SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 41
Minimalismo e Neoconcretismo
Minimalismo
Definição
Minimalismo se refere a uma tendência das
artes visuais que ocorreu no fim dos anos 1950
e início dos 1960 em Nova York. O Minimalismo
aparece como uma vertente da Arte
Abstrata norte-americana que remonta a Ad
Reinhardt (1913 - 1967), Jasper Johns (1930) e
Frank Stella (1936). A Minimal Art enfatiza
formas elementares, em geral de corte
geométrico, que recusam acentos
ilusionistas e metafóricos.
Definição
Definição
 Usava as formas geométricas
mais simples. O caráter
impessoal desse gênero é visto
como reação à emotividade do
Expressionismo Abstrato.
Principais Influências
 Suprematismo Russo (Kasemir Malevich);
 Construtivismo (Piet Mondrian);
 Ready-mades (Marcel Duchamp) ;
 Constantin Brancusi;
Minimalismo
Principais artistas
Donald Judd (1928 – 1994)
 Produziu trabalhos abstratos de cunho
geométrico que dialogavam de perto
com a estética industrial, na forma e nos
materiais empregados. Judd realizava
suas obras de forma a revelar estruturas
e materiais, explorando padrões e
regularidades, matematicamente
calculadas.
Untitled, 1968. Enamel on aluminum, (55.9 x 127 x 95.3 cm). Solomon R.
Guggenheim Museum, New York.
Untitled, 1969. Copper, ten units with
9-inch intervals, (22.9 x 101.6 x 78.7
cm) Solomon R. Guggenheim Museum,
New York
Untitled, 1970. Clear anodized and purple anodized aluminum, edition three examples,
(21 x 643.9 x 20.3 cm). Solomon R. Guggenheim Museum, New York
Untitled, 1971. Orange enamel on cold-rolled steel, (121.9 cm x 11
meters 88.7 cm x 121.9 cm) overall. Solomon R. Guggenheim
Museum, New York.
Untitled, 1973. Brass and red fluorescent Plexiglas, six units with 8-inch intervals, (86.4
x 86.4 x 86.4 cm) ; (86.4 x 619.8 x 86.4 cm) overall. Solomon R. Guggenheim Museum,
New York
Carl Andre, Dan Flavin e Robert Morris
 Põem em xeque as distinções arte/não-
arte, denunciando a institucionalização
dos objetos artísticos.
10 x 10 Altstadt Copper Square, 1967. Copper, 100 units, 100 units, 3/16
x 19 11/16 x 19 11/16 inches (0.5 x 50 x 50 cm) each; 3/16 inches x 16 feet 5
inches x 16 feet 5 inches (.5 x 500 x 500 cm) overall. Solomon R. Guggenheim
Museum, New York
5 x 20 Altstadt
Rectangle, 1967.
Hot-rolled steel, one
hundred units, 3/16 x 19
11/16 x 19 11/16 inches
(0.5 x 50 x 50 cm) each;
3/16 inches x 8 feet 2 1/2
inches x 32 feet 10 inches
(0.5 cm x 250.2 cm x 10
meters 0.8 cm) overall.
Solomon R. Guggenheim
Museum, New York,
Fall, 1968, New York. Hot-rolled steel, 21 units, 6 x 28 x 6 feet (1.8 x 0.7 x 1.8 m)
each; 6 x 49 x 6 feet (1.8 x 14.9 x 1.8 m) overall. Solomon R. Guggenheim
Museum, New York
Trabum (Element
Series), conceived 1960
(executed 1977).
Douglas fir, nine units, 12
x 12 x 36 inches (30.5 x
30.5 x 91.4 cm) each; 36 x
36 x 36 inches (91.4 x 91.4
x 91.4 cm) overall.
Solomon R. Guggenheim
Museum, New York
Squantum (New York, 1992) quincy granite, 12 units
each: 6 x 18 x 6 in (15.24 x 45.72 x 15.24 cm); overall: 6 x 72 1/2 x 18 in
(15.24 x 184.15 x 45.72 cm)
the nominal three (to William of Ockham), 1963. Daylight fluorescent light,
edition 2/3, 6-ft. fixtures, h. 72 inches (182.9 cm); overall dimensions variable.
Solomon R. Guggenheim Museum, New York
greens crossing greens (to Piet Mondrian who lacked green), 1966.
Green fluorescent light, 2- and 4-ft. fixtures, 4 feet 5 inches x 19 feet 2 1/4 inches x 12
feet 3 inches (134.6 x 584.8 x 373.4 cm) overall. Solomon R. Guggenheim Museum,
New York
untitled (to Tracy, to
celebrate the love of a
lifetime), 1992. Pink,
green, blue, yellow,
daylight, red, and
ultraviolet fluorescent
light, dimensions
variable. Solomon R.
Guggenheim Museum,
New York
untitled (to Barry, Mike,
Chuck and
Leonard) (1972-1975)
yellow and pink fluorescent
light 8 feet high x 8 feet
wide (243.8 x 243.8 cm),
installed in a corridor 8 feet
high and 8 feet wide
Robert Morris, Untitled (L-beams), 1965 (installation view, Art in Place: Fifteen Years of
Acquisitions, Whitney Museum of American Art, 1989).
Wall Drawing, 2005
Mines graphite
4 x 8 m
Unique work
Ad Reinhardt (1913 – 1967)
 Foi o minimalista por excelência. Acreditava
ardorosamente em reduzir a arte à forma mais
pura e, por extensão, ao estado espiritual
mais puro.
Outros artistas minimalistas :
 Frank Stella, Agnes Martin e Dorothea
Rockburne
Frank Stella
Neoconcretismo
Anos 50 e 60 no Brasil
Definição
Definição
 A ruptura neoconcreta na arte brasileira
acontece entre março de 1959 e maio de
1961, com a publicação do Manifesto
Neoconcreto pelo grupo de mesmo nome, e
deve ser compreendida a partir do Movimento
Concreto no país, que remonta ao início da
década de 1950 e aos artistas do Grupo
Frente, no Rio de Janeiro, e do Grupo
Ruptura, em São Paulo.
Metaesquemas
Hélio Oiticica
Definição
 O Neoconcretismo parte de uma aproximação entre
trabalho artístico e industrial.
 Da arte é afastada qualquer conotação lírica ou
simbólica.
 O quadro, construído exclusivamente com elementos
plásticos - planos e cores -, não tem outra significação
senão ele próprio.
 Menos do que representar a realidade, a obra de arte
evidencia estruturas e planos relacionados, formas
seriadas e geométricas, que falam por si mesmos.
Penetráveis
Hélio Oiticica
Definição
 Os neoconcretos defendem a liberdade de
experimentação, o retorno às intenções expressivas e
o resgate da subjetividade;
 Recuperação das possibilidades criadoras do artista;
 Incorporação efetiva do observador - que ao tocar e
manipular as obras torna-se parte delas, ou seja,
participação do espectador no jogo da experiência
estética;
 Tentativa de renovação da linguagem geométrica;
Definição
 O Movimento Neoconcreto é visto como divisor de
águas na história das artes visuais no Brasil; um ponto
de ruptura da arte moderna no país.
 Alguns artistas neoconcretos: Lygia Clark, Lygia
Pape, Amílcar de Castro, Franz Weissmann,
Reynaldo Jardim, Sergio Camargo, Theon Spanudis,
Ferreira Gullar, Aluísio Carvão, Carlos Fernando
Fortes de Almeida, Cláudio Melo e Souza, Décio
Vieira, Hélio Oiticica, Hércules Barsotti, Osmar Dillon,
Roberto Pontual, Willys de Castro.
Bicho – Lygia Clark
Bicho – Lygia Clark
Parangolé – Hélio Oiticica
Fontes de Consulta
 GARCEZ, Lucília. Explicando a Arte. Rio de Janeiro: Ediouro,
2004.
 GOMBRICH, Ernest Hans. A História da Arte. 16 ed. Rio de
Janeiro: LTC. 1999.
 PROENÇA, Graça. Descobrindo a História da Arte. São Paulo:
Ática, 2005.
 PROENÇA, Graça. História da Arte. São Paulo: Ática, 2005.
 http://www.itaucultural.org.br/
 http://www.pitoresco.com.br/
 http://www.portalsaofrancisco.com.br
 http://www.webartigos.com
Não deixe de visitar
 Blog: CECO – Artes Visuais
Profº Raphael Lanzillotte

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Arte Contemporanea no Brasil
Arte Contemporanea no BrasilArte Contemporanea no Brasil
Arte Contemporanea no Brasilpagodes
 
A Arte ContemporâNea
A   Arte ContemporâNeaA   Arte ContemporâNea
A Arte ContemporâNearosangela13
 
A arte enquanto processo “criar é agir”
A arte enquanto processo  “criar é agir”A arte enquanto processo  “criar é agir”
A arte enquanto processo “criar é agir”taras291
 
Op art, Pop art e outras artes
Op art, Pop art e outras artesOp art, Pop art e outras artes
Op art, Pop art e outras artesMarcio Duarte
 
Arte contemporanea
Arte contemporaneaArte contemporanea
Arte contemporaneadenise lugli
 
POP ART, OP ART & LAND ART
POP ART, OP ART & LAND ARTPOP ART, OP ART & LAND ART
POP ART, OP ART & LAND ARTdanf97
 
Arte moderna e contemporânea (anos 40, 50, 60,70)
Arte moderna e contemporânea (anos 40, 50, 60,70)Arte moderna e contemporânea (anos 40, 50, 60,70)
Arte moderna e contemporânea (anos 40, 50, 60,70)João Alberto Rodrigues
 
Seminário Pop Art and Op Art
Seminário Pop Art and Op Art Seminário Pop Art and Op Art
Seminário Pop Art and Op Art Everton Rodrigues
 
Concretismo e neoconcretismo slides
Concretismo e neoconcretismo slidesConcretismo e neoconcretismo slides
Concretismo e neoconcretismo slideswddan
 
Arte Conceitual Semina´Rio
Arte Conceitual  Semina´RioArte Conceitual  Semina´Rio
Arte Conceitual Semina´Rioguest2b9b0d
 
2- Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea
 2- Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea 2- Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea
2- Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporâneaArtesElisa
 
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)Raphael Lanzillotte
 
Arte Contemporanea
Arte ContemporaneaArte Contemporanea
Arte Contemporaneaguest1652ff
 
Arte e Cultura Contemporânea - Aula 2 - Profº Diego Gervaes.
Arte e Cultura Contemporânea - Aula 2 - Profº Diego Gervaes.Arte e Cultura Contemporânea - Aula 2 - Profº Diego Gervaes.
Arte e Cultura Contemporânea - Aula 2 - Profº Diego Gervaes.Diego Gervaes
 

Mais procurados (20)

Arte Contemporanea no Brasil
Arte Contemporanea no BrasilArte Contemporanea no Brasil
Arte Contemporanea no Brasil
 
A Arte ContemporâNea
A   Arte ContemporâNeaA   Arte ContemporâNea
A Arte ContemporâNea
 
A arte enquanto processo “criar é agir”
A arte enquanto processo  “criar é agir”A arte enquanto processo  “criar é agir”
A arte enquanto processo “criar é agir”
 
Op art, Pop art e outras artes
Op art, Pop art e outras artesOp art, Pop art e outras artes
Op art, Pop art e outras artes
 
Arte contemporanea
Arte contemporaneaArte contemporanea
Arte contemporanea
 
POP ART, OP ART & LAND ART
POP ART, OP ART & LAND ARTPOP ART, OP ART & LAND ART
POP ART, OP ART & LAND ART
 
Arte moderna e contemporânea (anos 40, 50, 60,70)
Arte moderna e contemporânea (anos 40, 50, 60,70)Arte moderna e contemporânea (anos 40, 50, 60,70)
Arte moderna e contemporânea (anos 40, 50, 60,70)
 
16 artistas conceituais
16 artistas conceituais16 artistas conceituais
16 artistas conceituais
 
Seminário Pop Art and Op Art
Seminário Pop Art and Op Art Seminário Pop Art and Op Art
Seminário Pop Art and Op Art
 
Concretismo e neoconcretismo slides
Concretismo e neoconcretismo slidesConcretismo e neoconcretismo slides
Concretismo e neoconcretismo slides
 
Arte Conceitual Semina´Rio
Arte Conceitual  Semina´RioArte Conceitual  Semina´Rio
Arte Conceitual Semina´Rio
 
2- Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea
 2- Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea 2- Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea
2- Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea
 
11 arte contemporanea
11 arte contemporanea11 arte contemporanea
11 arte contemporanea
 
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
 
Arte Contemporanea
Arte ContemporaneaArte Contemporanea
Arte Contemporanea
 
Pop Arte
Pop ArtePop Arte
Pop Arte
 
Semana 22 parte 3
Semana 22  parte 3Semana 22  parte 3
Semana 22 parte 3
 
Arte Contemporânea - SESI
Arte Contemporânea - SESIArte Contemporânea - SESI
Arte Contemporânea - SESI
 
Arte e Cultura Contemporânea - Aula 2 - Profº Diego Gervaes.
Arte e Cultura Contemporânea - Aula 2 - Profº Diego Gervaes.Arte e Cultura Contemporânea - Aula 2 - Profº Diego Gervaes.
Arte e Cultura Contemporânea - Aula 2 - Profº Diego Gervaes.
 
Arte contemporanea
Arte contemporaneaArte contemporanea
Arte contemporanea
 

Semelhante a Minimalismo e Neoconcretismo em 40

Minimal Art Módulo 10 História e Cultura das artes_.pptx
Minimal Art Módulo 10 História e Cultura das artes_.pptxMinimal Art Módulo 10 História e Cultura das artes_.pptx
Minimal Art Módulo 10 História e Cultura das artes_.pptxTomasSousa7
 
Aula 10 Expressionismo Abstrato
Aula 10  Expressionismo AbstratoAula 10  Expressionismo Abstrato
Aula 10 Expressionismo AbstratoAline Okumura
 
História da Arte - do Construtivismo à Arte Contemporanea
História da Arte - do Construtivismo à Arte ContemporaneaHistória da Arte - do Construtivismo à Arte Contemporanea
História da Arte - do Construtivismo à Arte ContemporaneaRaphael Lanzillotte
 
Aula 11 Pop Art Op Art
Aula 11  Pop Art Op Art Aula 11  Pop Art Op Art
Aula 11 Pop Art Op Art Aline Okumura
 
Aula 8 Suprematismo de Stij Construtivismo russo e decostrutivismo
Aula 8   Suprematismo de Stij Construtivismo russo e decostrutivismoAula 8   Suprematismo de Stij Construtivismo russo e decostrutivismo
Aula 8 Suprematismo de Stij Construtivismo russo e decostrutivismoAline Okumura
 
HCA Módulo 9 - Pintura e Escultura
HCA Módulo 9 - Pintura e EsculturaHCA Módulo 9 - Pintura e Escultura
HCA Módulo 9 - Pintura e EsculturaMafalda Cardeira
 
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]Viviane Marques
 
NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro Andrea Dressler
 
6 - História da Arte IV: Abstração pós-pictórica
6 - História da Arte IV: Abstração pós-pictórica6 - História da Arte IV: Abstração pós-pictórica
6 - História da Arte IV: Abstração pós-pictóricaPaula Poiet
 
Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)
Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)
Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)ArtesElisa
 
Aula 6 Futurismo Purismo Orfismo Vorticismo
Aula 6   Futurismo Purismo Orfismo VorticismoAula 6   Futurismo Purismo Orfismo Vorticismo
Aula 6 Futurismo Purismo Orfismo VorticismoAline Okumura
 

Semelhante a Minimalismo e Neoconcretismo em 40 (20)

Arte Minimalista
Arte MinimalistaArte Minimalista
Arte Minimalista
 
Minimal Art Módulo 10 História e Cultura das artes_.pptx
Minimal Art Módulo 10 História e Cultura das artes_.pptxMinimal Art Módulo 10 História e Cultura das artes_.pptx
Minimal Art Módulo 10 História e Cultura das artes_.pptx
 
Aula 10 Expressionismo Abstrato
Aula 10  Expressionismo AbstratoAula 10  Expressionismo Abstrato
Aula 10 Expressionismo Abstrato
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
 
História da Arte - do Construtivismo à Arte Contemporanea
História da Arte - do Construtivismo à Arte ContemporaneaHistória da Arte - do Construtivismo à Arte Contemporanea
História da Arte - do Construtivismo à Arte Contemporanea
 
Aula 11 Pop Art Op Art
Aula 11  Pop Art Op Art Aula 11  Pop Art Op Art
Aula 11 Pop Art Op Art
 
Palestra - Arte Ambiental
Palestra - Arte Ambiental Palestra - Arte Ambiental
Palestra - Arte Ambiental
 
Aula 8 Suprematismo de Stij Construtivismo russo e decostrutivismo
Aula 8   Suprematismo de Stij Construtivismo russo e decostrutivismoAula 8   Suprematismo de Stij Construtivismo russo e decostrutivismo
Aula 8 Suprematismo de Stij Construtivismo russo e decostrutivismo
 
HCA Módulo 9 - Pintura e Escultura
HCA Módulo 9 - Pintura e EsculturaHCA Módulo 9 - Pintura e Escultura
HCA Módulo 9 - Pintura e Escultura
 
Construtivismo russo
Construtivismo russoConstrutivismo russo
Construtivismo russo
 
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro
 
Arte Século XX
Arte Século XXArte Século XX
Arte Século XX
 
6 - História da Arte IV: Abstração pós-pictórica
6 - História da Arte IV: Abstração pós-pictórica6 - História da Arte IV: Abstração pós-pictórica
6 - História da Arte IV: Abstração pós-pictórica
 
Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)
Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)
Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)
 
Pós Modernismo
Pós ModernismoPós Modernismo
Pós Modernismo
 
Aula 6 Futurismo Purismo Orfismo Vorticismo
Aula 6   Futurismo Purismo Orfismo VorticismoAula 6   Futurismo Purismo Orfismo Vorticismo
Aula 6 Futurismo Purismo Orfismo Vorticismo
 

Mais de Raphael Lanzillotte

Fotografia perspectiva forçada - 4 bim - alternaivo
Fotografia perspectiva forçada - 4 bim - alternaivoFotografia perspectiva forçada - 4 bim - alternaivo
Fotografia perspectiva forçada - 4 bim - alternaivoRaphael Lanzillotte
 
Fotografia brinquedos - 4bim - alternativo
Fotografia brinquedos - 4bim - alternativoFotografia brinquedos - 4bim - alternativo
Fotografia brinquedos - 4bim - alternativoRaphael Lanzillotte
 
Arte - Resumo 1º bimestre - 2015
Arte - Resumo 1º bimestre - 2015Arte - Resumo 1º bimestre - 2015
Arte - Resumo 1º bimestre - 2015Raphael Lanzillotte
 
Fotografia perspectiva forçada - trabalho final 4 bim
Fotografia perspectiva forçada - trabalho final 4 bimFotografia perspectiva forçada - trabalho final 4 bim
Fotografia perspectiva forçada - trabalho final 4 bimRaphael Lanzillotte
 
Fotografia brinquedos - trabalho final 4 bim
Fotografia brinquedos - trabalho final 4 bimFotografia brinquedos - trabalho final 4 bim
Fotografia brinquedos - trabalho final 4 bimRaphael Lanzillotte
 
Correntes estilísticas básicas na arte material teórico
Correntes estilísticas básicas na arte material teóricoCorrentes estilísticas básicas na arte material teórico
Correntes estilísticas básicas na arte material teóricoRaphael Lanzillotte
 
Correntes estilísticas básicas na arte
Correntes estilísticas básicas na arteCorrentes estilísticas básicas na arte
Correntes estilísticas básicas na arteRaphael Lanzillotte
 
História da Arte: O suporte da arte ao longo dos séculos
História da Arte: O suporte da arte ao longo dos séculosHistória da Arte: O suporte da arte ao longo dos séculos
História da Arte: O suporte da arte ao longo dos séculosRaphael Lanzillotte
 
História da Arte: Expressionismo abstrato
História da Arte: Expressionismo abstratoHistória da Arte: Expressionismo abstrato
História da Arte: Expressionismo abstratoRaphael Lanzillotte
 
História da Arte: Barroco e Rococó europeu e brasileiro
História da Arte: Barroco e Rococó europeu e brasileiroHistória da Arte: Barroco e Rococó europeu e brasileiro
História da Arte: Barroco e Rococó europeu e brasileiroRaphael Lanzillotte
 
História da Arte: A evolução da pintura
História da Arte: A evolução da pinturaHistória da Arte: A evolução da pintura
História da Arte: A evolução da pinturaRaphael Lanzillotte
 
História da Arte: Guernica - Picasso
 História da Arte: Guernica - Picasso História da Arte: Guernica - Picasso
História da Arte: Guernica - PicassoRaphael Lanzillotte
 
Elementos da Linguagem Visual - Forma
Elementos da Linguagem Visual - FormaElementos da Linguagem Visual - Forma
Elementos da Linguagem Visual - FormaRaphael Lanzillotte
 
História da Arte: Poesia visual
História da Arte: Poesia visualHistória da Arte: Poesia visual
História da Arte: Poesia visualRaphael Lanzillotte
 
História da Arte: Pintura mural
História da Arte: Pintura muralHistória da Arte: Pintura mural
História da Arte: Pintura muralRaphael Lanzillotte
 

Mais de Raphael Lanzillotte (20)

Fotografia perspectiva forçada - 4 bim - alternaivo
Fotografia perspectiva forçada - 4 bim - alternaivoFotografia perspectiva forçada - 4 bim - alternaivo
Fotografia perspectiva forçada - 4 bim - alternaivo
 
Fotografia - light painting
Fotografia - light paintingFotografia - light painting
Fotografia - light painting
 
Fotografia brinquedos - 4bim - alternativo
Fotografia brinquedos - 4bim - alternativoFotografia brinquedos - 4bim - alternativo
Fotografia brinquedos - 4bim - alternativo
 
Neoconcretismo - Athos Bulcão
Neoconcretismo - Athos BulcãoNeoconcretismo - Athos Bulcão
Neoconcretismo - Athos Bulcão
 
Arte - Resumo 1º bimestre - 2015
Arte - Resumo 1º bimestre - 2015Arte - Resumo 1º bimestre - 2015
Arte - Resumo 1º bimestre - 2015
 
Fotografia perspectiva forçada - trabalho final 4 bim
Fotografia perspectiva forçada - trabalho final 4 bimFotografia perspectiva forçada - trabalho final 4 bim
Fotografia perspectiva forçada - trabalho final 4 bim
 
Fotografia brinquedos - trabalho final 4 bim
Fotografia brinquedos - trabalho final 4 bimFotografia brinquedos - trabalho final 4 bim
Fotografia brinquedos - trabalho final 4 bim
 
Correntes estilísticas básicas na arte material teórico
Correntes estilísticas básicas na arte material teóricoCorrentes estilísticas básicas na arte material teórico
Correntes estilísticas básicas na arte material teórico
 
Correntes estilísticas básicas na arte
Correntes estilísticas básicas na arteCorrentes estilísticas básicas na arte
Correntes estilísticas básicas na arte
 
História da Arte: O suporte da arte ao longo dos séculos
História da Arte: O suporte da arte ao longo dos séculosHistória da Arte: O suporte da arte ao longo dos séculos
História da Arte: O suporte da arte ao longo dos séculos
 
História da Arte: Semana de 22
História da Arte: Semana de 22História da Arte: Semana de 22
História da Arte: Semana de 22
 
História da Arte: Expressionismo abstrato
História da Arte: Expressionismo abstratoHistória da Arte: Expressionismo abstrato
História da Arte: Expressionismo abstrato
 
História da Arte: Barroco e Rococó europeu e brasileiro
História da Arte: Barroco e Rococó europeu e brasileiroHistória da Arte: Barroco e Rococó europeu e brasileiro
História da Arte: Barroco e Rococó europeu e brasileiro
 
História da Arte: A evolução da pintura
História da Arte: A evolução da pinturaHistória da Arte: A evolução da pintura
História da Arte: A evolução da pintura
 
História da Arte: Guernica - Picasso
 História da Arte: Guernica - Picasso História da Arte: Guernica - Picasso
História da Arte: Guernica - Picasso
 
Elementos da Linguagem Visual - Forma
Elementos da Linguagem Visual - FormaElementos da Linguagem Visual - Forma
Elementos da Linguagem Visual - Forma
 
Vanguardas(2) 9º ano
Vanguardas(2) 9º anoVanguardas(2) 9º ano
Vanguardas(2) 9º ano
 
Vanguardas(2)
Vanguardas(2)Vanguardas(2)
Vanguardas(2)
 
História da Arte: Poesia visual
História da Arte: Poesia visualHistória da Arte: Poesia visual
História da Arte: Poesia visual
 
História da Arte: Pintura mural
História da Arte: Pintura muralHistória da Arte: Pintura mural
História da Arte: Pintura mural
 

Último

cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 

Último (20)

cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 

Minimalismo e Neoconcretismo em 40

  • 3. Minimalismo se refere a uma tendência das artes visuais que ocorreu no fim dos anos 1950 e início dos 1960 em Nova York. O Minimalismo aparece como uma vertente da Arte Abstrata norte-americana que remonta a Ad Reinhardt (1913 - 1967), Jasper Johns (1930) e Frank Stella (1936). A Minimal Art enfatiza formas elementares, em geral de corte geométrico, que recusam acentos ilusionistas e metafóricos. Definição
  • 4. Definição  Usava as formas geométricas mais simples. O caráter impessoal desse gênero é visto como reação à emotividade do Expressionismo Abstrato.
  • 5. Principais Influências  Suprematismo Russo (Kasemir Malevich);  Construtivismo (Piet Mondrian);  Ready-mades (Marcel Duchamp) ;  Constantin Brancusi;
  • 7. Donald Judd (1928 – 1994)  Produziu trabalhos abstratos de cunho geométrico que dialogavam de perto com a estética industrial, na forma e nos materiais empregados. Judd realizava suas obras de forma a revelar estruturas e materiais, explorando padrões e regularidades, matematicamente calculadas.
  • 8. Untitled, 1968. Enamel on aluminum, (55.9 x 127 x 95.3 cm). Solomon R. Guggenheim Museum, New York.
  • 9. Untitled, 1969. Copper, ten units with 9-inch intervals, (22.9 x 101.6 x 78.7 cm) Solomon R. Guggenheim Museum, New York
  • 10. Untitled, 1970. Clear anodized and purple anodized aluminum, edition three examples, (21 x 643.9 x 20.3 cm). Solomon R. Guggenheim Museum, New York
  • 11. Untitled, 1971. Orange enamel on cold-rolled steel, (121.9 cm x 11 meters 88.7 cm x 121.9 cm) overall. Solomon R. Guggenheim Museum, New York.
  • 12. Untitled, 1973. Brass and red fluorescent Plexiglas, six units with 8-inch intervals, (86.4 x 86.4 x 86.4 cm) ; (86.4 x 619.8 x 86.4 cm) overall. Solomon R. Guggenheim Museum, New York
  • 13.
  • 14.
  • 15. Carl Andre, Dan Flavin e Robert Morris  Põem em xeque as distinções arte/não- arte, denunciando a institucionalização dos objetos artísticos.
  • 16. 10 x 10 Altstadt Copper Square, 1967. Copper, 100 units, 100 units, 3/16 x 19 11/16 x 19 11/16 inches (0.5 x 50 x 50 cm) each; 3/16 inches x 16 feet 5 inches x 16 feet 5 inches (.5 x 500 x 500 cm) overall. Solomon R. Guggenheim Museum, New York
  • 17. 5 x 20 Altstadt Rectangle, 1967. Hot-rolled steel, one hundred units, 3/16 x 19 11/16 x 19 11/16 inches (0.5 x 50 x 50 cm) each; 3/16 inches x 8 feet 2 1/2 inches x 32 feet 10 inches (0.5 cm x 250.2 cm x 10 meters 0.8 cm) overall. Solomon R. Guggenheim Museum, New York,
  • 18. Fall, 1968, New York. Hot-rolled steel, 21 units, 6 x 28 x 6 feet (1.8 x 0.7 x 1.8 m) each; 6 x 49 x 6 feet (1.8 x 14.9 x 1.8 m) overall. Solomon R. Guggenheim Museum, New York
  • 19. Trabum (Element Series), conceived 1960 (executed 1977). Douglas fir, nine units, 12 x 12 x 36 inches (30.5 x 30.5 x 91.4 cm) each; 36 x 36 x 36 inches (91.4 x 91.4 x 91.4 cm) overall. Solomon R. Guggenheim Museum, New York
  • 20. Squantum (New York, 1992) quincy granite, 12 units each: 6 x 18 x 6 in (15.24 x 45.72 x 15.24 cm); overall: 6 x 72 1/2 x 18 in (15.24 x 184.15 x 45.72 cm)
  • 21. the nominal three (to William of Ockham), 1963. Daylight fluorescent light, edition 2/3, 6-ft. fixtures, h. 72 inches (182.9 cm); overall dimensions variable. Solomon R. Guggenheim Museum, New York
  • 22. greens crossing greens (to Piet Mondrian who lacked green), 1966. Green fluorescent light, 2- and 4-ft. fixtures, 4 feet 5 inches x 19 feet 2 1/4 inches x 12 feet 3 inches (134.6 x 584.8 x 373.4 cm) overall. Solomon R. Guggenheim Museum, New York
  • 23. untitled (to Tracy, to celebrate the love of a lifetime), 1992. Pink, green, blue, yellow, daylight, red, and ultraviolet fluorescent light, dimensions variable. Solomon R. Guggenheim Museum, New York
  • 24. untitled (to Barry, Mike, Chuck and Leonard) (1972-1975) yellow and pink fluorescent light 8 feet high x 8 feet wide (243.8 x 243.8 cm), installed in a corridor 8 feet high and 8 feet wide
  • 25. Robert Morris, Untitled (L-beams), 1965 (installation view, Art in Place: Fifteen Years of Acquisitions, Whitney Museum of American Art, 1989).
  • 26. Wall Drawing, 2005 Mines graphite 4 x 8 m Unique work
  • 27. Ad Reinhardt (1913 – 1967)  Foi o minimalista por excelência. Acreditava ardorosamente em reduzir a arte à forma mais pura e, por extensão, ao estado espiritual mais puro.
  • 28. Outros artistas minimalistas :  Frank Stella, Agnes Martin e Dorothea Rockburne
  • 30. Neoconcretismo Anos 50 e 60 no Brasil Definição
  • 31. Definição  A ruptura neoconcreta na arte brasileira acontece entre março de 1959 e maio de 1961, com a publicação do Manifesto Neoconcreto pelo grupo de mesmo nome, e deve ser compreendida a partir do Movimento Concreto no país, que remonta ao início da década de 1950 e aos artistas do Grupo Frente, no Rio de Janeiro, e do Grupo Ruptura, em São Paulo.
  • 33. Definição  O Neoconcretismo parte de uma aproximação entre trabalho artístico e industrial.  Da arte é afastada qualquer conotação lírica ou simbólica.  O quadro, construído exclusivamente com elementos plásticos - planos e cores -, não tem outra significação senão ele próprio.  Menos do que representar a realidade, a obra de arte evidencia estruturas e planos relacionados, formas seriadas e geométricas, que falam por si mesmos.
  • 35. Definição  Os neoconcretos defendem a liberdade de experimentação, o retorno às intenções expressivas e o resgate da subjetividade;  Recuperação das possibilidades criadoras do artista;  Incorporação efetiva do observador - que ao tocar e manipular as obras torna-se parte delas, ou seja, participação do espectador no jogo da experiência estética;  Tentativa de renovação da linguagem geométrica;
  • 36. Definição  O Movimento Neoconcreto é visto como divisor de águas na história das artes visuais no Brasil; um ponto de ruptura da arte moderna no país.  Alguns artistas neoconcretos: Lygia Clark, Lygia Pape, Amílcar de Castro, Franz Weissmann, Reynaldo Jardim, Sergio Camargo, Theon Spanudis, Ferreira Gullar, Aluísio Carvão, Carlos Fernando Fortes de Almeida, Cláudio Melo e Souza, Décio Vieira, Hélio Oiticica, Hércules Barsotti, Osmar Dillon, Roberto Pontual, Willys de Castro.
  • 40. Fontes de Consulta  GARCEZ, Lucília. Explicando a Arte. Rio de Janeiro: Ediouro, 2004.  GOMBRICH, Ernest Hans. A História da Arte. 16 ed. Rio de Janeiro: LTC. 1999.  PROENÇA, Graça. Descobrindo a História da Arte. São Paulo: Ática, 2005.  PROENÇA, Graça. História da Arte. São Paulo: Ática, 2005.  http://www.itaucultural.org.br/  http://www.pitoresco.com.br/  http://www.portalsaofrancisco.com.br  http://www.webartigos.com
  • 41. Não deixe de visitar  Blog: CECO – Artes Visuais Profº Raphael Lanzillotte