SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 92
Trabalhos de História da Arte 
Arte Moderna
Cubismo
Introdução ao Cubismo 
 Surge no século XX e é considerado o mais influente do 
período. Com formas geométricas representadas, na 
maioria das vezes, por cubos e cilindros, a arte cubista 
rompeu com os padrões estéticos que primavam pela 
perfeição na busca da imagem realista, dando lugar a esta 
nova forma de expressão onde um único objeto pode ser 
visto por diferentes ângulos ao mesmo tempo.
Cubismo Cézanniano (entre 1907 e 1909) 
É a fase que dá início ao Cubismo. Período marcado pela 
forte presença das obras de Paul Cézanne. 
Paul Cezanne nasceu em 1839 na região da Provance 
(França), onde morreu em 1906.
 Paul Cezanne - Rideau, Cruchon et Compotier 
(1893)
Cubismo Analítico (entre 1910 e 1912) 
 Fase marcada pela união dos trabalhos criados 
separadamente por Picasso e Braque. 
 Pablo Picasso nasceu em Malaga, em 1881, viveu a maior 
parte da vida na França, e morreu em Mougins em 1973. 
 Georges Braques nasceu em Argenteuil, em 1882, morreu 
em 1963.
Pablo Picasso - Guernica (1937)
 Georges Braque - Still Life: The Table (1928)
Cubismo Sintético (entre 1913 e 1914) 
 Fase marcada pelo uso de formas decorativas e cores 
marcantes. 
 Juan Gris (Madrid 1887 - Boulogne-Sur-Seine 1927)
 Juan Gris - Chessboard, Glass, and Dish (1917)
Fauvismo
O que é? 
• O fauvismo é uma corrente artística do início do 
século XX. O nome da corrente deve-se a Louis 
Vauxcelles. Esse chamou alguns artistas de “Les 
Fauves” (que significa “feras” em português). O 
movimento artístico, caracterizado pela utilização 
de cores puras em grandes manchas e com 
grandes contrastes, acentuando ao máximo o 
valor expressivo da cor, exaltando a sua 
sensualidade e sugestão emotiva.
Onde surgiu? 
• O movimento surgiu em Paris, 
na França. Com um período 
de curta duração, iniciou-se 
na passagem do século XIX 
para o XX, constituiu o primeiro 
e mais importante movimento 
de renovação da pintura 
francesa depois do 
Impressionismo. 
Madame Matisse 1905; óleo sobre 
tela.
O que as obras 
expressam? 
• Com o intuito de deixar as 
pessoas emocionadas 
com as obras, os pintores 
exploravam o contraste 
de cor em tons fortes, 
levando o espectador a 
ter emoções profundas 
fazendo com que a ilusão 
da terceira dimensão se 
perca. 
Luxe, Calme et Volupté; 
Matisse, 1904; óleo sobre tela.
Artistas 
• Teve como líder Henri 
Matisse, contou também 
com outros grandes artistas, 
entre eles, André Derain, 
Maurice de Vlaminck, Raoul 
Dufy, Georges Braquese, 
Henri Manguin, Albert 
Marquet, Jean Puy, Emile 
Friesz. 
Charing Cross Bridge; 
André Derain.
Imagens 
Madame de chapéu, Matisse; 
1905; óleo sobre tela. 
Nu azul, Matisse; 190?; 
óleo sobre tela
Abstracionismo 
O abstracionismo refere-se às formas 
de arte não administradas pela figuração e 
pela imitação do mundo, ou seja, não 
representam objetos próprios da realidade 
concreta. Ao contrário, se utiliza das relações 
formais entre cores, linhas e superfícies para 
produzir a realidade da obra.
Surgimento 
• Seu surgimento deve-se às experiências 
das vanguardas européias, que rejeitaram 
a herança renascentista das academias de 
arte.
• No começo do século XX, antes que os 
artistas atingissem a abstração absoluta, o 
termo foi utilizado para se referir a escolas 
como o cubismo e o futurismo. O 
abstracionismo divide-se em duas 
tendências: abstracionismo lírico; 
abstracionismo geométrico.
O abstracionismo lírico 
• O abstracionismo lírico aparece como uma 
reação a Primeira Guerra Mundial. Para compor 
uma arte imaginária, inspirava-se no instinto, no 
inconsciente e na intuição. As características da 
arte não figurativa são: o jogo de formas 
orgânicas, as cores vibrantes e a linha de 
contorno. A pretensão do abstracionismo lírico é 
transformar manchas de cor e linhas em ideais e 
simbolismos subjetivos.
FRANZ MARC (1880-1916), pintor alemão 
Apaixonado pela arte dos 
povos primitivos, das 
crianças e dos doentes 
mentais, o pintor alemão 
Marc escolheu como temas 
favoritos os estudos sobre 
animais.
Robert Delaunay (1885-1941) 
Era um artista 
francês que usava 
o abstracionismo e 
o cubismo em seu 
trabalho.
O abstracionismo geométrico 
• O abstracionismo geométrico recebeu influência 
do cubismo e do futurismo. Ao contrário do 
abstracionismo lírico, foca a racionalização que 
depende da análise intelectual e científica. No 
Brasil, o abstracionismo teve suas primeiras 
representações na década de 40.
Piet Mondrian (1872-1944) 
Começou sua pintura 
através do contato com as paisagens 
de seu país natal, a Holanda. 
Mas a guerra libertou nele 
um espírito inovador e de desgosto, 
quase uma ojeriza às formas 
naturais e humanas. A arte tinha de 
ser harmoniosa, organizada, sem 
esses traços falhos que o homem e o 
verde tanto teimavam em repetir.
Abstracionismo no Brasil 
No Brasil, o Abstracionismo surgiu na década de 1950, no 
século passado. Um dos primeiros pintores abstratos brasileiros 
foi Antônio Bandeira. No início de sua carreira, ele produzia uma 
obra figurativa. 
No ano de 1951, foi organizada em São Paulo, a Primeira 
Bienal Internacional de Arte, no Museu de Arte Moderna. O 
Abstracionismo já estava presente na mostra, causando interesse e 
polêmica. 
Os primeiros pintores abstratos brasileiros estiveram 
presentes na Primeira Bienal Internacional. Antônio Bandeira, 
Iberê Camargo, Lygia Clark, Manabu Mabe, Alfredo Volpi, Milton 
Dacosta, Waldemar Cordeiro, Ivan Serpa.
Iberê Camargo 
Iberê Camargo iniciou seus 
estudos ainda no Rio Grande do Sul, na 
Escola de Artes e Ofícios de Santa Maria, 
com Parlagreco e Frederico Lobe. Já em 
Porto Alegre estudou pintura com João 
Fahrion. Em 1942 ele chegou ao Rio de 
Janeiro, onde cursou a Escola Nacional de 
Belas Artes.
Iberê Camargo 
CAMARGO, 
Iberê. Fantasmagoria (1987). 
"A verdade da obra de arte é a 
expressão que ela nos 
transmite. Nada mais do que 
isso!"
Iberê Camargo 
CAMARGO, Iberê. As 
Idiotas (1991).
Iberê Camargo 
CAMARGO, Iberê. Solidão (1994). 
"Não há um ideal de beleza, mas o ideal de 
uma verdade pungente e sofrida que é a 
minha vida, é tua vida, é nossa vida, nesse 
caminhar no mundo."
Milton Dacosta 
Milton Rodrigues Dacosta (Niterói 
RJ 1915 - Rio de Janeiro RJ 1988). Pintor, 
desenhista, gravador, ilustrador. Inicia 
estudos de desenho e pintura em 1929 com 
o professor alemão August Hantv. No ano 
seguinte matricula-se no curso livre 
de Marques Júnior (1887-1960), na Escola 
Nacional de Belas Artes (Enba)
Milton Dacosta 
"Roda" de Milton Dacosta
Milton Dacosta 
"A Piscina" , 1942
Milton Dacosta 
"Carrosel", 1950
Zurique (Cabaret 
Voltaire)
O urinol de 
Marcel Duchamp
Cut with the Dada 
Kitchen Knife through 
the Last Weimar 
Beer-Belly Cultural 
Epoch in Germany", 
de Hannah Höch 
(1919).
Marcel Duchamp
Man Ray, 
"Presente" (1921)
Surrealismo
Surgimento e história do movimento 
surrealista
De acordo com Freud, o homem deve libertar sua 
mente da lógica imposta pelos padrões comportamentais e 
morais estabelecidos pela sociedade e dar vazão aos 
sonhos e as informações do inconsciente. O pai da 
psicanálise, não segue os valores sociais 
da burguesia como, por exemplo, o status, a família e a 
pátria.
O marco de início do surrealismo foi a publicação do 
Manifesto Surrealista, feito pelo poeta e psiquiatra francês 
André Breton, em 1924. Neste manifesto, foram declarados 
os principais princípios do movimento surrealista: ausência 
da lógica, adoção de uma realidade "maravilhosa" 
(superior), exaltação da liberdade de criação, entre outros.
Artistas 
 ARTES PLÁSTICAS 
- Salvador Dali 
- Joan Miro 
- Max Ernst 
- René Magritte 
- Paul Delvaux 
- Remedios Varo 
- Frida Kahlo 
- Jean Arp 
- Leonor Fini 
- Alberto Giacometti 
- Vito Campanella
Surrealismo, V. 
Kush, nasc. 
1965, 
Paisagem
Pintura de Vladimir Kush
Dali - Persistência da 
memória
Isto não é um cachimbo 
Rene Magritte
OP-Art
O que é? 
Op-art, também conhecida como Arte 
Óptica, é um estilo artístico visual que 
utiliza ilusões óticas. Este movimento 
artístico teve inicio na década de 1930 com 
as obras do designer gráfico e artista 
húngaro Victor Vasarely.
Principais Características 
 Uso de recursos visuais (cores, formas, 
etc.) para provocar ilusões óticas. 
 As imagens parecem ter movimento. 
 Combinações de formas geométricas 
simples como, por exemplo, quadrados, 
retângulos, círculos e triângulos.
Artistas 
Victor Vasarely 
Jesus Rafael Soto 
Bridget Riley
Victor Vasarely 
nascido em Hungria, (9 de abril de 1908—Paris, 15 de 
março de 1997 foi um pintor e escultor húngaro 
radicado na França)considerado o "pai da OP ART" 
Ainda na década de 40 começou a fazer diversos 
experimentos em suas pinturas fazendo quadros em 
diversos estilos como cubistas, futurista, 
expressionistas, simbolista e surrealista, mas ainda 
sem desenvolver um estilo único. Fazia diversas 
exposições de seus trabalhos, conseguindo aos poucos 
fazer seu talento ser admirado.
Jesus Rafael Soto 
Nasceu em Bolivar (1923-2005), Venezuela. 
Pintor e escultor. Em 1942, iniciou seu 
aprendizado artístico com bolsa para estudar na 
Escola de Artes Plásticas de Caracas.
Bridget Riley 
nasceu em Londres, no ano de 1931. 
Estudou na Golsmith´s school of art em 
Londres, em 1952 a 1955. Sua primeira 
exposição individual foi em 1962 na Gallery 
One.
Pop Art
 Pop art (ou Arte pop) é um 
movimento artístico surgido 
na década de 50 na Inglaterra 
mas que alcançou sua 
maturidade na década de 60 
em Nova York.
 A Pop art propunha que se admitisse a crise da arte que 
assolava o século XX. Os artistas recorrem à ironia para 
elaborar uma crítica ao excesso de consumismo que 
permeia o comportamento social, estetizando os produtos 
massificados, tais como os provenientes da esfera 
publicitária, do cinema, dos quadrinhos, e de outras áreas 
afins.
 A defesa do popular traduz uma atitude artística adversa 
ao hermetismo da arte moderna. Com o objetivo da 
crítica ao bombardeamento da sociedade capitalista pelos 
objetos de consumo da época, ela operava com signos 
estéticos de cores inusitadas massificados pela 
publicidade e pelo consumo utilizando produtos com cores 
intensas, fluorescentes, brilhantes e vibrantes, 
reproduzindo objetos do cotidiano em tamanho 
consideravelmente grande.
 Enquanto, porém, a Pop-art parece censurar o 
consumismo, ela igualmente não prescinde dos itens que 
integram o circuito do consumo capitalista. Exemplo disso 
são as famosas Sopas Campbell e as garrafas de Coca-Cola 
criadas pelo ‘papa’ deste movimento, o artista Andy 
Warhol.
Andy Warhol 
 Foi um empresário, 
pintor e cineasta norte-americano, bem 
como uma figura maior do movimento 
de pop art. 
 Os anos 1960 marcam uma guinada na 
sua carreira de artista plástico e passa a 
se utilizar dos motivos e conceitos da 
publicidade em suas obras, com o uso de 
cores fortes e brilhantes e tintas 
acrílicas.
 Este ícone da Pop-art inspirou-se nos mitos modernos, como o 
representado pela atriz Marilyn Monroe, símbolo do cinema 
hollywoodiano e do glamour contemporâneo, para produzir suas 
obras. Ele procurava transmitir sua certeza de que os ídolos cultuados 
pela sociedade no século XX são imagens despersonalizadas e sem 
consistência. Para isso o artista utilizava técnicas de reprodução que 
simulavam o trabalho mecanizado.
 Reinventa a pop art com a reprodução mecânica e seus múltiplos 
serigráficos são temas do cotidiano e artigos de consumo, como as 
reproduções das latas de sopas Campbell e a garrafa de Coca-Cola, 
além de rostos de figuras conhecidas como Marilyn Monroe, Liz Taylor, 
Michael Jackson, Elvis Presley, Pelé, Che Guevara, Brigitte Bardot e 
símbolos icônicos da história da arte, como Mona Lisa.
No Brasil 
 Nos anos 60 frutificou entre os artistas brasileiros uma 
tendência irônica derivada da Pop art norte-americana 
refletindo o clima tenso criado pelo regime 
militar imposto em 1964. Aderindo apenas à forma e à 
técnica utilizada na Pop art os artistas expressaram a 
insatisfação com a censura instalada pelo regime militar, 
tematizando questões sociais de política.
Diz-se que a Pop art é o marco de 
passagem da modernidade para 
a pós-modernidade 
na cultura ocidental 
.
O que a Metafísica? 
Metafísica é uma palavra com origem no grego e que significa "o que 
está para além da física". É uma doutrina que busca o conhecimento da 
essência das coisas. 
A interpretação da metafísica como estudo do "sobrenatural" é de origem 
neoplatônica. A tradição escolástica identificou o objeto de estudo da 
metafísica com o da teologia, ainda que tenha distinguido as duas pelos 
métodos usados: para explicar Deus, a metafísica recorre à razão e a 
teologia à revelação.
O que a Arte Metafísica? 
A arte metafísica utiliza-se da pintura sobrenatural, da fuga da 
realidade, a representação de um mundo inquietante e absurdo, com 
objetos esquematizados situados em cenários insólitos, com construções 
de perspectiva exagerada e sem nenhuma relação com a realidade.
Características 
A pintura deve criar um impressão de mistério, através de associações 
pouco comuns de objetos totalmente imprevistos, em arcadas e 
arquiteturas puras, idealizadas, muitas vezes com a inclusão de estátuas, 
manequins, frutas, legumes, numa transfiguração toda especial, em 
curiosas perspectivas divergentes. A pintura metafísica explora os efeitos 
de luzes misteriosas, sombras sedutoras e cores ricas e profundas, de 
plástica despojada e escultural.
História da Pintura Metafísica? 
Pintura Metafísica foi um estilo criado em 1913 por Giorgio de Chirico 
e que acabou popularizando-se na Itália e sendo adotada por outros 
artistas, em especial Carlo Carrà e Giorgio Morandi (1890 - 1964). 
Carrà foi introduzido à Pintura Metafísica num hospital militar que 
esteve junto com Chirico em 1917 e os dois juntos acabaram por fundar 
um movimento. 
Apesar do estilo não ter sobrevivido à Primeira Guerra Mundial, vemos 
suas influências no Movimento Surrealista que iria se desenvolver.
História da Pintura Metafísica? 
Uma prova dessa influência da Pintura Metafísica no Surrealismo foi o 
fato do nome desse segundo movimento ter sido dado pelo poeta 
francês Apollinaire, inspirado, entre outros trabalhos, (como o de Marc 
Chagall), no de Chirico. 
Caracteriza-se principalmente por imagens misteriosas, ilógicas e 
sugestões de alucinações, normalmente realizadas através de um uso 
típico da luz e da perspectiva.
GIORGIO DE CHIRICO 
 (1888-1978), pintor italiano, nascido na Grécia, principal representante da 
"pintura metafísica", Giorgio De Chirico constitui um caso singular: poucas 
vezes um artista alcançou tão rapidamente a fama para em seguida renegar o 
estilo que o celebrizara e cair em um esquecimento quase absoluto. As suas 
obras retratam cenários arquitetônicos, solitários, irreais e enigmáticos, onde 
colocava objetos heterogêneos para revelar um mundo onírico e 
subconsciente, perpassado de inquietações metafísicas. Também usada nas 
suas obras manequins, nus ou vestidos à moda clássica, enigmáticos e sem 
rosto, que pareciam simbolizar a estranheza do ser humano diante do seu 
meio ambiente.
The Enigma of the Hour 
Artista: Giorgio de Chirico 
Material: Tinta a óleo 
Criação: 1911 
The Disquieting Muses 
Obra de arte 
Artista: Giorgio de Chirico 
Material: Tinta a óleo 
Criação: 1916–1918
The Nostalgia of the Infinite 
Obra de arte 
Artista: Giorgio de Chirico 
Material: Tinta a óleo 
Localização: Museu de Arte 
Moderna 
Criação: 1911 
The Song of Love 
Obra de arte 
Artista: Giorgio de Chirico 
Material: Tinta a óleo 
Localização: Museu de Arte Moderna 
Criação: 1914
The Enigma of a Day 
Artista: Giorgio de Chirico 
Material: Tinta a óleo 
Criação: 1914 
Great Metaphysical Interior 
Artista: Giorgio de Chirico 
Material: Tinta a óleo 
Criação: abril de 1917 - 
agosto de 1917 
The Prodigal Son 
Obra de arte 
Artista: Giorgio de Chirico 
Criação: 1922 
Materiais: Têmpera, Tinta a óleo 
The Seer 
Artista: Giorgio de Chirico 
Material: Tinta a óleo 
Criação: 1914–1915
GIORGIO MORANDI 
(1890-1964), pintor italiano. Notável por suas naturezas-mortas, em que 
buscava a unidade das coisas do universo. Conferiu imobilidade e 
transparência de formas, recorte intimista e atmosfera de luz cinza-clara 
às naturezas-mortas que pintou usando como modelos frascos, garrafas, 
caixas e lâmpadas velhas.
Futurismo
Caracteristicas: 
DES PREZA EXP L ICI TAMENTE TODO PADRÃO MORAL , 
BEM COMO OS VALORES QUE PERMANECERAM NO 
PAS SADO. ELA PRIMAVA POR UM NOVO PARADIGMA 
ES TÉTICO, O QUAL DEVERIA SEGUIR PARÂMETROS 
FUNDADOS NA CELERIDADE TEMPORAL , NO 
ENGRANDECIMENTO DOS COMBATES E, 
CONSEQUENTEMENTE, NA RECORRÊNCIA À FORÇA. 
O FUTURI SMO SE INS INUA NO ÂMBI TO DE TODAS AS 
EXPRES SÕES ARTÍ S TICAS E INS P IRA MUI TOS 
ART Í F ICES A INS T I TUIR SUAS PRÓPRIAS ES COLAS 
MODERNI S TAS . ELE CULTUA DE TAL FORMA 
A NOVIDADE , QUE ATÉ MESMO SE VÊ TENTADO A 
DEMOL IR INS TI TUIÇÕES MUSEOLÓGICAS E CIDADES 
ANCES TRAI S . PARA OS FUTURI S TAS AS 
CONF LAGRAÇÕES BÉL ICAS VI SAVAM SANAR O 
P LANETA.
Artistas e suas obras 
Formas Únicas de Continuidade no 
Espaço, Umberto Boccioni (1913)
Artistas e suas obras 
Dinamismo de um automóvel, 
Luigi Russolo
Artistas e suas obras 
Automóvel + 
velocidade + luz, 
Giacomo Balla

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Principais Movimentos Artísticos do Séc. XX
Principais Movimentos Artísticos do Séc. XXPrincipais Movimentos Artísticos do Séc. XX
Principais Movimentos Artísticos do Séc. XX
Cinthya Nascimento
 
História da arte - Arte Moderna
História da arte  - Arte ModernaHistória da arte  - Arte Moderna
História da arte - Arte Moderna
Lú Carvalho
 
Primeira metade do século XX
Primeira metade do século XXPrimeira metade do século XX
Primeira metade do século XX
CEF16
 
Arte no Séc. XX
 Arte no Séc. XX Arte no Séc. XX
Arte no Séc. XX
omniblog
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
annaartes
 
Tendências artísticas do pós segunda guerra nos eua e
Tendências artísticas do pós segunda guerra nos eua eTendências artísticas do pós segunda guerra nos eua e
Tendências artísticas do pós segunda guerra nos eua e
Ed de Souza
 
A arte abstrata depois da 2ª guerra
A arte abstrata depois da 2ª guerraA arte abstrata depois da 2ª guerra
A arte abstrata depois da 2ª guerra
Ana Barreiros
 

Mais procurados (20)

Principais Movimentos Artísticos do Séc. XX
Principais Movimentos Artísticos do Séc. XXPrincipais Movimentos Artísticos do Séc. XX
Principais Movimentos Artísticos do Séc. XX
 
História da arte - Arte Moderna
História da arte  - Arte ModernaHistória da arte  - Arte Moderna
História da arte - Arte Moderna
 
Movimentos Artísticos
Movimentos ArtísticosMovimentos Artísticos
Movimentos Artísticos
 
Primeira metade do século XX
Primeira metade do século XXPrimeira metade do século XX
Primeira metade do século XX
 
Arte Século XX
Arte Século XXArte Século XX
Arte Século XX
 
História da arte arte moderna
História da arte   arte modernaHistória da arte   arte moderna
História da arte arte moderna
 
Arte, revolução e século XX
Arte, revolução e século XXArte, revolução e século XX
Arte, revolução e século XX
 
Movimentos artísticos início século XX
Movimentos artísticos início século XXMovimentos artísticos início século XX
Movimentos artísticos início século XX
 
Movimentos artísticos
Movimentos artísticosMovimentos artísticos
Movimentos artísticos
 
A arte da primeira metade do século xx
A arte da primeira metade do século xxA arte da primeira metade do século xx
A arte da primeira metade do século xx
 
Arte no Séc. XX
 Arte no Séc. XX Arte no Séc. XX
Arte no Séc. XX
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
Tendências artísticas do pós segunda guerra nos eua e
Tendências artísticas do pós segunda guerra nos eua eTendências artísticas do pós segunda guerra nos eua e
Tendências artísticas do pós segunda guerra nos eua e
 
Movimentos artísticos brasileiros
Movimentos artísticos brasileirosMovimentos artísticos brasileiros
Movimentos artísticos brasileiros
 
A arte abstrata depois da 2ª guerra
A arte abstrata depois da 2ª guerraA arte abstrata depois da 2ª guerra
A arte abstrata depois da 2ª guerra
 
Arte Sec Xx
Arte Sec XxArte Sec Xx
Arte Sec Xx
 
Arte na segunda metade do século xx
Arte na segunda metade do século xxArte na segunda metade do século xx
Arte na segunda metade do século xx
 
NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro
 
DADAÍSMO
DADAÍSMODADAÍSMO
DADAÍSMO
 
Arte século XX
Arte século XXArte século XX
Arte século XX
 

Destaque

Collage Project-Art Appreciation_San Jac
Collage Project-Art Appreciation_San JacCollage Project-Art Appreciation_San Jac
Collage Project-Art Appreciation_San Jac
alorino
 
Programa.correntes.escrita
Programa.correntes.escritaPrograma.correntes.escrita
Programa.correntes.escrita
BibJoseRegio
 
2º médio brasil regência aulas 5 e6
2º médio brasil regência aulas 5 e62º médio brasil regência aulas 5 e6
2º médio brasil regência aulas 5 e6
Lú Carvalho
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
Lú Carvalho
 
Baixa Idade Media (sec XI-XV)
Baixa Idade Media (sec XI-XV)Baixa Idade Media (sec XI-XV)
Baixa Idade Media (sec XI-XV)
Lú Carvalho
 
Introdução ao estudo da história
Introdução ao estudo da históriaIntrodução ao estudo da história
Introdução ao estudo da história
Lú Carvalho
 
Bizantinos e francos
Bizantinos e francosBizantinos e francos
Bizantinos e francos
Lú Carvalho
 

Destaque (20)

obras de Hannah Höch
obras de Hannah Höchobras de Hannah Höch
obras de Hannah Höch
 
Collage Project-Art Appreciation_San Jac
Collage Project-Art Appreciation_San JacCollage Project-Art Appreciation_San Jac
Collage Project-Art Appreciation_San Jac
 
Programa.correntes.escrita
Programa.correntes.escritaPrograma.correntes.escrita
Programa.correntes.escrita
 
Vincent van gogh
Vincent van goghVincent van gogh
Vincent van gogh
 
Arte
ArteArte
Arte
 
Vincent Van Gogh - Jean-François Millet
Vincent Van Gogh - Jean-François MilletVincent Van Gogh - Jean-François Millet
Vincent Van Gogh - Jean-François Millet
 
Pablo Picasso
Pablo Picasso Pablo Picasso
Pablo Picasso
 
Vincent van gogh
Vincent van goghVincent van gogh
Vincent van gogh
 
Primeiro reinado
Primeiro reinadoPrimeiro reinado
Primeiro reinado
 
2º médio brasil regência aulas 5 e6
2º médio brasil regência aulas 5 e62º médio brasil regência aulas 5 e6
2º médio brasil regência aulas 5 e6
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
 
Baixa Idade Media (sec XI-XV)
Baixa Idade Media (sec XI-XV)Baixa Idade Media (sec XI-XV)
Baixa Idade Media (sec XI-XV)
 
Roma
RomaRoma
Roma
 
Introdução ao estudo da história
Introdução ao estudo da históriaIntrodução ao estudo da história
Introdução ao estudo da história
 
Nazismo
NazismoNazismo
Nazismo
 
Bizantinos e francos
Bizantinos e francosBizantinos e francos
Bizantinos e francos
 
Economia e Urbanização na República Velha
Economia e Urbanização na República VelhaEconomia e Urbanização na República Velha
Economia e Urbanização na República Velha
 
Egito
EgitoEgito
Egito
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
Artistas que participaram da semana de arte moderna
Artistas que participaram da semana de arte modernaArtistas que participaram da semana de arte moderna
Artistas que participaram da semana de arte moderna
 

Semelhante a Arte moderna

Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modestoRuptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
ceufaias
 
O desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologiaO desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologia
Sofia Oliveira
 
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
eduardoalves354978
 
Vanguardas europeias - Profª Telma Cavalcanti
Vanguardas europeias - Profª Telma CavalcantiVanguardas europeias - Profª Telma Cavalcanti
Vanguardas europeias - Profª Telma Cavalcanti
Telma Cavalcanti
 

Semelhante a Arte moderna (20)

História da Arte: Surrealismo
História da Arte: SurrealismoHistória da Arte: Surrealismo
História da Arte: Surrealismo
 
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modestoRuptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
 
O desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologiaO desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologia
 
História da arte - abstracionismo
História da arte - abstracionismoHistória da arte - abstracionismo
História da arte - abstracionismo
 
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e AbstracionismoApresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
 
O Modernismo na Arte
O Modernismo na ArteO Modernismo na Arte
O Modernismo na Arte
 
[HAVC] Surrealismo: António Pedro
[HAVC] Surrealismo: António Pedro[HAVC] Surrealismo: António Pedro
[HAVC] Surrealismo: António Pedro
 
Centro de ensino edison lobão1
Centro de ensino edison lobão1Centro de ensino edison lobão1
Centro de ensino edison lobão1
 
A Arte
A ArteA Arte
A Arte
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
 
Surrealismo 1194825845949535-3 (1)
Surrealismo 1194825845949535-3 (1)Surrealismo 1194825845949535-3 (1)
Surrealismo 1194825845949535-3 (1)
 
Artes - Trabalho de história e EV
Artes - Trabalho de história e EVArtes - Trabalho de história e EV
Artes - Trabalho de história e EV
 
23 arte abstrata 2020
23 arte abstrata 202023 arte abstrata 2020
23 arte abstrata 2020
 
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
 
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
 
Vanguardas europeias - Profª Telma Cavalcanti
Vanguardas europeias - Profª Telma CavalcantiVanguardas europeias - Profª Telma Cavalcanti
Vanguardas europeias - Profª Telma Cavalcanti
 
Modernismo Modernismo
Modernismo   ModernismoModernismo   Modernismo
Modernismo Modernismo
 
Aula 3 ef - artes
Aula 3   ef - artesAula 3   ef - artes
Aula 3 ef - artes
 

Mais de Lú Carvalho

Mais de Lú Carvalho (20)

Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
Processo de Independência da América
Processo de Independência da AméricaProcesso de Independência da América
Processo de Independência da América
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
 
Independência dos eua
Independência dos euaIndependência dos eua
Independência dos eua
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
Economia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIIIEconomia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIII
 
Restauração e Revoltas Nativistas
Restauração e Revoltas NativistasRestauração e Revoltas Nativistas
Restauração e Revoltas Nativistas
 
Segundo Reinado
Segundo ReinadoSegundo Reinado
Segundo Reinado
 
Brasil Regência
Brasil RegênciaBrasil Regência
Brasil Regência
 
Processo de Independência da América
Processo de Independência da AméricaProcesso de Independência da América
Processo de Independência da América
 
Rugendas II
Rugendas IIRugendas II
Rugendas II
 
Rugendas I
Rugendas IRugendas I
Rugendas I
 
Paul Harro-Harring
Paul Harro-HarringPaul Harro-Harring
Paul Harro-Harring
 
Debret
DebretDebret
Debret
 
Colonizações inglesa, francesa e holandesa
Colonizações inglesa, francesa e holandesaColonizações inglesa, francesa e holandesa
Colonizações inglesa, francesa e holandesa
 
Civilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e Incas
Civilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e IncasCivilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e Incas
Civilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e Incas
 
Contexto e fatores da expansão marítima
Contexto e fatores da expansão marítima  Contexto e fatores da expansão marítima
Contexto e fatores da expansão marítima
 
Império Bizantino e Carolingeo
Império Bizantino e CarolingeoImpério Bizantino e Carolingeo
Império Bizantino e Carolingeo
 
Islamismo
IslamismoIslamismo
Islamismo
 

Arte moderna

  • 1. Trabalhos de História da Arte Arte Moderna
  • 3. Introdução ao Cubismo  Surge no século XX e é considerado o mais influente do período. Com formas geométricas representadas, na maioria das vezes, por cubos e cilindros, a arte cubista rompeu com os padrões estéticos que primavam pela perfeição na busca da imagem realista, dando lugar a esta nova forma de expressão onde um único objeto pode ser visto por diferentes ângulos ao mesmo tempo.
  • 4. Cubismo Cézanniano (entre 1907 e 1909) É a fase que dá início ao Cubismo. Período marcado pela forte presença das obras de Paul Cézanne. Paul Cezanne nasceu em 1839 na região da Provance (França), onde morreu em 1906.
  • 5.  Paul Cezanne - Rideau, Cruchon et Compotier (1893)
  • 6. Cubismo Analítico (entre 1910 e 1912)  Fase marcada pela união dos trabalhos criados separadamente por Picasso e Braque.  Pablo Picasso nasceu em Malaga, em 1881, viveu a maior parte da vida na França, e morreu em Mougins em 1973.  Georges Braques nasceu em Argenteuil, em 1882, morreu em 1963.
  • 7. Pablo Picasso - Guernica (1937)
  • 8.  Georges Braque - Still Life: The Table (1928)
  • 9. Cubismo Sintético (entre 1913 e 1914)  Fase marcada pelo uso de formas decorativas e cores marcantes.  Juan Gris (Madrid 1887 - Boulogne-Sur-Seine 1927)
  • 10.  Juan Gris - Chessboard, Glass, and Dish (1917)
  • 12. O que é? • O fauvismo é uma corrente artística do início do século XX. O nome da corrente deve-se a Louis Vauxcelles. Esse chamou alguns artistas de “Les Fauves” (que significa “feras” em português). O movimento artístico, caracterizado pela utilização de cores puras em grandes manchas e com grandes contrastes, acentuando ao máximo o valor expressivo da cor, exaltando a sua sensualidade e sugestão emotiva.
  • 13. Onde surgiu? • O movimento surgiu em Paris, na França. Com um período de curta duração, iniciou-se na passagem do século XIX para o XX, constituiu o primeiro e mais importante movimento de renovação da pintura francesa depois do Impressionismo. Madame Matisse 1905; óleo sobre tela.
  • 14. O que as obras expressam? • Com o intuito de deixar as pessoas emocionadas com as obras, os pintores exploravam o contraste de cor em tons fortes, levando o espectador a ter emoções profundas fazendo com que a ilusão da terceira dimensão se perca. Luxe, Calme et Volupté; Matisse, 1904; óleo sobre tela.
  • 15. Artistas • Teve como líder Henri Matisse, contou também com outros grandes artistas, entre eles, André Derain, Maurice de Vlaminck, Raoul Dufy, Georges Braquese, Henri Manguin, Albert Marquet, Jean Puy, Emile Friesz. Charing Cross Bridge; André Derain.
  • 16. Imagens Madame de chapéu, Matisse; 1905; óleo sobre tela. Nu azul, Matisse; 190?; óleo sobre tela
  • 17.
  • 18.
  • 19. Abstracionismo O abstracionismo refere-se às formas de arte não administradas pela figuração e pela imitação do mundo, ou seja, não representam objetos próprios da realidade concreta. Ao contrário, se utiliza das relações formais entre cores, linhas e superfícies para produzir a realidade da obra.
  • 20. Surgimento • Seu surgimento deve-se às experiências das vanguardas européias, que rejeitaram a herança renascentista das academias de arte.
  • 21. • No começo do século XX, antes que os artistas atingissem a abstração absoluta, o termo foi utilizado para se referir a escolas como o cubismo e o futurismo. O abstracionismo divide-se em duas tendências: abstracionismo lírico; abstracionismo geométrico.
  • 22. O abstracionismo lírico • O abstracionismo lírico aparece como uma reação a Primeira Guerra Mundial. Para compor uma arte imaginária, inspirava-se no instinto, no inconsciente e na intuição. As características da arte não figurativa são: o jogo de formas orgânicas, as cores vibrantes e a linha de contorno. A pretensão do abstracionismo lírico é transformar manchas de cor e linhas em ideais e simbolismos subjetivos.
  • 23. FRANZ MARC (1880-1916), pintor alemão Apaixonado pela arte dos povos primitivos, das crianças e dos doentes mentais, o pintor alemão Marc escolheu como temas favoritos os estudos sobre animais.
  • 24. Robert Delaunay (1885-1941) Era um artista francês que usava o abstracionismo e o cubismo em seu trabalho.
  • 25. O abstracionismo geométrico • O abstracionismo geométrico recebeu influência do cubismo e do futurismo. Ao contrário do abstracionismo lírico, foca a racionalização que depende da análise intelectual e científica. No Brasil, o abstracionismo teve suas primeiras representações na década de 40.
  • 26. Piet Mondrian (1872-1944) Começou sua pintura através do contato com as paisagens de seu país natal, a Holanda. Mas a guerra libertou nele um espírito inovador e de desgosto, quase uma ojeriza às formas naturais e humanas. A arte tinha de ser harmoniosa, organizada, sem esses traços falhos que o homem e o verde tanto teimavam em repetir.
  • 27. Abstracionismo no Brasil No Brasil, o Abstracionismo surgiu na década de 1950, no século passado. Um dos primeiros pintores abstratos brasileiros foi Antônio Bandeira. No início de sua carreira, ele produzia uma obra figurativa. No ano de 1951, foi organizada em São Paulo, a Primeira Bienal Internacional de Arte, no Museu de Arte Moderna. O Abstracionismo já estava presente na mostra, causando interesse e polêmica. Os primeiros pintores abstratos brasileiros estiveram presentes na Primeira Bienal Internacional. Antônio Bandeira, Iberê Camargo, Lygia Clark, Manabu Mabe, Alfredo Volpi, Milton Dacosta, Waldemar Cordeiro, Ivan Serpa.
  • 28. Iberê Camargo Iberê Camargo iniciou seus estudos ainda no Rio Grande do Sul, na Escola de Artes e Ofícios de Santa Maria, com Parlagreco e Frederico Lobe. Já em Porto Alegre estudou pintura com João Fahrion. Em 1942 ele chegou ao Rio de Janeiro, onde cursou a Escola Nacional de Belas Artes.
  • 29. Iberê Camargo CAMARGO, Iberê. Fantasmagoria (1987). "A verdade da obra de arte é a expressão que ela nos transmite. Nada mais do que isso!"
  • 30. Iberê Camargo CAMARGO, Iberê. As Idiotas (1991).
  • 31. Iberê Camargo CAMARGO, Iberê. Solidão (1994). "Não há um ideal de beleza, mas o ideal de uma verdade pungente e sofrida que é a minha vida, é tua vida, é nossa vida, nesse caminhar no mundo."
  • 32. Milton Dacosta Milton Rodrigues Dacosta (Niterói RJ 1915 - Rio de Janeiro RJ 1988). Pintor, desenhista, gravador, ilustrador. Inicia estudos de desenho e pintura em 1929 com o professor alemão August Hantv. No ano seguinte matricula-se no curso livre de Marques Júnior (1887-1960), na Escola Nacional de Belas Artes (Enba)
  • 33. Milton Dacosta "Roda" de Milton Dacosta
  • 34. Milton Dacosta "A Piscina" , 1942
  • 37.
  • 38.
  • 39. O urinol de Marcel Duchamp
  • 40. Cut with the Dada Kitchen Knife through the Last Weimar Beer-Belly Cultural Epoch in Germany", de Hannah Höch (1919).
  • 44. Surgimento e história do movimento surrealista
  • 45. De acordo com Freud, o homem deve libertar sua mente da lógica imposta pelos padrões comportamentais e morais estabelecidos pela sociedade e dar vazão aos sonhos e as informações do inconsciente. O pai da psicanálise, não segue os valores sociais da burguesia como, por exemplo, o status, a família e a pátria.
  • 46. O marco de início do surrealismo foi a publicação do Manifesto Surrealista, feito pelo poeta e psiquiatra francês André Breton, em 1924. Neste manifesto, foram declarados os principais princípios do movimento surrealista: ausência da lógica, adoção de uma realidade "maravilhosa" (superior), exaltação da liberdade de criação, entre outros.
  • 47. Artistas  ARTES PLÁSTICAS - Salvador Dali - Joan Miro - Max Ernst - René Magritte - Paul Delvaux - Remedios Varo - Frida Kahlo - Jean Arp - Leonor Fini - Alberto Giacometti - Vito Campanella
  • 48. Surrealismo, V. Kush, nasc. 1965, Paisagem
  • 50. Dali - Persistência da memória
  • 51. Isto não é um cachimbo Rene Magritte
  • 52.
  • 53.
  • 55. O que é? Op-art, também conhecida como Arte Óptica, é um estilo artístico visual que utiliza ilusões óticas. Este movimento artístico teve inicio na década de 1930 com as obras do designer gráfico e artista húngaro Victor Vasarely.
  • 56. Principais Características  Uso de recursos visuais (cores, formas, etc.) para provocar ilusões óticas.  As imagens parecem ter movimento.  Combinações de formas geométricas simples como, por exemplo, quadrados, retângulos, círculos e triângulos.
  • 57. Artistas Victor Vasarely Jesus Rafael Soto Bridget Riley
  • 58. Victor Vasarely nascido em Hungria, (9 de abril de 1908—Paris, 15 de março de 1997 foi um pintor e escultor húngaro radicado na França)considerado o "pai da OP ART" Ainda na década de 40 começou a fazer diversos experimentos em suas pinturas fazendo quadros em diversos estilos como cubistas, futurista, expressionistas, simbolista e surrealista, mas ainda sem desenvolver um estilo único. Fazia diversas exposições de seus trabalhos, conseguindo aos poucos fazer seu talento ser admirado.
  • 59.
  • 60. Jesus Rafael Soto Nasceu em Bolivar (1923-2005), Venezuela. Pintor e escultor. Em 1942, iniciou seu aprendizado artístico com bolsa para estudar na Escola de Artes Plásticas de Caracas.
  • 61.
  • 62. Bridget Riley nasceu em Londres, no ano de 1931. Estudou na Golsmith´s school of art em Londres, em 1952 a 1955. Sua primeira exposição individual foi em 1962 na Gallery One.
  • 63.
  • 65.  Pop art (ou Arte pop) é um movimento artístico surgido na década de 50 na Inglaterra mas que alcançou sua maturidade na década de 60 em Nova York.
  • 66.
  • 67.  A Pop art propunha que se admitisse a crise da arte que assolava o século XX. Os artistas recorrem à ironia para elaborar uma crítica ao excesso de consumismo que permeia o comportamento social, estetizando os produtos massificados, tais como os provenientes da esfera publicitária, do cinema, dos quadrinhos, e de outras áreas afins.
  • 68.  A defesa do popular traduz uma atitude artística adversa ao hermetismo da arte moderna. Com o objetivo da crítica ao bombardeamento da sociedade capitalista pelos objetos de consumo da época, ela operava com signos estéticos de cores inusitadas massificados pela publicidade e pelo consumo utilizando produtos com cores intensas, fluorescentes, brilhantes e vibrantes, reproduzindo objetos do cotidiano em tamanho consideravelmente grande.
  • 69.  Enquanto, porém, a Pop-art parece censurar o consumismo, ela igualmente não prescinde dos itens que integram o circuito do consumo capitalista. Exemplo disso são as famosas Sopas Campbell e as garrafas de Coca-Cola criadas pelo ‘papa’ deste movimento, o artista Andy Warhol.
  • 70. Andy Warhol  Foi um empresário, pintor e cineasta norte-americano, bem como uma figura maior do movimento de pop art.  Os anos 1960 marcam uma guinada na sua carreira de artista plástico e passa a se utilizar dos motivos e conceitos da publicidade em suas obras, com o uso de cores fortes e brilhantes e tintas acrílicas.
  • 71.  Este ícone da Pop-art inspirou-se nos mitos modernos, como o representado pela atriz Marilyn Monroe, símbolo do cinema hollywoodiano e do glamour contemporâneo, para produzir suas obras. Ele procurava transmitir sua certeza de que os ídolos cultuados pela sociedade no século XX são imagens despersonalizadas e sem consistência. Para isso o artista utilizava técnicas de reprodução que simulavam o trabalho mecanizado.
  • 72.
  • 73.  Reinventa a pop art com a reprodução mecânica e seus múltiplos serigráficos são temas do cotidiano e artigos de consumo, como as reproduções das latas de sopas Campbell e a garrafa de Coca-Cola, além de rostos de figuras conhecidas como Marilyn Monroe, Liz Taylor, Michael Jackson, Elvis Presley, Pelé, Che Guevara, Brigitte Bardot e símbolos icônicos da história da arte, como Mona Lisa.
  • 74. No Brasil  Nos anos 60 frutificou entre os artistas brasileiros uma tendência irônica derivada da Pop art norte-americana refletindo o clima tenso criado pelo regime militar imposto em 1964. Aderindo apenas à forma e à técnica utilizada na Pop art os artistas expressaram a insatisfação com a censura instalada pelo regime militar, tematizando questões sociais de política.
  • 75. Diz-se que a Pop art é o marco de passagem da modernidade para a pós-modernidade na cultura ocidental .
  • 76.
  • 77. O que a Metafísica? Metafísica é uma palavra com origem no grego e que significa "o que está para além da física". É uma doutrina que busca o conhecimento da essência das coisas. A interpretação da metafísica como estudo do "sobrenatural" é de origem neoplatônica. A tradição escolástica identificou o objeto de estudo da metafísica com o da teologia, ainda que tenha distinguido as duas pelos métodos usados: para explicar Deus, a metafísica recorre à razão e a teologia à revelação.
  • 78. O que a Arte Metafísica? A arte metafísica utiliza-se da pintura sobrenatural, da fuga da realidade, a representação de um mundo inquietante e absurdo, com objetos esquematizados situados em cenários insólitos, com construções de perspectiva exagerada e sem nenhuma relação com a realidade.
  • 79. Características A pintura deve criar um impressão de mistério, através de associações pouco comuns de objetos totalmente imprevistos, em arcadas e arquiteturas puras, idealizadas, muitas vezes com a inclusão de estátuas, manequins, frutas, legumes, numa transfiguração toda especial, em curiosas perspectivas divergentes. A pintura metafísica explora os efeitos de luzes misteriosas, sombras sedutoras e cores ricas e profundas, de plástica despojada e escultural.
  • 80. História da Pintura Metafísica? Pintura Metafísica foi um estilo criado em 1913 por Giorgio de Chirico e que acabou popularizando-se na Itália e sendo adotada por outros artistas, em especial Carlo Carrà e Giorgio Morandi (1890 - 1964). Carrà foi introduzido à Pintura Metafísica num hospital militar que esteve junto com Chirico em 1917 e os dois juntos acabaram por fundar um movimento. Apesar do estilo não ter sobrevivido à Primeira Guerra Mundial, vemos suas influências no Movimento Surrealista que iria se desenvolver.
  • 81. História da Pintura Metafísica? Uma prova dessa influência da Pintura Metafísica no Surrealismo foi o fato do nome desse segundo movimento ter sido dado pelo poeta francês Apollinaire, inspirado, entre outros trabalhos, (como o de Marc Chagall), no de Chirico. Caracteriza-se principalmente por imagens misteriosas, ilógicas e sugestões de alucinações, normalmente realizadas através de um uso típico da luz e da perspectiva.
  • 82.
  • 83. GIORGIO DE CHIRICO  (1888-1978), pintor italiano, nascido na Grécia, principal representante da "pintura metafísica", Giorgio De Chirico constitui um caso singular: poucas vezes um artista alcançou tão rapidamente a fama para em seguida renegar o estilo que o celebrizara e cair em um esquecimento quase absoluto. As suas obras retratam cenários arquitetônicos, solitários, irreais e enigmáticos, onde colocava objetos heterogêneos para revelar um mundo onírico e subconsciente, perpassado de inquietações metafísicas. Também usada nas suas obras manequins, nus ou vestidos à moda clássica, enigmáticos e sem rosto, que pareciam simbolizar a estranheza do ser humano diante do seu meio ambiente.
  • 84. The Enigma of the Hour Artista: Giorgio de Chirico Material: Tinta a óleo Criação: 1911 The Disquieting Muses Obra de arte Artista: Giorgio de Chirico Material: Tinta a óleo Criação: 1916–1918
  • 85. The Nostalgia of the Infinite Obra de arte Artista: Giorgio de Chirico Material: Tinta a óleo Localização: Museu de Arte Moderna Criação: 1911 The Song of Love Obra de arte Artista: Giorgio de Chirico Material: Tinta a óleo Localização: Museu de Arte Moderna Criação: 1914
  • 86. The Enigma of a Day Artista: Giorgio de Chirico Material: Tinta a óleo Criação: 1914 Great Metaphysical Interior Artista: Giorgio de Chirico Material: Tinta a óleo Criação: abril de 1917 - agosto de 1917 The Prodigal Son Obra de arte Artista: Giorgio de Chirico Criação: 1922 Materiais: Têmpera, Tinta a óleo The Seer Artista: Giorgio de Chirico Material: Tinta a óleo Criação: 1914–1915
  • 87. GIORGIO MORANDI (1890-1964), pintor italiano. Notável por suas naturezas-mortas, em que buscava a unidade das coisas do universo. Conferiu imobilidade e transparência de formas, recorte intimista e atmosfera de luz cinza-clara às naturezas-mortas que pintou usando como modelos frascos, garrafas, caixas e lâmpadas velhas.
  • 89. Caracteristicas: DES PREZA EXP L ICI TAMENTE TODO PADRÃO MORAL , BEM COMO OS VALORES QUE PERMANECERAM NO PAS SADO. ELA PRIMAVA POR UM NOVO PARADIGMA ES TÉTICO, O QUAL DEVERIA SEGUIR PARÂMETROS FUNDADOS NA CELERIDADE TEMPORAL , NO ENGRANDECIMENTO DOS COMBATES E, CONSEQUENTEMENTE, NA RECORRÊNCIA À FORÇA. O FUTURI SMO SE INS INUA NO ÂMBI TO DE TODAS AS EXPRES SÕES ARTÍ S TICAS E INS P IRA MUI TOS ART Í F ICES A INS T I TUIR SUAS PRÓPRIAS ES COLAS MODERNI S TAS . ELE CULTUA DE TAL FORMA A NOVIDADE , QUE ATÉ MESMO SE VÊ TENTADO A DEMOL IR INS TI TUIÇÕES MUSEOLÓGICAS E CIDADES ANCES TRAI S . PARA OS FUTURI S TAS AS CONF LAGRAÇÕES BÉL ICAS VI SAVAM SANAR O P LANETA.
  • 90. Artistas e suas obras Formas Únicas de Continuidade no Espaço, Umberto Boccioni (1913)
  • 91. Artistas e suas obras Dinamismo de um automóvel, Luigi Russolo
  • 92. Artistas e suas obras Automóvel + velocidade + luz, Giacomo Balla