SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 45
INFLUÊNCIAS
ESPIRITUAIS
O problema da obsessão é, cada
vez, mais grave, generalizando-se
numa epidemia, que assola as
multidões engalfinhadas em lutas
tiranizantes.
Manoel Philomeno de Miranda
“A sua influência é
maior do que supondes,
porque, muito frequentemente,
são eles que vos dirigem.”
L.E. Q. 460. - De par com os pensamentos que nos são próprios, outros haverá que nos sejam
sugeridos?
“Vossa alma é um Espírito que pensa. Não ignorais que, freqüentemente, muitos pensamentos
vos acodem a um tempo sobre o mesmo assunto, não raro, contrários uns dos outros. Pois
bem! No conjunto deles, estão sempre de mistura os vossos com os nossos.
A obsessão é a
ação persistente
ou domínio que
alguns Espíritos
logram adquirir
sobre certas
pessoas.
É praticada pelos
Espíritos
inferiores, que
procuram
dominar.
O livro dos
Médiuns
CAP.23/237
A ação dos
bons espíritos
sobre alguém
nunca é
obsessão,
porque é
sempre
benéfica e não
dominadora,
respeitando o
nosso livre-
arbítrio.
QUEM
É O
OBSESSOR??
“O obsessor não é diferente de nenhum
de nós, ainda prisioneiros de paixões
milenares que repercutem e ecoam de
século em século e vão aos milênios”
Hermínio Miranda
 Não é um monstro saído das trevas;
 Não é um ser diferente que só vive de crueldades, nem
um condenado sem remissão pela Justiça Divina;
 Não é um ser estranho a nós. Pelo contrário, é alguém
que se privou de nossa intimidade, por vezes com
estreitos laços afetivos;
 É alguém, que amamos outrora.
 Ou um ser desesperado pelas crueldades que recebeu de
nós...
 O obsessor é um irmão, a quem os sofrimentos e
desenganos desequilibram, certamente com a nossa
participação
Assim, resumindo, o obsessor:
O QUE DA MARGEM
A OBSESSÃO ?
 Amores exacerbados
 ódios incoercíveis,
 dominação absolutista
 Fanatismo injustificável,
 avareza incontrolável
 Morbidez ciumenta
 abusos do direito como da força
 má distribuição de valores e
recursos financeiros
 Aquisição indigna da
posse transitória
 paixões políticas e
guerreiras
 Ganância em relação aos
bens perecíveis
 Orgulho e presunção
CAUSAS DA OBSESSÃO
Por interesses em destruir,
desunir, dominar, provocar o
mal manter distúrbios, partindo
de espíritos inteligentes das
hostes inferiores
,
Vingança de espíritos
contra pessoas que
lhes fizeram sofrer
nessa ou em vias
anteriores;
Para usufruir dos mesmos
condicionamentos que tinham
quando na vida física, induzem
seus afins a cometê-los;
Apegos às pessoas
pelas quais nutriam
grandes paixões
quando em vida;
A causa de todas as
obsessões é a
imperfeição moral, “do
mesmo modo que as
doenças resultam das
imperfeições físicas,
que tornam o corpo
acessível às influências
perniciosas exteriores...
“ a obsessão é sempre
o resultado de uma
imperfeição moral,
que dá acesso a um
Espírito mau.”
Kardec, no capítulo XXVIII de “O Evangelho segundo oEspiritismo”
As nossas
imperfeições
atraem para
junto de nós
espíritos com
idênticas
imperfeições,
vícios e falhas
morais.
Assim, somos
nós mesmos
que abrimos
brechas
psíquicas para
obsessão.
IMPERFEIÇÕESQUE BRECHAS
PSÍQUICAS PARAOBSESSÃO.
DEPRESSÃO
DESÂNIMO
VICIOS: FUMO – ALCOOL
DROGAS – SEXO - JOGOS
MALEDICÊNCIA - CALÚNIA
CIÚME - INVEJA
APEGO AO DINHEIRO
VINGANÇA
Somente há
obsidiados e
obsessão porque
há endividados
espirituais,
ocultando a
urgência da
reparação das
dívidas.”.
Manoel P. de Miranda,
Grilhões Partido, Propulsão.
O processo obsessivo não se instala de imediato: é gradual, de
acordo com o grau ou a intensidade da obsessão. Noinicio, o
Espírito perseguidor localiza na sua vitima (...) “os
condicionamentos, a predisposição e as defesas
desguarnecidas, disso tudo se vale o obsessor para instalar a
sua onda mental na mente da pessoa visada. A interferência se
dá por processo análogo ao que acontece no rádio, quando uma
emissora clandestina passa a utilizar determinada frequência
(...). Prejudicando-lhe a transmissão.”.
Durante o sono, sobretudo,
age com mais intensidade.
A pessoa (...) deixa-se
dominar por um inimigo
invisível, durante o sono.
Afina-se com o caráter
deste e recebe as suas
ordens ou sugestões, tal
como o sonâmbulo às
ordens do seu
magnetizador. Ao
despertar, reproduz, mais
tarde, em ações da sua vida
prática, as ordenações
então recebidas, as quais
poderão levá-lo até mesmo
ao crime e ao suicídio.
Obsessão tem
cura???
Terapia desobsessiva
• Prece
• Pensamento e
força de vontade
• Prática dobem
• Reforma íntima
• Evangelho nolar
• Fluidoterapia
(passes e agua
fluidificada)
• Apoio familiar
• Frequência ao
centro espírita
• Sessão de
desobsessão
• Terapia médica
Prece
“Em todos os casos de obsessão, a
prece é o mais poderoso meio de
que se dispõe para demover de seus
propósitos maléficos o obsessor”.
A Gênese - Allan Kardec, cap. XIV,item 46
A prece, ato de ligação entre o
Criador e a criatura, é também uma
forma de higienização de nossa
“causa mental”.
Pensamento e força de vontade
MATERIALIZAÇÃO DO PENSAMENTO
Reforma íntima
“No que diz respeito ao problema das
obsessões espirituais, o paciente é,
também, o agente da própria cura”.
Manoel Philomeno de Miranda
A reforma moral ou auto-desobsessão é o
ato de promover a própria pessoa a sua
desobsessão, através da auto-
evangelização.
Evangelho nolar
Joanna de Ângelis afirma que o lar é como o porto para um
navio, local de reparos, repouso e preparação para enfrentar o
oceano bravio, daí, o papel importante do equilíbrio no lar,
como base para o equilibro de todos nós. O obsediado, mais do
que ninguém, precisa de um porto seguro e bem aparelhado.
Fluidoterapia
O obsessor envolve
fluidicamente o
obsidiado, absorvendo-
lhe os fluidos benéficos,
substituindo-os
por fluidos deletérios.
Só existe um meio de
retirarmos estes maus fluidos, é
substituindo-os por bons fluidos,
como afirmava o sábio mestre
lionês. Para isso, é fundamental a
fluidoterapia, feita pelo passe e
pela águafluidificada.
Um fato importante, é que
em grande número de
casos, quando o
obsediado penetra no
Centro Espírita, leva
consigo o seu obsessor(es),
fato permitido pela
espiritualidade maior,
para propiciar o auxílio
renovador também para o
"irmãozinho
perseguidor".-
Apoio familiar
Não somente o obsidiado deve ser conscientizado da
importância de sua participação na terapêutica
desobsessiva, mas também os seus familiares. Muitas
vezes, o desequilíbrio do obsidiado chega a tal ponto
que a participação da família assume ainda maior
importância.
Outro fator importante, como já mencionamos, é o
fato do quadro obsessivo, muitas vezes, envolver
toda a Família, ou seja, todo o grupo errou, todos
precisam reparar o erro. É nítido o resultado mais
positivo, nos casos em que toda a família participa
da ajuda ao obsidiado.
Reunião de Desobsessão
Reunião de desobsessão: oásis de refazimento
espiritual. Pronto-socorro de espíritos sofredores.
Hospital de amor para os doentes da alma.
O aposento destinado à reunião de desobsessão é,
dentro do Templo Espírita, o local onde são
medicadas, mais diretamente, as almas.
Muitos pensam, erroneamente, que no Centro
Espírita se verão livres de todos os males. De
modo geral, quando recorrem aos Centros,
trazem o pensamento preconcebido de que
todos os seus problemas serão ali resolvidos,
como por encanto.
Julgam que, pelo fato de buscar auxílio
espiritual, passam de imediato toda a
responsabilidade de seu tratamento para os
Espíritos e para os espíritas.
Fazem como quem traz um grande e
pesado fardo, que aluam de seus próprios
ombros, na tentativa de entrega-lo totalmente
aos Guias e médiuns.
Aos primeiros sinais de que seus problemas
não estão sendo resolvidos com a presteza que
imaginavam, desiludem-se e vão buscar ajuda
em outra parte.
APOMETRIA
A nossa tarefa é de iluminar, não é de
eliminar. O espírito mau, perverso, cruel é
nosso irmão na ignorância". A rigor, o uso
de energia para afastar obsessores, sem a
necessária reforma íntima, indispensável à
libertação real dos envolvidos nos dramas
obsessivos, contradiz os princípios básicos
do Espiritismo, pois, o simples afastamento
das entidades rancorosas não resolve a
questão. Por essa razão, a apometria,
especialmente por suas leis e rituais, não é
técnica que se enquadra nos princípios
doutrinários espíritas, não sendo, portanto,
uma prática recomendável na casa espírita.
“O obsessor não deve ser arrancado à força ou
expulso. Ele precisa ser convencido a abandonar
seus propósitos e levado ao arrependimento.”
Hermínio Miranda
Terapia Médica
Algumas pessoas têm a falsa ideia que a
terapêutica médica e a terapêutica espírita
estariam chocando uma contra a outra,
quando fossem utilizadas no auxílio ao quadro
obsessivo.
A terapêutica desobsessiva deve sempre ser
orientada tendo como base estes dois
aspectos: a terapêutica espiritual e a
terapêutica médica, pois a não utilização de
uma delas pode levar a um tratamento
ineficiente e incompleto.
Como Espírito encarnado, possuindo Espírito,
perispírito e corpo físico, o obsidiado terá
alterações psíquicas e orgânicas variadas e
importantes, desde o início do quadro e no
decorrer do mesmo.
“Reconciliai-vos o mais depressa
com vosso adversário, enquanto
estais com ele no caminho”
VÁ E NÃO PEQUES MAIS...
Jesus
Bibliografia
 Livro dos Espíritos;
 O Evangelho Segundo o Espiritismo;
 Diversidade dos Carismas, Hermínio Miranda;
 Obsessão e desobsessão, Suely Caldas
Schubert;
 Análise do Livro dos Médiuns, feita por Ney
Prieto Peres (Boletim MEDNESP n.º 2 –
dezembro de 1992)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cuidar do Corpo e do Espírito
Cuidar do Corpo e do EspíritoCuidar do Corpo e do Espírito
Cuidar do Corpo e do EspíritoCEENA_SS
 
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDASINFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDASRodrigo Leite
 
Jesus e a Alegria de Viver - Nazareno Feitosa v.6
Jesus e a Alegria de Viver - Nazareno Feitosa v.6Jesus e a Alegria de Viver - Nazareno Feitosa v.6
Jesus e a Alegria de Viver - Nazareno Feitosa v.6Nazareno Feitosa
 
2.3.1 - A alma depois da morte
2.3.1 - A alma depois da morte2.3.1 - A alma depois da morte
2.3.1 - A alma depois da morteMarta Gomes
 
A afabilidade e a Doçura
A afabilidade e a DoçuraA afabilidade e a Doçura
A afabilidade e a Doçuraigmateus
 
Palestra Espirita - Prece
Palestra Espirita - PrecePalestra Espirita - Prece
Palestra Espirita - Precemanumino
 
Palestra sobre O livro dos espíritos ( Leonardo Pereira).
Palestra sobre O  livro dos espíritos ( Leonardo Pereira). Palestra sobre O  livro dos espíritos ( Leonardo Pereira).
Palestra sobre O livro dos espíritos ( Leonardo Pereira). Leonardo Pereira
 
2.6.1 espiritos errantes
2.6.1   espiritos errantes2.6.1   espiritos errantes
2.6.1 espiritos errantesMarta Gomes
 
Felicidade E Infelicidade Relativa
Felicidade E  Infelicidade  RelativaFelicidade E  Infelicidade  Relativa
Felicidade E Infelicidade RelativaSergio Menezes
 
Simpatia e antipatia
Simpatia e antipatiaSimpatia e antipatia
Simpatia e antipatiaGraça Maciel
 
Ingratidão dos Filhos e Laços de Família
Ingratidão dos Filhos e Laços de FamíliaIngratidão dos Filhos e Laços de Família
Ingratidão dos Filhos e Laços de Famíliaigmateus
 
Orgulho e humildade
Orgulho e humildadeOrgulho e humildade
Orgulho e humildadeFatoze
 
Nao Julgues Compreenda
Nao Julgues CompreendaNao Julgues Compreenda
Nao Julgues CompreendaGraça Maciel
 
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos Existenciais
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos ExistenciaisVazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos Existenciais
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos ExistenciaisFatima Carvalho
 

Mais procurados (20)

Palestra Espírita - Suicidio e loucura
Palestra Espírita - Suicidio e loucuraPalestra Espírita - Suicidio e loucura
Palestra Espírita - Suicidio e loucura
 
A dor na nossa evolução
A dor na nossa evoluçãoA dor na nossa evolução
A dor na nossa evolução
 
Cuidar do Corpo e do Espírito
Cuidar do Corpo e do EspíritoCuidar do Corpo e do Espírito
Cuidar do Corpo e do Espírito
 
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficosBem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficos
 
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDASINFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
 
Jesus e a Alegria de Viver - Nazareno Feitosa v.6
Jesus e a Alegria de Viver - Nazareno Feitosa v.6Jesus e a Alegria de Viver - Nazareno Feitosa v.6
Jesus e a Alegria de Viver - Nazareno Feitosa v.6
 
2.3.1 - A alma depois da morte
2.3.1 - A alma depois da morte2.3.1 - A alma depois da morte
2.3.1 - A alma depois da morte
 
Dia De Finados
Dia De FinadosDia De Finados
Dia De Finados
 
A afabilidade e a Doçura
A afabilidade e a DoçuraA afabilidade e a Doçura
A afabilidade e a Doçura
 
Palestra Espirita - Prece
Palestra Espirita - PrecePalestra Espirita - Prece
Palestra Espirita - Prece
 
A cura espirita
A cura espiritaA cura espirita
A cura espirita
 
Palestra sobre O livro dos espíritos ( Leonardo Pereira).
Palestra sobre O  livro dos espíritos ( Leonardo Pereira). Palestra sobre O  livro dos espíritos ( Leonardo Pereira).
Palestra sobre O livro dos espíritos ( Leonardo Pereira).
 
2.6.1 espiritos errantes
2.6.1   espiritos errantes2.6.1   espiritos errantes
2.6.1 espiritos errantes
 
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão EspíritaAFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
 
Felicidade E Infelicidade Relativa
Felicidade E  Infelicidade  RelativaFelicidade E  Infelicidade  Relativa
Felicidade E Infelicidade Relativa
 
Simpatia e antipatia
Simpatia e antipatiaSimpatia e antipatia
Simpatia e antipatia
 
Ingratidão dos Filhos e Laços de Família
Ingratidão dos Filhos e Laços de FamíliaIngratidão dos Filhos e Laços de Família
Ingratidão dos Filhos e Laços de Família
 
Orgulho e humildade
Orgulho e humildadeOrgulho e humildade
Orgulho e humildade
 
Nao Julgues Compreenda
Nao Julgues CompreendaNao Julgues Compreenda
Nao Julgues Compreenda
 
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos Existenciais
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos ExistenciaisVazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos Existenciais
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos Existenciais
 

Semelhante a Influências espirituais e obsessão

Conquiste o inimigo venca a obsessao
Conquiste o inimigo   venca a obsessaoConquiste o inimigo   venca a obsessao
Conquiste o inimigo venca a obsessaoHenrique Vieira
 
Obsessão doença moral
Obsessão doença moralObsessão doença moral
Obsessão doença moralGraça Maciel
 
Processos de obsessão - relação entre Obsidiado e Obsessor
Processos de obsessão - relação entre Obsidiado e ObsessorProcessos de obsessão - relação entre Obsidiado e Obsessor
Processos de obsessão - relação entre Obsidiado e ObsessorRivaldo Guedes Corrêa. Jr
 
Apometria (jose lacerda de azevedo)
Apometria (jose lacerda de azevedo)Apometria (jose lacerda de azevedo)
Apometria (jose lacerda de azevedo)maria garrido
 
( Apometria) - Apostila De Apometria.pdf
( Apometria) - Apostila De Apometria.pdf( Apometria) - Apostila De Apometria.pdf
( Apometria) - Apostila De Apometria.pdfAndreaFernandesArauj
 
( Apometria) - Apostila De Apometria.pdf
( Apometria) - Apostila De Apometria.pdf( Apometria) - Apostila De Apometria.pdf
( Apometria) - Apostila De Apometria.pdfAnneMaia4
 
( Apometria) apostila de apometria
( Apometria)   apostila de apometria( Apometria)   apostila de apometria
( Apometria) apostila de apometriaMH63
 
A ObsessãO E A DesobsessãO
A ObsessãO E A DesobsessãOA ObsessãO E A DesobsessãO
A ObsessãO E A DesobsessãORoque Souza
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Leonardo Pereira
 

Semelhante a Influências espirituais e obsessão (20)

Obsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessãoObsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessão
 
Obsessão
ObsessãoObsessão
Obsessão
 
Conquiste o inimigo venca a obsessao
Conquiste o inimigo   venca a obsessaoConquiste o inimigo   venca a obsessao
Conquiste o inimigo venca a obsessao
 
Desobsessao
DesobsessaoDesobsessao
Desobsessao
 
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 23 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 23 docApostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 23 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 23 doc
 
Obsessão doença moral
Obsessão doença moralObsessão doença moral
Obsessão doença moral
 
Obsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessãoObsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessão
 
23 apostila [23] mediunidade e obsessão
23 apostila [23] mediunidade e obsessão23 apostila [23] mediunidade e obsessão
23 apostila [23] mediunidade e obsessão
 
Processos de obsessão - relação entre Obsidiado e Obsessor
Processos de obsessão - relação entre Obsidiado e ObsessorProcessos de obsessão - relação entre Obsidiado e Obsessor
Processos de obsessão - relação entre Obsidiado e Obsessor
 
Obsessão
ObsessãoObsessão
Obsessão
 
Apometria (jose lacerda de azevedo)
Apometria (jose lacerda de azevedo)Apometria (jose lacerda de azevedo)
Apometria (jose lacerda de azevedo)
 
( Apometria) - Apostila De Apometria.pdf
( Apometria) - Apostila De Apometria.pdf( Apometria) - Apostila De Apometria.pdf
( Apometria) - Apostila De Apometria.pdf
 
( Apometria) - Apostila De Apometria.pdf
( Apometria) - Apostila De Apometria.pdf( Apometria) - Apostila De Apometria.pdf
( Apometria) - Apostila De Apometria.pdf
 
( Apometria) apostila de apometria
( Apometria)   apostila de apometria( Apometria)   apostila de apometria
( Apometria) apostila de apometria
 
122693669 apometria
122693669 apometria122693669 apometria
122693669 apometria
 
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 06 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -doc - 06 docApostila obsessão   lar rubataiana -doc - 06 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 06 doc
 
A ObsessãO E A DesobsessãO
A ObsessãO E A DesobsessãOA ObsessãO E A DesobsessãO
A ObsessãO E A DesobsessãO
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
G6 - AULA 14.pdf
G6 - AULA 14.pdfG6 - AULA 14.pdf
G6 - AULA 14.pdf
 
122693669 apometria
122693669 apometria122693669 apometria
122693669 apometria
 

Mais de Lisete B.

Porque melindramos
Porque melindramos Porque melindramos
Porque melindramos Lisete B.
 
Suicidio na visão espirita
Suicidio  na visão espiritaSuicidio  na visão espirita
Suicidio na visão espiritaLisete B.
 
Anjo da guarda
Anjo da guardaAnjo da guarda
Anjo da guardaLisete B.
 
Educacao sentimento
Educacao sentimentoEducacao sentimento
Educacao sentimentoLisete B.
 
Problemas do mundo
Problemas do mundoProblemas do mundo
Problemas do mundoLisete B.
 
Reencarnação Existe?
Reencarnação Existe?Reencarnação Existe?
Reencarnação Existe?Lisete B.
 
Por que comigo
Por que comigoPor que comigo
Por que comigoLisete B.
 
A intolerancia em nossas vidas
A intolerancia em nossas vidasA intolerancia em nossas vidas
A intolerancia em nossas vidasLisete B.
 
Conhece te a ti mesmo
Conhece te a ti mesmoConhece te a ti mesmo
Conhece te a ti mesmoLisete B.
 
Para que serve a dor
Para que serve a dorPara que serve a dor
Para que serve a dorLisete B.
 
Vida a dois - visão espirita
Vida a dois - visão espiritaVida a dois - visão espirita
Vida a dois - visão espiritaLisete B.
 
Ansiedade na visão espirita
Ansiedade na visão espirita Ansiedade na visão espirita
Ansiedade na visão espirita Lisete B.
 
As curas de jesus
As curas de jesusAs curas de jesus
As curas de jesusLisete B.
 
Missão dos pais
Missão dos paisMissão dos pais
Missão dos paisLisete B.
 
Casamento na visão espirita
Casamento na visão espiritaCasamento na visão espirita
Casamento na visão espiritaLisete B.
 
Achamos que sabemos.ppszt
Achamos que sabemos.ppsztAchamos que sabemos.ppszt
Achamos que sabemos.ppsztLisete B.
 

Mais de Lisete B. (20)

Porque melindramos
Porque melindramos Porque melindramos
Porque melindramos
 
Suicidio na visão espirita
Suicidio  na visão espiritaSuicidio  na visão espirita
Suicidio na visão espirita
 
Anjo da guarda
Anjo da guardaAnjo da guarda
Anjo da guarda
 
Educacao sentimento
Educacao sentimentoEducacao sentimento
Educacao sentimento
 
Problemas do mundo
Problemas do mundoProblemas do mundo
Problemas do mundo
 
Reencarnação Existe?
Reencarnação Existe?Reencarnação Existe?
Reencarnação Existe?
 
Gratidao
Gratidao  Gratidao
Gratidao
 
Por que comigo
Por que comigoPor que comigo
Por que comigo
 
A intolerancia em nossas vidas
A intolerancia em nossas vidasA intolerancia em nossas vidas
A intolerancia em nossas vidas
 
Conhece te a ti mesmo
Conhece te a ti mesmoConhece te a ti mesmo
Conhece te a ti mesmo
 
Para que serve a dor
Para que serve a dorPara que serve a dor
Para que serve a dor
 
Vida a dois - visão espirita
Vida a dois - visão espiritaVida a dois - visão espirita
Vida a dois - visão espirita
 
Ansiedade na visão espirita
Ansiedade na visão espirita Ansiedade na visão espirita
Ansiedade na visão espirita
 
As curas de jesus
As curas de jesusAs curas de jesus
As curas de jesus
 
Raiva
RaivaRaiva
Raiva
 
Egoismo
EgoismoEgoismo
Egoismo
 
Missão dos pais
Missão dos paisMissão dos pais
Missão dos pais
 
Casamento na visão espirita
Casamento na visão espiritaCasamento na visão espirita
Casamento na visão espirita
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
Achamos que sabemos.ppszt
Achamos que sabemos.ppsztAchamos que sabemos.ppszt
Achamos que sabemos.ppszt
 

Último

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoRicardo Azevedo
 
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptx
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptxCURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptx
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptxWerquesonSouza
 
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...silvana30986
 
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxCelso Napoleon
 
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresAntonino Silva
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024RaniereSilva14
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaWillemarSousa1
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EMicheleRosa39
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalAmaroJunior21
 

Último (10)

Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.pptFluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
 
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptx
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptxCURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptx
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptx
 
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
 
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
 
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
 

Influências espirituais e obsessão

  • 2. O problema da obsessão é, cada vez, mais grave, generalizando-se numa epidemia, que assola as multidões engalfinhadas em lutas tiranizantes. Manoel Philomeno de Miranda
  • 3.
  • 4. “A sua influência é maior do que supondes, porque, muito frequentemente, são eles que vos dirigem.”
  • 5. L.E. Q. 460. - De par com os pensamentos que nos são próprios, outros haverá que nos sejam sugeridos? “Vossa alma é um Espírito que pensa. Não ignorais que, freqüentemente, muitos pensamentos vos acodem a um tempo sobre o mesmo assunto, não raro, contrários uns dos outros. Pois bem! No conjunto deles, estão sempre de mistura os vossos com os nossos.
  • 6.
  • 7. A obsessão é a ação persistente ou domínio que alguns Espíritos logram adquirir sobre certas pessoas. É praticada pelos Espíritos inferiores, que procuram dominar. O livro dos Médiuns CAP.23/237
  • 8. A ação dos bons espíritos sobre alguém nunca é obsessão, porque é sempre benéfica e não dominadora, respeitando o nosso livre- arbítrio.
  • 10. “O obsessor não é diferente de nenhum de nós, ainda prisioneiros de paixões milenares que repercutem e ecoam de século em século e vão aos milênios” Hermínio Miranda
  • 11.  Não é um monstro saído das trevas;  Não é um ser diferente que só vive de crueldades, nem um condenado sem remissão pela Justiça Divina;  Não é um ser estranho a nós. Pelo contrário, é alguém que se privou de nossa intimidade, por vezes com estreitos laços afetivos;  É alguém, que amamos outrora.  Ou um ser desesperado pelas crueldades que recebeu de nós...  O obsessor é um irmão, a quem os sofrimentos e desenganos desequilibram, certamente com a nossa participação Assim, resumindo, o obsessor:
  • 12. O QUE DA MARGEM A OBSESSÃO ?
  • 13.
  • 14.  Amores exacerbados  ódios incoercíveis,  dominação absolutista  Fanatismo injustificável,  avareza incontrolável  Morbidez ciumenta  abusos do direito como da força  má distribuição de valores e recursos financeiros
  • 15.  Aquisição indigna da posse transitória  paixões políticas e guerreiras  Ganância em relação aos bens perecíveis  Orgulho e presunção
  • 16. CAUSAS DA OBSESSÃO Por interesses em destruir, desunir, dominar, provocar o mal manter distúrbios, partindo de espíritos inteligentes das hostes inferiores , Vingança de espíritos contra pessoas que lhes fizeram sofrer nessa ou em vias anteriores; Para usufruir dos mesmos condicionamentos que tinham quando na vida física, induzem seus afins a cometê-los; Apegos às pessoas pelas quais nutriam grandes paixões quando em vida;
  • 17. A causa de todas as obsessões é a imperfeição moral, “do mesmo modo que as doenças resultam das imperfeições físicas, que tornam o corpo acessível às influências perniciosas exteriores...
  • 18. “ a obsessão é sempre o resultado de uma imperfeição moral, que dá acesso a um Espírito mau.” Kardec, no capítulo XXVIII de “O Evangelho segundo oEspiritismo”
  • 19. As nossas imperfeições atraem para junto de nós espíritos com idênticas imperfeições, vícios e falhas morais. Assim, somos nós mesmos que abrimos brechas psíquicas para obsessão.
  • 21. VICIOS: FUMO – ALCOOL DROGAS – SEXO - JOGOS
  • 26. Somente há obsidiados e obsessão porque há endividados espirituais, ocultando a urgência da reparação das dívidas.”. Manoel P. de Miranda, Grilhões Partido, Propulsão.
  • 27. O processo obsessivo não se instala de imediato: é gradual, de acordo com o grau ou a intensidade da obsessão. Noinicio, o Espírito perseguidor localiza na sua vitima (...) “os condicionamentos, a predisposição e as defesas desguarnecidas, disso tudo se vale o obsessor para instalar a sua onda mental na mente da pessoa visada. A interferência se dá por processo análogo ao que acontece no rádio, quando uma emissora clandestina passa a utilizar determinada frequência (...). Prejudicando-lhe a transmissão.”.
  • 28. Durante o sono, sobretudo, age com mais intensidade. A pessoa (...) deixa-se dominar por um inimigo invisível, durante o sono. Afina-se com o caráter deste e recebe as suas ordens ou sugestões, tal como o sonâmbulo às ordens do seu magnetizador. Ao despertar, reproduz, mais tarde, em ações da sua vida prática, as ordenações então recebidas, as quais poderão levá-lo até mesmo ao crime e ao suicídio.
  • 30. Terapia desobsessiva • Prece • Pensamento e força de vontade • Prática dobem • Reforma íntima • Evangelho nolar • Fluidoterapia (passes e agua fluidificada) • Apoio familiar • Frequência ao centro espírita • Sessão de desobsessão • Terapia médica
  • 31. Prece “Em todos os casos de obsessão, a prece é o mais poderoso meio de que se dispõe para demover de seus propósitos maléficos o obsessor”. A Gênese - Allan Kardec, cap. XIV,item 46 A prece, ato de ligação entre o Criador e a criatura, é também uma forma de higienização de nossa “causa mental”.
  • 32. Pensamento e força de vontade MATERIALIZAÇÃO DO PENSAMENTO
  • 33. Reforma íntima “No que diz respeito ao problema das obsessões espirituais, o paciente é, também, o agente da própria cura”. Manoel Philomeno de Miranda A reforma moral ou auto-desobsessão é o ato de promover a própria pessoa a sua desobsessão, através da auto- evangelização.
  • 34. Evangelho nolar Joanna de Ângelis afirma que o lar é como o porto para um navio, local de reparos, repouso e preparação para enfrentar o oceano bravio, daí, o papel importante do equilíbrio no lar, como base para o equilibro de todos nós. O obsediado, mais do que ninguém, precisa de um porto seguro e bem aparelhado.
  • 35. Fluidoterapia O obsessor envolve fluidicamente o obsidiado, absorvendo- lhe os fluidos benéficos, substituindo-os por fluidos deletérios. Só existe um meio de retirarmos estes maus fluidos, é substituindo-os por bons fluidos, como afirmava o sábio mestre lionês. Para isso, é fundamental a fluidoterapia, feita pelo passe e pela águafluidificada.
  • 36. Um fato importante, é que em grande número de casos, quando o obsediado penetra no Centro Espírita, leva consigo o seu obsessor(es), fato permitido pela espiritualidade maior, para propiciar o auxílio renovador também para o "irmãozinho perseguidor".-
  • 37. Apoio familiar Não somente o obsidiado deve ser conscientizado da importância de sua participação na terapêutica desobsessiva, mas também os seus familiares. Muitas vezes, o desequilíbrio do obsidiado chega a tal ponto que a participação da família assume ainda maior importância. Outro fator importante, como já mencionamos, é o fato do quadro obsessivo, muitas vezes, envolver toda a Família, ou seja, todo o grupo errou, todos precisam reparar o erro. É nítido o resultado mais positivo, nos casos em que toda a família participa da ajuda ao obsidiado.
  • 38. Reunião de Desobsessão Reunião de desobsessão: oásis de refazimento espiritual. Pronto-socorro de espíritos sofredores. Hospital de amor para os doentes da alma. O aposento destinado à reunião de desobsessão é, dentro do Templo Espírita, o local onde são medicadas, mais diretamente, as almas.
  • 39. Muitos pensam, erroneamente, que no Centro Espírita se verão livres de todos os males. De modo geral, quando recorrem aos Centros, trazem o pensamento preconcebido de que todos os seus problemas serão ali resolvidos, como por encanto. Julgam que, pelo fato de buscar auxílio espiritual, passam de imediato toda a responsabilidade de seu tratamento para os Espíritos e para os espíritas. Fazem como quem traz um grande e pesado fardo, que aluam de seus próprios ombros, na tentativa de entrega-lo totalmente aos Guias e médiuns. Aos primeiros sinais de que seus problemas não estão sendo resolvidos com a presteza que imaginavam, desiludem-se e vão buscar ajuda em outra parte.
  • 40. APOMETRIA A nossa tarefa é de iluminar, não é de eliminar. O espírito mau, perverso, cruel é nosso irmão na ignorância". A rigor, o uso de energia para afastar obsessores, sem a necessária reforma íntima, indispensável à libertação real dos envolvidos nos dramas obsessivos, contradiz os princípios básicos do Espiritismo, pois, o simples afastamento das entidades rancorosas não resolve a questão. Por essa razão, a apometria, especialmente por suas leis e rituais, não é técnica que se enquadra nos princípios doutrinários espíritas, não sendo, portanto, uma prática recomendável na casa espírita.
  • 41. “O obsessor não deve ser arrancado à força ou expulso. Ele precisa ser convencido a abandonar seus propósitos e levado ao arrependimento.” Hermínio Miranda
  • 42. Terapia Médica Algumas pessoas têm a falsa ideia que a terapêutica médica e a terapêutica espírita estariam chocando uma contra a outra, quando fossem utilizadas no auxílio ao quadro obsessivo. A terapêutica desobsessiva deve sempre ser orientada tendo como base estes dois aspectos: a terapêutica espiritual e a terapêutica médica, pois a não utilização de uma delas pode levar a um tratamento ineficiente e incompleto. Como Espírito encarnado, possuindo Espírito, perispírito e corpo físico, o obsidiado terá alterações psíquicas e orgânicas variadas e importantes, desde o início do quadro e no decorrer do mesmo.
  • 43. “Reconciliai-vos o mais depressa com vosso adversário, enquanto estais com ele no caminho”
  • 44. VÁ E NÃO PEQUES MAIS... Jesus
  • 45. Bibliografia  Livro dos Espíritos;  O Evangelho Segundo o Espiritismo;  Diversidade dos Carismas, Hermínio Miranda;  Obsessão e desobsessão, Suely Caldas Schubert;  Análise do Livro dos Médiuns, feita por Ney Prieto Peres (Boletim MEDNESP n.º 2 – dezembro de 1992)