SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 57
Baixar para ler offline
JOJJ
PROF .ª JOZIANE BOTELHO PIMENTEL
TECNÓLOGA EM SEG DO TRABALHO E
GESTORA AMBIENTAL
INTRODUÇÃO
A execução de trabalhos
em altura expõe os
trabalhadores a riscos
elevados, particularmente
quedas, frequentemente com
consequências graves para os
sinistrados e que
representam uma
percentagem elevada de
acidentes de trabalho.
Este treinamento aborda conteúdos e
práticas relativos a operações e procedimentos
para reconhecimento, analise e prevenção de
risco associado ao trabalho em altura, bem
como inspeção e utilização de equipamentos
de proteção individual (EPI´s) e equipamentos
de proteção coletiva (EPC´s).
O Treinamento é pré-requiso para
iniciar atividades que exijam o trabalho em
altura em qualquer área.
DEFINI-SE TRABALHO EM ALTURA AQUELES QUE SÃO
EXECUTADOS A ALTURAS SUPERIORES A 2 (DOIS) METROS
(ANDAIMES, PLATAFORMAS, ESCADAS, ETC.) ASSIM COMO
AQUELES QUE SÃO REALIZADOS EM PROFUNDIDADE (POÇOS,
ESCAVAÇÕES,ETC.).
LEGISLAÇÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE
DO TRABALHO
Norma Regulamentadora Nº1
Disposições Gerais:
É obrigação do empregador de mostrar os riscos
existentes nas atividades dos funcionários e treinar
sobre as medidas preventivas que devem aplicar
para prevenir acidentes no desempenho do trabalho.
Devem divulgar obrigações e proibições que os
empregados devam cumprir e dar conhecimento aos
empregados de que serão passíveis de punição, pelo
descumprimento das normas de segurança e saúde
expedidas.
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
EPI é todo dispositivo de uso individual, para proteger a
saúde e a integridade física do trabalhador.
Só poderá ser comercializado e utilizado, se possuir o
Certificado de Aprovação - CA, expedido pelo MTE, nº que
consta no próprio equipamento.
Toda empresa é obrigada a fornecer aos empregados,
gratuitamente, EPI adequado ao risco e em perfeito
estado de conservação e funcionamento.
EP
EPI
&
EPC
NR-35 – Trabalho em Altura:
Esta Norma estabelece os requisitos
mínimos e as medidas de proteção
para o trabalho em altura, envolvendo
o planejamento, a organização e a
execução, de forma a garantir a
segurança e a saúde dos
trabalhadores envolvidos direta ou
indiretamente com esta atividade.
LEGISLAÇÃO DE SEGURANÇA E
SAÚDE DO TRABALHO
Todo trabalho em altura deverá ser planejado, organizado e
executado por trabalhador capacitado e autorizado
PLANEJAMENTO DO TRABALHO
 Procedimentos para atividades rotineiras
 Procedimentos para atividades não rotineiras
PLANEJAMENTO DO TRABALHO
No planejamento do trabalho devem ser adotadas as seguintes
medidas:
•Medidas para evitar o trabalho em altura, sempre que existir meio
alternativo de execução;
•Medidas que eliminem o risco de queda dos trabalhadores, na
impossibilidade de execução do trabalho de outra forma;
•Medidas que minimizem as conseqüências da queda, quando o risco de
queda não puder ser eliminado.
PLANEJAMENTO DO TRABALHO
ANÁLISE DE RISCO
Todo trabalho em altura deve ser
precedido de Análise de Risco.
ANÁLISE DE RISCO
AAnálise de Risco deve, além dos riscos inerentes ao trabalho em
altura, considerar:
O local em que os serviços serão executados e seu entorno;
O isolamento e a sinalização no entorno da área de trabalho;
A autorização dos envolvidos;
O estabelecimento dos pontos de ancoragem;
As condições meteorológicas adversas;
ANÁLISE DE RISCO
A seleção, inspeção, forma de utilização e limitação de uso
dos equipamentos de proteção coletiva e individual,
atendendo às normas técnicas vigentes, às orientações dos
fabricantes e aos princípios da redução do impacto e dos
fatores de queda;
O risco de queda de materiais e ferramentas;
Os trabalhos simultâneos que apresentem riscos
específicos;
ANÁLISE DE RISCO
O atendimento a requisitos de segurança e saúde contidos nas
demais normas regulamentadoras;
Os riscos adicionais;
As condições impeditivas;
As situações de emergência e o planejamento do resgate e
primeiros socorros, de forma a reduzir o tempo da suspensão inerte
do trabalhador;
A necessidade de sistema de comunicação.
ANÁLISE DE RISCO
PRINCIPAIS RISCOS NO TRABALHO EM ALTURA
•Queda em altura
•Queda de objetos
•Choque com objetos no trajeto subida / decida
•Choques elétricos
PRINCIPAIS ÁREAS COM GRANDE RISCO DE QUEDA
- coberturas - rampas silos / reservatórios - plataformas móveis - coletivo / individual
- torres / chaminés - galerias / tanques - pontes-rolantes / sacadas
PRINCIPAIS ÁREAS COM GRANDE RISCO DE QUEDA
horizontal + vertical
caminhões / vagões
- indústria petroquímica
PRINCIPAIS CAUSAS DAS QUEDAS
Perda de equilíbrio do trabalhador à beira do espaço, sem proteção
(Escorregão, passo em falso etc.)
Falta de proteção (Equipamento de Proteção Individual – EPI e/ou
Equipamento de Proteção coletiva – EPC).
PRINCIPAIS CAUSAS DAS QUEDAS
•Falha de uma instalação ou de um dispositivo de proteção (Quebra de
suporte ou ruptura de cabo de aço)
Método impróprio de Trabalho
PRINCIPAIS CAUSAS DAS QUEDAS
•Contato acidental com condutor ou massa sob tensão elétrica
•Trabalhador não apto ao trabalho em altura (problemas de saúde e/ou
falta de treinamento).
PERMISSÃO DE TRABALHO
A PT – Permissão de Trabalho, é um documento
destinado à liberação de trabalhos que envolvam
riscos para os executantes e para a empresa. Este
documento é uma ferramenta de prevenção, que visa
identificar e avaliar previamente os riscos dos
trabalhos a serem executados com potencial risco de
provocar danos as pessoas e/ou a propriedade.
PERMISSÃO DE TRABALHO
A permissão de Trabalho em altura deve:
a) Ser emitida em três vias, respectivamente
b) Disponível no local de trabalho;
c) Entregue ao responsável pela autorização da
permissão;
d) Arquivada;
PERMISSÃO DE TRABALHO
d) Conter os requisitos mínimos a serem atendidos para a
execução dos trabalhos e as disposições e medidas
estabelecidas na Análise de Risco;
e) Conter a relação de todos os envolvidos e suas autorizações;
f) Ser assinada pelo responsável pela autorização da
permissão;
g) Ter validade limitada à duração da atividade, restrita ao
turno de trabalho, podendo ser revalidada pelo responsável
pela autorização nas situações em que não ocorra mudanças
nas condições estabelecidas ou na equipe de trabalho;
h) Encerrada após o término da atividade e organizada de
forma a permitir sua rastreabilidade.
MEDIDAS DE CONTROLE
Exame médico;
Condições físicas;
Condições técnicas;
Condições ambientais;
Alimentação;
MEDIDAS DE PROTEÇÃO E PREVENÇÃO DE QUEDAS EM ALTURA
ASO
Eletrocardiograma
Eletroencefalograma
Glicose
Hemograma completo
Acuidade Visual
Exames médicos necessários para o trabalho em altura:
MEDIDAS DE PROTEÇÃO E PREVENÇÃO DE QUEDAS EM ALTURA
•Redução do tempo de exposição
•Impedir a queda
•Limitar a queda
•Proteção Individual
A prevenção de quedas deve considerar os seguintes
fatores:
SISTEMAS DE PROTEÇÃO COLETIVA PARA
PREVENÇÃO DE QUEDAS
É obrigatória a instalação de
proteção coletiva onde houver risco de
queda de trabalhadores ou de projeção
de materiais.
SISTEMAS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PARA PREVENÇÃO DE QUEDAS
Um sistema contra queda de altura é composto por:
Equipamentos de Proteção Individual
Usar sempre o equipamento de proteção individual
adequado é uma medida eficaz de proteção
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO
INDIVIDUAL - EPI
EPI – todo dispositivo de uso individual,
destinado a proteger a saúde e integridade
física do trabalhador.
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO
INDIVIDUAL - EPI
Toda empresa é obrigada a fornecer aos
empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco
e em perfeito estado de conservação e
funcionamento.
OBRIGATORIEDADE:
 O uso de EPI é obrigatório nas seguintes
circunstâncias:
 Sempre que as medidas de proteção coletiva forem
tecnicamente inviáveis ou não oferecerem
completa proteção contra os riscos de acidentes do
trabalho e/ou de doenças profissionais e do
trabalho;
 Enquanto as medidas de proteção coletiva
estiverem sendo implantadas;
 Para atender as situações de emergência.
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO
INDIVIDUAL - EPI
LEGISLAÇÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE
DO TRABALHO
Obriga-se o empregador,
quanto ao EPI, a:
a) adquirir o tipo adequado à
atividade do empregado;
b) treinar o trabalhador sobre o
seu uso adequado e tornar
seu uso obrigatório;
c) substituí-lo quando
danificado ou extraviado,
higienizá-lo e fazer sua
manutenção;
LEGISLAÇÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE
DO TRABALHO
Obriga-se o empregado, quanto ao
EPI, a:
a) usá-lo p/ o fim a que se destina
e responsabilizar-se por sua
guarda e conservação;
b) comunicar o empregador
alterações que torne seu uso
impróprio.
EPI PARA PROTEÇÃO CONTRA QUEDAS COM
DIFERENÇA DE NÍVEL
Os EPI´s devem ser escolhidos adequados aos
riscos pré identificados, levando em
consideração os seguintes aspectos:
 Tempo de exposição ao risco;
 Frequência;
 Gravidade;
 Condições do local de trabalho e seu entorno;
 Tipos de Danos possíveis ao trabalhador;
 Estrutura Física do Trabalhador (Tamanho 1 e 2)
SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA
Toda área de trabalho, deve ser isolada com a
utilização de: placas, cavaletes, cones, correntes,
etc.
RESPONSABILIDADES
RESPONSABILIDADE DO EMPREGADOR EM
RELAÇÃO AO TRABALHO EM ALTURA
Cabe aos trabalhadores:
a) Colaborar com o empregador na implementação das disposições contidas na
norma em vigor;
b) Interromper imediatamente o trabalho, informando ao superior hierárquico,
em caso de qualquer situação ou condição de risco não prevista, cuja
eliminação ou neutralização imediata não seja possível;
c) Zelar pela sua segurança e saúde e a de outras pessoas que possam ser
afetadas por suas ações ou omissões no trabalho.
RESPONSABILIDADES
QUEM REALIZA TRABALHO EM ALTURA
Deve conhecer e respeitar os riscos e normas de segurança
relativas ao seu trabalho.
Deve utilizar todas as técnicas corretas na execução de suas
atividades.
Verificar diariamente a existência de EPI´s e se os mesmos
encontram-se em bom estado.
É cuidadoso, prudente e verifica o estado dos equipamentos.
O responsável junto com o trabalhador pela atividade, deve
fazer uma minuciosa analise das condições dos trabalhos que
serão realizados, tomando as medidas necessárias para que
ocorram com total segurança para eles e para com terceiros.
APONTE O ERRO????????
O que há de errado ????
O que acha disso?
O que há de errado ????
O que há de errado ???
JOZIANE BOTELHO PIMENTEL
TÉC EM SEG TRABALHO
GESTORAAMBIEL
ESP EM AGRONEGÓCIO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Treinamento betoneira
Treinamento betoneiraTreinamento betoneira
Treinamento betoneirarafaele123
 
Treinamento betoneira
Treinamento betoneiraTreinamento betoneira
Treinamento betoneirarafaele123
 
Trabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e II
Trabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e IITrabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e II
Trabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e IIClaudio Cesar Pontes ن
 
treinamento nr 18
treinamento nr 18treinamento nr 18
treinamento nr 18pwolter
 
Trabalho em altura nr 35
Trabalho em altura   nr 35Trabalho em altura   nr 35
Trabalho em altura nr 35Josiel Leite
 
Nr 12 Maquinas e Equipamento Resumo
Nr 12 Maquinas e Equipamento ResumoNr 12 Maquinas e Equipamento Resumo
Nr 12 Maquinas e Equipamento ResumoMariana Lima
 
Treinamento NR 12.pptx
Treinamento NR 12.pptxTreinamento NR 12.pptx
Treinamento NR 12.pptxbreno90
 
Trabalho em altura nr 35 (treinamento)
Trabalho em altura   nr 35 (treinamento)Trabalho em altura   nr 35 (treinamento)
Trabalho em altura nr 35 (treinamento)Bruno Monteiro
 
Treinamento de NR 11 para Movimentação de Cargas.pdf (1).pdf
Treinamento de NR 11 para Movimentação de Cargas.pdf (1).pdfTreinamento de NR 11 para Movimentação de Cargas.pdf (1).pdf
Treinamento de NR 11 para Movimentação de Cargas.pdf (1).pdfAndrerlSiqueira
 
Modelo de PTE (Permissão para trabalho especial)
Modelo de PTE (Permissão para trabalho especial)Modelo de PTE (Permissão para trabalho especial)
Modelo de PTE (Permissão para trabalho especial)Ane Costa
 
Segurança e Saúde no Transporte, Movimentação e Armazenagem de Materiais - NR 11
Segurança e Saúde no Transporte, Movimentação e Armazenagem de Materiais - NR 11Segurança e Saúde no Transporte, Movimentação e Armazenagem de Materiais - NR 11
Segurança e Saúde no Transporte, Movimentação e Armazenagem de Materiais - NR 11GAC CURSOS ONLINE
 

Mais procurados (20)

Treinamento betoneira
Treinamento betoneiraTreinamento betoneira
Treinamento betoneira
 
Treinamento betoneira
Treinamento betoneiraTreinamento betoneira
Treinamento betoneira
 
Trabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e II
Trabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e IITrabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e II
Trabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e II
 
Nr 18 Segurança na Industria da Construção
Nr 18 Segurança na Industria da Construção Nr 18 Segurança na Industria da Construção
Nr 18 Segurança na Industria da Construção
 
Treinamento nr 12
Treinamento nr 12Treinamento nr 12
Treinamento nr 12
 
treinamento nr 18
treinamento nr 18treinamento nr 18
treinamento nr 18
 
Integração de Segurança
Integração de SegurançaIntegração de Segurança
Integração de Segurança
 
Nr18
Nr18Nr18
Nr18
 
DDS nr-18
DDS nr-18DDS nr-18
DDS nr-18
 
Trabalho em altura nr 35
Trabalho em altura   nr 35Trabalho em altura   nr 35
Trabalho em altura nr 35
 
Nr 12 Maquinas e Equipamento Resumo
Nr 12 Maquinas e Equipamento ResumoNr 12 Maquinas e Equipamento Resumo
Nr 12 Maquinas e Equipamento Resumo
 
Nr 35 protemar
Nr 35 protemarNr 35 protemar
Nr 35 protemar
 
Nr 20
Nr 20 Nr 20
Nr 20
 
Treinamento NR 12.pptx
Treinamento NR 12.pptxTreinamento NR 12.pptx
Treinamento NR 12.pptx
 
Trabalho em altura nr 35 (treinamento)
Trabalho em altura   nr 35 (treinamento)Trabalho em altura   nr 35 (treinamento)
Trabalho em altura nr 35 (treinamento)
 
Nr33
Nr33Nr33
Nr33
 
Treinamento de NR 11 para Movimentação de Cargas.pdf (1).pdf
Treinamento de NR 11 para Movimentação de Cargas.pdf (1).pdfTreinamento de NR 11 para Movimentação de Cargas.pdf (1).pdf
Treinamento de NR 11 para Movimentação de Cargas.pdf (1).pdf
 
Treinamento pta
Treinamento ptaTreinamento pta
Treinamento pta
 
Modelo de PTE (Permissão para trabalho especial)
Modelo de PTE (Permissão para trabalho especial)Modelo de PTE (Permissão para trabalho especial)
Modelo de PTE (Permissão para trabalho especial)
 
Segurança e Saúde no Transporte, Movimentação e Armazenagem de Materiais - NR 11
Segurança e Saúde no Transporte, Movimentação e Armazenagem de Materiais - NR 11Segurança e Saúde no Transporte, Movimentação e Armazenagem de Materiais - NR 11
Segurança e Saúde no Transporte, Movimentação e Armazenagem de Materiais - NR 11
 

Semelhante a Trabalho em altura nr 35

NR 35 Trabalho em Altura
NR 35 Trabalho em AlturaNR 35 Trabalho em Altura
NR 35 Trabalho em AlturaHelitonCosta2
 
Trabalho em altura FI ENGENHARIA
Trabalho em altura FI ENGENHARIATrabalho em altura FI ENGENHARIA
Trabalho em altura FI ENGENHARIARenan Biscaglia
 
Apresentação elcoeste
Apresentação elcoesteApresentação elcoeste
Apresentação elcoesteMiguel_S
 
Trabalho em altura escrevendo....
Trabalho em altura  escrevendo....Trabalho em altura  escrevendo....
Trabalho em altura escrevendo....Roberta Soares
 
Trabalho em altura escrevendo....
Trabalho em altura  escrevendo....Trabalho em altura  escrevendo....
Trabalho em altura escrevendo....Roberta Soares
 
TREINAMENTO NR 35.HKKMKKJKLHGUJBUJGBJHJH
TREINAMENTO NR 35.HKKMKKJKLHGUJBUJGBJHJHTREINAMENTO NR 35.HKKMKKJKLHGUJBUJGBJHJH
TREINAMENTO NR 35.HKKMKKJKLHGUJBUJGBJHJHdanielasouzadegodoib
 
Segurança do Trabalho nwn
Segurança do Trabalho nwnSegurança do Trabalho nwn
Segurança do Trabalho nwnNestor Neto
 
Trabalho em altura nr 35
Trabalho em altura   nr 35Trabalho em altura   nr 35
Trabalho em altura nr 35Joaogc
 
Treinamento NR 35 - Trabalho em Altura (2).pptx
Treinamento NR 35 - Trabalho em Altura (2).pptxTreinamento NR 35 - Trabalho em Altura (2).pptx
Treinamento NR 35 - Trabalho em Altura (2).pptxcristianjordan82
 
NR 35 TREINAMENTO TRABALHO EM ALTURA- ALUSA.pdf
NR 35 TREINAMENTO TRABALHO EM ALTURA- ALUSA.pdfNR 35 TREINAMENTO TRABALHO EM ALTURA- ALUSA.pdf
NR 35 TREINAMENTO TRABALHO EM ALTURA- ALUSA.pdfandrikazi
 
Treinamento-NR-35.pptx
Treinamento-NR-35.pptxTreinamento-NR-35.pptx
Treinamento-NR-35.pptxaureliofaria41
 
Trabalho em altura nr 35
Trabalho em altura nr 35Trabalho em altura nr 35
Trabalho em altura nr 35Naldo San
 
cursodetrabalhoemaltura-nr35-portariasitn313de23demarode2012-120919062729-php...
cursodetrabalhoemaltura-nr35-portariasitn313de23demarode2012-120919062729-php...cursodetrabalhoemaltura-nr35-portariasitn313de23demarode2012-120919062729-php...
cursodetrabalhoemaltura-nr35-portariasitn313de23demarode2012-120919062729-php...RivaTstFerraresi
 
Cursodetrabalhoemaltura nr35-portariasitn313de23demarode2012-120919062729-php...
Cursodetrabalhoemaltura nr35-portariasitn313de23demarode2012-120919062729-php...Cursodetrabalhoemaltura nr35-portariasitn313de23demarode2012-120919062729-php...
Cursodetrabalhoemaltura nr35-portariasitn313de23demarode2012-120919062729-php...Andre Cruz
 

Semelhante a Trabalho em altura nr 35 (20)

trabalho em altura.pptx
trabalho em altura.pptxtrabalho em altura.pptx
trabalho em altura.pptx
 
NR 35 Trabalho em Altura
NR 35 Trabalho em AlturaNR 35 Trabalho em Altura
NR 35 Trabalho em Altura
 
Trabalho em altura FI ENGENHARIA
Trabalho em altura FI ENGENHARIATrabalho em altura FI ENGENHARIA
Trabalho em altura FI ENGENHARIA
 
NR 35- TRABALHO EM ALTURA
NR 35- TRABALHO EM ALTURANR 35- TRABALHO EM ALTURA
NR 35- TRABALHO EM ALTURA
 
Apresentação elcoeste
Apresentação elcoesteApresentação elcoeste
Apresentação elcoeste
 
Trabalho em altura escrevendo....
Trabalho em altura  escrevendo....Trabalho em altura  escrevendo....
Trabalho em altura escrevendo....
 
Trabalho em altura escrevendo....
Trabalho em altura  escrevendo....Trabalho em altura  escrevendo....
Trabalho em altura escrevendo....
 
Trabalho em altura1
Trabalho em altura1Trabalho em altura1
Trabalho em altura1
 
CAPACITAÇÃO NR35 - Denis.pptx
CAPACITAÇÃO NR35 - Denis.pptxCAPACITAÇÃO NR35 - Denis.pptx
CAPACITAÇÃO NR35 - Denis.pptx
 
TREINAMENTO NR 35.HKKMKKJKLHGUJBUJGBJHJH
TREINAMENTO NR 35.HKKMKKJKLHGUJBUJGBJHJHTREINAMENTO NR 35.HKKMKKJKLHGUJBUJGBJHJH
TREINAMENTO NR 35.HKKMKKJKLHGUJBUJGBJHJH
 
Segurança do Trabalho nwn
Segurança do Trabalho nwnSegurança do Trabalho nwn
Segurança do Trabalho nwn
 
Trabalho em altura nr 35
Trabalho em altura   nr 35Trabalho em altura   nr 35
Trabalho em altura nr 35
 
Treinamento NR 35 - Trabalho em Altura (2).pptx
Treinamento NR 35 - Trabalho em Altura (2).pptxTreinamento NR 35 - Trabalho em Altura (2).pptx
Treinamento NR 35 - Trabalho em Altura (2).pptx
 
TRABALHO EM ALTURA.pdf
TRABALHO EM ALTURA.pdfTRABALHO EM ALTURA.pdf
TRABALHO EM ALTURA.pdf
 
NR 35 TREINAMENTO TRABALHO EM ALTURA- ALUSA.pdf
NR 35 TREINAMENTO TRABALHO EM ALTURA- ALUSA.pdfNR 35 TREINAMENTO TRABALHO EM ALTURA- ALUSA.pdf
NR 35 TREINAMENTO TRABALHO EM ALTURA- ALUSA.pdf
 
Treinamento-NR-35.pptx
Treinamento-NR-35.pptxTreinamento-NR-35.pptx
Treinamento-NR-35.pptx
 
Trabalho em altura nr 35
Trabalho em altura nr 35Trabalho em altura nr 35
Trabalho em altura nr 35
 
cursodetrabalhoemaltura-nr35-portariasitn313de23demarode2012-120919062729-php...
cursodetrabalhoemaltura-nr35-portariasitn313de23demarode2012-120919062729-php...cursodetrabalhoemaltura-nr35-portariasitn313de23demarode2012-120919062729-php...
cursodetrabalhoemaltura-nr35-portariasitn313de23demarode2012-120919062729-php...
 
Cursodetrabalhoemaltura nr35-portariasitn313de23demarode2012-120919062729-php...
Cursodetrabalhoemaltura nr35-portariasitn313de23demarode2012-120919062729-php...Cursodetrabalhoemaltura nr35-portariasitn313de23demarode2012-120919062729-php...
Cursodetrabalhoemaltura nr35-portariasitn313de23demarode2012-120919062729-php...
 
Trabalho em altura
Trabalho em alturaTrabalho em altura
Trabalho em altura
 

Mais de Joziane Pimentel

PÓS GRADUAÇÃO EM RECURSOS HUMANOS AULA ATIVIDADE COACHING E PLANEJAMENTO DE C...
PÓS GRADUAÇÃO EM RECURSOS HUMANOS AULA ATIVIDADE COACHING E PLANEJAMENTO DE C...PÓS GRADUAÇÃO EM RECURSOS HUMANOS AULA ATIVIDADE COACHING E PLANEJAMENTO DE C...
PÓS GRADUAÇÃO EM RECURSOS HUMANOS AULA ATIVIDADE COACHING E PLANEJAMENTO DE C...Joziane Pimentel
 
AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS
AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS
AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS Joziane Pimentel
 
PPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS
PPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAISPPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS
PPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAISJoziane Pimentel
 
Check list retro escavadeira
Check list  retro escavadeiraCheck list  retro escavadeira
Check list retro escavadeiraJoziane Pimentel
 
DIPLOMA PÓS GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL
DIPLOMA PÓS GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIPLOMA PÓS GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL
DIPLOMA PÓS GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL Joziane Pimentel
 
Treinamento de Segurança do Trabalho Uruaçu Go
Treinamento  de Segurança do Trabalho Uruaçu GoTreinamento  de Segurança do Trabalho Uruaçu Go
Treinamento de Segurança do Trabalho Uruaçu GoJoziane Pimentel
 
Monografia pós graduação em agronegócio unopar (aprovada)
Monografia pós graduação em agronegócio unopar (aprovada)Monografia pós graduação em agronegócio unopar (aprovada)
Monografia pós graduação em agronegócio unopar (aprovada)Joziane Pimentel
 
Plano de ensino seg do trabalho nr 06 e nr 18
Plano de ensino seg do trabalho nr 06 e nr 18Plano de ensino seg do trabalho nr 06 e nr 18
Plano de ensino seg do trabalho nr 06 e nr 18Joziane Pimentel
 

Mais de Joziane Pimentel (12)

PÓS GRADUAÇÃO EM RECURSOS HUMANOS AULA ATIVIDADE COACHING E PLANEJAMENTO DE C...
PÓS GRADUAÇÃO EM RECURSOS HUMANOS AULA ATIVIDADE COACHING E PLANEJAMENTO DE C...PÓS GRADUAÇÃO EM RECURSOS HUMANOS AULA ATIVIDADE COACHING E PLANEJAMENTO DE C...
PÓS GRADUAÇÃO EM RECURSOS HUMANOS AULA ATIVIDADE COACHING E PLANEJAMENTO DE C...
 
AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS
AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS
AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS
 
PPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS
PPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAISPPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS
PPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS
 
Check list retro escavadeira
Check list  retro escavadeiraCheck list  retro escavadeira
Check list retro escavadeira
 
DIPLOMA PÓS GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL
DIPLOMA PÓS GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIPLOMA PÓS GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL
DIPLOMA PÓS GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL
 
DIABETES
DIABETESDIABETES
DIABETES
 
ERGONOMIA
ERGONOMIA  ERGONOMIA
ERGONOMIA
 
Treinamento de Segurança do Trabalho Uruaçu Go
Treinamento  de Segurança do Trabalho Uruaçu GoTreinamento  de Segurança do Trabalho Uruaçu Go
Treinamento de Segurança do Trabalho Uruaçu Go
 
Monografia pós graduação em agronegócio unopar (aprovada)
Monografia pós graduação em agronegócio unopar (aprovada)Monografia pós graduação em agronegócio unopar (aprovada)
Monografia pós graduação em agronegócio unopar (aprovada)
 
Plano de ensino seg do trabalho nr 06 e nr 18
Plano de ensino seg do trabalho nr 06 e nr 18Plano de ensino seg do trabalho nr 06 e nr 18
Plano de ensino seg do trabalho nr 06 e nr 18
 
1º socorros
1º socorros1º socorros
1º socorros
 
Técnicas de curativos
Técnicas de curativosTécnicas de curativos
Técnicas de curativos
 

Último

DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxalessandraoliveira324
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxrenatacolbeich1
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024SamiraMiresVieiradeM
 

Último (20)

DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
 

Trabalho em altura nr 35

  • 1. JOJJ PROF .ª JOZIANE BOTELHO PIMENTEL TECNÓLOGA EM SEG DO TRABALHO E GESTORA AMBIENTAL
  • 2. INTRODUÇÃO A execução de trabalhos em altura expõe os trabalhadores a riscos elevados, particularmente quedas, frequentemente com consequências graves para os sinistrados e que representam uma percentagem elevada de acidentes de trabalho.
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12. Este treinamento aborda conteúdos e práticas relativos a operações e procedimentos para reconhecimento, analise e prevenção de risco associado ao trabalho em altura, bem como inspeção e utilização de equipamentos de proteção individual (EPI´s) e equipamentos de proteção coletiva (EPC´s). O Treinamento é pré-requiso para iniciar atividades que exijam o trabalho em altura em qualquer área.
  • 13. DEFINI-SE TRABALHO EM ALTURA AQUELES QUE SÃO EXECUTADOS A ALTURAS SUPERIORES A 2 (DOIS) METROS (ANDAIMES, PLATAFORMAS, ESCADAS, ETC.) ASSIM COMO AQUELES QUE SÃO REALIZADOS EM PROFUNDIDADE (POÇOS, ESCAVAÇÕES,ETC.).
  • 14. LEGISLAÇÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO Norma Regulamentadora Nº1 Disposições Gerais: É obrigação do empregador de mostrar os riscos existentes nas atividades dos funcionários e treinar sobre as medidas preventivas que devem aplicar para prevenir acidentes no desempenho do trabalho. Devem divulgar obrigações e proibições que os empregados devam cumprir e dar conhecimento aos empregados de que serão passíveis de punição, pelo descumprimento das normas de segurança e saúde expedidas.
  • 15. EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL EPI é todo dispositivo de uso individual, para proteger a saúde e a integridade física do trabalhador. Só poderá ser comercializado e utilizado, se possuir o Certificado de Aprovação - CA, expedido pelo MTE, nº que consta no próprio equipamento. Toda empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco e em perfeito estado de conservação e funcionamento.
  • 16.
  • 18. NR-35 – Trabalho em Altura: Esta Norma estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura, envolvendo o planejamento, a organização e a execução, de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores envolvidos direta ou indiretamente com esta atividade. LEGISLAÇÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO
  • 19. Todo trabalho em altura deverá ser planejado, organizado e executado por trabalhador capacitado e autorizado PLANEJAMENTO DO TRABALHO
  • 20.  Procedimentos para atividades rotineiras  Procedimentos para atividades não rotineiras PLANEJAMENTO DO TRABALHO
  • 21. No planejamento do trabalho devem ser adotadas as seguintes medidas: •Medidas para evitar o trabalho em altura, sempre que existir meio alternativo de execução; •Medidas que eliminem o risco de queda dos trabalhadores, na impossibilidade de execução do trabalho de outra forma; •Medidas que minimizem as conseqüências da queda, quando o risco de queda não puder ser eliminado. PLANEJAMENTO DO TRABALHO
  • 22. ANÁLISE DE RISCO Todo trabalho em altura deve ser precedido de Análise de Risco.
  • 23. ANÁLISE DE RISCO AAnálise de Risco deve, além dos riscos inerentes ao trabalho em altura, considerar: O local em que os serviços serão executados e seu entorno; O isolamento e a sinalização no entorno da área de trabalho; A autorização dos envolvidos; O estabelecimento dos pontos de ancoragem; As condições meteorológicas adversas;
  • 24. ANÁLISE DE RISCO A seleção, inspeção, forma de utilização e limitação de uso dos equipamentos de proteção coletiva e individual, atendendo às normas técnicas vigentes, às orientações dos fabricantes e aos princípios da redução do impacto e dos fatores de queda; O risco de queda de materiais e ferramentas; Os trabalhos simultâneos que apresentem riscos específicos;
  • 25. ANÁLISE DE RISCO O atendimento a requisitos de segurança e saúde contidos nas demais normas regulamentadoras; Os riscos adicionais; As condições impeditivas; As situações de emergência e o planejamento do resgate e primeiros socorros, de forma a reduzir o tempo da suspensão inerte do trabalhador; A necessidade de sistema de comunicação.
  • 26. ANÁLISE DE RISCO PRINCIPAIS RISCOS NO TRABALHO EM ALTURA •Queda em altura •Queda de objetos •Choque com objetos no trajeto subida / decida •Choques elétricos
  • 27. PRINCIPAIS ÁREAS COM GRANDE RISCO DE QUEDA - coberturas - rampas silos / reservatórios - plataformas móveis - coletivo / individual - torres / chaminés - galerias / tanques - pontes-rolantes / sacadas
  • 28. PRINCIPAIS ÁREAS COM GRANDE RISCO DE QUEDA horizontal + vertical caminhões / vagões - indústria petroquímica
  • 29. PRINCIPAIS CAUSAS DAS QUEDAS Perda de equilíbrio do trabalhador à beira do espaço, sem proteção (Escorregão, passo em falso etc.) Falta de proteção (Equipamento de Proteção Individual – EPI e/ou Equipamento de Proteção coletiva – EPC).
  • 30. PRINCIPAIS CAUSAS DAS QUEDAS •Falha de uma instalação ou de um dispositivo de proteção (Quebra de suporte ou ruptura de cabo de aço) Método impróprio de Trabalho
  • 31. PRINCIPAIS CAUSAS DAS QUEDAS •Contato acidental com condutor ou massa sob tensão elétrica •Trabalhador não apto ao trabalho em altura (problemas de saúde e/ou falta de treinamento).
  • 32. PERMISSÃO DE TRABALHO A PT – Permissão de Trabalho, é um documento destinado à liberação de trabalhos que envolvam riscos para os executantes e para a empresa. Este documento é uma ferramenta de prevenção, que visa identificar e avaliar previamente os riscos dos trabalhos a serem executados com potencial risco de provocar danos as pessoas e/ou a propriedade.
  • 33. PERMISSÃO DE TRABALHO A permissão de Trabalho em altura deve: a) Ser emitida em três vias, respectivamente b) Disponível no local de trabalho; c) Entregue ao responsável pela autorização da permissão; d) Arquivada;
  • 34. PERMISSÃO DE TRABALHO d) Conter os requisitos mínimos a serem atendidos para a execução dos trabalhos e as disposições e medidas estabelecidas na Análise de Risco; e) Conter a relação de todos os envolvidos e suas autorizações; f) Ser assinada pelo responsável pela autorização da permissão; g) Ter validade limitada à duração da atividade, restrita ao turno de trabalho, podendo ser revalidada pelo responsável pela autorização nas situações em que não ocorra mudanças nas condições estabelecidas ou na equipe de trabalho; h) Encerrada após o término da atividade e organizada de forma a permitir sua rastreabilidade.
  • 35. MEDIDAS DE CONTROLE Exame médico; Condições físicas; Condições técnicas; Condições ambientais; Alimentação;
  • 36. MEDIDAS DE PROTEÇÃO E PREVENÇÃO DE QUEDAS EM ALTURA ASO Eletrocardiograma Eletroencefalograma Glicose Hemograma completo Acuidade Visual Exames médicos necessários para o trabalho em altura:
  • 37. MEDIDAS DE PROTEÇÃO E PREVENÇÃO DE QUEDAS EM ALTURA •Redução do tempo de exposição •Impedir a queda •Limitar a queda •Proteção Individual A prevenção de quedas deve considerar os seguintes fatores:
  • 38. SISTEMAS DE PROTEÇÃO COLETIVA PARA PREVENÇÃO DE QUEDAS É obrigatória a instalação de proteção coletiva onde houver risco de queda de trabalhadores ou de projeção de materiais.
  • 39. SISTEMAS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL PARA PREVENÇÃO DE QUEDAS Um sistema contra queda de altura é composto por:
  • 40. Equipamentos de Proteção Individual Usar sempre o equipamento de proteção individual adequado é uma medida eficaz de proteção
  • 41. EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI EPI – todo dispositivo de uso individual, destinado a proteger a saúde e integridade física do trabalhador.
  • 42. EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Toda empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco e em perfeito estado de conservação e funcionamento.
  • 43. OBRIGATORIEDADE:  O uso de EPI é obrigatório nas seguintes circunstâncias:  Sempre que as medidas de proteção coletiva forem tecnicamente inviáveis ou não oferecerem completa proteção contra os riscos de acidentes do trabalho e/ou de doenças profissionais e do trabalho;  Enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas;  Para atender as situações de emergência. EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI
  • 44. LEGISLAÇÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO Obriga-se o empregador, quanto ao EPI, a: a) adquirir o tipo adequado à atividade do empregado; b) treinar o trabalhador sobre o seu uso adequado e tornar seu uso obrigatório; c) substituí-lo quando danificado ou extraviado, higienizá-lo e fazer sua manutenção;
  • 45. LEGISLAÇÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO Obriga-se o empregado, quanto ao EPI, a: a) usá-lo p/ o fim a que se destina e responsabilizar-se por sua guarda e conservação; b) comunicar o empregador alterações que torne seu uso impróprio.
  • 46. EPI PARA PROTEÇÃO CONTRA QUEDAS COM DIFERENÇA DE NÍVEL Os EPI´s devem ser escolhidos adequados aos riscos pré identificados, levando em consideração os seguintes aspectos:  Tempo de exposição ao risco;  Frequência;  Gravidade;  Condições do local de trabalho e seu entorno;  Tipos de Danos possíveis ao trabalhador;  Estrutura Física do Trabalhador (Tamanho 1 e 2)
  • 47. SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA Toda área de trabalho, deve ser isolada com a utilização de: placas, cavaletes, cones, correntes, etc.
  • 48. RESPONSABILIDADES RESPONSABILIDADE DO EMPREGADOR EM RELAÇÃO AO TRABALHO EM ALTURA Cabe aos trabalhadores: a) Colaborar com o empregador na implementação das disposições contidas na norma em vigor; b) Interromper imediatamente o trabalho, informando ao superior hierárquico, em caso de qualquer situação ou condição de risco não prevista, cuja eliminação ou neutralização imediata não seja possível; c) Zelar pela sua segurança e saúde e a de outras pessoas que possam ser afetadas por suas ações ou omissões no trabalho.
  • 49. RESPONSABILIDADES QUEM REALIZA TRABALHO EM ALTURA Deve conhecer e respeitar os riscos e normas de segurança relativas ao seu trabalho. Deve utilizar todas as técnicas corretas na execução de suas atividades. Verificar diariamente a existência de EPI´s e se os mesmos encontram-se em bom estado. É cuidadoso, prudente e verifica o estado dos equipamentos. O responsável junto com o trabalhador pela atividade, deve fazer uma minuciosa analise das condições dos trabalhos que serão realizados, tomando as medidas necessárias para que ocorram com total segurança para eles e para com terceiros.
  • 51. O que há de errado ????
  • 52. O que acha disso?
  • 53. O que há de errado ????
  • 54. O que há de errado ???
  • 55.
  • 56.
  • 57. JOZIANE BOTELHO PIMENTEL TÉC EM SEG TRABALHO GESTORAAMBIEL ESP EM AGRONEGÓCIO