SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
VERSOS, SONS E RITMOS
MODERNOS
Rimas cruzadas, emparelhadas,
interpoladas, misturadas
Conforme o modo como as rimas se distribuem nos
versos, ao longo do poema, elas podem ser cruzadas (ou
alternadas), emparelhadas, interpoladas ou misturadas.
•Rimas cruzadas ou alternadas: como o nome diz, são aquelas
que aparecem de forma cruzada ou alternada entre os
versos.
•Rimas emparelhadas e interpoladas: as rimas emparelhadas
aparecem sempre juntas, enquanto as interpoladas ficam
nas extremidades da estrofe.
•Rimas misturadas: não apresentam uma organização fixa,
estando apenas dispostas na estrofe. Há ainda casos em
que os versos aparecem sem rimas. Denomina-se rima
perdida ou rima órfã.
Vês! Ninguém assistiu ao formidável A
Enterro de tua última quimera. B
Somente a Ingratidão - esta pantera - B
Foi tua companheira inseparável! A
Acostuma-te à lama que te espera! B
O Homem, que, nesta terra miserável, A
Mora, entre feras, sente inevitável A
Necessidade de também ser fera. B
Toma um fósforo. Acende teu cigarro! C
O beijo, amigo, é a véspera do escarro, C
A mão que afaga é a mesma que apedreja. D
Se a alguém causa inda pena a tua chaga, E
Apedreja essa mão vil que te afaga, E
Escarra nessa boca que te beija! D
1º QUARTETO
2º QUARTETO
1º TERCETO
2º TERCETO
VERSOS ÍNTIMOS
CIDADEZINHA QUALQUER
Carlos Drummond
ASSIMETRIA
VERSOS
Conforme as regras métricas e de versificação, e as rimas presentes nos
versos, os versos podem receber diferentes classificações.
• Regulares
São aqueles que obedecem às regras clássicas estabelecidas pela métrica,
determinando a posição das sílabas acentuadas, conforme o esquema rítmico.
Além disso, as rimas irão aparecer de forma regular.
• Brancos
Quando os versos obedecem às regras de metrificação e acentuação, mas
não apresentam rimas.
• Polimétricos
É o nome que se dá a um conjunto de versos regulares de tamanhos
diferentes.
• Livres
Os versos livres não obedecem a nenhuma regra pré-estabelecida quanto à
métrica, à acentuação ou à presença de rimas. Esse tipo de verso foi muito
utilizado no Modernismo, e desde então tem sido muito difundido. O ritmo é solto
e irregular, podendo variar conforme a leitura.
ESTROFES
Estrofe é o conjunto de versos. Geralmente, há uma linha em branco
antes e outra depois da estrofe, separando-a das demais partes do poema e
delimitando sua unidade.
Há estrofes de diferentes tamanhos, conforme o número de versos.
Assim, para cada tamanho de estrofe, temos um nome específico:
RIMAS
*Toante – apresenta semelhança somente na vogal
tônica, sem que a consoante ou as outras vogais
coincidam..
* Consoante – é aquela em que, desde a vogal tônica, há
semelhança de consoantes e vogais..
* Aguda – rimas de palavras oxítonas.
* Grave – rimas palavras paroxítonas.
* Esdrúxula – rimas de palavras paroxítonas.
* Ricas – rimas de palavras de classes gramaticais
distintas.
* Pobres –rimas de palavras de classes gramaticais iguais.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Para Estudar Metro Ritmo E Rima
Para Estudar Metro Ritmo E RimaPara Estudar Metro Ritmo E Rima
Para Estudar Metro Ritmo E Rima
 
Origem da língua portuguesa
Origem da língua portuguesaOrigem da língua portuguesa
Origem da língua portuguesa
 
Fatores de textualidade
Fatores de textualidade Fatores de textualidade
Fatores de textualidade
 
Poesia de 30
Poesia de 30Poesia de 30
Poesia de 30
 
Preposições
PreposiçõesPreposições
Preposições
 
Níveis de linguagem
Níveis de linguagemNíveis de linguagem
Níveis de linguagem
 
ColocaçãO Pronominal
ColocaçãO PronominalColocaçãO Pronominal
ColocaçãO Pronominal
 
Morte e Vida Severina - João Cabral de Melo Neto
Morte e Vida Severina - João Cabral de Melo NetoMorte e Vida Severina - João Cabral de Melo Neto
Morte e Vida Severina - João Cabral de Melo Neto
 
Aula de fonema
Aula de fonemaAula de fonema
Aula de fonema
 
Cronologia E CaracteríSticas Dos Movimentos LiteráRios
Cronologia E CaracteríSticas Dos Movimentos LiteráRiosCronologia E CaracteríSticas Dos Movimentos LiteráRios
Cronologia E CaracteríSticas Dos Movimentos LiteráRios
 
A poesia de carlos drummond de andrade
A poesia de carlos drummond de andradeA poesia de carlos drummond de andrade
A poesia de carlos drummond de andrade
 
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIASLITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
 
Linguagem verbal e não verbal aula 03
Linguagem verbal e não verbal   aula 03Linguagem verbal e não verbal   aula 03
Linguagem verbal e não verbal aula 03
 
Segunda geração modernista
Segunda geração modernistaSegunda geração modernista
Segunda geração modernista
 
Aula semântica
Aula   semânticaAula   semântica
Aula semântica
 
Manuel Bandeira
Manuel BandeiraManuel Bandeira
Manuel Bandeira
 
Figura de som
Figura de somFigura de som
Figura de som
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Verbos 1
Verbos 1Verbos 1
Verbos 1
 
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
 

Semelhante a Versos,sons e ritmos modernos

Semelhante a Versos,sons e ritmos modernos (20)

A métrica e a rima
A métrica e a rimaA métrica e a rima
A métrica e a rima
 
Versificação
VersificaçãoVersificação
Versificação
 
As formas literárias
As formas literáriasAs formas literárias
As formas literárias
 
O texto poetico2 (1)
O texto poetico2 (1)O texto poetico2 (1)
O texto poetico2 (1)
 
Noesdeversificao2
Noesdeversificao2Noesdeversificao2
Noesdeversificao2
 
Noções de versificação 2
Noções de versificação 2 Noções de versificação 2
Noções de versificação 2
 
Texto poético
Texto poéticoTexto poético
Texto poético
 
Versificação
VersificaçãoVersificação
Versificação
 
Elementos estruturais da poesia
Elementos estruturais da poesiaElementos estruturais da poesia
Elementos estruturais da poesia
 
Gênero Lírico
Gênero LíricoGênero Lírico
Gênero Lírico
 
Texto lírico
Texto líricoTexto lírico
Texto lírico
 
Poesia lírica
Poesia líricaPoesia lírica
Poesia lírica
 
Poesia 3
Poesia 3Poesia 3
Poesia 3
 
A estrutura dos poemas ensino fundamental 8 ano.pptx
A estrutura dos poemas ensino fundamental 8 ano.pptxA estrutura dos poemas ensino fundamental 8 ano.pptx
A estrutura dos poemas ensino fundamental 8 ano.pptx
 
Poema _ aula sobre poema.docx
Poema _ aula sobre poema.docxPoema _ aula sobre poema.docx
Poema _ aula sobre poema.docx
 
Clementina deusdete
Clementina deusdeteClementina deusdete
Clementina deusdete
 
A estrutura do texto poético
A estrutura do texto poéticoA estrutura do texto poético
A estrutura do texto poético
 
Oficina de cordel.pptx
Oficina de cordel.pptxOficina de cordel.pptx
Oficina de cordel.pptx
 
Linguagem poética e versificação
Linguagem poética e versificaçãoLinguagem poética e versificação
Linguagem poética e versificação
 
Versificacao
VersificacaoVersificacao
Versificacao
 

Mais de Viviane Calasans

DIA LETIVO TEMÁTICO - BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR
DIA LETIVO TEMÁTICO - BASE NACIONAL COMUM CURRICULARDIA LETIVO TEMÁTICO - BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR
DIA LETIVO TEMÁTICO - BASE NACIONAL COMUM CURRICULARViviane Calasans
 
"ENCONTRO COM MILTON SANTOS: O MUNDO VISTO DO LADO DE CÁ"
"ENCONTRO COM MILTON SANTOS: O MUNDO VISTO DO LADO DE CÁ""ENCONTRO COM MILTON SANTOS: O MUNDO VISTO DO LADO DE CÁ"
"ENCONTRO COM MILTON SANTOS: O MUNDO VISTO DO LADO DE CÁ"Viviane Calasans
 
Relação dos professores atualizada 2015
Relação dos professores atualizada  2015Relação dos professores atualizada  2015
Relação dos professores atualizada 2015Viviane Calasans
 
@Apresentacao semestralidade ced 07 2015
@Apresentacao semestralidade ced 07 2015@Apresentacao semestralidade ced 07 2015
@Apresentacao semestralidade ced 07 2015Viviane Calasans
 
Relação dos professores - 2015
Relação dos professores - 2015Relação dos professores - 2015
Relação dos professores - 2015Viviane Calasans
 
Centro Educacional 07 de Taguatinga - horário 2015
Centro Educacional 07 de Taguatinga - horário 2015Centro Educacional 07 de Taguatinga - horário 2015
Centro Educacional 07 de Taguatinga - horário 2015Viviane Calasans
 
artno7 - REVISTA CULTURAL DE TAGUATINGA
artno7 - REVISTA CULTURAL DE TAGUATINGAartno7 - REVISTA CULTURAL DE TAGUATINGA
artno7 - REVISTA CULTURAL DE TAGUATINGAViviane Calasans
 
Diretrizes de Avaliação Educacional 2014 2016
Diretrizes de Avaliação Educacional 2014 2016Diretrizes de Avaliação Educacional 2014 2016
Diretrizes de Avaliação Educacional 2014 2016Viviane Calasans
 
Apresentação erros comuns
Apresentação erros comunsApresentação erros comuns
Apresentação erros comunsViviane Calasans
 
Livreto cdgongue a cor da cultura
Livreto cdgongue   a cor da culturaLivreto cdgongue   a cor da cultura
Livreto cdgongue a cor da culturaViviane Calasans
 
Caderno1 modos dever - a cor da cultura
Caderno1 modos dever - a cor da culturaCaderno1 modos dever - a cor da cultura
Caderno1 modos dever - a cor da culturaViviane Calasans
 
Mostra cultural de produção afrodescendente no Brasil
Mostra cultural de produção afrodescendente no BrasilMostra cultural de produção afrodescendente no Brasil
Mostra cultural de produção afrodescendente no BrasilViviane Calasans
 

Mais de Viviane Calasans (20)

DIA LETIVO TEMÁTICO - BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR
DIA LETIVO TEMÁTICO - BASE NACIONAL COMUM CURRICULARDIA LETIVO TEMÁTICO - BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR
DIA LETIVO TEMÁTICO - BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR
 
"ENCONTRO COM MILTON SANTOS: O MUNDO VISTO DO LADO DE CÁ"
"ENCONTRO COM MILTON SANTOS: O MUNDO VISTO DO LADO DE CÁ""ENCONTRO COM MILTON SANTOS: O MUNDO VISTO DO LADO DE CÁ"
"ENCONTRO COM MILTON SANTOS: O MUNDO VISTO DO LADO DE CÁ"
 
Relação dos professores atualizada 2015
Relação dos professores atualizada  2015Relação dos professores atualizada  2015
Relação dos professores atualizada 2015
 
@Apresentacao semestralidade ced 07 2015
@Apresentacao semestralidade ced 07 2015@Apresentacao semestralidade ced 07 2015
@Apresentacao semestralidade ced 07 2015
 
Relação dos professores - 2015
Relação dos professores - 2015Relação dos professores - 2015
Relação dos professores - 2015
 
Centro Educacional 07 de Taguatinga - horário 2015
Centro Educacional 07 de Taguatinga - horário 2015Centro Educacional 07 de Taguatinga - horário 2015
Centro Educacional 07 de Taguatinga - horário 2015
 
artno7 - REVISTA CULTURAL DE TAGUATINGA
artno7 - REVISTA CULTURAL DE TAGUATINGAartno7 - REVISTA CULTURAL DE TAGUATINGA
artno7 - REVISTA CULTURAL DE TAGUATINGA
 
Diretrizes de Avaliação Educacional 2014 2016
Diretrizes de Avaliação Educacional 2014 2016Diretrizes de Avaliação Educacional 2014 2016
Diretrizes de Avaliação Educacional 2014 2016
 
Dissertação
DissertaçãoDissertação
Dissertação
 
Gêneros literários
Gêneros literários   Gêneros literários
Gêneros literários
 
Colocação pronominal
Colocação pronominalColocação pronominal
Colocação pronominal
 
Modos e tipos textuais
Modos e tipos textuaisModos e tipos textuais
Modos e tipos textuais
 
Acentuação gráfica
Acentuação gráficaAcentuação gráfica
Acentuação gráfica
 
Apresentação erros comuns
Apresentação erros comunsApresentação erros comuns
Apresentação erros comuns
 
Livreto cdgongue a cor da cultura
Livreto cdgongue   a cor da culturaLivreto cdgongue   a cor da cultura
Livreto cdgongue a cor da cultura
 
Caderno1 modos dever - a cor da cultura
Caderno1 modos dever - a cor da culturaCaderno1 modos dever - a cor da cultura
Caderno1 modos dever - a cor da cultura
 
Cinema
Cinema  Cinema
Cinema
 
Oficina de roteiro
Oficina de roteiroOficina de roteiro
Oficina de roteiro
 
Linguagem cinematografica
Linguagem cinematograficaLinguagem cinematografica
Linguagem cinematografica
 
Mostra cultural de produção afrodescendente no Brasil
Mostra cultural de produção afrodescendente no BrasilMostra cultural de produção afrodescendente no Brasil
Mostra cultural de produção afrodescendente no Brasil
 

Versos,sons e ritmos modernos

  • 1. VERSOS, SONS E RITMOS MODERNOS
  • 2. Rimas cruzadas, emparelhadas, interpoladas, misturadas Conforme o modo como as rimas se distribuem nos versos, ao longo do poema, elas podem ser cruzadas (ou alternadas), emparelhadas, interpoladas ou misturadas. •Rimas cruzadas ou alternadas: como o nome diz, são aquelas que aparecem de forma cruzada ou alternada entre os versos. •Rimas emparelhadas e interpoladas: as rimas emparelhadas aparecem sempre juntas, enquanto as interpoladas ficam nas extremidades da estrofe. •Rimas misturadas: não apresentam uma organização fixa, estando apenas dispostas na estrofe. Há ainda casos em que os versos aparecem sem rimas. Denomina-se rima perdida ou rima órfã.
  • 3. Vês! Ninguém assistiu ao formidável A Enterro de tua última quimera. B Somente a Ingratidão - esta pantera - B Foi tua companheira inseparável! A Acostuma-te à lama que te espera! B O Homem, que, nesta terra miserável, A Mora, entre feras, sente inevitável A Necessidade de também ser fera. B Toma um fósforo. Acende teu cigarro! C O beijo, amigo, é a véspera do escarro, C A mão que afaga é a mesma que apedreja. D Se a alguém causa inda pena a tua chaga, E Apedreja essa mão vil que te afaga, E Escarra nessa boca que te beija! D 1º QUARTETO 2º QUARTETO 1º TERCETO 2º TERCETO VERSOS ÍNTIMOS
  • 5. VERSOS Conforme as regras métricas e de versificação, e as rimas presentes nos versos, os versos podem receber diferentes classificações. • Regulares São aqueles que obedecem às regras clássicas estabelecidas pela métrica, determinando a posição das sílabas acentuadas, conforme o esquema rítmico. Além disso, as rimas irão aparecer de forma regular. • Brancos Quando os versos obedecem às regras de metrificação e acentuação, mas não apresentam rimas. • Polimétricos É o nome que se dá a um conjunto de versos regulares de tamanhos diferentes. • Livres Os versos livres não obedecem a nenhuma regra pré-estabelecida quanto à métrica, à acentuação ou à presença de rimas. Esse tipo de verso foi muito utilizado no Modernismo, e desde então tem sido muito difundido. O ritmo é solto e irregular, podendo variar conforme a leitura.
  • 6. ESTROFES Estrofe é o conjunto de versos. Geralmente, há uma linha em branco antes e outra depois da estrofe, separando-a das demais partes do poema e delimitando sua unidade. Há estrofes de diferentes tamanhos, conforme o número de versos. Assim, para cada tamanho de estrofe, temos um nome específico:
  • 7. RIMAS *Toante – apresenta semelhança somente na vogal tônica, sem que a consoante ou as outras vogais coincidam.. * Consoante – é aquela em que, desde a vogal tônica, há semelhança de consoantes e vogais.. * Aguda – rimas de palavras oxítonas. * Grave – rimas palavras paroxítonas. * Esdrúxula – rimas de palavras paroxítonas. * Ricas – rimas de palavras de classes gramaticais distintas. * Pobres –rimas de palavras de classes gramaticais iguais.