SlideShare uma empresa Scribd logo
Crateús/CECrateús/CE
Vozes VerbaisVozes Verbais
Disciplina: Língua Portuguesa
Educador: Edson Alves
As vozes verbaisAs vozes verbais
indicam a maneira como oindicam a maneira como o
sujeito se relaciona com osujeito se relaciona com o
verbo.verbo.
O sujeito pratica ouO sujeito pratica ou
sofre ação do verbo?Ésofre ação do verbo?É
agente ou paciente?agente ou paciente?
 O vento agitava as águas .O vento agitava as águas .
 As águas eram agitadasAs águas eram agitadas
pelo vento.pelo vento.
Voz ativaVoz ativa
Um verbo está na voz ativa quando oUm verbo está na voz ativa quando o
sujeito é agente,isto é,pratica a açãosujeito é agente,isto é,pratica a ação
expressa pelo verbo.expressa pelo verbo.
O caçador abateu a ave.O caçador abateu a ave.
Os pais educam os filhos.Os pais educam os filhos.
Voz passivaVoz passiva
A voz passiva indicaA voz passiva indica
que o sujeito sofreu ouque o sujeito sofreu ou
foi o receptor da açãofoi o receptor da ação
expressa pelo verbo.expressa pelo verbo.
 Os trabalhos foramOs trabalhos foram
apresentados pelosapresentados pelos
alunos.alunos.
 Os filhos sãoOs filhos são
educados pelos pais.educados pelos pais.
Vozes verbais
A voz passivaA voz passiva
analíticaanalítica
frequentementefrequentemente
é formada pelo verboé formada pelo verbo
auxiliarauxiliar ser ou estarser ou estar
seguido doseguido do particípioparticípio
do verbo principal.do verbo principal.
 O homem é afligidoO homem é afligido
pelas doenças.pelas doenças.
 A criança eraA criança era
conduzida pelo pai.conduzida pelo pai.
 As ruas serãoAs ruas serão
enfeitadas.enfeitadas.
 Seriam abertas novasSeriam abertas novas
escolas.escolas.
A criança era conduzida pelo pai.A criança era conduzida pelo pai.
Observação:Observação:
Na passiva analítica oNa passiva analítica o
verbo pode vir acompanhadoverbo pode vir acompanhado
de um agente.de um agente.
 O Egito é fertilizadoO Egito é fertilizado pelaspelas
enchentes do Nilo.enchentes do Nilo.
 A estrada era percorridaA estrada era percorrida porpor
linhas de ônibus.linhas de ônibus.
Laranjas eram vendidasLaranjas eram vendidas pelos feirantes.pelos feirantes.
Menos freqüentemente ,pode-seMenos freqüentemente ,pode-se
exprimir a passiva com outros verbosexprimir a passiva com outros verbos
auxiliares.auxiliares.
A aldeia estava isolada pelas águas.A aldeia estava isolada pelas águas.
A noiva vinha acompanhada pelo pai.A noiva vinha acompanhada pelo pai.
O preso ia escoltado pelos guardas.O preso ia escoltado pelos guardas.
A noiva vinha acompanhadaA noiva vinha acompanhada
pelo pai.pelo pai.
Vozes verbais
Formada por umFormada por um
verbo transitivoverbo transitivo
direto (ou direto edireto (ou direto e
indireto)na terceiraindireto)na terceira
pessoa (singular oupessoa (singular ou
plural)mais oplural)mais o
pronome sepronome se
(apassivador)(apassivador)
 Contaram-seContaram-se
histórias estranhas.histórias estranhas.
VOZ REFLEXIVAVOZ REFLEXIVA
Na voz reflexiva o sujeito é aoNa voz reflexiva o sujeito é ao
mesmo tempo agente e paciente:fazmesmo tempo agente e paciente:faz
uma ação cujos efeitos ele mesmouma ação cujos efeitos ele mesmo
sofre ou recebe.sofre ou recebe.
Sacrifiquei-me por ele.Sacrifiquei-me por ele.
Os pais contemplam-se nos filhos.Os pais contemplam-se nos filhos.
A menina penteou-se.A menina penteou-se.
O verbo reflexivo é conjugado com osO verbo reflexivo é conjugado com os
pronomes reflexivospronomes reflexivos me.te,se,nos,vos,se .me.te,se,nos,vos,se .
EEsses pronomes ssses pronomes são reflexivos quando seão reflexivos quando se
lhes pode acrescentarlhes pode acrescentar a mim mesmo,a tia mim mesmo,a ti
mesmo,a si mesmo,a nós mesmos,a vósmesmo,a si mesmo,a nós mesmos,a vós
mesmos,a si mesmos,respectivamente.mesmos,a si mesmos,respectivamente.
 Classes sociais arrogam-se(a si mesmas)Classes sociais arrogam-se(a si mesmas)
direitos que a lei lhes nega.direitos que a lei lhes nega.
 Errando,prejudicamo-nos.(a nós mesmos)Errando,prejudicamo-nos.(a nós mesmos)
Conversão da voz ativaConversão da voz ativa
na passivana passiva
Pode-se mudar a voz ativa naPode-se mudar a voz ativa na
passiva sem alterarpassiva sem alterar
substancialmente o sentido da frase.substancialmente o sentido da frase.
Gutenberg inventou a imprensa.Gutenberg inventou a imprensa.
A imprensa foi inventada porA imprensa foi inventada por
Gutenberg.Gutenberg.
Observe:Observe:
O objeto diretoO objeto direto
será o sujeito daserá o sujeito da
passiva,o sujeito dapassiva,o sujeito da
ativa passará aativa passará a
agente da passiva eagente da passiva e
o verbo ativoo verbo ativo
assumirá a formaassumirá a forma
passiva,conservandpassiva,conservand
o o mesmo tempoo o mesmo tempo
verbal.verbal.
Os calores intensos provocam asOs calores intensos provocam as
chuvas.chuvas.
As chuvas são provocadas pelosAs chuvas são provocadas pelos
calores intensos.calores intensos.
Eu o acompanharei.Eu o acompanharei.
Ele será acompanhado por mim.Ele será acompanhado por mim.
Todos te louvariam.Todos te louvariam.
Serias louvado por todos.Serias louvado por todos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Regência Nominal
Regência NominalRegência Nominal
Regência Nominal
Andriane Cursino
 
Slide aposto
Slide   apostoSlide   aposto
Slide aposto
Matheus Augusto
 
Aposto e vocativo
Aposto e vocativoAposto e vocativo
Aposto e vocativo
Camila Desidério
 
Ambiguidade
AmbiguidadeAmbiguidade
Aposto e vocativo
Aposto e vocativoAposto e vocativo
Aposto e vocativo
Cynthia Funchal
 
Genero textual charge
Genero textual chargeGenero textual charge
Genero textual charge
Fabio Junior Sarti
 
Ambiguidade
AmbiguidadeAmbiguidade
Ambiguidade
Diego Prezia
 
Funções da Linguagem
Funções da LinguagemFunções da Linguagem
Funções da Linguagem
borges15
 
Substantivo
SubstantivoSubstantivo
Substantivo
Fábio Guimarães
 
Período Composto
Período CompostoPeríodo Composto
Período Composto
Jorge Henrique
 
Regras do hifen
Regras do hifenRegras do hifen
Regras do hifen
RaquelTostes1
 
Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.
EstudareLegal
 
Sintagma nominal slide
Sintagma nominal slideSintagma nominal slide
Sintagma nominal slide
uamusse11
 
Aposto e vocativo
Aposto e vocativoAposto e vocativo
Aposto e vocativo
Christina Lopes
 
Adjunto adnominal e adjunto adverbial
Adjunto adnominal e adjunto adverbialAdjunto adnominal e adjunto adverbial
Adjunto adnominal e adjunto adverbial
Claudia Ribeiro
 
Regencia verbal (1)
Regencia verbal (1)Regencia verbal (1)
Regencia verbal (1)
Flávio Ferreira
 
Período Composto por Coordenação e Subordinação
Período Composto por Coordenação e SubordinaçãoPeríodo Composto por Coordenação e Subordinação
Período Composto por Coordenação e Subordinação
Joyce de Oliveira
 
Regência nominal
Regência nominalRegência nominal
Regência nominal
Lilian Hodgson
 
Adequação e inadequação linguística
Adequação e inadequação linguísticaAdequação e inadequação linguística
Adequação e inadequação linguística
Karen Olivan
 
Vicios de linguagem
Vicios de linguagemVicios de linguagem
Vicios de linguagem
Bernadete Carrijo Oliveira
 

Mais procurados (20)

Regência Nominal
Regência NominalRegência Nominal
Regência Nominal
 
Slide aposto
Slide   apostoSlide   aposto
Slide aposto
 
Aposto e vocativo
Aposto e vocativoAposto e vocativo
Aposto e vocativo
 
Ambiguidade
AmbiguidadeAmbiguidade
Ambiguidade
 
Aposto e vocativo
Aposto e vocativoAposto e vocativo
Aposto e vocativo
 
Genero textual charge
Genero textual chargeGenero textual charge
Genero textual charge
 
Ambiguidade
AmbiguidadeAmbiguidade
Ambiguidade
 
Funções da Linguagem
Funções da LinguagemFunções da Linguagem
Funções da Linguagem
 
Substantivo
SubstantivoSubstantivo
Substantivo
 
Período Composto
Período CompostoPeríodo Composto
Período Composto
 
Regras do hifen
Regras do hifenRegras do hifen
Regras do hifen
 
Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.
 
Sintagma nominal slide
Sintagma nominal slideSintagma nominal slide
Sintagma nominal slide
 
Aposto e vocativo
Aposto e vocativoAposto e vocativo
Aposto e vocativo
 
Adjunto adnominal e adjunto adverbial
Adjunto adnominal e adjunto adverbialAdjunto adnominal e adjunto adverbial
Adjunto adnominal e adjunto adverbial
 
Regencia verbal (1)
Regencia verbal (1)Regencia verbal (1)
Regencia verbal (1)
 
Período Composto por Coordenação e Subordinação
Período Composto por Coordenação e SubordinaçãoPeríodo Composto por Coordenação e Subordinação
Período Composto por Coordenação e Subordinação
 
Regência nominal
Regência nominalRegência nominal
Regência nominal
 
Adequação e inadequação linguística
Adequação e inadequação linguísticaAdequação e inadequação linguística
Adequação e inadequação linguística
 
Vicios de linguagem
Vicios de linguagemVicios de linguagem
Vicios de linguagem
 

Destaque

Vozes verbais
Vozes verbaisVozes verbais
Vozes verbais
bodaovg
 
Vozes do verbo
Vozes do verboVozes do verbo
Vozes do verbo
perdomodeise
 
Vozes verbais
Vozes verbaisVozes verbais
Vozes verbais ppt
Vozes verbais pptVozes verbais ppt
Vozes verbais ppt
blogdoalunocefa
 
Vozes verbais e funções do se na fundep
Vozes verbais e funções do se na fundepVozes verbais e funções do se na fundep
Vozes verbais e funções do se na fundep
ma.no.el.ne.ves
 
Vozes do verbo
Vozes do verboVozes do verbo
Vozes do verbo
Solange
 
Vozes verbais
Vozes verbaisVozes verbais
Vozes verbais
Fábio Guimarães
 
Vozes Do Verbo
Vozes Do VerboVozes Do Verbo
Vozes Do Verbo
Mara Virginia
 
Complemento nominal
Complemento nominalComplemento nominal
Complemento nominal
Edson Alves
 
Exercícios - Vozes verbais
Exercícios - Vozes verbaisExercícios - Vozes verbais
Exercícios - Vozes verbais
NAPNE
 
Vozes Do Verbo
Vozes Do VerboVozes Do Verbo
Vozes Do Verbo
sandraneves
 
Planificar o trabalho nas Bibliotecas Escolares
Planificar o trabalho nas Bibliotecas EscolaresPlanificar o trabalho nas Bibliotecas Escolares
Planificar o trabalho nas Bibliotecas Escolares
RBE Algarve
 
Encontro Pedagógico 2011 Ipiranga do Piauí
Encontro Pedagógico  2011 Ipiranga do PiauíEncontro Pedagógico  2011 Ipiranga do Piauí
Encontro Pedagógico 2011 Ipiranga do Piauí
Clau Fontes
 
Reunião escolar
Reunião escolarReunião escolar
Reunião escolar
luannagorges
 
Vozes verbais e concordância verbal benjamin, bernardo, gabriel, guilherme ...
Vozes verbais e concordância verbal   benjamin, bernardo, gabriel, guilherme ...Vozes verbais e concordância verbal   benjamin, bernardo, gabriel, guilherme ...
Vozes verbais e concordância verbal benjamin, bernardo, gabriel, guilherme ...
Rosana Wu
 
1ª ReuniãO PedagóGica De 2009
1ª ReuniãO PedagóGica De 20091ª ReuniãO PedagóGica De 2009
1ª ReuniãO PedagóGica De 2009
ancyrainfo2009
 
Ações 2013
Ações 2013Ações 2013
Ações 2013
lenepop
 
Reunião de instruções gerais da coordenação para os professores
Reunião de instruções gerais da coordenação para os professoresReunião de instruções gerais da coordenação para os professores
Reunião de instruções gerais da coordenação para os professores
Barbara Dias
 
Atividades 2012 ciclo i
Atividades 2012 ciclo iAtividades 2012 ciclo i
Atividades 2012 ciclo i
San Kolsey
 
Linguagem lingua e código
Linguagem lingua  e códigoLinguagem lingua  e código
Linguagem lingua e código
Paulinha Iacks
 

Destaque (20)

Vozes verbais
Vozes verbaisVozes verbais
Vozes verbais
 
Vozes do verbo
Vozes do verboVozes do verbo
Vozes do verbo
 
Vozes verbais
Vozes verbaisVozes verbais
Vozes verbais
 
Vozes verbais ppt
Vozes verbais pptVozes verbais ppt
Vozes verbais ppt
 
Vozes verbais e funções do se na fundep
Vozes verbais e funções do se na fundepVozes verbais e funções do se na fundep
Vozes verbais e funções do se na fundep
 
Vozes do verbo
Vozes do verboVozes do verbo
Vozes do verbo
 
Vozes verbais
Vozes verbaisVozes verbais
Vozes verbais
 
Vozes Do Verbo
Vozes Do VerboVozes Do Verbo
Vozes Do Verbo
 
Complemento nominal
Complemento nominalComplemento nominal
Complemento nominal
 
Exercícios - Vozes verbais
Exercícios - Vozes verbaisExercícios - Vozes verbais
Exercícios - Vozes verbais
 
Vozes Do Verbo
Vozes Do VerboVozes Do Verbo
Vozes Do Verbo
 
Planificar o trabalho nas Bibliotecas Escolares
Planificar o trabalho nas Bibliotecas EscolaresPlanificar o trabalho nas Bibliotecas Escolares
Planificar o trabalho nas Bibliotecas Escolares
 
Encontro Pedagógico 2011 Ipiranga do Piauí
Encontro Pedagógico  2011 Ipiranga do PiauíEncontro Pedagógico  2011 Ipiranga do Piauí
Encontro Pedagógico 2011 Ipiranga do Piauí
 
Reunião escolar
Reunião escolarReunião escolar
Reunião escolar
 
Vozes verbais e concordância verbal benjamin, bernardo, gabriel, guilherme ...
Vozes verbais e concordância verbal   benjamin, bernardo, gabriel, guilherme ...Vozes verbais e concordância verbal   benjamin, bernardo, gabriel, guilherme ...
Vozes verbais e concordância verbal benjamin, bernardo, gabriel, guilherme ...
 
1ª ReuniãO PedagóGica De 2009
1ª ReuniãO PedagóGica De 20091ª ReuniãO PedagóGica De 2009
1ª ReuniãO PedagóGica De 2009
 
Ações 2013
Ações 2013Ações 2013
Ações 2013
 
Reunião de instruções gerais da coordenação para os professores
Reunião de instruções gerais da coordenação para os professoresReunião de instruções gerais da coordenação para os professores
Reunião de instruções gerais da coordenação para os professores
 
Atividades 2012 ciclo i
Atividades 2012 ciclo iAtividades 2012 ciclo i
Atividades 2012 ciclo i
 
Linguagem lingua e código
Linguagem lingua  e códigoLinguagem lingua  e código
Linguagem lingua e código
 

Semelhante a Vozes verbais

Vozes do verbo
Vozes do verboVozes do verbo
Vozes do verbo
Elaine Maia
 
Vozes do verbo
Vozes do verboVozes do verbo
Vozes do verbo
Elaine Maia
 
Vozes do verbo
Vozes do verboVozes do verbo
Vozes do verbo
Elaine Maia
 
Regencia verbal
Regencia verbalRegencia verbal
Regencia verbal
Flávio Ferreira
 
Locuções
LocuçõesLocuções
Locuções
Edson Dorneles
 
Concordância nominal slides
Concordância nominal slidesConcordância nominal slides
Concordância nominal slides
ADRIANA BORDINHÃO VICIOLI
 
Slide verbos - 6 anos.pdf
Slide verbos - 6 anos.pdfSlide verbos - 6 anos.pdf
Slide verbos - 6 anos.pdf
geroboaosouza
 
Verbos i
Verbos iVerbos i
Verbos i
Professor
 
A classe dos verbos 1 gt
A classe dos verbos 1 gtA classe dos verbos 1 gt
A classe dos verbos 1 gt
Cristina Fontes
 
Gramática-Verbo.pdf
Gramática-Verbo.pdfGramática-Verbo.pdf
Gramática-Verbo.pdf
KatiuciaBandeira
 
4_Aula_Verbo.pptx
4_Aula_Verbo.pptx4_Aula_Verbo.pptx
4_Aula_Verbo.pptx
tatianesouza923757
 
Concordância Verbal e Nominal
Concordância Verbal e NominalConcordância Verbal e Nominal
Concordância Verbal e Nominal
Daniele Silva
 
Aula_13___Verbo (1).pdf
Aula_13___Verbo (1).pdfAula_13___Verbo (1).pdf
Aula_13___Verbo (1).pdf
Ana Vaz
 
Concordância com verbos de particular interesse verbo ser
Concordância com verbos de particular interesse  verbo serConcordância com verbos de particular interesse  verbo ser
Concordância com verbos de particular interesse verbo ser
Marcos Venícius
 
Gramatica Grego Biblico.pptx
Gramatica Grego Biblico.pptxGramatica Grego Biblico.pptx
Gramatica Grego Biblico.pptx
rodrigorock777
 
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINALCONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
MGLAUCIA /LÍNGUA PORTUGUESA
 
Concordância
ConcordânciaConcordância
Concordância
Edson Alves
 
Concordância
ConcordânciaConcordância
Concordância
Edson Alves
 
1 2 classes de palavras
1 2 classes de palavras1 2 classes de palavras
1 2 classes de palavras
Praxix
 
Verbo
VerboVerbo

Semelhante a Vozes verbais (20)

Vozes do verbo
Vozes do verboVozes do verbo
Vozes do verbo
 
Vozes do verbo
Vozes do verboVozes do verbo
Vozes do verbo
 
Vozes do verbo
Vozes do verboVozes do verbo
Vozes do verbo
 
Regencia verbal
Regencia verbalRegencia verbal
Regencia verbal
 
Locuções
LocuçõesLocuções
Locuções
 
Concordância nominal slides
Concordância nominal slidesConcordância nominal slides
Concordância nominal slides
 
Slide verbos - 6 anos.pdf
Slide verbos - 6 anos.pdfSlide verbos - 6 anos.pdf
Slide verbos - 6 anos.pdf
 
Verbos i
Verbos iVerbos i
Verbos i
 
A classe dos verbos 1 gt
A classe dos verbos 1 gtA classe dos verbos 1 gt
A classe dos verbos 1 gt
 
Gramática-Verbo.pdf
Gramática-Verbo.pdfGramática-Verbo.pdf
Gramática-Verbo.pdf
 
4_Aula_Verbo.pptx
4_Aula_Verbo.pptx4_Aula_Verbo.pptx
4_Aula_Verbo.pptx
 
Concordância Verbal e Nominal
Concordância Verbal e NominalConcordância Verbal e Nominal
Concordância Verbal e Nominal
 
Aula_13___Verbo (1).pdf
Aula_13___Verbo (1).pdfAula_13___Verbo (1).pdf
Aula_13___Verbo (1).pdf
 
Concordância com verbos de particular interesse verbo ser
Concordância com verbos de particular interesse  verbo serConcordância com verbos de particular interesse  verbo ser
Concordância com verbos de particular interesse verbo ser
 
Gramatica Grego Biblico.pptx
Gramatica Grego Biblico.pptxGramatica Grego Biblico.pptx
Gramatica Grego Biblico.pptx
 
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINALCONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
 
Concordância
ConcordânciaConcordância
Concordância
 
Concordância
ConcordânciaConcordância
Concordância
 
1 2 classes de palavras
1 2 classes de palavras1 2 classes de palavras
1 2 classes de palavras
 
Verbo
VerboVerbo
Verbo
 

Mais de Edson Alves

Gênero editorial
Gênero editorialGênero editorial
Gênero editorial
Edson Alves
 
Crase
CraseCrase
Regência
RegênciaRegência
Regência
Edson Alves
 
Uso da vírgula
Uso da vírgulaUso da vírgula
Uso da vírgula
Edson Alves
 
Artigo de opnião
Artigo de opniãoArtigo de opnião
Artigo de opnião
Edson Alves
 
Ortografia c ç s ss x
Ortografia c ç s ss xOrtografia c ç s ss x
Ortografia c ç s ss x
Edson Alves
 
Orientações de redação
Orientações de redaçãoOrientações de redação
Orientações de redação
Edson Alves
 
Morfologia
MorfologiaMorfologia
Morfologia
Edson Alves
 
Estruturaeformaodaspalavras 110320151038-phpapp02
Estruturaeformaodaspalavras 110320151038-phpapp02Estruturaeformaodaspalavras 110320151038-phpapp02
Estruturaeformaodaspalavras 110320151038-phpapp02
Edson Alves
 
Dissertação
DissertaçãoDissertação
Dissertação
Edson Alves
 
Cronicas 1208643843442340-8
Cronicas 1208643843442340-8Cronicas 1208643843442340-8
Cronicas 1208643843442340-8
Edson Alves
 
Concordância nominal
Concordância nominalConcordância nominal
Concordância nominal
Edson Alves
 
Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02
Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02
Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02
Edson Alves
 
Aposto e vocativo
Aposto e vocativoAposto e vocativo
Aposto e vocativo
Edson Alves
 
Figuras de sintaxe
Figuras de sintaxeFiguras de sintaxe
Figuras de sintaxe
Edson Alves
 
Adjetivos pátrios
Adjetivos pátriosAdjetivos pátrios
Adjetivos pátrios
Edson Alves
 
Orações coordenadas
Orações coordenadasOrações coordenadas
Orações coordenadas
Edson Alves
 
Av de português maio - prova 2- 8º
Av de português   maio - prova 2- 8ºAv de português   maio - prova 2- 8º
Av de português maio - prova 2- 8º
Edson Alves
 
Av de português maio - prova 1 - 8º
Av de português   maio - prova 1 - 8ºAv de português   maio - prova 1 - 8º
Av de português maio - prova 1 - 8º
Edson Alves
 
Av de português maio 9º ano
Av  de português maio  9º anoAv  de português maio  9º ano
Av de português maio 9º ano
Edson Alves
 

Mais de Edson Alves (20)

Gênero editorial
Gênero editorialGênero editorial
Gênero editorial
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Regência
RegênciaRegência
Regência
 
Uso da vírgula
Uso da vírgulaUso da vírgula
Uso da vírgula
 
Artigo de opnião
Artigo de opniãoArtigo de opnião
Artigo de opnião
 
Ortografia c ç s ss x
Ortografia c ç s ss xOrtografia c ç s ss x
Ortografia c ç s ss x
 
Orientações de redação
Orientações de redaçãoOrientações de redação
Orientações de redação
 
Morfologia
MorfologiaMorfologia
Morfologia
 
Estruturaeformaodaspalavras 110320151038-phpapp02
Estruturaeformaodaspalavras 110320151038-phpapp02Estruturaeformaodaspalavras 110320151038-phpapp02
Estruturaeformaodaspalavras 110320151038-phpapp02
 
Dissertação
DissertaçãoDissertação
Dissertação
 
Cronicas 1208643843442340-8
Cronicas 1208643843442340-8Cronicas 1208643843442340-8
Cronicas 1208643843442340-8
 
Concordância nominal
Concordância nominalConcordância nominal
Concordância nominal
 
Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02
Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02
Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02
 
Aposto e vocativo
Aposto e vocativoAposto e vocativo
Aposto e vocativo
 
Figuras de sintaxe
Figuras de sintaxeFiguras de sintaxe
Figuras de sintaxe
 
Adjetivos pátrios
Adjetivos pátriosAdjetivos pátrios
Adjetivos pátrios
 
Orações coordenadas
Orações coordenadasOrações coordenadas
Orações coordenadas
 
Av de português maio - prova 2- 8º
Av de português   maio - prova 2- 8ºAv de português   maio - prova 2- 8º
Av de português maio - prova 2- 8º
 
Av de português maio - prova 1 - 8º
Av de português   maio - prova 1 - 8ºAv de português   maio - prova 1 - 8º
Av de português maio - prova 1 - 8º
 
Av de português maio 9º ano
Av  de português maio  9º anoAv  de português maio  9º ano
Av de português maio 9º ano
 

Último

LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdfLEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LucliaMartins5
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
GrazielaTorrezan
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Mary Alvarenga
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
IsaiasJohaneSimango
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 

Último (20)

LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdfLEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 

Vozes verbais

  • 1. Crateús/CECrateús/CE Vozes VerbaisVozes Verbais Disciplina: Língua Portuguesa Educador: Edson Alves
  • 2. As vozes verbaisAs vozes verbais indicam a maneira como oindicam a maneira como o sujeito se relaciona com osujeito se relaciona com o verbo.verbo. O sujeito pratica ouO sujeito pratica ou sofre ação do verbo?Ésofre ação do verbo?É agente ou paciente?agente ou paciente?  O vento agitava as águas .O vento agitava as águas .  As águas eram agitadasAs águas eram agitadas pelo vento.pelo vento.
  • 3. Voz ativaVoz ativa Um verbo está na voz ativa quando oUm verbo está na voz ativa quando o sujeito é agente,isto é,pratica a açãosujeito é agente,isto é,pratica a ação expressa pelo verbo.expressa pelo verbo. O caçador abateu a ave.O caçador abateu a ave. Os pais educam os filhos.Os pais educam os filhos.
  • 4. Voz passivaVoz passiva A voz passiva indicaA voz passiva indica que o sujeito sofreu ouque o sujeito sofreu ou foi o receptor da açãofoi o receptor da ação expressa pelo verbo.expressa pelo verbo.  Os trabalhos foramOs trabalhos foram apresentados pelosapresentados pelos alunos.alunos.  Os filhos sãoOs filhos são educados pelos pais.educados pelos pais.
  • 6. A voz passivaA voz passiva analíticaanalítica frequentementefrequentemente é formada pelo verboé formada pelo verbo auxiliarauxiliar ser ou estarser ou estar seguido doseguido do particípioparticípio do verbo principal.do verbo principal.  O homem é afligidoO homem é afligido pelas doenças.pelas doenças.  A criança eraA criança era conduzida pelo pai.conduzida pelo pai.  As ruas serãoAs ruas serão enfeitadas.enfeitadas.  Seriam abertas novasSeriam abertas novas escolas.escolas.
  • 7. A criança era conduzida pelo pai.A criança era conduzida pelo pai.
  • 8. Observação:Observação: Na passiva analítica oNa passiva analítica o verbo pode vir acompanhadoverbo pode vir acompanhado de um agente.de um agente.  O Egito é fertilizadoO Egito é fertilizado pelaspelas enchentes do Nilo.enchentes do Nilo.  A estrada era percorridaA estrada era percorrida porpor linhas de ônibus.linhas de ônibus.
  • 9. Laranjas eram vendidasLaranjas eram vendidas pelos feirantes.pelos feirantes.
  • 10. Menos freqüentemente ,pode-seMenos freqüentemente ,pode-se exprimir a passiva com outros verbosexprimir a passiva com outros verbos auxiliares.auxiliares. A aldeia estava isolada pelas águas.A aldeia estava isolada pelas águas. A noiva vinha acompanhada pelo pai.A noiva vinha acompanhada pelo pai. O preso ia escoltado pelos guardas.O preso ia escoltado pelos guardas.
  • 11. A noiva vinha acompanhadaA noiva vinha acompanhada pelo pai.pelo pai.
  • 13. Formada por umFormada por um verbo transitivoverbo transitivo direto (ou direto edireto (ou direto e indireto)na terceiraindireto)na terceira pessoa (singular oupessoa (singular ou plural)mais oplural)mais o pronome sepronome se (apassivador)(apassivador)  Contaram-seContaram-se histórias estranhas.histórias estranhas.
  • 14. VOZ REFLEXIVAVOZ REFLEXIVA Na voz reflexiva o sujeito é aoNa voz reflexiva o sujeito é ao mesmo tempo agente e paciente:fazmesmo tempo agente e paciente:faz uma ação cujos efeitos ele mesmouma ação cujos efeitos ele mesmo sofre ou recebe.sofre ou recebe. Sacrifiquei-me por ele.Sacrifiquei-me por ele. Os pais contemplam-se nos filhos.Os pais contemplam-se nos filhos.
  • 15. A menina penteou-se.A menina penteou-se.
  • 16. O verbo reflexivo é conjugado com osO verbo reflexivo é conjugado com os pronomes reflexivospronomes reflexivos me.te,se,nos,vos,se .me.te,se,nos,vos,se . EEsses pronomes ssses pronomes são reflexivos quando seão reflexivos quando se lhes pode acrescentarlhes pode acrescentar a mim mesmo,a tia mim mesmo,a ti mesmo,a si mesmo,a nós mesmos,a vósmesmo,a si mesmo,a nós mesmos,a vós mesmos,a si mesmos,respectivamente.mesmos,a si mesmos,respectivamente.  Classes sociais arrogam-se(a si mesmas)Classes sociais arrogam-se(a si mesmas) direitos que a lei lhes nega.direitos que a lei lhes nega.  Errando,prejudicamo-nos.(a nós mesmos)Errando,prejudicamo-nos.(a nós mesmos)
  • 17. Conversão da voz ativaConversão da voz ativa na passivana passiva Pode-se mudar a voz ativa naPode-se mudar a voz ativa na passiva sem alterarpassiva sem alterar substancialmente o sentido da frase.substancialmente o sentido da frase. Gutenberg inventou a imprensa.Gutenberg inventou a imprensa. A imprensa foi inventada porA imprensa foi inventada por Gutenberg.Gutenberg.
  • 18. Observe:Observe: O objeto diretoO objeto direto será o sujeito daserá o sujeito da passiva,o sujeito dapassiva,o sujeito da ativa passará aativa passará a agente da passiva eagente da passiva e o verbo ativoo verbo ativo assumirá a formaassumirá a forma passiva,conservandpassiva,conservand o o mesmo tempoo o mesmo tempo verbal.verbal.
  • 19. Os calores intensos provocam asOs calores intensos provocam as chuvas.chuvas. As chuvas são provocadas pelosAs chuvas são provocadas pelos calores intensos.calores intensos.
  • 20. Eu o acompanharei.Eu o acompanharei. Ele será acompanhado por mim.Ele será acompanhado por mim. Todos te louvariam.Todos te louvariam. Serias louvado por todos.Serias louvado por todos.