Técnicas de curativos

1.254 visualizações

Publicada em

Técnicas de Curativos

Publicada em: Negócios
0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.254
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
18
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
157
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Técnicas de curativos

  1. 1. INSTRUTORA: JOZIANE PIMENTEL TÉCNICA EM SEGURANÇA DO TRABALHO TÉCNICAS DE CURATIVOS E IMOBILIZAÇÕES .
  2. 2. QUEIMADURAS ACIDENTE PROVOCADO POR AGENTES QUÍMICOS, FÍSICOS E POR ELETRICIDADE LESANDO A PELE EM EXTENSÃO E PROFUNDIDADE
  3. 3. CLASSIFICAÇÃO DAS QUEIMADURAS QUEIMADURA DE 1º GRAU DOR; VERMELHIDÃO NO LOCAL
  4. 4. COMO PROCEDER resfrie imediatamente a área queimada com água fria corrente da torneira, por alguns minutos.
  5. 5. CLASSIFICAÇÃO DAS QUEIMADURAS QUEIMADURAS DE 2º GRAU Dor Vermelhidão Bolhas
  6. 6. COMO PROCEDER Abra a torneira resfrie imediatamente a área queimada com água fria corrente por 05 minutos (este procedimento é fundamental. Depois cubra a região da queimadura com gazes ou pano limpo. Isso vale para todos os tipos de queimaduras, A água resfria a pele e alivia a dor.
  7. 7. CLASSIFICAÇÃO DAS QUEIMADURAS Queimaduras de 3º Grau
  8. 8. Queimadura 3º grau Como Proceder Coloque a área queimada sobre a água corrente, pelo menos 05 minutos, não passe nada no local cubra com um pano limpo e transporte a vítima para um pronto socorro o mais rápido possível
  9. 9. CARACTERÍSTICAS – 3º GRAU Necrose dos tecidos; Carbonização; Formação de escaras; Ausência de dor no local da lesão Obs.: Queimaduras de 1º e 2º graus ao redor da lesão causa dor intensa para a vítima.
  10. 10. Regras Gerais • Cobrir o ferimento com compressa de gaze estéril ou plástico estéril. • Prevenir a hipotermia nas grandes queimaduras
  11. 11. O que nunca fazer! • Furar bolhas; • Remover vestes aderidas à queimadura; • Passar sobre a queimadura quaisquer tipos de substâncias; • Utilizar gelo sobre a queimadura; • Dar líquidos para a vítima beber.
  12. 12. QUEIMADURAS TÉRMICAS NOS OLHOS
  13. 13. PROCEDIMENTOS
  14. 14. QUEIMADURA QUÍMICA • Ácidos; • Álcalis; • Substâncias desconhecidas.
  15. 15. Como Proceder • Irrigar a área afetada em água corrente no mínimo: • 05 minutos para ácidos; • 15 minutos para álcalis ou produtos químicos desconhecidos
  16. 16. Queimaduras pelo Frio • Formação de bolhas.
  17. 17. Como Proceder • Separar os dedos com compressa de gaze seca; • Promover o aquecimento passivo envolvendo a lesão com gaze e atadura.
  18. 18. O que nunca fazer! Esfregar a área atingida; Efetuar aquecimento ativo da região afetada; Passar quaisquer substâncias não local da lesão.
  19. 19. Fraturas Fratura É a quebra de um osso causada por uma pancada muito forte, uma queda ou esmagamento. Há dois tipos de fraturas: as fechadas, que, apesar do choque, deixam a pele intacta, e as expostas, quando o osso fere e atravessa a pele. As fraturas expostas exigem cuidados especiais, portanto, cubra o local com um pano limpo ou gazes e procure socorro imediato. interna externa
  20. 20. O que não se deve fazer • Não movimente a vítima até imobilizar o local atingido. • Não dê qualquer alimento ao ferido, nem mesmo água. O que fazer • Solicite assistência médica, enquanto isso, mantenha a pessoa calma e aquecida. • Verifique se o ferimento não interrompeu a circulação sanguínea. • Imobilize o osso ou articulação atingido com uma tala. • Mantenha o local afetado em nível mais elevado que o resto do corpo e aplique compressas de gelo para diminuir o inchaço, a dor e a progressão do hematoma.
  21. 21. Improvise Improvise uma tala Amarre delicadamente o membro machucado (braços ou pernas) a uma superfície, como uma tábua, revista dobrada, vassoura ou outro objeto qualquer. Use tiras de pano, ataduras ou cintos, sem apertar muito para não dificultar a circulação sanguínea. Improvise uma tipoia Utilize um pedaço grande de tecido com as pontas presas ao redor do pescoço. Isto serve para sustentar um braço em casos de fratura de punho, antebraço, cotovelo, costelas ou clavícula. Só use a tipoia se o braço ferido puder ser flexionado sem dor ou se já estiver dobrado.
  22. 22. Imobilização Imobilização no cotovelo Tipos de bandagem
  23. 23. Braço imobilizado com apoio de uma bandagem triangular Imobilização do braço esticado com uma tala e quatro bandagens. Imobilização
  24. 24. Imobilização do braço dobrado com uma tala e quatro bandagens e uma bandagem de apoio. Imobilização com braço esticado e na posição encontrada, semi dobrado Imobilização
  25. 25. Imobilização Sequência de imobilização da mão e dedos
  26. 26. 2º Sequência de imobilização da mão com apoio de uma tipoia Imobilização do Ombro com bandagem triangular Imobilização
  27. 27. Imobilização Imobilização da mandíbula Imobilização da mandíbula inferior
  28. 28. Imobilização Imobilização no nariz Bandagem no tórax
  29. 29. Imobilização A imobilização na coluna cervical, é feita após ter aplicado técnicas de estabilização da coluna cervical e a colocação de um colar cervical conforme o tamanho da pessoa. Técnica para girar caso não haja respiração ou esteja com dificuldade de respirar
  30. 30. Imobilização Imobilização da bacia ou do fêmur Imobilização do pé ou tornozelo
  31. 31. Imobilização Imobilização da tíbia Imobilização do tornozelo
  32. 32. Entorses Entorse É a torção de uma articulação, com lesão dos ligamentos (estrutura que sustenta as articulações). Os cuidados são semelhantes aos da fratura fechada.
  33. 33. Como proceder/Entorses • Aplique gelo por 10 minutos, retire por 5 minutos e reaplique. Faça isso na primeira hora, se possível. • Comprima o tornozelo de modo que o inchaço não aumente. Use uma atadura limpa para enrolar em todo o peito do pé e sobre o osso do tornozelo, passando pela camada de gelo e a parte superior do pé. Fixe o curativo. Eleve o pé e o tornozelo inchado, pelo menos até o nível de seu quadril ou um pouco mais, se possível.
  34. 34. Luxações Luxação É o deslocamento de um ou mais ossos para fora da sua posição normal na articulação. Os primeiros socorros são também semelhantes aos da fratura fechada. Lembre-se de que não se deve fazer massagens na região, nem tentar recolocar o osso no lugar.
  35. 35. Como proceder/Luxação • A luxação deverá proceder como se fosse um caso de fratura, imobilizando a região lesada. • OBS; Os primeiros socorros em caso de luxação de ombro, no dedo, no joelho, no tornozelo, no pé ou de qualquer outra parte do corpo, são: • Não forçar o membro afetado • levá-la para o pronto socorro, pois requer um médico ortopedista para fazer o realinhamento da estrutura.
  36. 36. Contusões Contusão É uma área afetada por uma pancada ou queda sem ferimento externo. Pode apresentar sinais semelhantes aos da fratura fechada. Se o local estiver arroxeado, é sinal de que houve hemorragia sob a pele (hematoma).
  37. 37. Como Proceder/Contusão • Coloque uma bolsa de gelo Aplique uma bolsa de gelo envolta numa toalha de pano, por aproximadamente 30 minutos, na região afetada. Esse procedimento impede que ocorra um processo inflamatório exagerado, que pode atrapalhar na cicatrização da lesão
  38. 38. Técnicas de curativos Definição: é o tratamento de uma lesão aberta. - isolar o ferimento do exterior, impedindo a contaminação - proteger contra traumatismo externos, amortecendo os choques - absorver as secreções - facilitar a cicatrização
  39. 39. Cortes profundos • Lave as mãos com agua e sabão, coloque a pessoa deitada mantém o membro que estiver sangrando mais elevado que o resto do corpo. Pressione o local do sangramento com um pano limpo até estanca-los. Procure atendimento médico. Jamais aplique o torniquete.
  40. 40. Cortes na cabeça • Se houver formação de galos aplique gelo imediatamente • Lave as mãos com água e sabão, e com um pano umedecido em água filtrada limpe o sangue corrido pra identificar o local do corte, depois comprima com um pano seco ou gazes por 5 a 10 minutos. Para estancar a hemorragia.
  41. 41. Cortes e esfolamentos • Lavar as mãos com água e sabão para não levar germes para área afetada, se houver sangramento comprima com um pano limpo ou gazes até estanca-los. • Não coloque pomadas desinfetantes sobre o local. Não faça com algodão porque vai ficar grudado.
  42. 42. ESTANCAMENTO DE HEMORRAGIAS As hemorragias, ou simplesmente "sangramentos", ocorrem quando há a ruptura de vasos sanguíneos (capilares, veias ou artérias). Elas podem ser externas, quando a pele se rompe e, consequentemente, o sangue sai para o exterior do corpo; ou internas, quando o sangue, sem ter por onde sair, acumula-se em cavidades corporais.
  43. 43. HEMORRAGIAS INTERNAS • Quando não há abertura na pele, os sinais de hemorragia são: inchaço ou coloração anormal da pele, lábios pálidos, extremidades frias e brancas (em pessoas de pele escura, essa palidez pode ser vista sob as unhas), suores frios e pulso fraco e acelerado. A vítima também pode ficar agitada e nervosa.
  44. 44. NESTE CASO AJA ASSIM: • Enquanto espera o socorro, deixe a vítima deitada, com a cabeça em posição mais baixa que o resto do corpo. Procure alcamá -la e aplique compressas de gelo no peito e na barriga.
  45. 45. HEMORRAGIAS EXTERNAS • As hemorragias externas dividem-se em: arterial, venosa e capilar. • Nas hemorragias arteriais, o sangue é vermelho vivo, e a perda é pulsátil, obedecendo às contrações sistólicas do coração. Esse tipo de hemorragia é particularmente grave pela rapidez com que a perda de sangue se processa.
  46. 46. COMO PROCEDER • Deitar a vítima; • Cobrir o ferimento com gazes e pano limpo; • Pressionar o local com firmeza • Se o ferimento for nos membros, elevar o membro ferido; caso não aja controle, pressionar diretamente as artérias que nutrem o membro afetado.
  47. 47. FIM OBRIGADO A TODOS!!!

×