e concreta, havia adquirido no Brasil. Após a mostra, o Grupo Frente simultaneamente rompe com os artistas de São Paulo e começa a se desintegrar. Dois anos depois, alguns de seus integrantes iriam se agrupar para iniciar o Movimento Neoconcreto um dos mais significativos da Arte brasileira.
  32. 32. Hélio Oiticica
  33. 33. Anos 50 no Brasil: Neoconcretismo • A ruptura neoconcreta na arte brasileira data de março de 1959, com a publicação do Manifesto Neoconcreto pelo grupo de mesmo nome, e deve ser compreendida a partir do movimento concreto no país, que remonta ao início da década de 1950 e aos artistas do Grupo Frente, no Rio de Janeiro, e do Grupo Ruptura, em São Paulo. Metaesquemas Hélio Oiticica
  34. 34. • O Neoconcretismo parte de uma aproximação entre trabalho artístico e industrial. • Da arte é afastada qualquer conotação lírica ou simbólica. • O quadro, construído exclusivamente com elementos plásticos - planos e cores -, não tem outra significação senão ele próprio. • Menos do que representar a realidade, a obra de arte evidencia estruturas e planos relacionados, formas seriadas e geométricas, que falam por si mesmos. Neoconcretismo Penetráveis Hélio Oiticica
  35. 35. • Os neoconcretos defendem a liberdade de experimentação, o retorno às intenções expressivas e o resgate da subjetividade; • Recuperação das possibilidades criadoras do artista; • Incorporação efetiva do observador - que ao tocar e manipular as obras torna-se parte delas, ou seja, participação do espectador no jogo da experiência estética; • Tentativa de renovação da linguagem geométrica; • O movimento neoconcreto é visto como divisor de águas na história das artes visuais no Brasil; um ponto de ruptura da arte moderna no país. • Dois dos principais integrantes do Grupo Frente que deram origem a este Movimento foram: Ferreira Gullar e Lygia Clark. Bicho – Lygia Clark
  36. 36. Parangolé – Hélio Oiticica
  37. 37. Anos 60 e 70 no Brasil: Nova Figuração • No Rio de Janeiro, Hélio Oiticica serve de ponte entre o Neoconcretismo e os novos artistas da Nova Figuração que figuram destacadamente na mostra Opinião 65 que reúne artistas brasileiros e da Escola de Paris, todos vinculados às novas tendências figurativas. • A mostra significa uma tomada de posição dos artistas brasileiros diante do momento político do país ao mesmo tempo que é a primeira reação consistente às tendências abstratas vigentes na década anterior. • Alguns artistas da Nova Figuração: Rubens Gerchman, Antônio Dias, Antônio Manuel, entre outros. "Os problemas da linguagem pictórica são preocupação de uma minoria, mas a guerra, o sexo, a moral, a fome e a liberdade são problemas de todos os seres humanos". Mário Pedrosa "Os pintores voltam a opinar. E isto é fundamental". Ferreira Gullar
  38. 38. Rubens Gerchman Corpobra Antonio Manuel
  39. 39. Arte Conceitual • Criada nos anos 60 por Joseph Kosuth a partir das idéias de Marcel Duchamp, a Arte Conceitual parte do princípio de que o simples deslocamento dos objetos de seu contexto habitual pode provocar uma reação reflexiva do observador. A combinação de alguns elementos sugere idéias; em “Uma e três cadeiras” (1965), por exemplo, Kosuth propõe uma discussão sobre os limites da linguagem contrapondo uma cadeira (o objeto tridimensional), uma foto de cadeira (sua tradução bidimensional) e a palavra cadeira (sua versão simbólica). • A arte deixa de ser primordialmente visual, feita para ser olhada, e passa a ser considerada como ideia e pensamento. Muitos trabalhos que usam a fotografia, xerox, filmes ou vídeo como documento de processos e ações, geralmente em recusa à noção tradicional de objeto de arte, são designados como arte conceitual.
  40. 40. • A década de 70 se caracteriza pela expansão da Arte Conceitual, isto é, da arte como ideia, através de novos meios artísticos, operando com o corpo em performances, com os novos meios tecnológicos, multimeios e uma outra modalidade espacial e fragmentada de trabalho - a instalação. Trata-se de uma disposição de elementos em um espaço com a intenção de criar uma relação com o espectador. Há também uma aplicação de novas tecnologias que se associam à operação conceitual do artista, como arte e computador. • Não é mais possível ir a uma exposição e dizer: "Essa paisagem está bem composta, a pintura é de qualidade". Questões clássicas das artes plásticas como a composição, estudo de cor e o uso da luz podem não ter sentido nenhum na Arte Conceitual".
  41. 41. IMPORTANTE! Na Arte Conceitual há a preponderância da ideia sobre o objeto e também tem-se a necessidade de compreender o processo do artista para compreender a obra. • Alguns artistas da Arte Conceitual: Joseph Kosuth, Joseph Beuys, On Kawara (Postal Art), Jonh Baldessari, John Cage (Música Experimental), Yoko Ono, Chris Burden, Günter Brus (performances como o próprio sangue), Herman Nitsch (experiência plástica/performance), Gina Pane e Marina Abramovic (Performance/Body Art), Roberth Smithson, Christo e Walter de Maria (Land Art) • Artistas brasileiros da Arte Conceitual (anos 60 e 70): Arthur Barrio, Baravelli, Carlos Fajardo, Cildo Meirelles, José Rezende, Mira Schendel, Tunga e Waltércio Caldas
  42. 42. Zero Dollar Cildo Meirelles Performance/Body Art Gina Pane Performance Marina Abramovic Intervenção em espaço público Christo
  43. 43. Fontes de consulta • GARCEZ, Lucília. Explicando a Arte. Rio de Janeiro: Ediouro, 2004. • GOMBRICH, Ernest Hans. A História da Arte. 16 ed. Rio de Janeiro: LTC. 1999. • PROENÇA, Graça. Descobrindo a História da Arte. São Paulo: Ática, 2005. • PROENÇA, Graça. História da Arte. São Paulo: Ática, 2005. • http://www.itaucultural.org.br/ • http://www.pitoresco.com.br/ • http://www.portalsaofrancisco.com.br • http://www.webartigos.com

×