Radiação solar beatriz e margarida

590 visualizações

Publicada em

Radiação solar

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
590
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Radiação solar beatriz e margarida

  1. 1. Trabalho realizado por: Ana Margarida nº1 Beatriz Conde nº4 10ºH
  2. 2. • é a designação dada à energia radiante emitida pelo Sol, em particular aquela que é transmitida sob a forma de radiação electromagnética. • Cerca de metade desta energia é emitida como luz visível na parte de frequência mais alta do espectro electromagnético e o restante na do infravermelho próximo e como radiação ultravioleta.
  3. 3. • A acção da atmosfera, em conjunto com a radiação permite a manutenção de um equilíbrio térmico da Terra. O equilíbrio térmico corresponde à devolução, por parte da Terra, da mesma quantidade de energia que recebe proveniente do sol. • Há que considerar a constante solar, ou seja, o total de energia que atinge a atmosfera na superfície de 1 cm quadrado, perpendicularmente aos raios solares e durante um minuto. Exprime-se em calorias e tem um valor médio 2 calorias /cm quadrado/ minuto, ou seja, 1400 Watts.
  4. 4. • Da radiação solar que atinge o limite superior da atmosfera (100%), e que é praticamente constante, apenas uma parte chega à superfície da Terra (43%), em resultado de inúmeros processos que se verificam ao longo da atmosfera. a) Absorção: em média, a atmosfera absorve 19% do total de energia emitida pelo sol. Principais responsáveis: Dióxido de Carbono; Vapor de água; Ozono – absorve as radiações ultravioletas; Partículas sólidas que absorvem as radiações infravermelhas.
  5. 5. b) Difusão: Os gases, as poeiras e as gotículas de água que se encontram na atmosfera terrestre difundem em todas as direcções a radiação solar. Parte dessa energia difundida é enviada para o espaço; outra parte atinge a superfície terrestre (radiação difusa). c) Reflexão: A superfície terrestre funciona como um espelho que reflecte parte dos raios solares. O albedo é a fracção de energia reflectida por um corpo em relação à energia recebida. Este é particularmente elevado nas regiões cobertas de neve.
  6. 6. • A variação da radiação solar à superfície depende de vários factores, entre os quais: a) A forma esférica da Terra b) Movimentos de Rotação e Translação c) A altitude e o Relevo d) Proximidade do mar/Continentalidade
  7. 7.  A forma esférica da Terra • Constitui uma das principais razões pela qual a radiação solar diminui com a latitude • À medida que a latitude aumenta o ângulo de incidência diminui e a massa atmosférica atravessada pelos raios solares aumenta, fazendo com que as perdas por absorção, reflexão e difusão sejam maiores, logo, a quantidade de radiação recebida diminua.
  8. 8.  Movimentos de Translacção e Rotação • O movimento de rotação tem implicações na variação diurna da radiação, uma vez que origina a sucessão dos dias naturais e das noites, e a variação do ângulo de incidência e da massa atmosférica atravessada pelos raios solares ao longo do dia natural.
  9. 9. • O movimento de translação tem sobretudo implicações na variação anual da radiação solar recebida pois, devido à inclinação constante do eixo da Terra com o plano da sua órbita, faz variar, num mesmo lugar, a obliquidade dos raios solares, ao meio-dia solar, ao longo do ano.
  10. 10.  A altitude e o relevo • A altitude exerce grande influência sobre a temperatura. O calor é irradiado para "cima", e a temperatura aquece-se por irradiação. Quanto maior a altitude, mais rarefeito torna-se o ar, ocorrendo também menor irradiação e, por conseqüência, menores temperaturas. O contrário ocorre em altitudes baixas. • O relevo, além de influenciar na variação da temperatura em função dos perfis altimétricos, também influencia na medida em que sua disposição pode facilitar, desviar ou até impedir a passagem de uma massa de ar.
  11. 11.  Proximidade do mar / Continentalidade • o mar possui um efeito amenizador sobre a variação da temperatura, originando um maior equilíbrio térmico nos locais que se situam junto ao litoral. • Já a continentalidade é o contrário. Quanto mais distante do litoral, maior é a amplitude térmica de determinada região. Devido à rapidez com que o solo irradia calor e baixa capacidade de absorção, os invernos são mais rigorosos e a diferença de temperatura entre o dia e a noite também é grande.
  12. 12. • O efeito de estufa é um processo que o sistema climático terrestre tem para manter constante uma temperatura propicia á vida. Se este não existisse, o arrefecimento do planeta seria tão intenso, sobretudo no período nocturno, que o tornaria inabitável.
  13. 13. • O actual problema do efeito de estufa reside no aumento de gases e outras substâncias poluentes, como o dióxido de carbono, na troposfera, que tem provocado um aumento progressivo da temperatura no globo. CONSEQUÊNCIAS DO EFEITO DE ESTUFA

×