INVEJA

1.000 visualizações

Publicada em

Inveja na visão espirita

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.000
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

INVEJA

  1. 1. "De todos os distúrbios da alma, a inveja é a única que não se confessa –  Plutarco (46-120 DC )
  2. 2. Gênesis 4,2-5: “[...] Abel era pastor de ove- lhas. Caim era lavrador. Passado algum tem- po, Caim apresentou dos frutos do campo uma oferta ao Senhor. Também Abel apre- sentou ofertas dos primogênitos do rebanho e da gordura. O Senhor gostou mais de Abel e de sua oferta, e menos de Caim e de sua oferta. Caim irritou-se muito e andava cabis- baixo”. Caim tomado de inveja mata seu irmão Abel
  3. 3.  Jesus invejado foi perseguido e sofreu desde o seu nascimento.  Reis e religiosos seguiam seus passos não porque criam n’Ele.  Ouviam seus ensinamentos não porque queriam praticá- los, mas porque tinham suas almas dominadas de inveja d’Ele.
  4. 4. Clássico – Branca de Neve - Madastra
  5. 5. PODEMOS INVEJAR:  - Um bom carro,  - Um corpo espetacular,  - Uma casa maravilhosa,  -Uma saúde de ferro,  - Um cargo hierárquico,  - Um bom marido, uma mulher inteligente,  - O carisma de um amigo etc.  A inveja pode se originar naquilo que pensamos que não temos e precisamos obter para sermos felizes e em uma autoestima pobre e machucada que sente que, se tivesse o que o outro conseguiu, aí sim seria feliz.  Invejar é desejar o que o outro tem.
  6. 6. PESSOA INVEJOSA  Vive de aparência;  Gasta até o que não tem para manter um padrão de vida acima de suas condições;  Busca impressionar os outros com a imagem de pessoa bem-sucedida;  Acaba pagando um preço muito alto por isso, tendo noites mal dormidas e sendo torturada pela sombra de suas dívidas.  Ela não olha a vida com otimismo  Não reconhece as oportunidades que lhe são apresentadas como possibilidades de transformação;
  7. 7. Vejamos as características mais comuns da inveja: a) Desejo manifestado dentro de nós de possuir algo que vemos em alguém ou na propriedade de alguém; Quando a pessoa não sossega enquanto não consegue algo que alguém tem, como um bom emprego, carro, cônjuge ... b) Crítica a alguém que pouco faz e muito possui, comparando sua posição com os sacrifícios que a vida nos apresenta; Quando temos uma espécie de crítica incessante ou constantes alfinetadas. Quando a pessoa não consegue ver nada a elogiar ou a valorizar em outro indivíduo, mas só acha dúvidas “bem, estava bom, mas…” e encontra sempre alguma razão para duvidar da outra pessoa ou derrubá-la.
  8. 8. d) Sentimento penetrante e corrosivo que emitimos quando assim olhamos para outrem, nos deixando entregues a ódios infundados, por deterem o que ambicionamos; Pessoas que vivem praguejando os outros. c) Estados de depressão, causando tristeza, sofrimento, inconformação e revolta com a própria sorte; Sentimento de ressentimento quando alguém está a frente.
  9. 9. e) Resultado do apego, ainda presente em nós, aos valores transitórios da existência, tais como: posição social, objetos de uso pessoal, bens materiais, recursos financeiros”. Quando a pessoa vive envolvida com fofocas e desmerecendo as conquistas alheias.
  10. 10. A inveja é semelhante a SERPENTE que rasteja emitindo raios de venenoso magnetismo – Aulus - Perolas do Além  Uma serpente estava perseguindo um vaga-lume. Quando estava a ponto de comê-lo, o vaga-lume disse:  "Posso fazer uma pergunta?"  A serpente respondeu: "Na verdade nunca respondo a perguntas das minhas vítimas, mas, por ser você, vou permitir."  Então, o vaga-lume perguntou: "Fiz alguma coisa a você?" “  Não", respondeu a serpente.  "Pertenço à sua cadeia alimentar?", perguntou o vaga-lume.  "Não", respondeu a serpente de novo.  "Então, por que você quer me comer?", perguntou o inseto. "Porque não suporto vê-lo brilhar",
  11. 11. PROTEÇÃO INVEJA
  12. 12. Encosto, quebrante, mau olhado, feitiçaria, praga, pode “pegar”? “Quando cheguei perto de fulano, comecei a bocejar, sem parar!” “Tá tudo dando errado! Acho que fizeram um trabalho contra mim!” “Não tô legal! Tô com mau encosto!” - “Encontrei um boneco todo espetado! Cruzcredo!” E por aí vai... O que tem de verdade nesses comentários???
  13. 13. “[…] E o problema do mau-olhado? Existe mesmo? Como vimos, os espíritos não o negam ao afirmar que há pessoas dotadas de grande força magnética da qual podem fazer mau uso”. (HERMÍNIO C. MIRANDA, 1991, p. 311). Um pouco mais a frente, detalhando explica:
  14. 14. É certo, porém, que forças mentais poderosas podem ser manipuladas pelo pensamento e pela vontade. Não há, portanto, mau-olhado no sentido de que um simples olhar possa fazer murchar uma planta ou adoecer uma pessoa; há, contudo, sentimentos desarmonizados que, potencializados pela vontade consciente ou inconsciente, acarretam distúrbios consideráveis em pessoas, animais ou plantas. O pensamento é a mais poderosa energia no Universo e circula por um sistema perfeito de vasos comunicantes, através de toda a natureza. Segundo as intenções sob as quais é emitido, tanto pode construir como destruir. Dar vida, como retirá-la. Nada mais que isso.
  15. 15. É a vibração que o invejoso emite de tão forte envolvimento negativo, que, ao atingir alguém desprotegido e desprevenido, realmente pode provocar vários males. Muito cuidado, portanto, com os sentimentos de inveja que venhamos a emitir para quem quer que seja, lembrando sempre que colheremos, para nós mesmos, todo o mal que aos outros provocarmos”.
  16. 16. Todo cuidado é pouco, porquanto... “o feitiço pode virar-se contra o feiticeiro”: “O desequilíbrio da mente pode determinar a perturbação geral das células orgânicas. As intoxicações da alma determinam as moléstias do corpo”. (instrutor ALEXANDRE em Missionários da Luz)
  17. 17. No site da revista GALILEU, encontramos este artigo postado em 07/04/2014:
  18. 18. L.E – Questão 933. Assim como, quase sempre, é o homem o causador de seus sofrimentos materiais, também o será de seus sofrimentos morais? • Mais ainda, porque os sofrimentos materiais algumas vezes independem da vontade; mas, o orgulho ferido, a ambição frustrada, a ansiedade da avareza, a inveja, o ciúme, todas as paixões, numa palavra, são torturas da alma.
  19. 19. “A inveja e o ciúme! Felizes os que desconhecem estes dois vermes roedores! Para aquele que a inveja e o ciúme atacam, não há calma, nem repouso possíveis. À sua frente, como fantasmas que lhe não dão tréguas e o perseguem até durante o sono, se levantam os objetos de sua cobiça, do seu ódio, do seu despeito. O invejoso e o ciumento vivem ardendo em contínua febre. Será essa uma situação desejável e não compreendeis que, com as suas paixões, o homem cria para si mesmo suplícios voluntários, tornando-se-lhe a Terra verdadeiro inferno! (trecho da resposta à questão 933, de O Livro dos Espíritos).
  20. 20.  A terapia para a INVEJA consiste, inicialmente na cuidadosa reflexão do EU profundo em torno da sua destinação grandiosa, no futuro, avaliando os recursos de que dispões e considerando que a sua realidade é única, não podendo ser comparada com outras em razão do processo da evolução de cada um.
  21. 21.  O cultivo da alegria pelo que é, e dos recursos para alcançar outros novos patamares enseja o despertar do AMOR A SI MESMO, DO PRÓXIMO E A DEUS, como meio e meta para alcançar a saúde ideal.
  22. 22. • Se conseguíssemos identificá-la e olhá-la sob a ótica do aprendizado, a inveja poderia até se tornar auto-estimulante, impulsionando o indivíduo às conquistas que valorize no outro. Encará-la frente a frente sob essa ótica faz com que compreendamos melhor as limitações que nos caracterizam. • Fingir que não a possui é permanecer na ignorância de si mesmo.
  23. 23. Reforma intima

×